Os Ágeis e os Perplexos - Manoel Pimentel & Jorge Diz

1.309 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.309
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
29
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
84
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os Ágeis e os Perplexos - Manoel Pimentel & Jorge Diz

  1. 1. Os Ágeis e os Perplexos # Tendências em Metodologias # Jorge Diz - Globalcode Manoel Pimentel Medeiros - Visão Ágil The Devel nscr se á opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! ' er ul
  2. 2. Sobre os Autores Jorge Diz - Mestre em Engenharia Elétrica e Bacharel em Ciência da Computação, ambos pela UNICAMP. Com 25 anos de estrada na área de tecnologia da informação, boa parte deles em grandes empresas, ensina há 7 anos, 2 deles na Globalcode. Interessado atualmente em metodologias, testes e linguagens específicas de domínio. Fisgado pelo Java em 1999, certificado SCJP e SCWCD Manoel Pimentel - É Engenheiro de Software, com mais de 15 anos na área de TI, atualmente trabalha com projetos Java pela Rhealeza(SP) e como Coach em metodologias pela Fratech Tecnologia(SP). É Diretor Editorial da Revista Visão Ágil, Possui as certificações CSM e CSP da Scrum Alliance e foi um dos pioneiros na utilização e divulgação de métodos ágeis no Brasil. Maiores informações em: http://manoelpimentel.blogspot.com The Devel nscr se á opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! ' er ul
  3. 3. Agenda Objetivo: Debater as tendências em metodologias no 40o. aniversário da engenharia de software The Devel nscr se á opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! ' er ul
  4. 4. Engenharia de Software, 40 A crise do software (meados dos ´60) Convocação pela OTAN de uma conferência sobre “Engenharia de Software” com 40 gurus de 11 paises. Darmisch, Alemanha, outubro de 1968 Roma, outubro de 1969 The Devel nscr se á opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! ' er ul
  5. 5. Engenharia de Software, 40 The Devel nscr se á opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! ' er ul
  6. 6. Engenharia de Software, 40 Assuntos discutidos: - Linguagens de alto nível - Terminais interativos - Métodos formais - Gestão de projetos The Devel nscr se á opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! ' er ul
  7. 7. Institucionalização Engenharia de Software, início dos ´90 Conjunto de boas práticas aceito, ensinado e avaliado. Livro do Pressman 1st ed.: 1982 SEI – CMU SW Capability Maturity Model: Watts Humphrey, 1987 The Devel nscr se á opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! ' er ul
  8. 8. The Chaos Report 1994: A consultoria The Standish Group publica o 1o. “Relatório do Caos” The Devel nscr se á opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! ' er ul
  9. 9. E agora, José ? Se a engenharia de software era a resposta, porque as coisas continuavam dando errado ? The Devel nscr se á opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! ' er ul
  10. 10. A direita: Faça mais ! As práticas da Engenharia de Software estão certas, mas não estão sendo usadas => Quem produz software precisa provar que segue as melhores práticas “Não vamos jogar for a o bebê junto com a água do banho” “Primeira lei da má gestão: se algo não está funcionando, faça mais desse algo” Tom DeMarco, Slack, 2004 0 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  11. 11. Glossário de direita SW - M ,CM M I M PS. ,m odel de CM , br o m at i urdade,KPAs PAs , Contenção de defeitos SPI SPI m el i de pr , N, hora ocesso Mitigação de riscos evi ênci não conf m i d a, or dade,w ai ver políticas, procedimentos, programas É ader e ? ent PSP, TSP, WBS i tt onalzado ns iuci i repetível pr s ã oces o padr o,proces o defni s i do ITIL, COBIT, Sox, governança des o de pr vi ocesso commitment, tailoring, capability ê a ê or ger nci s ni (mil nomes) de requisitos PM I PM P,PM O,es ióro de pr et , crt i oj os matriz de impactos pré-planejar, planejar, re-planejar Docum ent ,r s r ,evi ar egit ar denci ,m edi, ar r verfcar r s ,i peci ii , eviar ns onar audiar , t Modelo-V s s As es m ent appr s = euf im ospar , aial em s a Wideband Delphi, CoCoMo, FPA, cer ii ção tfca pontos de função bas i elne Cleanroom 1 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  12. 12. Representante da Direita M odel em cascat o a (waterfall) Requi ios st Análs ie Desenho Const ução r Teste Ent ega r 2 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  13. 13. Mas qual o problema? M odel em cascat o a (waterfall) Planejamento ( árosM eses) V i Quant docum ent os os or f am geradosaqui ? Desenvolvimento ( árosM esesou VárosAnos) V i i Est ossendo am Teste( as) Di pr odutvos? i E se at asar r ? Zi Test p e? Se tverpr em a? i obl Entrega E se não está ader e? ent 3 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  14. 14. A esquerda: Faça diferente ! Algo deve estar errado com o que achamos que conhecemos => Precisamos explorar metodologias diferentes “Estas metodologias estão ai há muito tempo. Não têm se destacado por serem escandalosamente bem-sucedidas. Muito menos por serem populares” Martin Fowler, “The New Methodology”, 2000 4 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  15. 15. Glossário de esquerda r iy drven ealt i qualdade i er X ext na i nt na er user Story / requisitos executáveis com uni ção /f ca eedback test|example|behavior - driven panni gam e,pl ng poker ng anni development r act i ef orng pair programming velocity / timebox / burndown chart m uda,kanban,poka-yoke,kai zen,TPS integração contínua l t nki pens ent enxut ean hi ng, am o o domain-driven design fuxo ( i ál Csks l M h y í zent i ál ) m h yi agile draw es á copo negoci vel context-driven testing FDD,DSDM ,OpenUP,XP ubiquitous language / metaphor product backlog sustainable pace/ takt time product owner, customer representative chickens & pigs scrum stand-up meeting 5 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  16. 16. Cargo Cult 6 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  17. 17. O Manifesto Ágil Em 2001 Em um hotel nas montanhas do Colorado, alguns gurus de “esquerda” se juntaram para discutir. Resultado: O Manifesto Ágil 7 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  18. 18. O Manifesto Ágil (Os gurus) 8 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  19. 19. O Manifesto Ágil “ am os descobrndo m el es m aneias de desenvol Est i hor r ver sofw ar f udando outos a f ê-o. t e, azendo sofw ar e aj t e r az l Atavés dest tabal passam os a val i : r e r ho orzar Indivíduos e interações m ai que pr s ocessos e f r ent er am as. S oftware que funciona m ai que docum ent ção det hada. s a al C olaboração do cliente m ai que negoci ções contat s. s a r uai R es ponder às mudanças m ai que segui um pl s r ano. I o é,em bor haj val nos iens do l st a a or t ado dieio, r t nós val i orzam os mais os do lado esquer ” do. http://www.ag ilemanifes to.org 2001 9 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  20. 20. O que é ser ágil? A definição para a palavra ágil é “Que tem grande facilidade de se mover e mudar; Também lembra: ligeiro, leve e flexível.“ ● Pense em seu projeto atual. Ele é ágil? ● Pode ser mais ágil? ● Se o objetivo dele mudar da noite pro dia, qual será o esforço necessário para adaptar-se ao novo objetivo? ● Se nada mudar, o projeto será um sucesso? 0 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  21. 21. Você comeria toda essa carne? 1 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  22. 22. Modelos Iterativos Requi t sios Ver ão 2 s ncr al I em ent Teste Análse i Ver ão 1 s Requi t sios Análse i Análse i Desenho Desenho Cons r ção tu Cons r ção tu Teste Tes e t Ent ega r Const ução r Desenho Evol onáro uci i 2 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  23. 23. Ciclo de Vida Iterativo Defni osobj i gl s i r etvos obai Pl 1 ano Defni a abor i r dagem gl obal Cons r rum pl ier i gr s r t ui ano t atvo os eio Analsare pr et a ier ção i oj ar t a I pl ent a ier ção m em ar t a Pl n ano Ent egarpar osusuáros r a i Avalarosr ulados i es t Dicutre r s r lçõesapr s i egit ar i endi das Defni a pr xi a ier ção i r ó m t a 3 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  24. 24. Os 12 Princípios Ágeis Entendendo o Manifesto Ágil: ● Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente através da entrega antecipada e contínua de software com valor. ● Receber mudanças nos requisitos, mesmo tarde no desenvolvimento. Processos ágeis aproveitam a mudança para a vantagem competitiva do cliente. ● Entregar freqüentemente software que funciona, desde poucas semanas até poucos meses, com uma preferência pela menor escala de tempo. ● Pessoal de negócio e desenvolvedores devem trabalhar juntos efetivamente por todo o projeto. 4 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  25. 25. Os 12 Princípios Ágeis ● Construa projetos em torno de indivíduos motivados. Dê-lhes o ambiente e o apoio necessários e confie neles para realizarem o trabalho. ● O método mais eficiente e eficaz de transmitir informação para e dentro da equipe de desenvolvimento é a conversação face-a-face. ● Software que funciona é a medida primordial de progresso. ● Processos ágeis promovem o desenvolvimento sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários devem ser capazes de manter um ritmo constante indefinidamente. 5 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  26. 26. Os 12 Princípios Ágeis ● Atenção contínua à excelência técnica e bom desenho (design) elevam a agilidade. ● Simplicidade (a arte de maximizar a quantidade de trabalho não realizado) é essencial. ● As melhores arquiteturas, requisitos e desenhos (designs) emergem de equipes auto-organizadas. ● Em intervalos regulares a equipe reflete sobre como se tornar mais eficaz, e então ajusta seu comportamento de acordo. 6 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  27. 27. Gerenciamento Ágil A n tevi ã o s P l o de an L i e ra ç ã o b E sp ecular E xp lorar Ação Adaptativa F un c i n ald ad es o i A d ap tar C o m p l ta d a s e L i de sta F un c i n ald ad e s o i P ro d u to Fi l na F ech ar “A g il P ro j ct M a na g e m e nt” e e Jim H ig hsm ith , 2 0 0 4 7 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  28. 28. Lean Thinking - Princípios > Elimine o Desperdício (Eliminate Waste) > Crie Conhecimento (Create Knowledge ) > Produza com qualidade (Build Quality In) > Crie comprometimento (Defer Commitment) > Entregue rápido (Deliver Fast) > Respeito as pessoas (Respect People) > Melhore o sistema (Improve the System) 8 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  29. 29. Modelagem Ágil AgileDraw Prototipação M3 – Mind Map M odeling UM L em Cores 9 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  30. 30. Scrum - Fases > Pregame > Planejamento > Desenho e alto nível da Arquitetura > Modelo Abrangente > Game > Sprints (Modelagem incremental, análise, desenvolvimento, Revisões e ajustes) > Postgame > Fechamento (Agrupamento da Documentação, Treinamento, Lições Aprendidas) 0 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  31. 31. Scrum – Fluxo de Sprint Progresso 900 Esforço Restante (horas) 800 752 762 700 664 600 619 500 400 300 304 264 200 180 100 104 Reuniões 0 20 Diárias 24 horas 13 2 15 02 17 2 19 02 21 02 23 2 25 02 27 2 29 02 31 02 2 5/ 2 7/ 2 5 / 02 1 1 02 5 / 2 00 5 / 2 00 5/ 20 0 5/ 2 00 00 5/ 00 5/ 00 5/ 20 5/ 2 0 5/ 2 0 5/ 2 0 5/ 20 5/ 20 20 5/ /20 /2 2 2 / / / / / / / / / / 3/ 9 5/ Data 2a4 Tarefas semanas Escopo da Corrida detalhadas Revisão (Sprint) pela equipe Retrospectiva Incremento de Produto Necessidade Lista de Espera (Backlog) do Produto, (pode ser liberado para uso) ( marcos, priorizada pelo Dono do Produto versões) (Produc Owner) 1 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  32. 32. Scrum - Papéis Product Owner ScrumM aster Time 2 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  33. 33. FDD – Feature-Driven Development Requi t sios Concepção e Pl am ent anej o M ai f m a que cont údo s or e Des ver envol t ui Cons r r Pl ar anej um M odelo a Lit sa por Abrangente de Features Feature Pl de ano Desenvol m ent vi o M odel de Obj os o et Cons r ção tu Det har al Cons r r t ui M ai cont údo na f m a s e or por por Feature Feature Produto Pacot de Tr ho es abal Fonte:Adail Muniz Retamal 3 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  34. 34. Scrum + FDD Fonte:Adail Muniz Retamal 4 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  35. 35. XP – Extreme Programming 5 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  36. 36. Comunicação - Kanban Backl og Pendentes I ci ni adas I peção/ t ns Tes e Fi i nalzadas N N I E N N N I N N Iem t N N N N N N N E N I E N 6 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  37. 37. Comunicando o Progresso Parking Lot 7 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel
  38. 38. Obrigado! http://www.visaoagil.com 8 nscr se á ' er ul opersConf ence – 25 e 26 j ho – I eva- j ! The Devel

×