Seminário unicamp 2007

1.976 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Gostei!!
    De fato é uma abordagem bem bacana, colocar no conjunto habitacional uma opção de quintal, principalmente por que no lugar onde vou trabalhar essa é a tipologia que os moradores já usam... Muito legal!
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.976
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário unicamp 2007

  1. 1. IC064 – Habitação Coletiva Contemporânea Seminário 08 Modelos Contemporâneos de HIS em periferias | Brasil: • Concurso Público de Anteprojetos de Habitação Popular SEHAB | COHAB / IAB | SASP, Brás - 1989 Finalista: Núcleo Arquitetura Menção Honrosa: Hector Vigliecca & Bruno Padovano • Conjunto Habitacional Rincão – PMSP | SEHAB | HABI, 1992 Projeto Contratado: Padovano Vigliecca Arquitetos S/C Ltda (1983-1993) • Concurso Habitasampa, Barra Funda - PMSP – 2004 3º Lugar: Vigliecca & Associados | Menção Honrosa: Núcleo ArquiteturaLilian Tamie Akune Lopes da Silva | Maíra Brançam Sfeir | Maria Cláudia Oliveira | Simone Mitsumori
  2. 2. Contexto do período:• Organização dos Movimentos de Moradia | Criação de canais de participação popular• Gestão descentralizada e democrática | Estímulo à Autogestão * | Cogestão• Autoconstrução assistida | mutirão• Parcerias entre poder público e ONG´s | assessorias técnicas | valorização do projeto• Retomada dos Concursos de Arquitetura pesquisa de projeto | valorização da arquitetura * autogestão: processo de gestão do empreendimento habitacional onde os futuros moradores organizados em associações ou cooperativas, administram a construção das UH em todos os seus aspectos, a partir de regras e diretrizes estabelecidas pelo poder Concurso Público de Anteprojetos para Habitação Popular público, quando este participa financiando o empreendimento.
  3. 3. Concurso Público de Anteprojetos para Habitação Popular Menção Honrosa | Área do Brás Hector Vigliecca e Bruno Padovano • Tipologia da VILA com rua interna. • Combinação de 3 tipologias habitacionais: casas geminadas, edifícios em linha e casas de fundo de “lote”. • Valorização da rua como espaço vivencial. • Quintais e espaços abertos privativos. • UH de 93.60 até 28.80 m2Fonte: Revista Projeto n. 134, Outubro de 1990.
  4. 4. Diretrizes da Política Municipal de Habitação para a elaboração de projetos | 1989-1992• Aproveitamento de terrenos públicos dominiais remanescentes de desapropriações, obraspúblicas, loteamentos e retificação do rio Tietê.• Projetos de pequenas dimensões ( terrenos entre 2600m2 a 20mil m2) com densidadeselevadas, entre 800 hab/ha a 1500 hab/ha.• Diversidade de soluções arquitetônicas e urbanísticas.• Inovação tipológica.•Valorização e qualificação dos espaços de uso coletivo. Modalidades de intervenção:• Regularização fundiária e urbanização de favelas.• Financiamento para construção através de mutirão autogerido por associaçõescomunitárias.• Lotes urbanizados.• Intervenção em cortiços.• Produção de conjuntos habitacionais por empreitada com Infra-estrutura.• Implantação de Infra-estrutura em gleba.
  5. 5. 252 intervenções promovidas por HABI / SEHAB no período 1989-1992.Fonte: Revista Projeto n. 147, Novembro de 1991.
  6. 6. Nova localização | Nova imagem. Água Branca Minas Gas Rincão HeliópolisFonte: www.maps.google.com, Junho de 2007. Praça da Sé | marco zero
  7. 7. 1 2 3 4 1. Heliópolis I 2. Minas Gás 3. Vila mara 4. São Francisco VIII
  8. 8. Conjunto Habitacional Rincão - 1992
  9. 9. Conjunto Habitacional Rincão 1992 | Vila Matilde | Zona Leste de SPArq. Hector Vigliecca e Bruno Padovano• Terreno de 12.878.43 m2 pertencente à PMSP.• Proximidade à estação Vila Matilde do Metrô e RFSA Vila Matilde.• 306 UH | 815.92 m2 de comercio | 26 vagas de garagem.• UH de 45 m2 de área média | 1052 hab/ha• Projeto iniciado por técnicos de HABI (Francisco Scagliuzzi).• Forte referência ao projeto de Alvaro Siza para conjunto de habitação no Porto.• Hector Vigliecca destaca a leitura de Jane Jacobs como referência conceitual: • Valorização de espaços comuns, coletivos, públicos, permeados pelos fluxos do cotidiano (uso contínuo e intenso). • Escala local, valoriza-se o estar e não apenas a circulação. • Habitação social deve ser abordada a partir do desenho da cidade e não como fragmento isolado no espaço.
  10. 10. Escritório Vigliecca & Associados | sediado em São Paulomais de 35 anos de experiência centrada no desenvolvimento de projetos arquitetônicos e deurbanismo nos segmentos educacionais, esportivos e habitação de interesse social.Equipe de profissionais com vasto currículo nacional e internacional sendo altamente qualificada paraelaborar projetos de todas as escalas. Arq. Hector Vigliecca | Uruguaio | professor Mackenzie e Escola da Cidade , São Paulo. 1968 – Arquiteto | Universidade da República, Montevidéu. 1970 – Pós graduação em Urbanismo na Universita degli Studi di Roma. 1975 – Começa a trabalhar no Brasil. Principais Premiações: Obra publicada nos periódicos: Nomeado ao Prêmio Mies van der Rohe. El Croquis, Espanha. 1º. Prêmio Centro de convenções e Feiras da Bahia, Salvador, 1976. Arquitectura Viva, Espanha. Medalla de Oro, atuação profissional – SAL, Uruguai, 1977. Prêmio Mies Van der Rohe, catálogo. 1º. Prêmio SESC Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, 1984. Panstadia International, Inglaterra. Prêmio Destaque na II Bienal de Arquitetura de São Paulo, 1993. Nikkei Architecture, Japão. Prêmio Reurbanização de Ramos, Rio Cidade II, Rio de Janeiro, 1997. T&A Tecniques et Architecture, França. 1º. Prêmio nova sede da FAPESP, São Paulo, 1998. Spazio e Societá, Itália. 1º. Prêmio Transformação Urbanística do Centro Histórico de Sumaré, ArcDesign, Brasil. 2002. Revista Projeto Design, Brasil. Menção Honrosa “Grand Egyptian Museum”, Egito, 2003. Revista AU, Brasil. Finalista “Biblioteca Nacional de México”, México, 2003. Elarqa, Uruguai. SESC classificado como um dos 30 projetos mais importantes do Brasil, Óculum, Brasil. 2005. Revista Obras, México. Arq/a, Portugal.Fonte: www.vigliecca.com.br , Junho de 2007.
  11. 11. Av. Alcântara Machado 10km Conjunto Rincão Praça da SéFonte: www.maps.google.com, junho de 2007.
  12. 12. EscolaTransporte(Trem)Transporte(Metrô) SaúdeIgreja Institucional Conjunto Rincão http://www.metro.sp.gov.br/redes/vermelha/vilamatilde/tevilamatilde.shtml
  13. 13. Piscinão do Rincão Rincão Vetor Zona Leste RFSA Vila MatildeEstação de Metrô Penha | 1988 Estação de Metrô Vila Matilde | 1988Fonte: www.maps.google.com, Junho de 2007.
  14. 14. Metrô Vila Matilde Rincão RFFSA Vila Matilde
  15. 15. Viaduto Vila Matilde Córrego Avenida expressaLinha férrea Avenida expressa Viaduto Vila MatildeFonte: www.maps.google.com, Junho de 2007.
  16. 16. Praças de encontro Unidades comerciais 88 64 90Implantação Núcleos de vizinhança | áreas comuns de circulação e estar.
  17. 17. Rincão – VilaMatilde, São Paulo,arq. HectorVigliecca e BrunoPadovano, 1992. REFERÊNCIA SAAL (Serviço de Apoio Ambulatório Local) – Bouça, Porto, arq. Alvaro Siza, 1973.
  18. 18. SAAL – Bouça | Porto, arq. Alvaro Siza, 1973.
  19. 19. SAAL – Bouça | Porto, arq. Alvaro Siza, 1973.
  20. 20. Construção | Finalização e Inauguração
  21. 21. Corte genérico das lâminas: Cobertura (acesso a duas unidades) Corredor superior externo: acesso às unidades (8 -14) e escadarias. Acesso à duas unidades. Depósitos. Casas térreas com quintal, acesso individual. Criação de quintais entre as tiras de apartamentos térreos, permitindo extensões e o uso privativo para famílias maiores.
  22. 22. COMERCIOCOMERCIO Vila A Vila B Vila C Elevação rua Alvinópolis (externa), acessos independentes aos núcleos de vizinhança.
  23. 23. Trecho de elevação interna das lâminas.
  24. 24. 1 COB.Tipologias habitacionaisárea média 45m2 | unidade térreacom quintal de 28m2 e possibilidadede 70% de ocupação (edícula). T 2 A= 45m2 COB. 2 Corredor 1 T Corte esquemático.
  25. 25. Comercio e serviços voltados para o bairro.Acesso independente pela rua Apto. 1 dorm.
  26. 26. Área remanescente de canalização de córrego.
  27. 27. Orientação das UH para ruas de pedestres internas, ou pátios, que por sua vez criam espaços contínuosjunto ao córrego urbanizado.
  28. 28. Questões relacionadas àgestão do conjunto,oriundas da formação dademanda, geram váriosproblemas demanutenção.
  29. 29. Distribuição do comercio ao longo das ruas perimetrais comaumento das calçadas nas esquinas.
  30. 30. Questões relacionadas à legislação que envolve esta modalidade de intervenção geramproblemas na apropriação e uso das áreas destinadas ao comércio (816m2).
  31. 31. Bibliografia:ANDRADE, Carlos Roberto; BONDUKI, Nabil; ROSSETO, Sites consultados:Rossella. Arquitetura e Habitação Social em São Paulo 1989 - www.vigliecca.com.br visitado em Junho de 2007.1992. Catálogo da mostra de mesmo nome para a II BienalInternacional de Arquitetura de São Paulo, Publicação EESC www.maps.google.com visitado em Junho de 2007- USP,1993. housingprototypes.org visitado em Junho de 2007.BONDUKI, Nabil. Habitar São Paulo – Reflexões sobre agestão urbana. São Paulo:Estação Liberdade, 2000.OLIVEIRA, M. Cláudia. A valorização da Arquitetura: Projetosde Habitação – a experiência da PMSP (1989-1992). SãoPaulo: Dissertação de mestrado apresentada aoDepartamento de Arquitetura da EESC – USP, 1999.Periódicos:AU, São Paulo, Editora Pini, edição n. 33, Dez/Jan 1991.AU, São Paulo, Editora Pini, edição n. 42, Jun/Jul 1992.Projeto, São Paulo, Projeto Editores Associados Ltda., ediçãon. 134, Outubro de 1990.Projeto, São Paulo, Projeto Editores Associados Ltda., ediçãon. 137, Janeiro de 1991.Projeto, São Paulo, Projeto Editores Associados Ltda., ediçãon. 147, Novembro de 1991.

×