SUPORTE AVANÇADO        DE       VIDA        EM   EMERGÊNCIAS   TRAUMÁTICAS         E       NÃO   TRAUMÁTICASLABORATÓRIO D...
PROGRAMAÇÃO DE SUPORTE AVANÇADO DE VIDA                                    3as FEIRAS                                 07:3...
e) Qual o perfil dos médicos que trabalham no atendimento de emergência no    Brasil?f) Como outros países solucionaram o ...
•   Presença de um único médico na Unidade de Saúde para transportar    paciente crítico (acompanhar o paciente ou “abando...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Primeira+aula+ +suporte+avançado+de+vida+-+2011-1

527 visualizações

Publicada em

suporte avancado de vida

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
527
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Primeira+aula+ +suporte+avançado+de+vida+-+2011-1

  1. 1. SUPORTE AVANÇADO DE VIDA EM EMERGÊNCIAS TRAUMÁTICAS E NÃO TRAUMÁTICASLABORATÓRIO DE HABILIDADES 8a ETAPA 2011-1
  2. 2. PROGRAMAÇÃO DE SUPORTE AVANÇADO DE VIDA 3as FEIRAS 07:30 – 11:30 hs As aulas teórico-práticas serão realizadas às terças-feiras com roteiro de estudoprévio para discussão em sala de aula, abordando diferentes temas sobre emergênciastraumáticas e não traumáticas. Nas atividades práticas no Laboratório de Habilidades, osalunos deverão comparecer à aula da sua subturma, vestidos com jaleco branco. Devido ao planejamento das atividades, os alunos deverão acompanhar a suasubturma, não sendo permitido trocas. Haverá controle rigoroso da freqüência. Haverá um material didático previamente distribuído e específico para cada tópicoque o aluno deve ler antes de cada aula, respondendo às perguntas de cada tema comoum roteiro de estudo e orientação para “visualizar” sua abordagem prática. O objetivo deste curso será uma retomada dos temas de suporte básico de vida daprogramação do Laboratório de Habilidades da quarta etapa, com aprofundamento dadiscussão para que o aluno faça uma revisão dos princípios e conceitos envolvidos noatendimento das emergências médicas traumáticas e não traumáticas. Além do conhecimento sistêmico da rede de atendimento médico de emergência, osalunos terão a oportunidade de estudar e discutir as emergências traumáticas específicasdos vários sistemas do organismo, identificando e diferenciando as necessidades gerais eespecíficas de cada região traumatizada. Ainda está programada a revisão dos princípios básicos e avançados de habilidadescirúrgicas para a realização de procedimentos médicos de emergência tais como:drenagem pleural, lavado peritoneal diagnóstico e as suturas. Por fim, os alunos poderão estudar e discutir a abordagem das patologias nãotraumáticas mais prevalentes que são as cardiovasculares e cerebrais. Como parte da avaliação semestral, o estudo prévio e as discussões em sala deaula deverão permitir que o aluno produza algoritmos de diagnóstico e condutaterapêutica para cada uma das patologias estudadas.AULA 1: OPERACIONALIZAÇÃO DO SISTEMA DE ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA a) Discussão sobre os princípios que norteiam a Portaria 2048 de 05 de novembro de 2002: • Componente pré-hospitalar fixo e móvel • Regulação Médica • Componente hospitalar: - área física / hotelaria - equipamentos - capacidade diagnóstica e terapêutica - recursos humanos b) Quais as diferentes classificações das Unidades Hospitalares de emergência segundo a Portaria 2048? c) Elaboração de um algoritmo de atendimento pré-hospitalar desde a entrada da ocorrência na Central de Regulação Médica e envio do veículo adequado para atendimento em cena até a escolha do hospital mais apropriado para o paciente e a recepção do mesmo pela equipe de atendimento. d) Atualmente, na maioria das escolas médicas, qual a formação do graduando e do médico residente para o atendimento de emergências traumáticas e não traumáticas? Quais os motivos que levam à formação deficitária?
  3. 3. e) Qual o perfil dos médicos que trabalham no atendimento de emergência no Brasil?f) Como outros países solucionaram o problema do atendimento de emergência?g) No Brasil, a emergência médica e a cirurgia do trauma e de emergências são reconhecidas como especialidades médicas pelo Conselho Federal de Medicina?h) Quais as dificuldades para se melhorar a formação médica em emergências médicas traumáticas e não traumáticas no Brasil?i) Quais as diferenças entre a Regulação Médica municipal e regional? Quais os critérios para a montagem da regulação médica municipal?j) Quais as funções do médico regulador? Que recursos ele pode acionar?k) Qual a equipe da unidade de suporte básico e avançado?l) Qual a resolutividade esperada da UBS/UBDS? Qual a porcentagem de encaminhamento para atendimento secundário e terciário?m) Como é a divisão das regiões de saúde no estado? Qual a Direção Regional de Saúde de Cacoal? Quantos municípios compreendem? Qual a divisão das microrregiões? Qual a sede de cada microrregião e quantos municípios compreende?n) Como se faz o processo de credenciamento e contratação de serviços médicos pelo SUS? Na Tabela SUS, quais os procedimentos de maior valor a ser faturado?o) No setor hospitalar, qual a porcentagem que corresponde aos hospitais públicos, filantrópicos e privados? Quais os critérios que garantem a filantropia de uma instituição de saúde e qual o tempo de revalidação da filantropia?p) A contratação de um convênio médico privado garante um bom atendimento médico de emergência? Quais as diferenças em relação ao sistema públicoq) Na opção pelo sistema francês (SAMU), quais os prós e contras do modelo brasileiro?r) Quais as principais diferenças entre os modelos de atendimento pré-hospitalar americano e francês ? Quais os limites de atuação de ambos?s) Quais as situações de atendimento, onde a presença médica faz diferença?t) Qual a diferença na filosofia do atendimento médico pré-hospitalar nos traumas e nas emergências não traumáticas?u) Em termos percentuais, qual a diferença entre as emergências traumáticas e não traumáticas?v) Como deve ser a comunicação do Médico Regulador com os médicos plantonistas dos hospitais em termos de disponibilidade de leitos, proximidade do hospital, gravidade do paciente e complexidade hospitalar necessária?w) Quais as vantagens do médico plantonista de conhecer detalhes do caso clínico que irá chegar para atendimento? Quais as medidas que ele pode tomar?x) Existe a situação de “vaga zero” da Regulação Médica? Na maioria das vezes, ela é real ou não?y) Como funcionava o sistema de atendimento médico de emergência antes da Regulação Médica? Quais eram os principais problemas?z) Discussão das possibilidades de encaminhamento e transporte do paciente dentro da estrutura hospitalar com finalidades diagnósticas e/ou terapêuticas.aa)Discussão dos princípios de estabilização clínica do paciente antes do transporte? Como gastaria o tempo até a chegada do veículo de transporte do paciente ? Que procedimentos não deveria fazer?bb) Quais os cuidados que deveria ter no preparo para o transporte se: - o paciente fosse transportado pela ambulância de suporte avançado? - o paciente fosse transportado pela unidade de suporte básico?cc) Discussão de situações especiais:
  4. 4. • Presença de um único médico na Unidade de Saúde para transportar paciente crítico (acompanhar o paciente ou “abandonar” o plantão?)• Dificuldades na comunicação com a Regulação Médica: - falta de avaliação médica adequada pelo médico que atende, - exagero da gravidade para “facilitar” a aceitação do caso, - falta de preparo e conhecimento do médico regulador, - dificuldade de saber a real disponibilidade de vaga nos hospitais, - dificuldade em conseguir falar com o médico plantonista• O que você pode fazer para preservar os seus direitos num plantão médico onde não haja as condições básicas para atendimento médico?

×