APRENDENDO COM LAS VEGAS<br />ESSENCIAL<br />Robert Venturi<br />Denise Scott Brown<br />Steven Izenour<br />
“Las Vegas é a única cidade do mundo cuja silhueta não é feita de edifícios, como Nova York, nem de árvores, com Wilbraham...
STRIP<br />O eixo principal da cidade que se tornou um corredor de cassinos, capelas de casamento, supermercados e letreir...
STRIP<br />Paisagem de símbolos no espaço.<br />Não formas no espaço.<br />
ROMA E LAS VEGAS<br />Roma depende da piazza.<br />Las Vegas depende da Strip.<br />
A IMAGEM CAÓTICA<br />Desprezada pelos Arquitetos, tal imagem confusa e berrante cumpre um papel arquitetônico<br />Padrão...
A INVERSÃO<br />A iluminação feérica transforma a noite em dia.<br />A exótica construção e letreiros escandalosos transfo...
O LETREIRO É MAIS IMPORTANTE QUE A ARQUITETURA<br />No deserto, com cota zero (horizonte totalmente plano) a arquitetura n...
O LETREIRO É O MODO DE CHAMAR ATENÇÃO DO MOTORISTA<br />O cliente se move da carro e o letreiro deve se dirigir a ele.<br ...
O LETREIRO DEPENDE DO SÍMBOLO<br />Colunas gregas<br />Frontões<br />Refere-se à construções históricas: Egito, Grécia, Ro...
O LETREIRO CUMPRE FUNÇÃO DE DIA E DE NOITE<br />De dia ele precisa captar a atenção e informar o visitante.<br />Há um let...
LETREIROS E FACHADAS3 SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO<br />Heráldico (brasões e logomarcas)<br />Fisionômico <br />Posicional<br />
CASSINO – PLANTA PADRÃO<br />Entra-se pelo salão de jogos em plena ativiade.<br />Recepção encontra-se no fundo<br />Hotel...
CASSINO<br />Teto baixo e iluminação criam um espaço sem referências topológicas<br />Luz constante não permite noção temp...
A IMAGEM CAÓTICA<br />Desprezada pelos Arquitetos, tal imagem confusa e berrante cumpre um papel arquitetônico<br />Padrão...
DOIS CONSTRUTIVOS PADRÕES BÁSICOS<br />GALPÃO DECORADO<br />Toda a arquitetura antes do modernismo que usa adornos e símbo...
TEORIA DO FEIO E BANAL<br />É o prédio modesto com referências, repudiado pelos modernistas.<br />Las Vegas produz o verná...
CRÍTICA AO MODERNISMO<br />Arquitetura modernista, na busca do funcional desprezou os símbolos<br />Ao invés do “galpão de...
OUT -DOOR<br />Catedral de Heims é um out-door<br />Comunica ao fiel uma mensagem<br />A fachada não tem ligação com o int...
CRÍTICA AO MODERNISMO<br />Exemplo de pato: Mosteiro de La Tourette em Evreux, França, 1960 de Le Corbusier<br />Tal prédi...
CRÍTICA AO MODERNISMO<br />O prédio modernista grita:<br />“EU SOU O MONUMENTO!<br />A modesta casa suburbana, repleta de ...
APRENDENDO COM LAS VEGAS<br />O Simbolismo (esquecido) da forma arquitetônica<br />Tradução Pedro Maia Soares<br />Cosac N...
APRENDENDO COM LAS VEGAS<br />O Simbolismo (esquecido) da forma arquitetônica<br />Tradução Pedro Maia Soares<br />Cosac N...
“O caos é uma ordem não compreendida”.<br />
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aprendendo com Las Vegas

6.433 visualizações

Publicada em

Robert Venturi apresentou em 1977 este livro mostrando um ponto de vista surpreendente - Las Vegas, desprezada pelos urbanistas e arquitetos tinha algo a ensinar. Este resumo de Aprendendo com Las Vegas traz as ideias principais do texto. Fica como um fichamento virtual aos amigos e colegas. Carlos Elson criarefazer@hotmail.com Abraços a todos!

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.433
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
161
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aprendendo com Las Vegas

  1. 1. APRENDENDO COM LAS VEGAS<br />ESSENCIAL<br />Robert Venturi<br />Denise Scott Brown<br />Steven Izenour<br />
  2. 2. “Las Vegas é a única cidade do mundo cuja silhueta não é feita de edifícios, como Nova York, nem de árvores, com Wilbraham, Massachustetts, mas de letreiros”.Tom Wolfe<br />
  3. 3. STRIP<br />O eixo principal da cidade que se tornou um corredor de cassinos, capelas de casamento, supermercados e letreiros.<br />Surge repentinamente, sem história pregressa, sem referências, sem símbolos<br />
  4. 4. STRIP<br />Paisagem de símbolos no espaço.<br />Não formas no espaço.<br />
  5. 5. ROMA E LAS VEGAS<br />Roma depende da piazza.<br />Las Vegas depende da Strip.<br />
  6. 6. A IMAGEM CAÓTICA<br />Desprezada pelos Arquitetos, tal imagem confusa e berrante cumpre um papel arquitetônico<br />Padrão de espalhamento<br />
  7. 7. A INVERSÃO<br />A iluminação feérica transforma a noite em dia.<br />A exótica construção e letreiros escandalosos transforma o dia em noite<br />
  8. 8. O LETREIRO É MAIS IMPORTANTE QUE A ARQUITETURA<br />No deserto, com cota zero (horizonte totalmente plano) a arquitetura não se destaca.<br />Um cassino precisa de teto baixo (ar-condicionado)<br />Um supermercado não terá mais de um pavimento e o estacionamento.<br />Como o estacionamento na frente, tais construções não se destacam<br />
  9. 9. O LETREIRO É O MODO DE CHAMAR ATENÇÃO DO MOTORISTA<br />O cliente se move da carro e o letreiro deve se dirigir a ele.<br />Posição leva em conta a velocidade e capacidade de atenção<br />
  10. 10. O LETREIRO DEPENDE DO SÍMBOLO<br />Colunas gregas<br />Frontões<br />Refere-se à construções históricas: Egito, Grécia, Roma, Catedrais francesas etc<br />
  11. 11. O LETREIRO CUMPRE FUNÇÃO DE DIA E DE NOITE<br />De dia ele precisa captar a atenção e informar o visitante.<br />Há um letreiro que fala: “Como vai amigo?” a cada 6 minutos.<br />A mesma peça deve funcionar a noite com outra dinâmica e design<br />
  12. 12. LETREIROS E FACHADAS3 SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO<br />Heráldico (brasões e logomarcas)<br />Fisionômico <br />Posicional<br />
  13. 13. CASSINO – PLANTA PADRÃO<br />Entra-se pelo salão de jogos em plena ativiade.<br />Recepção encontra-se no fundo<br />Hotel fica após a recepção<br />Um oásis fica aos fundos. Sempre aberto ao céu, com piscinas e fornecendo momento privado de lazer paradisíaco.<br />
  14. 14. CASSINO<br />Teto baixo e iluminação criam um espaço sem referências topológicas<br />Luz constante não permite noção temporal: é sempre dia ali. <br />
  15. 15. A IMAGEM CAÓTICA<br />Desprezada pelos Arquitetos, tal imagem confusa e berrante cumpre um papel arquitetônico<br />Padrão de espalhamento<br />
  16. 16. DOIS CONSTRUTIVOS PADRÕES BÁSICOS<br />GALPÃO DECORADO<br />Toda a arquitetura antes do modernismo que usa adornos e símbolos<br />PATO<br />A construção que assume ela mesma ser um símbolo, desprezando referências anteriores<br />
  17. 17. TEORIA DO FEIO E BANAL<br />É o prédio modesto com referências, repudiado pelos modernistas.<br />Las Vegas produz o vernácular industrial, ignorado pelos arquitetos.<br />
  18. 18. CRÍTICA AO MODERNISMO<br />Arquitetura modernista, na busca do funcional desprezou os símbolos<br />Ao invés do “galpão decorado” os modernistas produzerm o “pato”.<br />Buscam a articulação como ornamento<br />Tem o espaço como deus<br />
  19. 19. OUT -DOOR<br />Catedral de Heims é um out-door<br />Comunica ao fiel uma mensagem<br />A fachada não tem ligação com o interior<br />O out-door em Las Vegas cumpre função de comunicação arquitetônica, ainda que efêmero<br />
  20. 20. CRÍTICA AO MODERNISMO<br />Exemplo de pato: Mosteiro de La Tourette em Evreux, França, 1960 de Le Corbusier<br />Tal prédio foi repetido várias vezes<br />Escola de Agronomia da Universidade de Coornell, Ithaca, Hova oirk, 1963<br />Prefeitura de Boston, 1963<br />O que prova que o modernismo recusa o simbolismo, mas transforma seu próprio prédio em ícone. A forma mais importante que elementos refernciais simbólicos – ou o pato.<br />
  21. 21. CRÍTICA AO MODERNISMO<br />O prédio modernista grita:<br />“EU SOU O MONUMENTO!<br />A modesta casa suburbana, repleta de símoblos (cerquinha branca, janelas coloridas, arandelas junto à porta etc) não é o que o arquiteto modernista deseja...<br />... Mas é o que as pessoas desejam.<br />
  22. 22. APRENDENDO COM LAS VEGAS<br />O Simbolismo (esquecido) da forma arquitetônica<br />Tradução Pedro Maia Soares<br />Cosac Naif 2003<br />Edição original 1977<br />Resumo livre: Carlos Elson L Cunha<br />4º semestre Fau-Mackenzie<br />
  23. 23. APRENDENDO COM LAS VEGAS<br />O Simbolismo (esquecido) da forma arquitetônica<br />Tradução Pedro Maia Soares<br />Cosac Naif 2003<br />Edição original 1977<br />Resumo livre: Carlos Elson L Cunha<br />4º semestre Fau-Mackenzie<br />
  24. 24. “O caos é uma ordem não compreendida”.<br />

×