COTIP
Colégio Técnico Industrial de Piracicaba
APOSTILA 3 C.L.P. – LOGO!
Prof. Anderson Rodrigo Rossi
OBS.: Este curso ser...
COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA
C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE
2
7 – FUNÇÕES ESPEC...
COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA
C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE
3
As FUNÇÕES ESPECI...
COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA
C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE
4
Retardamento de C...
COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA
C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE
5
Interruptor de Ho...
COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA
C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE
6
As FUNÇÕES ESPECI...
COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA
C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE
7
As FUNÇÕES ESPECI...
COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA
C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE
8
As FUNÇÕES ESPECI...
COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA
C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE
9
QUESTÕES
1º) Funç...
COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA
C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE
10
5º) Funções Espe...
COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA
C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE
11
8 – Programas co...
COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA
C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE
12
A seqüência de a...
COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA
C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE
13
Resumo das Funçõ...
COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA
C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE
14
BIBLIOGRAFIA
CAP...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apostila3 clp logo

442 visualizações

Publicada em

CLP LOGO SIEMENS

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
442
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila3 clp logo

  1. 1. COTIP Colégio Técnico Industrial de Piracicaba APOSTILA 3 C.L.P. – LOGO! Prof. Anderson Rodrigo Rossi OBS.: Este curso será baseado em CLP – LOGO!-SIEMENS. Piracicaba, 26 de janeiro de 2009.
  2. 2. COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE 2 7 – FUNÇÕES ESPECIAIS Com relação às FUNÇÕES ESPECIAIS, elas podem ser caracterizadas como retenção, temporização, contagem, freqüência e miscelâneas. As FUNÇÕES ESPECIAIS - RETENÇÃO são: Relé de Automanutenção: Se a entrada S for colocada em 1 à saída ficará em 1, se a entrada R for colocada em 1 à saída ficará em 0 e se ambas estiverem em 1 a saída ficará em 0 (R tem prioridade em relação a S). Relé de Impulso de Corrente: Tanto para setar como para ressetar a saída Q, deve-se realizar impulsos na entrada Trg. Cada vez que Trg comutar de 0 para 1, a saída Q mudará seu estado. A entrada R ressetará a saída Q.
  3. 3. COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE 3 As FUNÇÕES ESPECIAIS – TEMPORIZAÇÃO são: Retardamento de Conexão: Quando a entrada Trg vai de 0 para 1, o Ta (tempo atual) começará a correr. Se o estado na entrada Trg permanecer longo o suficiente em 1, depois do transcurso do tempo T a saída será setada em 1. Se o estado na entrada Trg mudar antes do transcurso do tempo novamente para 0, o tempo será resetado novamente. A saída será setada novamente em 0, se houver o estado 0 na entrada Trg. Retardamento de Desconexão: Quando a entrada Trg vai de 1 para 0, será dado partida Ta, a saída contudo permanecerá setada. Se Ta através de T atingir o valor ajustado (Ta=T), a saída Q será resetada para o estado 0. Se a entrada Trg acionar e desacionar novamente, será dado novamente partida ao tempo Ta. A entrada R (reset) coloca o Ta e a saída na posição inicial.
  4. 4. COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE 4 Retardamento de Conexão a ser Memorizado: Quando a entrada Trg alterar de 0 para 1, o tempo atual Ta começará a correr. Quando Ta = T, a saída Q será setada em 1. Um acionamento novo na entrada Trg não irá influenciar Ta. A saída e o tempo Ta serão resetados agora novamente para 0, se a entrada R for para 1. Retardamento de Conexão e Desconexão: Quando a entrada Trg alterar de 0 para 1, o tempo Ta se iniciará, se o estado permanecer na entrada Trg em 1 durante TH, a saída será setada em 1. Se o estado na entrada mudar novamente para 0, o Ta começará a transcorrer, se o estado permanecer em 0 durante TL, a saída será setada em 0. Relé de Contato Passageiro: Se a entrada Trg for de 0 para 1, a saída Q irá para 1 imediatamente e o tempo Ta começará a correr, quando Ta = T, a saída Q será ressetada. Se antes do tempo T a entrada Trg mudar de 1 para 0, a saída também irá a 0. Relé de Contato Passageiro Gatilhado por Flanco: Quando a entrada Trg ir de 0 para 1, a saída Q irá para 1 e o tempo Ta se iniciará. Se Ta = T, a saída Q irá para 0. Se a entrada Trg for de 0 para 1 antes do tempo Ta = T, então o tempo Ta será ressetado.
  5. 5. COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE 5 Interruptor de Hora para Semana: Cada interruptor de tempo para semana possui três cames de ajuste por meio do qual pode-se parametrizar uma janela de tempo. Interruptor de Tempo para o Ano: Cada interruptor de tempo para o ano tem um tempo de acionamento e de desacionamento. Em uma determinada hora de acionamento o interruptor de tempo para o ano irá desacionar a saída. A data de desacionamento caracteriza o dia no qual a saída será novamente colocada em 0.
  6. 6. COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE 6 As FUNÇÕES ESPECIAIS –CONTAGEM são: As FUNÇÕES ESPECIAIS – FREQÜÊNCIA são: Contador Crescente e Decrescente: A cada borda de subida em Cnt o contador será aumentado em 1 (Dir = 0) ou diminuído em 1 (Dir = 1). Se o valor da contagem interna for igual ou maior do que o valor predeterminado, a saída Q será setada em 1. Com a entrada R pode- se colocar na posição inicial. Contador de Horas de Serviço: Enquanto En tiver o valor 1, LOGO! calculará o tempo transcorrido e o tempo restante MN. Se o tempo residual que tiver restado MN for igual a 0, a saída Q será setada para 1. Com R=1 resete a saída Q. Continuará a ser feita à contagem do contador interno OT. Com Ral=1 resete a saída Q. O contador interno OT será colocado de volta em 0. Gerador de Impulsos Simétrico: Através do parâmetro T define quanto tempo deverá durar o tempo do acionamento e do desacionamento. Através da entrada En, acione o gerador de impulsos. O gerador de impulsos coloca para o tempo T a saída em 1, finalmente para o tempo T a saída em 0 etc., até que a En = 0. Gerador de Impulsos Assíncrono: Através do parâmetro TH e TL podem ser ajustados a duração do impulso e a pausa do impulso. A entrada INV permite uma inversão da saída. EM ativa o sistema.
  7. 7. COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE 7 As FUNÇÕES ESPECIAIS – ANALÓGICO são: Gerador de Sinal Aleatório: Se En = 1, será determinado um tempo entre 0 s e TH. Se En permanecer no mínimo pelo tempo de acionamento do tempo em 1, a saída será setada em 1. Se En = 0, será determinado um tempo entre 0s e TL. Se En permanecer no mínimo pelo tempo de duração do tempo de desacionamento em 0, a saída será setada em 0. Interruptor de Valor Limiar de Freqüência. Interruptor de Valor Limiar Analógico: A função faz a leitura do valor analógico AI1 ou AI2, ao qual o parâmetro Offset será adicionado ao seu valor e este valor será multiplicado por ampliação. Se este valor ultrapassar o limite de conexão Q será 1, se o valor ultrapassar o limite de desconexão Q será 0. Comparador Analógico.
  8. 8. COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE 8 As FUNÇÕES ESPECIAIS – MISCELÂNEAS são: Interruptor de Luz de Escada: Se Trg = 1, o tempo atual Ta começa a correr e a saída Q será 1. 15 s antes de Ta ter atingido o tempo T, a saída Q fica 1 s em 0. Atingindo Ta o tempo T, a saída Q será resetada em 0. Um novo conectar na entrada Trg durante o tempo no qual Ta corre, irá resetar Ta (possibilidade de regatilho). Atuador Confortável: Se Trg = 1, o tempo atual Ta começa a correr e a saída Q será 1. Se Ta atingir o tempo TH, a saída Q será 0. Se em Trg o estado 0 mudar para 1, e 1 no mínimo permanece setado para o tempo TL, será ativada a função de luz permanente e a saída Q será acionada para um tempo permanente. Um novo acionar na entrada Trg resetará TH e a saída Q será desacionada. Texto de Aviso: Se En = 1, será feito uma saída do texto de aviso parametrizado no monitor no modo run. Se o estado na entrada mudar para 0, o texto de aviso será ocultado. Se forem disparadas diversas funções de texto de aviso com En=1, a mensagem que tiver a maior prioridade será exibida.
  9. 9. COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE 9 QUESTÕES 1º) Funções Especiais – Retenção Senha Criar um programa que permita energizar a solenóide da tranca de um cofre se for pressionado quatro botões, sendo um de cada vez. A energização se dará, após pressionado o quarto botão, caso os mesmos tenham sido identificados. Motor Liga/Desliga Utilizando apenas um botão N.A. ligue e desligue um motor elétrico. 2º) Funções Especiais – Temporização Pisca-Pisca Desenvolver um pisca-pisca com controle de tempo diferente para ligar e desligar. Conforme: a) ligado 2 s, desligado 4 s; b) ligado 4 s, desligado 2 s; 3º) Funções Especiais – Contagem Rotação de Motor Desenvolva um programa para determinar, a partir de um encoder, a rotação de um motor (r.p.m.). Característica do encoder: 1 pulso por volta. Se a rotação for maior que 3.600 r.p.m., deve-se acionar um alarme. 4º) Funções Especiais – Freqüência Controle de Velocidade Um motor é alimentado por 3 contatores sendo cada um alimentado com as freqüências de 40 Hz, 60Hz e 80Hz. Faça o programa do sistema. Obs.: após os contatores, existe um dispositivo de conversão de onda quadrada para senóide automaticamente. Medição de Velocidade Um motor possui um sensor que verifica uma roda que emite um sinal a cada volta. Faça o programa que detecte se o motor está abaixo de 1500rpm ou acima de 1700rpm.
  10. 10. COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE 10 5º) Funções Especiais – Analógicas Controle de Temperatura Desenvolva um programa para controlar uma bomba de resfriamento, tal que ela seja acionada quando a temperatura for maior ou igual a 500ºC e seja desligada quando a temperatura for menor ou igual a 300ºC. O sensor utilizado é um termopar com: • 4 – 20 mA; • 0 – 640 ºC. 6º) Funções Especiais – Miscelâneas a) Monte um programa que realize a iluminação de um andar em um prédio de maneira econômica. b) Monte um programa que ligue um motor e avise no painel do LOGO! quando o motor está ligado e quando o motor está desligado.
  11. 11. COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE 11 8 – Programas complexos (Exercícios) 1-Sistema de Partida Estrela-Triângulo Um motor trifásico deve ser acionado por meio de partida estrela-triângulo. Para isto são utilizados três contatores (acionamento geral, chaveamento estrela e chaveamento triângulo) e uma botoeira. Ao ser acionada a botoeira pela primeira vez, os contatores de acionamento geral e chaveamento estrela são acionados. Dois segundos após, apenas o contator de chaveamento estrela é desligado. Ao ser confirmado o desligamento do contator de chaveamento estrela, o contator de chaveamento triângulo é acionado. Os contatores de acionamento geral e chaveamento triângulo permanecem acionados. A qualquer instante, um novo acionamento da botoeira ocasiona o desligamento dos contatores acionados, retornando à condição inicial. 2-Portão Automático O acionamento de um portão deve ser realizado automaticamente. Por intermédio de uma única botoeira podem-se realizar a abertura e o fechamento total do portão, além de interromper tais movimentos a qualquer instante. Acoplado mecanicamente ao portão, um motor elétrico realiza os movimentos pela inversão do sentido de rotação. No primeiro acionamento da botoeira, inicia-se a abertura do portão. A parada da abertura se dá por meio de novo acionamento da botoeira (com o portão em movimento) ou pela abertura total do portão (acionamento do fim de curso 1). • Estando o portão totalmente aberto (fim de curso 1 acionado), ou tendo sido interrompida a abertura, pode-se acionar outra botoeira para o fechamento do portão. A parada do fechamento se dá por meio de novo acionamento da botoeira (com o portão em movimento) ou pelo fechamento total do portão (acionamento do fim de curso 2). Estando o portão totalmente fechado (fim de curso 2 acionado), ou tendo sido interrompido o fechamento, pode-se iniciar a abertura do portão. 3-Semáforo Um sistema de semáforo simples deve ser utilizado para controlar o fluxo de veículos no cruzamento de duas vias (A e B).
  12. 12. COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE 12 A seqüência de acionamento deve respeitar o tempo determinado para cada fase, conforme a Tabela 8.1. Fase Tempo (s) Semáforo A Semáforo B 1 30 Verde Vermelho 2 5 Amarelo Vermelho 3 2,5 Vermelho Vermelho 4 30 Vermelho Verde 5 5 Vermelho Amarelo 6 2,5 Vermelho Vermelho 4-Embalagem Uma esteira transportadora alimenta caixas de papelão com peças que saem de uma prensa. Um sensor detecta cada peça que passa pela esteira. Quando a passam 100 peças pela esteira, a mesma deve acionar o sistema de fechamento da caixa e o sistema de alimentação com nova caixa. Depois de realizado isso, deve-se religar a esteira. O funcionamento do sistema depende de um botão de liga e outro de desliga e de um sinal de que a prensa esteja funcionando. 5-Ônibus para Deficientes Físicos Um ônibus possui suspensão que se ajusta na altura da calçada através de um sensor (s_baixo) e um sensor que está localizado na sua altura de trabalho (s_alto). O mesmo também possui um sensor de porta fechada (porta) e um sensor para detectar se o ônibus está em movimento ou parado (giro). Dessa forma, quando o motorista desejar abrir a porta à mesma poderá ser aberta nas seguintes condições: -Ônibus parado e sensor s_baixo acionado OU -Botão de emergência pressionado. O ônibus também somente poderá voltar a se movimentar após a seguinte condição: -Sensor s_alto acionado e sensor de porta fechada.
  13. 13. COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE 13 Resumo das Funções Especiais (SF):
  14. 14. COTIP – COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE PIRACICABA C.L.P. – CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL - 5º SEMESTRE 14 BIBLIOGRAFIA CAPELLI, Alexandre. CLP Controladores Lógicos Programáveis na Prática. Rio de Janeiro: Antenna Edições Técnicas Ltda, 2007. GEORGINI, Marcelo. Automação Aplicada – Descrição e Implementação de Sistemas Seqüenciais com PLCs. 7 ed. São Paulo: Editora Érica, 2006. Manual de Instruções do LOGO! (SIEMENS). A5E00067788 01. Manual de Instruções do LOGO! Soft Comfort. Manual do Curso STEP 7 – SIEMENS (BASICS OF PLC). ORTEGA, José. Curso de Programación y mantenimiento de PLC´s industriales. PARR, E. A. Programmable Controllers An Engineering´s Guide. 3 Ed. Amsterdan: Newnes, 2003.

×