A NAÇÃO DAS ÁGUAS IMENSAS<br />N. SRA. DA VITÓRIA – Maraã - Tefé<br />AMAZÔNIA<br />Voltando <br />
Toda 5ª. feira sai um jato de Maraã, em direção à Tefé.<br />Jato é como chamam as lanchas, que mais rápidas que os barcos...
Espere! Talvez haja um barco descendo do Japurá. Se ele sair de lá meio dia, <br />chegará em Maraã às 19:00h. <br />Só me...
Seu Francisco, simpático e tranquilo comandante da nave.<br />
No convés superior haviam poucas redes e o ruído do motor chegava bem mais reduzido que no convés inferior.  Ali me acomod...
Em alguns momentos a água adquiria uma forma leitosa, suave, sem  a agitação normal, parecendo um corpo plástico, quase co...
Encomendas pelo barco. É como se fosse um SEDEX, só que mais simples.<br />O colchão de casal chegará ao seu destino. Embr...
Mairon<br />
Yasmin<br />
Sempre ela, a TV. Mas aqui, apenas com dvd.<br />
Convés inferior.  <br />
Serviço muito bom, mas o motor fazia um barulho infernal perto da mesa de refeições.<br />Falar, só aos berros, como numa ...
Servido a almoçar?<br />
A água que refrigera o motor   jorra constantemente, na parte baixa.<br />
No convés superior.<br />
A mesa, todo barco tem um.<br />
Tudo bem, mas como se distrair vendo <br />tanto mato e água?<br />
O livro é ótimo. Indispensável a arquitetos.<br />Uma dica: pule a introdução. <br />É muito chata e inútil.<br />
Celdo Braga e seu belo livro de poemas amazônicos.<br />
Um convidado inesperado veio à minha rede.<br />Muito senhor de si, ele considerou-se dono do espaço.<br />Resultado: algu...
CumulusNimbus.<br />Maravilhosas e exuberantes.<br />Só um Arquiteto pode assinar esse projeto! <br />Desde criança fico e...
Hora de pensar, afinal neste mundo tão insensato, <br />alguém precisa fazê-lo.<br />
A NAÇÃO DAS ÁGUAS IMENSAS<br />N. SRA. DA VITÓRIA – Maraã - Tefé<br />AMAZÔNIA<br />Voltando <br />
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Barco N. Sra. daVitória

601 visualizações

Publicada em

Sai de Maraã às 4:30 da madrugada quando o funcionário do porto foi até o Siderius Nuncius e me acordou avisando: "O barco para Tefé já está aí!" Foi o começo do retorno. Nossa Sra da Vitoria: um barco pequeno, agradável, piloto gentil e gente boa a bordo. Pena que o motor é muito barulhento, especialmente no convés inferior. Veja como a chegada de um louvadeus animou o ambiente e foi alvo de belas fotos. Carlos Elson L. da Cunha - elsonbrasil@hotmail.com

Publicada em: Educação, Negócios, Esportes
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
601
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Barco N. Sra. daVitória

  1. 1. A NAÇÃO DAS ÁGUAS IMENSAS<br />N. SRA. DA VITÓRIA – Maraã - Tefé<br />AMAZÔNIA<br />Voltando <br />
  2. 2. Toda 5ª. feira sai um jato de Maraã, em direção à Tefé.<br />Jato é como chamam as lanchas, que mais rápidas que os barcos, são <br />uma boa opção aos que tem pressa. Todavia, o espaço é pequeno <br />e não se pode pendurar redes. <br />Um trajeto de 12 horas se reduz para aproximadamente 4.<br />Mas nessa 5ª, deu errado: os jatos foram recrutados para apoiar a turma <br />de assistentes sociais, médicos e dentistas que chegaram à Maraã. <br />Resultado: barcos só na manhã seguinte!<br />
  3. 3. Espere! Talvez haja um barco descendo do Japurá. Se ele sair de lá meio dia, <br />chegará em Maraã às 19:00h. <br />Só me restava esperar. Bem, finalmente, o N. Sra. da Vitória chegou. <br />Às 4:30 da madrugada de 6ª!<br />Como o Cezar Barbudo me permitiu aguardar em seu barco, <br />o SideriusNuncius, deu tudo certo. <br />Agora era seguir no N. Srada Vitória até Tefé!<br />
  4. 4.
  5. 5.
  6. 6.
  7. 7. Seu Francisco, simpático e tranquilo comandante da nave.<br />
  8. 8.
  9. 9.
  10. 10. No convés superior haviam poucas redes e o ruído do motor chegava bem mais reduzido que no convés inferior. Ali me acomodei. A lona reduzia o sol matinal.<br />
  11. 11.
  12. 12.
  13. 13.
  14. 14.
  15. 15.
  16. 16.
  17. 17. Em alguns momentos a água adquiria uma forma leitosa, suave, sem a agitação normal, parecendo um corpo plástico, quase como uma calda de chocolate.<br />Fotografei tentando passar esse visual belo e límpido. <br />
  18. 18.
  19. 19.
  20. 20.
  21. 21.
  22. 22.
  23. 23.
  24. 24.
  25. 25.
  26. 26.
  27. 27.
  28. 28. Encomendas pelo barco. É como se fosse um SEDEX, só que mais simples.<br />O colchão de casal chegará ao seu destino. Embrulhar prá quê?<br />
  29. 29.
  30. 30.
  31. 31.
  32. 32.
  33. 33. Mairon<br />
  34. 34.
  35. 35.
  36. 36.
  37. 37. Yasmin<br />
  38. 38. Sempre ela, a TV. Mas aqui, apenas com dvd.<br />
  39. 39. Convés inferior. <br />
  40. 40. Serviço muito bom, mas o motor fazia um barulho infernal perto da mesa de refeições.<br />Falar, só aos berros, como numa balada .<br />
  41. 41. Servido a almoçar?<br />
  42. 42.
  43. 43.
  44. 44.
  45. 45.
  46. 46.
  47. 47. A água que refrigera o motor jorra constantemente, na parte baixa.<br />
  48. 48.
  49. 49. No convés superior.<br />
  50. 50. A mesa, todo barco tem um.<br />
  51. 51.
  52. 52.
  53. 53.
  54. 54.
  55. 55.
  56. 56.
  57. 57.
  58. 58.
  59. 59.
  60. 60.
  61. 61. Tudo bem, mas como se distrair vendo <br />tanto mato e água?<br />
  62. 62.
  63. 63. O livro é ótimo. Indispensável a arquitetos.<br />Uma dica: pule a introdução. <br />É muito chata e inútil.<br />
  64. 64. Celdo Braga e seu belo livro de poemas amazônicos.<br />
  65. 65.
  66. 66.
  67. 67.
  68. 68. Um convidado inesperado veio à minha rede.<br />Muito senhor de si, ele considerou-se dono do espaço.<br />Resultado: algumas fotos maravilhosas. <br />
  69. 69.
  70. 70.
  71. 71.
  72. 72.
  73. 73.
  74. 74.
  75. 75. CumulusNimbus.<br />Maravilhosas e exuberantes.<br />Só um Arquiteto pode assinar esse projeto! <br />Desde criança fico espantado com estes castelos suspensos.<br />
  76. 76.
  77. 77.
  78. 78.
  79. 79.
  80. 80.
  81. 81.
  82. 82.
  83. 83. Hora de pensar, afinal neste mundo tão insensato, <br />alguém precisa fazê-lo.<br />
  84. 84. A NAÇÃO DAS ÁGUAS IMENSAS<br />N. SRA. DA VITÓRIA – Maraã - Tefé<br />AMAZÔNIA<br />Voltando <br />

×