estudo de caso:                 a utilização das    REDES SOCIAIS DIGITAISBrasilem uma instituição de ensino superior no s...
Situação P roblemáticaGrande parte dasinstituições que sãoadeptas das redes sociaisdigitais ainda não estáexplorando todo ...
JustificativaA repercussão das informaçõesemitidas por meio da utilização deredes sociais digitais em umainstituição de en...
Objetiv                o                    geralEstudar a utilização das redes sociaisdigitais em uma instituição de ensi...
Objetivos específicosIdentificar uma instituição     Levantar quais redes sociaisde ensino superior que          são utili...
é Mark eting?           O QueSegundo Kotler (2000, p. 30) “marketing é umprocesso social por meio do qual pessoa egrupos d...
O Que é Marketi               ng de Relaciona                              m         ento? “O marketing de relacionamento ...
Sociais?      são RedesO QueAs redes sociais são as sociedades,ou seja, pessoas interagindo compessoas segundo um determin...
O Que são Re                 des Sociais D                              igitais?As redes sociais digitais são asferramenta...
Metodologia  1ª                  Pesquisa Exploratória Qualitativa                  Observação das instituições de ensino ...
Resultados                Todas as instituições pesquisadas               fazem uso de redes sociais digitais.A escolha da...
Resu ltados       A instituição interage com a comunidade.	  Os impactos da utilização das redes sociaisdigitais são bons ...
Conclusão      O principal ganho da realização deste estudo foi de proporcionar uma visão sistêmica do tema abordado para ...
LimitaçãoAusência de referencial teórico sobre o temaabordado na pesquisa.
Re ferênciasALTERMANN,	  Dennis.	  Qual	  a	  diferença	  entre	  redes	  sociais	  e	  mídias	  sociais?	  Disponível	  e...
Re ferênciasCRAWFORD,	  H.	  An	  Interview	  with	  B.	  Latour.	  The	  John	  Hopkins	  University	  Press,	  pp.	  247...
Re ferênciasGIOIA,	  Ricardo	  M.	  Fundamentos	  de	  marke6ng:	  conceitos	  básicos.	  2.	  ed.,	  rev.	  e	  atual.	  ...
Re ferênciasKOTLER,	  Philip.	  Marke6ng.	  ed.	  compacta.	  São	  Paulo:	  Atlas,	  1996.	  	  	  	  	  KOTLER,	  Philip...
Re ferênciasMORAES,	  Marcia	  Oliveira.	  O	  conceito	  de	  rede	  na	  filosofia	  mes6ça.	  Revista	  Informare,	  	  	...
Re ferênciasSAVATER,	  Fernando.	  As	  perguntas	  da	  Vida.	  Portugal,	  Lisboa:	  Dom	  Quixote,	  2000.	  	  	  	  S...
Muito obrigado! / ‫ / !ﺃأﻭوﺏبﺭرﻱيﻍغﺍاﺩدﻭو‬Çox sağ olun / Eskerrik asko / Вялікае дзякуй / Многоблагодаря / Moltes gràcies ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Estudo de Caso: A Utilização das Redes Sociais Digitais em uma Instituição de Ensino Superior no Sul do Brasil.

1.246 visualizações

Publicada em

Apresentação do Projeto de Pesquisa: Estudo de Caso: A Utilização das Redes Sociais Digitais em uma Instituição de Ensino Superior no Sul do Brasil.

A apresentação está em pdf para não desconfigurar. Caso alguém queira em ppt, mande um tweet pra mim @MarcoPensak.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.246
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudo de Caso: A Utilização das Redes Sociais Digitais em uma Instituição de Ensino Superior no Sul do Brasil.

  1. 1. estudo de caso: a utilização das REDES SOCIAIS DIGITAISBrasilem uma instituição de ensino superior no sul do co Pensak | Luana D amasio | Mar Jan aina Petters Murara MSc. M arco Antonio
  2. 2. Situação P roblemáticaGrande parte dasinstituições que sãoadeptas das redes sociaisdigitais ainda não estáexplorando todo opotencial que estaspodem exercer ou asutilizam como umasegunda opção.
  3. 3. JustificativaA repercussão das informaçõesemitidas por meio da utilização deredes sociais digitais em umainstituição de ensino superior poderender excelentes resultados e porconsequência consolidar a marca,bem como incentivar o acompa-nhamento de suas atividadese ações para seus seguidores.
  4. 4. Objetiv o geralEstudar a utilização das redes sociaisdigitais em uma instituição de ensinosuperior no sul do Brasil.
  5. 5. Objetivos específicosIdentificar uma instituição Levantar quais redes sociaisde ensino superior que são utilizadas pelautilize tais ferramentas. instituição.Acompanhar como asferramentas das redes Identificar quais os objetivos da utilização de redes sociaissociais são utilizadas pela instituição.através do conteúdo,frequência e interação Investigar os impactos causadosentre a instituição e pelo uso das redes sociais para aseguidores/amigos.   instituição.Demonstrar que a boa administraçãodos perfis criados em redes sociaisdigitais podem trazer beneficio para ainstituição de ensino superior escolhida.  
  6. 6. é Mark eting? O QueSegundo Kotler (2000, p. 30) “marketing é umprocesso social por meio do qual pessoa egrupos de pessoas obtêm aquilo de quenecessitam e o que desejam com a criação,oferta e livre negociação de produtos eserviços de valor com os outros”.
  7. 7. O Que é Marketi ng de Relaciona m ento? “O marketing de relacionamento constitui um esforço integrado das empresas para identificar, construir, manter e aprimorar relacionamentos individuais com clientes, em um processo de troca de benefícios voltado para o longo prazo” (BERRY et al. 2002 apud D’ANGELO et al. 2006, p. 74).
  8. 8. Sociais? são RedesO QueAs redes sociais são as sociedades,ou seja, pessoas interagindo compessoas segundo um determinadopadrão de organização (MAIA, 2011).
  9. 9. O Que são Re des Sociais D igitais?As redes sociais digitais são asferramentas (de uma forma específica)onde compartilha-se informação econsequentemente a interação com outraspessoas, criando assim uma lista ougrupos de amigos. Logo, mídias sociaissão todas as ferramentas (de umamaneira geral) que possibilitam adisseminação de informações(CIPRIANI, 2011).
  10. 10. Metodologia 1ª Pesquisa Exploratória Qualitativa Observação das instituições de ensino superior que utilizam redes sociais digitais no Sul do Brasil. 2ªPesquisa Exploratória QualitativaRoteiro de entrevista com questões abertas com aequipe de Marketing da Católica de Santa Catarina ecom a comunidade em geral através de emails.   Pesquisa Exploratória Qualitativa 3ª Observação das redes sociais utilizadas pela instituição e da interatividade que estas proporcionavam entre a instituição e a comunidade
  11. 11. Resultados Todas as instituições pesquisadas fazem uso de redes sociais digitais.A escolha da Católica de Santa Catarina aconteceu porcausa do processo de branding que a mesa passou no último ano (UNERJ => Católica de Santa Catarina). A instituição faz uso das redes sociais digitais para publicar conteúdo Institucional. A geração de informação acontece no mínimo a cada dois dias nas redes em que a Católica de Santa Catarina atua.
  12. 12. Resu ltados A instituição interage com a comunidade.  Os impactos da utilização das redes sociaisdigitais são bons porque reforçam a marca e oposicionamento da instituição. A instituição está preocupada com o uso das redes sociais e faz questão de utilizá-las para atingir seu público- alvo que está presente nesse meio.
  13. 13. Conclusão O principal ganho da realização deste estudo foi de proporcionar uma visão sistêmica do tema abordado para os acadêmicos pesquisadores, que anteriormente era extremamente linear. Os acadêmicos pesquisadores contribuíram para o crescimento e aperfeiçoamento da utilização das redes sociais digitais pela Católica de Santa Catarina. A mensuração e solidificação da imagem da instituição e da qualidade do ensino podem acontecer para os acadêmicos após os quatro anos em que desenvolvem sua graduação, ou seja, quando finalmente são reconhecidos pelo mercado de trabalho pelo diferencial que seus estudos lhe proporcionaram.  
  14. 14. LimitaçãoAusência de referencial teórico sobre o temaabordado na pesquisa.
  15. 15. Re ferênciasALTERMANN,  Dennis.  Qual  a  diferença  entre  redes  sociais  e  mídias  sociais?  Disponível  em:  <  h9p://www.midia>smo.com.br/comunicacao-­‐digital/qual-­‐a-­‐diferenca-­‐entre-­‐redes-­‐sociais-­‐e-­‐midias-­‐sociais  >.  Acesso  em:  11  out.  2011.      BRETZKE,  Miriam;  DOURADO,  Yeda;  RIBEIRO,  Áurea  Helena.  Marke6ng  de  relacionamento:  oportunidade  para  desenvolvimento  e  crescimento  conVnuo  no  setor  financeiro.  Disponível  em:  <h9p://www.bretzke-­‐marke>ng.com.br/textos/ar>gos08.htm>.  Acesso  em:  11  fev.  2012.        CHAGAS,  Roston  Tadeu  Anivaldo.  O  ques6onário  na  pesquisa  cien=fica.  Disponível  em:  <h9p://www.fecap.br/adm_online/art11/anival.htm>.  Acesso  em  25  abr.  2012.      CHLEBA,  Márcio.  Marke6ng  digital:  novas  tecnologias  e  novos  modelos  de  negócios.  São  Paulo:  Futura,  1999.      CIPRIANI,  Fábio.  Blog  corpora6vo.  2.  ed.,  rev.  e  ampl.  São  Paulo:  Novatec,  2008.        
  16. 16. Re ferênciasCRAWFORD,  H.  An  Interview  with  B.  Latour.  The  John  Hopkins  University  Press,  pp.  247-­‐268,  1993.        DANGELO,  André  Cauduro;  SCHNEIDER,  Heleno  e  LARAN,  Juliano  Aita.  Marke6ng  de  relacionamento  junto  a  consumidores  finais:  um  estudo  exploratório  com  grandes  empresas  brasileiras.  Rev.  adm.  contemp.  [online].  2006,  vol.10,  n.1,  p.  73-­‐93.        DRUCKER,  Peter  Ferdinand.  A  arte  da  administração  total.  São  Paulo:  Pioneira,  1975.        FERREIRA,  Aurélio  Buarque  de  Holanda.    Novo  dicionário  da  língua  portuguesa.    2.  ed.  aum.  Rio  de  Janeiro  :  Nova  Fronteira,  1986.      FRAGA,  Robson.  Marke6ng.  Disponível  em:  <h9p://www.olavodebrito.com/p/marke>ng.html>.  Acesso  em  16  fev.  2012.    GABRIEL,  Martha.  Marke6ng  na  era  digital.  São  Paulo:  Novatec  Editora,  2010.    
  17. 17. Re ferênciasGIOIA,  Ricardo  M.  Fundamentos  de  marke6ng:  conceitos  básicos.  2.  ed.,  rev.  e  atual.  São  Paulo:  Saraiva,  2010.        GORDON,  Ian.  Marke6ng  de  relacionamento:  estratégias,  técnicas  e  tecnologias  para  conquistar  clientes  e  mantê-­‐los  para  sempre.  São  Paulo:  Futura,  1998.      IWANKIW,  Rogério  Fabian.  Marke6ng  de  relacionamento:  Case  Plaenge.  Disponível  em:  <h9p://img255.imageshack.us/img255/3104/mktderelacionamentocicljn5.jpg>.  Acesso  em:  10  nov.  2011.    KOTLER,  Philip.    Administração  de  marke6ng:  análise,  planejamento,  implementação  e  controle.  5.  ed.  São  Paulo:  Atlas,  1998.      KOTLER,  Philip.  Administração  de  marke6ng:  a  edição  do  novo  milênio.  10.  ed.  São  Paulo:  Pearson  Pren>ce  Hall,  2000.            
  18. 18. Re ferênciasKOTLER,  Philip.  Marke6ng.  ed.  compacta.  São  Paulo:  Atlas,  1996.          KOTLER,  Philip;  ARMSTRONG,  Gary.  Introdução  ao  marke6ng.  4.  ed.  Rio  de  Janeiro:  LTC,  2000.      LAS  CASAS,  Alexandre  Luzzi.  Marke6ng:  conceitos,  exercícios,  casos.  4.  ed.  São  Paulo:  Atlas,  1997.        MAIA,  Daiany.  Rede  Social  segundo  Augusto  de  Franco  e  outros  gigantes.  Disponível  em:  <  h9p://paposnarede.com.br/2011/10/06/rede-­‐social-­‐segundo-­‐augusto-­‐de-­‐franco-­‐e-­‐outros-­‐gigantes/  >  Acesso  em:  27  nov.  2011.      MATTAR,  Fauze  Najib.  Pesquisa  de  marke6ng:  metodologia,  planejamento,  execução  e  análise.  2a.  ed.  São  Paulo:  Atlas,  1994.    MONTALVÃO,  Alberto.  A  psicologia  do  êxito.  4.  ed.  São  Paulo:  Egéria,  1977.          
  19. 19. Re ferênciasMORAES,  Marcia  Oliveira.  O  conceito  de  rede  na  filosofia  mes6ça.  Revista  Informare,      v.     6,  n.  1,  2000.      MUELLER,  Alessandro.  Uma  aplicação  de  redes  neurais  ar6ficiais  na  previsão  do  mercado  acionário.  Disponível  em:  <h9p://www.eps.ufsc.br/disserta96/mueller/index/index.htm#sumario>.  Acesso  em  12  fev.  2012.      NÓBREGA,  Moacir.  Marke6ng.  Disponível  em:  <h9p://pt.wikipedia.org/wiki/Marke>ng>.  Acesso  em  16  fev.  2012.    QRBCN  Project.  Disponível  em  <h9p://qrbcn.com/document.pdf>.  Acesso  em:  01  fev.  2012.      PARASURAMAN,  A.  Marke6ng  research.  2.  ed.  Addison  WesleyPublishing  Company,  1991.                  
  20. 20. Re ferênciasSAVATER,  Fernando.  As  perguntas  da  Vida.  Portugal,  Lisboa:  Dom  Quixote,  2000.        SEMINÁRIOS  EM  ADMINISTRAÇÃO.  VII  SEMEAD,  10  e  11  de  agosto  de  2004.  São  Paulo.  Marke6ng  de  relacionamento:  reflexões  a  par>r  da  experiência  de  gestão  no  contexto  de  micro  e  pequenas  empresas.  São  Paulo:  EAD  USP,  2004.      SERRANO,  Daniel  Por>llo.  O  que  é  Marke6ng.  Disponível  em:  <h9p://www.portaldomarke>ng.com.br/Ar>gos/O_que_e_marke>ng.htm>.  Acesso  em  21  fev.  2012.      TORRES,  Claudio.  A  bíblia  do  marke6ng  digital:  tudo  o  que  você  queria  saber  sobre  marke>ng  e  publicidade  na  internet  e  não  >nha  a  quem  perguntar.  São  Paulo:  Novatec  Editora,  2009.      ZENONE,  Luiz  Claudio.  Customer  Rela6onship  Management  (CRM)  –  Conceitos  e  Estratégias:  Mudando  a  estratégia  sem  comprometer  o  negócio.  São  Paulo:  Atlas,  2001.  
  21. 21. Muito obrigado! / ‫ / !ﺃأﻭوﺏبﺭرﻱيﻍغﺍاﺩدﻭو‬Çox sağ olun / Eskerrik asko / Вялікае дзякуй / Многоблагодаря / Moltes gràcies / 非常感谢你 / 非常感謝你 / 정말 감사합니다 / Mèsi anpil /Hvala vam puno / Mange tak / Ďakujem moc / Najlepša hvala / Muchas gracias / Tänanväga / Paljon kiitoksia / Merci beaucoup / Moitas grazas / Diolch yn fawr / !"!"#$!%&$ / Σας ευχαριστώ πολύ / ‫ / ודה רבה‬आपको ब&त ब&त ध)यवाद / Heel erg bedankt /Köszönöm szépen / Terima kasih banyak / Raibh míle maith agat / Muito obrigado! /Þakka þú mjög mikill / Grazie mille / どうもありがとう / Optime / Ļoti pateicos / Labai ačiū /Ви благодарам многу / Terima kasih banyak / Muito obrigado! / Grazzi ħafna / Tusentakk / ‫ / ﺍاﺯز ﺵشﻡمﺍا ﺏبﺱسﯼیﺍاﺭر ﺱسﭖپﺍاﺱسﮒگﺯزﺍاﺭرﻡم‬Dziękuję bardzo / Mulţumesc mult / Большое спасибо /Хвала вам врло много / Asante san / Tack så mycket / Maraming lamat sa inyo /ขอบคุณมาก / Děkuji moc / Çok teşekkür ederim / Велике спасибі / ‫ﺁآﭖپ ﮎکﺍا ﺏبﮧہﺕت ﺏبﮧہﺕت‬ MUITO OBRIGADO!‫ / ﺵشﮎکﺭرﯼیﮧہ‬Cảm ơn bạn rất nhiều / ‫ / דאַנקען דיר זייער פיל‬Thank you very much! / Thankyou! / Vielen Dank! / ‫ /!ﺵشﻙكﺭرﺍا ﻝلﻙك‬Muito obrigado! / ‫ / !ﺃأﻭوﺏبﺭرﻱيﻍغﺍاﺩدﻭو‬Çox sağ olun / Eskerrikasko / Вялікае дзякуй / Много благодаря / Moltes gràcies / 非常感谢你 / 非常感謝你 /정말 감사합니다 / Mèsi anpil / Hvala vam puno / Mange tak / Ďakujem moc / Najlepšahvala / Muito obrigado! / Muchas gracias / Tänan väga / Paljon kiitoksia / Mercibeaucoup / Moitas grazas / Diolch yn fawr / !"!" #$!%&$ / Σας ευχαριστώ πολύ /‫ / תודה רבה‬आपको ब&त ब&त ध)यवाद / Heel erg bedankt / Köszönöm szépen / Terima kasihbanyak / Raibh míle maith agat / Þakka þú mjög mikill / Grazie mille / どうもありがとう /Optime / Muito obrigado! / Loti pateicos / Labai ačiū / Ви благодарам многу / Terimakasih banyak / Grazzi ħafna / Tusen takk / ‫ / ﺍاﺯز ﺵشﻡمﺍا ﺏبﺱسﯼیﺍاﺭر ﺱسﭖپﺍاﺱسﮒگﺯزﺍاﺭرﻡم‬Dziękuję bardzo /Mulţumesc mult / Большое спасибо / Хвала вам врло много / Asante san / Великеспасибі / ‫ / ﺁآﭖپ ﮎکﺍا ﺏبﮧہﺕت ﺏبﮧہﺕت ﺵشﮎکﺭرﯼیﮧہ‬Cảm ơn bạn rất nhiều / Thank you very much! / Thankyou! / Vielen Dank! / ‫ / !ﺵشﻙكﺭرﺍا ﻝلﻙك‬Muito obrigado! / ‫ / !ﺃأﻭوﺏبﺭرﻱيﻍغﺍاﺩدﻭو‬Çox sağ olun / Eskerrikasko / Вялікае дзякуй / Много благодаря / Optime / Moltes gràcies / Muito obrigado!

×