Durkheim: a educação como fato social!

11.613 visualizações

Publicada em

Slide da disciplina "Sociologia da Educação" - Curso de Letras da UEPB (Campus III)
Prof. Dr. Marcelo Saturnino da Silva

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.613
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
130
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
186
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Durkheim: a educação como fato social!

  1. 1. Prof. Dr. Marcelo Saturnino da Silva
  2. 2. Émile Durkheim 1858 - 1917
  3. 3. Contexto Histórico   Uma época caracterizada por vários processos revolucionários:  Revolução Francesa – 1789;  Império Napoleônico (1804-1815) – Busca de expansão dos ideais revolucionários franceses;  1830 – Revolução Liberal: derrubada de Carlos X  1848 – Primavera dos povos: Conjunto de movimentos revolucionários Defesa dos ideais liberais;  1871 – Comuna de Paris.
  4. 4. Influências  Positivismo – Comte;   Evolucionismo – Darwin, Spencer;  Conservadorismo – Burke;  Idealismo - Kant
  5. 5. SOCIEDADE X INDIVÍDUOS 
  6. 6. Ouvindo o autor:   “A experiência demonstra de mil maneiras que uma combinação de elementos apresenta características distintas daquelas presentes nos elementos isolados. Portanto, a combinação constitui algo de novo em relação às partes que a compõem”;  “Porque os homens vivem em conjunto, não isolados, as consciências morais agem umas sobre as outras, e, em virtude das relações que surgem assim, são produzidas ideias e sentimentos que jamais poderiam ser produzidas pelas consciências isoladas”.  Durkheim, E. A educação moral. Petrópolis: Vozes, 2008.
  7. 7. Objeto da Sociologia:   Fatos Sociais:  Conceito: “Toda maneira de agir, fixa ou não, capaz de exercer sobre o indivíduo uma coerção exterior, ou ainda, que é geral no conjunto de uma dada sociedade tendo, ao mesmo tempo, uma existência própria, independente das suas manifestações individuais”  Características:    Exterioridade; Coercibilidade; Generalidade.
  8. 8. Regras para o estudo dos fatos sociais:   Considerar os fatos sociais como coisas:  Afastar sistematicamente todas as pré-noções;  Tomar sempre como objeto de investigação um grupo de fenômenos previamente definidos por certas características exteriores que lhe sejam comuns, e incluir na mesma investigação todos os que correspondem a esta definição;  Considerar os fatos sob um ângulo em que eles se apresentam isolados de suas manifestações individuais.
  9. 9. Classificação dos Fatos Sociais   NORMAL x PATOLÓGICO:  Um fato social é normal para um tipo social determinado, considerado numa fase determinada de desenvolvimento, quando se produz na média das sociedades desta espécie, consideradas numa fase correspondente de desenvolvimento.
  10. 10. Solidariedade Orgânica Solidariedade Mecânica Teoria da Modernidade: 
  11. 11. O Suicídio 
  12. 12. Teoria Sociológica da Religião   Distinção da realidade em duas esfera:  Sagrada;  Profana  Dois Aspectos:  Cognitivos = Crenças;  Material = Ritos  Ritos:    Negativos; Positivos; Expiação
  13. 13. Cont...   A religião como um fato social;  A quem adoramos quando adoramos a Deus?  Uma teoria Sociológica do Conhecimento
  14. 14. Durkheim e a Educação 
  15. 15. INDÍVIDUO INDÍVIDUO SER SOCIAL SER SOCIAL EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO
  16. 16. Definição de Educação:   “Ação exercida, pelas gerações adultas, sobre as gerações que não se encontrem ainda preparadas para a vida social, tem por objetivo suscitar e desenvolver, na criança, certo número de estados físicos, intelectuais e morais, reclamados pela sociedade política, no seu conjunto, e pelo meio especial a que a criança, particularmente, se destine” (Educação e Sociedade. p. 41).
  17. 17. Função do Estado   Não monopolizar a educação;  Intervir na educação: autorizando, normatizando e fiscalizando as escolas privadas;  Estabelecer o núcleo comum do currículo, enquanto expressão dos princípios que são comuns a todos os membros de uma determinada sociedade.
  18. 18.  Escutando o autor:  “A escola não pode ser propriedade de um partido; e o mestre faltará aos seus deveres quando empregue a autoridade de que dispõe para atrair seus alunos a rotina de seus preconceitos pessoais, por mais justificados que eles lhe pareçam. Mas, a despeito de todas as dissidências, há na base de nossa civilização certo número de princípios que, implícita ou explicitamente, são comuns a todos, ou pelo menos que bem poucos ousam negar em sã consciência. (... ) É função do Estado proteger esses princípios essenciais, fazê-los ensinar as crianças em suas escolas, velar porque não fiquem ignorados pelas crianças de parte alguma; zelar pelo respeito que lhe devemos.” (Educação e Sociologia, p. 49).
  19. 19. A educação enquanto trabalho de autoridade:   A autoridade moral como qualidade essencial do educador;  Duas condições:  O sentimento de confiança e a vontade;  O sentimento da própria autoridade.  Origem da autoridade do professor:  O professor como o órgão de uma grande autoridade moral: a sociedade.
  20. 20. REFERÊNCIAS:   Textos básicos:    DURKHEIM. E. Educação e sociologia. Rio de Janeiro, Vozes, 2011. SELL, Carlos Eduardo. Sociologia Clássica: Marx, Durkheim e Weber. Petrópolis, Vozes, 2009 Textos complementares     DURKHEIM, Émile, 1858-1917. Da divisão do trabalho social. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008 ___________. As regras do método sociológico. São Paulo: Martin Claret, 2007; __________. O suicídio. São Paulo: Martins Fontes, 2004; MARTINS, Carlos Benedito. O que é sociologia. São Paulo: Brasiliense, 2006;

×