Estudar Filosofia 
= mais do que aprender o que os filósofos pensam, 
é iniciar-se na discussão de velhos e novos problema...
Proposição 
= pensamento expresso numa frase declarativa com sentido. 
Argumento 
= conjunto de proposições: premissa(s) e...
Validade 
Um argumento é dedutivo ou não-dedutivo 
em função do tipo de validade de que é suscetível. 
dedutiva 
= se a(s)...
Para avaliar um argumento dedutivo 
não basta saber o valor de verdade da(s) premissa(s) e da conclusão 
OS ARGUMENTOS DED...
A Inês nasceu em Matosinhos (V) 
Logo, a Inês nasceu em Portugal (V) 
Argumentos dedutivamente 
inválidos 
A Inês nasceu e...
A Inês é e não é um rapaz. (F) 
Logo, a Inês nasceu em Matosinhos. (V) 
[caso notável: premissa é contradição] 
Argumentos...
LÓGICA FORMAL 
= disciplina da Lógica iniciada por Aristóteles (Grécia, séc. IV a.C.), 
estuda unicamente a forma dos argu...
TIPOS DE ARGUMENTOS VÁLIDOS 
(ou seja, tipos de argumentos / tipos de validades / grandes disciplinas da Lógica) 
Formalme...
1 
Argumentos formalmente válidos (são todos dedutivamente válidos) 
Se uma rapariga é minhota, então é portuguesa. 
A rap...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Unidade 3 cap 1.1

323 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
323
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
103
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Unidade 3 cap 1.1

  1. 1. Estudar Filosofia = mais do que aprender o que os filósofos pensam, é iniciar-se na discussão de velhos e novos problemas, teses e argumentos. Isso implica reflexão crítica e argumentação. Lógica = disciplina filosófica que estuda a argumentação.
  2. 2. Proposição = pensamento expresso numa frase declarativa com sentido. Argumento = conjunto de proposições: premissa(s) e conclusão com o qual se pretende (implica um ato de vontade) justificar esta com aquela(s) mediante a inferência Verdade = relação de adequação entre o que se pensa/diz e a realidade. Validade = relação entre os valores de verdade da(s) premissa(s) e da conclusão. Uma proposição é verdadeira ou falsa – um argumento é válido ou inválido.
  3. 3. Validade Um argumento é dedutivo ou não-dedutivo em função do tipo de validade de que é suscetível. dedutiva = se a(s) premissa(s) for(em) V, a conclusão é necessariamente V (é impossível ser F) não-dedutiva = se a(s) premissa(s) for(em) V, a conclusão é provavelmente V (é improvável ser F) O argumento é [não] dedutivamente válido se a resposta a estas questões é afirmativa A É impossível [improvável] a(s) premissa(s) ser(em) V e a conclusão F? B A V da(s) premissa(s) implica(ria) [torna provável] a da V da conclusão?
  4. 4. Para avaliar um argumento dedutivo não basta saber o valor de verdade da(s) premissa(s) e da conclusão OS ARGUMENTOS DEDUTIVAMENTE INVÁLIDOS PODEM SER DE QUATRO TIPOS DIVERSOS OS ARGUMENTOS DEDUTIVAMENTE VÁLIDOS APENAS DE TRÊS TIPOS. Conclusão: verdadeira falsa Premissa(s): E verdadeira(s) ? inválido falsa(s) ? ?
  5. 5. A Inês nasceu em Matosinhos (V) Logo, a Inês nasceu em Portugal (V) Argumentos dedutivamente inválidos A Inês nasceu em Portugal (V) Logo, a Inês nasceu em Matosinhos (V) Argumentos dedutivamente válidos 1 Argumentos com: premissa(s) verdadeira(s) e conclusão verdadeira. 2 Argumentos com: premissa(s) verdadeira(s) e conclusão falsa. A Inês é do género feminino (V) Logo, a Inês nasceu na Maia (F)
  6. 6. A Inês é e não é um rapaz. (F) Logo, a Inês nasceu em Matosinhos. (V) [caso notável: premissa é contradição] Argumentos dedutivamente inválidos A Inês é um rapaz (F) Logo, a Inês é do género feminino (V) Argumentos dedutivamente válidos 3 Argumentos com: premissa(s) falsa(s) e conclusão verdadeira. 4 Argumentos com: premissa(s) falsa(s) e conclusão falsa. A Inês é um rapaz, (F) Logo, a Inês é do género masculino (F) A Inês é um rapaz, (F) Logo, a Inês nasceu em Lavra (F)
  7. 7. LÓGICA FORMAL = disciplina da Lógica iniciada por Aristóteles (Grécia, séc. IV a.C.), estuda unicamente a forma dos argumentos Se um animal é mamífero, então é vertebrado. O Homem é um animal mamífero. Logo, o Homem é um vertebrado. Se uma figura tem cinco lados, então é um triângulo. O losango tem cinco lados. Logo, o losango é um triângulo. Quanto ao seu conteúdo proposicional, estes argumentos são diversos. Quanto à sua estrutura os argumentos são semelhantes, em ambos se diz: Se “não-sei-o-quê”, então “não-sei-quantos”. “Não-sei-o-quê”. Logo, “não-sei-quantos”. A estrutura de um argumento é o que se chama a sua forma lógica.
  8. 8. TIPOS DE ARGUMENTOS VÁLIDOS (ou seja, tipos de argumentos / tipos de validades / grandes disciplinas da Lógica) Formalmente Informalmente Dedutivamente 1 2 Não-dedutivamente 3
  9. 9. 1 Argumentos formalmente válidos (são todos dedutivamente válidos) Se uma rapariga é minhota, então é portuguesa. A rapariga não é portuguesa. Portanto, a rapariga não é minhota. 2 Argumentos dedutivamente válidos (formal ou informalmente válidos) 3 O Asdrúbal é solteiro. Portanto, o Asdrúbal não é casado. O Asdrúbal é solteiro e bom rapaz. Portanto, o Asdrúbal é bom rapaz. Argumentos não-dedutivamente válidos (são todos informalmente válidos) O Sol tem nascido todos os dias até hoje. Portanto, o Sol [provavelmente] nascerá amanhã.

×