SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 43
Baixar para ler offline
•Modo de ver e representar o
espaço.
•Produz a ilusão da
realidade, mostrando os
objetos no espaço nas suas
posições e tamanhos
corretos.
•Quando olhamos para uma
paisagem ou ambiente
interior temos uma visão
periférica, uma perspetiva
curvilínea do ambiente.
Perspetiva cónica
Se nos colocarmos atrás de
uma janela envidraçada e,
sem nos movermos do lugar,
riscarmos no vidro o que
observamos através da
janela", estamos a desenhar
em perspetiva.
Numa posição fixa,
sem mexermos a
cabeça, só a realidade
abrangida por um
cone de visão de 60º
pode ser
representada sem
distorções.
60º
•Tem por base o
sistema de
projeção central
ou cónica.
Pode ser realizada
com 1, 2 ou 3
pontos de fuga.
Representa a
realidade visual
A PERSPECTIVA CÓNICA
Perspetiva cónica com um
ponto de fuga ou
perspetiva cónica frontal:
esquema para um cubo.
PF (ponto de fuga)PM1 (ponto métrico) PM2
PV (ponto de vista)
LH (linha do horizonte)
Linha do horizonte – A linha horizontal que passa pelos olhos do observador
Ponto de fuga – O ponto na linha horizontal, para onde vão
terminar as linhas perpendiculares à linha do horizonte;
Ponto de vista – O ponto de onde o observador está a ver o
objeto.
Pontos métricos – Servem para determinar a
variação das dimensões dos objetos com a
profundidade (PM1; PM2).
São localizados na linha do horizonte, à
esquerda e à direita do ponto de fuga, na
distância do ponto de fuga ao ponto de vista
PF (ponto de fuga)PM1 (ponto métrico) PM2
PV (ponto de vista)
LH (linha do horizonte)
Desenhar a vista de frente do cubo e pelos vértices traçar
4 linhas de fuga
PF (ponto de fuga)PM1 (ponto métrico) PM2
PV (ponto de vista)
LH (linha do horizonte)
Com o compasso em PF e abertura até PV traçar o arco
que descreve os pontos métricos.
Unir os vértices do quadrado aos pontos métricos.
Onde as linhas traçadas cruzarem as linhas de fuga temos os 4 vértices do cubo que
faltavam
PF (ponto de fuga)PM1 (ponto métrico) PM2
PV (ponto de vista)
LH (linha do horizonte)
Perspetiva Cónica Frontal de uma Sala
Desenha e pinta (pode ser só com o lápis de grafite) uma perspetiva cónica frontal de
uma sala. Segue os esquemas das figuras.
Materiais a utilizar:
• Papel de desenho em tamanho A3;
• Lápis de grafite: HB e 3B;
• Borracha;
• Régua de pelo menos 40 cm;
• Esquadro de 45º ou de 30º-60º;
• Compasso;
• Lápis de cor.
•A sala a desenhar tem
2,40 metros por 2,40
metros, e 2,40 de altura,
com mosaicos no chão de
30 cm por 30 cm.
•A linha de horizonte do
observador tem 1,60
metros de altura.
•Existe um rodapé de 10
cm.
•Existe uma janela na
parede de frente,
centrada na parede e com
60 cm de largura por 1,60
de altura, a 40 cm do
chão.
•Para os limites da sala, traça a parede
do quarto em frente ao observador,
correspondente ao quadrado ABCD,
com 24 cm de lado, a 4 cm da
margem do fundo.
•Será uma parede desenhada à escala
de 1:10.
•A 16 cm do fundo do quadrado e
paralelo ao fundo, traça a linha de
horizonte LH, atravessando o
quadrado.
A B
CD
LH
Localiza um ponto de
fuga PF na LH, e
traçar a distância até
ao ponto de vista PV,
perpendicular com o
fundo.
Com a mesma
distância entre PF e
PV, localiza PM1 e
PM2 na LH.
Traça segmentos de
recta de PF até A, de PF
até B, de PF até C, de PF
até D, de PM1 até B, de
PM1 até C, de PM2 até A
e de PM2 até D.
A
B
CD
LHPF
PV
PM1 PM2
Na intersecção de
PM1-B com PF-A,
localiza o ponto E.
Na intersecção de
PM2-A com PF-B,
localiza o ponto F.
Na intersecção de
PM2-D com PF-C,
localiza o ponto G.
Na intersecção de
PM1-C com PF-D,
localiza o ponto H.
Completa o quarto,
traçando os
seguintes segmentos
de recta: A-E, B-F,
C-G, D-H, E-F, F-G,
G-H, E-H.
A
B
CD
LHPF
PV
PM1 PM2
E F
GH
A
B
CD
LHPF
PV
PM1 PM2
E F
GH
Para o rodapé, mede 1
cm na A-D a partir de A, e
traça até E-H, em direção
a PF.
Mede 1 cm na B-C a
partir de B, e traça até F-
G, em direção a PF.
Completar o
rodapé entre
E-H e F-G.
A
B
CD
LHPF
PV
PM1 PM2
E F
GH
A
B
CD
LHPF
PV
PM1 PM2
E F
GH
Para a janela, mede 4
cm na A-D a partir de
A, e traça até E-H, em
direcção a PF.
Medir 20 cm na A-D a
partir de A, e traça
até E-H, em direcção
a PF.
Traça paralelas ao
fundo, desde as
intersecções no E-H
até F-G.
Mede 3 cm na A-B a partir
do meio e para cada lado, e
traça até PF (ou utiliza os
mosaicos para o efeito).
Traça perpendicular ao
fundo, desde as
intersecções no E-F até G-
H.
Traça a janela pelas
intersecções dos traçados
prévios na superfície
EFGH.
A
B
CD
LHPF
PV
PM1 PM2
E F
GH
A perspetiva está pronta
e pode ser completada:
com os acabamentos das
superfícies, elaboração
dos padrões dos
mosaicos e mobília
(opcional).
A
B
CD
LHPF
PV
PM1 PM2
E F
GH
A
B
CD
E F
GH
EscolaEB2,3AntónioGedeão–ProfessoraMadalenaMoura

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)
Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)
Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)Rita Godinho
 
Teste diagnóstico
Teste diagnósticoTeste diagnóstico
Teste diagnósticoVera Pereira
 
Ficha de trabalho construção de espirais
Ficha de trabalho   construção de espiraisFicha de trabalho   construção de espirais
Ficha de trabalho construção de espiraisruiseixas
 
Ficha nº 1 estudo da reta
Ficha nº 1 estudo da retaFicha nº 1 estudo da reta
Ficha nº 1 estudo da retaruiseixas
 
4 rectas do b13 e do b24
4 rectas do b13 e do b244 rectas do b13 e do b24
4 rectas do b13 e do b24Hugo Correia
 
Noções de geometria plana construção de figuras planas
Noções de geometria plana construção de figuras planasNoções de geometria plana construção de figuras planas
Noções de geometria plana construção de figuras planassabinachourico
 
Interseção de uma reta com Cones, Cilindros e Esferas
Interseção de uma reta com Cones, Cilindros e EsferasInterseção de uma reta com Cones, Cilindros e Esferas
Interseção de uma reta com Cones, Cilindros e EsferasJooRicardoNeves
 
Expressão e composição da forma
Expressão e composição da formaExpressão e composição da forma
Expressão e composição da formaFernando Mendes
 
Perspectiva Isométrica
Perspectiva IsométricaPerspectiva Isométrica
Perspectiva Isométricatainatnf
 
power point - introdução a perspectiva
power point - introdução a perspectiva power point - introdução a perspectiva
power point - introdução a perspectiva Ronaldo Otero
 
Forma e Estrutura
Forma e EstruturaForma e Estrutura
Forma e EstruturaArtes Real
 
Ficha exercícios marcação pontos introdução 10º ano
Ficha exercícios marcação pontos introdução 10º anoFicha exercícios marcação pontos introdução 10º ano
Ficha exercícios marcação pontos introdução 10º anoJose H. Oliveira
 

Mais procurados (20)

Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)
Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)
Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)
 
Teste diagnóstico
Teste diagnósticoTeste diagnóstico
Teste diagnóstico
 
Perspectiva
PerspectivaPerspectiva
Perspectiva
 
Intersecções (GD)
Intersecções (GD)Intersecções (GD)
Intersecções (GD)
 
Aula 35 métodos descritivos - mudança de plano
Aula 35   métodos descritivos - mudança de planoAula 35   métodos descritivos - mudança de plano
Aula 35 métodos descritivos - mudança de plano
 
Ficha de trabalho construção de espirais
Ficha de trabalho   construção de espiraisFicha de trabalho   construção de espirais
Ficha de trabalho construção de espirais
 
Ficha nº 1 estudo da reta
Ficha nº 1 estudo da retaFicha nº 1 estudo da reta
Ficha nº 1 estudo da reta
 
4 rectas do b13 e do b24
4 rectas do b13 e do b244 rectas do b13 e do b24
4 rectas do b13 e do b24
 
alfabeto da reta
alfabeto da retaalfabeto da reta
alfabeto da reta
 
Desenho em perspectiva
Desenho em perspectivaDesenho em perspectiva
Desenho em perspectiva
 
Noções de geometria plana construção de figuras planas
Noções de geometria plana construção de figuras planasNoções de geometria plana construção de figuras planas
Noções de geometria plana construção de figuras planas
 
Interseção de uma reta com Cones, Cilindros e Esferas
Interseção de uma reta com Cones, Cilindros e EsferasInterseção de uma reta com Cones, Cilindros e Esferas
Interseção de uma reta com Cones, Cilindros e Esferas
 
Aula 10 ponto e sistemas de projeções
Aula 10   ponto e sistemas de projeçõesAula 10   ponto e sistemas de projeções
Aula 10 ponto e sistemas de projeções
 
Expressão e composição da forma
Expressão e composição da formaExpressão e composição da forma
Expressão e composição da forma
 
Perspectiva Isométrica
Perspectiva IsométricaPerspectiva Isométrica
Perspectiva Isométrica
 
power point - introdução a perspectiva
power point - introdução a perspectiva power point - introdução a perspectiva
power point - introdução a perspectiva
 
Forma e Estrutura
Forma e EstruturaForma e Estrutura
Forma e Estrutura
 
Ddd
DddDdd
Ddd
 
Ficha exercícios marcação pontos introdução 10º ano
Ficha exercícios marcação pontos introdução 10º anoFicha exercícios marcação pontos introdução 10º ano
Ficha exercícios marcação pontos introdução 10º ano
 
A LINHA
A LINHAA LINHA
A LINHA
 

Semelhante a A Perspetiva Cónica e sua Representação Gráfica

Semelhante a A Perspetiva Cónica e sua Representação Gráfica (20)

Aula 3 geom descritiva
Aula 3  geom descritivaAula 3  geom descritiva
Aula 3 geom descritiva
 
Aula 3 geom descritiva
Aula 3  geom descritivaAula 3  geom descritiva
Aula 3 geom descritiva
 
Perspetiva Cónica simplificada.pptx
Perspetiva Cónica simplificada.pptxPerspetiva Cónica simplificada.pptx
Perspetiva Cónica simplificada.pptx
 
Itamar Desnhos Tecnicos
Itamar Desnhos TecnicosItamar Desnhos Tecnicos
Itamar Desnhos Tecnicos
 
Geometria descritivai 2012.2
Geometria descritivai 2012.2Geometria descritivai 2012.2
Geometria descritivai 2012.2
 
Aula 18 estudo da reta
Aula 18   estudo da retaAula 18   estudo da reta
Aula 18 estudo da reta
 
Plano 1 parabola 2013
Plano 1 parabola 2013Plano 1 parabola 2013
Plano 1 parabola 2013
 
Material de geometria descritiva 2012
Material de geometria descritiva 2012Material de geometria descritiva 2012
Material de geometria descritiva 2012
 
DivisãO Da Circunferência
DivisãO Da CircunferênciaDivisãO Da Circunferência
DivisãO Da Circunferência
 
1316557353
13165573531316557353
1316557353
 
Exercicios de opticas
Exercicios de opticasExercicios de opticas
Exercicios de opticas
 
Circunferencia
CircunferenciaCircunferencia
Circunferencia
 
Fundamentos gd1
Fundamentos gd1Fundamentos gd1
Fundamentos gd1
 
Divisodacircunferencia
DivisodacircunferenciaDivisodacircunferencia
Divisodacircunferencia
 
3 aula 3 -geometria projetiva
3  aula 3 -geometria projetiva3  aula 3 -geometria projetiva
3 aula 3 -geometria projetiva
 
Desenho geométrico – 9º ano
Desenho geométrico – 9º anoDesenho geométrico – 9º ano
Desenho geométrico – 9º ano
 
Aula 5 - Projeções Ortogonais
Aula 5 - Projeções OrtogonaisAula 5 - Projeções Ortogonais
Aula 5 - Projeções Ortogonais
 
Geometria espacial.pptx
Geometria espacial.pptxGeometria espacial.pptx
Geometria espacial.pptx
 
03-formacao-de-imagens-espelhos.pdf
03-formacao-de-imagens-espelhos.pdf03-formacao-de-imagens-espelhos.pdf
03-formacao-de-imagens-espelhos.pdf
 
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
 

Mais de madalena Madalena Moura (16)

Matematicando
MatematicandoMatematicando
Matematicando
 
Composição1
Composição1Composição1
Composição1
 
Composição1
Composição1Composição1
Composição1
 
Critérios de validade
Critérios de validadeCritérios de validade
Critérios de validade
 
Critérios de validade
Critérios de validadeCritérios de validade
Critérios de validade
 
Critérios de validade
Critérios de validadeCritérios de validade
Critérios de validade
 
Barab design based research
Barab design based researchBarab design based research
Barab design based research
 
Design based research
Design based researchDesign based research
Design based research
 
Db research clarisse_nunes
Db research clarisse_nunes Db research clarisse_nunes
Db research clarisse_nunes
 
Como caracterizar esta metodologia
Como caracterizar esta metodologiaComo caracterizar esta metodologia
Como caracterizar esta metodologia
 
Quando e como utilizar?
Quando e como utilizar?Quando e como utilizar?
Quando e como utilizar?
 
Ambientes de aprendizagem
Ambientes de aprendizagemAmbientes de aprendizagem
Ambientes de aprendizagem
 
Ambientes de aprendizagem
Ambientes de aprendizagem Ambientes de aprendizagem
Ambientes de aprendizagem
 
Metodologia de desenvolvimento o que é
Metodologia de desenvolvimento   o que éMetodologia de desenvolvimento   o que é
Metodologia de desenvolvimento o que é
 
Fases de investigação
Fases de investigaçãoFases de investigação
Fases de investigação
 
3 metodologia de desenvolvimento
3 metodologia de desenvolvimento3 metodologia de desenvolvimento
3 metodologia de desenvolvimento
 

Último

19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 

Último (20)

19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 

A Perspetiva Cónica e sua Representação Gráfica

  • 1.
  • 2. •Modo de ver e representar o espaço. •Produz a ilusão da realidade, mostrando os objetos no espaço nas suas posições e tamanhos corretos.
  • 3. •Quando olhamos para uma paisagem ou ambiente interior temos uma visão periférica, uma perspetiva curvilínea do ambiente.
  • 4. Perspetiva cónica Se nos colocarmos atrás de uma janela envidraçada e, sem nos movermos do lugar, riscarmos no vidro o que observamos através da janela", estamos a desenhar em perspetiva.
  • 5. Numa posição fixa, sem mexermos a cabeça, só a realidade abrangida por um cone de visão de 60º pode ser representada sem distorções. 60º
  • 6. •Tem por base o sistema de projeção central ou cónica. Pode ser realizada com 1, 2 ou 3 pontos de fuga. Representa a realidade visual A PERSPECTIVA CÓNICA
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15. Perspetiva cónica com um ponto de fuga ou perspetiva cónica frontal: esquema para um cubo.
  • 16. PF (ponto de fuga)PM1 (ponto métrico) PM2 PV (ponto de vista) LH (linha do horizonte) Linha do horizonte – A linha horizontal que passa pelos olhos do observador Ponto de fuga – O ponto na linha horizontal, para onde vão terminar as linhas perpendiculares à linha do horizonte; Ponto de vista – O ponto de onde o observador está a ver o objeto. Pontos métricos – Servem para determinar a variação das dimensões dos objetos com a profundidade (PM1; PM2). São localizados na linha do horizonte, à esquerda e à direita do ponto de fuga, na distância do ponto de fuga ao ponto de vista
  • 17. PF (ponto de fuga)PM1 (ponto métrico) PM2 PV (ponto de vista) LH (linha do horizonte) Desenhar a vista de frente do cubo e pelos vértices traçar 4 linhas de fuga
  • 18. PF (ponto de fuga)PM1 (ponto métrico) PM2 PV (ponto de vista) LH (linha do horizonte) Com o compasso em PF e abertura até PV traçar o arco que descreve os pontos métricos. Unir os vértices do quadrado aos pontos métricos.
  • 19. Onde as linhas traçadas cruzarem as linhas de fuga temos os 4 vértices do cubo que faltavam PF (ponto de fuga)PM1 (ponto métrico) PM2 PV (ponto de vista) LH (linha do horizonte)
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 33. Perspetiva Cónica Frontal de uma Sala Desenha e pinta (pode ser só com o lápis de grafite) uma perspetiva cónica frontal de uma sala. Segue os esquemas das figuras. Materiais a utilizar: • Papel de desenho em tamanho A3; • Lápis de grafite: HB e 3B; • Borracha; • Régua de pelo menos 40 cm; • Esquadro de 45º ou de 30º-60º; • Compasso; • Lápis de cor.
  • 34. •A sala a desenhar tem 2,40 metros por 2,40 metros, e 2,40 de altura, com mosaicos no chão de 30 cm por 30 cm. •A linha de horizonte do observador tem 1,60 metros de altura. •Existe um rodapé de 10 cm. •Existe uma janela na parede de frente, centrada na parede e com 60 cm de largura por 1,60 de altura, a 40 cm do chão. •Para os limites da sala, traça a parede do quarto em frente ao observador, correspondente ao quadrado ABCD, com 24 cm de lado, a 4 cm da margem do fundo. •Será uma parede desenhada à escala de 1:10. •A 16 cm do fundo do quadrado e paralelo ao fundo, traça a linha de horizonte LH, atravessando o quadrado.
  • 36. Localiza um ponto de fuga PF na LH, e traçar a distância até ao ponto de vista PV, perpendicular com o fundo. Com a mesma distância entre PF e PV, localiza PM1 e PM2 na LH. Traça segmentos de recta de PF até A, de PF até B, de PF até C, de PF até D, de PM1 até B, de PM1 até C, de PM2 até A e de PM2 até D. A B CD LHPF PV PM1 PM2
  • 37. Na intersecção de PM1-B com PF-A, localiza o ponto E. Na intersecção de PM2-A com PF-B, localiza o ponto F. Na intersecção de PM2-D com PF-C, localiza o ponto G. Na intersecção de PM1-C com PF-D, localiza o ponto H. Completa o quarto, traçando os seguintes segmentos de recta: A-E, B-F, C-G, D-H, E-F, F-G, G-H, E-H. A B CD LHPF PV PM1 PM2 E F GH
  • 39. Para o rodapé, mede 1 cm na A-D a partir de A, e traça até E-H, em direção a PF. Mede 1 cm na B-C a partir de B, e traça até F- G, em direção a PF. Completar o rodapé entre E-H e F-G. A B CD LHPF PV PM1 PM2 E F GH
  • 41. Para a janela, mede 4 cm na A-D a partir de A, e traça até E-H, em direcção a PF. Medir 20 cm na A-D a partir de A, e traça até E-H, em direcção a PF. Traça paralelas ao fundo, desde as intersecções no E-H até F-G. Mede 3 cm na A-B a partir do meio e para cada lado, e traça até PF (ou utiliza os mosaicos para o efeito). Traça perpendicular ao fundo, desde as intersecções no E-F até G- H. Traça a janela pelas intersecções dos traçados prévios na superfície EFGH. A B CD LHPF PV PM1 PM2 E F GH
  • 42. A perspetiva está pronta e pode ser completada: com os acabamentos das superfícies, elaboração dos padrões dos mosaicos e mobília (opcional). A B CD LHPF PV PM1 PM2 E F GH