SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Lição 05
"Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não
vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe
o vosso coração, nem se atemorize." (Jo
14.27)
A paz, como fruto do Espírito,
não promove inimizades e
dissensões.
Efésios 2.11-17
11 Portanto, lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios
na carne, e chamados incircuncisão pelos que na carne se
chamam circuncisão feita pela mão dos homens;
12 Que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da
comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não
tendo esperança, e sem Deus no mundo.
13 Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já
pelo sangue de Cristo chegastes perto.
14 Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um;
e, derrubando a parede de separação que estava no meio,
15 Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos
mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si
mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz,
16 E pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo,
matando com ela as inimizades.
17 E, vindo, ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longe, e
aos que estavam perto;
Na lição de hoje, estudaremos a paz como fruto do Espírito e a
inimizade como fruto da carne. O homem guiado pela velha natureza
não pode sentir a paz que Jesus Cristo nos oferece. Essa paz não
depende de situações e circunstâncias. Mesmo vivendo em uma
sociedade violenta, podemos ter paz, pois a serenidade que temos
em nossos corações é fruto do Espírito, e não depende das
circunstâncias ou dos recursos financeiros (Gl 5.22).
1. Paz. Podemos definir paz como um estado de tranquilidade e
quietude interior que não depende de circunstâncias externas. No
grego, o vocábulo paz é eirene e refere-se à unidade e harmonia.
Vivemos em uma sociedade onde a violência tem feito muitas
vítimas e tirado a tranquilidade das pessoas, fazendo com que as
pessoas adoeçam.
Ultimamente, temos visto o
aumento da chamada
Síndrome do Pânico, ou seja,
um transtorno da ansiedade
que leva a um pavor
incontrolável, mesmo que não
haja nenhum perigo iminente.
A pessoa acometida por essa
enfermidade perde a
quietude. Quem está sendo
acometido por esse mal
precisa do acompanhamento
de um psiquiatra, terapia e o
carinho e a compreensão dos
familiares e da igreja.
2. Paz com Deus. Como podemos estar em paz com Deus? Só existe
uma maneira para estarmos em paz com o nosso Criador: mediante a
nossa justificação. A justificação ocorre quando nós, pela fé,
recebemos Jesus como nosso único e suficiente Salvador. Então,
somos declarados justos diante de Deus (Rm 5.1).
Quando recebemos Jesus, a inimizade que havia entre nós e Deus é
desfeita, somos reconciliados com o Pai e passamos a desfrutar de
plena paz e comunhão com Ele (2 Co 5.18-20). A nossa justificação, e
reconciliação e a paz com Deus somente são possíveis por meio da
morte e ressurreição de Jesus Cristo (Is 53.5; Ef 2,13-17).
3. Promotor da paz. O crente que já recebeu a paz de Deus, em seu
coração precisa partilhar dessa paz com todos os que estão aflitos,
tornando-se um embaixador da paz (2 Co 5.20). A paz concedida pelo
Espírito não é somente para o nosso bem-estar, mas também para o
bem do próximo. Não podemos nos esquecer que amar ao
semelhante é um mandamento do Pai (Mt 22.39)
Quem já experimentou a justificação e a reconciliação com Deus
torna-se um pacificador (Mt 5.9). Ele não vive em brigas e contendas,
não divide igrejas e não maltrata as pessoas. Isaque era um
verdadeiro pacificador, um homem de paz.
Mesmo sendo prejudicado
por seus vizinhos que
entulharam seus poços,
não brigou, mas procurou
a reconciliação
(Gn 26.19-25).
Os conflitos, seja na Igreja
ou fora dela, são resultado
da natureza adâmica, mas
os que vivem segundo o
Espírito já crucificaram a
sua carne e, agora,
procuram viver
pacificamente com todos
(Rm 12.18).
1. Três tipos de inimizades. No grego, a palavra inimizade é echthra.
Esse vocábulo serve para identificar três tipos de inimizade.
Vejamos: inimizade para com Deus (Rm 8.7), inimizade entre as
pessoas (Lc 23.12) e hostilidade entre grupos e pessoas (Ef 2.14-16).
Em Gaiatas, Paulo apresenta a inimizade, as contendas e as disputas
como obras da carne (Gl 5.20)
2. Inimizade e soberba. A inimizade, em geral é resultado da soberba.
Por isso, o Senhor abomina o coração altivo (Pv 6.16,17). Quando o
crente começa acreditar que é superior aos outros, ele torna-se um
"semeador" de inimizades e contendas.
Na Igreja de Cristo, todos são servos, independente de seus dons e
talentos, Paulo mostra que em Jesus Cristo todos são iguais: "Nisto
não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem
fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus" (Gl 3.28).
As inimizades e segregações são um "produto" da carne, de uma
natureza pecaminosa. Deus proíbe a acepção de pessoas e toda a
sorte de inimizades. Logo, os que promovem tais ações não podem
agradar a Deus (At 10.34; Tg 2.8,9). O crente que assim age é carnal e
precisa arrepender-se dos seus pecados (1Co 3.3).
3. Inimizade e facção. As inimizades, muitas vezes, acabam gerando
na igreja as facções e divisões. Muitos, não se contentam em não se
relacionar bem com as pessoas e acabam fazendo com que os outros
também não tenham comunhão entre si.
Na igreja de Corinto, os
irmãos começaram a se
dividir e formar partidos
em torno de Paulo,
Apoio e Cefas. Uns
diziam que pertenciam
a Paulo, enquanto
outros a Apoio
(1Co 1.12). Paulo dá fim
à discussão e às
inimizades perguntando
aos irmãos: "Está Cristo
dividido? Foi Paulo
crucificado por vós?"
(1Co 1.13).
O apóstolo exorta-os para o fato de que pertencemos unicamente a
Cristo. E se pertencemos a Ele não podemos aceitar as
inimizades e as facções.
A inimizade é obra da carne e
seu alvo é destruir a unidade
na Igreja do Senhor, mas o
crente que tem o fruto do
Espírito busca o bem de todos,
procurando manter o vínculo
da perfeição, estendendo as
mãos para ajudar e tratando a
todos com amor e respeito (Cl
3.13,14). Que você como Filho
de Deus possa se revestir de
entranhas de misericórdia e
de benignidade como
recomenda as Escrituras
Sagradas (Cl 3.12).
1. O favor divino. Paulo exorta os gentios para que sejam sempre
gratos a Deus, pois eram zambujeiros e foram enxertados na
oliveira (Rm 11.17). Aos judeus, ele pede que não se esqueçam de
que foram colocados por Deus no mundo para
abençoar as outras nações {Gn 12.3).
O apóstolo estava mostrando que, em Cristo, gentios e judeus são
iguais, por isso, devem viver em paz e unidade. Vivamos em paz com
todos e jamais venhamos a nos esquecer de que fomos alcançados
pela graça divina, pois é esse favor divino que nos leva a amar o
próximo e a viver em paz e união (SI 133.1).
2. A cruz de Cristo. A cruz é um dos símbolos mais conhecidos do
cristianismo, pois, mediante a fé no sacrifício de Jesus, somos
reconciliados com Deus. Se Cristo não morresse na cruz pelos nossos
pecados estaríamos para sempre separados da presença Deus; não
deixaríamos de ser inimigos dEle.
Jesus morreu na cruz por amor a nós e mesmo diante de uma morte
tão cruel. Ele não abriu a sua boca para reclamar ou dizer palavras
ofensivas aos seus algozes (Is 53.7; Jo 3.16).
Jesus permaneceu quieto durante seu julgamento e castigo. Ele
demonstrou ter paz e equilíbrio emocional mesmo vivendo uma
situação tão terrível. Ele sabia o porquê de sua missão e que o seu
sacrifício era necessário para que pudéssemos
nos reconciliar com Deus.
3- A nossa missão. Jesus veio ao mundo com uma missão, morrer na
cruz pelos nossos pecados. Ao ascender aos céus. Ele também nos
deu uma missão (Mt 28.19,20). Para darmos cumprimento a essa
missão, precisamos viver em paz com todos. Anunciemos ao mundo
que somente Jesus pode nos dar a verdadeira paz, pois Ele é o
Príncipe da Paz (Is 9.6)
A paz de que tratamos nesta lição é fruto do Espírito. Mesmo em
meio às adversidades, podemos ter paz, pois é uma quietude interior
que vem de Deus. Que você possa ser um pregoeiro da paz de Cristo,
seja na Igreja ou fora dela.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ebd 1° trimestre 2017 lição 4 Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...
Ebd 1° trimestre 2017 lição 4  Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...Ebd 1° trimestre 2017 lição 4  Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...
Ebd 1° trimestre 2017 lição 4 Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1 as obras da carne e o fruto do espírito
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1  as obras da carne e o fruto do espíritoEbd 1 trimestre 2017 lição 1  as obras da carne e o fruto do espírito
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1 as obras da carne e o fruto do espíritoGIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Ebd 1° trimestre 2017 lição 8 a bondade que confere a vida.
Ebd  1° trimestre 2017 lição 8 a bondade que confere a vida.Ebd  1° trimestre 2017 lição 8 a bondade que confere a vida.
Ebd 1° trimestre 2017 lição 8 a bondade que confere a vida.GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
As obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do EspíritoAs obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do EspíritoJoselito Machado
 
Os Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneOs Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneMárcio Martins
 
Estudo sobre o fruto do espírito
Estudo sobre o fruto do espíritoEstudo sobre o fruto do espírito
Estudo sobre o fruto do espíritoReginaldo Pacheco
 
O Propósito do Fruto do Espirito
O Propósito do Fruto do EspiritoO Propósito do Fruto do Espirito
O Propósito do Fruto do EspiritoMárcio Martins
 
As Obras da Carne e o Fruto do Espirito
As Obras da Carne e o Fruto do EspiritoAs Obras da Carne e o Fruto do Espirito
As Obras da Carne e o Fruto do EspiritoMárcio Martins
 
Fidelidade Firmes na Fé.
Fidelidade Firmes na Fé.Fidelidade Firmes na Fé.
Fidelidade Firmes na Fé.Márcio Martins
 
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfiasLBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfiasNatalino das Neves Neves
 
Lição 8 - A Bondade que Confere Vida
Lição 8 - A Bondade que Confere VidaLição 8 - A Bondade que Confere Vida
Lição 8 - A Bondade que Confere VidaErberson Pinheiro
 
LBA Lição 8 - A bondade que confere vida
LBA Lição 8 - A bondade que confere vidaLBA Lição 8 - A bondade que confere vida
LBA Lição 8 - A bondade que confere vidaNatalino das Neves Neves
 
O Fruto do Espírito
O Fruto do EspíritoO Fruto do Espírito
O Fruto do Espíritofsouza40
 
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha NaturezaLição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha NaturezaErberson Pinheiro
 
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Ebd 1° trimestre 2017 lição 7 Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...
Ebd  1° trimestre 2017 lição 7  Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...Ebd  1° trimestre 2017 lição 7  Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...
Ebd 1° trimestre 2017 lição 7 Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos OliveiraA Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos OliveiraLuis Carlos Oliveira
 
Estudo sobre anatureza humana
Estudo sobre anatureza humanaEstudo sobre anatureza humana
Estudo sobre anatureza humanaManaus Anúncios
 
O fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristãoO fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristãoEduardo Sousa Gomes
 

Mais procurados (20)

Fruto do espirito
Fruto do espiritoFruto do espirito
Fruto do espirito
 
Ebd 1° trimestre 2017 lição 4 Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...
Ebd 1° trimestre 2017 lição 4  Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...Ebd 1° trimestre 2017 lição 4  Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...
Ebd 1° trimestre 2017 lição 4 Alegria, fruto do espírito; inveja hábito da v...
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1 as obras da carne e o fruto do espírito
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1  as obras da carne e o fruto do espíritoEbd 1 trimestre 2017 lição 1  as obras da carne e o fruto do espírito
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1 as obras da carne e o fruto do espírito
 
Ebd 1° trimestre 2017 lição 8 a bondade que confere a vida.
Ebd  1° trimestre 2017 lição 8 a bondade que confere a vida.Ebd  1° trimestre 2017 lição 8 a bondade que confere a vida.
Ebd 1° trimestre 2017 lição 8 a bondade que confere a vida.
 
As obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do EspíritoAs obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do Espírito
 
Os Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneOs Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da Carne
 
Estudo sobre o fruto do espírito
Estudo sobre o fruto do espíritoEstudo sobre o fruto do espírito
Estudo sobre o fruto do espírito
 
O Propósito do Fruto do Espirito
O Propósito do Fruto do EspiritoO Propósito do Fruto do Espirito
O Propósito do Fruto do Espirito
 
As Obras da Carne e o Fruto do Espirito
As Obras da Carne e o Fruto do EspiritoAs Obras da Carne e o Fruto do Espirito
As Obras da Carne e o Fruto do Espirito
 
Fidelidade Firmes na Fé.
Fidelidade Firmes na Fé.Fidelidade Firmes na Fé.
Fidelidade Firmes na Fé.
 
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfiasLBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
 
Lição 8 - A Bondade que Confere Vida
Lição 8 - A Bondade que Confere VidaLição 8 - A Bondade que Confere Vida
Lição 8 - A Bondade que Confere Vida
 
LBA Lição 8 - A bondade que confere vida
LBA Lição 8 - A bondade que confere vidaLBA Lição 8 - A bondade que confere vida
LBA Lição 8 - A bondade que confere vida
 
O Fruto do Espírito
O Fruto do EspíritoO Fruto do Espírito
O Fruto do Espírito
 
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha NaturezaLição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
 
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
 
Ebd 1° trimestre 2017 lição 7 Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...
Ebd  1° trimestre 2017 lição 7  Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...Ebd  1° trimestre 2017 lição 7  Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...
Ebd 1° trimestre 2017 lição 7 Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...
 
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos OliveiraA Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
 
Estudo sobre anatureza humana
Estudo sobre anatureza humanaEstudo sobre anatureza humana
Estudo sobre anatureza humana
 
O fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristãoO fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristão
 

Semelhante a Paz de Deus: Antídoto Contra as Inimizades.

Lição 05- Paz de Deus: Antidoto Contra as Inimizades
Lição 05- Paz de Deus: Antidoto Contra as InimizadesLição 05- Paz de Deus: Antidoto Contra as Inimizades
Lição 05- Paz de Deus: Antidoto Contra as InimizadesDaniel Felipe Kroth
 
Lição 04 - Pela fé temos paz com Deus
Lição 04 - Pela fé temos paz com DeusLição 04 - Pela fé temos paz com Deus
Lição 04 - Pela fé temos paz com DeusMárcio Pereira
 
Book cristo aquele-que-cura
Book cristo aquele-que-curaBook cristo aquele-que-cura
Book cristo aquele-que-curatadslideshare
 
Módulo serviço – apostila 2
Módulo serviço – apostila 2  Módulo serviço – apostila 2
Módulo serviço – apostila 2 Cassio Felipe
 
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptxebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptxKARINEVONEYVIEIRABAR
 
Lição 13 – a atualidade dos últimos conselhos de tiago subsídios
Lição 13 – a atualidade dos últimos conselhos de tiago   subsídiosLição 13 – a atualidade dos últimos conselhos de tiago   subsídios
Lição 13 – a atualidade dos últimos conselhos de tiago subsídiosLuis Carlos Oliveira
 
A Epistola de Tiago
A Epistola de TiagoA Epistola de Tiago
A Epistola de TiagoUEPB
 
O poder de uma aliança power point
O poder de uma aliança   power pointO poder de uma aliança   power point
O poder de uma aliança power pointVilson Melo
 
ebd-2o-trimestre-2018-licao-13-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-13-jovens.pptxebd-2o-trimestre-2018-licao-13-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-13-jovens.pptxKARINEVONEYVIEIRABAR
 
Colossenses - Cap. 01 parte 04
Colossenses - Cap. 01 parte 04Colossenses - Cap. 01 parte 04
Colossenses - Cap. 01 parte 04Daniel M Junior
 
Estudo Bíblico - Derrubando Gigantes Espirituais- parte 1.pdf
Estudo Bíblico  - Derrubando Gigantes Espirituais- parte 1.pdfEstudo Bíblico  - Derrubando Gigantes Espirituais- parte 1.pdf
Estudo Bíblico - Derrubando Gigantes Espirituais- parte 1.pdfDannyBlack9
 
Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Joel Silva
 
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deusLição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deusErberson Pinheiro
 

Semelhante a Paz de Deus: Antídoto Contra as Inimizades. (20)

Lição 05- Paz de Deus: Antidoto Contra as Inimizades
Lição 05- Paz de Deus: Antidoto Contra as InimizadesLição 05- Paz de Deus: Antidoto Contra as Inimizades
Lição 05- Paz de Deus: Antidoto Contra as Inimizades
 
Lição 05 Adulto 1 trimestre 2017
Lição 05 Adulto 1 trimestre 2017 Lição 05 Adulto 1 trimestre 2017
Lição 05 Adulto 1 trimestre 2017
 
Lição 04 - Pela fé temos paz com Deus
Lição 04 - Pela fé temos paz com DeusLição 04 - Pela fé temos paz com Deus
Lição 04 - Pela fé temos paz com Deus
 
Book cristo aquele-que-cura
Book cristo aquele-que-curaBook cristo aquele-que-cura
Book cristo aquele-que-cura
 
PERDÃO.pptx
PERDÃO.pptxPERDÃO.pptx
PERDÃO.pptx
 
Módulo serviço – apostila 2
Módulo serviço – apostila 2  Módulo serviço – apostila 2
Módulo serviço – apostila 2
 
Aula 5 - Paz de DEUS - Antídoto contra as Inimizades
Aula 5 - Paz de DEUS - Antídoto contra as InimizadesAula 5 - Paz de DEUS - Antídoto contra as Inimizades
Aula 5 - Paz de DEUS - Antídoto contra as Inimizades
 
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptxebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
 
Lição 13 – a atualidade dos últimos conselhos de tiago subsídios
Lição 13 – a atualidade dos últimos conselhos de tiago   subsídiosLição 13 – a atualidade dos últimos conselhos de tiago   subsídios
Lição 13 – a atualidade dos últimos conselhos de tiago subsídios
 
Lição12
Lição12Lição12
Lição12
 
A Epistola de Tiago
A Epistola de TiagoA Epistola de Tiago
A Epistola de Tiago
 
O poder de uma aliança power point
O poder de uma aliança   power pointO poder de uma aliança   power point
O poder de uma aliança power point
 
Vida cristã
Vida cristãVida cristã
Vida cristã
 
ebd-2o-trimestre-2018-licao-13-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-13-jovens.pptxebd-2o-trimestre-2018-licao-13-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-13-jovens.pptx
 
Colossenses - Cap. 01 parte 04
Colossenses - Cap. 01 parte 04Colossenses - Cap. 01 parte 04
Colossenses - Cap. 01 parte 04
 
Estudo Bíblico - Derrubando Gigantes Espirituais- parte 1.pdf
Estudo Bíblico  - Derrubando Gigantes Espirituais- parte 1.pdfEstudo Bíblico  - Derrubando Gigantes Espirituais- parte 1.pdf
Estudo Bíblico - Derrubando Gigantes Espirituais- parte 1.pdf
 
008 corintios 2º
008 corintios 2º008 corintios 2º
008 corintios 2º
 
Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)
 
Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)
 
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deusLição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
 

Mais de Márcio Martins

Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.Márcio Martins
 
Salvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre ArbítrioSalvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre ArbítrioMárcio Martins
 
A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.Márcio Martins
 
A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.Márcio Martins
 
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.Márcio Martins
 
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.Márcio Martins
 
A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.Márcio Martins
 
A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.Márcio Martins
 
Uma Promessa de Salvação.
 Uma Promessa de Salvação. Uma Promessa de Salvação.
Uma Promessa de Salvação.Márcio Martins
 
Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.Márcio Martins
 
A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.Márcio Martins
 
As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.Márcio Martins
 
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.Márcio Martins
 
A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.Márcio Martins
 
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
 A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus. A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.Márcio Martins
 
A identidade do Espírito Santo.
A identidade do Espírito Santo.A identidade do Espírito Santo.
A identidade do Espírito Santo.Márcio Martins
 
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.Márcio Martins
 
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.Márcio Martins
 

Mais de Márcio Martins (20)

Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.
 
Salvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre ArbítrioSalvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre Arbítrio
 
A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.
 
A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.
 
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
 
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
 
A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.
 
A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.
 
Uma Promessa de Salvação.
 Uma Promessa de Salvação. Uma Promessa de Salvação.
Uma Promessa de Salvação.
 
Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.
 
O Mundo Vindouro.
O Mundo Vindouro.O Mundo Vindouro.
O Mundo Vindouro.
 
A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.
 
As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.
 
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
 
A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.
 
A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.
 
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
 A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus. A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
 
A identidade do Espírito Santo.
A identidade do Espírito Santo.A identidade do Espírito Santo.
A identidade do Espírito Santo.
 
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
 
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
 

Último

Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfFrancisco Baptista
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Nilson Almeida
 
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Fraternitas Movimento
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxManoel Candido Pires Junior
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfDaddizinhaRodrigues
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 

Último (7)

Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 

Paz de Deus: Antídoto Contra as Inimizades.

  • 2. "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize." (Jo 14.27)
  • 3. A paz, como fruto do Espírito, não promove inimizades e dissensões.
  • 4. Efésios 2.11-17 11 Portanto, lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios na carne, e chamados incircuncisão pelos que na carne se chamam circuncisão feita pela mão dos homens; 12 Que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo. 13 Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. 14 Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio,
  • 5. 15 Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, 16 E pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades. 17 E, vindo, ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longe, e aos que estavam perto;
  • 6. Na lição de hoje, estudaremos a paz como fruto do Espírito e a inimizade como fruto da carne. O homem guiado pela velha natureza não pode sentir a paz que Jesus Cristo nos oferece. Essa paz não depende de situações e circunstâncias. Mesmo vivendo em uma sociedade violenta, podemos ter paz, pois a serenidade que temos em nossos corações é fruto do Espírito, e não depende das circunstâncias ou dos recursos financeiros (Gl 5.22).
  • 7. 1. Paz. Podemos definir paz como um estado de tranquilidade e quietude interior que não depende de circunstâncias externas. No grego, o vocábulo paz é eirene e refere-se à unidade e harmonia.
  • 8. Vivemos em uma sociedade onde a violência tem feito muitas vítimas e tirado a tranquilidade das pessoas, fazendo com que as pessoas adoeçam.
  • 9. Ultimamente, temos visto o aumento da chamada Síndrome do Pânico, ou seja, um transtorno da ansiedade que leva a um pavor incontrolável, mesmo que não haja nenhum perigo iminente. A pessoa acometida por essa enfermidade perde a quietude. Quem está sendo acometido por esse mal precisa do acompanhamento de um psiquiatra, terapia e o carinho e a compreensão dos familiares e da igreja.
  • 10. 2. Paz com Deus. Como podemos estar em paz com Deus? Só existe uma maneira para estarmos em paz com o nosso Criador: mediante a nossa justificação. A justificação ocorre quando nós, pela fé, recebemos Jesus como nosso único e suficiente Salvador. Então, somos declarados justos diante de Deus (Rm 5.1).
  • 11. Quando recebemos Jesus, a inimizade que havia entre nós e Deus é desfeita, somos reconciliados com o Pai e passamos a desfrutar de plena paz e comunhão com Ele (2 Co 5.18-20). A nossa justificação, e reconciliação e a paz com Deus somente são possíveis por meio da morte e ressurreição de Jesus Cristo (Is 53.5; Ef 2,13-17).
  • 12. 3. Promotor da paz. O crente que já recebeu a paz de Deus, em seu coração precisa partilhar dessa paz com todos os que estão aflitos, tornando-se um embaixador da paz (2 Co 5.20). A paz concedida pelo Espírito não é somente para o nosso bem-estar, mas também para o bem do próximo. Não podemos nos esquecer que amar ao semelhante é um mandamento do Pai (Mt 22.39)
  • 13. Quem já experimentou a justificação e a reconciliação com Deus torna-se um pacificador (Mt 5.9). Ele não vive em brigas e contendas, não divide igrejas e não maltrata as pessoas. Isaque era um verdadeiro pacificador, um homem de paz.
  • 14. Mesmo sendo prejudicado por seus vizinhos que entulharam seus poços, não brigou, mas procurou a reconciliação (Gn 26.19-25). Os conflitos, seja na Igreja ou fora dela, são resultado da natureza adâmica, mas os que vivem segundo o Espírito já crucificaram a sua carne e, agora, procuram viver pacificamente com todos (Rm 12.18).
  • 15. 1. Três tipos de inimizades. No grego, a palavra inimizade é echthra. Esse vocábulo serve para identificar três tipos de inimizade. Vejamos: inimizade para com Deus (Rm 8.7), inimizade entre as pessoas (Lc 23.12) e hostilidade entre grupos e pessoas (Ef 2.14-16). Em Gaiatas, Paulo apresenta a inimizade, as contendas e as disputas como obras da carne (Gl 5.20)
  • 16. 2. Inimizade e soberba. A inimizade, em geral é resultado da soberba. Por isso, o Senhor abomina o coração altivo (Pv 6.16,17). Quando o crente começa acreditar que é superior aos outros, ele torna-se um "semeador" de inimizades e contendas.
  • 17. Na Igreja de Cristo, todos são servos, independente de seus dons e talentos, Paulo mostra que em Jesus Cristo todos são iguais: "Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus" (Gl 3.28).
  • 18. As inimizades e segregações são um "produto" da carne, de uma natureza pecaminosa. Deus proíbe a acepção de pessoas e toda a sorte de inimizades. Logo, os que promovem tais ações não podem agradar a Deus (At 10.34; Tg 2.8,9). O crente que assim age é carnal e precisa arrepender-se dos seus pecados (1Co 3.3).
  • 19. 3. Inimizade e facção. As inimizades, muitas vezes, acabam gerando na igreja as facções e divisões. Muitos, não se contentam em não se relacionar bem com as pessoas e acabam fazendo com que os outros também não tenham comunhão entre si.
  • 20. Na igreja de Corinto, os irmãos começaram a se dividir e formar partidos em torno de Paulo, Apoio e Cefas. Uns diziam que pertenciam a Paulo, enquanto outros a Apoio (1Co 1.12). Paulo dá fim à discussão e às inimizades perguntando aos irmãos: "Está Cristo dividido? Foi Paulo crucificado por vós?" (1Co 1.13).
  • 21. O apóstolo exorta-os para o fato de que pertencemos unicamente a Cristo. E se pertencemos a Ele não podemos aceitar as inimizades e as facções.
  • 22. A inimizade é obra da carne e seu alvo é destruir a unidade na Igreja do Senhor, mas o crente que tem o fruto do Espírito busca o bem de todos, procurando manter o vínculo da perfeição, estendendo as mãos para ajudar e tratando a todos com amor e respeito (Cl 3.13,14). Que você como Filho de Deus possa se revestir de entranhas de misericórdia e de benignidade como recomenda as Escrituras Sagradas (Cl 3.12).
  • 23. 1. O favor divino. Paulo exorta os gentios para que sejam sempre gratos a Deus, pois eram zambujeiros e foram enxertados na oliveira (Rm 11.17). Aos judeus, ele pede que não se esqueçam de que foram colocados por Deus no mundo para abençoar as outras nações {Gn 12.3).
  • 24. O apóstolo estava mostrando que, em Cristo, gentios e judeus são iguais, por isso, devem viver em paz e unidade. Vivamos em paz com todos e jamais venhamos a nos esquecer de que fomos alcançados pela graça divina, pois é esse favor divino que nos leva a amar o próximo e a viver em paz e união (SI 133.1).
  • 25. 2. A cruz de Cristo. A cruz é um dos símbolos mais conhecidos do cristianismo, pois, mediante a fé no sacrifício de Jesus, somos reconciliados com Deus. Se Cristo não morresse na cruz pelos nossos pecados estaríamos para sempre separados da presença Deus; não deixaríamos de ser inimigos dEle.
  • 26. Jesus morreu na cruz por amor a nós e mesmo diante de uma morte tão cruel. Ele não abriu a sua boca para reclamar ou dizer palavras ofensivas aos seus algozes (Is 53.7; Jo 3.16).
  • 27. Jesus permaneceu quieto durante seu julgamento e castigo. Ele demonstrou ter paz e equilíbrio emocional mesmo vivendo uma situação tão terrível. Ele sabia o porquê de sua missão e que o seu sacrifício era necessário para que pudéssemos nos reconciliar com Deus.
  • 28. 3- A nossa missão. Jesus veio ao mundo com uma missão, morrer na cruz pelos nossos pecados. Ao ascender aos céus. Ele também nos deu uma missão (Mt 28.19,20). Para darmos cumprimento a essa missão, precisamos viver em paz com todos. Anunciemos ao mundo que somente Jesus pode nos dar a verdadeira paz, pois Ele é o Príncipe da Paz (Is 9.6)
  • 29. A paz de que tratamos nesta lição é fruto do Espírito. Mesmo em meio às adversidades, podemos ter paz, pois é uma quietude interior que vem de Deus. Que você possa ser um pregoeiro da paz de Cristo, seja na Igreja ou fora dela.