A formação das galáxias

410 visualizações

Publicada em

A formação das galaxias

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
410
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A formação das galáxias

  1. 1. • Os modelos cosmológicos atuais do início do universo são baseados na teoria do Big Bang.
  2. 2. • O Big Bang, ou grande explosão, também conhecido como modelo da grande explosão térmica, onde, enquanto o Universo se expande, a radiação contida e a matéria se esfriam.
  3. 3. • Galáxia é um termo que se origina da palavra gala, que significa "leite", em grego. Inicialmente, era a denominação da nossa galáxia, a Via Láctea, e, depois, se generalizou como denominação de todas as demais.
  4. 4. • Cerca de 300 mil anos depois deste evento, átomos de hidrogénio e hélio começaram a formar-se, num evento chamado “recombinação” • A galáxia é uma coleção de massas solares que podem conter entre 100 mil e 3.000 bilhões de estrelas. • As galáxias são compostas por nuvens de gás e poeira, um grande número de estrelas, planetas, cometas e asteroides e diversos corpos celestes unidos pela ação da força gravitacional.
  5. 5. • Numa noite estrelada, podemos ver uma faixa esbranquiçada que corta o céu. Essa "faixa" de astros é apenas uma parte da galáxia onde está localizado o planeta Terra. Os antigos a denominaram Via Láctea, cujo significado em latim é "caminho de leite". • A Via Láctea pertence a um conjunto, ou seja, uma aglomerado de diversas galáxias. O Universo contém mais de 200 bilhões de galáxias de tamanho e formas variadas.
  6. 6. •Elípticas •Espirais •Irregulares
  7. 7. Todas as espirais têm duas componentes morfológicas • disco composto de estrelas, gás e poeira. No disco encontra-se a estrutura espiral • esferoide de estrelas, com pouco gás e pouca poeira: núcleo, bojo e halo. • classificam-se de acordo com a tamanho do bojo e grau de enrolamento dos braços espirais.
  8. 8. Os braços espirais partem do núcleo • Sa: núcleo maior, braços pequenos e bem enrolados • Sb: núcleo e braços intermediários • Sc: núcleo menor, braços grandes e mais abertos
  9. 9. Espirais barradas: os braços espirais partem de uma barra formada de estrelas • SBa • SBb • SBc
  10. 10. Só tem a componente esferoidal, mostrando pouca estrutura interna. • • forma elíptica • • não têm disco, braços espirais, nem gás nem poeira Classificam-se de acordo com o achatamento aparente (n) • • E0 é circular: b/a=1 • • E7 é a mais achatada. (b/a=0,3) • • n = 10x(1-b/a)
  11. 11. • Apresentam estrutura irregular, caótica.
  12. 12. • Assume-se que as estrelas e o gás são mantidos em sua órbita pela massa interna à órbita. • Gravitação universal: Onde • M(R) = massa interior ao raio R • Vrot = velocidade de rotação
  13. 13. • Teorema do Virial: •
  14. 14. • M = massa total da galáxia • v = velocidade média das estrelas • R = raio da galáxia
  15. 15. • Tendo em vista as distâncias entre as estrelas, a grande maioria dos sistemas estelares em galáxias que colidem não é afetada. Entretanto, a remoção gravitacional do gás e poeira interestelares que formam os braços espirais produz uma longa cadeia de estrelas conhecida como caudas de maré. • Como exemplo de tais interações, a Via Láctea e a vizinha Galáxia de Andrómeda aproximam-se uma em direção à outra a cerca de 130 km/s e – dependendo dos movimentos laterais – as duas podem vir a colidir dentro de cinco a seis biliões de anos. Embora a Via Láctea nunca tenha colidido com uma galáxia tão grande quanto a de Andrómeda, há crescentes evidências de ela ter colidido no passado com galáxias anãs. • Interações de grande escala como esta são raras. À medida que o tempo passa, as junções de sistemas do mesmo tornam- se menos comuns. A maioria das galáxias brilhantes permaneceu basicamente inalterada nos últimos biliões de anos, e a taxa global de formação de estrelas provavelmente teve seu pico há aproximadamente dez biliões de anos.
  16. 16. • Um bilião de anos após o início da formação de uma galáxia, as estruturas chave começam a aparecer. Formam-se aglomerados globulares, o buraco negro supermaciço central e um bolbo galáctico de estrelas pobres em metal.

×