Nota tecnica coreia_do_sul

231 visualizações

Publicada em

coreiao do sul exportacao cafe de coco de moa e pterodatilo

Publicada em: Dados e análise
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
231
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nota tecnica coreia_do_sul

  1. 1. SECRETARIA DE AGRICULTURA, IRRIGAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICA DO AGRONEGÓCIO Salvador, Maio de 2011 NOTA TÉCNICA: INFORMAÇÕES SOBRE A CORÉIA DO SUL Com a rápida recuperação da crise econômica de 2008, a Coréia do Sul teve um crescimento de 6,1% no ano de 2010 e um PIB acima de US$ 1 trilhão. Devido a esse ressurgimento o país aumentou o crédito, incentivando o consumo, o que tornou o momento favorável para potenciais exportadores. A Coréia do Sul é uma grande potência tecnológica, entretanto devido ao país ser bastante montanhoso, possui terras pouco cultiváveis, e os pastos não são suficientes para suportar o consumo de alimentos da população e de animais. Dessa forma, a Coréia do Sul necessita da importação de algumas commodities, principais produtos exportados pelo Brasil. Visto que a Coréia do Sul voltou, após a crise de 2008, ao seu dinamismo econômico e expansão do comércio internacional, e a Bahia é um dos estados brasileiros que mais se destaca na exportação de produtos agrícolas, é importante que a relação Coréia do Sul x Bahia seja cada vez mais estreita. A Coréia tem grande interesse de investir em cidades que tenham capacidade de dar o suporte de infra-estrutura necessária para a instalação de suas empresas, e a Bahia é um dos estados que mais dão subsídios para empresas estrangeiras, além de possuir um complexo industrial consolidado, com todo o aparato necessário. Intensificar as relações entre ambas as partes só tem a trazer benefícios: a Coréia do Sul irá expandir sua participação no cenário internacional, além de ganhar um grande exportador de produtos agrícolas de alta qualidade, e a Bahia ganhará cada vez mais espaço internacionalmente, e também será destino de empresas já consolidadas e reconhecidas mundialmente, o que contribuirá para promover ainda mais sua imagem como estado com potencial para investimentos. A república da Coréia (ROK) possui uma área de 99.585 km² e uma população de 49,4 milhões de habitantes (2009), o que o torna o 26º país mais densamente povoado do mundo. Localizado na parte sul da Península coreana sul e banhada pelo Mar do Japão e Mar Amarelo, a única fronteira terrestre que possui é com a vizinha Coréia do Norte.
  2. 2. O país é subdividido em nove províncias, sendo suas principais cidades Busan, Daegu, Incheon, Gwangju e a capital Seul. O clima na Coréia do Sul é temperado continental, sendo que as precipitações são mais freqüentes no verão, durante um período de chuvas denominado jangma, que ocorre de junho a setembro, e os invernos tendem a ser rigorosos, e as temperaturas podem chegar até a -13ºC. Essas oscilações são mais fortes no norte e no centro do país. O país é quase todo montanhoso, porém possui algumas faixas litorâneas e muitas ilhas, nas quais se pode encontrar uma atividade portuária intensa. A Coréia do Sul é conhecida por suas inovações tecnológicas e sua forte economia. Na área da mineração se destacam o minério de ferro, o carvão e principalmente o aço, do qual o país é um dos maiores produtores do mundo, além de outros minérios como o chumbo, zinco, prata e ouro. Apesar do grande investimento em indústrias, a Coréia do Sul investe 5% do seu PIB em atividades relacionada à agricultura, se destacando na produção de arroz, algas, frutas (destacando-se as maçãs e laranjas), verduras, cebola, alho e soja. A agricultura divide sua porcentagem de investimento do PIB com a agropecuária, que tem sua produção voltada para a criação de porcos, galinhas, aves e pescas. Mapa Administrativo da República da Coréia do Sul Fonte: Winkipédia A Coréia do Sul encerrou o ano de 2010, com o crescimento de 6,1% e com o PIB acima de U$1,64 trilhão pela primeira vez após a crise financeira de 2008, tendo o 15º maior PIB do mundo. A renda per capita estimada de 2010 foi de U$20,5 mil, e a renda esperada para 2011 é de U$ 23 mil. A rápida recuperação da economia após a crise de 2008 ressaltou a força da Coréia do Sul, que se firmou como grande potência industrial, emergindo com vendas e lucros maiores do que outras potências, como o Japão, o que se tornou motivo de atração de muitos empresários para o país, cada vez mais interessados em realizar negócios e investimentos.
  3. 3. Tabela I – Indicadores econômicos da República da Coréia PRINCIPAIS NÚMEROS DA REPÚBLICA DA CORÉIA Extensão territorial (km²) 99.585 População (milhão de habitantes) 49,4 Presidente Lee Myung-bak PIB Paridade Poder Aquisitivo (2009) US$832,512 bi PIB – 15º maior do mundo US$1,64 tri Taxa de Crescimento do PIB -2010 6,1% Reservas Internacionais (2009) US$270,0 bi Exportações (2009) US$345,158 bi Importações (2009) US$347,078 bi Exportações brasileiras para a Coréia do Sul 2009 US$2,622 bi Importações brasileiras da Coréia do Sul 2009 U$4,818 bi Exportações baianas para a Coréia do Sul 2010 US$230,097 mi Importações baianas da Coréia do Sul 2010 US$245,152 mi Fonte: MRE/SEI/ MDIC Aliceweb Elaboração: SEAGRI/SPA COMÉRCIO EXTERIOR BAHIA X CORÉIA DO SUL As relações entre o Brasil e a Coréia do Sul passaram a ter uma maior atenção por parte do ministério das relações exteriores de ambos os países. Enquanto a Coréia do Sul é uma potência no setor tecnológico e de educação, o Brasil se destaca na agricultura e energia renovável. O intercâmbio entre ambos é necessário e importante para seu desenvolvimento porque um completa o outro: o Brasil necessita de tecnologia e melhoria no seu sistema educacional e a Coréia do Sul depende da importação de commodities e bioenergia. Com relação à Bahia, segundo dados do MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, a corrente de comércio* entre a Bahia e a Coréia do Sul passou de US$ 440,7 milhões (entre 1989 e 1999) para US$ 1,2 bilhão entre 2000 e 2010, fortalecendo as relações bilaterais. As exportações baianas no mesmo período aumentaram de US$ 330,7 milhões para US$ 782,3 milhões. Em 2009/2010, a Coréia ocupou o 16º lugar nas exportações da Bahia e o 6º lugar nos países importadores, com uma participação de 20,26% nas importações baianas.
  4. 4. Gráfico I Bahia x Coréia do Sul – Evolução da Corrente de Comércio, 1989/2010 Fonte: MDIC/Aliceweb Elaboração: SEAGRI/SPA É preciso conhecer o comércio sul coreano e suas peculiaridades, para que o Brasil tenha acesso ao mercado da Coréia do Sul com mais facilidade, se expandindo no cenário internacional, assim como se deve incentivar a atração de empresários coreanos para investirem na Bahia. OPORTUNIDADES COMERCIAIS EM AGRONEGÓCIOS: A Coréia do Sul é uma das maiores consumidoras de alimentos do mundo, mas não é auto-suficiente em commodities e matérias primas, sendo necessária a importação desses produtos. Os principais produtos brasileiros exportados para a Coréia do Sul são produtos de ferro e aço, minérios de ferro, soja, óleos brutos de petróleo, milho, celulose, suco de laranja e fumo, além de caminhões e tratores. Tabela I Principais Produtos do Agronegócio Brasileiro Exportados para a Coréia do Sul – 2010 PRODUTOS EXPORTAÇÕES VALORES (US$) Participação (%) Bagaços e outros resíduos sólidos da extr. do óleo de soja 341.484.703 13,02 Outros grãos de soja, mesmo triturados 207.861.479 7,93 Algodão simplesmente debulhado, não cardado nem penteado 133.957.715 5,11 Milho em grão, exceto para semeadura 99.718.550 3,80 Pedaços e miudezas, comestíveis de galos/galinhas, congelados 71.488.280 2,73 Café não torrado, não descafeinado, em grão 38.983.637 1,49 Açúcar de cana, em bruto 32.139.170 1,23
  5. 5. Fumo não manufaturado total/parcialmente destalado folhas secas 29.202.310 1,11 TOTAL 954.835.844 36,42 Fonte: MDIC/Aliceweb. Elaboração: SEAGRI/SPA. Segundo os dados da FIEB, atualizados em fevereiro de 2010, os produtos que a Bahia mais exporta para a Coréia do Sul são metais preciosos, celulose, algodão debulhado e produtos químicos. Além destes, a Bahia é grande produtora de açúcar, algodão, soja e principalmente o café. Todos esses produtos são importados pela Coréia do Sul, e é de extrema importância que a Bahia comece a se destacar e se tornar uma grande exportadora desses produtos para a Coréia. Para isso, é necessário estreitar as relações entre ambos e avançar suas relações econômicas, fortalecendo assim a economia do estado, além de mostrar seu potencial. A EMPRESA: A aT Agro-Fisheries Trade Corporation é uma empresa pública de atuação multinacional que atua no ramo do Agronegócio, com sede em Seul, Coréia do Sul, país de origem, que tem como um dos seus principais objetivos a agroindustialização de regiões produtoras de alimentos, além de defender a estabilização dos preços dos alimentos e promover o comércio internacional. Pretende ser a líder mundial em produção de alimentos industrializados através da exportação e distribuição em 2014. O grupo assinou um Memorando de Entendimentos com o Estado da Bahia em março de 2011 com o objetivo de cooperar para a agroindustriazação baiana e dar suporte aos seus investimentos no Estado. Neste mesmo documento é sinalizada a intenção de criação de uma Joint Venture com empresas do setor na Bahia. O principal interesse coreano é no segmento de grãos na região oeste, onde se concentra a maior produção de soja e milho do Estado, e onde se encontram também o maior volume de investimentos estrangeiros no campo da agricultura na Bahia. O interesse coreano no Estado é reflexo do já consolidado fluxo de comércio entre a Bahia e a Coréia do Sul que passou de US$ 440,7 milhões (entre 1989 e 1999) para US$ 1,2 bilhão entre 2000 e 2010, fortalecendo as relações bilaterais. As exportações baianas no mesmo período aumentaram de US$ 330,7 milhões para US$ 782,3 milhões. Em 2009/2010, a Coréia ocupou o 16º lugar nas exportações da Bahia e o 6º lugar nos países importadores, com uma participação de 20,26% nas importações baianas. SETOR DA SEAGRI RESPONSÁVEL PELAS INFORMAÇÕES: Superintendência de Política do Agronegócio/SEAGRI Tel: 3115-2875/2852 Fax: 3115-2820.

×