Seminario aterros editado

1.710 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.710
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminario aterros editado

  1. 1. Adriana Yin | Carlos Elson Cunha | Eduardo Miller | Lisa Tomie | Pedro Henrique
  2. 2. LIMPEZA URBANA NO BRASIL • Alinhada entre as principais funções da Administração pública – governos municipais. • As empresas privadas contratadas devem se ater à execução do objeto do contrato  Fiscalização deve ser incorporada visando garantir sua efetividade. • A grande maioria dos órgãos administrativos delega a execução do serviço de limpeza urbana a empresas privadas por meio do processo de licitação e posterior contratação pública, regulados pela Lei Federal nº 8.666/93. • Os serviços de limpeza requerem altos investimentos e técnicas de engenharia sanitárias adequadas a cada localidade  Descaso do poder Público por questóes orcamentárias
  3. 3. Segundo Pesquisa Nacional de Saneamento Básico realizada pelo IBGE em 2000, coletam-se no Brasil diariamente 125,281 mil toneladas de resíduos domiciliares e 52,8% dos municípios Brasileiros dispõem seus resíduos em lixões. Lixão Itariri Foto: Mary Melgaço LIXÕES
  4. 4. Lixo residencial Lixo público Lixo comercial Lixo de fontes especiais RESÍDUOS SÓLIDOS
  5. 5. CONFIGURACÃO A técnica de aterros sanitários consiste na compactação dos resíduos no solo, na forma de camadas, periodicamente cobertas com terra ou outro material inerte, sem causar danos ou riscos à saúde pública e à segurança, minimizando os impactos ambientais • Setor de preparação – impermeabilizacao, nivelamento do terreno, drenagem para a captacao do chorume e obras das vias de circulacão. • Setor de execução – separacao dos resíduos de acordo com suas características  revestimento por uma camada selante  revegetacao do aterro após a disposicao dos residuos  queima dos gases produzidos e captacao dos percolados • Setor concluído – Os setores concluidos devem ser monitorados constantemente para avaliação das obras através de piezometria, poços de monitoramento, inclinômetro, marcos superficiais e controle da vazão
  6. 6. ESQUEMA DE ATERROS
  7. 7.  Os aterros controlados são locais intermediários entre o lixão e o aterro sanitário;  Trata-se geralmente de uma célula adjacente ao lixão que foi remediado e passou a reduzir os impactos ambientais e a gerenciar o recebimento de novos resíduos;  Esta célula adjacente é preparada para receber resíduos com uma impermeabilização com manta;  Os aterros controlados são cobertos com terra ou saibro diariamente, fazendo com que o lixo não fique exposto e não atraia animais;  Esses locais recebem cobertura de argila e grama e fazem a captação dos gases e do chorume:  O biogás é capturado e queimado;  Parte do chorume é recolhida para a superfície; ATERROS CONTROLADOS
  8. 8.  Área de disposição final de resíduos sólidos sem nenhuma preparação anterior do solo  Institucionalizados ou clandestinos, esses locais recebem volumes diários de lixo que são amontoados  População civil e, em alguns casos, a própria prefeitura, são responsáveis por jogar o lixo coletado no local  Por não ter nenhum tipo de proteção, esses locais se tornam vulneráveis à poluição causada pela decomposição do lixo, tanto no solo, quanto nos lençóis freáticos e no ar:  O chorume escorre com o auxílio da chuva e penetra na terra, chegando aos lençóis freáticos localizados abaixo do lixão e contaminando a água;  Já o biogás resultante da decomposição do lixo e formado por gases como metano, gás carbônico (CO2) e vapor d’água, é liberado diretamente para a atmosfera – sem antes passar por nenhum tipo de tratamento  Além dos impactos ambientais, o acumulo de lixo atrai animais transmissores de doenças, como moscas e ratos;  O local ainda é tido como fonte de renda para a população carente, que recolhe o material reciclável e, em alguns casos, chega a se alimentar dos restos encontrados no lixo
  9. 9. No Brasil, existem 13 aterros controlados: Angra dos Reis, Caxias (Gramacho), Nova Friburgo, Resende, Teresópolis, Barra do Piraí, Rio Bonito, Santa Maria Madalena, Petrópolis, Miracema, Maricá, Porciúncula, Natividade. No aterro controlado, há todo o cuidado em nivelar as valas e curvas de nível, para melhor acomodar os resíduos e garantir a eficiência do aterro
  10. 10.  Aterro sanitário é um espaço destinado à deposição final de resíduos sólidos gerados pela atividade humana. Nele são dispostos resíduos domésticos, comerciais, de serviços de saúde, da indústria de construção, e também resíduos sólidos retirados do esgoto.  Este método utiliza princípios de engenharia para confinar os resíduos sólidos à menor área possível e reduzi-los ao menor volume possível, cobrindo-os com uma camada de terra na conclusão de cada jornada de trabalho ou intervalos menores se necessário. Permitindo assim, a confinação segura em termos de controle de poluição ambiental e proteção à saúde pública.  Para não haver contaminação do ambiente, o aterro sanitário deve ser constituído por: -um sistema de drenagem de chorume; -uma camada impermeável de PVC de alta densidade; -uma camada de solo compactado; -tratamento do chorume; -sistema de drenagem de gases (coleta de biogás). Estes gases podem ser queimados na atmosfera ou aproveitados para geração de energia. - Cobertura com sistema de drenagem de águas pluviais, sem infiltrações. ATERROS SANITÁRIOS
  11. 11. TIPOS E CARACTERISTICAS  CONVENCIONAIS: formação de camadas de resíduos compactados, que são sobrepostas acima do nível original do terreno resultando em configurações típicas de “escada” ou de “troncos de pirâmide”  VALAS: o uso de trincheiras ou valas visa facilitar a operação do aterramento dos resíduos e a formação das células e camadas; assim sendo, tem-se o preenchimento total da trincheira, que deve devolver ao terreno a sua topografia inicial.
  12. 12. Bibliografia  http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-530X2002000200004&script=sci_arttext  http://meioambiente.culturamix.com/poluicao/incineracao-dos-residuos-solidos  http://www.cchla.ufrn.br/geoesp/arquivos/sergio/TEXTOS/APOSTILA.pdf  http://www.cetrel-lumina.com.br/incinera_residuos.asp  http://www.suapesquisa.com/reciclagem/  http://www.uniara.com.br/mestrado_drma/arquivos/dissertacao/isabela_mauricio_freitias. pdf  http://www.sindusconsp.com.br/downloads/prodserv/publicacoes/manual_residuos_solido s.pdf  http://www.cepam.sp.gov.br/arquivos/encontros_tematicos/coleta_seletiva/coleta_seletiva _reciclagem_residencial.pdf  http://www.engenhariaambiental.unir.br/admin/prof/arq/Res%20Solidos%20_Aula%209.pdf
  13. 13.  http://www.ecodesenvolvimento.org/noticias/ecod-basico-lixao-aterro-controlado-e- aterro  http://ambientemartinopolis.blogspot.com.br/2010/08/voce-sabe-diferenca-entre- lixao-aterro.html  http://ambientalsustentavel.org/2012/lixao-x-aterro_voce-sabe-a-diferenca-entre- lixao-aterro-controlado-e-aterro-sanitario/  http://www.meioambienteonline.com/2012/07/voce-sabe-o-que-e-um-aterro- controlado.html  http://www.brasil.gov.br/sobre/meio-ambiente/gestao-do-lixo/aterros-sanitarios  http://www.rc.unesp.br/igce/aplicada/ead/residuos/res13.html  http://www.cetesb.sp.gov.br/mudancas- climaticas/biogas/Aterro%20Sanit%C3%A1rio/21-Aterro%20Sanit%C3%A1rio  http://revistaepoca.globo.com/Sociedade/o-caminho-do-lixo/noticia/2012/01/como- funciona-um-aterro-sanitario.html  http://pt.wikipedia.org/wiki/Aterro_sanit%C3%A1rio  http://pt.wikipedia.org/wiki/Aterro_sanit%C3%A1rio  http://www.mma.gov.br/  http://www.abnt.org.br/  http://www.biogas-ambiental.com.br/

×