Acl sintese grupo_1

317 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
317
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
92
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acl sintese grupo_1

  1. 1. AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DE E-LEARNINGAvaliação na Educação OnlineCristina Neto, Manuel Lousa, Pedro Vargas, Rute AntunesA procura de percursos de aprendizagem ao longo da vida aliada ao avanço da tecnologia,tem vindo a tornar o e-learning, cada vez mais, uma forma apetecível de obter formaçãoprofissional e/ou qualificação académica, tendo vindo a verificar-se um número crescente deofertas formativas nesta forma de ensino.Com o processo de Bolonha no ensino superior os objetivos de aprendizagem centram-se no desenvolvimento de competências, que apresentamos numa primeira parte e comoenquadramento conceptual.A avaliação das aprendizagens, em contexto de e-learning, tem sido alvo de crescente reflexãoe debate. Com a mudança de paradigma pedagógico ocorreu uma mudança drástica nasestratégias de avaliação, de maneira a avaliar um currículo baseado em competências. Nessesentido é preciso conceptualizar a avaliação de competências que incluem conhecimentos,capacidades e valores.Numa segunda parte deste documento apresentamos algumas ferramentas e recursosà disposição do formador/professor para a avaliação. As várias formas de avaliação emplataformas online, onde se destaca o Moodle de entre os vários Learning ManagementSystems (LMS), são incontornáveis nesta reflexão.Terminamos com uma análise da problemática da avaliação em contextos online.Competências na avaliaçãoAs novas culturas de aprendizagem determinam o uso de novas estratégias de avaliação.Estas estabelecem a necessidade de ter em conta as competências exigidas na prática davida real e de assegurar que as práticas de avaliação reflitam as que são utilizadas nessasáreas e que os critérios de avaliação sejam adequados. A cultura de avaliação centrada naavaliação de competências está envolvida em quatro dimensões (Pereira, Oliveira & Tinoca,2010): autenticidade, transparência, praticabilidade e consistência. É de salientar que estasdimensões estão encadeadas.A autenticidade é fundamental para a avaliação baseada em competências que se pretendempróximas do mundo real/profissional respeitando a similitude, a complexidade, a adequação ea significância.A consistência promove o alinhamento entre avaliação-instrução-competências e a suaimportância resulta da necessidade de recorrer a uma diversidade de formas de avaliação
  2. 2. não estandardizadas que incluam: o alinhamento instrução–avaliação, a multiplicidade deindicadores, a adequação critérios e o alinhamento competências-avaliação.A transparência promove o envolvimento dos aprendentes na definição consensual demetas e critérios de desempenho e de avaliação, bem como o reconhecimento dos efeitospositivos que a avaliação deve ter na aprendizagem. Nesta dimensão devemos ter em conta ademocratização, o envolvimento, a visibilidade e o impacto.Por fim, a praticabilidade, que é frequentemente negligenciada, pode influenciar de mododeterminante a escolha da estratégia de avaliação a usar, pois ao obrigar à reflexão sobre osseus custos, eficiência e sustentabilidade podemos condicionar os resultados pretendidos.Por oposição aos critérios psicométricos, os critérios edumétricos são reconhecidos comoválidos e mais justos para a avaliação de competências por enfatizarem a flexibilidade ea autenticidade da avaliação, bem como a sua integração no processo de aprendizagem,valorizando a sua função formativa. Este quadro teórico para a Cultura de Avaliação pretendesuportar a tomada de decisões sobre as estratégias de avaliação a utilizar, particularmente emcontextos de e-learning.FerramentasA participação em fóruns, a conversação síncrona, portfólios digitais ou e-portofolios e mapasconceptuais são ferramentas que permitem ao professor ter bases sólidas para avaliar os seusalunos, acessíveis em qualquer momento para reflexão e contínuo ajustamento do processode aprendizagem.É de extrema importância que a avaliação digital se desenvolva em função das competênciase não apenas numa perspetiva behaviorista-cognitivista do processo pedagógico. Mesmono contexto da avaliação digital, é ainda corrente a utilização de formas/instrumentos deavaliação tradicionais adaptadas ao contexto online, desde testes de escolha múltipla online,quizzes, trabalhos de grupo online, entre outros.Das ferramentas apresentadas o e-portfolio é o instrumento que melhor se adequa à gestãointegrada das aprendizagens, com um enorme potencial, exigindo do estudante uma reflexãosobre o seu percurso revelando, de forma integrada, o seu progresso e aspetos da suapersonalidade.Destaque também para as ferramentas que permitem a avaliação síncrona ou assíncrona entreos pares, tais como, grelhas de observação, participação em fóruns e instrumentos de auto ehetero-avaliação.Os LMS permitem auxiliar o professor com registos automáticos do percurso dos estudantesque monitorizam os seus passos e que podem constituir também objeto de avaliação. Para
  3. 3. tal recorrem a plataformas diversas das quais se destaca o Moodle que se tem reveladouma plataforma eficaz para suportar projetos educacionais, uma vez que permite oacompanhamento e monitorização do desenrolar do processo de aprendizagem. Essa mediçãoé feita por recurso, por exemplo, aos sistemas de avaliação disponibilizados pelos sistemasautomatizados presentes no Blackboard ou no Moodle.De uma forma geral, os LMS são caracterizados por uma perspetiva pedagógicaeminentemente construtivista, com a presença de fóruns de discussão ou pela construçãode e-portefólios. Estes LMS permitem avaliar a taxa de participação, de permanência, defrequência de acesso e de consulta dos vários recursos. Destes registos quantitativos podeminferir-se informações que conduzam à validação de um aluno e da sua participação numcontexto de avaliação sumativa. O maior ou menor acesso a esta informação por parte doaluno poderá configurar uma política institucional ou do professor no sentido de potenciar aauto-regulação do aluno numa perspetiva de auto e hetero avaliação.Reflexão FinalO modelo de ensino online requer formas de avaliação específicas e adequadas que encarama avaliação de forma diversa da tradicional. Assim, a avaliação passa a ter uma naturezapromotora das aprendizagens, em vez de certificadora e debruça-se sobre as competências,em vez dos conteúdos. As novas culturas de aprendizagem determinam o uso de novasestratégias de avaliação.Na avaliação online é fundamental que:1. se estabeleça a necessidade de ter em conta as competências exigidas na prática davida real, assegurar que os modos de avaliação reflitam os que são utilizados nessasáreas e que os critérios de avaliação sejam adequados, sem nunca perder de vista asdimensões da autenticidade, transparência, praticabilidade e consistência;2. seja tida em conta “a adequação da tecnologia de suporte ao público alvo e àsespecificidades do curso, nível de interação preconizado, relevância dos conteúdose das atividades a realizar, qualidade dos materiais de apoio, tipos e funções deavaliação previstas, estruturas e estratégias de suporte aos estudantes e perfil ecompetências dos professores” (Gomes, 2009, p. 1677);3. haja um acompanhamento contínuo por parte do professor, que permita detetarsituações anómalas, corrigir erros, bem como conhecer os alunos, os seus interessese ajudá-los a ultrapassar dificuldades. Este acompanhamento só será eficiente se seestabelecer uma interação frequente entre estudante e professor;4. se diversifiquem os momentos e as formas de avaliação, de forma a definir o perfildo aluno, assim como o seu estilo e competências para conseguir o rigor desejado.A participação em fóruns, a conversação síncrona, portefólios digitais e mapasconceptuais são ferramentas que permitem ao professor ter bases sólidas para avaliaros seus alunos;5. seja garantida a verificação da identidade do estudante.
  4. 4. Como vimos, os LMS permitem avaliar a utilização da plataforma pelos estudantes e fornecemao professor um conjunto de dados quantitativos que parece, ainda assim, insuficientepara medir o sucesso do envolvimento dos formandos/alunos no processo formativo e,consequentemente, na sua avaliação.Para colmatar esta insuficiência torna-se premente a valorização de contextos síncronos comoos de participação em fóruns e videoconferências. São espaços de colaboração, garantesda identidade dos participantes e potenciadores de discussão e partilha. A avaliação destesmomentos é de difícil concretização em termos quantitativos, embora hajam algumaspropostas de avaliação qualitativa pela descrição e classificação dos tipos de contributo decada um dos alunos.Também importante, é a avaliação entre pares, pela avaliação cooperativa, sendo que setorna fundamental a construção de instrumentos que conduzam a um juízo crítico do aluno/formando sobre o seu desempenho e o dos seus pares no processo de aprendizagem. Namodalidade online, em cursos onde a interação entre os participantes é elevada, a avaliaçãotambém deverá ser participada: aprendizagem colaborativa exige avaliação colaborativa(Gomes, 2009).As novas abordagens da avaliação devem ser encaradas como um meio para tornaro paradigma educacional cada vez mais construtivista (Mateo & Sangrá, 2007) e,consequentemente, mais aproximado das expetativas, necessidades e desejos dos estudantes.O papel da avaliação num processo educativo em e-learning, e em qualquer processoeducativo, merece de todos os envolvidos na conceção e implementação pedagógica umadose redobrada de atenção, pois dele depende, em grande parte, o sucesso ou insucesso daformação.BibliografiaGomes, M. J. (2009). “Problemáticas da avaliação em educação online.” InPaulo Dias & António Osório (orgs.), Actas da VI Conferência Internacional de TIC na Educação– Challenges 2009, Braga: Centro de Competência da Universidade do Minho, pp. 1675 – 1693.Mateo, J. Sangrá, A. (2007). "Designing online learning assessment Throught alternativeapproaches facing the concerns, in European Journal of Open, Distance and Elearning.Disponível em: http://www.eurodl.org/materials/contrib/2007/Mateo_Sangra.htmPereira, A. Oliveira, I. & Tinoca, L. (2010). "A Cultura da Avaliação: que dimensões?", In Actasda Conferência Internacional TICeduca2010, Instituto de Educação, Universidade de Lisboa.

×