SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
 A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu 
durante muito tempo na história da humanidade e foi praticada 
por civilizações distintas como egípcios, assírios, hebreus, gregos e 
romanos. 
 No entanto, o tipo de escravidão que se deu nas Américas, 
logo após o seu descobrimento por Cristovão Colombo, em 1492, 
era praticamente inédito e baseou-se no subjugamento de uma 
raça, em razão da cor da pele. 
 No Brasil a escravidão começou com os índios, mas como eles não se 
adaptavam ao serviço de trabalho os colonizadores recorreram aos 
negros africanos, que foram utilizados nas minas e nas plantações: de 
dia faziam tarefas costumeiras, a noite carregavam cana e lenha, 
transportavam fôrmas, purificavam, trituravam e encaixotavam o 
açúcar. 
O comércio de escravos passou a ter rotas intercontinentais no 
momento em que os europeus começaram a colonizar os outros 
continentes, no século XVI e, no caso das Américas em que os 
povos locais não se deixaram subjugar, foi necessário importar 
mão-de-obra, principalmente da África. Nessa altura, muitos 
reinos africanos e árabes passaram a capturar escravos para 
vender aos europeus.
 Na colónia de Angola, a exportação de mão de obra escrava foi 
alvo de competição no século XVII entre portugueses e 
holandeses. É depois da disputa entre os colonizadores, cujo 
vencedor foi o reino de Portugal, que pode ter- se originado a 
captura direta de escravos, nas chamadas Guerras Angolanas, 
no seio de certas tribos. 
 Foi dessa forma que Angola se tornou um centro importante de 
fornecimento de mão de obra escrava para o Brasil, onde 
crescia não apenas a produção de cana-de-açúcar no Nordeste, 
mas também a exploração de ouro na região central. 
 Os negros, trazidos do continente Africano, eram transportados 
dentro dos porões dos navios negreiros. Devido as péssimas 
condições deste meio de transporte, muitos deles morriam 
durante a viagem .
A crise de Portugal 
 Em 1755, Portugal foi abalado por um terremoto e começou 
a perder o controle do tráfico. 
 No continente africano, a submissão das populações 
também já não era tão simples como no passado 
 Com o surgimento do ideal liberal e da ciência económica na 
Europa, a escravatura passou a ser considerada pouco 
produtiva e moralmente incorreta. A escravidão é pouco 
produtiva porque, como o escravo não tem propriedade 
sobre sua própria produção, ele não é estimulado a produzir 
já que isto não irá resultar em um incremento no bem-estar 
material de si mesmo. 
 Povos do interior começaram a organizar ataques … 
Abolição da Escravatura em PORTUGAL 
 A escravatura em Portugal continental e na Índia foi abolida a 12 
de Fevereiro de 1761 por Marquês de Pombal, durante o reinado 
de D. José I. No entanto, só no séc. XIX é que a escravatura foi 
verdadeiramente abolida em todo o Império. 
 Os primeiros escravos a serem libertados nas colónias foram os do 
Estado, por Decreto de 1854, mais tarde, os das Igrejas, por 
Decreto de 1856 e só com a lei de 25 de Fevereiro de 1869 é que 
se proclamou a abolição total da escravatura em todo o Império 
Português.
NO BRASIL: 
 Em 1850 foi feita, no Brasil, a Lei Eusébio de Queirós que impunha 
punição aos traficantes de escravos, assim nenhum escravo mais 
entrava no país; 
 em 1871 foi feita a Lei do Ventre Livre que declarava livre os filhos 
de escravos nascidos a partir daquele ano, 
 e em 1885 a Lei dos Sexagenários, que concedia liberdade aos 
maiores de 60 anos. 
 E mais tarde fez surgir o abolicionismo, em meados do século XIX. 
Em 1888, quando a escravidão foi abolida no Brasil, ele era o único 
país ocidental que ainda mantinha a escravidão legalizada. 
Escravatura, hoje... 
A escravatura não é um fenómeno ultrapassado. Permanece 
até aos nossos dias como uma realidade económica, social e 
humana. Não obstante as abolições e a Declaração Universal 
dos Direitos do Homem de 1948 — cujo artigo 4º estipula que 
«Ninguém será mantido em escravatura ou em servidão; a 
escravatura e o trato dos escravos, sob todas as formas, são 
proibidos» —, antigas práticas esclavagistas persistem em 
novos contextos económicos.
A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito tempo na história da humanidade e foi praticada por civilizações distintas  como egípcios
A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito tempo na história da humanidade e foi praticada por civilizações distintas  como egípcios
A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito tempo na história da humanidade e foi praticada por civilizações distintas  como egípcios
A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito tempo na história da humanidade e foi praticada por civilizações distintas  como egípcios

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Escravatura
EscravaturaEscravatura
Escravaturajoanana
 
Trabalho escravatura
Trabalho escravaturaTrabalho escravatura
Trabalho escravaturaAndré Castro
 
Escravidão no Brasil do século XIX
Escravidão no Brasil do século XIXEscravidão no Brasil do século XIX
Escravidão no Brasil do século XIXaraujombarbara
 
Escravatura
EscravaturaEscravatura
Escravaturaxicao97
 
01 8º ano história rafa- escravidão
01 8º ano história   rafa- escravidão01 8º ano história   rafa- escravidão
01 8º ano história rafa- escravidãoRafael Noronha
 
O Negro ApóS A AboliçãO
O Negro ApóS A AboliçãOO Negro ApóS A AboliçãO
O Negro ApóS A AboliçãOecsette
 
Trabalho Escravo Vs Direitos Humanos
Trabalho Escravo Vs Direitos HumanosTrabalho Escravo Vs Direitos Humanos
Trabalho Escravo Vs Direitos Humanosjoana
 
Escravidão
EscravidãoEscravidão
EscravidãoRodrigo
 
Rugendas e Debret: retratos da escravidão no Brasil
Rugendas e Debret: retratos da escravidão no BrasilRugendas e Debret: retratos da escravidão no Brasil
Rugendas e Debret: retratos da escravidão no Brasilmarialuzinete
 
Movimento abolicionista
Movimento abolicionistaMovimento abolicionista
Movimento abolicionistaFilllipe
 
Abolição da escravatura
Abolição da escravaturaAbolição da escravatura
Abolição da escravaturajulliana brito
 
Escravatura no seculo xvIII1
Escravatura no seculo xvIII1Escravatura no seculo xvIII1
Escravatura no seculo xvIII1Vagner Lin
 

Mais procurados (20)

Escravatura
EscravaturaEscravatura
Escravatura
 
Trabalho escravatura
Trabalho escravaturaTrabalho escravatura
Trabalho escravatura
 
Escravidão no Brasil do século XIX
Escravidão no Brasil do século XIXEscravidão no Brasil do século XIX
Escravidão no Brasil do século XIX
 
Abolição escravatura
Abolição escravaturaAbolição escravatura
Abolição escravatura
 
Escravidão no Brasil
Escravidão no BrasilEscravidão no Brasil
Escravidão no Brasil
 
Escravatura
EscravaturaEscravatura
Escravatura
 
01 8º ano história rafa- escravidão
01 8º ano história   rafa- escravidão01 8º ano história   rafa- escravidão
01 8º ano história rafa- escravidão
 
O Negro ApóS A AboliçãO
O Negro ApóS A AboliçãOO Negro ApóS A AboliçãO
O Negro ApóS A AboliçãO
 
O trabalho escravo no brasil
O trabalho escravo no brasilO trabalho escravo no brasil
O trabalho escravo no brasil
 
Escravatura
EscravaturaEscravatura
Escravatura
 
Trabalho Escravo Vs Direitos Humanos
Trabalho Escravo Vs Direitos HumanosTrabalho Escravo Vs Direitos Humanos
Trabalho Escravo Vs Direitos Humanos
 
Trabalho Escravo
Trabalho EscravoTrabalho Escravo
Trabalho Escravo
 
Escravidão no brasil
Escravidão no brasilEscravidão no brasil
Escravidão no brasil
 
Escravatura
EscravaturaEscravatura
Escravatura
 
Escravidão
EscravidãoEscravidão
Escravidão
 
Rugendas e Debret: retratos da escravidão no Brasil
Rugendas e Debret: retratos da escravidão no BrasilRugendas e Debret: retratos da escravidão no Brasil
Rugendas e Debret: retratos da escravidão no Brasil
 
Movimento abolicionista
Movimento abolicionistaMovimento abolicionista
Movimento abolicionista
 
Abolição da escravatura
Abolição da escravaturaAbolição da escravatura
Abolição da escravatura
 
Escravatura no seculo xvIII1
Escravatura no seculo xvIII1Escravatura no seculo xvIII1
Escravatura no seculo xvIII1
 
Escravatura
EscravaturaEscravatura
Escravatura
 

Semelhante a A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito tempo na história da humanidade e foi praticada por civilizações distintas como egípcios

Trabalho escravo 3º ano
Trabalho escravo 3º anoTrabalho escravo 3º ano
Trabalho escravo 3º anoAndré Moraes
 
APOSTILA ESTUDOS AMAZÔNICOS - Escravidão no Brasil 8°ano.pdf
APOSTILA ESTUDOS AMAZÔNICOS  - Escravidão no Brasil 8°ano.pdfAPOSTILA ESTUDOS AMAZÔNICOS  - Escravidão no Brasil 8°ano.pdf
APOSTILA ESTUDOS AMAZÔNICOS - Escravidão no Brasil 8°ano.pdfDyegovila1
 
Trabalho de História
Trabalho de HistóriaTrabalho de História
Trabalho de Históriajuracyferra
 
Escravidão negra africana no brasil colônia
Escravidão negra africana no brasil colôniaEscravidão negra africana no brasil colônia
Escravidão negra africana no brasil colôniaLuana Silveeira
 
TRABALHO DA ESCRAVATURA--HGP 6º ANO A - D.DINIS QUARTEIRA
TRABALHO DA  ESCRAVATURA--HGP 6º ANO A - D.DINIS QUARTEIRATRABALHO DA  ESCRAVATURA--HGP 6º ANO A - D.DINIS QUARTEIRA
TRABALHO DA ESCRAVATURA--HGP 6º ANO A - D.DINIS QUARTEIRAJooeRuteBaio
 
Trafico humano do Brasil colônia aos dias atuais.
Trafico humano do Brasil colônia aos dias atuais.Trafico humano do Brasil colônia aos dias atuais.
Trafico humano do Brasil colônia aos dias atuais.Isaní Vieira Jardim
 
Brasil Colônia - ciclo do ouro.pptx
Brasil Colônia - ciclo do ouro.pptxBrasil Colônia - ciclo do ouro.pptx
Brasil Colônia - ciclo do ouro.pptxMairaDeOliveiraPotri
 
7o. ano.revisão do capítulo 16
7o. ano.revisão do capítulo 167o. ano.revisão do capítulo 16
7o. ano.revisão do capítulo 16Raquel Avila
 
Brasil síntese histórica
Brasil síntese históricaBrasil síntese histórica
Brasil síntese históricaAEDFL
 
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoSegundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoValéria Shoujofan
 
Aula 8 [1-2022] - Migrantes
Aula 8 [1-2022] - MigrantesAula 8 [1-2022] - Migrantes
Aula 8 [1-2022] - MigrantesGerson Coppes
 
Abolição da escravatura no Brasil.pptx
Abolição da escravatura no Brasil.pptxAbolição da escravatura no Brasil.pptx
Abolição da escravatura no Brasil.pptxANDRÉA LEMOS
 

Semelhante a A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito tempo na história da humanidade e foi praticada por civilizações distintas como egípcios (20)

Trabalho escravo 3º ano
Trabalho escravo 3º anoTrabalho escravo 3º ano
Trabalho escravo 3º ano
 
A escravidao
A escravidaoA escravidao
A escravidao
 
APOSTILA ESTUDOS AMAZÔNICOS - Escravidão no Brasil 8°ano.pdf
APOSTILA ESTUDOS AMAZÔNICOS  - Escravidão no Brasil 8°ano.pdfAPOSTILA ESTUDOS AMAZÔNICOS  - Escravidão no Brasil 8°ano.pdf
APOSTILA ESTUDOS AMAZÔNICOS - Escravidão no Brasil 8°ano.pdf
 
Trabalho de História
Trabalho de HistóriaTrabalho de História
Trabalho de História
 
Diaspora Africana
Diaspora AfricanaDiaspora Africana
Diaspora Africana
 
Escravidão negra africana no brasil colônia
Escravidão negra africana no brasil colôniaEscravidão negra africana no brasil colônia
Escravidão negra africana no brasil colônia
 
TRABALHO DA ESCRAVATURA--HGP 6º ANO A - D.DINIS QUARTEIRA
TRABALHO DA  ESCRAVATURA--HGP 6º ANO A - D.DINIS QUARTEIRATRABALHO DA  ESCRAVATURA--HGP 6º ANO A - D.DINIS QUARTEIRA
TRABALHO DA ESCRAVATURA--HGP 6º ANO A - D.DINIS QUARTEIRA
 
Trafico humano do Brasil colônia aos dias atuais.
Trafico humano do Brasil colônia aos dias atuais.Trafico humano do Brasil colônia aos dias atuais.
Trafico humano do Brasil colônia aos dias atuais.
 
Sociedade Colonial Brasileira
Sociedade Colonial BrasileiraSociedade Colonial Brasileira
Sociedade Colonial Brasileira
 
Brasil Colônia - ciclo do ouro.pptx
Brasil Colônia - ciclo do ouro.pptxBrasil Colônia - ciclo do ouro.pptx
Brasil Colônia - ciclo do ouro.pptx
 
2º SEGUNDO REINADO.ppt
2º SEGUNDO REINADO.ppt2º SEGUNDO REINADO.ppt
2º SEGUNDO REINADO.ppt
 
7o. ano.revisão do capítulo 16
7o. ano.revisão do capítulo 167o. ano.revisão do capítulo 16
7o. ano.revisão do capítulo 16
 
Igreja e Escravidão no Brasil
Igreja e Escravidão no BrasilIgreja e Escravidão no Brasil
Igreja e Escravidão no Brasil
 
Brasil síntese histórica
Brasil síntese históricaBrasil síntese histórica
Brasil síntese histórica
 
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoSegundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
 
Segundo reinado
Segundo reinadoSegundo reinado
Segundo reinado
 
Aula 8 [1-2022] - Migrantes
Aula 8 [1-2022] - MigrantesAula 8 [1-2022] - Migrantes
Aula 8 [1-2022] - Migrantes
 
ESCRAVIDÃO
ESCRAVIDÃOESCRAVIDÃO
ESCRAVIDÃO
 
Abolição da escravatura no Brasil.pptx
Abolição da escravatura no Brasil.pptxAbolição da escravatura no Brasil.pptx
Abolição da escravatura no Brasil.pptx
 
América Portuguesa
América PortuguesaAmérica Portuguesa
América Portuguesa
 

Mais de manuelacarvalho

Mais de manuelacarvalho (10)

10 teste 10.4
10 teste 10.410 teste 10.4
10 teste 10.4
 
M5 gin ii ginastica solo_11_ano
M5 gin ii ginastica solo_11_anoM5 gin ii ginastica solo_11_ano
M5 gin ii ginastica solo_11_ano
 
M2 jdcii voleibol_11_ano
M2 jdcii voleibol_11_anoM2 jdcii voleibol_11_ano
M2 jdcii voleibol_11_ano
 
Registo de ocorrencias
Registo de ocorrenciasRegisto de ocorrencias
Registo de ocorrencias
 
Guiao intercalar outubro_2013-1
Guiao intercalar outubro_2013-1Guiao intercalar outubro_2013-1
Guiao intercalar outubro_2013-1
 
Horario desporto escolar 2
Horario desporto escolar 2Horario desporto escolar 2
Horario desporto escolar 2
 
Visita estudoporto
Visita estudoportoVisita estudoporto
Visita estudoporto
 
Planifi e fisica 7 ano 2014
Planifi e fisica 7 ano 2014Planifi e fisica 7 ano 2014
Planifi e fisica 7 ano 2014
 
Logotipo
LogotipoLogotipo
Logotipo
 
Calendário escolar 2014 15-2
Calendário escolar 2014 15-2Calendário escolar 2014 15-2
Calendário escolar 2014 15-2
 

Último

DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 

Último (20)

DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 

A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito tempo na história da humanidade e foi praticada por civilizações distintas como egípcios

  • 1.  A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito tempo na história da humanidade e foi praticada por civilizações distintas como egípcios, assírios, hebreus, gregos e romanos.  No entanto, o tipo de escravidão que se deu nas Américas, logo após o seu descobrimento por Cristovão Colombo, em 1492, era praticamente inédito e baseou-se no subjugamento de uma raça, em razão da cor da pele.  No Brasil a escravidão começou com os índios, mas como eles não se adaptavam ao serviço de trabalho os colonizadores recorreram aos negros africanos, que foram utilizados nas minas e nas plantações: de dia faziam tarefas costumeiras, a noite carregavam cana e lenha, transportavam fôrmas, purificavam, trituravam e encaixotavam o açúcar. O comércio de escravos passou a ter rotas intercontinentais no momento em que os europeus começaram a colonizar os outros continentes, no século XVI e, no caso das Américas em que os povos locais não se deixaram subjugar, foi necessário importar mão-de-obra, principalmente da África. Nessa altura, muitos reinos africanos e árabes passaram a capturar escravos para vender aos europeus.
  • 2.  Na colónia de Angola, a exportação de mão de obra escrava foi alvo de competição no século XVII entre portugueses e holandeses. É depois da disputa entre os colonizadores, cujo vencedor foi o reino de Portugal, que pode ter- se originado a captura direta de escravos, nas chamadas Guerras Angolanas, no seio de certas tribos.  Foi dessa forma que Angola se tornou um centro importante de fornecimento de mão de obra escrava para o Brasil, onde crescia não apenas a produção de cana-de-açúcar no Nordeste, mas também a exploração de ouro na região central.  Os negros, trazidos do continente Africano, eram transportados dentro dos porões dos navios negreiros. Devido as péssimas condições deste meio de transporte, muitos deles morriam durante a viagem .
  • 3. A crise de Portugal  Em 1755, Portugal foi abalado por um terremoto e começou a perder o controle do tráfico.  No continente africano, a submissão das populações também já não era tão simples como no passado  Com o surgimento do ideal liberal e da ciência económica na Europa, a escravatura passou a ser considerada pouco produtiva e moralmente incorreta. A escravidão é pouco produtiva porque, como o escravo não tem propriedade sobre sua própria produção, ele não é estimulado a produzir já que isto não irá resultar em um incremento no bem-estar material de si mesmo.  Povos do interior começaram a organizar ataques … Abolição da Escravatura em PORTUGAL  A escravatura em Portugal continental e na Índia foi abolida a 12 de Fevereiro de 1761 por Marquês de Pombal, durante o reinado de D. José I. No entanto, só no séc. XIX é que a escravatura foi verdadeiramente abolida em todo o Império.  Os primeiros escravos a serem libertados nas colónias foram os do Estado, por Decreto de 1854, mais tarde, os das Igrejas, por Decreto de 1856 e só com a lei de 25 de Fevereiro de 1869 é que se proclamou a abolição total da escravatura em todo o Império Português.
  • 4. NO BRASIL:  Em 1850 foi feita, no Brasil, a Lei Eusébio de Queirós que impunha punição aos traficantes de escravos, assim nenhum escravo mais entrava no país;  em 1871 foi feita a Lei do Ventre Livre que declarava livre os filhos de escravos nascidos a partir daquele ano,  e em 1885 a Lei dos Sexagenários, que concedia liberdade aos maiores de 60 anos.  E mais tarde fez surgir o abolicionismo, em meados do século XIX. Em 1888, quando a escravidão foi abolida no Brasil, ele era o único país ocidental que ainda mantinha a escravidão legalizada. Escravatura, hoje... A escravatura não é um fenómeno ultrapassado. Permanece até aos nossos dias como uma realidade económica, social e humana. Não obstante as abolições e a Declaração Universal dos Direitos do Homem de 1948 — cujo artigo 4º estipula que «Ninguém será mantido em escravatura ou em servidão; a escravatura e o trato dos escravos, sob todas as formas, são proibidos» —, antigas práticas esclavagistas persistem em novos contextos económicos.