Orientações para ingresso no ensino superior

290 visualizações

Publicada em

Orientações para ingresso no ensino superior

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
290
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • OBSERVAÇÃO: Deseja uma imagem diferente neste slide? Selecionea imagem e apague-a. Agora, clique no ícone Imagens no espaço reservado para inserir sua própria imagem.
  • Orientações para ingresso no ensino superior

    1. 1. ORIENTAÇÕES PARA INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR Escola Estadual Joanna Spósito Professora Maira Conde
    2. 2. Orientações para ingresso no ensino superior  Dados Relevantes e um panorama do ensino superior no Brasil  Estrutura do Ensino Superior  Universidades Publicas e Universidades Privadas  Formas de Ingresso no Ensino Superior  Ações Afirmativas  Bolsas de Estudo e Financiamentos  Ensino Técnico  Dicas de cursinhos e sites
    3. 3. Dados Relevantes e um panorama do ensino superior no Brasil  Em 2004, 20% mais ricos representavam 55% dos universitários da rede pública e 68,9% da particular. Em 2013, proporções caíram para 38,8% e 43%, respectivamente.  Na USP, maior e mais importante universidade do Brasil em 2014, o número de ingressantes oriundos de escolas públicas cresceu quatro pontos percentuais em relação ao ano anterior, passando de 28,5% para 32,3%.  Mas infelizmente, apenas 11% dos jovens negros entre 18 e 24 estão matriculados no ensino superior. "Vamos pintar a universidade de povo!"
    4. 4. Dados Relevantes e um panorama do ensino superior no Brasil Os 10 cursos com maior taxa de emprego 1. Medicina – 97,07% 2. Odontologia – 96,22% 3. Engenharia Civil – 95,72% 4. Arquitetura e Urbanismo – 94,69% 5. Matemática – 94,39% 6. Engenharia Mecânica e Metalúrgica – 94,36% 7. Farmácia – 94,30% 8. Educação e Formação de Professores – 94,13% 9. Computação – 93,92% 10. Contabilidade e Atuária – 93,87% Os 10 cursos com maior crescimento de vagas de emprego 1. Tecnologia da Informação (TI) 2. Enfermagem 3. Relações Públicas, Publicidade, Mercado e Negócios 4. Secretariado Executivo 5. Farmácia 6. Administração 7. Engenharia Civil 8. Recursos Humanos 9. Advocacia 10. Magistério
    5. 5. Estrutura do Ensino Superior Educação Básica:  Educação Infantil  Fundamental I e Fundamental II  Ensino Médio Ensino Superior:  Graduação  Pós - Graduação
    6. 6. Estrutura do Ensino Superior Tipos de Graduação:  Bacharelado = Bacharel = Grau acadêmico de atuação profissional específica Formação varia entre 4 e 6 anos - Ex: direito, administração, engenharias...  Licenciatura Plena = Licenciado = Grau acadêmico de professor Formação varia entre 3 e 4 anos - Ex: pedagogia, biologia, química...  Tecnológico = Tecnólogo = Grau acadêmico de formação tecnológica Formação varia entre 2 e 3 anos - Ex: Redes de Computadores, Logística, Radiologia...
    7. 7. Estrutura do Ensino Superior Ensino a Distância - EaD: Alguns cursos de graduação e pós - graduação são ofertados na modalidade EaD. O certificado é igualmente reconhecido. Mesmo cursos presenciais oferecem algumas disciplinas na modalidade EaD. As aulas são em ambientes virtuais de aprendizagem com alguns encontros presenciais ao longo do curso.
    8. 8. Estrutura do Ensino Superior Tipos de Pós - Graduação: Lato Sensu:  Especialização  MBA: Master of Business Administration Stricto Sensu:  Mestrado Acadêmico ou Profissional  Doutorado  Pós - Doutorado
    9. 9. Estrutura do Ensino Superior Outros cursos superiores:  Atualização  Extensão universitária  Aperfeiçoamento
    10. 10. Universidades Publicas São instituições de ensino públicas, ou seja, federais, estaduais ou municipais
    11. 11. Universidades Publicas UNIVESP E UAB  A Fundação Universidade Virtual do Estado de São Paulo (UNIVESP) é a mais nova e inovadora universidade pública paulista. Ela possui um processo de seleção próprio e oferece cursos de engenharia e licenciaturas na modalidade EaD.  A Universidade Aberta do Brasil é um sistema integrado por universidades públicas que oferece cursos de nível superior para camadas da população que têm dificuldade de acesso à formação universitária, por meio do uso da metodologia da educação a distância. O público em geral é atendido, mas os professores que atuam na educação básica têm prioridade de formação. A forma de ingresso para o público em geral também é pelo ENEM.
    12. 12. Universidades Privadas Pertencem a iniciativa privada:
    13. 13. Formas de Ingresso no Ensino Superior Enem - Exame Nacional do Ensino Médio O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi criado em 1998 com o objetivo de avaliar o desempenho do estudante ao fim da educação básica, buscando contribuir para a melhoria da qualidade desse nível de escolaridade. O conteúdo das provas do Enem é definido a partir de matrizes de referência em quatro áreas do conhecimento:  Linguagens, códigos e suas tecnologias, que abrange o conteúdo de Língua Portuguesa (Gramática e Interpretação de Texto), Língua Estrangeira Moderna, Literatura, Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação.  Matemática e suas tecnologias.  Ciências da Natureza e suas tecnologias, que abrange os conteúdos de Química, Física e Biologia.  Ciências Humanas e suas tecnologias, que abrange os conteúdos de Geografia, História, Filosofia, Sociologia e conhecimentos gerais.
    14. 14. Formas de Ingresso no Ensino Superior Enem - Exame Nacional do Ensino Médio Para a elaboração da prova do Enem, constituída de uma parte objetiva e uma redação, é utilizada uma matriz de competências. Neste caso, a palavra competência está ligada à capacidade do estudante de dominar a norma culta da Língua Portuguesa, compreender fenômenos naturais, enfrentar situações-problema, construir argumentações consistentes e elaborar propostas que atentem para as questões sociais. A cada competência corresponde um conjunto de “habilidades”, que seriam a demonstração prática dessas competências
    15. 15. Formas de Ingresso no Ensino Superior Enem - Exame Nacional do Ensino Médio  O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 será realizado em 24 e 25 de outubro.  Cartão de inscrição: Terá que ser baixado ou consultado diretamente no site do Inep sobre o Enem.  Duração das provas: No primeiro dia, ciências humanas e ciências da natureza terão 4 horas e meia de duração. No segundo dia, linguagens, matemática e redação terão 5 horas e meia de duração.  Horário das provas: Portões serão fechados às 13h (horário oficial de Brasília). Mas, dessa vez, as provas só começam 30 minutos depois do fechamento dos portões.  Quem for liberado da taxa e faltar nos dois dias do exame em 2015 terá obrigatoriamente que pagar a inscrição em 2016.
    16. 16. Formas de Ingresso no Ensino Superior SISU - Sistema de Seleção Unificada  O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é o sistema informatizado, gerenciado pelo Ministério da Educação (MEC), no qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas para candidatos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).  Podem se inscrever no Sisu os candidatos que fizeram o Enem de 2014 e que tenham obtido nota acima de zero na prova de redação. É importante ressaltar que algumas instituições adotam notas mínimas para inscrição em determinados cursos.  Durante o período de inscrição, uma vez por dia, o Sisu calcula a nota de corte (menor nota para ficar entre os potencialmente selecionados) para cada curso com base no número de vagas disponíveis e no total dos candidatos inscritos naquele curso, por modalidade de concorrência.
    17. 17. Formas de Ingresso no Ensino Superior Vestibular Existem universidades publicas e privadas privadas que tem seu sistema de seleção próprio, embora algumas delas também adotem as notas do ENEM. No caso de algumas como FATEC, USP, UNICAMP e UNESP é importante prestar atenção ao calendário de cada uma delas, pois as provas são ofertadas apenas duas vezes por ano. É importante estar atento aos calendários de isenção das taxas, que é garantido a quem estuda em instituições públicas e de acordo com a renda per capita.
    18. 18. Ações Afirmativas As ações afirmativas são políticas públicas que ajudam quem foi historicamente discriminado e desfavorecido em consequência de políticas e formas de dominação que são consideradas injustas e desumanas pelos acordos e tratados internacionais de direitos humanos. Elas existem para que essas pessoas possam competir no mercado de trabalho e exercer seus direitos plenamente, em igualdade com aqueles outros indivíduos que, ao contrário, foram historicamente favorecidos e hoje possuem uma vantagem muito grande em relação aos primeiros. As cotas nas universidades são um instrumento de ação afirmativa que tenta corrigir essa desigualdade de oportunidades para que toda uma geração não seja prejudicada, seus talentos desperdiçados e suas possibilidades de realização pessoal frustradas, por causa de erros do passado que nunca foram revistos pela nossa sociedade. Essas cotas podem ter um recorte racial ou social como veremos a seguir.
    19. 19. Ações Afirmativas A lei de cotas: Cotas sociais As cotas sociais permitem que os estudantes brasileiros das escolas públicas, grande parte deles com baixa renda familiar, tenham melhores condições de ingressar nas universidades públicas. O total de vagas designadas aos alunos egressos de escolas públicas é dividido da seguinte forma: metade para estudantes com renda familiar bruta igual ou inferior a 1,5 salário mínimo per capita e metade para aqueles com renda familiar superior a 1,5 salário mínimo. Cotas raciais Incluídas nas cotas sociais, as cotas raciais são uma das principais medidas afirmativas adotadas em defesa da população afro-brasileira, pois proporcionará a inserção de maior contingente de negros na rede universitária do País. O critério da raça é auto declaratório, assim como ocorre com o censo demográfico e demais políticas de afirmação no Brasil. Assim, ficam proibidas bancas de avaliação de cor, por exemplo. No entanto, é dever das instituições de ensino conferir a veracidade das informações sobre a renda familiar e dos documentos exigidos para a matrícula.
    20. 20. Ações Afirmativas
    21. 21. Ações Afirmativas INCLUSP: Programa de Inclusão Social da USP  O INCLUSP é o Programa de Inclusão Social da USP, criado para incentivar a participação de estudantes de escolas públicas no vestibular, potencializar as chances de ingresso desses candidatos por meio de bônus (fator de acréscimo) e propiciar a permanência dos aprovados que tenham desvantagens socioeconômicas.  Para participar do INCLUSP, você deve informar, no momento da inscrição no vestibular da Fuvest, que é ou foi aluno de escola pública e que deseja participar do Sistema de Pontuação Acrescida.  O candidato INCLUSP que cursou o Ensino Fundamental e cursou ou esteja cursando o Ensino Médio integralmente em escolas públicas no Brasil terá um bônus de 15%. O candidato nessa condição que se declarar pertencente ao grupo PPI (cor ou raça: Preta, Parda ou Indígena) e desejar receber bônus por pertencer a esse grupo terá fator adicional de 5% de acréscimo ao bônus de 15%.  Parte importante do INCLUSP, o Pasusp é um programa voltado para alunos ainda matriculados no Ensino Médio público e que cursaram o Ensino Fundamental integralmente em escolas públicas. O bônus do PASUSP 2015 incidirá sobre a nota da 1ª fase e sobre a nota final do Concurso Vestibular FUVEST.
    22. 22. Bolsas de Estudos e Financiamentos PROUNI - Programa Universidade para Todos  O Programa Universidade para Todos - Prouni tem como finalidade a concessão de bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições de ensino superior privadas.  Podem participar os candidatos que não possuam diploma de curso superior e que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014, desde que tenham obtido no mínimo 450 pontos na média das notas do Exame e nota acima de zero na redação.  Para concorrer às bolsas integrais o candidato deve ter renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa; nos dois casos ter cursado o ensino médio em instituição publica ou na privada como bolsista.
    23. 23. Bolsas e Financiamentos FIES: Fundo de Financiamento Estudantil  O Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) é um programa do Ministério da Educação (MEC) destinado à concessão de financiamento a estudantes regularmente matriculados em cursos superiores presenciais não gratuitos e com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo MEC.  Os estudantes que concluíram o ensino médio a partir do ano letivo de 2010 e queiram solicitar o FIES, deverão ter realizado o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) de 2010 ou ano posterior.  O percentual mínimo de financiamento pelo FIES é de 50% (cinquenta por cento) do valor dos encargos educacionais cobrados do estudante por parte da instituição de ensino. Para estudantes com renda familiar mensal bruta de até 10 (dez) salários mínimos: até 100%.
    24. 24. Bolsas e Financiamentos FIES: Fundo de Financiamento Estudantil Um estudante que financiou todo o curso com duração de 4 anos:  Durante o curso: Pagamento trimestral de até R$ 50,00.  Carência: Nos 18 meses após a conclusão do curso, o estudante pagará, a cada três meses, o valor máximo de R$ 50,00.  Amortização: Ao final da carência, o saldo devedor do estudante será dividido em até 13 anos [ 3 x 4 anos (período financiado do curso) + 12 meses].
    25. 25. Bolsas e Financiamentos FIES: Fundo de Financiamento Estudantil A dívida do FIES pode ser paga com trabalho. Por enquanto, o MEC permite que esse abatimento seja solicitado em dois casos:  Para pagar o curso de Medicina ou Licenciatura pode trabalhar para o Governo e, assim, abater uma parte das parcelas do FIES.  O abatimento é de 1% e os médicos e professores precisam cumprir algumas regras para obter o benefício. Nas duas situações, as parcelas do FIES precisam estar em dia para que o profissional consiga diminuir a dívida em troca de trabalho. 
    26. 26. Bolsas e Financiamentos Programa Bolsa-Universidade  O Programa Bolsa-Universidade é um convênio que foi estabelecido entre o Governo do Estado de São Paulo e as Instituições de Ensino Superior, por meio da Secretaria de Estado da Educação.  O estudante contemplado receberá bolsa integral de seu curso – a Secretaria de Estado da Educação arca com 50% do valor da mensalidade, com teto de R$ 500,00, e a instituição de ensino completa o restante do valor da mensalidade.  Em contrapartida, irá atuar como educador universitário em uma escola participante do Programa Escola da Família, que abre unidades escolares aos sábados e domingos para a comunidade.
    27. 27. Bolsas e Financiamentos Bolsas e programas próprios A maioria das instituições superiores tem programas de bolsas e financiamentos próprios. Escolha a instituição e entre em contato, mas antes lembre-se de esgotar todas as possibilidades de ações afirmativas e financiamentos públicos.
    28. 28. Ensino Técnico O ensino técnico é um nível ou subsistema de ensino enquadrado no nível médio dos sistemas educativos, referindo-se normalmente a uma educação realizadas em escolas secundárias ou outras instituições que conferem diplomas profissionais. Constitui uma modalidade de ensino vocacional, orientada para a rápida integração do aluno no mercado de trabalho. Opções de ensino técnico:  Escolas Técnicas Estaduais: ETECs (ingresso por meio dos vestibulinhos)  PRONATEC: Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (ingresso por meio do ENEM/SISUTEC)  SENAI: Serviço Nacional de Aprendizagem  VENCE
    29. 29. Ensino Técnico VENCE São oferecidas duas modalidades de ensino médio articulado com a educação profissional: VENCE INTEGRADO Curso de período integral, oferecido pela escola estadual em parceria com o Centro Paula Souza (ETEC) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo. Quem pode participar: concluintes do ensino fundamental. Conheça: VENCE CONCOMITANTE O aluno frequenta o ensino médio na rede estadual em um período e, no outro, faz o curso técnico em uma instituição de ensino técnico credenciada. Quem pode participar: alunos da 2ª e da 3ª séries do ensino médio e de EJA.
    30. 30. Dicas de Cursinhos e sites Projeto Geekie: http://www.geekie.com.br/ EVESP: Escola Virtual http://www.educacao.sp.gov.br/evesp/cursos/ Cursinhos com preços populares http://www.uneafrobrasil.org/ http://www.cursinhohenfil.org.br/index.html http://www.medensina.com/ http://www.vintedenovembro.com.br/vintedeno…/default_pt.asp… http://redeemancipa.org.br/red…/florestan-fernandes-butanta/
    31. 31. REFERENCIAS: Globo.com Mundo Vestibular Universia Brasil Wikipedia INEP Ministério da Educação Secretaria de Educação do Estado de São Paulo UOL Educação Universidade de São Paulo

    ×