SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
ENGENHARIA 
DE 
MÉTODOS 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 1
Balanceamento de Linhas de 
Produção e Montagem 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 2
Balanceamento de Linhas 
 A expressão “Balanceamento de Linhas” em uma 
indústria significa nivelar em relação a tempos, uma 
linha de produção ou montagem, dando a mesma carga 
de trabalho, às pessoas ou máquinas em um fluxo de 
produção. 
 O balanceamento anula os “gargalos” de produção, 
proporcionando o máximo de produtividade e eficiência, 
eliminando as “esperas” e mantendo o ritmo de trabalho 
do conjunto. 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 3
Balanceamento de Linhas 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 4 
 Finalidades: 
 Melhoria da produtividade e da eficiência; 
 Aumento da produção com a mesma ou menor 
quantidade de pessoas; 
 Melhoria do layout; 
 Aproveitamento máximo do homem e da máquina; 
 Manutenção de um ritmo cadenciado de trabalho;
Balanceamento de Linhas 
 Bases para cálculos: 
 Roteiro de fabricação ou montagem da peça ou 
produto; 
 Tempos padrões das operações; 
 Programa de produção por dia; 
 Tempo de trabalho por dia; 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 5
Linha de Produção 
 O que caracteriza uma linha de produção, possibilitando 
a análise com relação ao seu balanceamento, é a 
fabricação diária de um tipo de produto sendo produzido 
por várias máquinas. 
 Peculiaridades: 
 Predominância de tempos de máquina; 
 Menor mobilidade nas alterações do programa de 
produção; 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 6
Linha de Produção 
 Fatores que afetam o balanceamento correto de um 
fluxo de produção industrial: 
 Falta de controle da produção; 
 Baixa eficiência e produtividade; 
 Dimensionamentos incorretos da carga de mão-de-obra e 
da carga de máquina; 
 Layout inadequado; 
 Fluxo de produção inadequado; 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 7
Balanceamento da Linha de 
Produção 
 Seqüência de Cálculos : 
 a) Carga de mão-de-obra: 
NP = [ (PPD) X (TTF) ] / (TTP) 
Onde: NP: número de pessoas; 
PPD: programa de produção por dia; 
TTF: tempo total de fabricação por peça; 
TTP: tempo de trabalho por pessoa por dia; 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 8
Balanceamento da Linha de 
Produção 
 Seqüência de Cálculos : 
 b) Tempo Padrão Balanceado (TPB): 
TPB = [ (TTF) / (NP) ] 
Onde: NP: número de pessoas; 
TTF: tempo total de fabricação por peça; 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 9
Balanceamento da Linha de 
Produção 
 Seqüência de Cálculos : 
 c) Produtividade (Prod): 
Prod = [ (PPD) x (TTF) ] / [ (TT - TI) x NP ] 
Onde: PPD: programa de produção por dia; 
TTF: tempo total de fabricação por peça; 
TT: tempo total de trabalho por dia; 
TI: tempo total de inatividade por dia; 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 10
Balanceamento da Linha de 
Produção 
 Seqüência de Cálculos : 
 d) Eficiência (Efic): 
Efic = [ (PPD) x (TTF) ] / [ (TT x NP) ] 
Onde: PPD: programa de produção por dia; 
TTF: tempo total de fabricação por peça; 
TT: tempo total de trabalho por dia; 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 11
ENGENHARIA DE MÉTODOS 12 
Exemplo: 
 1) A produção de um produto foi dividida em 8 operações, 
totalizando um tempo padrão total de produção de 9,4 min. 
Considerando um dia de 8 horas de trabalho, através do 
balanceamento de linha avalie o sistema atual, determinando a 
carga de mão-de-obra ideal, o tempo padrão balanceado e a 
produtividade antes e após o balanceamento. 
 Dados: - Programa de produção mensal = 7500 peças; 
- Dias úteis de trabalho por mês = 25 dias; 
- Número de operações = 08 operações; 
- Número de operadores = 08 pessoas; 
- Postos de trabalho = 08 postos com 01 pessoa em 
cada um;
ENGENHARIA DE MÉTODOS 13 
Exemplo: 
 Solução: 
a) NP= ( 300 x 9,4 ) / 480 = 06 pessoas; 
b) TPB= ( 9,4 / 6) = 1,56 min/pessoa; 
c) Antes balanceamento: 
PROD= (300 x 9,4) / (480 x 8) = 73 % 
d) Após balanceamento: 
PROD= (300 x 9,4) / (480 x 6) = 98 %
Linha de Montagem 
 O que caracteriza uma linha de montagem, possibilitando 
a análise com relação ao seu balanceamento, é a união 
de peças, formando um único produto, em um trabalho 
realizado pelo ser humano, com pouca ou nenhuma 
interferência da máquina. 
 Peculiaridades: 
 Predominância de tempos de manuais, possibilitando 
maior maleabilidade de balanceamento; 
 Maior mobilidade nas alterações do programa de 
produção; 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 14
Balanceamento da Linha de 
Montagem 
 Seqüência de Cálculos : 
 a) Carga de mão-de-obra: 
NP = [ (PPD) X (TTM) ] / (TTP) 
Onde: NP: número de pessoas; 
PPD: programa de produção por dia; 
TTF: tempo total de montagem do produto; 
TTP: tempo de trabalho por pessoa por dia; 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 15
Balanceamento da Linha de 
Produção 
 Seqüência de Cálculos : 
 b) Tempo Padrão Balanceado (TPB): 
TPB = [ (TTM) / (NP) ] 
Onde: NP: número de pessoas; 
TTM: tempo total de montagem por produto; 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 16
Balanceamento da Linha de 
Produção 
 Seqüência de Cálculos : 
 c) Produtividade (Prod): 
Prod = [ (PPD) x (TTM) ] / [ (TT - TI) x NP ] 
Onde: PPD: programa de produção por dia; 
TTM: tempo total de montagem do produto; 
TT: tempo total de trabalho por dia; 
TI: tempo total de inatividade por dia; 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 17
Balanceamento da Linha de 
Produção 
 Seqüência de Cálculos : 
 d) Eficiência (Efic): 
Efic = [ (PPD) x (TTM) ] / [ (TT x NP) ] 
Onde: PPD: programa de produção por dia; 
TTM: tempo total de montagem do produto; 
TT: tempo total de trabalho por dia; 
ENGENHARIA DE MÉTODOS 18
ENGENHARIA DE MÉTODOS 19 
Exemplo: 
 1) Em uma indústria de materiais para construção civil, 
atuando na área de pisos cerâmicos, mais precisamente, na 
vitrificação dos pisos, através de esmaltação e queima em 
fornos contínuos, tinha no setor de embalagem, o seu 
estrangulamento, isto é, o seu gargalo. Considerando um dia 
de 8 horas de trabalho, através do balanceamento de linha 
avalie o sistema atual, determinando a carga de mão-de-obra 
ideal, o tempo padrão balanceado e a produtividade antes e 
após o balanceamento. 
 Dados: - Programa de produção mensal = 8000 peças; 
- Dias úteis de trabalho por mês = 20 dias; 
- Número de operações = 03 operações; 
- Número de operadores = 06 pessoas; 
- Tempo-padrão de embalagem por caixa= 3 min/cx;
ENGENHARIA DE MÉTODOS 20 
Exemplo: 
 Solução: 
a) NP= ( 400 x 3,0 ) / 480 = 2,5 pessoas ( ou seja, 3 pessoas); 
b) TPB= ( 3,0 / 3) = 1,0 min/pessoa; 
c) Antes balanceamento: 
PROD= (400 x 3,0) / (480 x 6) = 41,7 % 
d) Após balanceamento: 
PROD= (400 x 3,0) / (480 x 3) = 83,3 %

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão da Produção e logística Projeto da Capacidade Produtiva
Gestão da Produção e logística   Projeto da Capacidade ProdutivaGestão da Produção e logística   Projeto da Capacidade Produtiva
Gestão da Produção e logística Projeto da Capacidade ProdutivaWilian Gatti Jr
 
Estudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalhoEstudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalhoMauro Enrique
 
Just in time (jit)
Just in time (jit)Just in time (jit)
Just in time (jit)Robson Costa
 
Ciclo pdca
Ciclo pdcaCiclo pdca
Ciclo pdcaCarci
 
Jit – just in time
Jit – just in timeJit – just in time
Jit – just in timetrainertek
 
Administração da Produção - Cronoanalise
Administração da Produção - CronoanaliseAdministração da Produção - Cronoanalise
Administração da Produção - Cronoanalisedouglas
 
Estudo de tempo - SENAI SP
Estudo de tempo - SENAI SPEstudo de tempo - SENAI SP
Estudo de tempo - SENAI SPWilliam Mazotti
 
Introdução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e OperaçõesIntrodução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e Operaçõesdouglas
 
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
Aula 1   Administração da Produção - definições básicasAula 1   Administração da Produção - definições básicas
Aula 1 Administração da Produção - definições básicasCorreios
 
Capacidade de produção
Capacidade de produçãoCapacidade de produção
Capacidade de produçãoMauro Enrique
 
Produção cap1 aula 1
Produção cap1   aula 1Produção cap1   aula 1
Produção cap1 aula 1Diego José
 
Previsão da Demanda I
Previsão da Demanda IPrevisão da Demanda I
Previsão da Demanda IMauro Enrique
 
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento Lean
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento LeanSistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento Lean
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento LeanMayra de Souza
 

Mais procurados (20)

Gestão da Produção e logística Projeto da Capacidade Produtiva
Gestão da Produção e logística   Projeto da Capacidade ProdutivaGestão da Produção e logística   Projeto da Capacidade Produtiva
Gestão da Produção e logística Projeto da Capacidade Produtiva
 
Estudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalhoEstudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalho
 
Just in time (jit)
Just in time (jit)Just in time (jit)
Just in time (jit)
 
Aula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de ProduçãoAula 2 - Sistemas de Produção
Aula 2 - Sistemas de Produção
 
Ciclo pdca
Ciclo pdcaCiclo pdca
Ciclo pdca
 
Jit – just in time
Jit – just in timeJit – just in time
Jit – just in time
 
Folha de verificação
Folha de verificaçãoFolha de verificação
Folha de verificação
 
Administração da Produção - Cronoanalise
Administração da Produção - CronoanaliseAdministração da Produção - Cronoanalise
Administração da Produção - Cronoanalise
 
Estudo de tempo - SENAI SP
Estudo de tempo - SENAI SPEstudo de tempo - SENAI SP
Estudo de tempo - SENAI SP
 
Aulas 1, 2, 3 e 4 - Engenharia de Métodos
Aulas 1, 2, 3 e 4 - Engenharia de MétodosAulas 1, 2, 3 e 4 - Engenharia de Métodos
Aulas 1, 2, 3 e 4 - Engenharia de Métodos
 
Introdução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e OperaçõesIntrodução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e Operações
 
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
Aula 1   Administração da Produção - definições básicasAula 1   Administração da Produção - definições básicas
Aula 1 Administração da Produção - definições básicas
 
Exercícios Administração da Produção
Exercícios Administração da ProduçãoExercícios Administração da Produção
Exercícios Administração da Produção
 
Capacidade de produção
Capacidade de produçãoCapacidade de produção
Capacidade de produção
 
Produção cap1 aula 1
Produção cap1   aula 1Produção cap1   aula 1
Produção cap1 aula 1
 
Previsão da Demanda I
Previsão da Demanda IPrevisão da Demanda I
Previsão da Demanda I
 
7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade7 ferramentas da qualidade
7 ferramentas da qualidade
 
Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento Lean
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento LeanSistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento Lean
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento Lean
 

Destaque

Macroeconomia - Inovação e produtividade
Macroeconomia - Inovação e produtividadeMacroeconomia - Inovação e produtividade
Macroeconomia - Inovação e produtividadeAlessandra
 
Cerveja da Mascada
Cerveja da MascadaCerveja da Mascada
Cerveja da MascadaMarco Coghi
 
Aula 10 Arranjo FíSico ContinuaçãO
Aula 10 Arranjo FíSico   ContinuaçãOAula 10 Arranjo FíSico   ContinuaçãO
Aula 10 Arranjo FíSico ContinuaçãOguesteb91dafb
 
Slides da disciplina de manutenção e tpm total productive maintenance
Slides da disciplina de manutenção e  tpm total productive maintenanceSlides da disciplina de manutenção e  tpm total productive maintenance
Slides da disciplina de manutenção e tpm total productive maintenanceScienceTec & CorrTec-Engineering
 
Apresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva Total
Apresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva TotalApresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva Total
Apresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva TotalEngenharia Produção
 
Lean manufacturing 3-técnicas e ferramentas
Lean manufacturing   3-técnicas e  ferramentasLean manufacturing   3-técnicas e  ferramentas
Lean manufacturing 3-técnicas e ferramentasjparsilva
 
00. gás natural apostila completa
00. gás natural apostila completa00. gás natural apostila completa
00. gás natural apostila completaNeon Online
 
Manutenção industrial entendendo sua função e organização
Manutenção industrial entendendo sua função e organizaçãoManutenção industrial entendendo sua função e organização
Manutenção industrial entendendo sua função e organizaçãoJose Donizetti Moraes
 

Destaque (11)

Macroeconomia - Inovação e produtividade
Macroeconomia - Inovação e produtividadeMacroeconomia - Inovação e produtividade
Macroeconomia - Inovação e produtividade
 
Cerveja da Mascada
Cerveja da MascadaCerveja da Mascada
Cerveja da Mascada
 
PMC Process Model Canvas - workshop
PMC Process Model Canvas - workshopPMC Process Model Canvas - workshop
PMC Process Model Canvas - workshop
 
Aula 10 Arranjo FíSico ContinuaçãO
Aula 10 Arranjo FíSico   ContinuaçãOAula 10 Arranjo FíSico   ContinuaçãO
Aula 10 Arranjo FíSico ContinuaçãO
 
Respostas exercícios para fixação de tempos e métodos
Respostas exercícios para fixação de tempos e métodosRespostas exercícios para fixação de tempos e métodos
Respostas exercícios para fixação de tempos e métodos
 
Slides da disciplina de manutenção e tpm total productive maintenance
Slides da disciplina de manutenção e  tpm total productive maintenanceSlides da disciplina de manutenção e  tpm total productive maintenance
Slides da disciplina de manutenção e tpm total productive maintenance
 
O Que é Um GuiãO
O Que é Um GuiãOO Que é Um GuiãO
O Que é Um GuiãO
 
Apresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva Total
Apresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva TotalApresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva Total
Apresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva Total
 
Lean manufacturing 3-técnicas e ferramentas
Lean manufacturing   3-técnicas e  ferramentasLean manufacturing   3-técnicas e  ferramentas
Lean manufacturing 3-técnicas e ferramentas
 
00. gás natural apostila completa
00. gás natural apostila completa00. gás natural apostila completa
00. gás natural apostila completa
 
Manutenção industrial entendendo sua função e organização
Manutenção industrial entendendo sua função e organizaçãoManutenção industrial entendendo sua função e organização
Manutenção industrial entendendo sua função e organização
 

Semelhante a Balanceamento de linhas de produção

Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção Geovana Pires Lima
 
checklist-roteiro.pdf
checklist-roteiro.pdfchecklist-roteiro.pdf
checklist-roteiro.pdfMrciaJorge5
 
Utilização da tecnologia de coletor de dados em centros de usinagem na indúst...
Utilização da tecnologia de coletor de dados em centros de usinagem na indúst...Utilização da tecnologia de coletor de dados em centros de usinagem na indúst...
Utilização da tecnologia de coletor de dados em centros de usinagem na indúst...Alexandre Bento
 
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 02/14 | Sandra Zimmermann | VW Brasil
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 02/14 | Sandra Zimmermann | VW BrasilPLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 02/14 | Sandra Zimmermann | VW Brasil
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 02/14 | Sandra Zimmermann | VW BrasilCADWARE-TECHNOLOGY
 
Administração de Produção - Layout/Arranjo Fisico
Administração de Produção - Layout/Arranjo FisicoAdministração de Produção - Layout/Arranjo Fisico
Administração de Produção - Layout/Arranjo Fisicodouglas
 
Aula_Organização_Gestão.pptx
Aula_Organização_Gestão.pptxAula_Organização_Gestão.pptx
Aula_Organização_Gestão.pptxAndrMoreira730687
 
Unidade i mrp, mrpii, opt, cam, cim
Unidade i   mrp, mrpii, opt, cam, cimUnidade i   mrp, mrpii, opt, cam, cim
Unidade i mrp, mrpii, opt, cam, cimluiz0807
 
Mecanismo da Função Produção Perdas
Mecanismo da Função Produção PerdasMecanismo da Função Produção Perdas
Mecanismo da Função Produção PerdasUniversity
 
Ecr regional recife eficiencia cd e custo logistico
Ecr regional recife eficiencia cd e custo logisticoEcr regional recife eficiencia cd e custo logistico
Ecr regional recife eficiencia cd e custo logisticoGiovanni Materzanini
 
Cap 4- Teoria da Firma AA.pptx
Cap 4- Teoria da Firma AA.pptxCap 4- Teoria da Firma AA.pptx
Cap 4- Teoria da Firma AA.pptxManuelSitoe
 
Guia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustrado
Guia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustradoGuia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustrado
Guia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustradoSidonio Guerreiro
 
Lean Manufacturing Aula 2
Lean Manufacturing Aula 2Lean Manufacturing Aula 2
Lean Manufacturing Aula 2VicenteTino
 
Unidade 7 - novas ferramentas de gestão
Unidade 7  - novas ferramentas de gestãoUnidade 7  - novas ferramentas de gestão
Unidade 7 - novas ferramentas de gestãoDaniel Moura
 

Semelhante a Balanceamento de linhas de produção (20)

Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção
 
Dinamica prod
Dinamica prodDinamica prod
Dinamica prod
 
checklist-roteiro.pdf
checklist-roteiro.pdfchecklist-roteiro.pdf
checklist-roteiro.pdf
 
Oee
OeeOee
Oee
 
Atividade 1 estatística aplicada ao data sciense
Atividade 1 estatística aplicada ao data scienseAtividade 1 estatística aplicada ao data sciense
Atividade 1 estatística aplicada ao data sciense
 
Utilização da tecnologia de coletor de dados em centros de usinagem na indúst...
Utilização da tecnologia de coletor de dados em centros de usinagem na indúst...Utilização da tecnologia de coletor de dados em centros de usinagem na indúst...
Utilização da tecnologia de coletor de dados em centros de usinagem na indúst...
 
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 02/14 | Sandra Zimmermann | VW Brasil
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 02/14 | Sandra Zimmermann | VW BrasilPLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 02/14 | Sandra Zimmermann | VW Brasil
PLM-Summit 2014 | 8-9 abril | Apresentação 02/14 | Sandra Zimmermann | VW Brasil
 
Administração de Produção - Layout/Arranjo Fisico
Administração de Produção - Layout/Arranjo FisicoAdministração de Produção - Layout/Arranjo Fisico
Administração de Produção - Layout/Arranjo Fisico
 
Aula_Organização_Gestão.pptx
Aula_Organização_Gestão.pptxAula_Organização_Gestão.pptx
Aula_Organização_Gestão.pptx
 
Unidade i mrp, mrpii, opt, cam, cim
Unidade i   mrp, mrpii, opt, cam, cimUnidade i   mrp, mrpii, opt, cam, cim
Unidade i mrp, mrpii, opt, cam, cim
 
Mecanismo da Função Produção Perdas
Mecanismo da Função Produção PerdasMecanismo da Função Produção Perdas
Mecanismo da Função Produção Perdas
 
Custos básicos
Custos básicosCustos básicos
Custos básicos
 
Custos padrão e meta grupo 5
Custos padrão e meta   grupo 5Custos padrão e meta   grupo 5
Custos padrão e meta grupo 5
 
Ecr regional recife eficiencia cd e custo logistico
Ecr regional recife eficiencia cd e custo logisticoEcr regional recife eficiencia cd e custo logistico
Ecr regional recife eficiencia cd e custo logistico
 
Cap 4- Teoria da Firma AA.pptx
Cap 4- Teoria da Firma AA.pptxCap 4- Teoria da Firma AA.pptx
Cap 4- Teoria da Firma AA.pptx
 
Guia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustrado
Guia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustradoGuia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustrado
Guia pratico-para-o-calculo-do-oee-illustrado
 
Lean Manufacturing Aula 2
Lean Manufacturing Aula 2Lean Manufacturing Aula 2
Lean Manufacturing Aula 2
 
Unidade 7 - novas ferramentas de gestão
Unidade 7  - novas ferramentas de gestãoUnidade 7  - novas ferramentas de gestão
Unidade 7 - novas ferramentas de gestão
 
Aula 8 - Sistemas de Produção
Aula 8 - Sistemas de ProduçãoAula 8 - Sistemas de Produção
Aula 8 - Sistemas de Produção
 
Custo padrao e basico
Custo padrao e basicoCusto padrao e basico
Custo padrao e basico
 

Último

AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024Consultoria Acadêmica
 
Banco Sul-Americano do Brasil -2023.pptx
Banco Sul-Americano do Brasil -2023.pptxBanco Sul-Americano do Brasil -2023.pptx
Banco Sul-Americano do Brasil -2023.pptxTherionAkkad2
 
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...DL assessoria 31
 
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfCondutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfAroldoMenezes1
 
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGuilhermeLucio9
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxConsultoria Acadêmica
 
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxPatrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxAssimoIovahale
 

Último (7)

AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
 
Banco Sul-Americano do Brasil -2023.pptx
Banco Sul-Americano do Brasil -2023.pptxBanco Sul-Americano do Brasil -2023.pptx
Banco Sul-Americano do Brasil -2023.pptx
 
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
 
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfCondutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
 
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
 
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxPatrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
 

Balanceamento de linhas de produção

  • 1. ENGENHARIA DE MÉTODOS ENGENHARIA DE MÉTODOS 1
  • 2. Balanceamento de Linhas de Produção e Montagem ENGENHARIA DE MÉTODOS 2
  • 3. Balanceamento de Linhas  A expressão “Balanceamento de Linhas” em uma indústria significa nivelar em relação a tempos, uma linha de produção ou montagem, dando a mesma carga de trabalho, às pessoas ou máquinas em um fluxo de produção.  O balanceamento anula os “gargalos” de produção, proporcionando o máximo de produtividade e eficiência, eliminando as “esperas” e mantendo o ritmo de trabalho do conjunto. ENGENHARIA DE MÉTODOS 3
  • 4. Balanceamento de Linhas ENGENHARIA DE MÉTODOS 4  Finalidades:  Melhoria da produtividade e da eficiência;  Aumento da produção com a mesma ou menor quantidade de pessoas;  Melhoria do layout;  Aproveitamento máximo do homem e da máquina;  Manutenção de um ritmo cadenciado de trabalho;
  • 5. Balanceamento de Linhas  Bases para cálculos:  Roteiro de fabricação ou montagem da peça ou produto;  Tempos padrões das operações;  Programa de produção por dia;  Tempo de trabalho por dia; ENGENHARIA DE MÉTODOS 5
  • 6. Linha de Produção  O que caracteriza uma linha de produção, possibilitando a análise com relação ao seu balanceamento, é a fabricação diária de um tipo de produto sendo produzido por várias máquinas.  Peculiaridades:  Predominância de tempos de máquina;  Menor mobilidade nas alterações do programa de produção; ENGENHARIA DE MÉTODOS 6
  • 7. Linha de Produção  Fatores que afetam o balanceamento correto de um fluxo de produção industrial:  Falta de controle da produção;  Baixa eficiência e produtividade;  Dimensionamentos incorretos da carga de mão-de-obra e da carga de máquina;  Layout inadequado;  Fluxo de produção inadequado; ENGENHARIA DE MÉTODOS 7
  • 8. Balanceamento da Linha de Produção  Seqüência de Cálculos :  a) Carga de mão-de-obra: NP = [ (PPD) X (TTF) ] / (TTP) Onde: NP: número de pessoas; PPD: programa de produção por dia; TTF: tempo total de fabricação por peça; TTP: tempo de trabalho por pessoa por dia; ENGENHARIA DE MÉTODOS 8
  • 9. Balanceamento da Linha de Produção  Seqüência de Cálculos :  b) Tempo Padrão Balanceado (TPB): TPB = [ (TTF) / (NP) ] Onde: NP: número de pessoas; TTF: tempo total de fabricação por peça; ENGENHARIA DE MÉTODOS 9
  • 10. Balanceamento da Linha de Produção  Seqüência de Cálculos :  c) Produtividade (Prod): Prod = [ (PPD) x (TTF) ] / [ (TT - TI) x NP ] Onde: PPD: programa de produção por dia; TTF: tempo total de fabricação por peça; TT: tempo total de trabalho por dia; TI: tempo total de inatividade por dia; ENGENHARIA DE MÉTODOS 10
  • 11. Balanceamento da Linha de Produção  Seqüência de Cálculos :  d) Eficiência (Efic): Efic = [ (PPD) x (TTF) ] / [ (TT x NP) ] Onde: PPD: programa de produção por dia; TTF: tempo total de fabricação por peça; TT: tempo total de trabalho por dia; ENGENHARIA DE MÉTODOS 11
  • 12. ENGENHARIA DE MÉTODOS 12 Exemplo:  1) A produção de um produto foi dividida em 8 operações, totalizando um tempo padrão total de produção de 9,4 min. Considerando um dia de 8 horas de trabalho, através do balanceamento de linha avalie o sistema atual, determinando a carga de mão-de-obra ideal, o tempo padrão balanceado e a produtividade antes e após o balanceamento.  Dados: - Programa de produção mensal = 7500 peças; - Dias úteis de trabalho por mês = 25 dias; - Número de operações = 08 operações; - Número de operadores = 08 pessoas; - Postos de trabalho = 08 postos com 01 pessoa em cada um;
  • 13. ENGENHARIA DE MÉTODOS 13 Exemplo:  Solução: a) NP= ( 300 x 9,4 ) / 480 = 06 pessoas; b) TPB= ( 9,4 / 6) = 1,56 min/pessoa; c) Antes balanceamento: PROD= (300 x 9,4) / (480 x 8) = 73 % d) Após balanceamento: PROD= (300 x 9,4) / (480 x 6) = 98 %
  • 14. Linha de Montagem  O que caracteriza uma linha de montagem, possibilitando a análise com relação ao seu balanceamento, é a união de peças, formando um único produto, em um trabalho realizado pelo ser humano, com pouca ou nenhuma interferência da máquina.  Peculiaridades:  Predominância de tempos de manuais, possibilitando maior maleabilidade de balanceamento;  Maior mobilidade nas alterações do programa de produção; ENGENHARIA DE MÉTODOS 14
  • 15. Balanceamento da Linha de Montagem  Seqüência de Cálculos :  a) Carga de mão-de-obra: NP = [ (PPD) X (TTM) ] / (TTP) Onde: NP: número de pessoas; PPD: programa de produção por dia; TTF: tempo total de montagem do produto; TTP: tempo de trabalho por pessoa por dia; ENGENHARIA DE MÉTODOS 15
  • 16. Balanceamento da Linha de Produção  Seqüência de Cálculos :  b) Tempo Padrão Balanceado (TPB): TPB = [ (TTM) / (NP) ] Onde: NP: número de pessoas; TTM: tempo total de montagem por produto; ENGENHARIA DE MÉTODOS 16
  • 17. Balanceamento da Linha de Produção  Seqüência de Cálculos :  c) Produtividade (Prod): Prod = [ (PPD) x (TTM) ] / [ (TT - TI) x NP ] Onde: PPD: programa de produção por dia; TTM: tempo total de montagem do produto; TT: tempo total de trabalho por dia; TI: tempo total de inatividade por dia; ENGENHARIA DE MÉTODOS 17
  • 18. Balanceamento da Linha de Produção  Seqüência de Cálculos :  d) Eficiência (Efic): Efic = [ (PPD) x (TTM) ] / [ (TT x NP) ] Onde: PPD: programa de produção por dia; TTM: tempo total de montagem do produto; TT: tempo total de trabalho por dia; ENGENHARIA DE MÉTODOS 18
  • 19. ENGENHARIA DE MÉTODOS 19 Exemplo:  1) Em uma indústria de materiais para construção civil, atuando na área de pisos cerâmicos, mais precisamente, na vitrificação dos pisos, através de esmaltação e queima em fornos contínuos, tinha no setor de embalagem, o seu estrangulamento, isto é, o seu gargalo. Considerando um dia de 8 horas de trabalho, através do balanceamento de linha avalie o sistema atual, determinando a carga de mão-de-obra ideal, o tempo padrão balanceado e a produtividade antes e após o balanceamento.  Dados: - Programa de produção mensal = 8000 peças; - Dias úteis de trabalho por mês = 20 dias; - Número de operações = 03 operações; - Número de operadores = 06 pessoas; - Tempo-padrão de embalagem por caixa= 3 min/cx;
  • 20. ENGENHARIA DE MÉTODOS 20 Exemplo:  Solução: a) NP= ( 400 x 3,0 ) / 480 = 2,5 pessoas ( ou seja, 3 pessoas); b) TPB= ( 3,0 / 3) = 1,0 min/pessoa; c) Antes balanceamento: PROD= (400 x 3,0) / (480 x 6) = 41,7 % d) Após balanceamento: PROD= (400 x 3,0) / (480 x 3) = 83,3 %