PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA PIP/CBC
ENCONTRO DE PROFESSORES DO PROETI

SETEMBRO 2013
PIP/CBC – Língua Portuguesa
An...
Como profissionais da educação, quando pensamos numa sala
de aula, buscamos logo as soluções que sejam mais
interessantes ...
Boas Práticas
 Planejar o ensino da Língua Portuguesa Coerente com o Projeto
Pedagógico e com a metodologia e diretrizes ...
 Promover um ambiente pedagógico na sala de aula, com oportunidades
de aprendizagem para a vivência real da cidadania.
 ...
Por que o Trabalho Diversificado?
 Os alunos apresentam interesses e motivações variados.
 Cada um tem um ritmo próprio ...
Os objetivos do trabalho diversificado são:
 Propiciar a cada aluno orientação para evitar ou corrigir falhas, superar
de...
Sugerimos que, num trabalho independente, os alunos devam:
•
•
•
•
•
•
•
•

Observar os momentos de escutar o outro.
Cuida...
Conclusão
O trabalho diversificado em sala de aula
constitui-se em uma alternativa capaz de
atender às diferenças individu...
"O professor deve ser um misto de nutricionista e cozinheiro. O
primeiro preocupa-se em elaborar refeições saudáveis e o o...
• Referências Bibliográficas
• FARIA, Yara Prado de. Por Que Trabalho Diversificado? Revista
Criança, Minas Gerais, nº 20,...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação1

646 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
646
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
399
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação1

  1. 1. PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA PIP/CBC ENCONTRO DE PROFESSORES DO PROETI SETEMBRO 2013 PIP/CBC – Língua Portuguesa Analista Responsável: Marcos A. Leopoldino
  2. 2. Como profissionais da educação, quando pensamos numa sala de aula, buscamos logo as soluções que sejam mais interessantes e viáveis para que os alunos tenham interesse e participação quanto aos conteúdos abordados.
  3. 3. Boas Práticas  Planejar o ensino da Língua Portuguesa Coerente com o Projeto Pedagógico e com a metodologia e diretrizes do PROETI.  Desenvolver o ensino da Língua Portuguesa voltado para a função social da Língua.  Estruturar o ensino de Língua Portuguesa em torno dos Eixos e capacidades a serem consolidados pelos alunos.  Fazer roteiros/planos de aula, com sequência lógica de atividades, enriquecendo o trabalho realizado pelos alunos da turma regular.  Usar metodologias e práticas pedagógicas inovadoras, interessantes na sala de aula, para desenvolver a aprendizagem dos alunos.  Favorecer o caráter interdisciplinar, possibilitando o trabalho coletivo, a superação da fragmentação das disciplinas e dos conteúdos escolares convencionais.  Utilizar estratégia e materiais didáticos – pedagógicos adequados e variados.  Planejar as atividades para conhecimento e valorização do contexto social dos alunos
  4. 4.  Promover um ambiente pedagógico na sala de aula, com oportunidades de aprendizagem para a vivência real da cidadania.  Identificar os alunos com maior defasagem de aprendizagem e proceder a intervenção pedagógica.  Usar diferentes espaços na escola e na comunidade para desenvolver atividades pedagógicas com os alunos.  Zelar pela frequência dos alunos às atividades para que não haja evasão no Projeto Escola de Tempo Integral.
  5. 5. Por que o Trabalho Diversificado?  Os alunos apresentam interesses e motivações variados.  Cada um tem um ritmo próprio de desenvolvimento que deve ser considerado e respeitado. O trabalho diversificado em sala de aula apresenta-se em nossas escolas como um procedimento capaz de atender às diferenças individuais dos alunos, em seus vários aspectos. Justifica-se, principalmente, pelo fato de os alunos encontrarem-se em pontos diferentes quanto ao nível de desenvolvimento físico e mental, ao ritmo de aprendizagem, aos interesses, às aptidões e às experiências vividas.
  6. 6. Os objetivos do trabalho diversificado são:  Propiciar a cada aluno orientação para evitar ou corrigir falhas, superar deficiências e atender ao ritmo individual de aprendizagem.  Oportunizar o maior número de participação direta de cada aluno nas atividades propostas. Ao propor o trabalho diversificado, o professor deve considerar que a sua turma é, antes de tudo, um grupo social e, como tal, deve realizar atividades coletivas. Deve, também, ter em mente a organização de atividades em três níveis: no coletivo (com a turma toda), em pequenos grupos e individualmente.
  7. 7. Sugerimos que, num trabalho independente, os alunos devam: • • • • • • • • Observar os momentos de escutar o outro. Cuidar do tom de voz para não atrapalhar os demais grupos. Refletir e compreender as orientações orais e escritas. Realizar a atividade proposta até o fim sem a interferência direta do professor. Avaliar a atividade realizada com a intervenção do professor e dos colegas. Ter cuidado na movimentação dentro da sala de aula. Realizar o trabalho com independência, persistência, organização e responsabilidade. Buscar constantemente as diversas fontes de informação.
  8. 8. Conclusão O trabalho diversificado em sala de aula constitui-se em uma alternativa capaz de atender às diferenças individuais, envolvendo os alunos em diversas atividades, criando um ambiente de trabalho amistoso e atraente, onde todos tenham a oportunidade de trabalhar a cooperação, o respeito e a convivência em grupo, e entendendo que, apesar das diferenças pessoais, existem interesses, objetivos maiores, que são comuns para serem conquistados.
  9. 9. "O professor deve ser um misto de nutricionista e cozinheiro. O primeiro preocupa-se em elaborar refeições saudáveis e o outro quer pratos apetitosos. No planejamento da atividade, devemos agir como nutricionistas, pensando nas competências que a criança deve desenvolver. Na classe, precisamos atuar como cozinheiros, propondo atividades interessantes e que possam ser executadas com prazer.“ (Antoni Zabala)
  10. 10. • Referências Bibliográficas • FARIA, Yara Prado de. Por Que Trabalho Diversificado? Revista Criança, Minas Gerais, nº 20, jan. 1989. MARCOZZI, Alayde Madeira; DORNELLES, Leny Werneck; REGO, Marion Villas Boas Sá. Ensinando à Criança: um Guia para o Professor. 3. ed. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1976. SMOLKA, A. L. B. A Prática Discursiva na Sala de Aula: uma Perspectiva Teórica e um Esboço de Análise. Cadernos Cedes, São Paulo, nº 24, 1991. VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1987. • Fonte: Revista do professor. Ano XIII, nº 50, abr. a jun., Porto Alegre: CPOEC 1997. p. 26–27. • Maria Cristina Etto é licenciada em Pedagogia e pós-graduada em Teorias e Práticas Atuais, em Administração Educacional e Psicologia Escolar. Maria Regina Peres é licenciada em Pedagogia e Biologia e pósgraduada em Educação – Metodologia do Ensino.

×