Instrumentação - Metais (Disc. Arranjos e Transcrições)

6.239 visualizações

Publicada em

Aula sobre Instrumentação: Metais. Curso de Licenciatura em Música - Universidade Federal de São João del-Rei.

Publicada em: Educação
0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.239
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.001
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Britten. Para ser tocado sem a afinnação precisa, sem fazer a correção.
  • Características comuns: podem fazer sforzando melhor do que os outros instrumentos;
  • Tocando leve, staccato
  • Staccato duplo
  • Staccato triplo
  • Fluttertonging: flulato
  • Surdinas: mudam o timbre e possibilitam fazer pianissimos em muitos metais.
  • Passagens importantes e representativas: SOLO !
  • Multiplas trompas em unissono;
  • Multiplas trompas fazendo harmonia
  • Multiplas trompas fazendo harmonia
  • Articulação: regular,stacato e ataque pesado (using “tuh”);
  • Leve e legato usando (“duh”);
  • Stacatto duplo;
  • Staccato triplo;
  • Surdina;
  • Tremulos e trinados;
  • Glissandos mais efetivo em passagens fortes;
  • Cuivré: som forte, pesado, produzido pela maior tensão no lábio.
  • Campanas para cima.
  • Período barroco como o auge dos instrumentos agudos (juntamente com o oboé e o violino). Típico som clarino do período barroco. Trompete sem valvula.
  • Com a chegado do estilo homofonico na metade do século XVIII, a sonoridade clarino começa e desaparecer. Compositores começam a utilizar o trompete como um componente de acompanhamento, sustentando longas tonicas e pedais de dominante, ou tocando em acordes durante tuttis.
  • No período classico, Beethoven introduziu um estilo mais idiomático nas partes de trompete, como trinados na sinfonia 5 e uma sonoridade de fanfarra na abertura Leonore.
  • Mais exemplos de trompete natural quando já existia o trompete com válvulas.
  • Melodia que atravessa toda a extensão do instrumento e demonstra a característica de escrita no século 20.
  • É o instrumento de maior facilidade de articulação de todos os metais. Passagens utilizando stacatto duplo e triplo.
  • Com as maosnao se usa. Ao nao sem contexto popular para se criar o efeito wa-wa. Existem vários tipos de surdina.
  • Primeiro exemplo sem surdina, segundo exemplo com surdina.
  • Pode-se fazer trinados utilizando as válvulas ou os lábios. Trinados que envolvem mais de uma válvula são mais complicados.
  • Glissandos funcionam bem de forma ascendente.
  • Flugelhorn mais usado em Bb, mas existe em F e C.Possui um registro mais limitado e sua sonoridade contrasta com a do trompete. É utilizado mais como solista.
  • A introdução dessa musica demonstra claramente a diferença entre o timbre do trompete e do flugel. Solo que passa por toda a extensão efetiva do instrumento. Os metaisconduzem a umasonoridadefechada a fim de propiciar a entrada do flugel no compasso 6.
  • Flugelhorn mais usado em Bb, mas existe em F e C.Possui um registro mais limitado e sua sonoridade contrasta com a do trompete. É utilizado mais como solista.
  • Articulação. Deve-se ter atenção quanto à articulação, apesar de ser possível staccato simples, duplo e triplo. Jamais será igual ao trompete em precisão. Legatos, em geral é possível entre duas notas e entre mesmas notas de uma serie harmonica. Bons instrumentistas em geral buscam formas de produzir um legato perfeito. O staccato pode ser problemático em passagens muito rápidas. Essa passagem, Tuba Mirum, tem uma boa apresentação do legato no trombone.
  • Existe uma variedade de surdinas. Cada uma altera o timbre do instrumento de uma maneira específica. Duas passagens com surdina. A primeira os trombones é dobrado com cellos e contrabaixos em collegno.
  • Glissando: não deve ultrapassar um trítono (intervalo máximo entre duas notas em uma mesma parcial). Tem também o glissando pelo lábio e muitos instrumentistas mesclam um e outro.
  • RECOLOCAR AUDIOExemplo de um grupo de trombones tocando em um registro confortável em uma harmonização em bloco fechado. Eles são respondidos por trompetes com surdina e flautas tocando ritmos similares.
  • BBb dupla Bb
  • Este é o um solos mais famosos na tuba. Ele mostra o quão efetivo pode ser o som nos registros médio e agudo.
  • Muitas articulações podem ser usadas. Nesta passagem em legato, percebe-se como a tuba pode ser expressiva em dinâmicas reduzidas nos registros medio e agudo.
  • É muito utilizada para dobrar ou reforçar as partes graves.Aqui a tuba é usada para dobrar os contrabaixos tocando com arco (na gravação, apenas a tuba é ouvida).
  • Frulato.
  • Mesma extensão do trombone baixo, mas é construído da mesma forma que a tuba.
  • Instrumentação - Metais (Disc. Arranjos e Transcrições)

    1. 1. ARRANJOS E TRANSCRIÇÕES INSTRUMENTAÇÃO: METAIS MARCOS FILHOUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    2. 2. P R O F. M A R C O S F I L H O Metais• Transpositores e não transpositores;• Possui número específico de pentagramas em que são escritos na orquestra (vide formação básica);• Utilizam o princípio da série harmônica para a projeção das notas na escala;• A tessitura e a qualidade acústica dependem do tamanho do tubo do instrumento;• Respiração para fraseados e tempo para descanso dos lábios;• Trinados e trêmulos em geral são fáceis de serem
    3. 3. Universidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    4. 4. Universidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    5. 5. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    6. 6. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    7. 7. P R O F. M A R C O S F I L H O
    8. 8. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    9. 9. P R O F. M A R C O S F I L H O
    10. 10. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    11. 11. P R O F. M A R C O S F I L H O Trompa • Transpositor em F (compositores antigos escreveram para trompas em outros tons); • Utiliza clave de sol (tpa. 1 e 2) e fá (3 e 4); • Algumas notas são especialmente difíceis de serem produzidas (extremos); • Os ataques nem sempre são precisos;Universidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    12. 12. P R O F. M A R C O S F I L H O Escuro e Brilhante e alto sem foco Pesado Brilhante e heróicoUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    13. 13. P R O F. M A R C O S F I L H O
    14. 14. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    15. 15. P R O F. M A R C O S F I L H O
    16. 16. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    17. 17. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    18. 18. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    19. 19. Sons bouchés
    20. 20. P R O F. M A R C O S F I L H O CuivréUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    21. 21. Campanas para cima
    22. 22. P R O F. M A R C O S F I L H O Trompete• Basicamente afinado em C e Bb;• Utiliza clave de sol;• É o instrumento soprano da família dos metais;• Tem som penetrante e flexível;• Usado em solos, conjuntos, uníssonos, oitavas (dois no registro agudos e dois no grave) ou no topo do conjunto de metais;• Funciona bem tocando em uníssonos com outros instrumentos (sax alto ou guitarra elétrica) ou em oitavas com o trombone ou sax tenor;• Sons fortes são mais fáceis de serem produzidos;
    23. 23. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    24. 24. Escrita Som Real Claro, brilhante e Brilhante, mas estridenteSem brilho mais articulado
    25. 25. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    26. 26. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    27. 27. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    28. 28. P R O F. M A R C O S F I L H O
    29. 29. P R O F. M A R C O S F I L H O Surdina Pode-se indicar con sordino para adicionar e senza sordino para retirar. Em inglês utiliza-se também open para indicar sem surdina. No século XIX era comum utilizar a palavra alemã gestopft para adicionar a surdina e offen para retirar a surdina.Universidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    30. 30. P R O F. M A R C O S F I L H O Trinados para serem evitados:Universidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    31. 31. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    32. 32. P R O F. M A R C O S F I L H O
    33. 33. Flugelhorn
    34. 34. P R O F. M A R C O S F I L H O Trombone (Tenor)• Não transpositor;• É notado na clave de Fá e de Dó na quarta linha;• Possui sete posições cada uma produzindo uma série harmônica específica;• É versátil e pode ser usados em solos, fundos harmônicos e blocos (como solista é dinâmico e efetivo em melodias leves ou sonoras – som heróico);• Dentro de um grupo, o trombone pode funcionar sozinho ou como suporte aos
    35. 35. P R O F. M A R C O S F I L H O
    36. 36. P R O F. M A R C O S F I L H OEscuro, menos Firme e poderoso Muito intenso forte
    37. 37. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    38. 38. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    39. 39. P R O F. M A R C O S F I L H OTrombone Baixo Muito poderoso Pesado e um pouco forte Profundo e sólidoTrombone Alto
    40. 40. P R O F. M A R C O S F I L H O
    41. 41. Surdina
    42. 42. Glissando
    43. 43. P R O F. M A R C O S F I L H O
    44. 44. P R O F. M A R C O S F I L H O Tuba• Não transpositor;• É o mais grave instrumentos entre os metais e é notado na clave de Fá;• O registro médio é mais ágil e o grave mais fraco;• Pode funcionar efetivamente entre as dinâmicas ff e pp;• Pode ser utilizado como solo ou em combinação com outros instrumentos (funciona bem com um naipe de trombones,
    45. 45. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    46. 46. P R O F. M A R C O S F I L H O Ficando fraco, mas ainda intensoProfundo e pesado Muito forte
    47. 47. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    48. 48. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    49. 49. P R O F. M A R C O S F I L H O
    50. 50. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    51. 51. P R O F. M A R C O S F I L H O
    52. 52. P R O F. M A R C O S F I L H OUniversidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música
    53. 53. P R O F. M A R C O S F I L H OEufônio (Euphonium)
    54. 54. P R O F. M A R C O S F I L H O
    55. 55. P R O F. M A R C O S F I L H O
    56. 56. ARRANJOS E TRANSCRIÇÕES REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: ADLER, Samuel. The Study of Orchestration. 3ª ed. Nova Iorque: W.W. Norton & Company, 2002. CARDOSO FILHO, Marcos Edson. Anotações de Aulas da Disciplina Orquestração. Prof. Oiliam Lana. Belo Horizonte: UFMG. NESTICO, Sammy. The Complete Arranger. USA: Fewnwood Music Co., 1993.Universidade Federal de São João del-ReiDepartamento de Música

    ×