Allan kardec

525 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
525
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Allan kardec

  1. 1. EstudoSistematizado daDoutrina EspíritaPrograma FundamentalMódulo II – A Codificação EspíritaRoteiro 2 – Allan Kardec: o professor e ocodificador07/09/2008
  2. 2. Nascimento
  3. 3. Hippolyte Léon Denizard Rivail03 de outubro de 1804Cidade: Lião (Lyon) – FrançaPais:Jean-Baptiste Antoine RivailJeanne Louise DuhamelAntiga família lionesa, de nobres edignas tradições.
  4. 4. PrimeirosEstudosO Instituto de Yverdon
  5. 5. Os Primeiros estudos em Lião sãoministrados pela própria família(honradez, retidão e moral).1814Aos 10 anos é enviado a Yverdon - SuíçaInstituto Pestalozzi de YverdonFundado em 1805 pelo professor-filantropo João Henrique Pestalozzi
  6. 6. Castelo de Zahringenem
  7. 7. MétodoPestalozzi deEnsinoO aluno é conduzido adescobrir,por simesmo, tanto oquanto possível comseu esforço pessoalas coisas que estãoao alcance de suainteligência.Em vez de elas seremministradasdogmaticamente pelométodo catequético.Repudiava a
  8. 8. O ProfessorAs ObrasDidáticas e seulegado naeducação.
  9. 9. Concluído seus estudos, aos 18anos retorna à França onde, emParis, dedica-se ao exercício domagistério e nas horas vagas atradução para francês de obrasinglesas e alemãs.Em dezembro de 1823, aos 19 anoslançou sua primeira obra, o Cursoprático e teórico de Aritmética,segundo o método de Pestalozzi,para uso dos professores e mãesde família.
  10. 10. PrincipaisFeitos doProfessor Rivail1826 – Funda aInstituição Rivail1828 – Planoproposto paramelhoramento daEducaçãoPública Francesa
  11. 11. Utiliza-se do EnsinoIntuitivo proposto porPestalozzi.Militante pelaDemocracia daEducação, ou seja, oacesso da massa àeducação.Seus alunos eramcarinhosamentechamados de “meusamigos”
  12. 12. PrincipaisObras doProfessorRivail• 1823 – Curso Teórico e Práticode Aritimética;• 1831 – Gramática FrancesaClássica;• 1846 – Manual dos examespara os títulos de capacidade;• 1846 – Soluções racionais dasquestões e problemas daAritmética e da Geometria;• 1848 – Catecismo gramaticalda língua francesa;• 1849 – Ditados normais dosexames da Municipalidade e daSorbona;• 1849 – Ditados especiais sobreas dificuldades ortográficas.
  13. 13. Em 9 defevereiro de1832, oprofessorHippolyte-Léon-DenizardRivail casa-secom Amélie-GabrielleBoudetprofessora,poetisa eartista plásticafrancesa.
  14. 14. A MissãoOs primeiroscontatos comfenômenosmediúnicos.
  15. 15. 1854 – Aos 50 anos de idade, ouve falarpela primeira vez das “mesas girantes”pelo magnetizador Senhor Fortier, aquem ele já conhecia à algum tempo.Rivail conclui que poderia se tratar do“fluido magnético animal” ou“biomagnetismo” que é uma espécie deeletricidade emitida pelos seres vivose poderia perfeitamente atuar sobrecorpos inertes e fazer com que semovessem.
  16. 16. Algum tempo depois, o Senhor Fortier lheconta que as mesas apósmagnetizadas além de se moverem,respondiam quando indagadas.“Ainda nada vira, nem observara; asexperiências, realizadas em presençade pessoas honradas e dignas de fé,confirmavam a minha opinião, quanto àpossibilidade de efeito puramentematerial; a idéia, porém, de uma mesafalante ainda não me entrara namente.”Allan Kardec – Obras Póstumas pás. 266
  17. 17. Maio de 1855 - Rivailpresencia pela primeiravez os fenômenosmediúnicos.
  18. 18. Logo nos primeiros contatos do professorRivail com o fenômeno das mesas girantes,este percebeu haver ali algo muito mais sériodo que simples entretenimento.Com sua presença, modificou-se o ambiente,sendo Zéfiro o primeiro espírito a identificar-se, em simultâneo, espíritos de maiorelevação se fizeram presentes, expressando-se, a partir daí, os pródromos do Consolador.
  19. 19. Primeiros Resultados:- Os espíritos nada mais sendo do que as almas dos homens, nãopossuíam nem a plena sabedoria nem a ciência integral;- O saber que dispunham se circunscrevia ao grau, que aviamalcançado, de adiantamento;- A opinião deles só tinha o valor de uma opinião pessoal.Isso impediu que Rivail de formular teorias prematuras tendo por base oque fora dito por alguns Espíritos.Porém duas conclusões foram essenciais:- A comunicação com os Espíritos, dissessem eles o que dissessem, provavaa existência do mundo invisível ambiente;- Aquela comunicação permitiria que se conhecesse o estado daquele mundoe seus costumes.“Conduzi-me, pois, com os Espíritos, como houvera feito comos homens. Para mim eles foram, do menor ao maior, meiosde me informar e não reveladores predestinados”Allan Kardec – Obras Póstumas p. 269
  20. 20. Notícias edesempenhoA Missão
  21. 21. Um pouco mais adiante, Rivail teria o seu primeiro diálogo comaquele que inicialmente ele denominou de Espírito Familiar, conformeregistra seus manuscritos:"..Meu Espírito Familiar, quem quer que tu sejas, agradeço-te o meteres vindos visitar. Consentirás em dizer-me quem és?".“Para ti, chamar-me-ei A Verdade e todos os meses, aqui, duranteum quarto de hora, estarei à tua disposição".O momento é grandioso, embora o professor Rivail, como é natural,não o percebesse de imediato. A revelação se achava em curso enada mais poderia detê-la.O Espírito de Verdade abria o painel do infinito e inaugurava a era darazão.A Verdade...
  22. 22. Em 12 de junho de 1856, o professorRivail se dirige ao Espírito Verdadecom a intenção de obter maisinformações acerca da missão quealguns Espíritos já lhe aviam apontado:missionário-chefe da nova doutrina.O Espírito Verdade confirma a missão àRivail, diz que ele poderia triunfar oufalir e que neste último caso, outro osubstituiria.
  23. 23. Fora então cientificado, naquele momento, de que nãobastaria "publicar um livro, dois livros, dez livros, paraem seguida ficares tranquilo em casa". Havia mais,muito mais: "Tens que expor a tua pessoa", "(...) é rudea tua (missão), porquanto se trata de abalar etransformar o mundo inteiro".E em sequência foram sendo enfileiradas as lutas queadviriam: ódios terríveis, inimigos encarniçados,malevolência, calúnia, traições - até dos mais chegados- fadiga, sacrifícios e por fim: "terás de sustentar umaluta quase contínua, com sacrifício de teu repouso, datua tranquilidade, da tua saúde e até da tua vida, pois,sem isso, viverias muito mais tempo".A Escolha...
  24. 24. 10 Anos Depois...
  25. 25. “Mas, também, a par dessas vicissitudes, que desatisfações experimentei, vendo a obra crescer de maneiratão prodigiosa! Com que compensações deliciosas forampagas as minhas tribulações! Que de bênçãos e de provasde real simpatia recebi da parte de muitos aflitos a quem aDoutrina consolou!Este resultado não me anunciou o Espírito da Verdade que,sem dúvida intencionalmente, apenas me mostrara asdificuldades do caminho. Qual não seria, pois, a minhaingratidão, se me queixasse! Se dissesse que há umacompensação entre o bem e o mal, não estaria com averdade, porquanto o bem, refiro-me às satisfações morais,sobrelevam de muito o mal.”Allan Kardec – Obras Póstumas p.283-285A Recompensa...
  26. 26. O Nome
  27. 27. Quando da publicação de O Livrodos Espíritos o autor se viu diantede um sério problema: como assinaro trabalho?Hippolyte Léon Denizard Rivailera um nome muito conhecido domundo científico...Um pseudônimo poderia prejudicaro êxito do empreendimento...Resolveu, então, assinar comoAllan Kardec, nome que, segundolhe revelara o guia, [Zéfiro], eletivera ao tempo dos druidas.
  28. 28. As ObrasEspíritas
  29. 29. Além de O Livro dosEspíritos, lançado em18 de abril de 1857,Kardec escreveumuitas outras obrasespíritas, das quais sedestacam:
  30. 30. 1º de Janeiro de 1858
  31. 31. Julho de 1859
  32. 32. 15 de Janeiro de 1861
  33. 33. Abril de 1864
  34. 34. Agosto de 1865
  35. 35. 16 de janeiro de 1868
  36. 36. 1890 por P. G. LeymarieApós sua desencarnação...
  37. 37. A atuação deKardec nacodificaçãoda DoutrinaEspírita
  38. 38. “Kardec não foi um simples compilador, tendo sua tarefa idomuito além da coleta e seleção do material, isto é, dasmensagens recebidas do mundo espiritual”.“A ele é que coube a ingente tarefa de organizar e ordernaras perguntas (e que perguntas!) sobre os assuntos maissimples aos mais complexos, abrangendo vários ramos doconhecimento humano”.“A distribuição didática das matérias encerradas no texto, aredação dos comentários às respostas do Espíritos, aprecisão com que intitula capítulos e subcapítulos, aselucidações complementares de sua autoria... Tudo istoatesta a grande cultura de Kardec , o carinho e a diligênciano que ele se ouve no afanoso trabalho que secomprometera a publicar”.WANTUIL, Zéus e THIESEN, Francisco, 1999, Item 7, p.84-85
  39. 39. “Kardec extraiu do amontoado caótico de mensagensmediúnicas os princípios fundamentais com que elaborouuma nova doutrina filosófica, de caráter científico e deconseqüências morais ou religiosas”.WANTUIL, Zéus e THIESEN, Francisco, 1999, Item 7, p.84-85
  40. 40. Desencarnação
  41. 41. 03 de outubro de 1804“Morreu como viveu: trabalhando. Sofria desde longos anosde uma enfermidade do coração, que só podia sercombatida por meio do repouso intelectual e pequenaatividade material”.“Consagrado, porém, todo inteiro à sua obra, recusava-se atudo o que pudesse absorver um só que fosse de seusinstantes, à custa de suas ocupações prediletas".“Deu-se com ele o que se dá com todasas almas de forte têmpera: a lâmina gastou abainha”.Allan Kardec – Obras Póstumas p.17
  42. 42. Amélie Gabrielle BoudetApós o falecimento de seu esposo, em 1869, assumiu todosos encargos necessários à gestão do Espiritismo, na França eno mundo.Faleceu dia 21 de janeiro de 1883, 14anos após Kardec, em sua residência, emParis, sendo sepultada ao lado do esposo,na mesma cidade.
  43. 43. Fim, ou um novo começo...

×