BO CIOÉ
A CONSOLA O DA FILOSOFIAÇÃ
Livro QuartoLivro Quarto
QUEM FOI BOÉCIO ?
● Anitius Manlius Torquatus Severinus
Boethius, nasceu por volta de 480
d.C, estudou em Atenas as doutri...
QUEM FOI BOÉCIO ?
● Teve grande influencia e
autoridade na idade média, sendo
comparado a Aristóteles e a Santo
Agostinho....
Principais IdeiasPrincipais Ideias
DEUS E O MAL
Boécio lamenta-se e se queixa por saber que mesmo
Deus sendo tão bom e poderoso, e que tudo governa,
permita ...
Mesmo assim, com o mal noMesmo assim, com o mal no
mundo, Deus não deixa de darmundo, Deus não deixa de dar
valor aos que ...
O CASTIGO DOS MAUS
““(...)quando se crê que os malvados estão(...)quando se crê que os malvados estão
livres de todo casti...
DA SORTE DOS HOMENS E O GOVERNO DE
DEUS
Boécio agora busca compreender porque os bons são
por vezes atribulados enquanto o...
Quanto à sorte das coias que acontecemQuanto à sorte das coias que acontecem
aos homens, apenas o dono da Providencia,aos ...
TODA FORTUNA É BOA
A ideia de que a fortuna é sempre boa apresenta-se
assim: a fortuna, ou recompensa os bons ou os exerci...
A fortuna que exercita ou emenda é um beneficio, eA fortuna que exercita ou emenda é um beneficio, e
portanto boa. Ao que ...
Conclusões
““Quem dera pudesse as pessoas (todas ou a maioria)Quem dera pudesse as pessoas (todas ou a maioria)
achegarem-...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Principais ideias livro Quarto a consolação da filosofia

345 visualizações

Publicada em

Boécio, A consolação da Filosofia Livro Quarto.
resumo das ideias centrais que o autor aborda; dentre elas a Providencia, o castigo dos maus, Deus perante o sofrimento no mundo e outros. Leia o livro completo!

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
345
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Principais ideias livro Quarto a consolação da filosofia

  1. 1. BO CIOÉ A CONSOLA O DA FILOSOFIAÇÃ Livro QuartoLivro Quarto
  2. 2. QUEM FOI BOÉCIO ? ● Anitius Manlius Torquatus Severinus Boethius, nasceu por volta de 480 d.C, estudou em Atenas as doutrinas de Platão, Aristóteles e os Estóicos. ● Traduziu para o latim as obras de Aristóteles (seis volumes de lógica do Organon) ● Também escreveu obras próprias sobre Lógica, Matemática e Musica, entre elas De divisione, De fide catholica, Liber contra Eutychen et Nestorium entre outras.
  3. 3. QUEM FOI BOÉCIO ? ● Teve grande influencia e autoridade na idade média, sendo comparado a Aristóteles e a Santo Agostinho. ● Foi nomeado conselheiro do rei Teodorico (510), e cônsul (520). ● Processado e martirizado por Teodorico. Boécio morreu em em 524/525 na prisão de Pávia.
  4. 4. Principais IdeiasPrincipais Ideias
  5. 5. DEUS E O MAL Boécio lamenta-se e se queixa por saber que mesmo Deus sendo tão bom e poderoso, e que tudo governa, permita que o mal exista no mundo.
  6. 6. Mesmo assim, com o mal noMesmo assim, com o mal no mundo, Deus não deixa de darmundo, Deus não deixa de dar valor aos que são bons, e que ovalor aos que são bons, e que o malvado é desprezível; que nãomalvado é desprezível; que não existe pecado se castigo e nemexiste pecado se castigo e nem virtude sem recompensa.virtude sem recompensa.
  7. 7. O CASTIGO DOS MAUS ““(...)quando se crê que os malvados estão(...)quando se crê que os malvados estão livres de todo castigo, na verdade se veemlivres de todo castigo, na verdade se veem oprimidos de suplicio mais opressor”oprimidos de suplicio mais opressor” (tradução livre). O malvado, cego e(tradução livre). O malvado, cego e mergulhado na lama, acredita ter a felicidade emergulhado na lama, acredita ter a felicidade e estar nas alturas quando pratica seus crimesestar nas alturas quando pratica seus crimes impunemente. Ele não vê que o tempo queimpunemente. Ele não vê que o tempo que passa em desgraça, sem participar de justopassa em desgraça, sem participar de justo castigo, só piora sua situação.castigo, só piora sua situação.
  8. 8. DA SORTE DOS HOMENS E O GOVERNO DE DEUS Boécio agora busca compreender porque os bons são por vezes atribulados enquanto os maus, por vezes, não passam por isso, sendo ainda que há um Deus justo que tudo governa.
  9. 9. Quanto à sorte das coias que acontecemQuanto à sorte das coias que acontecem aos homens, apenas o dono da Providencia,aos homens, apenas o dono da Providencia, do alto da sua majestade, sabe o que convémdo alto da sua majestade, sabe o que convém a cada um; como um medico sabe que oa cada um; como um medico sabe que o tratamento da doença de um enfermo não é otratamento da doença de um enfermo não é o mesmo da doença de outro. Só o médico sabemesmo da doença de outro. Só o médico sabe a marcha da doença e concede a cada qual oa marcha da doença e concede a cada qual o remédio necessário, mesmo que o enfermoremédio necessário, mesmo que o enfermo não saiba como age o medicamento nem quenão saiba como age o medicamento nem que medicamento é esse.medicamento é esse.
  10. 10. TODA FORTUNA É BOA A ideia de que a fortuna é sempre boa apresenta-se assim: a fortuna, ou recompensa os bons ou os exercita; castiga os maus ou os emenda; é justa ou útil.
  11. 11. A fortuna que exercita ou emenda é um beneficio, eA fortuna que exercita ou emenda é um beneficio, e portanto boa. Ao que pretende seguir a virtude, convémportanto boa. Ao que pretende seguir a virtude, convém lutar contra a fortuna: se é boa, para que não se deixelutar contra a fortuna: se é boa, para que não se deixe seduzir; se é má, para que não o faça perecer. Isso éseduzir; se é má, para que não o faça perecer. Isso é exercício.exercício. Assim como o homem valente não teme a luta por queAssim como o homem valente não teme a luta por que é sua ocasião para ganhar glória, do mesmo modo oé sua ocasião para ganhar glória, do mesmo modo o homem virtuoso não se irrite nem descuide com a sortehomem virtuoso não se irrite nem descuide com a sorte de sua fortunade sua fortuna.
  12. 12. Conclusões ““Quem dera pudesse as pessoas (todas ou a maioria)Quem dera pudesse as pessoas (todas ou a maioria) achegarem-se à bela Filosofia consoladora e reveladoraachegarem-se à bela Filosofia consoladora e reveladora da intimidade das coisas. Sem duvida que encontrariamda intimidade das coisas. Sem duvida que encontrariam consolo se buscassem a verdade com clareza e retidão”.consolo se buscassem a verdade com clareza e retidão”. Deus tudo governa e tudo vê, dá a cada qual o que éDeus tudo governa e tudo vê, dá a cada qual o que é seu e escreve na historia, em nossas historias, Suaseu e escreve na historia, em nossas historias, Sua Palavra imutável. Do alto do Seu trono conduz as coisasPalavra imutável. Do alto do Seu trono conduz as coisas no destino e tende a levar-nos a Ele por meio de Suano destino e tende a levar-nos a Ele por meio de Sua ProvidenciaProvidencia..

×