Aplicação das malhas espaciais na arquitetura

3.464 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.464
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
57
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aplicação das malhas espaciais na arquitetura

  1. 1. Aplicação das MalhasEspaciais na Arquitetura
  2. 2. 23/02/2011 | Portal Met@licaDefiniçãoApesar de poder ter outro significado mercados no uso deste sistemadistinto, denominamos na linguagem construtivo.corriqueira da engenharia, como sendo,um sistema mecânico reticulado, No Brasil, a primeira treliça espacialcomposto por barras metálicas, importante surgiu no ano de 1970. Adispostas em pelo menos 03 planos cobertura do Pavilhão de Feiras eortogonais, estruturalmente estáveis, e Exposições do Anhembi, projetada comconectadas entre si nas suas barras tubulares em alumínio, peloextremidades, em um único ponto: o nó. engenheiro anglo-canadense CedricSão em geral concebidas como treliças, Marsh, e montada pela empresaou seja, suas barras são dimensionadas FICHET Engenharia. Tambémaos simples esforços axiais de professor, Marsh, lecionava nacompressão ou tração. Por isso são Universidade de Montreal e atuavatambém chamadas de treliças espaciais. como consultor junto a uma das maiores empresas produtoras de alumínio doAs primeiras estruturas em malhas mundo.espaciais com aplicação comercialsurgiram por volta dos anos 30 quando Com o aparecimento de sistemasdo surgimento da empresa alemã computacionais e softwares de cálculoMERO, a pioneira, cujos trabalhos estrutural mais accessíveis, facilitandoprodutivos foram desenvolvidos com sobremaneira o projeto, a partir debase na criatividade do Dr. 1977, as malhas espaciais ficaram maisMeringenhausen, seu fundador. Anos populares e caíram no gosto dosmais tarde, já na década de 60, tanto na arquitetos e investidores do momento.Europa quanto nos Estados Unidos, Desde então, estimamos que foramsurgiram outras empresas semelhantes, produzidas no país algo em torno de 25consolidando firmemente os respectivos milhões de metros quadrados em coberturas espaciais.
  3. 3. Geometria ConstrutivaAs malhas espaciais tem como elemento construtivo básico a pirâmide ou o tetraedro.Estes colocados lado a lado, continuamente unidos pelos vértices formam um sistemasingularmente rígido e belo. As malhas geradas a partir do módulo piramidal podem terbases retangulares ou quadradas; as tetraédricas podem ser de base triangular equiláteraou isósceles.Suas barras podem ser fabricadas a partir de perfis tubulares circulares, retangulares ouquadrados; podem também ser confeccionadas em perfis tipo "U" com abas normais à90°. ou inclinadas como é o caso do sistema M-Deck. (desenvolvido pelo prof. C.Marsh).As malhas espaciais podem de um modo geral ser classificadas em dois gruposespecíficos: as malhas planas, e as malhas curvas. No primeiro grupo se enquadram amaioria das estruturas de cobertura. No segundo, incluímos as cúpulas geodésicas deformação matemática segundo a concepção de Buckminster Fuller ou na formasimplificada.Por terem "curvatura dupla" as malhas geodésicas são mais rígidas e mais econômicasque outras de curvatura simples tais como as de formas cilíndricas.
  4. 4. MateriaisAs primeiras malhas espaciais surgidas no Brasil, por imposição de mercado, foramprojetadas em alumínio. Hoje, no entanto, 95% são produzidas com tubos de seçãocircular em aço.As telhas empregadas para a cobertura propriamente dita, são na maioria das vezes,fabricadas a partir de chapas metálicas finas, podendo ser em aço ou alumínio. Asespessuras variam em média, de 0,5 a 0,8 mmNo caso em que se utilizem materiais metálicos diferentes para as terças e para as telhas,deve-se ter muito cuidado na preparação das superfícies de contato entre os doismateriais, a fim de que seja evitada a corrosão eletrolítica do material mais propenso aliberar elétrons, no caso o alumínio. Recomenda-se para isso, a colocação de fitaisolante adesiva na face superior da terça. Ginásio Poliesportivo de Campina Grande-PBNós
  5. 5. Outro elemento construtivo fundamental para as malhas espaciais é o nó. Ao concebê-lo, um cuidado todo especial deve ser tomado para provê-lo da necessária estabilidade,sem prejuízo da estética. Ao longo dos anos, tanto no Brasil como no exterior, váriostipos de nós foram utilizados.Alguns foram tecnicamente aprovados e permanecem até hoje; outros foram eliminadospor apresentarem falhas no comportamento estrutural ou por serem esteticamenteimpróprios.Atualmente são utilizados os seguintes tipos de nós: os nós "esféricos", onde os eixos de todas as barras convergem diretamente para o centro da esfera, tornando-os perfeitos estrutural e esteticamente; os nós "cruzetas" formados por chapas metálicas planas porem interligadas e montadas em planos diferentes pertencentes aos planos de trabalho de cada barra, sendo "menos bons" estruturalmente, porém mais econômicos, fáceis de fabricar e de aspecto arquitetônico razoável. os nós de "ponta amassada", muito econômicos, que apesar de serem estruturalmente impróprios e feios, são ainda muito utilizados (tomando-se as devidas precauções construtivas) para estruturas espaciais de pequenos vãos.CoberturasComo proteção à intempérie solar e pluvial, dispõe-se de vários tipos de materiais. Deum modo geral, as coberturas mais utilizadas são as telhas metálicas em aço oualumínio.Estas podem ser de seção trapezoidal ou onduladas e são montadas por simplessuperposição ou por processo de selagem mecânica – zipadas. Estas são fixadasindiretamente à estrutura de suporte através das terças, ou diretamente aos banzossuperiores quando a malha espacial é dotada de inclinação própria.
  6. 6. Muitas vezes a cobertura deve ser provida de isolamento termo-acústico. Nestes casosas telhas recebem um tratamento especial, de forma a comportarem-se como barreiraefetiva contra o som e o calor.Normalmente estes isolantes são fabricados utilizando-se lã de vidro, lã de rocha, ouespuma expandida de poliuretano, colocados como "enchimentos" entre duas telhas.VantagensDevido à sua composição geométrica e à natureza de seus elementos as malhasespaciais apresentam maior resistência ou demais artefatos necessários àglobal face às cargas de ruptura; suas operacionalidade da edificação.barras fabricadas a partir de perfistubulares tem excelente comportamento As edificações cobertas com malhasquanto à flambagem local ou por torção. espaciais são de um modo geral maisSua grande rigidez no plano horizontal econômicas que as com coberturas(aplicável às malhas planas) permite convencionais.uma maior otimização nodimensionamento da infra-estrutura de Ficha Técnica:suporte, recebendo suas respectivascargas reativas de modo mais uniforme. Artigo elaboradora por Paulo André Brasil Barroso – Eng. Civil. Pós-Podem vencer maiores vãos com menor graduado em cálculo estrutural –gasto de materiais. McGill University – Montreal – Canadá – 1975/1977.Devido à simplicidade de seuselementos construtivos- a barra e o nó, a Publicado na Revista +MAISfabricação, transporte e montagem é Arquitetura em Ago/2004extremamente facilitada, cabendo aosoperadores em campo a simples tarefa Fonte: Portal Metálicade apertar parafusos. www.metalica.com.brGraças à modularidade da distribuiçãodos nós, torna-se muito fácil a fixaçãode qualquer equipamento para Divulgue esta notícia:instalações em geral, forros, passarelas,

×