Evangelho de São Mateus

8.172 visualizações

Publicada em

O ano litúrgico A tem como evangelista principal, nos domingos e nas festas, São Mateus. Na Semana de Formação bíblica foi objecto de reflexão, seguindo um texto de Herculano Alves.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.172
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
315
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
283
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Evangelho de São Mateus

  1. 1. Semana de Formação Bíblica<br />13 a 18 de Fevereiro de 2011<br />A ignorância das Escrituras<br />é ignorância de Cristo<br />
  2. 2. Ano A <br />Evangelho de<br />Nosso Senhor Jesus Cristo<br />segundo São Mateus<br />
  3. 3. Vocação de Mateus<br />Mt 9,9-13<br />Evangelho de São Mateus<br />
  4. 4. Vocação de Mateus<br />Partindo dali, Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado no posto de cobrança, e disse-lhe: «Segue-me!» E ele levantou-se e seguiu-o. Encontrando-se Jesus à mesa em sua casa, numerosos cobradores de impostos e outros pecadores vieram e sentaram-se com Ele e seus discípulos. Os fariseus, vendo isto, diziam aos discípulos: «Porque é que o vosso Mestre come com os cobradores de impostos e os pecadores?» Jesus ouviu-os e respondeu-lhes: «Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Ide aprender o que significa: Prefiro a misericórdia ao sacrifício. Porque Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores.»<br />Evangelho de São Mateus<br />
  5. 5. Evangelista do ANO A<br />A Liturgia da Igreja, para melhor e mais profundamente reflectir os textos da Sagrada Escritura, enquadra um ciclo de três anos (A,B,C) e em cada ano litúrgico propõe a leitura de um evangelista, nos Domingos e e nas principais Festas.<br />No ano A, que está a decorrer, seguimos mais de perto o evangelista e apóstolo São Mateus. No ano B, São Marcos, e no Ano C, São Lucas. O evangelho de São João é proclamado sobretudo no tempo do Natal e da Páscoa.<br />Evangelho de São Mateus<br />
  6. 6. Evangelho para uma comunidade concreta<br />Jesus anunciou o Evangelho original, a Boa-Nova de Deus para os homens de todos os tempos. Adaptou-a às pessoas, falando uma linguagem compreensível: parábolas, comparações, imagens da vida campestre ou da cidade e do templo de Jerusalém. Os mestres da Lei ao povo de modo semelhante. Por isso, a Boa-Nova de Jesusnão está nas palavras ou na linguagem que Ele utilizou, mas no seu conteúdo e significado.<br />Evangelho de São Mateus<br />
  7. 7. Evangelho “judaico”<br />Cada evangelista adaptou a mensagem original de Jesus às pessoas a quem se dirigia. Crê-se que o Evangelho de Mateus foi pregado na cidade de Antioquia, na Síria, onde havia uma grande comunidade judaica. Foi pregado a judeus conhecedores e cumpridores da Lei. Por isso, Mateus fala tanto da Lei, utiliza vocabulário e temas judaicos e faz referências permanentes à Bíblia do Antigo Testamento; e diz "Reino do Céu" em vez "Reino de Deus", como São Lucas, pois o Nome era inefável para os judeus.<br />Evangelho de São Mateus<br />
  8. 8. Evangelho “judaico”<br />Mateus cita com muita frequência os Profetas, muito estimados pelos judeus, mostrando que as profecias se cumprem em Jesus:<br />«Tudo isto aconteceu para se cumprir o que diz o profeta...».<br />Evangelho de São Mateus<br />
  9. 9. Optar por Cristo mas ser fiel a Moisés<br />O mais grave problema que se colocou aos primeiros cristãos foi o seguinte: em que medida teriam de seguir a Cristo e deixar de lado Moisés ou a Lei antiga? Ao seguir o Evangelho de Jesus, que partes da Lei ainda seriam obrigados a cumprir?<br />Evangelho de São Mateus<br />
  10. 10. O Antigo e o Novo Testamento<br /><ul><li>Para este problema encontraram diferentes soluções, mas todas coincidiam no fundamental: o Antigo Testamento continua em vigor, mas deve ser lido e vivido à luz da mensagem e da pessoa de Jesus.
  11. 11. Significa que muitas prescrições perdiam valor normativo, não eram para cumprir à letra, mas continuavam na Bíblia como memória da caminhada que o povo de Deus tinha feito até chegar a Cristo e da pedagogia que Deus utilizara para isso.</li></ul>Evangelho de São Mateus<br />
  12. 12. Fidelidade a Cristo e a Moisés<br /><ul><li>Quem seguir Jesus é verdadeiramente fiel a Moisés e à sua Lei, pois esta referia-se continuamente ao Messias que havia de vir.
  13. 13. Mas, ser fiel a Cristo não implica ser infiel a Moisés; pelo contrário: só pode ser fiel a Moisés e à Lei quem for fiel a Cristo, pois Moisés e a Lei dizem para seguir a Cristo.</li></ul>Evangelho de São Mateus<br />
  14. 14. Mateus, o Evangelho da Igreja<br /><ul><li>Evangelho da Igreja por excelência.
  15. 15. É dirigido a uma comunidade cristã judaica, a qual, precisamente porque era de origem judaica, tinha na ideia de comunidade um dos valores mais importantes da sua existência concreta.
  16. 16. O judaísmo e o povo da Bíblia em geral tinham uma organização comunitária muito profunda. Por isso é que Mateus é o único evangelista que utiliza o termo Igreja.
  17. 17. Ser cristão é viver a Palavra de Cristo em comunidade, é ter um coração comunitário.</li></ul>Evangelho de São Mateus<br />
  18. 18. Uma Igreja bem organizada<br /><ul><li>Antes da reforma litúrgica levada a cabo depois do Concílio Vaticano II, o Evangelho de Mateus era praticamente o único a ser lido aos domingos. Isto porque, ao apresentar-se dividido em grandes discursos ou catequeses, espelha uma Igreja bem organizada.
  19. 19. Esta organização da Igreja aparece também ao nível das suas estruturas externas e internas, isto é, dos sacramentos e da liturgia. </li></ul>Evangelho de São Mateus<br />
  20. 20. Igreja bem organizada:<br /><ul><li>a existência do baptismo: Mt 28,19;
  21. 21. a Eucaristia: Mt 26,26-29;
  22. 22. o sacramento do perdão dos pecados: Mt 18,15-18;
  23. 23. a autoridade de Pedro: Mt 16,16-19;
  24. 24. a liturgia: Mt 18,19-20;
  25. 25. o espírito do perdão: Mt 18,6-11;
  26. 26. os profetas e os escribas,os que, no Antigo Testamento, se dedicavam à Palavra de Deus, são também indispensáveis nesta Igreja (Mt 23,34; ver 10,40-41; 13,52). </li></ul>Evangelho de São Mateus<br />
  27. 27. Fundamento da Igreja: a palavra de Jesus<br /><ul><li>Mateus é um Evangelho cheio de discursos e catequeses bem estruturadas, por ser um Evangelho pregado para e numa comunidade judaica, onde a Palavra de Deus ressoava várias vezes ao dia ao ouvido das pessoas: «Escuta Israel, o Senhor, nosso Deus é o único Senhor...» (Dt 6,4-9).
  28. 28. De facto, o povo do Antigo Testamento poderia ser definido como a comunidade da Palavra. E o Evangelho de Mateus apresenta-nos a relação íntima com esse povo da Palavra de Deus, dizendo-nos ser essa também a vontade de Deus para o seu novo povo, que é a Igreja.</li></ul>Evangelho de São Mateus<br />
  29. 29. Fundamento da Igreja: a palavra de Jesus<br /><ul><li>Na perspectiva de Mateus, a Igreja deveria ser essencialmente a comunidade da Palavra e não a comunidade do culto.
  30. 30. O Evangelho de Mateus ajuda-nos a encontrar na Palavra de Jesus a nossa verdadeira obrigação, considerando tantas outras coisas e palavras como devoções, isto é, de menor importância.</li></ul>Evangelho de São Mateus<br />
  31. 31. Fundamento da Igreja: a palavra de Jesus<br />Para levar a cabo esta sua tarefa de autêntica evangelização, a Igreja precisa, antes de mais, de aceitar a exortação do Concilio Vaticano II:<br />«o Concílio exorta com veemência e interesse todos os cristãos… a que aprendam o supremo conhecimento de Jesus Cristo, com a leitura frequente das divinas Escrituras. Porque desconhecer as Escrituras é desconhecer a Cristo.»<br />(Dei Verbum, 25)<br />Evangelho de São Mateus<br />
  32. 32. A Igreja: comunidade do Deus-connosco<br />No Evangelho de Mateus, Jesus é apresentado, sobretudo, como Mestre da Palavra de Deus. A sua principal característica, na ordem da acção, é o anúncio da Palavra. Mas, na ordem do ser, Jesus é apresentado sobretudo como Emanuel, isto é, Deus-connosco: «Eis que a Virgem conceberá e dará à luz um filho; e chamá-lo-ão Emanuel, que quer dizer Deus-connosco» (Mt 1,23).<br />Evangelho de São Mateus<br />
  33. 33. A Igreja: comunidade do Deus-connosco<br />No remate do Evangelho, como se quisesse confirmar aquela frase do início, Jesus diz: «E Eu estarei sempre convosco até ao fim dos tempos» (Mt 28,20). Assim, afirma que vai agir em relação aos discípulos conforme aquilo que Ele é no mais profundo do seu ser divino: o Deus-connosco estará sempre com os seus.<br />Evangelho de São Mateus<br />
  34. 34. A Igreja: comunidade do Deus-connosco<br />Mateus está a ser fiel aos seus destinatários, ao falar-lhes de um assunto que eles compreendiam muito bem. Desde o Êxodo que pairava no ar a teologia do Deus-connosco. Assim, este Evangelho vem dar-nos a certeza de que, aceitando Jesus como Filho de Deus, estamos em boas mãos, porque Ele está no meio de nós: no meio dos nossos problemas materiais e espirituais, para nos dar uma nova visão das coisas e das pessoas.<br />Evangelho de São Mateus<br />
  35. 35. A Igreja: comunidade do Deus-connosco<br />A nossa atitude terá de ser sempre a dos ouvidos atentos para escutar a sua Palavra e os olhos do coração abertos, para o podermos contemplar onde os olhos do corpo não conseguem atingi-lo. Ele veio trazer a mensagem de Deus e, para a proclamar em todo o mundo, escolheu o grupo dos Apóstolos como viveiro de missionários.<br />Evangelho de São Mateus<br />
  36. 36. Estrutura interna do Evangelho<br />Evangelho Infância de Jesus<br />Anúncio do Reino de Deus<br />Ministério na Galileia<br />Sermão da Montanha<br />Dinamismo do Reino<br />Mistério do Reino<br />As Parábolas do Reino<br />Discurso Eclesial<br />Subida a Jerusalém<br />Ministério em Jerusalém<br />Paixão e Ressurreição de Jesus<br />Ceia Pascal<br />O processo de Jesus<br />A boa-nova da ressurreição<br />Evangelho de São Mateus<br />
  37. 37.  Texto adaptado de:<br />HERCULANO ALVES, Para compreender o Evangelho de S. Mateus, in Revista Bíblica, n.º 312, outubro: 2007<br />Evangelho de São Mateus<br />

×