SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
PORQUE IMAGEM É TUDO!

Prof. Magno Cavalheiro Faria.
Técnico em Radiologia Médica;
Tecnólogo em Radiologia (Universidade do Grande Rio)
Especializado em Tomografia Computadorizada (CENIB)
Especializado em Densitometria Óssea (UERJ)
Especializado em Proteção Radiológica (ESPJV – FIOCRUZ)
FILMES E PROCESSAMENTOS
A sensibilização
radiográfica

Professor: Magno Cavalheiro Faria

PORQUE IMAGEM É TUDO!
Objetivos gerais








Propriedades dos filmes radiográficos;
Véu de base;
O átomo de prata Ag+;
O átomo de Bromo Br-;
Processo de sensibilização da película radiográfica;
Imagem latente;
Imagem revelada.
Propriedades do filme radiográfico
EXPOSIÇÃO:
Quantidade de luz/ exposição ao filme radiográfico;
Responsável pelo grau de enegrecimento da película. D.O.

4
Propriedades do filme radiográfico

5
Densitômetro

Figura:Densitômetro. LABMAM/FIOCRUZ
6
Véu de Base
É a densidade mínima de um filme não exposto a fontes de
sensibilização, ou seja, é a densidade da base do filme, mais a
densidade das camadas ativas, nas áreas não sensibilizadas. A sua
Do não pode ultrapassar o valor de 0,15. Seu aumento pode
resultar de vários fatores, tais como:
 Calor ambiente e de processamento;
 Umidade ambiente;
 Vapores químicos;
 Luz de segurança;
 Concentração química;
 Radiação de fundo.
7
Curva característica

Densidade óptica

Todo filme possui uma parabólica de curva que demonstra suas
características
Patamar

-3,5
Porção linear

útil para
diagnóstico
- 0,5
Base + fog

8
Substâncias da película Radiográfica
GELATINA / EMULSÃO
Constituída de substâncias fotossensíveis como (haletos de prata “Ag + BR”
e “Ag + I”);
Espessura de aproximadamente 10Um;
Mantém os haletos de prata uniformemente distribuídos;
Permite a passagem de água e dos produtos de revelação por entre os
micro Cristais;
Forma a cadeia cristalina com a proporção aproximada de:
• 90% de brometo de prata (base cristalina)
• 10% de iodeto de prata (sensibilidade a luminescência)
• 2% de sulfeto de prata.

9
A composição da película

10
A composição da película

11
Um átomo qualquer

12
Consideração sobre o átomo de Prata (Ag)
-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Elétrons: 47
Prótons: 47
Carga: Neutra

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Distribuição eletrônica:
K= 2 elétrons;
L= 8 elétrons;
M= 18 elétrons;
N= 18 elétrons;
O= 1 elétron.

13
Consideração sobre o átomo de Prata (Ag)
-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Elétrons: 46
Prótons: 47
Carga: Positiva (cátion)

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Distribuição eletrônica:
K= 2 elétrons;
L= 8 elétrons;
M= 18 elétrons;
N= 18 elétrons;
O= 1 elétron.

14
Consideração sobre o átomo de Bromo (Br)
-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Elétrons: 35
Prótons: 35
Carga: Neutra

-

-

-

-

-

-

Distribuição eletrônica:
K= 2 elétrons;
L= 8 elétrons;
M= 18 elétrons;
N= 7 elétrons.

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Elétron cedido pela prata
15
Consideração sobre o átomo de Bromo (Br)
-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Elétrons: 36
Prótons: 35
Carga: Negativo (ânion)

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Distribuição eletrônica:
K= 2 elétrons;
L= 8 elétrons;
M= 18 elétrons;
N= 8 elétrons.

-

16
Processo de sensibilização da película
Écran sensibilizado
emite fótons de luz
IMAGEM LUMINOSA
A IMAGEM LUMINOSA
ao sensibilizar a
ECRAN
camada de emulsão
forma a IMAGEM
LATENTE

Camada de
Emulsão
FILME

Fótons da
Imagem Radiante

ECRAN
Base do Filme
Camada de
Emulsão
FILME
17
Processo de sensibilização da película

18
Processo de sensibilização da película

AgS
Io

Ag+

Br

19
Imagem Latente
É a imagem produzida na película radiográfica e invisível a olho
humano, somente podendo ser vista após o processo químico de
revelação.

20
Imagem Latente X Imagem Revelada

21
Para pensar...
“ Somos tão responsáveis por sermos
inteligentes como de sermos estúpidos. Não
devemos nos orgulharmo-nos mais de uma
coisa do que corar pela outra.”
Paul Letaud

22

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fatores que influenciam a qualidade da imagem
Fatores que influenciam a qualidade da imagemFatores que influenciam a qualidade da imagem
Fatores que influenciam a qualidade da imagem
Christiane Fust
 
Aula filmes radiográficos
Aula   filmes radiográficosAula   filmes radiográficos
Aula filmes radiográficos
Lucas Pereira
 
Processamento Radiográfico
Processamento RadiográficoProcessamento Radiográfico
Processamento Radiográfico
arianepenna
 
Prinípios de aquisição da imagem CR
Prinípios de aquisição da imagem CRPrinípios de aquisição da imagem CR
Prinípios de aquisição da imagem CR
Lia Lia
 
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologiaEquipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Heraldo Silva
 
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écranRadiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
Cristiane Dias
 

Mais procurados (20)

Equipamentos Radiológicos
Equipamentos RadiológicosEquipamentos Radiológicos
Equipamentos Radiológicos
 
Conceitos basicos de qualidade da imagem
Conceitos basicos de qualidade da imagemConceitos basicos de qualidade da imagem
Conceitos basicos de qualidade da imagem
 
Fatores que influenciam a qualidade da imagem
Fatores que influenciam a qualidade da imagemFatores que influenciam a qualidade da imagem
Fatores que influenciam a qualidade da imagem
 
Aula filmes radiográficos
Aula   filmes radiográficosAula   filmes radiográficos
Aula filmes radiográficos
 
Processamento Radiográfico
Processamento RadiográficoProcessamento Radiográfico
Processamento Radiográfico
 
Aula 1 câmara escura
Aula 1   câmara escuraAula 1   câmara escura
Aula 1 câmara escura
 
Formação das imagens convencionais e digitais: raios X
Formação das imagens convencionais e digitais: raios XFormação das imagens convencionais e digitais: raios X
Formação das imagens convencionais e digitais: raios X
 
Prinípios de aquisição da imagem CR
Prinípios de aquisição da imagem CRPrinípios de aquisição da imagem CR
Prinípios de aquisição da imagem CR
 
RADIOLOGIA CONVENCIONAL E FORMAÇÃO DOS RAIOS X
RADIOLOGIA CONVENCIONAL E FORMAÇÃO DOS RAIOS XRADIOLOGIA CONVENCIONAL E FORMAÇÃO DOS RAIOS X
RADIOLOGIA CONVENCIONAL E FORMAÇÃO DOS RAIOS X
 
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologiaEquipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia
 
Fatores de controle de qualidade da imagem: Sistema filme-ecran X sistema dig...
Fatores de controle de qualidade da imagem: Sistema filme-ecran X sistema dig...Fatores de controle de qualidade da imagem: Sistema filme-ecran X sistema dig...
Fatores de controle de qualidade da imagem: Sistema filme-ecran X sistema dig...
 
Principios da radiologia
Principios da radiologiaPrincipios da radiologia
Principios da radiologia
 
GEOMETRIA E FORMAÇÃO DA IMAGEM
GEOMETRIA E FORMAÇÃO DA IMAGEMGEOMETRIA E FORMAÇÃO DA IMAGEM
GEOMETRIA E FORMAÇÃO DA IMAGEM
 
AULA DE SENSIBILIZAÇÃO DE FILMES RADIOGRÁFICOS - PROF DOUGLAS PRIMA (In Memoria)
AULA DE SENSIBILIZAÇÃO DE FILMES RADIOGRÁFICOS - PROF DOUGLAS PRIMA (In Memoria)AULA DE SENSIBILIZAÇÃO DE FILMES RADIOGRÁFICOS - PROF DOUGLAS PRIMA (In Memoria)
AULA DE SENSIBILIZAÇÃO DE FILMES RADIOGRÁFICOS - PROF DOUGLAS PRIMA (In Memoria)
 
RADIOLOGIA PEDIÁTRICA
RADIOLOGIA PEDIÁTRICARADIOLOGIA PEDIÁTRICA
RADIOLOGIA PEDIÁTRICA
 
Mamografia
MamografiaMamografia
Mamografia
 
Filmes e processamento aula 1
Filmes e processamento   aula 1Filmes e processamento   aula 1
Filmes e processamento aula 1
 
Tomografia computadorizada
Tomografia computadorizadaTomografia computadorizada
Tomografia computadorizada
 
Telas Intensificadoras
Telas IntensificadorasTelas Intensificadoras
Telas Intensificadoras
 
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écranRadiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
 

Destaque

Etapas de sensibilização do filme
Etapas de sensibilização do filmeEtapas de sensibilização do filme
Etapas de sensibilização do filme
Magno Cavalheiro
 
Trabalho de radiologia
Trabalho de radiologiaTrabalho de radiologia
Trabalho de radiologia
Cristiane Dias
 
Apresentação trabalho de introdução a radiologia
Apresentação trabalho de introdução a radiologiaApresentação trabalho de introdução a radiologia
Apresentação trabalho de introdução a radiologia
juscelino Alves
 
[Medicina veterinaria] conceptos basicos de radiologia veterinaria dr jorge...
[Medicina veterinaria] conceptos basicos de radiologia veterinaria   dr jorge...[Medicina veterinaria] conceptos basicos de radiologia veterinaria   dr jorge...
[Medicina veterinaria] conceptos basicos de radiologia veterinaria dr jorge...
cami687
 

Destaque (17)

Aula câmara escura
Aula   câmara escuraAula   câmara escura
Aula câmara escura
 
Tecnica radiografica
Tecnica radiograficaTecnica radiografica
Tecnica radiografica
 
Etapas de sensibilização do filme
Etapas de sensibilização do filmeEtapas de sensibilização do filme
Etapas de sensibilização do filme
 
Tumores do sistema nervoso central
Tumores do sistema nervoso centralTumores do sistema nervoso central
Tumores do sistema nervoso central
 
Filmes radiográficos udei
Filmes radiográficos  udeiFilmes radiográficos  udei
Filmes radiográficos udei
 
Thimble Ion chamber
Thimble Ion chamberThimble Ion chamber
Thimble Ion chamber
 
Produção da Imagem Radiográfica: histórico - Conteúdo vinculado ao blog ...
Produção da Imagem Radiográfica: histórico - Conteúdo vinculado ao blog      ...Produção da Imagem Radiográfica: histórico - Conteúdo vinculado ao blog      ...
Produção da Imagem Radiográfica: histórico - Conteúdo vinculado ao blog ...
 
Trabalho de radiologia
Trabalho de radiologiaTrabalho de radiologia
Trabalho de radiologia
 
Apresentação trabalho de introdução a radiologia
Apresentação trabalho de introdução a radiologiaApresentação trabalho de introdução a radiologia
Apresentação trabalho de introdução a radiologia
 
Camaraescura radiologia
Camaraescura radiologiaCamaraescura radiologia
Camaraescura radiologia
 
Breast imaging modalities
Breast  imaging modalitiesBreast  imaging modalities
Breast imaging modalities
 
Complexos aula 1 (1)
Complexos aula 1 (1)Complexos aula 1 (1)
Complexos aula 1 (1)
 
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕESAULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
AULA DE FÍSICA DAS RADIAÇÕES
 
Mobilização precoce em pacientes críticos
Mobilização precoce em pacientes críticosMobilização precoce em pacientes críticos
Mobilização precoce em pacientes críticos
 
Exames Radiológicos-Otimização de Imagens - TR Mardônio Linhares
Exames Radiológicos-Otimização de Imagens - TR Mardônio LinharesExames Radiológicos-Otimização de Imagens - TR Mardônio Linhares
Exames Radiológicos-Otimização de Imagens - TR Mardônio Linhares
 
[Medicina veterinaria] conceptos basicos de radiologia veterinaria dr jorge...
[Medicina veterinaria] conceptos basicos de radiologia veterinaria   dr jorge...[Medicina veterinaria] conceptos basicos de radiologia veterinaria   dr jorge...
[Medicina veterinaria] conceptos basicos de radiologia veterinaria dr jorge...
 
INTRODUÇÃO A RADIOLOGIA
INTRODUÇÃO A RADIOLOGIAINTRODUÇÃO A RADIOLOGIA
INTRODUÇÃO A RADIOLOGIA
 

Semelhante a Filmes e processamento aula 2

Aula 25 ensaio por raios gama
Aula 25   ensaio por raios gamaAula 25   ensaio por raios gama
Aula 25 ensaio por raios gama
Renaldo Adriano
 
Aula 2 imaginologia
Aula 2 imaginologiaAula 2 imaginologia
Aula 2 imaginologia
radiomed
 
Aula 1 imaginologia
Aula 1 imaginologiaAula 1 imaginologia
Aula 1 imaginologia
radiomed
 
Aula 8 - Medicina Nuclear.pdf
Aula 8 - Medicina Nuclear.pdfAula 8 - Medicina Nuclear.pdf
Aula 8 - Medicina Nuclear.pdf
Maria santos
 

Semelhante a Filmes e processamento aula 2 (20)

End rx
End rxEnd rx
End rx
 
Radiacoes em MN
Radiacoes em MNRadiacoes em MN
Radiacoes em MN
 
Aula 25 ensaio por raios gama
Aula 25   ensaio por raios gamaAula 25   ensaio por raios gama
Aula 25 ensaio por raios gama
 
Aula abcd parte1
Aula abcd parte1Aula abcd parte1
Aula abcd parte1
 
Uso de Cintiladores como Método de Análise - Conteúdo vinculado ao blog ...
Uso de Cintiladores como Método de Análise - Conteúdo vinculado ao blog      ...Uso de Cintiladores como Método de Análise - Conteúdo vinculado ao blog      ...
Uso de Cintiladores como Método de Análise - Conteúdo vinculado ao blog ...
 
Técnica radiológica-receptores-imagem
Técnica radiológica-receptores-imagemTécnica radiológica-receptores-imagem
Técnica radiológica-receptores-imagem
 
Aula biofísica da Radioatividade
Aula biofísica da RadioatividadeAula biofísica da Radioatividade
Aula biofísica da Radioatividade
 
15 c 084
15 c 08415 c 084
15 c 084
 
Aula 2 imaginologia
Aula 2 imaginologiaAula 2 imaginologia
Aula 2 imaginologia
 
Qualidade de imagens em radiografia industrial
Qualidade de imagens em radiografia industrialQualidade de imagens em radiografia industrial
Qualidade de imagens em radiografia industrial
 
Detector de Radiacao Ionizante
Detector de Radiacao IonizanteDetector de Radiacao Ionizante
Detector de Radiacao Ionizante
 
Aula de rm prof. luis aguiar
Aula de rm   prof. luis aguiarAula de rm   prof. luis aguiar
Aula de rm prof. luis aguiar
 
Aula 1 imaginologia
Aula 1 imaginologiaAula 1 imaginologia
Aula 1 imaginologia
 
AULA 2 - INTRODUÇÃO AO RADIODIAGNÓSTICO - Prof. Espec. Josivaldo Silva.pdf
AULA 2 - INTRODUÇÃO AO RADIODIAGNÓSTICO - Prof. Espec. Josivaldo Silva.pdfAULA 2 - INTRODUÇÃO AO RADIODIAGNÓSTICO - Prof. Espec. Josivaldo Silva.pdf
AULA 2 - INTRODUÇÃO AO RADIODIAGNÓSTICO - Prof. Espec. Josivaldo Silva.pdf
 
Aula 8 - Medicina Nuclear.pdf
Aula 8 - Medicina Nuclear.pdfAula 8 - Medicina Nuclear.pdf
Aula 8 - Medicina Nuclear.pdf
 
2014312 113433 radiologia+2014
2014312 113433 radiologia+20142014312 113433 radiologia+2014
2014312 113433 radiologia+2014
 
FIBRA ÓPTICA OTDR
FIBRA ÓPTICA OTDRFIBRA ÓPTICA OTDR
FIBRA ÓPTICA OTDR
 
Radiologianota10 Elementos
Radiologianota10 ElementosRadiologianota10 Elementos
Radiologianota10 Elementos
 
Radiologia
RadiologiaRadiologia
Radiologia
 
Radiografia industrial
Radiografia industrialRadiografia industrial
Radiografia industrial
 

Mais de Magno Cavalheiro

História da radioatividade
História da radioatividadeHistória da radioatividade
História da radioatividade
Magno Cavalheiro
 
Posicionamento radiológico tornozelo
Posicionamento radiológico   tornozeloPosicionamento radiológico   tornozelo
Posicionamento radiológico tornozelo
Magno Cavalheiro
 
Posicionamento radiológico tórax rotina e complementares
Posicionamento radiológico   tórax rotina e complementaresPosicionamento radiológico   tórax rotina e complementares
Posicionamento radiológico tórax rotina e complementares
Magno Cavalheiro
 
Física radiológica átomo tipos de radiação
Física radiológica   átomo tipos de radiaçãoFísica radiológica   átomo tipos de radiação
Física radiológica átomo tipos de radiação
Magno Cavalheiro
 
Estudo radiológico do punho rotina
Estudo radiológico do punho rotinaEstudo radiológico do punho rotina
Estudo radiológico do punho rotina
Magno Cavalheiro
 

Mais de Magno Cavalheiro (20)

Aula 1 aparelhos de radiodiagnósticos
Aula 1  aparelhos de radiodiagnósticosAula 1  aparelhos de radiodiagnósticos
Aula 1 aparelhos de radiodiagnósticos
 
Aula 2. Citologia. Fundamentos e Princípios de Radioproteção
Aula 2. Citologia. Fundamentos e Princípios de Radioproteção Aula 2. Citologia. Fundamentos e Princípios de Radioproteção
Aula 2. Citologia. Fundamentos e Princípios de Radioproteção
 
Acidentes Nucleares e Radiológicos
Acidentes Nucleares e RadiológicosAcidentes Nucleares e Radiológicos
Acidentes Nucleares e Radiológicos
 
Aula 1. radioproteção acidentes nucleares
Aula 1. radioproteção   acidentes nuclearesAula 1. radioproteção   acidentes nucleares
Aula 1. radioproteção acidentes nucleares
 
FILMES E PROCESSAMENTOS AULA 2
FILMES E PROCESSAMENTOS AULA 2FILMES E PROCESSAMENTOS AULA 2
FILMES E PROCESSAMENTOS AULA 2
 
Como se preparar para concurso de radiologia
Como se preparar para concurso de radiologiaComo se preparar para concurso de radiologia
Como se preparar para concurso de radiologia
 
Aplicações da radiação ionizante
Aplicações da radiação ionizanteAplicações da radiação ionizante
Aplicações da radiação ionizante
 
História da radiologia no mundo aula 1
História da radiologia no mundo   aula 1História da radiologia no mundo   aula 1
História da radiologia no mundo aula 1
 
História da radiologia no brasil aula 2
História da radiologia no brasil aula 2História da radiologia no brasil aula 2
História da radiologia no brasil aula 2
 
História da radioatividade
História da radioatividadeHistória da radioatividade
História da radioatividade
 
História da radioatividade
História da radioatividadeHistória da radioatividade
História da radioatividade
 
Exames contrastados esofagografia
Exames contrastados   esofagografiaExames contrastados   esofagografia
Exames contrastados esofagografia
 
EXAMES CONTRASTADOS - INTRODUÇÃO
EXAMES CONTRASTADOS - INTRODUÇÃOEXAMES CONTRASTADOS - INTRODUÇÃO
EXAMES CONTRASTADOS - INTRODUÇÃO
 
ETAPAS DE SENSIBILIZAÇÃO DO FILME
ETAPAS DE SENSIBILIZAÇÃO DO FILMEETAPAS DE SENSIBILIZAÇÃO DO FILME
ETAPAS DE SENSIBILIZAÇÃO DO FILME
 
FÍSICA DAS RADIAÇÕES
FÍSICA DAS RADIAÇÕESFÍSICA DAS RADIAÇÕES
FÍSICA DAS RADIAÇÕES
 
Posicionamento radiológico tornozelo
Posicionamento radiológico   tornozeloPosicionamento radiológico   tornozelo
Posicionamento radiológico tornozelo
 
Posicionamento radiológico tórax rotina e complementares
Posicionamento radiológico   tórax rotina e complementaresPosicionamento radiológico   tórax rotina e complementares
Posicionamento radiológico tórax rotina e complementares
 
Física radiológica átomo tipos de radiação
Física radiológica   átomo tipos de radiaçãoFísica radiológica   átomo tipos de radiação
Física radiológica átomo tipos de radiação
 
Estudo radiológico do punho rotina
Estudo radiológico do punho rotinaEstudo radiológico do punho rotina
Estudo radiológico do punho rotina
 
Anatomia óssea coluna vertebral introdução
Anatomia óssea coluna vertebral   introduçãoAnatomia óssea coluna vertebral   introdução
Anatomia óssea coluna vertebral introdução
 

Filmes e processamento aula 2

  • 1. PORQUE IMAGEM É TUDO! Prof. Magno Cavalheiro Faria. Técnico em Radiologia Médica; Tecnólogo em Radiologia (Universidade do Grande Rio) Especializado em Tomografia Computadorizada (CENIB) Especializado em Densitometria Óssea (UERJ) Especializado em Proteção Radiológica (ESPJV – FIOCRUZ)
  • 2. FILMES E PROCESSAMENTOS A sensibilização radiográfica Professor: Magno Cavalheiro Faria PORQUE IMAGEM É TUDO!
  • 3. Objetivos gerais        Propriedades dos filmes radiográficos; Véu de base; O átomo de prata Ag+; O átomo de Bromo Br-; Processo de sensibilização da película radiográfica; Imagem latente; Imagem revelada.
  • 4. Propriedades do filme radiográfico EXPOSIÇÃO: Quantidade de luz/ exposição ao filme radiográfico; Responsável pelo grau de enegrecimento da película. D.O. 4
  • 5. Propriedades do filme radiográfico 5
  • 7. Véu de Base É a densidade mínima de um filme não exposto a fontes de sensibilização, ou seja, é a densidade da base do filme, mais a densidade das camadas ativas, nas áreas não sensibilizadas. A sua Do não pode ultrapassar o valor de 0,15. Seu aumento pode resultar de vários fatores, tais como:  Calor ambiente e de processamento;  Umidade ambiente;  Vapores químicos;  Luz de segurança;  Concentração química;  Radiação de fundo. 7
  • 8. Curva característica Densidade óptica Todo filme possui uma parabólica de curva que demonstra suas características Patamar -3,5 Porção linear útil para diagnóstico - 0,5 Base + fog 8
  • 9. Substâncias da película Radiográfica GELATINA / EMULSÃO Constituída de substâncias fotossensíveis como (haletos de prata “Ag + BR” e “Ag + I”); Espessura de aproximadamente 10Um; Mantém os haletos de prata uniformemente distribuídos; Permite a passagem de água e dos produtos de revelação por entre os micro Cristais; Forma a cadeia cristalina com a proporção aproximada de: • 90% de brometo de prata (base cristalina) • 10% de iodeto de prata (sensibilidade a luminescência) • 2% de sulfeto de prata. 9
  • 10. A composição da película 10
  • 11. A composição da película 11
  • 13. Consideração sobre o átomo de Prata (Ag) - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - Elétrons: 47 Prótons: 47 Carga: Neutra - - - - - - - - - - - - - - Distribuição eletrônica: K= 2 elétrons; L= 8 elétrons; M= 18 elétrons; N= 18 elétrons; O= 1 elétron. 13
  • 14. Consideração sobre o átomo de Prata (Ag) - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - Elétrons: 46 Prótons: 47 Carga: Positiva (cátion) - - - - - - - - - - - - - - Distribuição eletrônica: K= 2 elétrons; L= 8 elétrons; M= 18 elétrons; N= 18 elétrons; O= 1 elétron. 14
  • 15. Consideração sobre o átomo de Bromo (Br) - - - - - - - - - - - - - - Elétrons: 35 Prótons: 35 Carga: Neutra - - - - - - Distribuição eletrônica: K= 2 elétrons; L= 8 elétrons; M= 18 elétrons; N= 7 elétrons. - - - - - - - - - - Elétron cedido pela prata 15
  • 16. Consideração sobre o átomo de Bromo (Br) - - - - - - - - - - - - - - Elétrons: 36 Prótons: 35 Carga: Negativo (ânion) - - - - - - - - - - - - - - - Distribuição eletrônica: K= 2 elétrons; L= 8 elétrons; M= 18 elétrons; N= 8 elétrons. - 16
  • 17. Processo de sensibilização da película Écran sensibilizado emite fótons de luz IMAGEM LUMINOSA A IMAGEM LUMINOSA ao sensibilizar a ECRAN camada de emulsão forma a IMAGEM LATENTE Camada de Emulsão FILME Fótons da Imagem Radiante ECRAN Base do Filme Camada de Emulsão FILME 17
  • 18. Processo de sensibilização da película 18
  • 19. Processo de sensibilização da película AgS Io Ag+ Br 19
  • 20. Imagem Latente É a imagem produzida na película radiográfica e invisível a olho humano, somente podendo ser vista após o processo químico de revelação. 20
  • 21. Imagem Latente X Imagem Revelada 21
  • 22. Para pensar... “ Somos tão responsáveis por sermos inteligentes como de sermos estúpidos. Não devemos nos orgulharmo-nos mais de uma coisa do que corar pela outra.” Paul Letaud 22