Revista de história

459 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
459
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
57
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista de história

  1. 1. Revista de História Estudante: Carlos Adriano Lacava. Série: 3º A Professor: Marcelo
  2. 2. Movimentos separatistas Sulistas• Idéias separatistas estão presentes em toda a história da Região Sul, ao ponto de que a questão deixou de ser somente política e passou a ser também cultural. No estado do Rio Grande do Sul e em muitos municípios de Santa Catarina e Paraná comemora-se oficialmente a Revolução Farroupilha. Guilherme Litran, Carga de cavalaria Farroupilha, acervo do Museu Júlio de Castilhos.
  3. 3. • Durante a semana do dia 20 de setembro, aniversário da revolução, os diversos Centros de Tradições Gaúchas espalhados por todo o Sul festejam a data lembrando os méritos desta revolta separatista.
  4. 4. • Na própria bandeira do Rio Grande do Sul ainda consta a inscrição "República Rio- Grandense" sob os moldes da bandeira criada para o novo país.
  5. 5. • Em Santa Catarina, a revolucionária Anita Garibaldi é considerada heroína do estado e não faltam estátuas, ruas e praças em homenagem a ela.
  6. 6. • Festeja-se todo ano na cidade de Laguna- SC a encenação da Tomada de Laguna, evento que declarou a República Juliana durante a Revolução Farroupilha.
  7. 7. MIP – Movimento pela independência do PampaUm Movimento fundadoem Fevereiro de 1990 querompe o Tratado do PoncheVerde por desrespeito,invasão e ocupação doTerritório Gaúcho peloscarrascos brasileiros.
  8. 8. MOTIVOS HISTÓRICOS PARA A AUTODETERMINAÇÃO• O Rio Grande do Sul, um Estado-País inserido no "garrão" da Ibero-América (América do Sul), tem traços distintos quando comparados ao resto do Brasil. O Tratado de Tordesilhas, firmado em 7 de junho de 1494, no povoado de Tordesilhas entre Portugal e Espanha, sob a grande influência do papado da época , excomunga parte de Santa Catarina e todo o Rio Grande do Sul do Brasil.
  9. 9. • A Província de São Pedro do Rio Grande pertencia à coroa hispânica e, mesmo assim, os Bandeirantes residentes no Brasil investiram contra as pobres almas nativas.• Portugal e Espanha assinam em 13 de janeiro de 1750, o "Tratado de Madri" que expulsou os nativos das Missões dos Sete Povos para a cidade castelhana de Colônia de Sacramento. Foram, com este tratado, os nativos transferidos sem que pudessem levar consigo o fruto de seu suor e trabalho, as colheitas, os animais, e outros pertences necessários para a sobrevivência.
  10. 10. • Foi nesta época que o herói nativo Sepé Tiarajú o grande corregedor da tribo Tupi-Guarani, tombou em favor de seu povo, quando levantou a voz contra as arbitrariedades impostas pelas coroas de além mar gritando: ESTA TERRA TEM DONO.
  11. 11. • O processo de perseguição continuou por parte dos supostos civilizados, investindo contra os nativos sulistas.• Assim se sucedem os confrontos... o Rio Grande do Sul, transformado em palco de conflitos sempre foi uma província brasileira desrespeitada e desprestigiada, enquanto as demais províncias brasileiras repousavam em profunda paz.
  12. 12. • Com a Proclamação da Independência do Uruguai em 25 de Agosto de 1825, a Província Cisplatina é ferida, perdendo parte de seu território. Emcabeçada pelo Cel. Bento Gonçalves da Silva, Honofre Pires e Domingos Crescêncio, entre outros heróis gaúchos, iniciou em 20 de Setembro de 1835, a Revolução Farroupilha, com a tomada do Palácio Piratini, e a expulsão do então Presidente Provincial Fernandes Braga.
  13. 13. • Como ato contínuo e conseqüência o Cel. Antônio de Souza Neto, em 11 de Setembro de 1836, proclama a INDEPENDÊNCIA DA REPÚBLICA RIO-GRANDENSE, no campo dos Meneses em Piratini, estabelecendo também ali a primeira capital do novo País.
  14. 14. • Em 1845, dia 28 de fevereiro, o traidor Farroupilha David Canabarro assina o tratado de Armistício, a Paz do Ponche Verde. Este tratado contudo, não desfaz o ato da Proclamação da Independência do Rio Grande do Sul, ao contrário, o mantém intacto.
  15. 15. • Neste período de 1835 a 1845, três países reconheceram a nova Nação Independente:URUGUAI: em seusegundo Mandato, FructuosoRivera declara guerra atodo e qualquer invasor daRepública Rio-Grandense,firmando o TRATADO DECANGUE em 21 de Agostode 1838. Fructuoso Rivera
  16. 16. • INGLATERRA: em 23 de Março de 1845 através do Tratado de Livre Comércio celebrado entre os dirigentes Farroupilhas e o então plenipotenciário Embaixador Hamilton, desde que o Rio Grande do Sul abrisse seus portos ao mercantilismo Saxônico, o que foi prontamente aceito.• FRANÇA: em suas poucas aparições no ciclo Farroupilha levanta o mesmo reconhecimento em troca dos interesses portuários gaúchos.
  17. 17. MOTIVOS CULTURAIS PARA A AUTODETERMINAÇÃO• O Folclore e tradicionalismo gaúcho, sem dúvida, estão entre os mais lindos.• A arte, a poesia, o churrasco, o chimarrão, a bombacha, o comportamento social, a lida campeira... personalizam seu hábito e tradição que, de geração em geração, perpetuam suas raízes.
  18. 18. • Estamos muito mais próximos da cultura platina hispânica que brasileira. Em convívio entre Portugueses, Espanhóis, Alemães, Italianos, Nipônicos e nativos-crioulos, as culturas se adaptaram cada uma com as suas características e culto.• Como em muitas outras regiões do mundo, e com o Mapa Geo-Político dividido de forma arbitrária, povos e culturas lutam por justiça social. Dividiu-se territórios, esquecendo-se do mais elementar: A NAÇÃO (povo).• Para os Chiapas, o território é o culto ao sagrado altar da vida. Para os Gaúchos, o território é o altar, o culto às suas raízes e sobrevivência. Arrancar-lhe as raízes, é abrir uma cratera irremediavelmente danosa à sociedade gaúcha.
  19. 19. MOTIVOS POLÍTICOS PARA A AUTODETERMINAÇÃO• Ao longo de todos estes anos, o Rio Grande do Sul, outrora celeiro da produção de grãos, carnes, indústrias calçadistas, entre outras culturas, hoje perdeu poder de barganha. A proporcionalidade do voto, criminosamente desigual na representatividade do sufrágio universal, tem sido um dos álibis para desviar fortunas, de regiões extremamente produtivas, em favor de regiões servidas pelo cartelismo clientelista do Palácio do Planalto, aliciadas pela curriola de políticos investidos dos piores vícios contra seu próprio povo e sua gente.
  20. 20. • No ano de 1991, a União arrecadou no Rio Grande do Sul US$ 1,74 bilhões e suas despesas no Estado somaram US$ 834 milhões, o equivalente a 1,82% de sua despesa total. Em São Paulo, no mesmo ano, as receitas federais somaram US$ 13,7 bilhões (21,8% do total), as despesas foram de US$ 7,63 bilhões, isto é, 5,56% das despesas totais da União. O Paraná contribuiu com 2,42% das receitas e recebeu de volta 1,7%. Mas com Alagoas foi deferente, a União recolheu lá 0,16% de suas receitas e dispendeu 0,49% de seus gastos, ou seja três vezes mais. O Estado de Maranhão e Paraíba geram respectivamente 0,20 e 0,22% das receitas da União e receberam 0,74% e 0,62%, também em torno de três vezes mais.• A situação não é nova, nas últimas décadas o Rio Grande do Sul teve uma evasão líquida de recursos que supera o que foi investido pelos americanos para reconstruir a Europa após a Segunda Guerra Mundial através do Plano Marshall... lá eles reconstruiram um continente, e aqui? o que os brasileiros fizeram com tanto dinheiro?
  21. 21. • Hoje, o Rio Grande do Sul, seguido de Santa Catarina e Paraná, cansados pelas discriminações reinantes de Brasília, buscam a sua autodeterminação, sem com isto desconsiderar os ilustres habitantes das outras regiões do Brasil.• O Rio Grande do Sul tem história para se manter no mesmo caminho do Uruguai, qual seja, da sua TOTAL E ABSOLUTA INDEPENDÊNCIA, aliás, independente já é, só se almeja restabelecer a antiga República Rio-Grandense... Nada Mais.• O Povo será o protagonista deste episódio desde que não esteja aculturado: POVO QUE NÃO TEM VIRTUDE, ACABA POR SER ESCRAVO.
  22. 22. O Sul É o Meu País• O Sul é o Meu País é um movimento independentista da Região Sul do Brasil, que visa a autodeterminação dos povos dos atuais estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. É organizado por uma instituição legalmente estabelecida que tem como objetivo elaborar estudos para avaliar as possibilidades de emancipação política e administrativa desses estados.
  23. 23. • O movimento é uma instituição legalmente constituída no Brasil e está registrado conforme prevê a Lei no Cartório de Registros de Pessoas Jurídicas possuindo um estatuto devidamente registrado e aprovado em Assembléia Geral.• A entidade baseia-se no conceito de autodeterminação dos povos e não constitui um partido político, apesar de os seus fundadores estarem diretamente envolvidos com a política. Suas idéias são defendidas oficialmente por alguns poucos parlamentares dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
  24. 24. • Pesquisa realizada pelo movimento a respeito do separatismo no estado do RS:
  25. 25. • Pode cruzar os teus braços e assistir a morte do teu povo e a destruição da tua cultura, mas não te esqueças que no final a culpa cairá em sua cabeça.• Lembre-se de quem somos...• POVO QUE NÃO TEM VIRTUDE, ACABA POR SER ESCRAVO.
  26. 26. • Referências :• http://pt.wikipedia.org/wiki/Rep%C3%BAblica _do_Pampa• http://pt.wikipedia.org/wiki/Movimentos_sep aratistas_no_Brasil• http://www.meusul.net/beta/Principal.html

×