Conceição lima e alda espírito santo

506 visualizações

Publicada em

Biografia de Alda Espírito Santo e de Conceição Lima

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Conceição lima e alda espírito santo

  1. 1. CONCEIÇÃO LIMA E ALDA ESPÍRITO SANTO http://gdb.voanews.com/B1728EFF-05D7-48E5-8F07-9EA8A34A512B_mw1024_n_s.jpg
  2. 2. Página2 Após o ardor da reconquista não caíram manás sobre os nossos campos. E na dura travessia do deserto Aprendemos que a terra prometida era aqui. Ainda aqui e sempre aqui. Duas ilhas indómitas a desbravar. O padrão a ser erguido pela nudez insepulta dos nossos punhos. (Descoberta, 1984)
  3. 3. Página3 Maria da CONCEIÇÃO Costa de Deus LIMA 1 nasceu em 1961, em Santana, São Tomé e Príncipe. Surgiu no período pós-colonial como uma das principais poetas contemporâneas da África de língua portuguesa. Com 19 anos, viaja para Luanda, Angola, para a 6ª Conferência de Escritores Afro- Asiáticos. Em 1984, teve o reconhecimento nacional, com a publicação do poema Descobertas, um caderno poético com outros 4 conterrâneos. Estuda jornalismo em Portugal, retorna à sua terra e trabalha em diversos setores dos média. Conceição Lima estuda, também, Estudos Afro-Portugueses e Brasileiros no King' College em Londres e Estudos Africanos na School of Oriental and African Studies (SOAS). Foi durante anos produtora dos serviços de língua portuguesa na BBC de Londres. Exerceu cargos de direção de rádio, televisão e em periódicos do seu país, aonde chegou a ser 1 http://eportuguese.blogspot.pt/2010/10/serie-escritores-da-lingua-portuguesa_13.html http://revistaliteratas.blogspot.pt/2012/12/conceicao-lima-e-linguagem-morada.html http://gdb.voanews.com/4C5BE061-BC81-498A-A911-50A43EC0F1CF_w268.jpg Sophia de Mello Breyner e Conceição Lima
  4. 4. Página4 produtora e coordenadora do principal sistema de Televisão, a TVS – Televisão São-Tomense. Porém, apesar de sua dedicação ao jornalismo, tanto em São Tomé e Príncipe como na Inglaterra, é na poesia que seu nome se firma como uma das melhores vozes de sua nação. Os seus poemas foram largamente publicados em jornais, revistas e antologias de vários países ao longo dos últimos 20 anos, publicando o seu primeiro livro, O Útero da Casa, em 2004 (livro de poemas) ao qual se seguiram dois outros títulos: A Dolorosa Raiz de Mincondó (Editorial Caminho, 2006) e O País de Akendenguê (Editorial Caminho, 2011). Em 2012, com o patrocínio do Banco Equador, de São Tomé e Príncipe, os seus três livros ganharam segundas edições. Através da sua poesia, Conceição Lima procura uma “reconstrução identitária”- coletiva e ao mesmo tempo individual - no qual o lugar matriarcal ganha um primeiro plano, numa voz feminina que se forma num universo de memórias, em meio a barcos, canaviais, praças de lutas, datas comemorativas, amores e amizades, entre outros. http://1.bp.blogspot.com/-ERVQ2Ye8gzM/UNLlHEXZMPI/AAAAAAAAA2U/m5N-UmBt8GI/s320/O+%C3%9Atero+da+Casa+- +Concei%C3%A7%C3%A3o+Lima.jpg
  5. 5. Página5 ALDA Neves da Graça do ESPÍRITO SANTO 2 , nasceu na cidade de São Tomé, capital do Arquipélago de São Tomé e Príncipe, a 30 de Abril de 1926, filha de uma professora primária e de um funcionário dos Correios. Em meados de 1940, muda-se com a família para o norte de Portugal, depois para Lisboa, onde inicia os seus estudos universitários. No início da década de 50, ainda em Lisboa com a família, Alda Espírito Santo estabelece contacto com alguns dos importantes escritores e intelectuais que viriam a ser os futuros dirigentes dos movimentos de independência das colónias portuguesas de África, como Amílcar Cabral, Mário Pinto de Andrade, Agostinho Neto, Francisco José Tenreiro, entre outros. 2 http://www.vidaslusofonas.pt/alda_esp_santo.htm http://www.embcv.pt/images/fotos/media0000005149.jpg http://www.dw.de/image/0,,16152486_401,00.jpg
  6. 6. Página6 A casa de sua família, no número 37 da Rua Actor Vale, funciona como local de encontros do CEA (Centro de Estudos Africanos). Os encontros regulares na casa de Alda promoviam palestras sobre temas diversos como Linguística, História e também sobre a consciência cultural e política acerca do colonialismo. Na mesma época, Alda Espírito Santo frequenta a CEI (Casa dos Estudantes do Império). Algum tempo depois, abandona o curso universitário por razões políticas e também financeiras. Em Janeiro de 1953, regressa a São Tomé e Príncipe, onde trabalha como professora e jornalista. Nesse mesmo ano, escreve o poema «Trindade» que denuncia o massacre ocorrido a 5 de Fevereiro em Trindade (São Tomé e Príncipe). Quando São Tomé e Príncipe conseguiu a independência de Portugal em 1975, ela ocupou vários cargos no governo. Foi Ministra da Educação e Cultura, Ministra da Informação e Cultura, Presidente da Assembleia Nacional e Secretária-Geral da União Nacional de Escritores e Artistas de São Tomé e Príncipe. Foi, ainda, a autora da letra do hino nacional, Independência Total. Em 1976 publica o seu livro de poemas “O Jogral das Ilhas”, e, em 1978, “É nosso o solo sagrado da terra”. Alda Espírito Santo faleceu na sua terra natal, a 9 de Março de 2010. http://www.dw.de/image/0,,16152482_404,00. jpg

×