Pier

735 visualizações

Publicada em

Não conseguimos entrar no Caminho Niemeyer, pelo menos não no início, onde está o teatro violão. Mas visitamos o Pier Charitas, desconhecido por muita gente. É uma estação de embarque para a balsa que vai para o Rio. Um restaurante, uma área de embarque e uma passarela. Um programa simples para um arquiteto. Todavia, nas mãos de um mestre pode se tornar algo surpreendente e muito bem sacado. Se você não marcou viagem para Niterói nestes meses à frente, embarque conosco nesta visita! Viagem Cultural Dafam - 2011 - Rio de Janeiro e Niterói - Pier Charitas - Carlos Elson L. da Cunha - criarefazer@hotmail.com

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
735
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pier

  1. 1. DAFAM<br />VIAGEM<br />PierCharitas<br />Niterói<br />Dia<br />4<br />RIO<br />
  2. 2. Visão de dentro do ônibus.<br />
  3. 3. Pense no MAC, de Niterói.<br />
  4. 4. Agora, vire-o de cabeça para baixo.<br />
  5. 5. Entendeu?<br />
  6. 6.
  7. 7.
  8. 8.
  9. 9.
  10. 10.
  11. 11. Simples, bonito e harmonioso.<br />
  12. 12.
  13. 13. Guarda-corpo muito baixo. Na subida da rampa ele está sem corrimão.<br />
  14. 14.
  15. 15. Entrada do restaurante. O vidro possui uma calha na parte baixa.<br />
  16. 16. Esta calha recebe o fluxo da cortina de água que há na parte frontal da fachada. Em nossa visita o sistema estava desligado.<br />
  17. 17. Visão de cima do vidro e calha.<br />
  18. 18.
  19. 19. A calha superior joga água e protege a iluminação de neon.<br />
  20. 20. Borracha de vedação, de ótima qualidade: sob sol forte, permanecia macia ao toque, sem ressecamento.<br />
  21. 21.
  22. 22. Aluno <br />Aluno <br />Aluno <br />
  23. 23. Profy<br />
  24. 24. Moleque empinando pipa <br />
  25. 25. A pipa do moleque <br />
  26. 26.
  27. 27. O guarda –corpo ganha um corrimão. Abaixo do que seria o ideal para proteger o usuário, mas leve e não oclusivo, ou seja, libera ao máximo o visual.<br />
  28. 28. Parte posterior do restaurante: iluminação exposta e sem o sistema de cortina dágua.<br />
  29. 29. Sem o “para-choque”, ou calha, já que não há queda d’água no fundo do restaurante.<br />
  30. 30.
  31. 31. Manta reflexiva, visando conforto térmico.<br />
  32. 32. Entrada e saída de serviço.<br />
  33. 33. A tubulação joga água de cima para baixo, que escorre continuamente refrescando a parede de vidro. <br />
  34. 34.
  35. 35. Ar-condicionado. Não tem jeito! Muita insolação, porém, visão total do cenário!<br />
  36. 36.
  37. 37. Como sinalizar o gênero na porta do banheiro?<br />
  38. 38.
  39. 39.
  40. 40.
  41. 41. Cardápio, protegido por vidro.<br />
  42. 42. As colunas são discretas, finas e largas, mas não concorrem visualmente com a forma principal do disco.<br />
  43. 43. DAFAM<br />VIAGEM<br />PierCharitas<br />Niterói<br />Dia<br />4<br />RIO<br />

×