SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
Processos Pedagógicos em E-learning
REPRESENTAÇÃO VISUAL DE UM PLE
DESCRIÇÃO E COMENTÁRIOS
PLE – “Personal Learning Environment”
António Almeida, N.º 1006475
Universidade Aberta – MPEL
Data:23-07-17
1006475@estudante.uab.pt
- 2 -
Resumo Executivo
O presente documento, insere-se no âmbito da UC, Processos Pedagógicos em E-learning, do
Mestrado em Pedagogia do E-learning da Universidade Aberta, pretendendo fazer a descrição da
representação visual de um PLE - “Personal Learning Environment- Ambiente de Aprendizagem
Pessoal”, criado no âmbito da temática II, da UC. O documento começa por apresentar a
fundamentação teórica, que serviu de base à elaboração da representação visual do PLE, sendo
posteriormente descritos cada um dos passos utilizados na elaboração da representação gráfica
do PLE.
Palavras-Chave: Personal Learning Environments; Ambientes de Aprendizagem Pessoais;
Aprendizagem Pessoal; Aprendizagem Personalizada; PPEL; MPEL.
3
Índice
Resumo Executivo.......................................................................- 2 -
I. Representação Visual de um PLE – Fundamentação teórica.. 4
1.1 Aprendizagem Pessoal ........................................................ 4
1.2 Personal Learning Environment (PLE) – Definições ............ 4
1.3 Personal Learning Environment (PLE) – Requisitos............. 5
1.4 Padrões agregados num “Personal Learning Toolkit”......... 6
1.4 Serviços incorporados num “Personal Learning Toolkit”.... 7
II. Representação Visual de um PLE ............................................ 8
2.1 Diagrama Geral de um PLE.................................................. 8
2.2 Visão global do meu PLE – 1.º Instância.............................. 8
2.3 Visão global do meu PLE – 2.º Instância............................ 10
2.4 Grupos e tipos de ferramentas – 3.º Instância ................. 11
2.5 Ferramentas de publicação e Edição ................................ 11
2.5 Ferramentas para Armazenamento.................................. 12
2.6 Ferramentas para Comunicação ....................................... 12
2.7 Ferramentas para Pesquisa e Motores de Busca.............. 13
2.8 Ferramentas para Correio Eletrónico................................ 13
2.9 Redes Socias Agregadas / Ligadas..................................... 14
2.10 Recursos Abertos Agregados............................................. 14
2.11 Ferramentas para Comércio Eletrónico ............................ 15
III. Conclusões Finais .............................................................. 15
IV. Referências bibliográficas e web gráficas ......................... 16
4
I. REPRESENTAÇÃO VISUAL DE UM PLE – FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
1.1 Aprendizagem Pessoal
Na aprendizagem pessoal, as decisões sobre o que aprender, como aprender e onde aprender
são feitas fora do sistema educacional e, principalmente, pelos próprios aprendentes. A
aprendizagem pessoal, começa geralmente de uma forma informal, numa base ad hoc,
impulsionada pela necessidade de completar uma determinada tarefa ou alcançar um
determinado objetivo.
No caso da aprendizagem pessoal, o papel do sistema educacional não é o de proporcionar
aprendizagem, mas sim o de apoiar a aprendizagem.
A aprendizagem é um meio para um fim, e não o fim em si mesmo.
A aprendizagem pessoal é como fazer compras num supermercado. A seleção dos
ingredientes e a preparação das refeições, são feitas por cada individuo. É mais difícil, mas é
muito mais económico, dando a possibilidade, de cada um preparar uma variedade infinita
de refeições. Contudo, desta forma, poderão não se obter as melhores refeições, mas cada
um controla a experiência, e controla o resultado.
As pessoas para efetuarem a sua aprendizagem ao longo da vida, precisam de se tornar
aprendizes efetivos, aprendendo por conta própria. Os PLE’s são uma boa alternativa, pois
disponibilizam dos recursos que precisam, para montarem seu próprio currículo e forjar seu
próprio caminho de aprendizagem.
1.2 Personal Learning Environment (PLE) – Definições
Ron Lubensky (2006)
A Personal Learning Environment is a facility for an individual to access, aggregate, configure and
manipulate digital artefacts of their ongoing learning experiences.
George Siemens (2007)
(...) a collection of tools, brought together under the conceptual notion of openness, interoperability,
and learner control. As such, they are comprised of two elements - the tools and the conceptual notions
that drive how and why we select individual parts. PLEs are a concept-entity.
Scott Wilson(2008)
However, a PLE is not a piece of software. It is an environment where people and tools and communities
and resources interact in a very loose kind of way. (18)
Graham Attwell & Cristina Costa (2008)
Whilst PLEs may be represented as technology, including applications and services, more important is
the idea of supporting individual and group based learning in multiple contexts and of promoting
learner autonomy and control (...) Personal Learning Environments offer both the framework and the
technologies to integrate personal learning and working.
Terry Anderson (2007) e Stephen Downes (2006b)
“A PLE is a web interface into the owners’ digital environment”
5
Amine Chatti, Dr. Mohamed (2008)
O “Personal Learning Environment Framework” (PLEF) oferece suporte aos aprendentes para
controlarem suas experiências de aprendizagem, agregando, gerenciando, marcando,
comentando, e compartilhando seus recursos favoritos (por exemplo, feeds, widgets e
diferentes Mídias) dentro de um espaço personalizado.
1.3 Personal Learning Environment (PLE) – Requisitos
Terry Anderson (2007) e Stephen Downes (2006b)
Um PLE deverá integrar:
➢ Funcionalidades de gestão de conteúdos, integrando interesses pessoais e profissionais
(relativos as aprendizagens formais e informais);
➢ Um sistema de perfis para estabelecer conexões;
➢ Um espaço de trabalho simultaneamente colaborativo e individual;
➢ Um sistema de comunicações multi-formato;
➢ Todas estas funcionalidades deverão ser ligadas através de uma serie de “feeds”
distribuídas e sindicadas (a series of syndicated and distributed feeds).
Dr. Mohamed Amine Chatti (2008)
O PLEF difere das páginas personalizadas, construídas a partir dos serviços iGoogle, My Yahoo,
Netvibes ou Pageflakes, principalmente nos seguintes pontos:
➢ PLEF usa OpenID para autenticação.
➢ O PLEF é compatível com comentários e partilhas de todos os elementos PLE.
➢ O controle de acesso pode ser definido tanto na página principal PLE, como noutros
níveis ou subpáginas.
➢ Além de uma exibição de página tradicional, o PLEF fornece uma exibição de tags de
todos os elementos do PLE. Os aprendentes podem adicionar tags para poder
classificar, categorizar, pesquisar e voltar a encontrar seus elementos PLE mais tarde.
➢ O PLEF oferece suporte à pesquisa de elementos do PLE, através de texto completo e
com base em tags.
A estrutura de um ambiente de aprendizagem pessoal (PLEF), necessita de cumprir com os
seguintes atributos:
Personalizado:
O PLEF deve fornecer ao aluno a capacidade de incorporar uma miríade de ferramentas e
serviços;
O PLEF deve fornecer ao aluno a capacidade de determinar e usar as ferramentas e serviços
da maneira que julgar mais adequada para criar seu próprio PLE, adaptado à sua própria
situação e necessidades.
É crucial que o PLE possa fornecer acesso a uma ampla gama de ferramentas e serviços que
apoiem diferentes atividades de aprendizagem, como produção, distribuição, reflexão e
discussão.
6
O PLEF deverá permitir/ habilitar a execução de pesquisas personalizadas na coleção de itens
de aprendizagem no próprio PLE, bem como em PLEs equivalentes.
O PLEF deve oferecer mecanismos de controle de acesso definidos pelo aluno para cada item
PLE, bem como suporte para multi-visões do PLE, permitindo que o aluno filtre a massa de
fontes de informação/conhecimento disponíveis, com base nas suas necessidades,
permitindo a alternância entre múltiplos contextos de aprendizagem.
Social: O PLEF deve apoiar a construção de ambientes interativos, oferecendo meios para se
conectar com outros espaços pessoais, de modo que os alunos possam envolver-se na
partilha de conhecimento e na criação de conhecimento colaborativo. As características
sociais, nomeadamente a marcação social, comentários, e partilha, deverão ser suportadas.
Extensível: o PLEF deve ter uma arquitetura flexível e extensível, que permita aos alunos
enriquecer seus PLEs com um conjunto heterogéneo de serviços. Um aluno deve ser capaz de
integrar, agregar e armazenar facilmente diferentes serviços de aprendizagem (por exemplo,
feeds, widgets, mídia, e serviços Web) com base em suas necessidades e interesses.
Aberto: o PLEF deve ser baseado em padrões abertos (por exemplo, RSS, OpenID, OAuth,
OpenSocial) para garantir interoperabilidade e comunicação com outros serviços. Ele também
deve fornecer uma API pública que pode ser usada por serviços de terceiros.
Ubíquo: o PLEF deve fornecer meios para entrega flexível e acesso onipresente a PLEs de
múltiplos canais e grande variedade de plataformas e dispositivos.
Filtro: uma preocupação com abordagens que envolvem grandes quantidades de dados (Big
data) é a sobrecarga de informação. Portanto, o PLEF deve disponibilizar de filtros, que
aproveitam a sabedoria das multidões (por exemplo, recomendações, avaliações, rankings,
avaliações, votos, comentários) para ajudar os alunos a encontrar a qualidade no seu percurso
de aprendizagem.
Fácil de usar: o PLEF deve fornecer uma experiência rica de fácil utilização (por exemplo com
Suporte AJAX- abreviatura de "asynchronous JavaScript and XML”). O aprendente deve
disponibilizar das operações “Copy-and-Paste- copiar e colar” e “Drag-and-Drop-arrastar e
soltar” para efetuar a personalização e administração do seu PLE com o mínimo esforço.
1.4 Padrões agregados num “Personal Learning Toolkit”
Milligan et al. (2006)
Personal Learning Toolkit, é o conjunto de ferramentas de que o aprendente precisa para
interagir com os serviços de um PLE.
7
Para que um PLE possa constituir um ambiente eficaz de aprendizagem, deverá agregar uma
paleta de padrões e serviços, nomeadamente:
1-Padrões de Contexto (Context Patterns) - estabelecer (ou destruir) relações entre um tutor e um
estudante ou entre este e outros estudantes. Estes tipos de padrões poderão ser incorporados através
de tecnologias, que permitam por exemplo, estabelecer a presença online.
2-Padrões Conversacionais (Conversation Patterns) - mecanismos para manter o diálogo na
aprendizagem, incluindo o suporte a moderação e a colaboração.
3-Padrões de Rede (Network Patterns) - um padrão de rede envolve os mecanismos de comunicação
entre o utilizador final e um serviço.
4-Padrões de Recursos (Resource Patterns) - referem-se ao conteúdo real dos dados transferidos e a sua
categorização em formas particulares, bem como aos serviços relacionados com a sua aquisição (pesquisa,
por exemplo).
5-Padrões Sociais (Social Patterns) - gestão de perfis pessoais, em conjunto com a gestão de outros
contactos e contextos sociais.
6-Padrões de Equipa (Team Patterns) - distingue-se a gestão dos indivíduos (item anterior) e a gestão dos
grupos que podem formar-se pela partilha de práticas. Neste ponto, os serviços podem permitir, por
exemplo, o convite para integrar grupos e a comunicação distribuída.
7-Padrões Temporais (Temporal Patterns) - relacionam-se com a gestão do tempo pessoal através de
serviços de calendário, lembretes, etc.
8-Padrões de Fluxo de Trabalho (Workflow Patterns) - a organização de atividades sequenciadas, que
podem incluir tecnologias para suporte a gestão de compromissos assumidos por estudantes e
professores, mas também sequências pedagógicas desenhadas.
9-Padrões de Atividade (Activity Patterns) - a natureza das atividades desenvolvidas pelas pessoas
durante a aprendizagem.
1.4 Serviços incorporados num “Personal Learning Toolkit”
Milligan et al. (2006)
Num “Personal Learning Toolkit”, existem uma grande variedade de serviços agregados, que são uma
consequência dos padrões que têm de estar incorporados num “Personal Learning Toolkit”.
Gestão da Atividade (Activity Management) - este serviço fornece uma função de coordenação para
grupos, gerindo a interação com uma atividade; permite entrar em grupos e sair deles, bem como
contribuir com recursos ou aceder aos existentes.
Sindicância (Syndication) - permite a descoberta e a contextualização de recursos.
Publicação (Posting) - permite a submissão de recursos.
Grupo (Group) - Informação relativa e de pertença a grupos.
Classificação, Anotação e Recomendação (Rating, Annotating, and Recommending) - em conjunto,
estes serviços suportam uma grande variedade de atividades, desde a simples classificação (rating)
até ao fornecimento de feedback relativo a um conteúdo especifico.
Presença (Presence) - permite indicar a disponibilidade de um utilizador e propagar este estado.
8
Perfil Pessoal (Personal Profile) - permite ao utilizador manter um perfil pessoal (ou vários) e partilhar
esta informação com outros quando necessário ou desejado. Implica um processo de autenticação.
Exploração e Percursos (Exploration and Trails) - permite a partilha de percursos através dos
conteúdos.
II. REPRESENTAÇÃO VISUAL DE UM PLE
O desenvolvimento da representação visual do PLE, seguiu uma abordagem Top-Down, i.e., partiu de
uma visão geral de um PLE, fragmentando sucessivamente a visão geral, em instâncias com
representações gráficas mais detalhadas, e especificas para cada tipo de requisito do PLE.
A Representação visual de um PLE, teve sobretudo por base, os conceitos apresentados na
bibliografia anotada concebida neste âmbito, nomeadamente o conceito de aprendizagem
pessoal descrito no 1.º artigo da bibliografia anotada, e as especificações e requisitos a
considerar no processo de criação de um PLE, referidos no 2.º artigo da bibliografia anotada.
2.1 Diagrama Geral de um PLE
A representação visual do PLE, começa por apresentar um diagrama geral de um PLE, onde é
possível identificar em termos globais os seus principais constituintes, apresentando também uma
definição generalista de um PLE.
2.2 Visão global do meu PLE – 1.º Instância
Na página seguinte, apresenta-se uma representação gráfica do meu PLE, de onde já é possível
inferir, que o meu PLE vai agregar conjuntos de ferramentas, grupos, informações, tags, widgets, e
plugins, que vão permitir a incorporação de vários serviços e atividades.
9
Esta primeira instância, tenta representar de uma forma global e geral, os recursos, serviços, e
informações que serão disponibilizados pelo PLE, todavia, também já fornece alguma informação
especifica, nomeadamente:
O PLE será alojado virtualmente (na “Cloude”), vai estar associado ao domínio –
www.PLE_ALMEIDA.com – e será desenvolvido a partir do aplicativo para desenvolvimento de web
sites, disponibilizado em – www.worpress.org. Para além disso, nesta primeira instância, aparecem
vários símbolos (nomeadamente de plugins), que são indicativos de vários serviços e funcionalidades
do PLE, nomeadamente:
• Agregação de RSS feeds e Tags.
• Calendário de eventos e outros widgets.
• Vários Widgets que são disponibilizados pela aplicação worpress.org.
• Integração de multimédia.
• Partilhas e interação com redes sociais, com outros grupos, e com outros PLE’s.
• Possibilidade de OpenId para autenticação.
• Disponibilização de filtros, que permitem nomeadamente fazer avaliações (“Like”) e
comentários.
• Utilização de um “QR code” associado ao PLE.
• Integração de uma base de dados.
• Disponibilização de grupos de ferramentas e páginas web, distribuídas por tópicos.
• Utilização de diversos plugins, disponibilizados pela aplicação wordpress.org.
10
2.3 Visão global do meu PLE – 2.º Instância
A segunda instância, que herda todas as características da instância anterior, acrescenta alguma
informação e é mais especifica nalgumas funcionalidades, indicando nomeadamente a agregação /
ligação de:
• Grupo de ferramentas da Web 2.0.
• Grupo de recursos abertos.
• Grupo de páginas web, distribuídas por tópicos, herdando (através de agregação de plugins)
todas as características da página principal (home page).
• Partilha e interação através de redes sociais.
• Ligações a outros PLE’s, permitindo o estabelecimento de uma rede de ambientes pessoais de
aprendizagem (PLN – Personal Learning Network).
• PLE preparado, com os plugins adequados, para uma ligação à futura Internet das coisas (IoT
– Internet of Things)
• Integração de uma base de dados.
As duas primeiras instâncias do PLE, já permitem inferir que o PLE, dá cumprimento aos requisitos,
especificações, padrões e serviços, descritos no ponto 1 do presente relatório – Representação Visual
de um PLE – Fundamentação Teórica.
11
2.4 Grupos e tipos de ferramentas – 3.º Instância
Esta terceira instância, tem como principal função, especificar o tipo de ferramentas a disponibilizar
no PLE. Saliento mais uma vez, que cada instância herda sempre o ADN da instância anterior,
mantendo por isso as principais características (funcionalidades, serviços, plugins, etc).
2.5 Ferramentas de publicação e Edição
Esta instância, discrimina a paleta de ferramentas (representadas por ícones) para publicação
de edição, que o PLE irá disponibilizar.
12
2.5 Ferramentas para Armazenamento
Esta instância, discrimina a paleta de ferramentas (representadas por ícones) para
armazenamento, que poderão ser disponibilizadas pelo meu PLE.
2.6 Ferramentas para Comunicação
13
2.7 Ferramentas para Pesquisa e Motores de Busca
2.8 Ferramentas para Correio Eletrónico
14
2.9 Redes Socias Agregadas / Ligadas
2.10 Recursos Abertos Agregados
15
2.11 Ferramentas para Comércio Eletrónico
O PLE, irá também integrar uma série de ferramentas e plugins, que permitam transações
comerciais eletrónicas, não só de compra, mas também de venda, através do aplicativo
“PayPal”.
A representação gráfica do meu PLE (Personal Learning Environment), é disponibilizada numa
ferramenta da Web 2.0, Padlet, em, https://padlet.com/1006475/PLE, e também em formato
PDF. No documento PDF o logotipo de cada ferramenta, tem associado o link para o respetivo
web site da ferramenta.
III. CONCLUSÕES FINAIS
Atualmente a velocidade de aparecimento e renovação de conhecimentos, é muito elevada. Os
conhecimentos adquiridos, rapidamente se tornam obsoletos, o que implica uma continua
renovação dos conhecimentos e do saber fazer (“savoir faire”). Ou seja, o cenário atual, implica
uma aprendizagem continua ao longo da vida. Os PLE são uma boa alternativa para a
aprendizagem ao longo da vida, pois disponibilizam dos recursos que os aprendentes precisam,
para montarem seu próprio currículo e forjar seu próprio caminho de aprendizagem. Para além
disso, têm uma grande flexibilidade, adaptada à velocidade atual de renovação e extensão do
conhecimento. Todavia, têm alguns pré-requisitos, exigindo nomeadamente o conhecimento
das ferramentas da Web 2.0, e conhecimentos da Internet e de informática na ótica do
utilizador.
A representação gráfica do PLE, indicou a forma de forjar um PLE, que permite responder às
necessidades individuais de aprendizagem de cada aprendente.
16
IV. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS E WEB GRÁFICAS
1- Amine Chatti, Dr. Mohamed (23-09-2008). PLEF Requirements .
Disponível em: http://mohamedaminechatti.blogspot.pt/2008/09/plef-requirements.html
[acedido em: 18-07-17]
2-Amine Chatti, Dr. Mohamed (30-09-2008). The Personal Learning Environment Framework (PLEF).
Disponível em: http://mohamedaminechatti.blogspot.pt/2008/09/personal-learning-environment-
framework.html [acedido em: 18-07-17]
3-Mota, José (2009). Personal Learning Environments: Contributos para uma discussão do conceito.
In Educação, Formação & Tecnologias, vol.2 (2); pp. 5-21, Novembro de 2009.
Disponível em: http://eft.educom.pt/index.php/eft/article/view/105/66. [acedido em: 14-07-17]
4- Peña-López, Ismael (2010) “Mapping the PLE-sphere” In ICTlogy, #82, July 2010. Barcelona:
ICTlogy. Disponível em: http://ictlogy.net/review/?p=3437
[acedido em: 13-07-17]
5-Downes, Stephen (16-10-2005). e-Learning 2.0. eLearn Magazine.
Disponível em: http://elearnmag.acm.org/featured.cfm?aid=1104968 [acedido em: 18-07-17]
6-Downes, Stephen (17-02-2016). Personal and Personalized Learning.
Disponível em: http://www.downes.ca/post/65065 [acedido em: 16-07-17]
7-Wheeler, Steve (2009). It’s Personal: Learning Spaces, Learning Webs. Apresentação no Slideshare.
Disponível em: http://www.slideshare.net/timbuckteeth/its-personal-learning-spaces-learning-webs
[acedido em: 16-07-17]
8-Wikipedia (2017[a]). Wikipedia: Personal learning network. Disponível em:
https://en.wikipedia.org/wiki/Personal_learning_network
[acedido em 15-07-2017]
9-Wikipedia (2017[b]). Wikipedia: Top-down and bottom-up design. Disponível em:
https://en.wikipedia.org/wiki/Top-down_and_bottom-up_design
[acedido em 16-07-2017]
10-Youtube (2017[a]). Adell, Jordi (06-05.2012).: PLE by Jordi Adell -Disponível em:
https://www.youtube.com/watch?v=blzYQlj63Cc&feature=youtu.be
[acedido em 14-07-2017]
11-Youtube (2017[b]). Downes, Stephen (10-07-2012).: LMS vs PLE -Disponível em:
https://www.youtube.com/watch?v=zDwcCJncyiw
[acedido em 14-07-2017]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Unidade i
Unidade iUnidade i
Unidade imf2030
 
Google Docs: Aprendizagem Colaborativa
Google Docs: Aprendizagem ColaborativaGoogle Docs: Aprendizagem Colaborativa
Google Docs: Aprendizagem ColaborativaGrupo 5
 
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de AprendizagemPlataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de AprendizagemCarina Mano
 
O processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry anderson
O processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry andersonO processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry anderson
O processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry andersonisabepaiva
 
Plataforma de ensino virtual
Plataforma de ensino virtualPlataforma de ensino virtual
Plataforma de ensino virtualmedisconsultoria
 
Exemplos de plataformas moocs
Exemplos de plataformas moocsExemplos de plataformas moocs
Exemplos de plataformas moocsKayque Oliveira
 
Magiz - Plataforma Educacional Sciere - LMS
Magiz - Plataforma Educacional Sciere - LMSMagiz - Plataforma Educacional Sciere - LMS
Magiz - Plataforma Educacional Sciere - LMSEdson Fregni
 
O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...
O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...
O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...Luis Borges Gouveia
 
Restinga Sêca - Patric da Silva Ribeiro
Restinga Sêca - Patric da Silva RibeiroRestinga Sêca - Patric da Silva Ribeiro
Restinga Sêca - Patric da Silva RibeiroCursoTICs
 
B-learning: Expectativas, comportamentos e impactos
B-learning: Expectativas, comportamentos e impactosB-learning: Expectativas, comportamentos e impactos
B-learning: Expectativas, comportamentos e impactosRosario Cação
 
Trabalho final ha danielasantos
Trabalho final ha danielasantosTrabalho final ha danielasantos
Trabalho final ha danielasantosprofdanielasantos
 
e-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembro
e-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembroe-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembro
e-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembroeraizes redes
 
Didatica online Formacao Educadores Adriana Bruno
Didatica online Formacao Educadores Adriana BrunoDidatica online Formacao Educadores Adriana Bruno
Didatica online Formacao Educadores Adriana BrunoAdriana Bruno
 
Agudo - Charlene Oliveira Trindade
Agudo - Charlene Oliveira TrindadeAgudo - Charlene Oliveira Trindade
Agudo - Charlene Oliveira TrindadeCursoTICs
 
Relatór reflexcrític.sandramarques
Relatór reflexcrític.sandramarquesRelatór reflexcrític.sandramarques
Relatór reflexcrític.sandramarquesSandra Marques
 

Mais procurados (20)

Unidade i
Unidade iUnidade i
Unidade i
 
Google Docs: Aprendizagem Colaborativa
Google Docs: Aprendizagem ColaborativaGoogle Docs: Aprendizagem Colaborativa
Google Docs: Aprendizagem Colaborativa
 
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de AprendizagemPlataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
 
UnidadeII
UnidadeIIUnidadeII
UnidadeII
 
Plataformas de Aprendizagem
Plataformas de AprendizagemPlataformas de Aprendizagem
Plataformas de Aprendizagem
 
Presentation pt br
Presentation pt brPresentation pt br
Presentation pt br
 
O que é moodle
O que é moodleO que é moodle
O que é moodle
 
O processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry anderson
O processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry andersonO processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry anderson
O processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry anderson
 
Plataforma de ensino virtual
Plataforma de ensino virtualPlataforma de ensino virtual
Plataforma de ensino virtual
 
Exemplos de plataformas moocs
Exemplos de plataformas moocsExemplos de plataformas moocs
Exemplos de plataformas moocs
 
STNB-Projeto-EAD
STNB-Projeto-EADSTNB-Projeto-EAD
STNB-Projeto-EAD
 
Magiz - Plataforma Educacional Sciere - LMS
Magiz - Plataforma Educacional Sciere - LMSMagiz - Plataforma Educacional Sciere - LMS
Magiz - Plataforma Educacional Sciere - LMS
 
O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...
O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...
O contributo das plataformas educativas no ensino e formação de professores e...
 
Restinga Sêca - Patric da Silva Ribeiro
Restinga Sêca - Patric da Silva RibeiroRestinga Sêca - Patric da Silva Ribeiro
Restinga Sêca - Patric da Silva Ribeiro
 
B-learning: Expectativas, comportamentos e impactos
B-learning: Expectativas, comportamentos e impactosB-learning: Expectativas, comportamentos e impactos
B-learning: Expectativas, comportamentos e impactos
 
Trabalho final ha danielasantos
Trabalho final ha danielasantosTrabalho final ha danielasantos
Trabalho final ha danielasantos
 
e-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembro
e-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembroe-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembro
e-Raízes Redes Apresentação 15 Dezembro
 
Didatica online Formacao Educadores Adriana Bruno
Didatica online Formacao Educadores Adriana BrunoDidatica online Formacao Educadores Adriana Bruno
Didatica online Formacao Educadores Adriana Bruno
 
Agudo - Charlene Oliveira Trindade
Agudo - Charlene Oliveira TrindadeAgudo - Charlene Oliveira Trindade
Agudo - Charlene Oliveira Trindade
 
Relatór reflexcrític.sandramarques
Relatór reflexcrític.sandramarquesRelatór reflexcrític.sandramarques
Relatór reflexcrític.sandramarques
 

Semelhante a Representação visual ple_1006475_tema2__23_07_17_v3

Personal learning environments_FDE_11_12
Personal learning environments_FDE_11_12Personal learning environments_FDE_11_12
Personal learning environments_FDE_11_12Neuza Pedro
 
Sistemas de Gestão de Conteúdos
Sistemas de Gestão de ConteúdosSistemas de Gestão de Conteúdos
Sistemas de Gestão de Conteúdosrubendacosta
 
Comparação entre Plataformas de Gestão de Conteudos
Comparação entre Plataformas de Gestão de ConteudosComparação entre Plataformas de Gestão de Conteudos
Comparação entre Plataformas de Gestão de ConteudosMaria Munteanu
 
37-PB.PDF
37-PB.PDF37-PB.PDF
37-PB.PDFBLEIZY1
 
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...Jovert Freire
 
AI AD-TP1-G4-A
AI AD-TP1-G4-AAI AD-TP1-G4-A
AI AD-TP1-G4-AMUR89
 
Atividades no Moodle(Recursos e Atividades)
Atividades no Moodle(Recursos e Atividades)Atividades no Moodle(Recursos e Atividades)
Atividades no Moodle(Recursos e Atividades)marcelasb
 
SEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTE
SEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTESEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTE
SEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTEregist
 
Ode Aprendizagem -Revista Hipertextos
Ode Aprendizagem -Revista HipertextosOde Aprendizagem -Revista Hipertextos
Ode Aprendizagem -Revista HipertextosLuciana Lima
 
Docente Independente Empreendedor
Docente Independente EmpreendedorDocente Independente Empreendedor
Docente Independente EmpreendedorMessias Matusse
 
Tutorial moodle trt rs
Tutorial moodle trt rsTutorial moodle trt rs
Tutorial moodle trt rsleonardo2710
 
Minicurso Magistra Fev./2013
Minicurso Magistra Fev./2013Minicurso Magistra Fev./2013
Minicurso Magistra Fev./2013Niuza Eugênia
 
Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...
Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...
Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...filomena.grazina
 
(5 de 6) Capacitação para rede BVS e LILACS: Criação de Recursos Educacionais...
(5 de 6) Capacitação para rede BVS e LILACS: Criação de Recursos Educacionais...(5 de 6) Capacitação para rede BVS e LILACS: Criação de Recursos Educacionais...
(5 de 6) Capacitação para rede BVS e LILACS: Criação de Recursos Educacionais...http://bvsalud.org/
 
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEMAMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEMRJS8230
 

Semelhante a Representação visual ple_1006475_tema2__23_07_17_v3 (20)

Personal learning environments_FDE_11_12
Personal learning environments_FDE_11_12Personal learning environments_FDE_11_12
Personal learning environments_FDE_11_12
 
Sistemas de Gestão de Conteúdos
Sistemas de Gestão de ConteúdosSistemas de Gestão de Conteúdos
Sistemas de Gestão de Conteúdos
 
Comparação entre Plataformas de Gestão de Conteudos
Comparação entre Plataformas de Gestão de ConteudosComparação entre Plataformas de Gestão de Conteudos
Comparação entre Plataformas de Gestão de Conteudos
 
Conahpa 2013 AeN JP
Conahpa 2013 AeN JPConahpa 2013 AeN JP
Conahpa 2013 AeN JP
 
Ple
PlePle
Ple
 
37-PB.PDF
37-PB.PDF37-PB.PDF
37-PB.PDF
 
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
 
Unidade 3
Unidade 3Unidade 3
Unidade 3
 
AI AD-TP1-G4-A
AI AD-TP1-G4-AAI AD-TP1-G4-A
AI AD-TP1-G4-A
 
Atividades no Moodle(Recursos e Atividades)
Atividades no Moodle(Recursos e Atividades)Atividades no Moodle(Recursos e Atividades)
Atividades no Moodle(Recursos e Atividades)
 
SEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTE
SEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTESEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTE
SEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTE
 
Ode Aprendizagem -Revista Hipertextos
Ode Aprendizagem -Revista HipertextosOde Aprendizagem -Revista Hipertextos
Ode Aprendizagem -Revista Hipertextos
 
Docente Independente Empreendedor
Docente Independente EmpreendedorDocente Independente Empreendedor
Docente Independente Empreendedor
 
Mesa redondapde
Mesa redondapdeMesa redondapde
Mesa redondapde
 
Tutorial moodle trt rs
Tutorial moodle trt rsTutorial moodle trt rs
Tutorial moodle trt rs
 
Minicurso Magistra Fev./2013
Minicurso Magistra Fev./2013Minicurso Magistra Fev./2013
Minicurso Magistra Fev./2013
 
Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...
Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...
Bidarra, j., sousa, a.m., grazina, f., simões, p. e azevedo, p. (2010). perso...
 
(5 de 6) Capacitação para rede BVS e LILACS: Criação de Recursos Educacionais...
(5 de 6) Capacitação para rede BVS e LILACS: Criação de Recursos Educacionais...(5 de 6) Capacitação para rede BVS e LILACS: Criação de Recursos Educacionais...
(5 de 6) Capacitação para rede BVS e LILACS: Criação de Recursos Educacionais...
 
Teste de Slides
Teste de SlidesTeste de Slides
Teste de Slides
 
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEMAMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM
 

Último

Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 

Último (20)

(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 

Representação visual ple_1006475_tema2__23_07_17_v3

  • 1. Processos Pedagógicos em E-learning REPRESENTAÇÃO VISUAL DE UM PLE DESCRIÇÃO E COMENTÁRIOS PLE – “Personal Learning Environment” António Almeida, N.º 1006475 Universidade Aberta – MPEL Data:23-07-17 1006475@estudante.uab.pt
  • 2. - 2 - Resumo Executivo O presente documento, insere-se no âmbito da UC, Processos Pedagógicos em E-learning, do Mestrado em Pedagogia do E-learning da Universidade Aberta, pretendendo fazer a descrição da representação visual de um PLE - “Personal Learning Environment- Ambiente de Aprendizagem Pessoal”, criado no âmbito da temática II, da UC. O documento começa por apresentar a fundamentação teórica, que serviu de base à elaboração da representação visual do PLE, sendo posteriormente descritos cada um dos passos utilizados na elaboração da representação gráfica do PLE. Palavras-Chave: Personal Learning Environments; Ambientes de Aprendizagem Pessoais; Aprendizagem Pessoal; Aprendizagem Personalizada; PPEL; MPEL.
  • 3. 3 Índice Resumo Executivo.......................................................................- 2 - I. Representação Visual de um PLE – Fundamentação teórica.. 4 1.1 Aprendizagem Pessoal ........................................................ 4 1.2 Personal Learning Environment (PLE) – Definições ............ 4 1.3 Personal Learning Environment (PLE) – Requisitos............. 5 1.4 Padrões agregados num “Personal Learning Toolkit”......... 6 1.4 Serviços incorporados num “Personal Learning Toolkit”.... 7 II. Representação Visual de um PLE ............................................ 8 2.1 Diagrama Geral de um PLE.................................................. 8 2.2 Visão global do meu PLE – 1.º Instância.............................. 8 2.3 Visão global do meu PLE – 2.º Instância............................ 10 2.4 Grupos e tipos de ferramentas – 3.º Instância ................. 11 2.5 Ferramentas de publicação e Edição ................................ 11 2.5 Ferramentas para Armazenamento.................................. 12 2.6 Ferramentas para Comunicação ....................................... 12 2.7 Ferramentas para Pesquisa e Motores de Busca.............. 13 2.8 Ferramentas para Correio Eletrónico................................ 13 2.9 Redes Socias Agregadas / Ligadas..................................... 14 2.10 Recursos Abertos Agregados............................................. 14 2.11 Ferramentas para Comércio Eletrónico ............................ 15 III. Conclusões Finais .............................................................. 15 IV. Referências bibliográficas e web gráficas ......................... 16
  • 4. 4 I. REPRESENTAÇÃO VISUAL DE UM PLE – FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 1.1 Aprendizagem Pessoal Na aprendizagem pessoal, as decisões sobre o que aprender, como aprender e onde aprender são feitas fora do sistema educacional e, principalmente, pelos próprios aprendentes. A aprendizagem pessoal, começa geralmente de uma forma informal, numa base ad hoc, impulsionada pela necessidade de completar uma determinada tarefa ou alcançar um determinado objetivo. No caso da aprendizagem pessoal, o papel do sistema educacional não é o de proporcionar aprendizagem, mas sim o de apoiar a aprendizagem. A aprendizagem é um meio para um fim, e não o fim em si mesmo. A aprendizagem pessoal é como fazer compras num supermercado. A seleção dos ingredientes e a preparação das refeições, são feitas por cada individuo. É mais difícil, mas é muito mais económico, dando a possibilidade, de cada um preparar uma variedade infinita de refeições. Contudo, desta forma, poderão não se obter as melhores refeições, mas cada um controla a experiência, e controla o resultado. As pessoas para efetuarem a sua aprendizagem ao longo da vida, precisam de se tornar aprendizes efetivos, aprendendo por conta própria. Os PLE’s são uma boa alternativa, pois disponibilizam dos recursos que precisam, para montarem seu próprio currículo e forjar seu próprio caminho de aprendizagem. 1.2 Personal Learning Environment (PLE) – Definições Ron Lubensky (2006) A Personal Learning Environment is a facility for an individual to access, aggregate, configure and manipulate digital artefacts of their ongoing learning experiences. George Siemens (2007) (...) a collection of tools, brought together under the conceptual notion of openness, interoperability, and learner control. As such, they are comprised of two elements - the tools and the conceptual notions that drive how and why we select individual parts. PLEs are a concept-entity. Scott Wilson(2008) However, a PLE is not a piece of software. It is an environment where people and tools and communities and resources interact in a very loose kind of way. (18) Graham Attwell & Cristina Costa (2008) Whilst PLEs may be represented as technology, including applications and services, more important is the idea of supporting individual and group based learning in multiple contexts and of promoting learner autonomy and control (...) Personal Learning Environments offer both the framework and the technologies to integrate personal learning and working. Terry Anderson (2007) e Stephen Downes (2006b) “A PLE is a web interface into the owners’ digital environment”
  • 5. 5 Amine Chatti, Dr. Mohamed (2008) O “Personal Learning Environment Framework” (PLEF) oferece suporte aos aprendentes para controlarem suas experiências de aprendizagem, agregando, gerenciando, marcando, comentando, e compartilhando seus recursos favoritos (por exemplo, feeds, widgets e diferentes Mídias) dentro de um espaço personalizado. 1.3 Personal Learning Environment (PLE) – Requisitos Terry Anderson (2007) e Stephen Downes (2006b) Um PLE deverá integrar: ➢ Funcionalidades de gestão de conteúdos, integrando interesses pessoais e profissionais (relativos as aprendizagens formais e informais); ➢ Um sistema de perfis para estabelecer conexões; ➢ Um espaço de trabalho simultaneamente colaborativo e individual; ➢ Um sistema de comunicações multi-formato; ➢ Todas estas funcionalidades deverão ser ligadas através de uma serie de “feeds” distribuídas e sindicadas (a series of syndicated and distributed feeds). Dr. Mohamed Amine Chatti (2008) O PLEF difere das páginas personalizadas, construídas a partir dos serviços iGoogle, My Yahoo, Netvibes ou Pageflakes, principalmente nos seguintes pontos: ➢ PLEF usa OpenID para autenticação. ➢ O PLEF é compatível com comentários e partilhas de todos os elementos PLE. ➢ O controle de acesso pode ser definido tanto na página principal PLE, como noutros níveis ou subpáginas. ➢ Além de uma exibição de página tradicional, o PLEF fornece uma exibição de tags de todos os elementos do PLE. Os aprendentes podem adicionar tags para poder classificar, categorizar, pesquisar e voltar a encontrar seus elementos PLE mais tarde. ➢ O PLEF oferece suporte à pesquisa de elementos do PLE, através de texto completo e com base em tags. A estrutura de um ambiente de aprendizagem pessoal (PLEF), necessita de cumprir com os seguintes atributos: Personalizado: O PLEF deve fornecer ao aluno a capacidade de incorporar uma miríade de ferramentas e serviços; O PLEF deve fornecer ao aluno a capacidade de determinar e usar as ferramentas e serviços da maneira que julgar mais adequada para criar seu próprio PLE, adaptado à sua própria situação e necessidades. É crucial que o PLE possa fornecer acesso a uma ampla gama de ferramentas e serviços que apoiem diferentes atividades de aprendizagem, como produção, distribuição, reflexão e discussão.
  • 6. 6 O PLEF deverá permitir/ habilitar a execução de pesquisas personalizadas na coleção de itens de aprendizagem no próprio PLE, bem como em PLEs equivalentes. O PLEF deve oferecer mecanismos de controle de acesso definidos pelo aluno para cada item PLE, bem como suporte para multi-visões do PLE, permitindo que o aluno filtre a massa de fontes de informação/conhecimento disponíveis, com base nas suas necessidades, permitindo a alternância entre múltiplos contextos de aprendizagem. Social: O PLEF deve apoiar a construção de ambientes interativos, oferecendo meios para se conectar com outros espaços pessoais, de modo que os alunos possam envolver-se na partilha de conhecimento e na criação de conhecimento colaborativo. As características sociais, nomeadamente a marcação social, comentários, e partilha, deverão ser suportadas. Extensível: o PLEF deve ter uma arquitetura flexível e extensível, que permita aos alunos enriquecer seus PLEs com um conjunto heterogéneo de serviços. Um aluno deve ser capaz de integrar, agregar e armazenar facilmente diferentes serviços de aprendizagem (por exemplo, feeds, widgets, mídia, e serviços Web) com base em suas necessidades e interesses. Aberto: o PLEF deve ser baseado em padrões abertos (por exemplo, RSS, OpenID, OAuth, OpenSocial) para garantir interoperabilidade e comunicação com outros serviços. Ele também deve fornecer uma API pública que pode ser usada por serviços de terceiros. Ubíquo: o PLEF deve fornecer meios para entrega flexível e acesso onipresente a PLEs de múltiplos canais e grande variedade de plataformas e dispositivos. Filtro: uma preocupação com abordagens que envolvem grandes quantidades de dados (Big data) é a sobrecarga de informação. Portanto, o PLEF deve disponibilizar de filtros, que aproveitam a sabedoria das multidões (por exemplo, recomendações, avaliações, rankings, avaliações, votos, comentários) para ajudar os alunos a encontrar a qualidade no seu percurso de aprendizagem. Fácil de usar: o PLEF deve fornecer uma experiência rica de fácil utilização (por exemplo com Suporte AJAX- abreviatura de "asynchronous JavaScript and XML”). O aprendente deve disponibilizar das operações “Copy-and-Paste- copiar e colar” e “Drag-and-Drop-arrastar e soltar” para efetuar a personalização e administração do seu PLE com o mínimo esforço. 1.4 Padrões agregados num “Personal Learning Toolkit” Milligan et al. (2006) Personal Learning Toolkit, é o conjunto de ferramentas de que o aprendente precisa para interagir com os serviços de um PLE.
  • 7. 7 Para que um PLE possa constituir um ambiente eficaz de aprendizagem, deverá agregar uma paleta de padrões e serviços, nomeadamente: 1-Padrões de Contexto (Context Patterns) - estabelecer (ou destruir) relações entre um tutor e um estudante ou entre este e outros estudantes. Estes tipos de padrões poderão ser incorporados através de tecnologias, que permitam por exemplo, estabelecer a presença online. 2-Padrões Conversacionais (Conversation Patterns) - mecanismos para manter o diálogo na aprendizagem, incluindo o suporte a moderação e a colaboração. 3-Padrões de Rede (Network Patterns) - um padrão de rede envolve os mecanismos de comunicação entre o utilizador final e um serviço. 4-Padrões de Recursos (Resource Patterns) - referem-se ao conteúdo real dos dados transferidos e a sua categorização em formas particulares, bem como aos serviços relacionados com a sua aquisição (pesquisa, por exemplo). 5-Padrões Sociais (Social Patterns) - gestão de perfis pessoais, em conjunto com a gestão de outros contactos e contextos sociais. 6-Padrões de Equipa (Team Patterns) - distingue-se a gestão dos indivíduos (item anterior) e a gestão dos grupos que podem formar-se pela partilha de práticas. Neste ponto, os serviços podem permitir, por exemplo, o convite para integrar grupos e a comunicação distribuída. 7-Padrões Temporais (Temporal Patterns) - relacionam-se com a gestão do tempo pessoal através de serviços de calendário, lembretes, etc. 8-Padrões de Fluxo de Trabalho (Workflow Patterns) - a organização de atividades sequenciadas, que podem incluir tecnologias para suporte a gestão de compromissos assumidos por estudantes e professores, mas também sequências pedagógicas desenhadas. 9-Padrões de Atividade (Activity Patterns) - a natureza das atividades desenvolvidas pelas pessoas durante a aprendizagem. 1.4 Serviços incorporados num “Personal Learning Toolkit” Milligan et al. (2006) Num “Personal Learning Toolkit”, existem uma grande variedade de serviços agregados, que são uma consequência dos padrões que têm de estar incorporados num “Personal Learning Toolkit”. Gestão da Atividade (Activity Management) - este serviço fornece uma função de coordenação para grupos, gerindo a interação com uma atividade; permite entrar em grupos e sair deles, bem como contribuir com recursos ou aceder aos existentes. Sindicância (Syndication) - permite a descoberta e a contextualização de recursos. Publicação (Posting) - permite a submissão de recursos. Grupo (Group) - Informação relativa e de pertença a grupos. Classificação, Anotação e Recomendação (Rating, Annotating, and Recommending) - em conjunto, estes serviços suportam uma grande variedade de atividades, desde a simples classificação (rating) até ao fornecimento de feedback relativo a um conteúdo especifico. Presença (Presence) - permite indicar a disponibilidade de um utilizador e propagar este estado.
  • 8. 8 Perfil Pessoal (Personal Profile) - permite ao utilizador manter um perfil pessoal (ou vários) e partilhar esta informação com outros quando necessário ou desejado. Implica um processo de autenticação. Exploração e Percursos (Exploration and Trails) - permite a partilha de percursos através dos conteúdos. II. REPRESENTAÇÃO VISUAL DE UM PLE O desenvolvimento da representação visual do PLE, seguiu uma abordagem Top-Down, i.e., partiu de uma visão geral de um PLE, fragmentando sucessivamente a visão geral, em instâncias com representações gráficas mais detalhadas, e especificas para cada tipo de requisito do PLE. A Representação visual de um PLE, teve sobretudo por base, os conceitos apresentados na bibliografia anotada concebida neste âmbito, nomeadamente o conceito de aprendizagem pessoal descrito no 1.º artigo da bibliografia anotada, e as especificações e requisitos a considerar no processo de criação de um PLE, referidos no 2.º artigo da bibliografia anotada. 2.1 Diagrama Geral de um PLE A representação visual do PLE, começa por apresentar um diagrama geral de um PLE, onde é possível identificar em termos globais os seus principais constituintes, apresentando também uma definição generalista de um PLE. 2.2 Visão global do meu PLE – 1.º Instância Na página seguinte, apresenta-se uma representação gráfica do meu PLE, de onde já é possível inferir, que o meu PLE vai agregar conjuntos de ferramentas, grupos, informações, tags, widgets, e plugins, que vão permitir a incorporação de vários serviços e atividades.
  • 9. 9 Esta primeira instância, tenta representar de uma forma global e geral, os recursos, serviços, e informações que serão disponibilizados pelo PLE, todavia, também já fornece alguma informação especifica, nomeadamente: O PLE será alojado virtualmente (na “Cloude”), vai estar associado ao domínio – www.PLE_ALMEIDA.com – e será desenvolvido a partir do aplicativo para desenvolvimento de web sites, disponibilizado em – www.worpress.org. Para além disso, nesta primeira instância, aparecem vários símbolos (nomeadamente de plugins), que são indicativos de vários serviços e funcionalidades do PLE, nomeadamente: • Agregação de RSS feeds e Tags. • Calendário de eventos e outros widgets. • Vários Widgets que são disponibilizados pela aplicação worpress.org. • Integração de multimédia. • Partilhas e interação com redes sociais, com outros grupos, e com outros PLE’s. • Possibilidade de OpenId para autenticação. • Disponibilização de filtros, que permitem nomeadamente fazer avaliações (“Like”) e comentários. • Utilização de um “QR code” associado ao PLE. • Integração de uma base de dados. • Disponibilização de grupos de ferramentas e páginas web, distribuídas por tópicos. • Utilização de diversos plugins, disponibilizados pela aplicação wordpress.org.
  • 10. 10 2.3 Visão global do meu PLE – 2.º Instância A segunda instância, que herda todas as características da instância anterior, acrescenta alguma informação e é mais especifica nalgumas funcionalidades, indicando nomeadamente a agregação / ligação de: • Grupo de ferramentas da Web 2.0. • Grupo de recursos abertos. • Grupo de páginas web, distribuídas por tópicos, herdando (através de agregação de plugins) todas as características da página principal (home page). • Partilha e interação através de redes sociais. • Ligações a outros PLE’s, permitindo o estabelecimento de uma rede de ambientes pessoais de aprendizagem (PLN – Personal Learning Network). • PLE preparado, com os plugins adequados, para uma ligação à futura Internet das coisas (IoT – Internet of Things) • Integração de uma base de dados. As duas primeiras instâncias do PLE, já permitem inferir que o PLE, dá cumprimento aos requisitos, especificações, padrões e serviços, descritos no ponto 1 do presente relatório – Representação Visual de um PLE – Fundamentação Teórica.
  • 11. 11 2.4 Grupos e tipos de ferramentas – 3.º Instância Esta terceira instância, tem como principal função, especificar o tipo de ferramentas a disponibilizar no PLE. Saliento mais uma vez, que cada instância herda sempre o ADN da instância anterior, mantendo por isso as principais características (funcionalidades, serviços, plugins, etc). 2.5 Ferramentas de publicação e Edição Esta instância, discrimina a paleta de ferramentas (representadas por ícones) para publicação de edição, que o PLE irá disponibilizar.
  • 12. 12 2.5 Ferramentas para Armazenamento Esta instância, discrimina a paleta de ferramentas (representadas por ícones) para armazenamento, que poderão ser disponibilizadas pelo meu PLE. 2.6 Ferramentas para Comunicação
  • 13. 13 2.7 Ferramentas para Pesquisa e Motores de Busca 2.8 Ferramentas para Correio Eletrónico
  • 14. 14 2.9 Redes Socias Agregadas / Ligadas 2.10 Recursos Abertos Agregados
  • 15. 15 2.11 Ferramentas para Comércio Eletrónico O PLE, irá também integrar uma série de ferramentas e plugins, que permitam transações comerciais eletrónicas, não só de compra, mas também de venda, através do aplicativo “PayPal”. A representação gráfica do meu PLE (Personal Learning Environment), é disponibilizada numa ferramenta da Web 2.0, Padlet, em, https://padlet.com/1006475/PLE, e também em formato PDF. No documento PDF o logotipo de cada ferramenta, tem associado o link para o respetivo web site da ferramenta. III. CONCLUSÕES FINAIS Atualmente a velocidade de aparecimento e renovação de conhecimentos, é muito elevada. Os conhecimentos adquiridos, rapidamente se tornam obsoletos, o que implica uma continua renovação dos conhecimentos e do saber fazer (“savoir faire”). Ou seja, o cenário atual, implica uma aprendizagem continua ao longo da vida. Os PLE são uma boa alternativa para a aprendizagem ao longo da vida, pois disponibilizam dos recursos que os aprendentes precisam, para montarem seu próprio currículo e forjar seu próprio caminho de aprendizagem. Para além disso, têm uma grande flexibilidade, adaptada à velocidade atual de renovação e extensão do conhecimento. Todavia, têm alguns pré-requisitos, exigindo nomeadamente o conhecimento das ferramentas da Web 2.0, e conhecimentos da Internet e de informática na ótica do utilizador. A representação gráfica do PLE, indicou a forma de forjar um PLE, que permite responder às necessidades individuais de aprendizagem de cada aprendente.
  • 16. 16 IV. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS E WEB GRÁFICAS 1- Amine Chatti, Dr. Mohamed (23-09-2008). PLEF Requirements . Disponível em: http://mohamedaminechatti.blogspot.pt/2008/09/plef-requirements.html [acedido em: 18-07-17] 2-Amine Chatti, Dr. Mohamed (30-09-2008). The Personal Learning Environment Framework (PLEF). Disponível em: http://mohamedaminechatti.blogspot.pt/2008/09/personal-learning-environment- framework.html [acedido em: 18-07-17] 3-Mota, José (2009). Personal Learning Environments: Contributos para uma discussão do conceito. In Educação, Formação & Tecnologias, vol.2 (2); pp. 5-21, Novembro de 2009. Disponível em: http://eft.educom.pt/index.php/eft/article/view/105/66. [acedido em: 14-07-17] 4- Peña-López, Ismael (2010) “Mapping the PLE-sphere” In ICTlogy, #82, July 2010. Barcelona: ICTlogy. Disponível em: http://ictlogy.net/review/?p=3437 [acedido em: 13-07-17] 5-Downes, Stephen (16-10-2005). e-Learning 2.0. eLearn Magazine. Disponível em: http://elearnmag.acm.org/featured.cfm?aid=1104968 [acedido em: 18-07-17] 6-Downes, Stephen (17-02-2016). Personal and Personalized Learning. Disponível em: http://www.downes.ca/post/65065 [acedido em: 16-07-17] 7-Wheeler, Steve (2009). It’s Personal: Learning Spaces, Learning Webs. Apresentação no Slideshare. Disponível em: http://www.slideshare.net/timbuckteeth/its-personal-learning-spaces-learning-webs [acedido em: 16-07-17] 8-Wikipedia (2017[a]). Wikipedia: Personal learning network. Disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Personal_learning_network [acedido em 15-07-2017] 9-Wikipedia (2017[b]). Wikipedia: Top-down and bottom-up design. Disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Top-down_and_bottom-up_design [acedido em 16-07-2017] 10-Youtube (2017[a]). Adell, Jordi (06-05.2012).: PLE by Jordi Adell -Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=blzYQlj63Cc&feature=youtu.be [acedido em 14-07-2017] 11-Youtube (2017[b]). Downes, Stephen (10-07-2012).: LMS vs PLE -Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=zDwcCJncyiw [acedido em 14-07-2017]