Caçadores da Beleza

684 visualizações

Publicada em

Aluno de Arquitetura também precisa desanuviar: mochilão de bike, descendo a serra de ônibus (Mogi-Bertioga) e lá embaixo visitando o canal e a Praia Branca, o pedacinho esquecido do Guarujá que Bertioga curte. Forma, design, beleza e estrutura: o olhar de dois Arquitetandos. Você vai gostar - acho...

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
684
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Caçadores da Beleza

  1. 1. CAÇADORES DA BELEZA<br />em<br />Bertioga & Praia Branca<br />
  2. 2. Arquitetura<br />Escultura <br />Design<br />Natureza<br />Obras do homem<br />Obras de Deus<br />
  3. 3. Estação de ônibus, em Mogi. <br />Logo na entrada um cão dormindo em sossego absoluto. Na hora do clique, acordou. Veja o espreguiçamento, as patas esticadas ao máximo.<br />
  4. 4. Essa tranqulidade, esse bem-estar, não é admirável? Simplesmente ele encontrou seu lugar no mundo, ponto final. <br />Se a paz tem um design, ei-lo aqui.<br />
  5. 5. Ainda na rodoviária de Mogi. <br />Diversas torres se ajuntam <br />no alto do morro. <br />Um perfil diferente no horizonte. <br />Como disse o Marcos: uma plantação de torres.<br />
  6. 6. Chegando a Bertioga, descemos junto ao mar. A primeira vista já é provocante. <br />Cor, vento, mar, mata, vida!<br />
  7. 7. Camping Humaitá. Veja a seguir as mesinhas e o seu desenho em mosaico.<br />
  8. 8.
  9. 9.
  10. 10.
  11. 11.
  12. 12.
  13. 13. O nascente.<br />O desafio é capturar o esplendor na fotografia. <br />Tentamos.<br />
  14. 14.
  15. 15.
  16. 16.
  17. 17.
  18. 18. A perspectiva. O arvoredo. O alvoroço das mesinhas.<br />
  19. 19. Singelo arranjo.<br />Harmonioso.<br />
  20. 20. Perspectiva saliente. O desgaste favoreceu a aparência, ou não?<br />
  21. 21. Interessante jogo de volumes.<br />Tomar café aqui, cedinho, é excelente.<br />
  22. 22. Casa da Madastra, à esquerda. Branca de Neve, ao centro e dos anões, à direita. <br />
  23. 23. O hexágono libera o espaço de duas camas, alocadas de um lado e do outro da porta. Não deixa de ser uma proposta arquitetônica para habitação popular. Duvida? Pergunte aos japoneses.<br />
  24. 24. Um hexágono, de novo. <br />Temos muito a aprender das abelhas, é o que Bertioga parece nos querer ensinar.<br />A tampa aberta é monumental!<br />
  25. 25. Iluminar os leões de baixo para cima, resultado: tensão.<br />
  26. 26.
  27. 27.
  28. 28.
  29. 29. O Forte do Canal. A identidade visual da cidade é muito clara.<br />
  30. 30. Esculturas proliferam na cidade, o que é muito interessante. <br />Aqui é o avô abraçando um neto.<br />
  31. 31. À direita, réplica de um profeta de aleijadinho. À esquerda uma virgem católica. No centro, mais alto, um deus chinês. Não entendi patavina!<br />
  32. 32. A vegetação tomando conta da laje. O descaso das tralhas no chão. Eis aqui um desafio estético. E dos bons!<br />
  33. 33. A miscelânia continua. <br />Eu e o Marcos chegamos a <br />uma <br />conclusão: <br />é um espaço ecumênico, <br />onde cada pescador pode orar <br />ao seu deus!<br />
  34. 34. Veja dois <br />profetas bíblicos, réplicas da<br />obra do Aleijadinho, <br />juntos do <br />que parecem<br />ser, deuses africanos. <br />Lembrei-me <br />que o livro de Jonas cita o desespero <br />dos marujos, <br />num barco em plena tempestade, clamando aos céus, <br />cada um a seu modo. <br />
  35. 35. O poste é gracioso, e aparece sem pedir licença a ninguém. <br />Quem montou isso?<br />Por quê?<br />Fica o recorte inusitado contra o ceú e a montanha. <br />
  36. 36. Quatro bebês de costa para a rua.<br />Impossível seguir indiferente. Lá dentro, um jardim com mais estátuas. <br />
  37. 37. Sr. Shuks, dono, nos convidou gentilmente a entrar e conhecer o jardim.<br />(Perdão se errei a grafia do nome, amigo!) <br />
  38. 38.
  39. 39.
  40. 40.
  41. 41.
  42. 42.
  43. 43.
  44. 44. Trilha para chegar-se à Praia Branca. <br />No Guarujá, mas quem vai mesmo é a turma de Bertioga. <br />
  45. 45. Mata abundante.<br />Pedras.<br />Madeira.<br />São os caminhos da trilha. <br />
  46. 46.
  47. 47.
  48. 48.
  49. 49.
  50. 50.
  51. 51.
  52. 52. Além de gostoso, que design, <br />hein?<br />Cor, movimento, tensão!<br />Vamos juntos até o camping do Josias. <br />
  53. 53.
  54. 54.
  55. 55.
  56. 56.
  57. 57.
  58. 58.
  59. 59. Chegamos.<br />A forma do portão, a cor, o contraste, a simplicidade.<br />Basta um empurrãozinho. <br />
  60. 60. Peralta, o amigo fiel do Josias. Ele vai até a balsa, desce em Bertioga indo até o supermercado, com o dono. <br />
  61. 61. Simetria. <br />
  62. 62.
  63. 63. Na hora me lembrei dos capitéis coríntios.<br />Veja que nas pontas há uma segunda retorcida. <br />
  64. 64. Olha o tamanho desta samambaia! <br />
  65. 65.
  66. 66. Chegamos à conclusão: é um fractal.<br />
  67. 67.
  68. 68.
  69. 69.
  70. 70. Existe um <br />lirismo <br />evidente nas imagens de caminho. <br />Tentei <br />captá-lo. <br />
  71. 71.
  72. 72.
  73. 73.
  74. 74.
  75. 75.
  76. 76. Estranho. <br />Forte.<br />
  77. 77. Ah, as escadas!<br />Toscas, <br />naturais, <br />e a <br />vegetação <br />como adorno. <br />
  78. 78.
  79. 79.
  80. 80.
  81. 81. Bem-vindo à praia mais erma do Guarujá!<br />
  82. 82. Este foi nosso guia. Interesseiro, preguiçoso e sossegado. <br />Parece ter passado uma noite exaustiva.<br />
  83. 83. A aurora. <br />
  84. 84.
  85. 85.
  86. 86.
  87. 87.
  88. 88.
  89. 89.
  90. 90.
  91. 91.
  92. 92.
  93. 93.
  94. 94.
  95. 95. Nosso guia cavou um confortável nicho na areia. Precisei assobiar para pegar esse ângulo.<br />
  96. 96.
  97. 97.
  98. 98.
  99. 99. Lado direito da praia. Um istmo. <br />Na vazante pode-se chegar à ilha da esquerda a pé. <br />
  100. 100.
  101. 101. Lado esquerdo.<br />
  102. 102. Graciosos só de longe.<br />
  103. 103. O istmo, ou banco de areia. Veja: duas praias!<br />
  104. 104. O encontro das ondas. Vamos até a ilha?<br />
  105. 105.
  106. 106. Já na ilha, olhando a Praia Branca.<br />
  107. 107. O encontro das ondas.<br />
  108. 108.
  109. 109. Homem cortando a grama do campinho de futebol. <br />
  110. 110.
  111. 111. Pequeno siri. Achou?<br />
  112. 112. A Lagoa. <br />
  113. 113. Ela recebe material dos campings. <br />
  114. 114. Às vezes a maré chega até ela, deixando peixinhos filhotes.<br />Quando chove muito a lagoa vaza para o mar, devolvendo os peixes, já adultos. <br />
  115. 115.
  116. 116.
  117. 117.
  118. 118. Lado esquerdo da Praia Branca, cuidado: pedras e mar afoito. <br />
  119. 119.
  120. 120.
  121. 121.
  122. 122. Areia: textura. <br />
  123. 123.
  124. 124. A onda <br />tem mil <br />desenhos.<br />Lutamos <br />para <br />capturá-los. <br />
  125. 125. A cordilheira: onda no refluxo agride <br />a onda que vem. <br />
  126. 126. Uma borda, antes das forças morrerem completamente.<br />
  127. 127.
  128. 128.
  129. 129.
  130. 130.
  131. 131. A renda: esse trabalho branco com mil recortes. <br />
  132. 132.
  133. 133.
  134. 134. Nem pássaro, <br />nem avião,<br />nem o Superman.<br />É uma <br />simples<br />pipa.<br />
  135. 135.
  136. 136. A nau e o mar.<br />Seria a forma pontiaguda o segredo dessa tão perfeita conjunção?<br />
  137. 137.
  138. 138. O nascer da lua, no mar.<br />
  139. 139.
  140. 140. O canal de Bertioga. Mar calmo, montanha, barcos... Cadê os pintores?<br />
  141. 141.
  142. 142.
  143. 143.
  144. 144.
  145. 145. Uma lixeira ganhou vegetação miúda, como tudo que fica algum tempo parado aqui.<br />Para mim, um maquete fantástica. Confira. <br />
  146. 146.
  147. 147.
  148. 148.
  149. 149. Um ponto de ônibus.<br />Que tal?<br />
  150. 150.
  151. 151.
  152. 152.
  153. 153. No centro da foto uma canoa. Lotada de urubus. Muito louco! <br />
  154. 154.
  155. 155.
  156. 156. O poente. <br />
  157. 157.
  158. 158.
  159. 159.
  160. 160.
  161. 161.
  162. 162.
  163. 163. Uma montanha, atrás de outra montanha, atrás de outra...<br />
  164. 164.
  165. 165.
  166. 166.
  167. 167. Em Bertioga. Ao fundo, a Muralha.<br />
  168. 168.
  169. 169. Na cidade <br />o canal <br />tomado <br />por<br />vegetação aquática. <br />
  170. 170.
  171. 171.
  172. 172. No parque central da cidade. O artista usou sucata para homenagear nossos amigos em extinção. Perfeito na forma. Confira. <br />
  173. 173.
  174. 174.
  175. 175.
  176. 176.
  177. 177.
  178. 178.
  179. 179.
  180. 180. Carlos Elson e Marcos Paula<br />Arquitetura e Urbanismo, Mackenzie.<br />Mochilão de férias.<br />23 a 25 de janeiro, 2011 a d.<br />Verão no hemisfériosul.<br />criarefazer@hotmail.com<br />

×