Taipa de pilão

1.666 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.666
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Taipa de pilão

  1. 1. UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIEFaculdade de Arquitetura e UrbanismoPlanejamento de Aulas de Materiais e Técnicas de Construção IVPrefeitura Municipal da Estância Turística de São Luis do ParaitingaCurso de Edificações e RestauroTaipa de pilãoO soloO primeiro passo para quem vai construir com terra é conhecer o material que compõeo solo que é formado principalmente pela decomposição das rochas através dediversas ações naturais, o intemperismo (ver abaixo).A composição do solo utilizado como material de construção é uma misturaheterogênea de diversos materiais classificados pelo seu tamanho: a textura do solo.Textura é a proporção relativa das frações areia, silte e argila no solo. Pode-se dizerque solos de textura muito argilosa têm mais de 60% de argila. Os de textura argilosatêm entre 35 e 60% de argila. Os de textura siltosa têm mais de 65% de silte e os detextura arenosa mais de 70 ou 85% de areia. Solos de textura média são aqueles quetêm proporções semelhantes de areia, silte e argila.IntemperismoAção da água, plantas, temperatura, microrganismos, vento, entre outros, no processode desagregação física e modificação química dos materiais expostos à superfícieterrestre. De modo geral, o intemperismo leva à diminuição da fertilidade dos solosatravés da perda de nutrientes. Por outro lado, o intemperismo melhora aspropriedades físicas do solo Também conhecido como meteorização.O solo por sua corO solo tem outra característica que é a sua cor. A cor das partículas varia deamareladas, avermelhadas, castanhas a pretas.A cor do solo nos indica a rocha de que é proveniente.Geralmente, o solo avermelhado é constituído de óxido de ferro, um bom material parauso na construção com terra.Como material de construçãoNo solo dois materiais têm características e propriedades físicas interessantes para aconstrução:A areia e a argila.A areia tem forma irregular, assemelha-se à da brita e sua propriedade é de resistênciaà compressão.A argila tem forma placóide, assemelha-se a lâminas, sua propriedade é de forneceraderência entre as partículas, é resistente a temperaturas elevadas.Coletando o material soloTécnicas de Prospecção de soloFerramentas:EnxadaPáAutores Arquitetos Wilma Abdalla e Paulo Ortiz
  2. 2. UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIEFaculdade de Arquitetura e UrbanismoPlanejamento de Aulas de Materiais e Técnicas de Construção IVPrefeitura Municipal da Estância Turística de São Luis do ParaitingaCurso de Edificações e RestauroPicaretaCavadeira manualTradoBaldeSacos plásticosEtiquetasProcessoColetar amostras de solo para serem executados ensaios e identificador os locais paraempréstimos de material próximos ao local das edificações. Existem técnicas científicasde amostragem de solo que podem ser utilizadas para homogeneização de soloquando a escala construtiva for grande.Como corrigimos e preparamos o solo para ser utilizado como material deconstruçãoA proporção de areia e argila depende de cada tipo de solo.Em princípio as dosagens obtidas com experiências no uso da terra na construção nosindicam 30% de argila e 70% de areia.A mistura com calA calA cal é um aglomerante aéreo, ou seja, endurece em presença do CO2 do ar. O queconfere à taipa maior plasticidade, consistência. É um material que “respira”, poispermite a evaporação da umidade proveniente do interior da parede de taipa.Existem 2 tipos principais de cal:• A cal virgem que é a ideal para o uso em restauro, pois sua consistência é maisdensa.• A cal hidratada, que tem fácil manuseio. Existem três tipos de cal no mercado:CH I - Cal hidratada especial São mais finas e puras proporcionam melhoraderência entre os grãos de areia por serem mais solúveis.CH II - Cal hidratada comumCH III - Inferior à CH IIDosagemApós corrigida a proporção entre argila e areia no solo adicionamos a cal em dosagenscontroladas entre 3 e 10% em volume.A consistência do massa é o de uma “farofa” úmida.Autores Arquitetos Wilma Abdalla e Paulo Ortiz
  3. 3. UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIEFaculdade de Arquitetura e UrbanismoPlanejamento de Aulas de Materiais e Técnicas de Construção IVPrefeitura Municipal da Estância Turística de São Luis do ParaitingaCurso de Edificações e RestauroA formaA modulação das taipas é importante para se baixar o custo da obra e que a suamontagem e desmontagem seja feita adequadamente. A forma da taipa é conhecidacomo taipal.A forma é confeccionada com “madeirit” naval para obtenção de uma taipa que ficaráaparente, sem revestimento. O uso de “desmol” é fundamental para a textura dasuperfície da parede ficar bem lisa.Formas para execução de parede:Formas frontais Formas lateraisForma montadaAutores Arquitetos Wilma Abdalla e Paulo Ortiz
  4. 4. UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIEFaculdade de Arquitetura e UrbanismoPlanejamento de Aulas de Materiais e Técnicas de Construção IVPrefeitura Municipal da Estância Turística de São Luis do ParaitingaCurso de Edificações e RestauroA montagem da formaA montagem do taipal requer o uso de poucas ferramentas. Fundamental é o uso doprumo de face. Outras ferramentas são chaves de boca e marreta de borracha.Nossa técnica elimina o uso de pregos. As peças que necessitam fixação permanentesão aparafusadas.A preparação da massaSeguindo o traço previamente estabelecido pelos estudos do solo a massa deve sermisturada e mantida a umidade próxima de 15% de água por volume total.ApiloamentoO apiloamento é uma etapa muito importante tanto quanto todas as demais.O bom resultado final é conseqüência de uma boa execução em todos os momentos:desde o projeto, até a desforma da parede não há etapa menos importante. Todas tema mesma importância.A desformaA desforma da parede é feita imediatamente após o apiloamento.Após a desforma a parede deve ser coberta com uma lona plástica para manutençãoda umidade. A razão para esta operação é o comportamento da argila: com a perdarápida de umidade a argila se contrai resultando em trincas.O resultadoParede acabadaAutores Arquitetos Wilma Abdalla e Paulo Ortiz
  5. 5. UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIEFaculdade de Arquitetura e UrbanismoPlanejamento de Aulas de Materiais e Técnicas de Construção IVPrefeitura Municipal da Estância Turística de São Luis do ParaitingaCurso de Edificações e RestauroAutores Arquitetos Wilma Abdalla e Paulo Ortiz

×