SlideShare uma empresa Scribd logo

Consciencia coleetiva durkhein

Consciência

1 de 18
Baixar para ler offline
O ESTUDO DA
SOCIEDADE
POR
EMILE
DURKHEIM
1857-1917
Profª Overlane
FATOS SOCIAIS
Para Durkheim, os fatos sociais
são o modo de pensar, sentir e
agir de um grupo social. Embora
os fatos sociais sejam exteriores,
eles são introjetados pelo
individuo e exercem sobre ele um
poder coercitivo.
FATOS SOCIAIS
 CARACTERÍSTICAS:
 GENERALIDADE; o fato social é comum a todos
os membros do grupo.
 EXTERIORIDADE; o fato social é externo ao
individuo, existe independentemente de sua
vontade.
 COERCITIVIDADE; os indivíduos se sentem
obrigados a seguir o comportamento estabelecido.
CONSCIÊNCIA COLETIVA
 Consciência coletiva: “conjunto de crenças e
dos sentimentos comuns à média dos membros de
uma mesma sociedade que forma um sistema
determinado com vida própria”. (a consciência
coletiva é diferente da consciência particular dos
indivíduos e não corresponde à soma destas. De
uma certa forma, a consciência coletiva é a
própria sociedade).
 A “consciência coletiva” é adquirida mediante os
processos de socialização aos quais somos
submetidos ao longo da nossa vida na sociedade.
(educação)
CONSCIÊNCIA COLETIVA
Trata-se da idéia do que seja o psíquico social.
A consciência coletiva é objetiva (não vem de uma só pessoa), é
exterior (é o que a sociedade pensa), age de uma forma
coercitiva.
A consciência coletiva manifesta-se nos sistemas jurídicos, nos
códigos legais, na arte, na religião, nas crenças, nos modos de
sentir, nas ações humanas. Existe difundida na sociedade e é
interiorizada pelos indivíduos.
É, de certo modo a moral vigente da sociedade.
Para Durkheim, a sociedade è mais do que a soma dos
indivíduos e o todo (a sociedade) prevalece sobre as partes(os
indivíduos).
SOLIDARIEDADE SOCIAL

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Filosofia política
Filosofia políticaFilosofia política
Filosofia política
 
Comunicação de massa e indústria cultural
Comunicação de massa e indústria culturalComunicação de massa e indústria cultural
Comunicação de massa e indústria cultural
 
O CONCEITO DE ESTADO - Prof. Noe Assunção
O CONCEITO DE ESTADO - Prof. Noe AssunçãoO CONCEITO DE ESTADO - Prof. Noe Assunção
O CONCEITO DE ESTADO - Prof. Noe Assunção
 
Indivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeIndivíduo e Sociedade
Indivíduo e Sociedade
 
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidadeAula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidade
 
Emile durkheim
Emile durkheimEmile durkheim
Emile durkheim
 
Relações de poder
Relações de poderRelações de poder
Relações de poder
 
Aula Poder
Aula PoderAula Poder
Aula Poder
 
Vigiar e punir
Vigiar e punirVigiar e punir
Vigiar e punir
 
Ideologia
IdeologiaIdeologia
Ideologia
 
Democracia 2 ano
Democracia 2 anoDemocracia 2 ano
Democracia 2 ano
 
Estado, sociedade e poder 3 II
Estado, sociedade e poder 3 IIEstado, sociedade e poder 3 II
Estado, sociedade e poder 3 II
 
Aula - O que é PODER - Michel Foucault
Aula - O que é PODER - Michel FoucaultAula - O que é PODER - Michel Foucault
Aula - O que é PODER - Michel Foucault
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
Socialização
 
Sociologia e Sociedade
Sociologia e SociedadeSociologia e Sociedade
Sociologia e Sociedade
 
Sociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e SociedadeSociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e Sociedade
 
Poder, política e estado
Poder, política e estadoPoder, política e estado
Poder, política e estado
 
FILOSOFIA POLÍTICA - 3 ANO
FILOSOFIA  POLÍTICA - 3 ANOFILOSOFIA  POLÍTICA - 3 ANO
FILOSOFIA POLÍTICA - 3 ANO
 
Poder e política
Poder e políticaPoder e política
Poder e política
 
Aula 3 - Durkheim
Aula 3 - DurkheimAula 3 - Durkheim
Aula 3 - Durkheim
 

Destaque

Durkheim e a consciência coletiva
Durkheim e a consciência coletivaDurkheim e a consciência coletiva
Durkheim e a consciência coletivaGustavo Cuin
 
EMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIA
EMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIAEMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIA
EMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIAVictor Said
 
Internet e Redes Sociais: Fatos, Riscos e Cuidados na Web
Internet e Redes Sociais: Fatos, Riscos e Cuidados na WebInternet e Redes Sociais: Fatos, Riscos e Cuidados na Web
Internet e Redes Sociais: Fatos, Riscos e Cuidados na WebAntiSaint
 
Introdução ao estudo do direito
Introdução ao estudo do direitoIntrodução ao estudo do direito
Introdução ao estudo do direitoHijo Noleto
 
Durkheim sociologia
Durkheim sociologiaDurkheim sociologia
Durkheim sociologiaColegio GGE
 
Reprodução e Mudança Social
Reprodução e Mudança SocialReprodução e Mudança Social
Reprodução e Mudança SocialAlfredo Garcia
 
Suicídio segundo Durkheim
Suicídio segundo DurkheimSuicídio segundo Durkheim
Suicídio segundo DurkheimMaria Lais Lba
 
As regras do método sociológico
As regras do método sociológicoAs regras do método sociológico
As regras do método sociológicothaglis
 
Dürkheim e os fatos sociais
Dürkheim e os fatos sociaisDürkheim e os fatos sociais
Dürkheim e os fatos sociaisAline Rodrigues
 
Fato patologico e anomia
Fato patologico e anomiaFato patologico e anomia
Fato patologico e anomiaLucio Braga
 

Destaque (20)

Durkheim e a consciência coletiva
Durkheim e a consciência coletivaDurkheim e a consciência coletiva
Durkheim e a consciência coletiva
 
Aula durkheim
Aula durkheimAula durkheim
Aula durkheim
 
EMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIA
EMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIAEMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIA
EMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIA
 
Durkhein
DurkheinDurkhein
Durkhein
 
Internet e Redes Sociais: Fatos, Riscos e Cuidados na Web
Internet e Redes Sociais: Fatos, Riscos e Cuidados na WebInternet e Redes Sociais: Fatos, Riscos e Cuidados na Web
Internet e Redes Sociais: Fatos, Riscos e Cuidados na Web
 
Émile Durkheim
Émile DurkheimÉmile Durkheim
Émile Durkheim
 
emile durkhein
emile durkheinemile durkhein
emile durkhein
 
FILOSOFIA WORLD
FILOSOFIA WORLD FILOSOFIA WORLD
FILOSOFIA WORLD
 
Durkheim
DurkheimDurkheim
Durkheim
 
Durkheim
DurkheimDurkheim
Durkheim
 
Introdução ao estudo do direito
Introdução ao estudo do direitoIntrodução ao estudo do direito
Introdução ao estudo do direito
 
Aula Émile Durkheim
Aula Émile DurkheimAula Émile Durkheim
Aula Émile Durkheim
 
Durkheim sociologia
Durkheim sociologiaDurkheim sociologia
Durkheim sociologia
 
Durkheim sociologia
Durkheim sociologiaDurkheim sociologia
Durkheim sociologia
 
éMile durkheim
éMile durkheiméMile durkheim
éMile durkheim
 
Reprodução e Mudança Social
Reprodução e Mudança SocialReprodução e Mudança Social
Reprodução e Mudança Social
 
Suicídio segundo Durkheim
Suicídio segundo DurkheimSuicídio segundo Durkheim
Suicídio segundo Durkheim
 
As regras do método sociológico
As regras do método sociológicoAs regras do método sociológico
As regras do método sociológico
 
Dürkheim e os fatos sociais
Dürkheim e os fatos sociaisDürkheim e os fatos sociais
Dürkheim e os fatos sociais
 
Fato patologico e anomia
Fato patologico e anomiaFato patologico e anomia
Fato patologico e anomia
 

Semelhante a Consciencia coleetiva durkhein

Os classicos da_sociologia_ completo
Os classicos da_sociologia_ completoOs classicos da_sociologia_ completo
Os classicos da_sociologia_ completoMarcus Vinicius
 
Os classicos da_sociologia_durkheim
Os classicos da_sociologia_durkheimOs classicos da_sociologia_durkheim
Os classicos da_sociologia_durkheimLucio Braga
 
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.pptRégio Quirino
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimJorge Miklos
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile Durkheimguestca76e87
 
A Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile DurkheimA Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile Durkheimguestdc18d25
 
emile-durkheim-1-e-2-anos-paulinia.pdf
emile-durkheim-1-e-2-anos-paulinia.pdfemile-durkheim-1-e-2-anos-paulinia.pdf
emile-durkheim-1-e-2-anos-paulinia.pdfCarinaSilva626903
 
Teoria da Anomia: à luz dos pensamentos de Durkheim e Merton
Teoria da Anomia: à luz dos pensamentos de Durkheim e MertonTeoria da Anomia: à luz dos pensamentos de Durkheim e Merton
Teoria da Anomia: à luz dos pensamentos de Durkheim e MertonSaulo Ramos Furquim
 

Semelhante a Consciencia coleetiva durkhein (20)

Emile d_ AULA.pptx
Emile d_ AULA.pptxEmile d_ AULA.pptx
Emile d_ AULA.pptx
 
Os classicos da_sociologia_ completo
Os classicos da_sociologia_ completoOs classicos da_sociologia_ completo
Os classicos da_sociologia_ completo
 
Os classicos da_sociologia_durkheim
Os classicos da_sociologia_durkheimOs classicos da_sociologia_durkheim
Os classicos da_sociologia_durkheim
 
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
 
Cap 03 durkheim
Cap 03 durkheimCap 03 durkheim
Cap 03 durkheim
 
Cap 03 durkheim
Cap 03 durkheimCap 03 durkheim
Cap 03 durkheim
 
Durkheim sociologia
Durkheim sociologiaDurkheim sociologia
Durkheim sociologia
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile Durkheim
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile Durkheim
 
A Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile DurkheimA Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile Durkheim
 
éMile durkheim
éMile durkheiméMile durkheim
éMile durkheim
 
sociologia.pdf
sociologia.pdfsociologia.pdf
sociologia.pdf
 
Durkheim sociologia
Durkheim sociologiaDurkheim sociologia
Durkheim sociologia
 
emile-durkheim-1-e-2-anos-paulinia.pdf
emile-durkheim-1-e-2-anos-paulinia.pdfemile-durkheim-1-e-2-anos-paulinia.pdf
emile-durkheim-1-e-2-anos-paulinia.pdf
 
DURKHEIM.pptx
DURKHEIM.pptxDURKHEIM.pptx
DURKHEIM.pptx
 
Resumodesocio5
Resumodesocio5Resumodesocio5
Resumodesocio5
 
durkheim
 durkheim  durkheim
durkheim
 
Teoria da Anomia: à luz dos pensamentos de Durkheim e Merton
Teoria da Anomia: à luz dos pensamentos de Durkheim e MertonTeoria da Anomia: à luz dos pensamentos de Durkheim e Merton
Teoria da Anomia: à luz dos pensamentos de Durkheim e Merton
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologia
 
Durkheim
DurkheimDurkheim
Durkheim
 

Mais de marcello magela

Mais de marcello magela (8)

passo_a_passo_-_suproc.pdf
passo_a_passo_-_suproc.pdfpasso_a_passo_-_suproc.pdf
passo_a_passo_-_suproc.pdf
 
A crise humana
A crise humanaA crise humana
A crise humana
 
Manual modem net
Manual modem netManual modem net
Manual modem net
 
7 dicas para dar aulas melhores
7 dicas para dar aulas melhores7 dicas para dar aulas melhores
7 dicas para dar aulas melhores
 
Tema 4-remuneração-e-benefícios-1
Tema 4-remuneração-e-benefícios-1Tema 4-remuneração-e-benefícios-1
Tema 4-remuneração-e-benefícios-1
 
Rotinas de pessoal_transferencia
Rotinas de pessoal_transferenciaRotinas de pessoal_transferencia
Rotinas de pessoal_transferencia
 
Adm de pessoal
Adm de pessoalAdm de pessoal
Adm de pessoal
 
Lei 12 830 2013
Lei 12 830 2013Lei 12 830 2013
Lei 12 830 2013
 

Consciencia coleetiva durkhein

  • 2. FATOS SOCIAIS Para Durkheim, os fatos sociais são o modo de pensar, sentir e agir de um grupo social. Embora os fatos sociais sejam exteriores, eles são introjetados pelo individuo e exercem sobre ele um poder coercitivo.
  • 3. FATOS SOCIAIS  CARACTERÍSTICAS:  GENERALIDADE; o fato social é comum a todos os membros do grupo.  EXTERIORIDADE; o fato social é externo ao individuo, existe independentemente de sua vontade.  COERCITIVIDADE; os indivíduos se sentem obrigados a seguir o comportamento estabelecido.
  • 4. CONSCIÊNCIA COLETIVA  Consciência coletiva: “conjunto de crenças e dos sentimentos comuns à média dos membros de uma mesma sociedade que forma um sistema determinado com vida própria”. (a consciência coletiva é diferente da consciência particular dos indivíduos e não corresponde à soma destas. De uma certa forma, a consciência coletiva é a própria sociedade).  A “consciência coletiva” é adquirida mediante os processos de socialização aos quais somos submetidos ao longo da nossa vida na sociedade. (educação)
  • 5. CONSCIÊNCIA COLETIVA Trata-se da idéia do que seja o psíquico social. A consciência coletiva é objetiva (não vem de uma só pessoa), é exterior (é o que a sociedade pensa), age de uma forma coercitiva. A consciência coletiva manifesta-se nos sistemas jurídicos, nos códigos legais, na arte, na religião, nas crenças, nos modos de sentir, nas ações humanas. Existe difundida na sociedade e é interiorizada pelos indivíduos. É, de certo modo a moral vigente da sociedade. Para Durkheim, a sociedade è mais do que a soma dos indivíduos e o todo (a sociedade) prevalece sobre as partes(os indivíduos).
  • 7. SOCIEDADE PRE- CAPITALISTA SOCIEDADE CAPITALISTA Tradicional Não diversificada Pré-industrial Semelhanças de funções: união Simples Pouca divisão do trabalho Solidariedade mecânica Moderna Diversificada Industrial Especialização de funções: dependência Complexa Muita divisão do trabalho Solidariedade orgânica Causa da coesão social : Solidariedade Causa da coesão social : Solidariedade
  • 8. Solidariedade Mecânica divisão do trabalho pouco desenvolvida Não havia um grande número de especializações As pessoas se uniam não porque dependiam do trabalho das outras Todos tinham a mesma religião, as mesmas tradições, os mesmos sentimentos, os mesmos valores A consciência coletiva era forte e pesava sobre o comportamento de todos. Predominava o Direito Repressivo (Penal) pois o crime feria os sentimentos coletivos.
  • 9. Solidariedade Orgânica Há divisão de trabalho porque há mais especialização de funções.. O que une as pessoas é a interdependência das funções sociais. A consciência coletiva é fraca pois é difusa, difundindo-se pelas diversas instituições Predomina o Direito Restitutivo (Civil) , pois a função do Direito mais do que punir o criminoso, é restabelecer a ordem que foi violada.
  • 10. FATO PATOLÓGICO E ANOMIA O crescente desenvolvimento da industria e da tecnologia faz com que Durkheim tivesse uma visão otimista sobre o futuro do capitalismo. O capitalismo é uma sociedade perfeita, pois a maior divisão de trabalho aumenta a especialização de funções que aumenta a dependência, tendo maior solidariedade. Como explicar os problemas sociais, tais como favela, criminalidade, suicídio, fome, miséria, poluição, desemprego? A crise da sociedade é moral. Ou as normas estão falhando (fato patológico) ou há ausência de normas (anomia)
  • 11. A sociedade, como todo organismo, apresenta estados normais e patológicos, saudáveis e doentios. Fato Social Normal quando se encontra generalizado na sociedade ou desempenha alguma função social importante. Fato Social Patolológico aquele que se encontra fora dos limites permitidos pela ordem social e pela moral vigente
  • 12. Para Durkheim, um fenômeno quando agride os preceitos morais, pode ser considerado normal desde que encontrado na sociedade de forma generalizada desde que não coloque em risco a integração social.. Considerou o crime um fato social normal porque é encontrado em todas as sociedades e serve de parâmetro para a sociedade. Se o crime põe em risco a integração social é considerado patológico
  • 13. ANOMIA Carência de regulamentação social, ausência de regras sociais. As crises econômicas e conflitos capital-trabalho se devem a uma situação de anomia.. Atribui essa crise moral às mudanças rápidas ocorridas na sociedade no final do século XIX e ao descompasso entre o avanço material e as normas morais e jurídicas. Ao estudar o suicidio, refere-se ao suicídio anômico que acontece devido ao enfraquecimento das regras morais. Tal estado deanomia se deve à propria sociedade que apresenta uma situação de desregramento levando os indivíduos a pedrderem a noção dos fins individuais e dos limites
  • 14. ANOMIA EM DURKHEIM Aparece na análise que Durkheim faz do suicídio: as causas do suicídio seriam sociais, dependendo do maior ou menor grau de coesão social.
  • 15. Três tipos de suicídio: EGOÍSTA Falta de integração ALTRUÍST A Excesso de integração ANÔMICO Falta de limites e regras
  • 16. Direito e Anomia a coesão é garantida por um conjunto de princípios, ou seja, uma moral e um conjunto de regras e normas, ou seja ,o direito, porque todos se conhecem A função do direito é punir aquele que, com suas transgressão, ofende todo o conjunto. É o que conhecemos por direito penal. Sociedade simples
  • 17. Sociedade complexa Precisamos ser solidários não porque somos iguais mas porque somos diferentes. A falta, o rompimento da regra não afeta o coletivo e sim as pessoas separadamente. A punição será dirigida para a devolução, `aquele que foi prejudicado, daquilo que lhe foi tirado. É o direito restitutivo.
  • 18. CONCLUSÃO A Sociologia tem por finalidade não só explicar a sociedade como também encontrar soluções para a vida social. Trata-se apenas de conhecer os seus problemas e de buscar uma solução científica para eles: curar as suas doenças. Os problemas sociais não se resolveriam dentro de uma luta política e sim através da ciência, ou seja, da Sociologia. Foi com Durkheim que a Sociologia passou a ser considerada propriamente uma ciência, dotada de um objeto especifico, os fatos sociais, e de uma metodologia.