Projeto Saude

1.142 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.142
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto Saude

  1. 1. Saúdetodo lugar emO cotidiano dos Agentes Comunitários de Saúde
  2. 2. apresentaçãoRealização de um docudrama em 13 episódios com duração de 30 minutos cada. IntituladoSaúde em todo lugar – O cotidiano dos Agentes Comunitários de Saúde. O público alvodo projeto é a população em geral, e o projeto é uma realização do Ministério da Saúde- Secretaria da Gestão do Trabalho e Educação na Saúde em parceria com o Ministério daCultura - Secretaria do Audiovisual.
  3. 3. objetivo geralO projeto “Saúde em todo lugar – O cotidiano dos Agentes Comunitários de Saúde” pretendenarrar em 13 episódios o dia-a-dia dos agentes comunitários de saúde no Brasil. Atravésdo registro de fatos reais, em formato de documentário, intercalados com cenas de ficção eanimação, buscará mostrar a importância destes profissionais nas diversas regiões do país,acompanhando seus principais desafios, angústias e realizações e humanizando a realidadedestes agentes que têm pouca visibilidade e reconhecimento. Os episódios pretendem tambémdescrever e orientar de forma educativa a população sobre os principais agravos de saúdeencontrados por estes profissionais em suas experiências cotidianas.
  4. 4. objetivo específicoRealizar um documentário utilizando como base o dia a dia dos Agentes Comunitários deSaúde que trabalham no Programa da Saúde da Família, do Sistema Único de Saúde (SUS); ecriar assim um novo método de difusão da informação, sensibilizando e educando a populaçãosobre os temas fundamentais da saúde pública.
  5. 5. justificativaO Agente Comunitário de Saúde (ACS) desempenha um papel estratégico no Programa Saúdeda Família, e está presente tanto em comunidades rurais e periferias urbanas quanto emmunicípios altamente urbanizados e industrializados. Atualmente existem cerca de 250.000ACS em todo Brasil.São profissionais de pouca visibilidade e pouco reconhecidos, mas que contribuem significativa-mente no mapeamento de saúde do país, uma vez que moram dentro da própria comunidade efacilitam o trabalho de vigilância e promoção da saúde. São profissionais que criam um elo entreo saber científico e o saber popular e estão em contato permanente com as famílias, e assim,podem orientá-las de perto e registrar dados sobre doenças prevalentes.A realização do documentário proporcionará à população o acesso a informações educativasna forma de entretenimento, alterando a maneira de informar sobre saúde pública e orientandopara precauções e tratamentos sobre as principais doenças prevalentes em cada região brasileira.
  6. 6. depoimentos“Quando comecei, na minha área havia três ou quatro casos de desnutridos, casos de diarreia,vacina atrasada, gestante mal orientada. Às vezes eu pegava uma gestante de sete, oito mesese perguntava: “Tu ta fazendo o pré-natal?”. Ela respondia: “Não, porque estou me sentindobem.” Eu dizia: “Tu tá se sentindo bem, mas será que o teu neném está se sentindo bem?”.Uma dessas eu encaminhei com oito meses para o médico do posto de saúde e o neném delaestava com baixo peso, já ia nascer desnutrido. Quando voltei na casa dela, ela me disse assim:“Tu estava certa. Por que esse programa não começou antes?”Ivânia Maria Sotta,Agente Comunitária de Saúde, Rodeio Bonito, RS.“Às vezes você ri com as mães, às vezes você chora. Mas este é o trabalho do agente de saúde:tem que rir com os que riem e chorar com os que choram. Mas também o agente de saúde temque ter uma ética profissional. Quando eu converso com uma dona de casa e ela tem aquelaconfiança e conta a vida dela pra mim, não posso ir contar o que ouvi pra outra vizinha; tenhoque ter ética profissional.”Valderina Xavier de Souza, Agente Comunitária de Saúde em Padre, Bernardo, Entorno do DF.
  7. 7. metodologiaO projeto contará com as etapas de pré-produção, produção e pós-produção.Pré-produção: Montagem da equipe, que será composta por diversos profissionais com produtor,pesquisador, assistente de pesquisa e direção, diretor de fotografia, tradutor, técnico de luz, câmerae fotógrafo, técnico de som, animador gráfico, designer de som, montador/finalizador, e um assessorjurídico.Produção: Compreenderá as filmagens, uma vez que o documentário será realizado com entrevistase depoimentos dos agentes de saúde, com imagens destes profissionais atuando em campo.Finalização E Divulgação: Após edição e finalização do documentário, entregaremos o produtofinal ao Ministério da Saúde e Cultura para que se encarreguem da divulgação.
  8. 8. resumo dos episódiosOs episódios serão gravados em diferentes locais acompanhando sempre um agente comunitáriode saúde local e as experiências que viverá durante os dias de filmagem.Agente de endemias que esteja trabalhando em surtos – 3 episódiosAcompanhar processo de formação de Agentes Comunitários de Saúde no Haiti – 2 episódios
  9. 9. Floresta Amazônica, com presença de recursos de telessaúde local. 1 episódio Aldeia indígena: acompanhamento deSão Gabriel da Cachoeira um agente indígena de saúde (AIS). Santarém Pará Oeste do Pará 1 episódio Equipe de saúde fluvial Comunidade ribeirinha. 1 episódio Interior do Nordeste. Cruz das Almas 1 episódio Recanto das Emas Cidade satélite do Distrito Federal. 1 episódio Favela de grande metrópole Rio de Janeiro (Morro do Alemão). São Paulo 1 episódio Centro de grande metrópole (cracolândia). 1 episódio Porto Alegre Agente de consultório de Rua. 1 episódio
  10. 10. temas abordados• A família e o trabalho do ACS Registro Civil de Nascimento e documentação básica• Saúde da criança (a criança no primeiro mês de vida, triagem neonatal, saúde bucal na criança, acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança, caderneta de saúde da criança, informações importantes a serem verificadas se constam na caderneta de saúde da criança, Programa Bolsa-Família, orientações alimentares para a criança, obesidade em criança, prevenindo acidentes na infância, urgências).• Saúde do adolescente (esquema vacinal, sexualidade, saúde bucal no adolescente, trans- tornos alimentares).• Saúde do adulto (esquema vacinal do adulto, hábitos alimentares saudáveis, atividade física, doenças crônicas: o que o ACS pode e deve fazer, doenças sexualmente transmissíveis e AIDS, saúde bucal no adulto, saúde do homem, saúde da mulher, atenção ao idoso).
  11. 11. • Saúde mental (ansiedade, depressão, uso abusivo de álcool e outras drogas).• Atenção à pessoa com deficiência (crianças com deficiência, deficiência visual, deficiência intelectual, as deficiências nos adolescentes e adultos).• Orientações para famílias com pessoas acamadas.• Violência familiar (violência contra a mulher, violência contra a criança e o adolescente, os sinais de alerta em relação ao agressor, violência contra o idoso, violência contra pessoas portadoras de deficiência física e mental, prevenção da violência familiar, atribuições frente à violência familiar).• Doenças transmitidas por vetores: mosquitos, insetos, moluscos e outros (dengue, esquis- tossomose, malária, tracoma).
  12. 12. estratégias transmidiáticasSerão utilizados diversos meios massivos e de nicho, online e offline, para as estratégias dedivulgação do projeto.Através do portal na internet os próprios agentes comunitários de saúde poderão acompanhare contribuir com informações sobre suas experiências, em todos os locais onde foram registra-das atividades dos ACS bem como em outras partes onde o documentário não fará registros,promovendo uma integração do trabalho desenvolvido nas diversas partes do Brasil.Serão desenvolvidos também materiais educativos para celulares e dispositivos móveis (pads)sobre as principais doenças endêmicas tratadas nos episódios, além de fornecer dicas básicasde saúde para a população.O projeto contará ainda com uma página de divulgação nas redes sociais como facebook,twitter, e outras.
  13. 13. ficha técnica Roteiro: Newton Cannito. Direção: Newton Cannito. Produtora: Edina Fujii.
  14. 14. EDINA FUJII - T. +55 11 9162-7879 email: edina@fujii.com.brAv. Jacutinga, 120 sl. 141 – Moema - São Paulo - SP - 04515-030 - T. +55 11 5051-6760 Coordenação : Marcelo Fujii Revisão : Vinicius Pardinho Jornalista : Renata Lopes Fotografias P&B : André François Fotografias Coloridas : Ricardo Fujii Designer Gráfico : Rilk Roger

×