Práticas de RH, Bolsa Estágio e Trainees - Março 2011

3.003 visualizações

Publicada em

Este estudo foi desenvolvido pela Divisão de Pesquisa da Carreira Müller e tem como objetivo disponibilizar informações sobre práticas de recursos humanos para às questões do dia-a-dia.

O estudo foi baseado nas práticas adotadas pelas mais de 600 empresas (multinacionais e nacionais de grande, médio e pequeno porte) que hoje contemplam a base de dados de pesquisa da Carreira Müller.

Marco Schanoski - Sócio-Gerente Divisão de Pesquisa da Carreira Müller

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.003
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
54
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Práticas de RH, Bolsa Estágio e Trainees - Março 2011

  1. 1. Práticas de Recursos Humanos Bolsa Estágio e TraineesMarço de 2.011
  2. 2. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011Índice Introdução ..................................................................................................................................... 3 O Estudo ............................................................................................................................. 4 Bolsa Estágio ................................................................................................................................ 5 Informações Gerais ............................................................................................................. 6 Valores da Bolsa Estágio .................................................................................................... 8 Práticas de Mercado ......................................................................................................... 11 Trainees....................................................................................................................................... 13 Informações Gerais ........................................................................................................... 14 Valores de Mercado .......................................................................................................... 16 Práticas de Recursos Humanos .................................................................................................. 17 Reembolso Quilometragem .............................................................................................. 18 Ticket Refeição ................................................................................................................. 21 Diárias ............................................................................................................................... 22 Cesta Básica e Cartão Supermercado ............................................................................. 23 Políticas para Transferências ........................................................................................... 24 Educação .......................................................................................................................... 25 Berçário | Auxílio Creche .................................................................................................. 26 A Carreira Müller ......................................................................................................................... 27 Carreira Müller .................................................................................................................. 28 © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 2
  3. 3. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011Introdução © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 3
  4. 4. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.010O EstudoEste estudo foi desenvolvido pela Divisão de Pesquisa da 56% das empresas (343) que hoje compõe nosso banco deCarreira Müller e tem como objetivo disponibilizar informações dados de pesquisa efetivamente participaram com suassobre práticas de recursos humanos para aplicações às informações.questões do dia-a-dia. As informações disponibilizadas neste estudo referem-se aO estudo foi baseado nas práticas e valores adotados pelas mais Fevereiro / Março de 2.011.de 600 empresas (multinacionais e nacionais de grande, médio epequeno porte dos mais variados segmentos e origens.) que Visando preservar o sigilo das informações das empresashoje contemplam a base de dados de pesquisa da Carreira utilizadas no estudo os dados são apresentados de formaMüller. fechada. Somente os dados estatísticos, qualitativos e quantitativos que refletem os resultados do estudo são apresentados. © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 4
  5. 5. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.010Bolsa Estágio © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 5
  6. 6. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.010Informações GeraisEstagiários são alunos regularmente matriculados e que estejam A nova Lei do Estágio, em vigor a partir de 25/09/2.008, definiufrequentando, cursos vinculados à estrutura do ensino público e novos parâmetros para as contratações de estagiários.particular, nos níveis ensino médio técnico, médio regular euniversitário. Dentre os principais pontos da nova legislação podemos citar:Os estágios devem possibilitar aos estudantes o acúmulo de o A carga horária está limitada a seis horas diárias ouconhecimentos e aperfeiçoamento profissional em sua área de trinta horas semanais desde que não ultrapasse seisatuação. horas dia.;Devem assegurar que os estudantes coloquem em prática seu o Os estagiários passam a ter direito a fériasconhecimento acadêmico e adquira conhecimentos e (preferencialmente que coincidam com as fériasexperiências em seu futuro campo de atuação profissional. escolares) remuneradas de trinta dias após doze meses de estágio na mesma empresa ou se menos de um anoA base de dados para realização deste estudo contou com as na empresa ao valor proporcional.informações de 4.984 estagiários distribuídos entre os níveistécnicos e universitários. o A nova legislação não prevê pagamento de 13º salário (opcional);As informações disponibilizadas neste estudo referem-se aFevereiro / Março de 2.011. © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 6
  7. 7. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011o O tempo máximo de estágio na mesma empresa é de o Para estagiários de nível médio regular e/ou 2º grau (02) dois anos, exceto quando se tratar de estagiários colegial / técnico a legislação estabelece uma portadores de deficiências; proporcionalidade de contratações em relação ao quadro de pessoal (efetivos) da seguinte forma:o A remuneração e a concessão do auxílio-transporte são compulsórias, exceto nos casos de estágios obrigatórios; o De 01 (um) a 05 (cinco) empregados: 01 (um) estagiárioo A concessão do Seguro de Acidentes Pessoais o De 06 (seis) a 10 (dez) empregados: até 02 (dois) permanece obrigatória; estagiários o De 11 (onze) a 25 (vinte e cinco) empregados: atéo Um Supervisor ou Coordenador de Estágio poderá 05 (cinco) estagiários supervisionar no máximo até dez estagiários; o Acima de 25 (vinte e cinco) empregados, até 20% (vinte por cento) de estagiários. © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 7
  8. 8. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011Valores da Bolsa Estágio Região em Análise Nível Menor Médio Maior Ensino Médio Técnico ou Regular 629 847 1.100 Grande São Paulo Universitários Engenharia 1.036 1.395 1.811 Universitários Demais Áreas 888 1.196 1.554 São Paulo Interior Ensino Médio Técnico ou Regular 593 804 1.023 (Campinas e Região, Universitários Engenharia 1.004 1.367 1.757 Sorocaba e Região e Jundiaí e Região) Universitários Demais Áreas 862 1.160 1.526 Ensino Médio Técnico ou Regular 602 830 1.067 Vale do Paraíba Universitários Engenharia 1.015 1.381 1.775 Universitários Demais Áreas 862 1.172 1.507 Os valores foram ajustados para base de 6 horas diárias em atendimento a nova Legislação de estágio © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 8
  9. 9. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011Região em Análise Nível Menor Médio Maior Ensino Médio Técnico ou Regular 534 728 917Curitiba e Região Universitários Engenharia 891 1.229 1.557 Universitários Demais Áreas 752 1.017 1.352 Ensino Médio Técnico ou Regular 490 669 869Joinville e Região Universitários Engenharia 849 1.130 1.503 Universitários Demais Áreas 702 933 1.212 Ensino Médio Técnico ou Regular 478 660 869Porto Alegre e Região Universitários Engenharia 818 1.116 1.467 Universitários Demais Áreas 711 933 1.196 Ensino Médio Técnico ou Regular 529 719 927Rio de Janeiro Universitários Engenharia 902 1.241 1.612 Universitários Demais Áreas 773 1.053 1.352 Os valores foram ajustados para base de 6 horas diárias em atendimento a nova Legislação de estágio © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 9
  10. 10. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011Região em Análise Nível Menor Médio Maior Ensino Médio Técnico ou Regular 484 652 858Minas - Sul de Minas Universitários Engenharia 839 1.143 1.449 Universitários Demais Áreas 711 957 1.227 Ensino Médio Técnico ou Regular 509 694 902Minas - BH e Região Universitários Engenharia 870 1.185 1.539 Universitários Demais Áreas 737 1.005 1.289 Ensino Médio Técnico ou Regular 465 615 803Nordeste (Ceará, Universitários Engenharia 787 1.074 1.376Pernambuco e Bahia) Universitários Demais Áreas 666 897 1.181 Ensino Médio Técnico ou Regular 478 638 827Manaus Universitários Engenharia 804 1.097 1.413 Universitários Demais Áreas 689 921 1.181 Os valores foram ajustados para base de 6 horas diárias em atendimento a nova Legislação de estágio © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 10
  11. 11. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.010Práticas de MercadoApresentamos a seguir algumas práticas adotadas pelo mercado 13º. Saláriopesquisado para os estagiários. Embora a nova legislação não preveja o pagamento de 13ºBenefícios salário cerca de 30% das empresas pesquisadas o pagam. Usualmente pago como bolsa auxílio complementar.Usualmente o mercado concede aos estagiários pacotes debenefícios equivalentes aos pacotes de benefícios oferecidos Fériasaos funcionários efetivos do nível administrativo com atividadesequivalentes (apoio administrativo). Uma vez que passou a ser obrigatório os estagiários passam a ter direito a férias remuneradas de trinta dias após doze mesesDentre os mais concedidos podemos citar: Seguro de Vida, de estágio na mesma empresa ou se menos de um ano naSeguro Acidentes Pessoais (lei), Restaurante Interno, Transporte empresa ao valor proporcional.Coletivo + Vale Transporte (lei - auxílio-transporte sãocompulsórias exceto nos casos de estágios obrigatórios), Planos PLRde Saúde e Convênio Odontológico, Cesta Básica | CartãoSupermercado. Como no item 13º. Salário, embora a nova legislação não preveja o pagamento de valores em dinheiro a título de PLR paraQuase que na maioria dos casos a política de descontos segue estagiários, cerca de 20% das empresas o pagam. Usualmenteos mesmos padrões, percentuais e valores aplicados aos pago como bolsa auxílio complementar.efetivos (em alguns casos os percentuais são menores). © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 11
  12. 12. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011Destas cerca de 20% das empresas que concedem PLR aos Ano de Contrataçãoestagiários, em 45% dos casos, os valores equivalem entre 50%a 75% do valor da bolsa estágio e em 50% dos casos equivalem Como divulgado no estudo de 2.010, com a nova Legislação,entre 75% a 100% do valor da bolsa. que institui que o tempo máximo de estágio na mesma empresa para dois anos, notamos que a grande massa dos estagiáriosReajustes do Valor da Bolsa pesquisados em 2.011 são estudantes do penúltimo / último ano da conclusão do curso.Como prática, o mercado se baseia nos percentuais definidosem negociações coletivas e pesquisas salariais de mercado para Evolução dos Valores das Bolsas Estágiodefinição dos reajustes no valor da bolsa estágio. Em análise aos valores das bolsas estágios para 2.011,Os ajustes nas faixas / valores das bolsas estágio usualmente observamos um aumento médio de 6,85% frente os valoresocorrem no período de data-base (acordo coletivo) da empresa. praticados em 2.010. Isto vale para estagiários de nível técnico e universitário. © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 12
  13. 13. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011Trainees © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 13
  14. 14. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.010Informações GeraisTrata-se de jovens talentos de nível universitário que atuam nas A base de dados para realização deste estudo contou com asorganizações em caráter de treinamento (por tempo informações de 1.194 trainees distribuídos nas áreasdeterminado) visando à capacitação e aperfeiçoamento administrativas, técnicas e analíticas. Trata-se de uma baseprofissional para desempenho de funções-chave ou estratégicas consistente que garante a precisão dos resultados apresentados.à companhia. As informações disponibilizadas neste estudo referem-se aConsiderando-se o rol de empresas pesquisadas, os programas Fevereiro / Março de 2.011.para trainees são extensivos a jovens recém-formados ouformados até 02 anos em nível universitário. Os programas para Diferente dos estagiários que não têm vínculo empregatício comTrainees na sua grande maioria duram entre 01 a 02 anos e a empresa, os Trainees são efetivos, neste caso lhe sãoexigem além de uma boa formação universitária, bons assegurados os mesmos direitos previdenciários e trabalhistasconhecimentos em microinformática + domínio de idiomas. aplicados aos demais efetivos da empresa. Como práticas de mercado asseguram-se também aos trainees os pagamentos de Remuneração Variável (PPR / PLR e Bônus) e pacotes de Benefícios nos mesmos moldes e padrões aplicados aos efetivos de níveis hierárquicos compatíveis. © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 14
  15. 15. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011Dentro os principais fatores usados pelo mercado na avaliaçãodos trainees, podemos citar: o Maturidade e postura para função ou cargo ao qual está sendo preparado; o Habilidade técnica principalmente se está sendo preparado para executar e/ou liderar projetos; o Comunicação; o Flexibilidade para adaptar-se a situações (principalmente novas situações); o Comprometimento, organização e administração do tempo; o Capacidade para resolução de problemas; o Liderança e formação de equipe (se está sendo preparado para liderar pessoas); o Qualidade dos trabalhos desenvolvidos e apresentação de dados; o Capacidade de relacionamento com outros trainees, gestores e com os demais funcionários da empresa como um todo. © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 15
  16. 16. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.010Valores de Mercado Região em Análise Menor Médio Maior Grande São Paulo 3.484 4.467 5.917 São Paulo Interior (Regionais Campinas, Sorocaba e Jundiaí) 3.186 4.262 5.669 Vale do Paraíba 3.373 4.386 5.790 Curitiba e Região 3.331 4.175 5.552 Joinville e Região 2.917 3.760 4.850 Porto Alegre e Região 2.952 3.751 4.951 Rio de Janeiro 2.854 3.856 5.052 Minas Gerais: BH + Sul de Minas 2.713 3.487 4.602 Nordeste (Bahia, Pernambuco e Ceará) 2.611 3.364 4.340 © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 16
  17. 17. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.010Práticas de RecursosHumanos © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 17
  18. 18. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.010Reembolso QuilometragemTrata-se do reembolso efetuado aos trabalhadores que A definição da natureza do reembolso de quilometragem noeventualmente ou frequentemente utilizam seus veículos âmbito da legislação, é que esta não integra o salário, desde queparticulares para prática de serviços externos relacionados aos seu caráter seja de excepcionalidade, eventualidade e concedidoassuntos da empresa e tem como objetivo cobrir e/ou subsidiar exclusivamente como reembolso de despesas provenientes daas despesas com o veículo, tais como: abastecimento, execução de serviços relacionados à empresa.manutenção, pneus, trocas de óleo, seguro, taxas e outrasdespesas decorrentes. Desta forma, se o reembolso é praticado para cobrir despesas de execução dos serviços da empresa não constitui salário-utilidade,O valor a ser reembolsado é usualmente vinculado à por outro lado, se é concedido como forma de reembolso para oquilometragem percorrida, ou seja, o cálculo do valor a ser empregado na locomoção do percurso casa-trabalho-casa, porreembolsado é usualmente fixado por quilometro rodado. exemplo, é salário-utilidade.Despesas como pedágio, alimentação e hospedagem..., Conforme citado anteriormente o estudo foi baseado nas práticasusualmente são reembolsadas à parte e mediante comprovação. e valores adotados por 56% das empresas (343) que atualmente contemplam a base de dados da divisão de pesquisa da Carreira Muller. © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 18
  19. 19. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011Valores de Mercado Valores válidos para veículos a Álcool / Gasolina Avaliando os valores Regiões Analisadas Menor - R$ Médio - R$ Maior - R$ praticados em nosso último Grande São Paulo 0,62 0,72 0,89 estudo (Março de 2.010) São Paulo Interior 0,59 0,70 0,86 frente aos valores praticados Vale do Paraíba 0,61 0,71 0,88 no estudo atual (Março de Curitiba e Região 0,58 0,68 0,85 2.011) detectamos que houve Joinville e Região 0,57 0,66 0,82 um aumento de cerca de 3% Porto Alegre e Região 0,55 0,64 0,84 no valor do reembolso médio por quilometro rodado. Belo Horizonte 0,56 0,67 0,83 Sul de Minas 0,54 0,65 0,81 Manaus 0,60 0,73 0,86 Nordeste (Ceará, Pernambuco e Salvador) 0,56 0,65 0,84 Rio de Janeiro 0,58 0,69 0,85 Valor Médio Nacional 0,57 0,69 0,86 São Paulo Interior : Campinas e Região, Sorocaba e Região e Jundiaí e Região © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 19
  20. 20. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011Sugestão de Planilha para Apuração do Valor do ReembolsoComo nos estudos anteriores, apresentamos a seguir uma sugestão de planilha para apuração do valor do reembolso de quilometragem.Esta planilha foi montada em conjunto com financiadoras de veículos, oficinas e revistas especializadas.Caso você não tenha sua própria metodologia ou padrão para apuração do valor, use esta tabela como referência. Valores válidos para veículos a Álcool / Gasolina Itens da Base de Calculo Base Valor p/ Km Base Valor p/ Km Base Valor p/ Km Valor Base do Veículo 45.000 55.000 65.000 Reposição após 2 anos - 25% depreciação 11.250 0,19 13.750 0,23 16.250 0,27 Manutenção - 4,6% anual 2.070 0,07 2.530 0,08 2.990 0,10 Troca Pneus a cada 60.000 km 1.529 0,03 1.529 0,03 1.529 0,03 Seguro 6,3% ao anual 2.835 0,09 3.465 0,12 4.095 0,14 IPVA, Licença e DPVAT 4,7% anual 2.115 0,07 2.585 0,09 3.055 0,10 Combustível - Valor médio por litro 1,96 0,20 1,96 0,20 1,96 0,20 Valor do Reembolso 0,64 0,74 0,83 Manutenção cobre: revisões, filtros ar e óleo, troca óleo, pastilhas freios, peças em geral, alinhamento e balanceamentos. Para apuração dos valores na coluna "Valor por KM" considerar 30.000 km (média ano) x 2 (período médio de troca 2 anos) Para apuração do valor por Km para Combustível considerar valor médio de R$ 1,96 por litro (média gasolina x álcool). Para apuração do valor por Km para Combustível considerar um consumo médio de 10 quilômetros por litro - gasolina/alcool (flex). © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 20
  21. 21. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.010Ticket Refeição Regiões Analisadas Valores Médios - R$Ao lado apresentamos os valores médios de ticket Grande São Paulo 19,40refeição praticados pelo mercado pesquisado parafuncionários não atendidos por restaurantes Porto Alegre e Região 17,85internos (escritórios corporativos, comerciais, Manaus 17,80filiais...). Vale do Paraíba 17,60 Rio de Janeiro 17,40Adicionalmente e na grande maioria, os São Paulo Interior 17,35funcionários contribuem em média com 15% do Belo Horizonte 17,10valor do ticket. Curitiba e Região 16,95 Joinville e Região 16,40 Sul de Minas 16,25 Nordeste (Ceará, Pernambuco e Salvador) 15,95 São Paulo Interior : Campinas e Região, Sorocaba e Região e Jundiaí e Região © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 21
  22. 22. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011DiáriasVeja ao lado os valores médios relativos às diárias Valores Médios - R$praticadas pelo mercado pesquisado para funcionários com Regiões Analisadas Sem Hospedagem Com Hospedagematividades de campo. Grande São Paulo 73 251Os valores a seguir referem-se às diárias para cobrir gastos Rio de Janeiro 67 220com almoço, jantar, lavanderia e em alguns casos Porto Alegre e Região 65 218hospedagens (no caso das hospedagens a prática mais São Paulo Interior 63 200usual é a reserva e faturamento direto para empresa). Vale do Paraíba 62 209 Manaus 59 203Usualmente os gastos / diárias são reembolsados através Curitiba e Região 57 204de relatório de despesas. Dependendo do nível do cargo, Belo Horizonte 55 207por exemplo, gerentes comerciais, gerentes de vendas...,pode ocorrer a concessão de cartão de crédito corporativo. Nordeste (Ceará, Pernambuco e Salvador) 53 206 Joinville e Região 52 196Quando há a opção pelo fornecimento de ticket refeição Sul de Minas 50 193para cobrir os gastos com almoço | jantar o valor da diária São Paulo Interior : Campinas e Região, Sorocaba e Região e Jundiaí e Regiãosofre alteração. © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 22
  23. 23. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.010Cesta Básica e Cartão SupermercadoAo lado apresentamos os valores praticados pelo mercado Valores Médios - R$ Regiões Analisadaspesquisado para itens de cesta básica, cartão ou vale Cesta Básica Vale Supermercadosupermercado. Grande São Paulo 75 133 Rio de Janeiro 70 12525% do mercado pesquisado concede cesta básica, 36% Porto Alegre e Região 71 126concede cartão ou vale supermercado e 39% nãoconcedem nem cesta e nem cartão ou vale supermercado. São Paulo Interior 69 124 Vale do Paraíba 71 128No caso das cestas os descontos para funcionários variam Manaus 73 129entre 5% a 10% e no caso do cartão ou vale supermercado Curitiba e Região 69 12415% a 20%. Belo Horizonte 68 122 Nordeste (Ceará, Pernambuco e Salvador) 65 115Cerca de 60% das empresas que concedem cesta ou cartão Joinville e Região 64 113os mesmos são concedidos até o nível de coordenação eusualmente está vinculada a assiduidade. Sul de Minas 63 110 São Paulo Interior : Campinas e Região, Sorocaba e Região e Jundiaí e Região © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 23
  24. 24. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011Políticas para TransferênciasEm regras gerais, para casos de transferências de funcionários Dependendo do caso e do período da transferênciapara outras empresas e/ou unidades do grupo, as empresas (transferências provisórias de curto prazo) a empresa podepagam o adicional de transferência previsto por lei (25% do eventualmente negociar e/ou pagar aluguel de casa e/ousalário do empregado) enquanto a condição transferência hospedagem em hotel por um período superior a 01 mês.(provisória) se aplique (o período médio da transferênciaprovisória no mercado pesquisado gira em torno de 02 anos). As despesas com a mudança e as despesas com locomoção, incluindo a mudança e locomoção da família (quando aplicável)Usualmente as empresas oferecem (em média pelo período de também ficam por conta da empresa.01 mês) estadias em hotel para o funcionário transferido e parafamília (quando aplicável).Ajuda de custo e/ou diárias pelo mesmo período médio de 01mês são geralmente aplicadas visando subsidiar “parcialmente”gastos com locomoção, alimentação... © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 24
  25. 25. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011EducaçãoQuase que a totalidade das empresas pesquisadas oferece No caso de Mestrados, Doutorados, Graduação e Cursosalgum subsídio para educação. Técnicos usualmente o funcionário beneficiado se compromete em permanecer na empresa por um período determinado deUsualmente a concessão do mesmo não é livre, o funcionário tempo ou reembolsar a empresa mediante uma basetem que estar na empresa pelo menos há 01 ou 02 anos, cada proporcional.caso é avaliado individualmente, dependem da área de atuação,necessidades do cargo e budget. o Em cerca de 75% dos casos o funcionário que se desligar voluntariamente da empresa por um período de o Para Mestrados e Doutorados o subsídio gira em torno até 12 meses da conclusão do curso deve ressarcir a de 60% a 70% dos gastos. O valor teto mensal gira em empresa em 100% do investimento realizado, 12 a 24 torno de R$ 340 a R$ 780,00 (em média R$ 620). meses 50% do investimento realizado e para um período superior a 24 meses não é necessário nenhum o Para Graduação, Cursos Técnicos e Idiomas o subsídio ressarcimento por parte do funcionário. usualmente é um pouco maior, 75% a 80% dos gastos. O valor teto mensal gira em torno de R$ 125,00 a R$ o Em 100% dos casos, se o funcionário deixar 310,00 (em média R$ 185,00). voluntariamente a empresa durante o curso ou for reprovado deverá ressarcir a empresa pelo do investimento realizado. © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 25
  26. 26. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011Berçário | Auxílio CrecheEm linhas gerais a lei do auxílio-creche determina que as Embora a lei determine que terão direito ao benefício as mãesempresas que tenham em seus quadros funcionais mais de trinta com filhos com idade até seis meses, muitas das empresas nomulheres, com idade acima de dezesseis anos, e que não mercado pesquisado vêm ampliando este limite em função dostenham creche própria, serão obrigadas a fazer o convênio- acordos coletivos estabelecidos com a categoria.creche ou reembolsarão as funcionárias (auxílio-creche), comfilhos menores (idade de zero a seis meses de vida). o Em cerca de 35% dos casos são concedidos para filhos com idade entre 5 a 6 anos.Em análise ao mercado pesquisado constatamos que somente6,5% oferecem o benefício internamente, o restante opta pelo o Em pouco mais de 40% dos casos são concedidos paraauxílio-creche. filhos com idade entre 1 a 2 anos.Isto se deve principalmente pelos altos custos em se manter o Em 25% dos casos são concedidos para filhos com atéuma estrutura de berçário internamente, incluindo disponibilidade 06 meses de vida.de espaço físico, administração de profissionais especializados,riscos e localização da empresa. Independente da região analisada, o valor do auxílio-creche por filho variou (na sua grande maioria) em torno de R$ 170 a R$ 250 (em média R$ 220). © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 26
  27. 27. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.011A Carreira Müller © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 27
  28. 28. Práticas de Recursos Humanos | Março de 2.010Carreira MüllerA Carreira Müller é uma empresa de consultoria especializada Divisão de Pesquisaem remuneração. Há mais de 16 anos no mercado, atende www.consultasalarial.com.bratualmente mais de 600 organizações em todo mercado (19) 3825.9119nacional. © reprodução permitida somente com autorização dos Autores.Configurada em divisões de negócios, desenvolve e implantasoluções, serviços e ferramentas sob medida relativas aprogramas de remuneração, programas de avaliaçãodesempenho, remuneração por competências, análise de perfispessoais, pesquisas de remuneração, outsourcing emremuneração e sistemas informatizados para gestão de recursoshumanos.Carreira, Müller & Associadoswww.carreira.com.brIndaiatuba - SP(19) 3825.9100 © Carreira Müller | Divisão de Pesquisa | Página 28

×