SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
Professor: Marcos de Melo
2ª série Ens/Méd
Alunos (as): Marcos Antonio Batista Caixeta, Larissa Louza,
Ryelle Soares Abrenhosa, Liamara Morais, Samuel Alves e Luiza
Fernanda.
Globalização e subdesenvolvimento
 Não é de agora que o Brasil apresenta
  transformações tecnológicas que se
  manifestam na sociedade brasileira. Mas foi
  desde 1990 que a globalização teve maior
  impacto. Nesse período a economia brasileira
  passava por uma série de crises: déficit
  público elevado; escassez de financiamento
  para atividade produtiva e para ampliação de
  infra-estrutura; inflação; no final da década
  de 80 a inflação chegou a 80% ao mês, e os
  preços subiam diariamente.

 No inicio da década de 90, o Brasil passa a
   adotar idéias liberais, abrindo o seu mercado
   interno, criando maior liberdade para a
   entrada de mercadorias e de investimentos
   externos, derrubando assim, algumas
   barreiras protecionistas. A idéia era ter o
   capital estrangeiro como ajuda para retomar
   ao crescimento econômico.

 Alegava-se que a economia ia ser beneficente
   para as empresas nacionais, estimulando o
   desenvolvimento e recuperar atrasos em
   alguns setores. Esperava-se, que a economia
   brasileira fosse mais competitiva, em a ajuda
   de subsídios e protecionismo.
Um Mundo Diferenciado
                  O desenvolvimento e o subdesenvolvimento


  Origem
  O conceito de subdesenvolvimento surgiu com a onda
  de descolonização após a II guerra Mundial

   As riquezas que os europeus retiravam das colônias, permitiram um
   grande acúmulo de capital. Com isso, algumas nações da Europa
   tornaram –se ricas e puderam investir em novas tecnologias, que
   deram origem à industria.

              Como conseqüência

Algumas nações passavam por um acelerado desenvolvimento
industrial, a economia dos países colonizados continuava baseada na
agricultura e mineração.
Características do desenvolvimento e
  do subdesenvolvimento
                  PAÍSES DESENVOLVIDOS OU DO NORTE



                                    Predominam atividades econômicas
                                    industriais, de serviços e comerciais
Grandes pólos financeiros e
tecnológicos mundiais



       Dominam


  As grandes decisões                 Pequena parcela da população
  políticas e econômicas               dedica-se ao setor primário
  internacionais
Nos países subdesenvolvidos ou do Sul
a situação é bem diferente
Principais características do
subdesenvolvimento                    Países subdesenvolvidos:
 O subdesenvolvimento se
  caracteriza por problemas sociais    Principais atividades:
  e econômicos no interior de um        agropecuária e
  país. Mas nem todos os países         extrativismo.
  subdesenvolvidos são iguais entre
  si. Alguns têm elevada capacidade
  de produção e atraem
  investimentos do exterior, como é   De modo geral, desenvolvidas de modo
  o caso do Brasil. Outros estão
                                      rudimentar, e com baixa
  praticamente excluídos da ordem
                                      produtividade.
  econômica mundial e depende de
  ajuda humanitária para a
  sobrevivência da população.
Isso mostra que o processo da globalização tem sido bem diferentes
entre os países ricos e os pobres, sendo que a pobreza tem
aumentado até em países ricos.
 Apesar de a globalização ter acentuado os problemas nos países do
norte, tem sido bem mais grave nos países do sul, que possuem
recursos limitados.
País             PIB em trilhões
Estados Unidos   US $ 15,495.389

                                    As diferenças entre os países do mundo atual
China            USD $ 7,744.133
                                     são enormes. Os países do G8 (Estados
                                     Unidos, Japão, Alemanha, França, Itália,
Japão            US $ 6,125.842
                                     Reino Unido e Canadá) são responsáveis pela
                                     produção de cerca de 56% de toda a riqueza
Alemanha         USD $ 3,707.790     do mundo. Todos os outros países, aonde
                                     vivem 85% da população, produzem os 44%
França           USD $ 2,888.907
                                     restantes.
Brasil           USD $ 2,616.986    Essas diferenças sócio-econômicas tendem
                                     aumentar a cada ano com o
Reino Unido      USD $ 2,603.880
                                     desenvolvimento técnico-científico
                                     acelerado e concentrado nos países
Itália           USD $ 2,287.704
                                     desenvolvidos. Segundo o Relatório de
                                     2002 do Estudo de População das Nações
Rússia           USD $ 2,117.245
                                     Unidas, cerca de três milhões de pessoas
                                     vivem com menos de três dólares por dia
Índia            USD $ 2.012.760
 Foi por volta de 1990 que o
Brasil reduziu os impostos de
importação, e os produtos
importados passaram a entrar de
forma bem ampla no mercado
brasileiro. A oferta de produtos
cresceu, e os preços
permaneceram os mesmos ou
caíram; esses produtos
importados passaram a tomar o
espaço das industrias nacionais,
que foram obrigadas a fechar. A
balança comercial acumular
déficits por vários anos no
decorrer de 1990.
 O governo, também, passou a
incentivar por meio de incentivos
fiscais e privatização das
empresas estatais, os
investimentos externos no Brasil.
As multinacionais investem
principalmente em tecnologia,
contribuindo para a geração de
cortes de empregos. De uma
maneira geral, nos setores em que
ocorreu a privatização, diminuíram
os empregos e as condições de
trabalho pioraram.

Na mesma proporção da abertura
do mercado o desemprego
aumentou, e a possibilidade de
voltar ao mercado de trabalho fica
cada vez mais distante, pois as
vagas vão sendo preenchidas pelas
novas tecnologias de produção e
sistemas informatizados.
O processo de privatização

 Alguns países incorporam as       A privatização sofreu inúmeras
  receitas neoliberais. Foi o        críticas. Por exemplo: parte do
  caso do Brasil, México, Chile,     dinheiro foi emprestado pelos
  Uruguai e mais                     cofres públicos, para a
  intensamente, da Argentina.        privatização, através do Banco
  Como vimos anteriormente           Nacional de Desenvolvimento
  vários outros, especialmente       Econômico e Social (BNDES).
  a China e a Índia, optaram         Alem disso, para atrair
  por uma abertura mais              compradores, pagar as dividas
  restrita e gradual, exigindo a     das empresas, elevou-se as
  instalação de indústrias em        tarifas de telefonia e energia.
  seu território (investimentos
  produtivos), em associações
  com empresas nacionais.
Multinacionais brasileiras

 As empresas brasileiras também tem participação em
  investimentos externos, e estão presentes em outros países.
  Em uma década o numero de empresas brasileiras em
  outros países elevou 500%. Em 2001, havia 350 empresas
  instaladas no exterior.

 Apesar desse aumento da participação do Brasil no
  comércio mundial, ela continua sendo reduzida. A
  participação do Brasil representa cerca de 1% de todas as
  transações que ocorrem no mundo. As exportações
  brasileiras são: café, açúcar, minério de ferro e outros
  produtos que possuem baixo valor comercial. Por outro
  lado, as importações do Brasil são bens de consumo de alta
  tecnologia, e possuem valor elevado.
Balanço de pagamentos
 O balanço de pagamentos e a soma de todas as transações econômicas
    realizadas por um pais com resto do mundo, essas transações envolvem o
    comércio de bens (balança comercial) e comercio e serviços (fretes,
    turismo, e outros). No balanço de pagamentos estão incluídas também
    as rendas remetidas por pessoas que trabalham em outros países alem
    doas juros pagos sobre dividas externas.

    O FMI normalmente formaliza esses acordos mediante uma meta pela
    qual o governo e obrigado a obter um superávit primário equivalente a
    uma porcentagem do PIB total do pais que gira entre 3% e 5%%. A divida
    publica no Brasil atingiu valores elevadas nas ultimas décadas e todo
    esforços realizadas para atingir as metas de superávit primário
    estabelecidas pelo FMI .

 OS bens que o governo e o setor privado possuíram em outros países, ou
    seja, as reservas internacionais e depósitos em bancos no exterior, entre
    outros, superaram em cerca de 4 bilhões a divida externa total (ou
    dividas bruta), que no mesmo mês era aproximadamente 180 bilhões.
    NO final de 2008, a divida externa bruta era de 200,2 bilhões.
Números da divida brasileira
 Frequentemente temos sido questionados a respeito dos números
  divulgados pela AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA.
 Considerando que a razão de ser da Auditoria Cidadã é revelar, com
  transparência e de forma didática e popular os dados e informações
  acerca do endividamento público, elaboramos o presente artigo a fim de
  explicar os números do Orçamento da União e o estoque das dívidas
  interna e externa:
 Parte I – A Dívida consome a maior parte do Orçamento da União

 Parte II – O Estoque da Dívida Brasileira já supera R$ 3 Trilhões de Reais

  I – A Dívida consome a maior parte do Orçamento da União
 O Congresso Nacional aprovou e a Presidente Dilma sancionou o
  Orçamento da União para 2012 no montante de R$ 2.150.458.867.507 (2
  trilhões, 150 bilhões, 458 milhões, 867 mil e 507 reais).
 O valor destinado à Dívida Pública corresponde a 47,19% de todo
  o orçamento, e equivale a R$ 1.014.737.844.451,00, ou seja, mais
  de 1 trilhão de reais.
 Em 2011, de acordo com dados do Orçamento da União, os
  gastos com a dívida consumiram R$ 708 bilhões,
  equivalentes a 45,05% de todas as destinações realizadas
  durante o ano:
 Executado até 31/12/2011 - Total: R$ 1,571 Trilhão
http://gentequefazpolitica.blogspot.com.br/
http://www.mundoeducacao.com.br
http://www. infoescola.com
Elian Alabi Lucci Anselmo L. Branco Claudio M Territorio e
Sociedade no Mundo Globalizado Volume 2. Editora: Saraiva .

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

E.j.a provas globalização
E.j.a provas globalizaçãoE.j.a provas globalização
E.j.a provas globalizaçãoMarciano Vieira
 
Globalização e geopolítica
Globalização e geopolíticaGlobalização e geopolítica
Globalização e geopolíticaMaine Batista
 
Avaliação 9 ano globalização
Avaliação 9 ano globalizaçãoAvaliação 9 ano globalização
Avaliação 9 ano globalizaçãoKeila Caetano
 
E.j.a prova setembro escola de ensino médio raultavares cavalcante 2
E.j.a prova setembro escola de ensino médio raultavares cavalcante 2E.j.a prova setembro escola de ensino médio raultavares cavalcante 2
E.j.a prova setembro escola de ensino médio raultavares cavalcante 2Marciano Vieira
 
Aula 2 ef geo
Aula 2   ef geo Aula 2   ef geo
Aula 2 ef geo Walney M.F
 
5 o que impede o desenvolvimento
5  o que impede o desenvolvimento5  o que impede o desenvolvimento
5 o que impede o desenvolvimentoMayjö .
 
Geografia Geral - Estados Unidos, Canadá [www.gondim.net]
Geografia Geral - Estados Unidos, Canadá [www.gondim.net]Geografia Geral - Estados Unidos, Canadá [www.gondim.net]
Geografia Geral - Estados Unidos, Canadá [www.gondim.net]Marco Aurélio Gondim
 
Lista atividades ASSOCIAÇÕES POLÍTICAS
Lista atividades ASSOCIAÇÕES POLÍTICASLista atividades ASSOCIAÇÕES POLÍTICAS
Lista atividades ASSOCIAÇÕES POLÍTICASCADUCOC
 
Obstáculos ao desenvolvimento
Obstáculos ao desenvolvimentoObstáculos ao desenvolvimento
Obstáculos ao desenvolvimentovandacaio
 
Globalização Econômica - Internacionalização da Economia
Globalização Econômica - Internacionalização da EconomiaGlobalização Econômica - Internacionalização da Economia
Globalização Econômica - Internacionalização da EconomiaWicthor Cruz
 
Brasil economia e população observações de texto
Brasil  economia e população  observações de textoBrasil  economia e população  observações de texto
Brasil economia e população observações de textoSalageo Cristina
 
PAÍSES DO NORTE E DO SUL
PAÍSES DO NORTE E DO SULPAÍSES DO NORTE E DO SUL
PAÍSES DO NORTE E DO SULLUIS ABREU
 
Processo de Industrialização das Américas.
Processo de Industrialização das Américas.Processo de Industrialização das Américas.
Processo de Industrialização das Américas.nicollegouveia
 
ÁFrica do Sul, México e Argentina
ÁFrica do Sul, México e Argentina ÁFrica do Sul, México e Argentina
ÁFrica do Sul, México e Argentina Marcinha Mello
 

Mais procurados (20)

E.j.a provas globalização
E.j.a provas globalizaçãoE.j.a provas globalização
E.j.a provas globalização
 
Globalização e geopolítica
Globalização e geopolíticaGlobalização e geopolítica
Globalização e geopolítica
 
Avaliação 9 ano globalização
Avaliação 9 ano globalizaçãoAvaliação 9 ano globalização
Avaliação 9 ano globalização
 
At recup4 global
At recup4 globalAt recup4 global
At recup4 global
 
E.j.a prova setembro escola de ensino médio raultavares cavalcante 2
E.j.a prova setembro escola de ensino médio raultavares cavalcante 2E.j.a prova setembro escola de ensino médio raultavares cavalcante 2
E.j.a prova setembro escola de ensino médio raultavares cavalcante 2
 
Aula 2 ef geo
Aula 2   ef geo Aula 2   ef geo
Aula 2 ef geo
 
Países emergentes
Países emergentesPaíses emergentes
Países emergentes
 
5 o que impede o desenvolvimento
5  o que impede o desenvolvimento5  o que impede o desenvolvimento
5 o que impede o desenvolvimento
 
Angola
AngolaAngola
Angola
 
Globalização da Economia
Globalização da EconomiaGlobalização da Economia
Globalização da Economia
 
Geografia Geral - Estados Unidos, Canadá [www.gondim.net]
Geografia Geral - Estados Unidos, Canadá [www.gondim.net]Geografia Geral - Estados Unidos, Canadá [www.gondim.net]
Geografia Geral - Estados Unidos, Canadá [www.gondim.net]
 
Lista atividades ASSOCIAÇÕES POLÍTICAS
Lista atividades ASSOCIAÇÕES POLÍTICASLista atividades ASSOCIAÇÕES POLÍTICAS
Lista atividades ASSOCIAÇÕES POLÍTICAS
 
Obstáculos ao desenvolvimento
Obstáculos ao desenvolvimentoObstáculos ao desenvolvimento
Obstáculos ao desenvolvimento
 
Países do norte
Países do nortePaíses do norte
Países do norte
 
Geopolítica
GeopolíticaGeopolítica
Geopolítica
 
Globalização Econômica - Internacionalização da Economia
Globalização Econômica - Internacionalização da EconomiaGlobalização Econômica - Internacionalização da Economia
Globalização Econômica - Internacionalização da Economia
 
Brasil economia e população observações de texto
Brasil  economia e população  observações de textoBrasil  economia e população  observações de texto
Brasil economia e população observações de texto
 
PAÍSES DO NORTE E DO SUL
PAÍSES DO NORTE E DO SULPAÍSES DO NORTE E DO SUL
PAÍSES DO NORTE E DO SUL
 
Processo de Industrialização das Américas.
Processo de Industrialização das Américas.Processo de Industrialização das Américas.
Processo de Industrialização das Américas.
 
ÁFrica do Sul, México e Argentina
ÁFrica do Sul, México e Argentina ÁFrica do Sul, México e Argentina
ÁFrica do Sul, México e Argentina
 

Destaque

O brasil e a globalização sociologia
O brasil e a globalização sociologiaO brasil e a globalização sociologia
O brasil e a globalização sociologiaNábila Quennet
 
Brasil, Globalização e a Nova Ordem Mundial
Brasil, Globalização e a Nova Ordem MundialBrasil, Globalização e a Nova Ordem Mundial
Brasil, Globalização e a Nova Ordem MundialCristiane Freitas
 
Slide GlobalizaçãO
Slide GlobalizaçãOSlide GlobalizaçãO
Slide GlobalizaçãOrsaloes
 
Vantagens e desvantagens da globalização
Vantagens e desvantagens da globalizaçãoVantagens e desvantagens da globalização
Vantagens e desvantagens da globalizaçãoZé Stinson
 
O Brasil na Globalização - Maria de lourdes benjamim vasconcelos
O Brasil na Globalização - Maria de lourdes benjamim vasconcelosO Brasil na Globalização - Maria de lourdes benjamim vasconcelos
O Brasil na Globalização - Maria de lourdes benjamim vasconcelosMariadeLourdesBenjamimVasconcelos
 
Globalização Aspetos Económicos, Financeiros, Culturais
Globalização Aspetos Económicos, Financeiros, CulturaisGlobalização Aspetos Económicos, Financeiros, Culturais
Globalização Aspetos Económicos, Financeiros, CulturaisBruno Pinto
 
A NOVA ORDEM MUNDIAL
A NOVA ORDEM MUNDIALA NOVA ORDEM MUNDIAL
A NOVA ORDEM MUNDIALIsabel Aguiar
 
O conceito de globalização
O conceito de globalizaçãoO conceito de globalização
O conceito de globalizaçãoNábila Quennet
 
Mundo Globalizado - Planeta Faminto
Mundo Globalizado - Planeta FamintoMundo Globalizado - Planeta Faminto
Mundo Globalizado - Planeta Famintoatitudemogi
 
As origens domundo atual 8º ano.
As origens domundo atual 8º ano.As origens domundo atual 8º ano.
As origens domundo atual 8º ano.Professor
 
A globalização
A globalizaçãoA globalização
A globalizaçãoprofacacio
 
GlobalizaçãO E Suas Consequencias
GlobalizaçãO E Suas ConsequenciasGlobalizaçãO E Suas Consequencias
GlobalizaçãO E Suas Consequenciasguest496c0b
 

Destaque (20)

O brasil e a globalização sociologia
O brasil e a globalização sociologiaO brasil e a globalização sociologia
O brasil e a globalização sociologia
 
Brasil, Globalização e a Nova Ordem Mundial
Brasil, Globalização e a Nova Ordem MundialBrasil, Globalização e a Nova Ordem Mundial
Brasil, Globalização e a Nova Ordem Mundial
 
Slide GlobalizaçãO
Slide GlobalizaçãOSlide GlobalizaçãO
Slide GlobalizaçãO
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
GLOBALIZAÇÃO
GLOBALIZAÇÃOGLOBALIZAÇÃO
GLOBALIZAÇÃO
 
Nova Ordem Mundial
Nova Ordem MundialNova Ordem Mundial
Nova Ordem Mundial
 
Vantagens e desvantagens da globalização
Vantagens e desvantagens da globalizaçãoVantagens e desvantagens da globalização
Vantagens e desvantagens da globalização
 
O Brasil na Globalização - Maria de lourdes benjamim vasconcelos
O Brasil na Globalização - Maria de lourdes benjamim vasconcelosO Brasil na Globalização - Maria de lourdes benjamim vasconcelos
O Brasil na Globalização - Maria de lourdes benjamim vasconcelos
 
Globalização Aspetos Económicos, Financeiros, Culturais
Globalização Aspetos Económicos, Financeiros, CulturaisGlobalização Aspetos Económicos, Financeiros, Culturais
Globalização Aspetos Económicos, Financeiros, Culturais
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
A NOVA ORDEM MUNDIAL
A NOVA ORDEM MUNDIALA NOVA ORDEM MUNDIAL
A NOVA ORDEM MUNDIAL
 
O conceito de globalização
O conceito de globalizaçãoO conceito de globalização
O conceito de globalização
 
Nova ordem mundial
Nova ordem mundialNova ordem mundial
Nova ordem mundial
 
Nova ordem mundial
Nova ordem mundialNova ordem mundial
Nova ordem mundial
 
Mundo Globalizado - Planeta Faminto
Mundo Globalizado - Planeta FamintoMundo Globalizado - Planeta Faminto
Mundo Globalizado - Planeta Faminto
 
As origens domundo atual 8º ano.
As origens domundo atual 8º ano.As origens domundo atual 8º ano.
As origens domundo atual 8º ano.
 
A globalização
A globalizaçãoA globalização
A globalização
 
GlobalizaçãO E Suas Consequencias
GlobalizaçãO E Suas ConsequenciasGlobalizaçãO E Suas Consequencias
GlobalizaçãO E Suas Consequencias
 
Nova ordem mundial
Nova ordem mundialNova ordem mundial
Nova ordem mundial
 

Semelhante a Globalização e subdesenvolvimento no Brasil: impactos e desafios

Geo globalização 9º
Geo  globalização 9ºGeo  globalização 9º
Geo globalização 9ºAna Wronski
 
Geo globalização 9º
Geo  globalização 9ºGeo  globalização 9º
Geo globalização 9ºprofgilvano
 
Brasil industrialização e subdesenvolvimento
Brasil industrialização e subdesenvolvimentoBrasil industrialização e subdesenvolvimento
Brasil industrialização e subdesenvolvimentoCíntia Pancieri
 
O Período Militar - Geografia
O Período Militar - GeografiaO Período Militar - Geografia
O Período Militar - GeografiaLucas Castro
 
BRASIL: ECONOMIA E SOCIEDADE NA CONTEMPORANEIDADE
BRASIL: ECONOMIA E SOCIEDADE NA CONTEMPORANEIDADEBRASIL: ECONOMIA E SOCIEDADE NA CONTEMPORANEIDADE
BRASIL: ECONOMIA E SOCIEDADE NA CONTEMPORANEIDADEamiltonp
 
Administração / Case: Finanças
Administração / Case: FinançasAdministração / Case: Finanças
Administração / Case: FinançasZé Moleza
 
Globalização e o comércio mundial
Globalização e o comércio mundialGlobalização e o comércio mundial
Globalização e o comércio mundialMatheuz Andre
 
Brasil vive desindustrialização
Brasil vive desindustrializaçãoBrasil vive desindustrialização
Brasil vive desindustrializaçãoFabricio Rocha
 
A DíVida Externa Brasileira Grupo 1
A DíVida Externa Brasileira   Grupo 1A DíVida Externa Brasileira   Grupo 1
A DíVida Externa Brasileira Grupo 1ProfMario De Mori
 
Crise econômica Européia
Crise econômica Européia Crise econômica Européia
Crise econômica Européia Artur Lara
 
Crise econômica MUNDIAL
Crise econômica MUNDIALCrise econômica MUNDIAL
Crise econômica MUNDIALizzidoro
 
Trabalho microeconomia.
Trabalho microeconomia.Trabalho microeconomia.
Trabalho microeconomia.CamilaTolosa6
 
Brasil economia e população observações de texto
Brasil  economia e população  observações de textoBrasil  economia e população  observações de texto
Brasil economia e população observações de textoSalageo Cristina
 

Semelhante a Globalização e subdesenvolvimento no Brasil: impactos e desafios (20)

Geo globalização 9º
Geo  globalização 9ºGeo  globalização 9º
Geo globalização 9º
 
Geo globalização 9º
Geo  globalização 9ºGeo  globalização 9º
Geo globalização 9º
 
Brasil industrialização e subdesenvolvimento
Brasil industrialização e subdesenvolvimentoBrasil industrialização e subdesenvolvimento
Brasil industrialização e subdesenvolvimento
 
O Período Militar - Geografia
O Período Militar - GeografiaO Período Militar - Geografia
O Período Militar - Geografia
 
BRASIL: ECONOMIA E SOCIEDADE NA CONTEMPORANEIDADE
BRASIL: ECONOMIA E SOCIEDADE NA CONTEMPORANEIDADEBRASIL: ECONOMIA E SOCIEDADE NA CONTEMPORANEIDADE
BRASIL: ECONOMIA E SOCIEDADE NA CONTEMPORANEIDADE
 
Grupo 2
Grupo 2Grupo 2
Grupo 2
 
Administração / Case: Finanças
Administração / Case: FinançasAdministração / Case: Finanças
Administração / Case: Finanças
 
Globalização e o comércio mundial
Globalização e o comércio mundialGlobalização e o comércio mundial
Globalização e o comércio mundial
 
Brasil vive desindustrialização
Brasil vive desindustrializaçãoBrasil vive desindustrialização
Brasil vive desindustrialização
 
Grupo 2
Grupo 2Grupo 2
Grupo 2
 
Países emergentes
Países emergentesPaíses emergentes
Países emergentes
 
A DíVida Externa Brasileira Grupo 1
A DíVida Externa Brasileira   Grupo 1A DíVida Externa Brasileira   Grupo 1
A DíVida Externa Brasileira Grupo 1
 
Visões sobre pec 241
Visões sobre pec 241Visões sobre pec 241
Visões sobre pec 241
 
BRICS
BRICSBRICS
BRICS
 
Crise econômica Européia
Crise econômica Européia Crise econômica Européia
Crise econômica Européia
 
Globalização
Globalização Globalização
Globalização
 
Grupo 5
Grupo 5Grupo 5
Grupo 5
 
Crise econômica MUNDIAL
Crise econômica MUNDIALCrise econômica MUNDIAL
Crise econômica MUNDIAL
 
Trabalho microeconomia.
Trabalho microeconomia.Trabalho microeconomia.
Trabalho microeconomia.
 
Brasil economia e população observações de texto
Brasil  economia e população  observações de textoBrasil  economia e população  observações de texto
Brasil economia e população observações de texto
 

Último

Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 

Último (20)

Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 

Globalização e subdesenvolvimento no Brasil: impactos e desafios

  • 1. Professor: Marcos de Melo 2ª série Ens/Méd Alunos (as): Marcos Antonio Batista Caixeta, Larissa Louza, Ryelle Soares Abrenhosa, Liamara Morais, Samuel Alves e Luiza Fernanda.
  • 2.
  • 3. Globalização e subdesenvolvimento  Não é de agora que o Brasil apresenta transformações tecnológicas que se manifestam na sociedade brasileira. Mas foi desde 1990 que a globalização teve maior impacto. Nesse período a economia brasileira passava por uma série de crises: déficit público elevado; escassez de financiamento para atividade produtiva e para ampliação de infra-estrutura; inflação; no final da década de 80 a inflação chegou a 80% ao mês, e os preços subiam diariamente.  No inicio da década de 90, o Brasil passa a adotar idéias liberais, abrindo o seu mercado interno, criando maior liberdade para a entrada de mercadorias e de investimentos externos, derrubando assim, algumas barreiras protecionistas. A idéia era ter o capital estrangeiro como ajuda para retomar ao crescimento econômico.  Alegava-se que a economia ia ser beneficente para as empresas nacionais, estimulando o desenvolvimento e recuperar atrasos em alguns setores. Esperava-se, que a economia brasileira fosse mais competitiva, em a ajuda de subsídios e protecionismo.
  • 4. Um Mundo Diferenciado O desenvolvimento e o subdesenvolvimento Origem O conceito de subdesenvolvimento surgiu com a onda de descolonização após a II guerra Mundial As riquezas que os europeus retiravam das colônias, permitiram um grande acúmulo de capital. Com isso, algumas nações da Europa tornaram –se ricas e puderam investir em novas tecnologias, que deram origem à industria. Como conseqüência Algumas nações passavam por um acelerado desenvolvimento industrial, a economia dos países colonizados continuava baseada na agricultura e mineração.
  • 5. Características do desenvolvimento e do subdesenvolvimento PAÍSES DESENVOLVIDOS OU DO NORTE Predominam atividades econômicas industriais, de serviços e comerciais Grandes pólos financeiros e tecnológicos mundiais Dominam As grandes decisões Pequena parcela da população políticas e econômicas dedica-se ao setor primário internacionais
  • 6. Nos países subdesenvolvidos ou do Sul a situação é bem diferente Principais características do subdesenvolvimento Países subdesenvolvidos:  O subdesenvolvimento se caracteriza por problemas sociais  Principais atividades: e econômicos no interior de um agropecuária e país. Mas nem todos os países extrativismo. subdesenvolvidos são iguais entre si. Alguns têm elevada capacidade de produção e atraem investimentos do exterior, como é De modo geral, desenvolvidas de modo o caso do Brasil. Outros estão rudimentar, e com baixa praticamente excluídos da ordem produtividade. econômica mundial e depende de ajuda humanitária para a sobrevivência da população.
  • 7. Isso mostra que o processo da globalização tem sido bem diferentes entre os países ricos e os pobres, sendo que a pobreza tem aumentado até em países ricos. Apesar de a globalização ter acentuado os problemas nos países do norte, tem sido bem mais grave nos países do sul, que possuem recursos limitados.
  • 8. País PIB em trilhões Estados Unidos US $ 15,495.389  As diferenças entre os países do mundo atual China USD $ 7,744.133 são enormes. Os países do G8 (Estados Unidos, Japão, Alemanha, França, Itália, Japão US $ 6,125.842 Reino Unido e Canadá) são responsáveis pela produção de cerca de 56% de toda a riqueza Alemanha USD $ 3,707.790 do mundo. Todos os outros países, aonde vivem 85% da população, produzem os 44% França USD $ 2,888.907 restantes. Brasil USD $ 2,616.986  Essas diferenças sócio-econômicas tendem aumentar a cada ano com o Reino Unido USD $ 2,603.880 desenvolvimento técnico-científico acelerado e concentrado nos países Itália USD $ 2,287.704 desenvolvidos. Segundo o Relatório de 2002 do Estudo de População das Nações Rússia USD $ 2,117.245 Unidas, cerca de três milhões de pessoas vivem com menos de três dólares por dia Índia USD $ 2.012.760
  • 9.  Foi por volta de 1990 que o Brasil reduziu os impostos de importação, e os produtos importados passaram a entrar de forma bem ampla no mercado brasileiro. A oferta de produtos cresceu, e os preços permaneceram os mesmos ou caíram; esses produtos importados passaram a tomar o espaço das industrias nacionais, que foram obrigadas a fechar. A balança comercial acumular déficits por vários anos no decorrer de 1990.  O governo, também, passou a incentivar por meio de incentivos fiscais e privatização das empresas estatais, os investimentos externos no Brasil.
  • 10. As multinacionais investem principalmente em tecnologia, contribuindo para a geração de cortes de empregos. De uma maneira geral, nos setores em que ocorreu a privatização, diminuíram os empregos e as condições de trabalho pioraram. Na mesma proporção da abertura do mercado o desemprego aumentou, e a possibilidade de voltar ao mercado de trabalho fica cada vez mais distante, pois as vagas vão sendo preenchidas pelas novas tecnologias de produção e sistemas informatizados.
  • 11. O processo de privatização  Alguns países incorporam as  A privatização sofreu inúmeras receitas neoliberais. Foi o críticas. Por exemplo: parte do caso do Brasil, México, Chile, dinheiro foi emprestado pelos Uruguai e mais cofres públicos, para a intensamente, da Argentina. privatização, através do Banco Como vimos anteriormente Nacional de Desenvolvimento vários outros, especialmente Econômico e Social (BNDES). a China e a Índia, optaram Alem disso, para atrair por uma abertura mais compradores, pagar as dividas restrita e gradual, exigindo a das empresas, elevou-se as instalação de indústrias em tarifas de telefonia e energia. seu território (investimentos produtivos), em associações com empresas nacionais.
  • 12. Multinacionais brasileiras  As empresas brasileiras também tem participação em investimentos externos, e estão presentes em outros países. Em uma década o numero de empresas brasileiras em outros países elevou 500%. Em 2001, havia 350 empresas instaladas no exterior.  Apesar desse aumento da participação do Brasil no comércio mundial, ela continua sendo reduzida. A participação do Brasil representa cerca de 1% de todas as transações que ocorrem no mundo. As exportações brasileiras são: café, açúcar, minério de ferro e outros produtos que possuem baixo valor comercial. Por outro lado, as importações do Brasil são bens de consumo de alta tecnologia, e possuem valor elevado.
  • 13. Balanço de pagamentos  O balanço de pagamentos e a soma de todas as transações econômicas realizadas por um pais com resto do mundo, essas transações envolvem o comércio de bens (balança comercial) e comercio e serviços (fretes, turismo, e outros). No balanço de pagamentos estão incluídas também as rendas remetidas por pessoas que trabalham em outros países alem doas juros pagos sobre dividas externas.  O FMI normalmente formaliza esses acordos mediante uma meta pela qual o governo e obrigado a obter um superávit primário equivalente a uma porcentagem do PIB total do pais que gira entre 3% e 5%%. A divida publica no Brasil atingiu valores elevadas nas ultimas décadas e todo esforços realizadas para atingir as metas de superávit primário estabelecidas pelo FMI .  OS bens que o governo e o setor privado possuíram em outros países, ou seja, as reservas internacionais e depósitos em bancos no exterior, entre outros, superaram em cerca de 4 bilhões a divida externa total (ou dividas bruta), que no mesmo mês era aproximadamente 180 bilhões. NO final de 2008, a divida externa bruta era de 200,2 bilhões.
  • 14.
  • 15. Números da divida brasileira  Frequentemente temos sido questionados a respeito dos números divulgados pela AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA.  Considerando que a razão de ser da Auditoria Cidadã é revelar, com transparência e de forma didática e popular os dados e informações acerca do endividamento público, elaboramos o presente artigo a fim de explicar os números do Orçamento da União e o estoque das dívidas interna e externa:  Parte I – A Dívida consome a maior parte do Orçamento da União  Parte II – O Estoque da Dívida Brasileira já supera R$ 3 Trilhões de Reais I – A Dívida consome a maior parte do Orçamento da União  O Congresso Nacional aprovou e a Presidente Dilma sancionou o Orçamento da União para 2012 no montante de R$ 2.150.458.867.507 (2 trilhões, 150 bilhões, 458 milhões, 867 mil e 507 reais).
  • 16.  O valor destinado à Dívida Pública corresponde a 47,19% de todo o orçamento, e equivale a R$ 1.014.737.844.451,00, ou seja, mais de 1 trilhão de reais.
  • 17.  Em 2011, de acordo com dados do Orçamento da União, os gastos com a dívida consumiram R$ 708 bilhões, equivalentes a 45,05% de todas as destinações realizadas durante o ano:  Executado até 31/12/2011 - Total: R$ 1,571 Trilhão
  • 18. http://gentequefazpolitica.blogspot.com.br/ http://www.mundoeducacao.com.br http://www. infoescola.com Elian Alabi Lucci Anselmo L. Branco Claudio M Territorio e Sociedade no Mundo Globalizado Volume 2. Editora: Saraiva .