SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 80
Baixar para ler offline
DIAGONÓSTICO NA MTC
PELA LINGUA E COLUNA
DESEJA BOAS VINDAS AOS FUTUROS
ESPECIALISTAS!
VISITE: site: http://innapnatur.wix.com/br
Naturopata
Acupunturista
Iridologo
Acadêmico
em Nutrição
Doutorando
em Medicina
Natural
E-mail: innap.naturopatia@yahoo.com.br
facebook.com/innap.naturopatia
METODOLOGIA E OS
PONTOS DE
IMPORTÂNCIA
 Quanto à morfologia da língua— Na medicina
chinesa, o exame da língua é uma parte importante
da propedêutica. A metodologia e os pontos de
importância deste tipo de exame são: a língua deve
ser exteriorizada de uma maneira ampla, com as
bordas relaxadas, de forma a apresentar uma
superfície convexa. Se o exame for feito à noite,
deve-se usar um bom foco de luz.
 É importante que nada possa alterar a cor da língua,
como alimentos muito frios ou quentes, frutas
corantes, enfim, nada que venha influenciar esta
característica.
O EXAME
O exame da língua envolve dois aspectos:
o do órgão em si e o voltado especialmente à sua camada
superficial.
O corpo da língua
Em relação a este órgão deve-se examinar: sua
cor, morfologia e movimentação
Cor
 Normalmente ela é de um avermelhado
tênue. Caso esteja esbranquiçada, isso
representa uma Síndrome do Frio e
deficiência energética; se não
apresentar a camada esbranquiçada
superficial, há uma depleção do sistema
sanguíneo e energético.
 Se estiver muito avermelhada ou mesmo
arroxeada, geralmente trata-se de uma
Síndrome Interna do Calor e Excesso
Energético.
Morfologia
 Se tiver aspecto ressecado, tenso, duro, grosso e envelhecido, há
uma
Síndrome do Calor. Por outro lado, se o aspecto é
fino, edematoso, mole,
tratar-se-á da Síndrome do Frio e Deficiência Energética.
 É importante observar se há um aspecto edematoso; em caso
positivo,
haverá uma Síndrome de Alergia e de Intoxicação.
Dentro desse quadro, se a língua estiver levemente
esbranquiçada, haverá uma Síndrome de Deficiência do meridiano
dos rins. Se o aspecto for vermelho tênue, tratar-se-á de deficiência
do meridiano do estômago e do baço-pâncreas.
 É de grande importância também examinar o aspecto e a altura
das
papilas linguais e se há linhas de separação. Caso existam tais
linhas e as
papilas estiverem altas, há uma Síndrome do Calor, frequentemente
Movimentação
 Se há desvios unilaterais e sinais de
paralisia nervosa.
 — Se apresentar tremores, indica
uma deficiência do sistema sanguíneo
ou de
Yang.
A camada superficial
da língua
Utiliza-se a análise da qualidade e coloração
dessa camada como indicadores do tipo de
relação entre a doença e a capacidade de
defesa do organismo do paciente.
Qualidade da camada superficial da
língua É importante notar se ela é fina ou grossa, úmida ou seca, seu grau de
aderência, seu brilho ou opacidade.
 — A espessura dessa camada indicará o nível de gravidade da doença. Assim, se
ela for fina, estará em seu padrão normal. A doença pode estar em seu início, ou
então trata-se de uma enfermidade de natureza superficial. Se a camada for
grossa, a doença é grave. Frequentemente, a essa altura haverá também catarro
grosso, obstipação e dispepsia, causas comuns de engrossamento dessa camada
superficial.
 — Quanto a ser úmida ou seca, a língua normalmente é semiúmida. Se estiver
mais úmida ou lisa do que o normal, trata-se, geralmente, de uma Síndrome do Frio
ou da Umidade. Por outro lado, se estiver muito seca, até com fissuras, trata-se
geralmente de Síndrome do Calor (infectocontagioso) ou há algum desequilíbrio
hídrico ou ainda uma grave deficiência energética no organismo.
 — Quanto ao grau de aderência: quando se tem a impressão de que a língua adere
firmemente, observa-se distúrbios de secreção no organismo, muitas vezes com
produção exagerada de catarro e outras secreções.
 — Quanto à quantidade de secreção: em condições normais sua quantidade é
reduzida. A ausência completa de secreção indica problemas de deficiência do
sistema de autodefesa ou então problemas gástricos. Neste caso, a língua se
apresentará avermelhada e lisa. O aumento de secreção poderá indicar um
agravamento da doença, enquanto sua diminuição indicará uma recuperação
gradual.
Coloração da camada superficial
da língua
 — Branca: as pessoas em boas condições de saúde ou com
doenças sem gravidade apresentam uma fina camada de cor
branca ou esbranquiçada.
 — Amarelada: essa cor deve-se normalmente à Síndrome do
Calor. Quanto mais amarelada, mais intensa a Síndrome do Calor,
que pode chegar mesmo à Síndrome do Fogo; esta, quando muito
intensa, poderá provocar a fissura e o ressecamento dessa
camada da língua.
 — Acinzentada: a cor acinzentada revela um estágio mais
adiantado da doença. Se, além disso, a língua se apresentar
úmida, haverá uma Síndrome do Frio e Deficiência Energética. Se,
porém, estiver seca, haverá uma Síndrome do Calor e Excesso
Energético.
 — Negra, escura: demonstra que a doença se agravou. Além
disso, quando a língua estiver úmida, haverá uma deficiência de
Yang e um excesso de Yin, que é a Síndrome do Frio. Ao contrário,
quando ela estiver seca, tratar-se- á de Yang e deficiência de Yin,
Coloração da camada superficial
da língua
 Língua normal= rosa
 ― pálida= insuficiência
 ― Vermelha= excesso
 ― Roxa= doença séria (yin)
Relação entre as alterações na
língua e as alterações dos
órgãos
 — Alterações na ponta da língua se correlacionam
com alterações do coração e do pulmão e coração.
 — A região central da língua se correlaciona com o
estômago e o pâncreas.
 A base da língua se correlaciona com os rins.
 — As duas bordas laterais se correlacionam com o
fígado e a vesícula biliar.
SEGREDOS DE
PROFISSÃO
Língua com...
 saburra branca e fina = síndrome frio, trata
rim
 saburra grossa amarelo= calor
interno, muco
 saburra amarela, mau hálito = intestino
preso
 Língua seca = calor interno**O calor a que se refere a medicina chinesa não diz respeito, necessariamente, à febre em si mas
à
sede, obstipação, sensação de calor pelo corpo, urina muito amarelada, língua muito
SEGREDOS DE
PROFISSÃO
 Pessoa com língua rachada é normal.
Mas, se nascer sem e depois rachar é
calor interno
Técnica de meditação
rabo de dragão
 mexer a língua dentro da boca depois
engolir faz uma pequena circulação.
Tonifica o rim yin. tonificando rim tonifica
coração e fígado.
SEGREDOS DE
PROFISSÃO
Para perder peso
 C1- língua com saburra, afta = controla
ansiedade por comer.
 Usar também ponto da fome e da
ansiedade na aurículo terapia.
SEGREDOS DE
PROFISSÃO
 Obesidade:
Pontos:
 sede fome
 vício (nariz interno/ext.)
 metabolismo (hipófise)
 glândulas endócrinas
ansiedade
TRATAMENTOS
O Yin e yang
Yin yang
Frio –dor,branco na língua, pulso lento quente
febre,língua, vermelha, secura,pulso
rápido
Insuf. Yin,yang,energia,sangue* Excesso o que ñ deve ter e
tem -
cálculos,tumor,verrugas,vermes,varizes tec.
Interna órgãos e vísceras externa gripe' resfriado-externos ao
corpo
* insuficiência yang- suor a noite –energia de defesa circulação
insuficiência yang- suor dia, mas com frio mão pé orelha
insuficiência energia-yang- suor ao dia sem frio mão pé orelha
insuficiência sangue 5 pálidos, língua, pálpebra, unha, rosto e lábio
Língua=abertura do coração, aftas são fogo do coração. Baixar fogo do
coração
Esquizofrenia doenças mentais tratar direto coração, usar RM 1
gentilmente cedido pela Prof.ª Karen Fernandes
Andrade
EXEMPLOS DE
LÍNGUA
Língua e
saburra
Língua vermelho-clara com revestimento (saburra)
branco, fino e úmido.
Língua vermelho-clara com revestimento branco e
fino.
Língua
vermelho-clara
com
revestimento
fino e branco.
Língua pálida
Língua pálida e
envelhecida com
revestimento
branco e aspecto
(granulado).
Língua pálida com revestimento branco em forma de
pó.
Língua vermelha
Língua vermelha e
brilhante
Língua vermelha e fissurada com revestimento
fino, branco e úmido.
Língua vermelho-
escura
Língua vermelho-
escuro com pontos
vermelhos, e com
revestimento
áspero de
coloração preto-
esverdeada e
fissurada.
Língua roxo-azulada com revestimento parcialmente
branco e escorregadio, e parcialmente amarelo e preto.
Língua roxo-
azulada
Língua vermelho-clara com manchas roxas e com
revestimento fino, branco e úmido.
Língua roxa com revestimento amarelo nas bordas e
preto no centro.
DIAGNÓSTICOS
Roxo-azulada; marcas de dentes.
Saburra seca e suja. 14
 Cor: estagnação de frio no
interior por deficiência
grave e de longa data do
yang do BP e E
 Marcas de dentes:
deficiência do qi do BP
 Saburra: retenção de
alimentos resultante da
deficiência do BP
Cor vermelha, acentuada na ponta; aumentada; enrolada
para cima. Saburra pegajosa, amarela e seca. 18
 Corpo e saburra: calor.
 Ponta: fogo no C.
 Saburra: fogo no E e
Intestinos
Vermelho-escura a roxo-avermelhada. Mais vermelha e
aumentada na parte anterior. Descascada; saburra nos lados. 19
 Aumento frontal e cor na
ponta: calor por deficiência
no C
 Cor: estase de sangue no F
Levemente vermelha ao centro. Saburra sem raiz; descascada;
aumentada; fina e amarela entre ponta e centro. 20
• Saburra: grave deficiência
de yin do E
• Descascada até a raiz:
Intestinos afetados
• Aumento entre ponta e
centro: retenção em P
resultante de quadro antigo
de gripe/resfriado não bem
tratado
Roxo-avermelhada; móvel; aumentada.
Saburra fina e branca. 21
 Cor: estase de sangue com
calor
 Aumento em lados e ponta:
calor e estagnação no F e no C
 Corpo móvel (foto ligeiramente
fora do foco): fogo do F gerou
vento no F
 PS: (valor prognóstico) calor +
estase de sangue + vento
interno => infarto miocárdio
Roxo-azulada.
Saburra espessa e amarela. 22
 Língua contraditória
 Cor: estagnação de frio no
interior
 Saburra amarela: calor
 Deficiência do qi do BP =>
má digestão e retenção de
alimentos
Cor normal; fissura central; fissuras laterais; fissuras
espalhadas por toda parte. Ausência de saburra. 29
 Ausência de saburra e
fissura: deficiência do yin
do E
 Fissuras laterais:
deficiência crônica do qi
do BP
DIAGNÓSTICO PELA
COLUNA
A maioria das doenças de hoje tem sua
origem numa desconexão entre o corpo e
a mente, o tempo e o espaço o físico e o
energético.
ORIGEM DAS
DOENÇAS
O que isso gera...
 Dores migrantes pelo corpo
 Insônia
 Enxaquecas
 Depressão
 Fibromialgia
 Síndrome de pânico
 Câncer
“O CORPO RECORDA
”
TODOS OS ÓRGÃOS ESTÃO
LIGADOS A COLUNA
Região Cervical Região Torácica Região lombar-sacral
Área Efeito Área Efeito Área Efeito
C1 Pituitária, cérebro,
sangue para cabeça,
animação e centro
vital, habilidade
mental.
Nervos, sono, pressão
sanguínea, convulsões
cerebrais, memória
fraca, fadiga.
T1 Mãos, antebraço,
esôfago, traquéia,
Distúrbios nas mãos e
braços, astenia
muscular
L1 Intestino grosso, Virilha Distúrbios do intestino
grosso.
C2 Nariz, olhos, seios da
face, língua,
mastóide, centro
locomotivo, área dos
5 sentidos e pressão
do ego.
Sinusites, alergias,
distúrbios nasais e
visuais, perda de
memória.
T2 Coração, válvulas e
artérias.
Problemas cardíacos e
arteriais
L2 Apêndice, baixo abdômen
e coxa
Pernas, câimbras,veias
varicosas, circulação pobre,
T3 Pulmão, pleura,
brônquios, tubos
respiratórios e
coração.
Congestões
respiratórias,
bronquite, asma,
influenza.
C3 Cervical, medula,
sexualidade mental,
mente inata,
equilíbrio.
Face, neuralgia, isquemia
cerebral, meningite.
T4 Glandular Distúrbios glandulares
diversos
L3 Útero, próstata, bexiga e
rins.
Distúrbios urinários,
menstruação irregular,
impotência, dor nos
joelhos.
C4 Ombro, pescoço,
nariz, tubo auditivo,
mastóide.
Adenóides, bursite,
labirintite, acúfenos
T5 Fígado, plexo solar,
estomago.
Hepatite, esteatose,
problemas digestivos e
circulatórios.
L4 Próstata, nervo ciático,
parte de baixo das costas.
Dor ciática, lumbago,
distúrbios urinários
C5 Cordas vocais,
traquéia, pescoço,
esôfago.
Laringite, amigdalite
difusa, etc.
T6 Estomago, Problemas estomacais,
indigestão crônica, e
ou nervosa
L5 Pernas Inchaço nos membros
inferiores, pobre circulação
nas pernas.
C6 Amígdalas,
músculos, pescoço,
ombros.
Dores musculares, dor no
pescoço, etc.
T7 Pâncreas e duodeno Diabetes e ulcera
duodenal
Sacral
Quadril, ossos, pelve
Retal
Problemas da curvatura
sacral e distúrbios da pelve
(bacia)
Hemorróidas
T8 Baço, abdômen
superior, diafragma.
Distúrbios linfáticos e
problemas de
recuperação.
C7 Ombros, braços,
tireóide
Hipo ou hiper tireódismo,
tendinite, bursite, etc.
T9 Adrenais, Rins Baixa pressão
sanguínea, alergias,
fadiga crônica
T10 Rins Nefrite, fadiga
T11 Rins e bexiga Todos os Problemas de
pele e condições da
bexiga
T12 Esfole bexiga Acidez reumática e
gases no intestino
Pequena incontinência
COLUNA
VERTEBRAL
Veja quais são as partes do
corpo que estão conectadas
com cada vértebra e quais os
possíveis sintomas que
podem ocorrer quando a
coluna está fora do
alinhamento.
Clique para avançar
CRONORISCHIO E A COLUNA
DIVIDA O COLARETE EM 60
VETORES
CADA VETOR REPRESENTA
UMA VÉRTEBRA
Coluna e a psicossomática
 - As lombares são em número de cinco
 e correspondem aos Cinco Princípios e aos cinco planos básicos da vida de todo
indivíduo, a saber:
 O casal
 A família.
 O trabalho.
 A casa.
 O país (a região).

 Dorsal: medos, raiva contida, afetividade.

 Cervical: os 5 sentidos, o que não queremos ver, ouvir, experienciar, etc...

 Quando atravessamos uma época em que temos dificuldade
 para aceitar ou para integrar mudanças que ocorrem nessas áreas
 nossas vértebras exprimem nosso receio não consciente ou nossa recusa quanto a essas
mudanças.
TERAPIA INDICADA
CRONOBIOLOGIA
Básico
Umbilical
Plexo Solar
Cardíaco
Laríngeo
Frontal
Coronário
Supra renais
Gônodas
pâncreas
Timo
Tireóide
Hipófise
Pineal
Posologia
4 gotas sublingual
2 a 6 x ao dia ou
pingados sobre o
estiper e coladas ao
chacra com fita
micro porosa.
produto isento de
registro no
MS/SVS/gabin
Numero 479/98.
bioquanticos
Kit Traumas
Seja
feliz...
AGORA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pontos Fonte E Lo
Pontos  Fonte E  LoPontos  Fonte E  Lo
Pontos Fonte E LoRenata Pudo
 
Pontos de alarme, vc e shu mo
Pontos de alarme, vc e shu moPontos de alarme, vc e shu mo
Pontos de alarme, vc e shu moFlavia Parente
 
Vasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinarios
Vasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinariosVasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinarios
Vasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinariosElva Judy Nieri
 
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...http://www.saudebio.com Bio
 
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...http://www.saudebio.com Bio
 
Combinações dos pontos de acupuntura a chave para o êxito clínico - jeremy ...
Combinações dos pontos de acupuntura   a chave para o êxito clínico - jeremy ...Combinações dos pontos de acupuntura   a chave para o êxito clínico - jeremy ...
Combinações dos pontos de acupuntura a chave para o êxito clínico - jeremy ...Rodrigo Bastos
 
Acupuntura + fitoterapia(1)
Acupuntura + fitoterapia(1)Acupuntura + fitoterapia(1)
Acupuntura + fitoterapia(1)Cleverson Acup
 
aula meridianos e shiatsu.pdf
aula meridianos e shiatsu.pdfaula meridianos e shiatsu.pdf
aula meridianos e shiatsu.pdfPatySilva82
 
Jihva Parishka - Diagnóstico pela Língua
Jihva Parishka - Diagnóstico pela LínguaJihva Parishka - Diagnóstico pela Língua
Jihva Parishka - Diagnóstico pela LínguaMichele Pó
 
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...http://www.saudebio.com Bio
 
Vasos maravilhosos
Vasos maravilhososVasos maravilhosos
Vasos maravilhososRenata Pudo
 
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeacoO diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeacoFisio Júnias
 
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTC
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTCConceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTC
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTCcomunidadedepraticas
 

Mais procurados (20)

Pontos Fonte E Lo
Pontos  Fonte E  LoPontos  Fonte E  Lo
Pontos Fonte E Lo
 
Os 6 Estágios na Medicina Tradicional Chinesa
Os 6 Estágios na Medicina Tradicional Chinesa Os 6 Estágios na Medicina Tradicional Chinesa
Os 6 Estágios na Medicina Tradicional Chinesa
 
Pontos de alarme, vc e shu mo
Pontos de alarme, vc e shu moPontos de alarme, vc e shu mo
Pontos de alarme, vc e shu mo
 
Vasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinarios
Vasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinariosVasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinarios
Vasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinarios
 
Técnicas em MTC
Técnicas em MTCTécnicas em MTC
Técnicas em MTC
 
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
 
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
 
Combinações dos pontos de acupuntura a chave para o êxito clínico - jeremy ...
Combinações dos pontos de acupuntura   a chave para o êxito clínico - jeremy ...Combinações dos pontos de acupuntura   a chave para o êxito clínico - jeremy ...
Combinações dos pontos de acupuntura a chave para o êxito clínico - jeremy ...
 
Técnicas em MTC
Técnicas em MTCTécnicas em MTC
Técnicas em MTC
 
Acupuntura + fitoterapia(1)
Acupuntura + fitoterapia(1)Acupuntura + fitoterapia(1)
Acupuntura + fitoterapia(1)
 
Pontos Baço Estômago_2
Pontos Baço Estômago_2Pontos Baço Estômago_2
Pontos Baço Estômago_2
 
aula meridianos e shiatsu.pdf
aula meridianos e shiatsu.pdfaula meridianos e shiatsu.pdf
aula meridianos e shiatsu.pdf
 
Jihva Parishka - Diagnóstico pela Língua
Jihva Parishka - Diagnóstico pela LínguaJihva Parishka - Diagnóstico pela Língua
Jihva Parishka - Diagnóstico pela Língua
 
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
 
Vasos maravilhosos
Vasos maravilhososVasos maravilhosos
Vasos maravilhosos
 
Acupuntura i ching
Acupuntura  i chingAcupuntura  i ching
Acupuntura i ching
 
Shumo e assentimento
Shumo e assentimentoShumo e assentimento
Shumo e assentimento
 
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeacoO diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
 
37060073 apostila-meridianos-2009
37060073 apostila-meridianos-200937060073 apostila-meridianos-2009
37060073 apostila-meridianos-2009
 
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTC
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTCConceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTC
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTC
 

Destaque

Diagnóstico pela Língua - Patrícia Gomes
Diagnóstico pela Língua - Patrícia GomesDiagnóstico pela Língua - Patrícia Gomes
Diagnóstico pela Língua - Patrícia GomesMichele Pó
 
Semiologia patologias da lingua
Semiologia   patologias da linguaSemiologia   patologias da lingua
Semiologia patologias da linguaMarcos Gomes
 
Apresentação inspeção da língua
Apresentação   inspeção da línguaApresentação   inspeção da língua
Apresentação inspeção da línguabellottojr
 
Dietoterapia chinesa no tratamento da insônia
Dietoterapia chinesa no tratamento da insônia Dietoterapia chinesa no tratamento da insônia
Dietoterapia chinesa no tratamento da insônia Adriana Tristão
 
Workshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009
Workshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009Workshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009
Workshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009Ásia Mágica
 
Agulhas de acupuntura
Agulhas de acupunturaAgulhas de acupuntura
Agulhas de acupunturabellottojr
 
Acupuntura – mecanismos de ação
Acupuntura – mecanismos de ação Acupuntura – mecanismos de ação
Acupuntura – mecanismos de ação bellottojr
 
Conceitos Básicos MTC parte1
Conceitos Básicos MTC  parte1Conceitos Básicos MTC  parte1
Conceitos Básicos MTC parte1Andreia Moreira
 

Destaque (20)

Diagnóstico pela Língua - Patrícia Gomes
Diagnóstico pela Língua - Patrícia GomesDiagnóstico pela Língua - Patrícia Gomes
Diagnóstico pela Língua - Patrícia Gomes
 
Semiologia patologias da lingua
Semiologia   patologias da linguaSemiologia   patologias da lingua
Semiologia patologias da lingua
 
Figuras lingua
Figuras linguaFiguras lingua
Figuras lingua
 
Apresentação inspeção da língua
Apresentação   inspeção da línguaApresentação   inspeção da língua
Apresentação inspeção da língua
 
Diagnóstico em MTC
Diagnóstico em MTCDiagnóstico em MTC
Diagnóstico em MTC
 
MTC Vet exame da lingua em cães
MTC Vet exame da lingua em cãesMTC Vet exame da lingua em cães
MTC Vet exame da lingua em cães
 
Dietoterapia chinesa no tratamento da insônia
Dietoterapia chinesa no tratamento da insônia Dietoterapia chinesa no tratamento da insônia
Dietoterapia chinesa no tratamento da insônia
 
língua na MTC
língua na MTC língua na MTC
língua na MTC
 
Workshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009
Workshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009Workshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009
Workshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009
 
Meridianos
MeridianosMeridianos
Meridianos
 
Medicina chinesa
Medicina chinesaMedicina chinesa
Medicina chinesa
 
Ptos acupuntura função energética
Ptos acupuntura função energéticaPtos acupuntura função energética
Ptos acupuntura função energética
 
Agulhas de acupuntura
Agulhas de acupunturaAgulhas de acupuntura
Agulhas de acupuntura
 
Acupuntura – mecanismos de ação
Acupuntura – mecanismos de ação Acupuntura – mecanismos de ação
Acupuntura – mecanismos de ação
 
Conceitos Básicos MTC parte1
Conceitos Básicos MTC  parte1Conceitos Básicos MTC  parte1
Conceitos Básicos MTC parte1
 
Pulsologia
PulsologiaPulsologia
Pulsologia
 
Meridianos de Acupuntura
Meridianos de AcupunturaMeridianos de Acupuntura
Meridianos de Acupuntura
 
Atlas de acupuntura
Atlas de acupunturaAtlas de acupuntura
Atlas de acupuntura
 
Acupuntura sistêmica(aula)
Acupuntura sistêmica(aula)Acupuntura sistêmica(aula)
Acupuntura sistêmica(aula)
 
Medicina chinesa - fundamentos
Medicina chinesa - fundamentosMedicina chinesa - fundamentos
Medicina chinesa - fundamentos
 

Semelhante a Lingua diagnostico na MTC- MEDICINA TRADICIONAL CHINESA-Virality

108644133-Anamnese-Em-Acupuntura.pdf
108644133-Anamnese-Em-Acupuntura.pdf108644133-Anamnese-Em-Acupuntura.pdf
108644133-Anamnese-Em-Acupuntura.pdfHenriqueJorge15
 
As várias avaliações da medicina tradicional chinesa
As várias avaliações da medicina tradicional chinesaAs várias avaliações da medicina tradicional chinesa
As várias avaliações da medicina tradicional chinesaliliana ponte
 
Fisiognomonia e Diagnóstico Ayurveda do Rosto e Lábios
Fisiognomonia e Diagnóstico Ayurveda do Rosto e LábiosFisiognomonia e Diagnóstico Ayurveda do Rosto e Lábios
Fisiognomonia e Diagnóstico Ayurveda do Rosto e LábiosMichele Pó
 
Fisiognomonia e Diagnóstico do Rosto - Inês Simões
Fisiognomonia e Diagnóstico do Rosto - Inês SimõesFisiognomonia e Diagnóstico do Rosto - Inês Simões
Fisiognomonia e Diagnóstico do Rosto - Inês SimõesMichele Pó
 
Atendimento Pediatrico Ambulatorial: " Dicas e lembretes"
Atendimento Pediatrico Ambulatorial: " Dicas e lembretes"Atendimento Pediatrico Ambulatorial: " Dicas e lembretes"
Atendimento Pediatrico Ambulatorial: " Dicas e lembretes"blogped1
 
Protocolo-ijuuhhjhjhuuuuuuuuuuuuuuuuuuh.ppt
Protocolo-ijuuhhjhjhuuuuuuuuuuuuuuuuuuh.pptProtocolo-ijuuhhjhjhuuuuuuuuuuuuuuuuuuh.ppt
Protocolo-ijuuhhjhjhuuuuuuuuuuuuuuuuuuh.pptLeonardoFicoto
 
Aula 02 Semiologia 1.pptx
Aula 02 Semiologia 1.pptxAula 02 Semiologia 1.pptx
Aula 02 Semiologia 1.pptxssuser7da808
 
Roteiro de-anamnese2
Roteiro de-anamnese2Roteiro de-anamnese2
Roteiro de-anamnese2camila_rmuniz
 
Problemas comuns da infancia22 04 2014
Problemas comuns da infancia22 04 2014Problemas comuns da infancia22 04 2014
Problemas comuns da infancia22 04 2014Inaiara Bragante
 
Doenças prevalentes em crianças menores de 5 anos
Doenças prevalentes em crianças menores de 5 anosDoenças prevalentes em crianças menores de 5 anos
Doenças prevalentes em crianças menores de 5 anosKarineRibeiro57
 
Anamnese prática 2018
Anamnese prática 2018Anamnese prática 2018
Anamnese prática 2018pauloalambert
 

Semelhante a Lingua diagnostico na MTC- MEDICINA TRADICIONAL CHINESA-Virality (20)

108644133-Anamnese-Em-Acupuntura.pdf
108644133-Anamnese-Em-Acupuntura.pdf108644133-Anamnese-Em-Acupuntura.pdf
108644133-Anamnese-Em-Acupuntura.pdf
 
As várias avaliações da medicina tradicional chinesa
As várias avaliações da medicina tradicional chinesaAs várias avaliações da medicina tradicional chinesa
As várias avaliações da medicina tradicional chinesa
 
Fisiognomonia e Diagnóstico Ayurveda do Rosto e Lábios
Fisiognomonia e Diagnóstico Ayurveda do Rosto e LábiosFisiognomonia e Diagnóstico Ayurveda do Rosto e Lábios
Fisiognomonia e Diagnóstico Ayurveda do Rosto e Lábios
 
AAP3
AAP3AAP3
AAP3
 
Fisiognomonia e Diagnóstico do Rosto - Inês Simões
Fisiognomonia e Diagnóstico do Rosto - Inês SimõesFisiognomonia e Diagnóstico do Rosto - Inês Simões
Fisiognomonia e Diagnóstico do Rosto - Inês Simões
 
Atendimento Pediatrico Ambulatorial: " Dicas e lembretes"
Atendimento Pediatrico Ambulatorial: " Dicas e lembretes"Atendimento Pediatrico Ambulatorial: " Dicas e lembretes"
Atendimento Pediatrico Ambulatorial: " Dicas e lembretes"
 
Protocolo-ijuuhhjhjhuuuuuuuuuuuuuuuuuuh.ppt
Protocolo-ijuuhhjhjhuuuuuuuuuuuuuuuuuuh.pptProtocolo-ijuuhhjhjhuuuuuuuuuuuuuuuuuuh.ppt
Protocolo-ijuuhhjhjhuuuuuuuuuuuuuuuuuuh.ppt
 
Anamnese 2020
Anamnese 2020Anamnese 2020
Anamnese 2020
 
Anamnese 2016
Anamnese 2016Anamnese 2016
Anamnese 2016
 
Aula 02 Semiologia 1.pptx
Aula 02 Semiologia 1.pptxAula 02 Semiologia 1.pptx
Aula 02 Semiologia 1.pptx
 
Roteiro de-anamnese2
Roteiro de-anamnese2Roteiro de-anamnese2
Roteiro de-anamnese2
 
Problemas comuns da infancia22 04 2014
Problemas comuns da infancia22 04 2014Problemas comuns da infancia22 04 2014
Problemas comuns da infancia22 04 2014
 
AAP4
AAP4AAP4
AAP4
 
Anamnese
Anamnese Anamnese
Anamnese
 
Doenças prevalentes em crianças menores de 5 anos
Doenças prevalentes em crianças menores de 5 anosDoenças prevalentes em crianças menores de 5 anos
Doenças prevalentes em crianças menores de 5 anos
 
Exame físico geral
Exame físico geralExame físico geral
Exame físico geral
 
Anamnese prática
Anamnese práticaAnamnese prática
Anamnese prática
 
Anamnese prática
Anamnese prática Anamnese prática
Anamnese prática
 
Anamnese 2018
Anamnese 2018Anamnese 2018
Anamnese 2018
 
Anamnese prática 2018
Anamnese prática 2018Anamnese prática 2018
Anamnese prática 2018
 

Lingua diagnostico na MTC- MEDICINA TRADICIONAL CHINESA-Virality

  • 1. DIAGONÓSTICO NA MTC PELA LINGUA E COLUNA DESEJA BOAS VINDAS AOS FUTUROS ESPECIALISTAS! VISITE: site: http://innapnatur.wix.com/br Naturopata Acupunturista Iridologo Acadêmico em Nutrição Doutorando em Medicina Natural E-mail: innap.naturopatia@yahoo.com.br facebook.com/innap.naturopatia
  • 2. METODOLOGIA E OS PONTOS DE IMPORTÂNCIA  Quanto à morfologia da língua— Na medicina chinesa, o exame da língua é uma parte importante da propedêutica. A metodologia e os pontos de importância deste tipo de exame são: a língua deve ser exteriorizada de uma maneira ampla, com as bordas relaxadas, de forma a apresentar uma superfície convexa. Se o exame for feito à noite, deve-se usar um bom foco de luz.  É importante que nada possa alterar a cor da língua, como alimentos muito frios ou quentes, frutas corantes, enfim, nada que venha influenciar esta característica.
  • 3. O EXAME O exame da língua envolve dois aspectos: o do órgão em si e o voltado especialmente à sua camada superficial. O corpo da língua Em relação a este órgão deve-se examinar: sua cor, morfologia e movimentação
  • 4. Cor  Normalmente ela é de um avermelhado tênue. Caso esteja esbranquiçada, isso representa uma Síndrome do Frio e deficiência energética; se não apresentar a camada esbranquiçada superficial, há uma depleção do sistema sanguíneo e energético.  Se estiver muito avermelhada ou mesmo arroxeada, geralmente trata-se de uma Síndrome Interna do Calor e Excesso Energético.
  • 5. Morfologia  Se tiver aspecto ressecado, tenso, duro, grosso e envelhecido, há uma Síndrome do Calor. Por outro lado, se o aspecto é fino, edematoso, mole, tratar-se-á da Síndrome do Frio e Deficiência Energética.  É importante observar se há um aspecto edematoso; em caso positivo, haverá uma Síndrome de Alergia e de Intoxicação. Dentro desse quadro, se a língua estiver levemente esbranquiçada, haverá uma Síndrome de Deficiência do meridiano dos rins. Se o aspecto for vermelho tênue, tratar-se-á de deficiência do meridiano do estômago e do baço-pâncreas.  É de grande importância também examinar o aspecto e a altura das papilas linguais e se há linhas de separação. Caso existam tais linhas e as papilas estiverem altas, há uma Síndrome do Calor, frequentemente
  • 6. Movimentação  Se há desvios unilaterais e sinais de paralisia nervosa.  — Se apresentar tremores, indica uma deficiência do sistema sanguíneo ou de Yang.
  • 7. A camada superficial da língua Utiliza-se a análise da qualidade e coloração dessa camada como indicadores do tipo de relação entre a doença e a capacidade de defesa do organismo do paciente.
  • 8. Qualidade da camada superficial da língua É importante notar se ela é fina ou grossa, úmida ou seca, seu grau de aderência, seu brilho ou opacidade.  — A espessura dessa camada indicará o nível de gravidade da doença. Assim, se ela for fina, estará em seu padrão normal. A doença pode estar em seu início, ou então trata-se de uma enfermidade de natureza superficial. Se a camada for grossa, a doença é grave. Frequentemente, a essa altura haverá também catarro grosso, obstipação e dispepsia, causas comuns de engrossamento dessa camada superficial.  — Quanto a ser úmida ou seca, a língua normalmente é semiúmida. Se estiver mais úmida ou lisa do que o normal, trata-se, geralmente, de uma Síndrome do Frio ou da Umidade. Por outro lado, se estiver muito seca, até com fissuras, trata-se geralmente de Síndrome do Calor (infectocontagioso) ou há algum desequilíbrio hídrico ou ainda uma grave deficiência energética no organismo.  — Quanto ao grau de aderência: quando se tem a impressão de que a língua adere firmemente, observa-se distúrbios de secreção no organismo, muitas vezes com produção exagerada de catarro e outras secreções.  — Quanto à quantidade de secreção: em condições normais sua quantidade é reduzida. A ausência completa de secreção indica problemas de deficiência do sistema de autodefesa ou então problemas gástricos. Neste caso, a língua se apresentará avermelhada e lisa. O aumento de secreção poderá indicar um agravamento da doença, enquanto sua diminuição indicará uma recuperação gradual.
  • 9. Coloração da camada superficial da língua  — Branca: as pessoas em boas condições de saúde ou com doenças sem gravidade apresentam uma fina camada de cor branca ou esbranquiçada.  — Amarelada: essa cor deve-se normalmente à Síndrome do Calor. Quanto mais amarelada, mais intensa a Síndrome do Calor, que pode chegar mesmo à Síndrome do Fogo; esta, quando muito intensa, poderá provocar a fissura e o ressecamento dessa camada da língua.  — Acinzentada: a cor acinzentada revela um estágio mais adiantado da doença. Se, além disso, a língua se apresentar úmida, haverá uma Síndrome do Frio e Deficiência Energética. Se, porém, estiver seca, haverá uma Síndrome do Calor e Excesso Energético.  — Negra, escura: demonstra que a doença se agravou. Além disso, quando a língua estiver úmida, haverá uma deficiência de Yang e um excesso de Yin, que é a Síndrome do Frio. Ao contrário, quando ela estiver seca, tratar-se- á de Yang e deficiência de Yin,
  • 10. Coloração da camada superficial da língua  Língua normal= rosa  ― pálida= insuficiência  ― Vermelha= excesso  ― Roxa= doença séria (yin)
  • 11. Relação entre as alterações na língua e as alterações dos órgãos  — Alterações na ponta da língua se correlacionam com alterações do coração e do pulmão e coração.  — A região central da língua se correlaciona com o estômago e o pâncreas.  A base da língua se correlaciona com os rins.  — As duas bordas laterais se correlacionam com o fígado e a vesícula biliar.
  • 12. SEGREDOS DE PROFISSÃO Língua com...  saburra branca e fina = síndrome frio, trata rim  saburra grossa amarelo= calor interno, muco  saburra amarela, mau hálito = intestino preso  Língua seca = calor interno**O calor a que se refere a medicina chinesa não diz respeito, necessariamente, à febre em si mas à sede, obstipação, sensação de calor pelo corpo, urina muito amarelada, língua muito
  • 13. SEGREDOS DE PROFISSÃO  Pessoa com língua rachada é normal. Mas, se nascer sem e depois rachar é calor interno
  • 14. Técnica de meditação rabo de dragão  mexer a língua dentro da boca depois engolir faz uma pequena circulação. Tonifica o rim yin. tonificando rim tonifica coração e fígado. SEGREDOS DE PROFISSÃO
  • 15. Para perder peso  C1- língua com saburra, afta = controla ansiedade por comer.  Usar também ponto da fome e da ansiedade na aurículo terapia. SEGREDOS DE PROFISSÃO
  • 16.  Obesidade: Pontos:  sede fome  vício (nariz interno/ext.)  metabolismo (hipófise)  glândulas endócrinas ansiedade TRATAMENTOS
  • 17. O Yin e yang Yin yang Frio –dor,branco na língua, pulso lento quente febre,língua, vermelha, secura,pulso rápido Insuf. Yin,yang,energia,sangue* Excesso o que ñ deve ter e tem - cálculos,tumor,verrugas,vermes,varizes tec. Interna órgãos e vísceras externa gripe' resfriado-externos ao corpo * insuficiência yang- suor a noite –energia de defesa circulação insuficiência yang- suor dia, mas com frio mão pé orelha insuficiência energia-yang- suor ao dia sem frio mão pé orelha insuficiência sangue 5 pálidos, língua, pálpebra, unha, rosto e lábio Língua=abertura do coração, aftas são fogo do coração. Baixar fogo do coração Esquizofrenia doenças mentais tratar direto coração, usar RM 1
  • 18. gentilmente cedido pela Prof.ª Karen Fernandes Andrade EXEMPLOS DE LÍNGUA
  • 20. Língua vermelho-clara com revestimento (saburra) branco, fino e úmido.
  • 21. Língua vermelho-clara com revestimento branco e fino.
  • 24. Língua pálida e envelhecida com revestimento branco e aspecto (granulado).
  • 25. Língua pálida com revestimento branco em forma de pó.
  • 28. Língua vermelha e fissurada com revestimento fino, branco e úmido.
  • 30. Língua vermelho- escuro com pontos vermelhos, e com revestimento áspero de coloração preto- esverdeada e fissurada.
  • 31. Língua roxo-azulada com revestimento parcialmente branco e escorregadio, e parcialmente amarelo e preto.
  • 33. Língua vermelho-clara com manchas roxas e com revestimento fino, branco e úmido.
  • 34. Língua roxa com revestimento amarelo nas bordas e preto no centro.
  • 36. Roxo-azulada; marcas de dentes. Saburra seca e suja. 14  Cor: estagnação de frio no interior por deficiência grave e de longa data do yang do BP e E  Marcas de dentes: deficiência do qi do BP  Saburra: retenção de alimentos resultante da deficiência do BP
  • 37. Cor vermelha, acentuada na ponta; aumentada; enrolada para cima. Saburra pegajosa, amarela e seca. 18  Corpo e saburra: calor.  Ponta: fogo no C.  Saburra: fogo no E e Intestinos
  • 38. Vermelho-escura a roxo-avermelhada. Mais vermelha e aumentada na parte anterior. Descascada; saburra nos lados. 19  Aumento frontal e cor na ponta: calor por deficiência no C  Cor: estase de sangue no F
  • 39. Levemente vermelha ao centro. Saburra sem raiz; descascada; aumentada; fina e amarela entre ponta e centro. 20 • Saburra: grave deficiência de yin do E • Descascada até a raiz: Intestinos afetados • Aumento entre ponta e centro: retenção em P resultante de quadro antigo de gripe/resfriado não bem tratado
  • 40. Roxo-avermelhada; móvel; aumentada. Saburra fina e branca. 21  Cor: estase de sangue com calor  Aumento em lados e ponta: calor e estagnação no F e no C  Corpo móvel (foto ligeiramente fora do foco): fogo do F gerou vento no F  PS: (valor prognóstico) calor + estase de sangue + vento interno => infarto miocárdio
  • 41. Roxo-azulada. Saburra espessa e amarela. 22  Língua contraditória  Cor: estagnação de frio no interior  Saburra amarela: calor  Deficiência do qi do BP => má digestão e retenção de alimentos
  • 42. Cor normal; fissura central; fissuras laterais; fissuras espalhadas por toda parte. Ausência de saburra. 29  Ausência de saburra e fissura: deficiência do yin do E  Fissuras laterais: deficiência crônica do qi do BP
  • 44. A maioria das doenças de hoje tem sua origem numa desconexão entre o corpo e a mente, o tempo e o espaço o físico e o energético. ORIGEM DAS DOENÇAS
  • 45. O que isso gera...  Dores migrantes pelo corpo  Insônia  Enxaquecas  Depressão  Fibromialgia  Síndrome de pânico  Câncer
  • 46. “O CORPO RECORDA ” TODOS OS ÓRGÃOS ESTÃO LIGADOS A COLUNA
  • 47. Região Cervical Região Torácica Região lombar-sacral Área Efeito Área Efeito Área Efeito C1 Pituitária, cérebro, sangue para cabeça, animação e centro vital, habilidade mental. Nervos, sono, pressão sanguínea, convulsões cerebrais, memória fraca, fadiga. T1 Mãos, antebraço, esôfago, traquéia, Distúrbios nas mãos e braços, astenia muscular L1 Intestino grosso, Virilha Distúrbios do intestino grosso. C2 Nariz, olhos, seios da face, língua, mastóide, centro locomotivo, área dos 5 sentidos e pressão do ego. Sinusites, alergias, distúrbios nasais e visuais, perda de memória. T2 Coração, válvulas e artérias. Problemas cardíacos e arteriais L2 Apêndice, baixo abdômen e coxa Pernas, câimbras,veias varicosas, circulação pobre, T3 Pulmão, pleura, brônquios, tubos respiratórios e coração. Congestões respiratórias, bronquite, asma, influenza. C3 Cervical, medula, sexualidade mental, mente inata, equilíbrio. Face, neuralgia, isquemia cerebral, meningite. T4 Glandular Distúrbios glandulares diversos L3 Útero, próstata, bexiga e rins. Distúrbios urinários, menstruação irregular, impotência, dor nos joelhos. C4 Ombro, pescoço, nariz, tubo auditivo, mastóide. Adenóides, bursite, labirintite, acúfenos T5 Fígado, plexo solar, estomago. Hepatite, esteatose, problemas digestivos e circulatórios. L4 Próstata, nervo ciático, parte de baixo das costas. Dor ciática, lumbago, distúrbios urinários C5 Cordas vocais, traquéia, pescoço, esôfago. Laringite, amigdalite difusa, etc. T6 Estomago, Problemas estomacais, indigestão crônica, e ou nervosa L5 Pernas Inchaço nos membros inferiores, pobre circulação nas pernas. C6 Amígdalas, músculos, pescoço, ombros. Dores musculares, dor no pescoço, etc. T7 Pâncreas e duodeno Diabetes e ulcera duodenal Sacral Quadril, ossos, pelve Retal Problemas da curvatura sacral e distúrbios da pelve (bacia) Hemorróidas T8 Baço, abdômen superior, diafragma. Distúrbios linfáticos e problemas de recuperação. C7 Ombros, braços, tireóide Hipo ou hiper tireódismo, tendinite, bursite, etc. T9 Adrenais, Rins Baixa pressão sanguínea, alergias, fadiga crônica T10 Rins Nefrite, fadiga T11 Rins e bexiga Todos os Problemas de pele e condições da bexiga T12 Esfole bexiga Acidez reumática e gases no intestino Pequena incontinência
  • 48. COLUNA VERTEBRAL Veja quais são as partes do corpo que estão conectadas com cada vértebra e quais os possíveis sintomas que podem ocorrer quando a coluna está fora do alinhamento. Clique para avançar
  • 49.
  • 50.
  • 51.
  • 52.
  • 53.
  • 54.
  • 55.
  • 56.
  • 57.
  • 58.
  • 59.
  • 60.
  • 61.
  • 62.
  • 63.
  • 64.
  • 65.
  • 66.
  • 67.
  • 68.
  • 69.
  • 70.
  • 71.
  • 72.
  • 73.
  • 74.
  • 75. CRONORISCHIO E A COLUNA DIVIDA O COLARETE EM 60 VETORES CADA VETOR REPRESENTA UMA VÉRTEBRA
  • 76. Coluna e a psicossomática  - As lombares são em número de cinco  e correspondem aos Cinco Princípios e aos cinco planos básicos da vida de todo indivíduo, a saber:  O casal  A família.  O trabalho.  A casa.  O país (a região).   Dorsal: medos, raiva contida, afetividade.   Cervical: os 5 sentidos, o que não queremos ver, ouvir, experienciar, etc...   Quando atravessamos uma época em que temos dificuldade  para aceitar ou para integrar mudanças que ocorrem nessas áreas  nossas vértebras exprimem nosso receio não consciente ou nossa recusa quanto a essas mudanças.
  • 79. Posologia 4 gotas sublingual 2 a 6 x ao dia ou pingados sobre o estiper e coladas ao chacra com fita micro porosa. produto isento de registro no MS/SVS/gabin Numero 479/98. bioquanticos Kit Traumas