Aula0 contab custos_te_tcu_59376

338 visualizações

Publicada em

Contabilidade de custos

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
338
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula0 contab custos_te_tcu_59376

  1. 1. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA Saudações! Bem vindo ao nosso curso de Teoria e Exercícios de Contabilidade de Custos para o cargo de Auditor Federal de Controle Externo - Área: Controle Externo - Especialidade: Auditoria Governamental - do Tribunal de Contas da União (TCU). É uma imensa satisfação tê-lo como aluno. Como este é o nosso primeiro encontro, peço licença para uma breve apresentação. O meu nome é Alexandre Lima. Obtive o grau de Bacharel em Ciências Navais com ênfase em Eletrônica pela Escola Naval e os de Engenheiro Elétrico com ênfase em Telecomunicações, Mestre e Doutor em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Sou Auditor-Fiscal Tributário Municipal de São Paulo. Exerço o magistério universitário e ministro aulas de Contabilidade, Raciocínio Lógico-Quantitativo e Estatística para concursos. Aqui no “Ponto”, já tive a oportunidade de ministrar vários cursos de Contabilidade de Custos, Contabilidade Gerencial e de Custos, Contabilidade Geral, Estatística, Econometria e Raciocínio Lógico-Quantitativo. Sou autor do livro “Contabilidade de Custos para Concursos” e coautor, em parceria com o Moraes Junior, da obra “Raciocínio Lógico – Incluindo Matemática, Matemática Financeira e Estatística”, ambos publicados pela Editora Método. O meu objetivo é contribuir de forma significativa para a sua aprovação. Neste sentido, farei o meu melhor para apresentar os tópicos de Contabilidade de Custos de uma forma clara e objetiva. Tenha em mente que não é necessário saber toda a matéria para ir bem na prova. O importante é aprender o que a banca examinadora normalmente exige do candidato em cada tópico do edital. Utilizarei o maior número possível de questões recentes do CESPE/UnB. Contudo, é bom esclarecer que também costumo resolver, por razões didáticas, questões propostas por outras bancas. Observe que todas as questões incluídas nas aulas são cuidadosamente selecionadas para que o seu aproveitamento seja máximo. As soluções apresentadas são resultantes de um longo processo evolutivo, fruto de uma intensa interação com os alunos via forum web etc. Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 1
  2. 2. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA Segue-se o conteúdo programático: Aula 0: Aula Demonstrativa – Exercícios Comentados e Resolvidos. AULA 1 (03/09/13): INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE DE CUSTOS ⇒ Correlação com o edital: 1 Sistemas de custos: terminologia aplicada à Contabilidade de Custos, terminologia em entidades não industriais. 2 Classificação de custos. 2.1 Custos diretos: custos fixos e variáveis. 2.2 Distinção entre custos e despesas. AULA 2 (10/09/13): PRINCÍPIOS PARA AVALIAÇÃO DE ESTOQUES - PARTE I ⇒ Correlação com o edital: 3 Métodos de custeio: por absorção e variável. 3.1 Definição, principais características, diferenciação, vantagens e desvantagens. AULA 3 (17/09/13): PRINCÍPIOS PARA AVALIAÇÃO DE ESTOQUES - PARTE II ⇒ Correlação com o edital: 2.3 Custos indiretos: alocação e determinação da base para alocação. 2.4 Custos indiretos: custos fixos e variáveis. AULA 4 (24/09/13): CUSTEIO ABC ⇒ Correlação com o edital: 3 Métodos de custeio: ABC. 3.1 Definição, principais características, diferenciação, vantagens e desvantagens. AULA 5 (01/10/13): ANÁLISE DAS RELAÇÕES CUSTO/VOLUME/LUCRO: PONTO DE EQUILÍBRIO, MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO, MARGEM DE SEGURANÇA E GRAU DE ALAVANCAGEM OPERACIONAL ⇒ Correlação com o edital: Tópico extra: análise da relação custo/volume/lucro. Revisão da matéria para a prova. As dúvidas serão sanadas por meio do fórum web do Ponto, ao qual todos os matriculados terão acesso. As críticas ou sugestões poderão ser enviadas para a caixa postal alexandre@pontodosconcursos.com.br O preguiçoso deseja e nada consegue, mas os desejos do diligente são amplamente satisfeitos, Provérbios 13.4. Nunca desista do seu sonho. Deus nos deu o livre arbítrio para que possamos fazer as nossas escolhas. Se você deseja ser aprovado em um concurso Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 2
  3. 3. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA público, lute por isso, com dedicação e sacrifício, sempre visando ao seu objetivo. Desta forma, você conseguirá ser aprovado! Bons estudos e fé na missão! Até a próxima aula! Prof. Alexandre Lima Agosto/2013 Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 3
  4. 4. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA Modelo de Aula com Exercícios Comentados e Resolvidos Nota: nesta aula demonstrativa serão apresentadas apenas questões comentadas; contudo, o curso será de teoria e exercícios. (ANTAQ/CESPE-UnB/2009) Com relação aos conceitos e aplicações atinentes a custos em geral, julgue os itens subsequentes. 1. A contabilidade está crescentemente focada em sistemas de informação que permitam melhor gerenciamento de custos, constituindo parte do domínio da contabilidade gerencial. A contabilidade de custos, como suporte para a tomada de decisões, é essencial para: introduzir ou cortar determinado produto, determinar preços, definir a melhor opção entre comprar ou produzir. Resolução A banca julgou o item como certo. Contudo, entendemos que uma parte do texto do item é questionável, pois afirma-se que “A contabilidade de custos, como suporte para a tomada de decisões, é essencial para: introduzir ou cortar determinado produto, determinar preços, definir a melhor opção entre comprar ou produzir.” Ora, sabemos que a Contabilidade de Custos não determina o preço de venda do produto, pois ele depende de fatores econômicos. A teoria econômica diz que quem estabelece o preço de venda dos produtos é o mercado, basicamente através da oferta e da procura. Por esse motivo, julgamos que este item é errado. A fixação do preço de venda não cabe exclusivamente ao setor de custos, bem como não cabe totalmente ao setor de marketing. Mas a banca manteve o gabarito como item certo. Não obstante, não há dúvida de que é necessário conhecer o custo do produto para administrar preços de venda, saber se o produto é lucrativo etc. GABARITO: C 2. Sabendo-se que, em uma empresa industrial, os custos e despesas fixos são de R$ 540.000,00, e a margem de contribuição unitária, R$ 120,00, conclui-se que a empresa deverá produzir e vender, no mínimo, 4.500 unidades para que não haja prejuízo. Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 4
  5. 5. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA Resolução Dados: • Custos e Despesas Fixos (CF) = $ 540.000 • MCu = $ 120 O ponto de equilíbio corresponde à quantidade mínima de produtos que deverão ser fabricados e vendidos pela empresa para que não incorra em prejuízo: Qe = CF/MCu = $ 540.000/($120/un) = 4.500 unidades Conclui-se que a empresa deverá produzir e vender, no mínimo, 4.500 unidades para que não haja prejuízo. Item certo. Margem de Contribuição Unitária = MCu = PVu – CVu em que PVu denota o Preço de Venda unitário e CVu é dada pela relação (custos e despesas variáveis)/quantidade produzida. A Margem de Contribuição Total (ou simplesmente Margem de Contribuição) corresponde à diferença entre a receita total e os custos variáveis totais, ou seja, mostra o quanto sobra de receitas para cobrir os custos e despesas fixos. GABARITO: C 3. Considere a hipótese de o ponto de equilíbrio contábil ter sido calculado com base em custos e despesas fixos que incluem depreciação e amortização, que não representarão desembolso. Nesse caso, é correto afirmar que o ponto de equilíbrio financeiro será obtido a um nível de produção superior ao calculado para a obtenção do equilíbrio contábil. Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 5
  6. 6. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA Resolução Considerando a hipótese de o ponto de equilíbrio contábil (Qe = CF/MCu) ter sido calculado com base em custos e despesas fixos que incluem depreciação e amortização, que não representarão desembolso, então o ponto de equilíbrio financeiro (QeF = (CF – Depreciação)/MCu) será obtido a um nível de produção inferior ao calculado para a obtenção do equilíbrio contábil, em virtude de considerar somente os custos e despesas que representam desembolso financeiro. Para chegar a essa conclusão, basta observar que o numerador da fórmula do QeF será menor que o numerador da fórmula de Qe. Item errado O Ponto de Equilíbrio Contábil corresponde à quantidade que equilibra a receita total com a soma dos custos e despesas relativos aos produtos fabricados e vendidos: Qe = CF/MCU O Ponto de Equilíbrio Econômico corresponde à quantidade que iguala a receita total com a soma dos custos e despesas acrescidos do Custo de Oportunidade (CO): Qe = (CF + CO)/MCU O Ponto de Equilíbrio Financeiro corresponde à quantidade que iguala a receita total com a soma dos custos e despesas que representam desembolso financeiro para a empresa. Os encargos de depreciação são excluídos do cálculo do ponto de equilíbrio financeiro: Qe = (CF – Depreciação)/MCU GABARITO: E (Perito Criminal Federal/Cespe-UnB/2013) Uma empresa que utiliza o custeio por processo iniciou, em junho, a produção de 7.500 unidades de determinado produto. No final desse mesmo mês, restavam 300 unidades a serem concluídas. As unidades equivalentes (UEs) às unidades semiacabadas foram calculadas em 200 unidades referentes ao custo de materiais e 100 unidades referentes ao custo de conversão. Esses custos são, respectivamente, Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 6
  7. 7. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA R$ 12,00 e R$ 8,00 por UE. Com base nessas informações e considerando que a empresa adota o método da média ponderada, julgue o item abaixo. 4. O custo das unidades semiacabadas a serem apropriadas no final de junho é superior a R$ 3.000,00. Resolução CPP = MD + MOD + CIF Custo Primário = MD + MOD Custo de Conversão = MOD + CIF No final do mês de junho ainda há 300 unidades a serem concluídas (semiacabadas). Como o Equivalente de Produção é diferente para cada item do CPP, temos que Materiais Diretos (MD): 200 UE/300 un. = 2/3 processados (*) MOD + CIF: 100 UE/300 un. = 1/3 processados (*) UE: Unidade Equivalente Cada unidade semiacabada terá recebido: De MD, 2/3 x $12,00/UE $8,00 De MOD e CIF, 1/3 x $8,00/UE $2,67 Total $10,67/un. semiacabada Total da produção em andamento no final de junho: 300 un. x $10,67/un = $3.201,00 > $3.000,00 ⇒ item certo. GABARITO: C (TCE-ES/CESPE-UnB/2012) Considerando que uma empresa industrial consuma 60% de sua receita de vendas com seus custos variáveis, possuindo uma margem de contribuição unitária de $ 30, e que essa empresa obtenha um lucro operacional líquido de $ 12.000 com a venda de 10.000 unidades, julgue os próximos itens. 5. A empresa atinge o ponto de equilíbrio contábil com o faturamento de $ 700.000. Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 7
  8. 8. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA Resolução Dados: • Custos Variáveis (CV) consomem 60% da Receita de Vendas (RT): CV = 0,6.RT • Margem de Contribuição unitária (MCu) de $ 30: MCu = $ 30/un. • Lucro Operacional Líquido de $ 12.000 (LT = $ 12.000) com a venda de 10.000 unidades (Q = 10.000 un.) Cálculo do faturamento no ponto de equilíbrio (Qe) O Lucro Operacional Líquido (LT) associado a uma quantidade de vendas superior à de equilíbrio (Qe) é dado por LT = Margem de Contribuição Total – Custos e Despesas Fixos Pode-se demonstrar que LT também pode se calculado pela fórmula LT = (Q – Qe).MCu Então, 12.000 = (10.000 – Qe).30 400 = 10.000 – Qe ⇒ Qe = 9.600 un. ⇒ Ponto de Equilíbrio = 9.600 unidades. Mas, Qe = CF/Mcu, em que CF denota os Custos e Despesas Fixos. Então 9.600 = CF/30 ⇒ CF = 9.600 x 30 = $ 288.000 ⇒ CF = $ 288.000 O faturamento no ponto de equilíbrio, denotado por RTe, iguala a soma dos Custos Fixos e Custos Variáveis no ponto de equilíbrio (CVe): Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 8
  9. 9. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA RTe = CF + CVe = CF + 0,6.RTe 0,4.RTe = CF ⇒ RTe = CF/0,4 = 288.00/0,4 = $ 720.000 ⇒ Faturamento no ponto de equilíbrio = $ 720.000 > $ 700.000. Item errado. GABARITO: E 6. É necessário que essa empresa triplique o volume de vendas para que obtenha um lucro três vezes maior do que o atual sem alterar sua estrutura de custos ou seus preços. Resolução O Grau de Alavancagem Operacional (GAO) é definido por − ( ) / LT LT LT LT LT / 2 1 1 = = GAO Q Q Q − 2 1 1 ( ) / Q / Q Q Q Q em que Q2 LT e Q1 LT denotam os lucros operacionais líquidos nos volumes de vendas de 2 Q e 1 Q unidades, respectivamente. Podemos reescrever a fórmula acima na forma      × =  LT       Q Q GAO LT ou, em valores percentuais,      LT    Q ×100% 100% × × =     Q GAO LT , em que (LT / LT )×100% representa a variação percentual do lucro e (Q/Q) ×100% a variação percentual do volume de vendas. Você entenderá o significado do GAO com a análise de casos a seguir que poderia ocorrer em uma empresa. Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 9
  10. 10. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA Caso 1: considere um aumento de 100% do volume de vendas ( (Q/Q) ×100% =100%) e GAO = 2. Neste caso, obtemos (LT / LT )×100% = 2×100% = 200% (*). (*) Neste caso, o volume de vendas é duplicado, pois Q = ⇒ − = ⇒ = 1 Q Q Q Q 2Q 2 1 1 2 1 Q 1 e o lucro é triplicado LT = ⇒ − = ⇒ = 2 1 1 2 1 2 LT LT 2LT LT 3LT LT Caso 2: (Q/Q) ×100% =100% e GAO = 1/ 2 ⇒ (LT / LT )×100% = 0,5×100% = 50%. No caso 1, note que a variação percentual do lucro é duas vezes maior que a variação percentual do volume de vendas (porque GAO = 2), demonstrando que o aumento do volume de vendas alavanca os lucros da empresa, ou seja, é necessário que a empresa duplique o volume de vendas para que obtenha um lucro três vezes maior do que o atual sem alterar a estrutura de custos ou preços. No caso 2, é necessário que a empresa duplique o volume de vendas para que obtenha um lucro uma vez e meia maior do que o atual sem alterar a estrutura de custos ou preços. Repare que a duplicação do volume de vendas não provoca a duplicação do lucro porque GAO é menor que 1. Logo, não há efeito de alavanca. Pode-se demonstrar que Q = 1 − Q Q MS GAO e = em que MS é a Margem de Segurança (= percentual de redução de vendas que se pode suportar sem que haja prejuízo), Q é o volume atual de vendas e Qe é o volume de vendas no ponto de equilíbrio. Cálculo do GAO Dados: Q = 10.000 un.; Qe = 9.600 un. (vide solução do item anterior). Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 10
  11. 11. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA Logo, 25 10.000 = 10.000 = 400 − 10.000 9.600 GAO = O item afirma que “É necessário que essa empresa triplique o volume de vendas ( (Q/Q) = 2 ) para que obtenha um lucro três vezes maior do que o atual (LT / LT ) = 2 sem alterar sua estrutura de custos ou seus preços” ⇒ = / = 2 = 1 2 LT LT Q / Q GAO Mas o GAO calculado é 25, indicando que o esforço dedicado ao aumento do volume de vendas (Q/Q) causa um acréscimo 25 vezes maior no lucro da empresa. Item errado. GABARITO: E 7. O faturamento dessa empresa é superior a $ 740.000. Resolução ⇒ Faturamento no ponto de equilíbrio = RTe = $ 720.000 ⇒ Preço de Venda Unitário = PVu = ? ⇒ Ponto de equilíbrio em unidades = Qe = 9.600 un. ⇒ Volume atual de vendas em unidades = Q = 10.600 un. RTe = PVu x Qe ⇒ 720.000 = PVu x 9.600 ⇒ PVu = $ 75/un. ⇒ Faturamento atual = PVu x Q = $ 75 x 10.000/un. = $750.000 $740.000 Item certo. GABARITO: C (ANAC/CESPE-UnB/2012) Em relação à classificação e à terminologia de custos, julgue os itens a seguir. 8. O custo variável é uniforme por unidade, mas varia em relação ao total, na proporção direta das variações da atividade ou do volume de produção relacionado. Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 11
  12. 12. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA Resolução A classificação dos custos em fixos e variáveis leva em conta a unidade de tempo, o valor total dos custos com um item nessa unidade de tempo e o volume de atividade. A matéria-prima consumida em um período é um custo variável, porque tem relação direta e proporcional com o volume de produção relacionado. A conta dos telefones da fábrica, cujo valor pode variar de mês para mês, é um custo fixo, pois seu valor independe do volume produzido em cada período, ou, dito de outra forma, porque seu montante não varia em função do volume de produção de cada período. O fato de os Custos Variáveis (CV) serem diretamente proporcionais à Quantidade produzida (Q) é equacionado pela fórmula CV = CVu x Q em que CVu denota o Custo Variável Unitário. O custo variável é uniforme por unidade, pois a relação CVu = CV/Q = K, em que K é um valor constante, é válida para a grandeza CVu, ou seja, o CVu é fixo. GABARITO: C 9. O gasto com mão de obra durante um período de greve e a sobra de material proveniente da produção são considerados perda. Resolução A perda é um bem ou serviço consumido de forma anormal e involuntária. O gasto com a mão de obra durante um período de greve é um exemplo de perda. Não é considerado um custo de produção. A sobra de material proveniente da produção é um custo produtivo, pois é inerente ao processo de fabricação. Não se produz sem que haja sobras ou “perdas” de material (*). Como não é perda, o item é errado. Assim como as Despesas, as Perdas vão diretamente à conta de Resultado. (*) Não se confunda! Apesar de ser comum na prática o uso da expressão “perdas de material”, essas “perdas” são consideradas custos produtivos! Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 12
  13. 13. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA GABARITO: E R$ Custo variável unitário 30,00 Total de custos fixos 23.000,00 Despesas variáveis de venda (por unidade) 2,50 Em determinado ano, uma indústria iniciou a produção de 500 unidades de um produto, tendo concluído 80% dessas unidades. Os produtos em elaboração ficaram com 60% de acabamento médio e foram vendidas, no período, 300 unidades ao preço unitário de R$ 80,00. No mesmo período, foram coletadas as informações da indústria referentes a esse produto mostradas na tabela acima. Com base nessas informações e considerando que essa indústria não possuía estoques no início do ano e adota o custeio por absorção, julgue os itens a seguir. 10. O estoque final de produtos em elaboração é inferior a R$ 5.000,00. Resolução Dados: - Custos Fixos (CF) = $ 23.000 - Custo Variável Unitário (CVu) = $ 30/un. Custos de Produção do Período (CPP) = Custos Fixos + Custos Variáveis = CF + CV CV = CVu x Equivalente de Produção do período = CVu x EP Cálculo do EP: ⇒ 80% x 500 un. = 400 un. acabados ⇒ 20% x 500 un. = 100 un. semiacabados x 60% processados = 60 un. equivalentes. Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 13
  14. 14. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA ⇒ EP = 400 un. + 60 un. = 460 un. Cálculo do CV: ⇒ CV = CVu x EP = $ 30/un. x 460 un. = $ 13.800 Cálculo do CPP: ⇒ CPP = CF + CV = $ 23.000 + $ 13.800 = $ 36.800 Cálculo do Custo Médio (CM): CM = CPP/EP = $ 36.800/460 un. = $ 80/un. Estoque Final de Produtos em Elaboração (EFPE): ⇒ EFPE = 60 un. x $ 80/un. = $ 4.800 ⇒ inferior a $ 5.000. Item certo. GABARITO: C 11. O custo dos produtos vendidos no período foi igual a R$ 24.000,00. Resolução Custo dos Produtos Vendidos (CPV) = 300 un. x Custo Médio = 300 un. x $ 80/un. = $ 24.000. Item certo. GABARITO: C 12. O equivalente de produção desse ano foi superior a 470 unidades. Resolução O equivalente de produção foi calculado em item anterior e é igual a 460 unidades. Item errado. GABARITO: E Uma fábrica que adota o custeio por absorção aplicou R$ 35.000,00 de matéria-prima, R$ 15.000,00 de mão de obra direta e R$ 55.000,00 de custos Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 14
  15. 15. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA indiretos de fabricação em sua produção do mês de setembro de 2012. O saldo inicial dos estoques de produtos em elaboração do referido mês foi de R$ 8.000,00 e a fábrica não possuía estoque de produtos acabados no início do mês. Considerando que a fábrica vende seu único produto por R$ 20,00 a unidade e que foi vendida a produção total de 6.000 unidades, julgue os itens que se seguem. 13. Se o lucro bruto for de R$ 20.000,00, o estoque final de produtos em elaboração será igual a R$ 13.000,00. Resolução Dados: - Matéria-Prima (MD) = $ 35.000; - Mão de Obra Direta (MOD) = $ 15.000; - Custos Indiretos de Fabricação (CIF) = $ 55.000; - Estoque Inicial de Produtos em Elaboração (EIPE) = $ 8.000; - Estoque Inicial de Produtos Acabados (EIPA) = $ 0; - Preço de Venda unitário (PVu) = $ 20; - A produção total de 6.000 un. foi vendida. Isto quer dizer que o Estoque Final de Produtos Acabados (EFPA) é nulo, ou seja, EFPA = $ 0; e - Lucro Bruto = $ 20.000. Custos de Produção do Período (CPP) = MD + MOD + CIF CPP = $ 35.000 + $ 15.000 + $ 55.000 = $ 105.000 Receita com Vendas (V) = PVu x Q = $ 20/un x 6.000 un = $ 120.000 LB = V – CPV ⇒ CPV = V – LB = 120.000 – 20.000 = 100.000 CPA = CPP + EIPE – EFPE = $105.000 + $8.000 – EFPE = 113.000 – EFPE CPV = CPA + EIPA – EFPA ⇒ 100.000 = (113.000 – EFPE) + 0 + 0 ⇒ EFPE = $113.000 – $100.000 = $13.000. EFPE = $13.000, item certo. GABARITO: C Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 15
  16. 16. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA (ANAC/Cespe-UnB/2012) Tendo em vista que a análise de custos é um dos principais fatores para a tomada de decisões em uma empresa, julgue os itens que se seguem. 14. Quanto maior for a razão que fornece o valor da margem de segurança, maior será o risco de se ultrapassar o ponto de equilíbrio. Resolução A Margem de Segurança (MS) é o percentual de redução de vendas que a empresa pode suportar sem que tenha prejuízo: − e Q Q Q MS = Quanto mais distante o volume de vendas Q estiver do ponto de equilíbrio Qe, maior será o valor de MS. Logo, é errado afirmar que “Quanto maior for a razão que fornece o valor da margem de segurança, maior será o risco de se ultrapassar o ponto de equilíbrio”. Item errado. GABARITO: E 15. Para se obter a margem de contribuição os custos fixos e variáveis devem ser subtraídos das vendas. Resolução Esquema da Demonstração do Resultado do Período pelo Custeio Variável: Vendas Líquidas (-) CPV (-) Despesas Variáveis Margem de Contribuição (-) Custos Fixos (-) Despesas Fixas Lucro Líquido Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 16
  17. 17. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA O esquema acima mostra que os custos fixos não devem ser subtraídos das vendas para se obter a margem de contribuição. Item errado. GABARITO: E 16. A análise do ponto de equilíbrio presume que há somente um produto ou grupo constante de produtos em que o preço de venda, a eficiência da produção e o custo variável por unidade são constantes. Resolução Há limitações ao uso da análise do ponto de equilíbro. Imagine o caso de uma empresa que fabrica diversos produtos, com preços, custos e despesas variáveis diferenciados para cada linha de produto. O assunto se complica, pois não é possível calcular um ponto de equilíbrio global. Uma alternativa é calcular o ponto de equilíbrio por produto. O item é certo, porque a análise do ponto de equilíbrio presume que há somente um produto ou grupo constante de produtos em que o preço de venda, a eficiência da produção e o custo variável por unidade são constantes Item certo. GABARITO: C Bons estudos e até a próxima aula! Alexandre Lima alexandre@pontodosconcursos.com.br Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 17
  18. 18. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA Lista de Questões Comentadas na Aula (ANTAQ/CESPE-UnB/2009) Com relação aos conceitos e aplicações atinentes a custos em geral, julgue os itens subsequentes. 1. A contabilidade está crescentemente focada em sistemas de informação que permitam melhor gerenciamento de custos, constituindo parte do domínio da contabilidade gerencial. A contabilidade de custos, como suporte para a tomada de decisões, é essencial para: introduzir ou cortar determinado produto, determinar preços, definir a melhor opção entre comprar ou produzir. 2. Sabendo-se que, em uma empresa industrial, os custos e despesas fixos são de R$ 540.000,00, e a margem de contribuição unitária, R$ 120,00, conclui-se que a empresa deverá produzir e vender, no mínimo, 4.500 unidades para que não haja prejuízo. 3. Considere a hipótese de o ponto de equilíbrio contábil ter sido calculado com base em custos e despesas fixos que incluem depreciação e amortização, que não representarão desembolso. Nesse caso, é correto afirmar que o ponto de equilíbrio financeiro será obtido a um nível de produção superior ao calculado para a obtenção do equilíbrio contábil. (Perito Criminal Federal/CESPE-UnB/2013) Uma empresa que utiliza o custeio por processo iniciou, em junho, a produção de 7.500 unidades de determinado produto. No final desse mesmo mês, restavam 300 unidades a serem concluídas. As unidades equivalentes (UEs) às unidades semiacabadas foram calculadas em 200 unidades referentes ao custo de materiais e 100 unidades referentes ao custo de conversão. Esses custos são, respectivamente, R$ 12,00 e R$ 8,00 por UE. Com base nessas informações e considerando que a empresa adota o método da média ponderada, julgue o item abaixo. 4. O custo das unidades semiacabadas a serem apropriadas no final de junho é superior a R$ 3.000,00. (TCE-ES/CESPE-UnB/2012) Considerando que uma empresa industrial consuma 60% de sua receita de vendas com seus custos variáveis, possuindo uma margem de contribuição unitária de $ 30, e que essa empresa obtenha um lucro operacional líquido de $ 12.000 com a venda de 10.000 unidades, julgue os próximos itens. 5. A empresa atinge o ponto de equilíbrio contábil com o faturamento de $ 700.000. Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 18
  19. 19. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA 6. É necessário que essa empresa triplique o volume de vendas para que obtenha um lucro três vezes maior do que o atual sem alterar sua estrutura de custos ou seus preços. 7. O faturamento dessa empresa é superior a $ 740.000. (ANAC/CESPE-UnB/2012) Em relação à classificação e à terminologia de custos, julgue os itens a seguir. 8. O custo variável é uniforme por unidade, mas varia em relação ao total, na proporção direta das variações da atividade ou do volume de produção relacionado. 9. O gasto com mão de obra durante um período de greve e a sobra de material proveniente da produção são considerados perda. R$ Custo variável unitário 30,00 Total de custos fixos 23.000,00 Despesas variáveis de venda (por unidade) 2,50 Em determinado ano, uma indústria iniciou a produção de 500 unidades de um produto, tendo concluído 80% dessas unidades. Os produtos em elaboração ficaram com 60% de acabamento médio e foram vendidas, no período, 300 unidades ao preço unitário de R$ 80,00. No mesmo período, foram coletadas as informações da indústria referentes a esse produto mostradas na tabela acima. Com base nessas informações e considerando que essa indústria não possuía estoques no início do ano e adota o custeio por absorção, julgue os itens a seguir. 10. O estoque final de produtos em elaboração é inferior a R$ 5.000,00. 11. O custo dos produtos vendidos no período foi igual a R$ 24.000,00. 12. O equivalente de produção desse ano foi superior a 470 unidades. (ANAC/CESPE-UnB/2012) Uma fábrica que adota o custeio por absorção aplicou R$ 35.000,00 de matéria-prima, R$ 15.000,00 de mão de obra direta e Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 19
  20. 20. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA R$ 55.000,00 de custos indiretos de fabricação em sua produção do mês de setembro de 2012. O saldo inicial dos estoques de produtos em elaboração do referido mês foi de R$ 8.000,00 e a fábrica não possuía estoque de produtos acabados no início do mês. Considerando que a fábrica vende seu único produto por R$ 20,00 a unidade e que foi vendida a produção total de 6.000 unidades, julgue os itens que se seguem. 13. Se o lucro bruto for de R$ 20.000,00, o estoque final de produtos em elaboração será igual a R$ 13.000,00. (ANAC/CESPE-UnB/2012) Tendo em vista que a análise de custos é um dos principais fatores para a tomada de decisões em uma empresa, julgue os itens que se seguem. 14. Quanto maior for a razão que fornece o valor da margem de segurança, maior será o risco de se ultrapassar o ponto de equilíbrio. 15. Para se obter a margem de contribuição os custos fixos e variáveis devem ser subtraídos das vendas. 16. A análise do ponto de equilíbrio presume que há somente um produto ou grupo constante de produtos em que o preço de venda, a eficiência da produção e o custo variável por unidade são constantes. Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 20
  21. 21. CONTABILIDADE DE CUSTOS – TEORIA E EXERCÍCIOS – AFCE/TCU – 2013 PROF. ALEXANDRE LIMA Gabarito 1 – C 2 – C 3 – E 4 – C 5 – E 6 – E 7 – C 8 – C 9 – E 10 – C 11 – C 12 – E 13 – C 14 – E 15 – E 16 – C Bibliografia ALEXANDRE LIMA, “Contabilidade de Custos para Concursos: Teoria e Questões Comentadas da FCC, FGV CESPE e ESAF”, Método, 2010. Prof. Alexandre Lima www.pontodosconcursos.com.br 21

×