SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 38
treinamento de questões abertas
     Literatura 01
          Manoel Neves
INSTRUÇÃO
treinamento de questões abertas 01
      Leia	
  os	
  textos	
  a	
  seguir.	
  
TEXTO 01
                                   treinamento de questões abertas
                                    CANÇÃO	
  DO	
  EXÍLIO,	
  Gonçalves	
  Dias	
  
  Minha	
  terra	
  tem	
  palmeiras,	
                                            Minha	
  terra	
  tem	
  primores,	
  
         Onde	
  canta	
  o	
  Sabiá;	
                                           Que	
  tais	
  não	
  encontro	
  eu	
  cá;	
  
  As	
  aves,	
  que	
  aqui	
  gorjeiam,	
                                      Em	
  cismar	
  –	
  sozinho,	
  à	
  noite	
  –	
  
    Não	
  gorjeiam	
  como	
  lá.	
                                              Mais	
  prazer	
  encontro	
  eu	
  lá;	
  
                                                                                  Minha	
  terra	
  tem	
  palmeiras,	
  
 Nosso	
  céu	
  tem	
  mais	
  estrelas,	
  
                                                                                         Onde	
  canta	
  o	
  Sabiá.	
  
Nossas	
  várzeas	
  têm	
  mais	
  flores,	
  
Nossos	
  bosques	
  têm	
  mais	
  vida,	
                                   Não	
  permita	
  Deus	
  que	
  eu	
  morra,	
  	
  
   Nossa	
  vida	
  mais	
  amores.	
                                            Sem	
  que	
  eu	
  volte	
  para	
  lá;	
  	
  
  Em	
  cismar,	
  sozinho,	
  à	
  noite,	
                                   Sem	
  que	
  desfrute	
  os	
  primores	
  	
  
  Mais	
  prazer	
  encontro	
  eu	
  lá;	
                                      Que	
  não	
  encontro	
  por	
  cá;	
  	
  
  Minha	
  terra	
  tem	
  palmeiras,	
                                       Sem	
  qu’inda	
  aviste	
  as	
  palmeiras,	
  	
  
        Onde	
  canta	
  o	
  Sabiá.	
                                                 Onde	
  canta	
  o	
  Sabiá.	
  
        DIAS,	
  Gonçalves.	
  	
  Canção	
  do	
  exílio.	
  In.	
  Primeiros	
  cantos.	
  Porto	
  Alegre:	
  L&PM,	
  2003.	
  
TEXTO 02
            treinamento de questões abertas
VOU-­‐ME	
  EMBORA	
  PRA	
  PASÁRGADA,	
  Manuel	
  Bandeira	
  
                Vou-­‐me	
  embora	
  pra	
  Pasárgada	
  
                            Lá	
  sou	
  amigo	
  do	
  rei	
  
               Lá	
  tenho	
  a	
  mulher	
  que	
  eu	
  quero	
  
                       Na	
  cama	
  que	
  escolherei	
  
                Vou-­‐me	
  embora	
  pra	
  Pasárgada	
  
                Vou-­‐me	
  embora	
  pra	
  Pasárgada	
  
                           Aqui	
  eu	
  não	
  sou	
  feliz	
  
                Lá	
  a	
  existência	
  é	
  uma	
  aventura	
  
                  De	
  tal	
  modo	
  inconseqüente	
  
                Que	
  Joana	
  a	
  Louca	
  de	
  Espanha	
  
                       Rainha	
  e	
  falsa	
  demente	
  
                      Vem	
  a	
  ser	
  contraparente	
  
                       Da	
  nora	
  que	
  nunca	
  ^ve	
  
TEXTO 02
            treinamento de questões abertas
VOU-­‐ME	
  EMBORA	
  PRA	
  PASÁRGADA,	
  Manuel	
  Bandeira	
  
                      E	
  como	
  farei	
  ginás^ca	
  
                       Andarei	
  de	
  bicicleta	
  
                 Montarei	
  em	
  burro	
  brabo	
  
                  Subirei	
  no	
  pau-­‐de-­‐sebo	
  
                 Tomarei	
  banhos	
  de	
  mar!	
  
                 E	
  quando	
  es^ver	
  cansado	
  
                       Deito	
  na	
  beira	
  do	
  rio	
  
                Mando	
  chamar	
  a	
  mãe-­‐d’água	
  
                  Pra	
  me	
  contar	
  histórias	
  
                Que	
  no	
  tempo	
  de	
  eu	
  menino	
  
                      Rosa	
  vinha	
  me	
  contar	
  
               Vou-­‐me	
  embora	
  pra	
  Pasárgada	
  	
  
TEXTO 02
                         treinamento de questões abertas
       VOU-­‐ME	
  EMBORA	
  PRA	
  PASÁRGADA,	
  Manuel	
  Bandeira	
  
                                    Em	
  Pasárgada	
  tem	
  tudo	
  
                                           É	
  outra	
  civilização	
  
                                    Tem	
  um	
  processo	
  seguro	
  
                                    De	
  impedir	
  a	
  concepção	
  
                                    Tem	
  telefone	
  à	
  vontade	
  
                                    Tem	
  alcalóide	
  à	
  vontade	
  
                                    Tem	
  pros^tutas	
  bonitas	
  
                                     Para	
  a	
  gente	
  namorar	
  
                              E	
  quando	
  eu	
  es^ver	
  mais	
  triste	
  
                                   Mas	
  triste	
  de	
  não	
  ter	
  jeito	
  
                                    Quando	
  de	
  noite	
  me	
  der	
  
                                     Vontade	
  de	
  me	
  matar	
  
                                     –	
  Lá	
  sou	
  amigo	
  do	
  rei	
  –	
  
                               Terei	
  a	
  mulher	
  que	
  eu	
  quero	
  
                                    Na	
  cama	
  que	
  escolherei	
  
                              Vou-­‐me	
  embora	
  pra	
  Pasárgada.	
  	
  
BANDEIRA,	
  Manuel.	
  Meus	
  poemas	
  preferidos.	
  Rio	
  de	
  Janeiro:	
  Nova	
  Fronteira,	
  2007.	
  
QUESTÃO 01
                                 treinamento de questões abertas 01
Redija	
  um	
  breve	
  texto,	
  explicando	
  como	
  os	
  dois	
  poemas	
  trabalham	
  a	
  ideia	
  de	
  utopia.	
  
ANALISANDO O COMANDO
                                     treinamento de questões abertas 01
                              explicar:	
  aprofundar-­‐se	
  no	
  estudo	
  de	
  um	
  objeto;	
  
utopia:	
  projeto	
  de	
  natureza	
  irrealizável;	
  ideia	
  generosa,	
  porém	
  impra^cável;	
  quimera,	
  fantasia	
  
PLANEJANDO A RESPOSTA
                                                  treinamento de questões abertas 01
                            GONÇALVES	
  DIAS	
                                                                MANUEL	
  BANDEIRA	
  

                               utopia:	
  Brasil	
                                                               utopia:	
  Pasárgada	
  

             lugar	
  perfeito,	
  idealizado,	
  grandioso	
                               lugar	
  no	
  qual	
  o	
  locutor	
  pode	
  realizar	
  desejos	
  

parâmetro:	
  natureza	
  [exuberante,	
  melhor	
  do	
  mundo]	
  parâmetro:	
  amor,	
  a^vidade	
  gsica,	
  contato	
  com	
  o	
  Outro	
  

                 exemplo:	
  céu,	
  bosques,	
  várzeas	
                          com	
  o	
  poder,	
  aspectos	
  da	
  infância	
  e	
  da	
  cultura	
  popular;	
  

                             tempo:	
  passado	
                                                                    tempo:	
  futuro	
  

exemplo:	
  Não	
  permita	
  Deus	
  q	
  eu	
  morra	
  s;	
  q	
  eu	
  volte...	
   exemplo:	
  verbos	
  no	
  futuro	
  do	
  presente	
  na	
  3ª.estrofe	
  

    longe	
  de	
  sua	
  pátria,	
  o	
  locutor	
  manifesta	
  o	
  desejo	
       no	
  presente,	
  o	
  locutor	
  não	
  pode	
  viver	
  de	
  forma	
  livre	
  

             de	
  voltar	
  para	
  o	
  lugar	
  onde	
  nascera.	
                       por	
  isso,	
  o	
  locutor	
  constrói	
  um	
  lugar	
  utópico	
  	
  
TEXTO
                                          treinamento de questões abertas
                                    EGO	
  DE	
  MONA	
  KATEUDO,	
  Mário	
  Faus^no	
  
                                           Dor,	
  dor	
  de	
  minha	
  alma,	
  é	
  madrugada	
  
                                      E	
  aportam-­‐me	
  lembranças	
  de	
  quem	
  amo.	
  
                                             E	
  dobram	
  sonhos	
  na	
  mal-­‐estrelada	
  
                                     Memória	
  arfante	
  donde	
  alguém	
  que	
  chamo	
  
                                            Para	
  outros	
  braços	
  cardiais	
  me	
  nega	
  
                                          Restos	
  de	
  rosa	
  entre	
  lençóis	
  de	
  olvido.	
  
                                             Ao	
  longe	
  ladra	
  um	
  coração	
  na	
  cega	
  
                                       Noite	
  ambulante.	
  E	
  escuto-­‐te	
  o	
  mugido,	
  
                                           Oh	
  vento	
  que	
  meu	
  cérebro	
  aleitaste,	
  
                                            Tempo	
  que	
  meu	
  des^no	
  ruminaste.	
  
                                            Amor,	
  amor,	
  enquanto	
  luzes,	
  puro,	
  
                                     Dormido	
  e	
  claro,	
  eu	
  velo	
  em	
  vasto	
  escuro,	
  
                                            Ouvindo	
  as	
  asas	
  roucas	
  de	
  outro	
  dia	
  
                                            Cantar	
  sem	
  despertar	
  minha	
  alegria	
  
FAUSTINO,	
  Mário.	
  O	
  homem	
  e	
  sua	
  hora	
  e	
  outros	
  poemas.	
  São	
  Paulo:	
  Companhia	
  das	
  Letras,	
  2010.	
  p.	
  89.	
  
QUESTÃO 02
                               treinamento de questões abertas 01
(UFMG-­‐2011)	
  Iden^fique	
  três	
  aspectos	
  que	
  caracterizam	
  esse	
  poema	
  como	
  um	
  soneto.	
  
ANÁLISE E RESOLUÇÃO
 treinamento de questões abertas 01
                14	
  versos;	
  
    métrica	
  [versos	
  decassílabos];	
  
            rimas	
  alternadas;	
  
        vocabulário	
  elaborado;	
  
    tratamento	
  elevado	
  do	
  tema.	
  
INSTRUÇÃO
treinamento de questões abertas 01
       Leia	
  o	
  poema	
  a	
  seguir.	
  
TEXTO
                                                treinamento de questões abertas
                                                 REFLEXO	
  CONDICIONADO,	
  Cacaso	
  
                                                                pense	
  rápido:	
  
                                                            produto	
  interno	
  bruto	
  
                                                                        ou	
  	
  
                                                           brutal	
  produto	
  interno?	
  
CACASO.	
  Reflexo	
  condicionado.	
  In.:	
  HOLANDA,	
  Heloísa	
  Buarque	
  de.	
  26	
  poetas	
  hoje.	
  Rio	
  de	
  Janeiro:	
  Aeroplano,	
  2001.	
  
QUESTÃO 03
                                         treinamento de questões abertas 01
Redija	
  um	
  breve	
  texto,	
  indicando	
  quais	
  as	
  funções	
  da	
  linguagem	
  aparecem	
  no	
  texto	
  de	
  Cacaso	
  e	
  
analisando	
  os	
  efeitos	
  ob^dos	
  pelo	
  uso	
  das	
  funções	
  no	
  poema.	
  
ANÁLISE E RESOLUÇÃO
                                        treinamento de questões abertas 01

                                           indicando as funções
     conaKva	
  ou	
  apelaKva:	
  pense	
  rápido	
  [o	
  uso	
  do	
  impera^vo	
  configura	
  um	
  convite	
  ao	
  leitor];	
  
  referencial	
  ou	
  denotaKva:	
  produto	
  interno	
  bruto	
  [apresenta	
  um	
  conceito,	
  uma	
  informação];	
  
   poéKca	
  ou	
  estéKca:	
  brutal	
  produto	
  interno	
  [transforma	
  o	
  conceito	
  exposto	
  anteriormente];	
  

                                           indicando as funções
cri^cam-­‐se	
  os	
  custos	
  que	
  foram	
  responsáveis	
  pela	
  elevação	
  do	
  PIB	
  durante	
  o	
  Milagre	
  Econômico	
  
        cri^cam-­‐se	
  a	
  violência	
  e	
  a	
  arbitrariedade	
  do	
  regime	
  polí^co	
  implementado	
  em	
  1964.	
  
INSTRUÇÃO
treinamento de questões abertas 01
       Leia	
  o	
  texto	
  a	
  seguir.	
  
TEXTO
    treinamento de questões abertas
       FESTA	
  DA	
  PENHA,	
  Waldo	
  Mowa	
  
Em	
  meio	
  aos	
  romeiros,	
  que	
  nem	
  santas,	
  
 lá	
  vai	
  o	
  Bicharéu	
  rumo	
  ao	
  Convento.	
  
  Tanto	
  fervor	
  e	
  sacrigcio	
  compensa,	
  
  no	
  caminho	
  a	
  pegação	
  é	
  óóó-­‐^-­‐ma!	
  
MOTTA,	
  Waldo.	
  Transpaixão.	
  Vitória:	
  EDUFES,	
  2008.	
  
QUESTÃO 04
                                       treinamento de questões abertas 01
Num	
  breve	
  texto,	
  analise	
  os	
  elementos	
  responsáveis	
  pela	
  produção	
  de	
  sen^do	
  no	
  poema	
  “Festa	
  
da	
  Penha”,	
  de	
  Waldo	
  Mowa.	
  
ANÁLISE
                                               treinamento de questões abertas 01
                   o	
  poema	
  de	
  Waldo	
  Mowa	
  opera	
  com	
  dois	
  recursos	
  linguís^cos	
  expressivos	
  
exploração	
  dos	
  sen^dos	
  literal	
  e	
  figurado	
  das	
  palavras	
     uso	
  de	
  1	
  mesma	
  palavra	
  em	
  dois	
  campos	
  de	
  sen^do	
  
RESOLUÇÃO
                                       treinamento de questões abertas 01

                                   exploração da ambiguidade
               inúmeras	
  palavras	
  aparecem	
  usadas	
  nos	
  sen^dos	
  denota^vo	
  e	
  conota^vo	
  
   penha:	
  nome	
  de	
  santa	
  católica	
  [denotação];	
  referência	
  indireta	
  ao	
  pênis	
  [fonemas	
  +	
  forma]	
  
santa:	
  mulher	
  d	
  moral	
  elevada	
  [denotação];	
  nome	
  dado	
  a	
  homossexuais	
  masculinos	
  [conotação]	
  
bicharéu:	
  grupo	
  de	
  bichos,	
  por	
  analogia	
  com	
  povaréu	
  [denotação];	
  bichas	
  culpadas	
  [conotação]	
  

                          a exploração de campos semânticos
  o	
  locutor	
  do	
  poema	
  faz	
  uma	
  seleção	
  de	
  palavras	
  que	
  remetem,	
  paradoxalmente,	
  aos	
  campos	
  
                            semân^cos	
  rela^vos	
  à	
  religião	
  e	
  à	
  [homos]sexualidade:	
  
                                     penha,	
  santas,	
  fervor	
  e	
  sacrigcio,	
  pegação.	
  
INSTRUÇÃO
                                              treinamento de questões abertas 01
Leia	
  com	
  atenção	
  os	
  versos	
  que	
  se	
  seguem,	
  dos	
  poemas	
  "Soneto"	
  e	
  "É	
  ela!	
  É	
  ela!	
  É	
  ela!	
  É	
  ela!",	
  
da	
  obra	
  Lira	
  dos	
  vinte	
  anos,	
  de	
  Álvares	
  de	
  Azevedo.	
  
TEXTO 01
               treinamento de questões abertas 01
                                           SONETO	
  
                 Pálida,	
  à	
  luz	
  da	
  lâmpada	
  sombria,	
  
                  Sobre	
  o	
  leito	
  de	
  flores	
  reclinada,	
  
                Como	
  a	
  lua	
  por	
  noite	
  embalsamada,	
  
                Entre	
  as	
  nuvens	
  do	
  amor	
  ela	
  dormia!	
  
             Era	
  a	
  virgem	
  do	
  mar!	
  Na	
  escuma	
  fria	
  
                  Pela	
  maré	
  das	
  águas	
  embalada!	
  
             Era	
  um	
  anjo	
  entre	
  nuvens	
  d’alvorada	
  
           Que	
  em	
  sonhos	
  se	
  banhava	
  e	
  se	
  esquecia!	
  
AZEVEDO,	
  Álvares	
  de.	
  Lira	
  dos	
  vinte	
  anos.	
  Belo	
  Horizonte:	
  Ita^aia,	
  1999.	
  
TEXTO 02
               treinamento de questões abertas 01
                          É	
  ELA!	
  É	
  ELA!	
  É	
  ELA!	
  É	
  ELA!	
  
                   É	
  ela!	
  é	
  ela!	
  murmurei	
  tremendo,	
  	
  
                  E	
  o	
  eco	
  ao	
  longe	
  murmurou	
  -­‐	
  é	
  ela!	
  	
  
                  Eu	
  a	
  vi...	
  minha	
  fada	
  aérea	
  e	
  pura	
  -­‐	
  	
  
                           A	
  minha	
  lavadeira	
  na	
  janela!	
  
                   Afastei	
  a	
  janela,	
  entrei	
  medroso...	
  	
  
                   Palpitava-­‐lhe	
  o	
  seio	
  adormecido...	
  	
  
                    Fui	
  beijá-­‐la...	
  roubei	
  do	
  seio	
  dela	
  	
  
                   Um	
  bilhete	
  que	
  estava	
  ali	
  me^do...	
  
AZEVEDO,	
  Álvares	
  de.	
  Lira	
  dos	
  vinte	
  anos.	
  Belo	
  Horizonte:	
  Ita^aia,	
  1999.	
  
QUESTÃO 05
                                       treinamento de questões abertas 01
(UFMG-­‐1997)	
   REDIJA	
   um	
   texto,	
   mostrando	
   as	
   diferentes	
   percepções	
   da	
   mulher	
   manifestadas	
  
nos	
  versos	
  dos	
  dois	
  poemas.	
  
ANÁLISE
                                     treinamento de questões abertas 01
               a	
  obra	
  de	
  Álvares	
  de	
  Azevedo	
  se	
  constrói	
  a	
  par^r	
  de	
  um	
  binômio:	
  
a	
  idealização	
  român^ca	
  [face	
  de	
  Ariel]	
                   a	
  desidealização	
  român^ca	
  [face	
  de	
  Caliban]	
  
RESOLUÇÃO
                                           treinamento de questões abertas 01

                                         a idealização romântica
                 no	
  “Soneto”,	
  notam-­‐se	
  aspectos	
  da	
  idealização	
  român^ca	
  [face	
  de	
  Ariel]	
  
   cor	
  branca,	
  idealizada,	
  indisponível	
  [medo	
  de	
  amar:	
  medo	
  de	
  envolver	
  afe^vamente/sofrer]	
  
           citações	
  [pálida	
  à	
  luz	
  da	
  lâmpada	
  sombria;	
  leito	
  de	
  flores	
  embalsamada,	
  dormia]	
  
                                [virgem	
  do	
  mar,	
  em	
  sonhos	
  se	
  banhava	
  e	
  se	
  esquecia]	
  

                                      a desidealização romântica
     em	
  “É	
  ela,	
  é	
  ela,	
  é	
  ela”,	
  notam-­‐se	
  aspectos	
  da	
  desidealização	
  român^ca	
  [face	
  de	
  Caliban]	
  
a	
  desidealização	
  se	
  manifesta	
  principalmente	
  por	
  intermédio	
  da	
  ironia	
  românFca	
  que	
  apresenta	
  
a	
  mulher	
  desidealizada	
  [dormia	
  com	
  um	
  ferro	
  de	
  passar	
  roupas	
  na	
  mão	
  e	
  roncando]	
  e	
  disponível	
  
     para	
  ao	
  sexo	
  [o	
  sujeito	
  poé^co	
  não	
  se	
  compraz	
  em	
  olhá-­‐la,	
  mas	
  beija-­‐a	
  em	
  sua	
  incursão]	
  
INSTRUÇÃO
   treinamento de questões abertas 01
Leia	
  os	
  dois	
  poemas	
  de	
  Gregório	
  de	
  Matos.	
  
TEXTO 01
           treinamento de questões abertas 01
                                    SONETO	
  
        Nasce	
  o	
  Sol,	
  e	
  não	
  dura	
  mais	
  que	
  um	
  dia,	
  
         Depois	
  da	
  Luz	
  se	
  segue	
  a	
  noite	
  escura,	
  
         Em	
  tristes	
  sombras	
  morre	
  a	
  formosura,	
  
              Em	
  con€nuas	
  tristezas	
  a	
  alegria.	
  	
  
        Porém,	
  se	
  acaba	
  o	
  Sol,	
  por	
  que	
  nascia?	
  
       Se	
  é	
  tão	
  formosa	
  a	
  Luz,	
  por	
  que	
  não	
  dura?	
  
             Como	
  a	
  beleza	
  assim	
  se	
  transfigura?	
  
             Como	
  o	
  gosto	
  da	
  pena	
  assim	
  se	
  fia?	
  
             Mas	
  no	
  Sol,	
  e	
  na	
  Luz	
  falte	
  a	
  firmeza,	
  
             Na	
  formosura	
  não	
  se	
  dê	
  constância,	
  
                   E	
  na	
  alegria	
  sinta-­‐se	
  tristeza.	
  
         Começa	
  o	
  mundo	
  enfim	
  pela	
  ignorância,	
  
          E	
  tem	
  qualquer	
  dos	
  bens	
  por	
  natureza	
  
            A	
  firmeza	
  somente	
  na	
  inconstância.	
  
MATOS,	
  Gregório	
  de.	
  Antologia	
  poéFca.	
  Porto	
  Alegre:	
  L&PM,	
  2005.	
  
TEXTO 02
           treinamento de questões abertas 01
                                     SONETO	
  
            Discreta,	
  e	
  formosíssima	
  Maria,	
  
        Enquanto	
  estamos	
  vendo	
  a	
  qualquer	
  hora	
  
             Em	
  tuas	
  faces	
  a	
  rosada	
  Aurora,	
  
           Em	
  teus	
  olhos,	
  e	
  boca	
  o	
  Sol,	
  e	
  o	
  dia:	
  
               Enquanto	
  com	
  gen^l	
  descortesia	
  
              O	
  ar,	
  que	
  fresco	
  Adônis	
  te	
  namora,	
  
               te	
  espalha	
  a	
  rica	
  trança	
  voadora,	
  
               Quando	
  vem	
  passear-­‐te	
  pela	
  fria:	
  
                   Goza,	
  goza	
  da	
  flor	
  da	
  mocidade,	
  
              Que	
  o	
  tempo	
  trota	
  a	
  toda	
  ligeireza,	
  
             E	
  imprime	
  em	
  toda	
  a	
  flor	
  sua	
  pisada.	
  
          Oh	
  não	
  aguardes	
  que	
  a	
  madura	
  idade	
  
             te	
  converta	
  em	
  flor,	
  essa	
  beleza	
  
  Em	
  terra,	
  em	
  cinza,	
  em	
  pó,	
  em	
  sombra,	
  em	
  nada.	
  	
  
MATOS,	
  Gregório	
  de.	
  Antologia	
  poéFca.	
  Porto	
  Alegre:	
  L&PM,	
  2005.	
  
QUESTÃO 06
                                         treinamento de questões abertas 01
(UFMG-­‐1999)	
   REDIJA	
   um	
   texto,	
   explicando	
   como	
   ideias	
   comuns	
   aos	
   dois	
   poemas	
   jus^ficam	
   o	
  
conselho	
  dado	
  pelo	
  poeta	
  no	
  segundo	
  poema.	
  
ANÁLISE
                                         treinamento de questões abertas 01
           a	
  temá^ca	
  em	
  comum	
  aos	
  dois	
  poemas	
  é	
  a	
  constatação	
  da	
  fugacidade	
  da	
  vida	
  

                                                           poema 01
    a	
  constatação	
  aparece	
  basicamente	
  na	
  primeira,	
  na	
  terceira	
  e	
  na	
  quarta	
  estrofes	
  [citar]:	
  
a	
  fugacidade	
  da	
  vida	
  deixa	
  o	
  locutor	
  angus^ado,	
  tenso	
  [grande	
  volume	
  de	
  interrogações,	
  citar]	
  

                                                           poema 02
               a	
  constatação	
  de	
  que	
  a	
  vida	
  é	
  passageira	
  aparece	
  na	
  quarta	
  estrofe	
  [citar]	
  
                      o	
  convite	
  para	
  aproveitar	
  a	
  vida	
  é	
  feito	
  na	
  terceira	
  estrofe	
  [citar]	
  

                                                          o comando
       nos	
  dois	
  poemas,	
  há	
  a	
  constatação	
  de	
  que	
  a	
  vida	
  e	
  a	
  beleza	
  feminina	
  são	
  passageiras	
  
      ante	
  tal	
  realidade,	
  o	
  locutor	
  convida	
  a	
  mulher	
  para	
  aproveitar	
  a	
  vida	
  [terceira	
  estrofe]	
  
  a	
  tensão	
  barroca,	
  no	
  segundo	
  poema,	
  advém	
  do	
  fato	
  de	
  que,	
  segundo	
  o	
  locutor	
  do	
  poema,	
  
                a	
  beleza	
  da	
  mulher	
  não	
  só	
  vai	
  acabar,	
  mas	
  ela	
  também	
  irá	
  fanar,	
  morrer.	
  
INSTRUÇÃO
                                          treinamento de questões abertas 01
Leia	
  a	
  passagem	
  a	
  seguir,	
  extraída	
  de	
  Nove	
  noites,	
  de	
  Bernardo	
  Carvalho,	
  e	
  o	
  poema	
  “Erro	
  de	
  
português”,	
  de	
  Oswald	
  de	
  Andrade.	
  
TEXTO 01
                                                treinamento de questões abertas 01
No	
   final	
   da	
   tarde	
   em	
   que	
   chegamos,	
   logo	
   depois	
   de	
   me	
   instalar,	
   saí	
   à	
   procura	
   do	
   antropólogo	
   e	
  
do	
  seu	
  filho,	
  que	
  ficaram	
  em	
  outra	
  casa.	
  Encontrei-­‐os	
  de	
  short	
  e	
  sandália	
  havaiana	
  (em	
  Roma	
  
como	
   os	
   romanos),	
   com	
   os	
   corpos	
   pintados	
   de	
   urucum,	
   sentados	
   em	
   frente	
   à	
   casa	
   do	
   pajé,	
  
Afonso	
   Cupõ,	
   um	
   sujeito	
   enorme,	
   sempre	
   sorrindo,	
   com	
   cara	
   de	
   bonachão,	
   e	
   que	
   em	
   geral	
   não	
  
dizia	
   nada	
   mas	
   que,	
   no	
   dia	
   seguinte,	
   bêbado,	
   acabou	
   me	
   encurralando	
   num	
   canto	
   e	
   me	
   fez	
  
prometer	
  que	
  lhe	
  daria	
  cinquenta	
  reais	
  antes	
  de	
  ir	
  embora.	
  
                                CARVALHO,	
  Bernardo.	
  Nove	
  noites.	
  São	
  Paulo:	
  Companhia	
  das	
  Letras,	
  2001.	
  
TEXTO 02
     treinamento de questões abertas 01
 ERRO	
  DE	
  PORTUGUÊS,	
  Oswald	
  de	
  Andrade	
  
              Quando	
  o	
  português	
  chegou	
  
              Debaixo	
  de	
  uma	
  bruta	
  chuva	
  
                        Ves^u	
  o	
  índio.	
  
                          Que	
  pena	
  
               Fosse	
  uma	
  manhã	
  de	
  sol	
  
                 O	
  índio	
  ^nha	
  despido	
  
                        O	
  português.	
  
ANDRADE,	
  Oswald	
  de.	
  Pau-­‐Brasil.	
  São	
  Paulo:	
  Globo,	
  1999.	
  
QUESTÃO 07
                                        treinamento de questões abertas 01
Redija	
  um	
  texto,	
  confrontando	
  o	
  poema	
  de	
  Oswald	
  de	
  Andrade	
  e	
  o	
  fragmento	
  do	
  romance	
  de	
  
Bernardo	
  Carvalho,	
  levando-­‐se	
  em	
  consideração	
  os	
  aspectos	
  temá^cos	
  e	
  formais.	
  
ANÁLISE
                             treinamento de questões abertas 01
os	
  dois	
  textos	
  abordam	
  como	
  a	
  colonização	
  a^nge	
  e	
  modifica	
  a	
  cultura	
  indígena	
  
ANÁLISE
                                        treinamento de questões abertas 01

                                                          texto 01
 texto	
  narra^vo	
  em	
  prosa,	
  com	
  predomínio	
  da	
  denotação,	
  em	
  que	
  se	
  expõe	
  ironicamente	
  o	
  
modo	
  como	
  os	
  índios	
  se	
  vestem	
  e	
  revela	
  os	
  males	
  trazidos	
  pela	
  civilização	
  [dinheiro,	
  álcool]	
  

                                                          texto 02
                          texto	
  narra^vo	
  em	
  versos,	
  com	
  predomínio	
  da	
  conotação	
  
a	
  chuva	
  é	
  associada	
  ao	
  colonizador	
  [frio	
  e	
  tristeza];	
  o	
  sol	
  é	
  associado	
  ao	
  elemento	
  americano	
  
  denotando	
  alegria	
  e	
  vivacidade;	
  o	
  locutor	
  do	
  poema	
  posiciona-­‐se	
  explicitamente	
  contra	
  a	
  
    colonização	
  [que	
  pena];	
  o	
  €tulo	
  deve	
  ser	
  lido	
  conota^vamente:	
  o	
  erro	
  do	
  português	
  é	
  a	
  
      colonização	
  em	
  si;	
  a	
  chegada	
  do	
  branco	
  resulta	
  em	
  perda	
  da	
  iden^dade	
  do	
  silvícola.	
  

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Prova internet-pssiii-2005
Prova internet-pssiii-2005Prova internet-pssiii-2005
Prova internet-pssiii-2005Lucas Ferreira
 
Bruno.seabra.tipos.burlescos
Bruno.seabra.tipos.burlescosBruno.seabra.tipos.burlescos
Bruno.seabra.tipos.burlescosAriane Mafra
 
Antologia de Poesia
Antologia de PoesiaAntologia de Poesia
Antologia de PoesiaBiblioteia
 
Avaliação i racema
Avaliação i racemaAvaliação i racema
Avaliação i racemaVERA OLIVEIRA
 
Antologia poética e alguns de seus poetas
Antologia poética e alguns de seus poetas Antologia poética e alguns de seus poetas
Antologia poética e alguns de seus poetas Vinicius Soco
 
Pra voce dizer poesia e imagem
Pra voce dizer   poesia e imagemPra voce dizer   poesia e imagem
Pra voce dizer poesia e imagemAud Dias
 
4ª Antologia Poética Projeto Jovens Autores ProEMI/JF 2013
4ª Antologia Poética Projeto Jovens Autores ProEMI/JF 20134ª Antologia Poética Projeto Jovens Autores ProEMI/JF 2013
4ª Antologia Poética Projeto Jovens Autores ProEMI/JF 2013Diana Pilatti
 
E-book O Mosaico dos Raros
E-book O Mosaico dos Raros E-book O Mosaico dos Raros
E-book O Mosaico dos Raros Lara Utzig
 
Calendário julho 2010_rosely
Calendário julho 2010_roselyCalendário julho 2010_rosely
Calendário julho 2010_roselyGisele Santos
 
"Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade""Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade"MiguelavRodrigues
 
A poesia lírica de luís vaz de camões
A poesia lírica de luís vaz de camõesA poesia lírica de luís vaz de camões
A poesia lírica de luís vaz de camõesma.no.el.ne.ves
 
Treinamento de questões abertas de literatura, 03
Treinamento de questões abertas de literatura, 03Treinamento de questões abertas de literatura, 03
Treinamento de questões abertas de literatura, 03ma.no.el.ne.ves
 
Poesia do Sec. XXI
Poesia do Sec. XXIPoesia do Sec. XXI
Poesia do Sec. XXIKaique Luan
 
Simulado 2°Ano -1°Dia
Simulado 2°Ano -1°DiaSimulado 2°Ano -1°Dia
Simulado 2°Ano -1°DiaDanielly26
 
Língua port 9º sem edição
Língua port 9º  sem ediçãoLíngua port 9º  sem edição
Língua port 9º sem ediçãoAustonio Santos
 

Mais procurados (20)

09. tqa ufmg 2012, 06
09. tqa ufmg 2012, 0609. tqa ufmg 2012, 06
09. tqa ufmg 2012, 06
 
Prova internet-pssiii-2005
Prova internet-pssiii-2005Prova internet-pssiii-2005
Prova internet-pssiii-2005
 
Bruno.seabra.tipos.burlescos
Bruno.seabra.tipos.burlescosBruno.seabra.tipos.burlescos
Bruno.seabra.tipos.burlescos
 
Antologia de Poesia
Antologia de PoesiaAntologia de Poesia
Antologia de Poesia
 
Poema amigo
Poema amigoPoema amigo
Poema amigo
 
Avaliação i racema
Avaliação i racemaAvaliação i racema
Avaliação i racema
 
Antologia poética e alguns de seus poetas
Antologia poética e alguns de seus poetas Antologia poética e alguns de seus poetas
Antologia poética e alguns de seus poetas
 
Pra voce dizer poesia e imagem
Pra voce dizer   poesia e imagemPra voce dizer   poesia e imagem
Pra voce dizer poesia e imagem
 
Enem 2012, literatura
Enem 2012, literaturaEnem 2012, literatura
Enem 2012, literatura
 
4ª Antologia Poética Projeto Jovens Autores ProEMI/JF 2013
4ª Antologia Poética Projeto Jovens Autores ProEMI/JF 20134ª Antologia Poética Projeto Jovens Autores ProEMI/JF 2013
4ª Antologia Poética Projeto Jovens Autores ProEMI/JF 2013
 
Antologia poética
Antologia poéticaAntologia poética
Antologia poética
 
fernando pessoa
 fernando pessoa fernando pessoa
fernando pessoa
 
E-book O Mosaico dos Raros
E-book O Mosaico dos Raros E-book O Mosaico dos Raros
E-book O Mosaico dos Raros
 
Calendário julho 2010_rosely
Calendário julho 2010_roselyCalendário julho 2010_rosely
Calendário julho 2010_rosely
 
"Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade""Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade"
 
A poesia lírica de luís vaz de camões
A poesia lírica de luís vaz de camõesA poesia lírica de luís vaz de camões
A poesia lírica de luís vaz de camões
 
Treinamento de questões abertas de literatura, 03
Treinamento de questões abertas de literatura, 03Treinamento de questões abertas de literatura, 03
Treinamento de questões abertas de literatura, 03
 
Poesia do Sec. XXI
Poesia do Sec. XXIPoesia do Sec. XXI
Poesia do Sec. XXI
 
Simulado 2°Ano -1°Dia
Simulado 2°Ano -1°DiaSimulado 2°Ano -1°Dia
Simulado 2°Ano -1°Dia
 
Língua port 9º sem edição
Língua port 9º  sem ediçãoLíngua port 9º  sem edição
Língua port 9º sem edição
 

Semelhante a Treinamento de questões abertas de literatura, 01

INTERTEXTUALIDADE
INTERTEXTUALIDADEINTERTEXTUALIDADE
INTERTEXTUALIDADESCMARQUES
 
Poemas de Amor
Poemas de AmorPoemas de Amor
Poemas de AmorBE ESGN
 
Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre)
Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre) Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre)
Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre) JH COSTA
 
Toma lá poesia folhetos de promoção do concurso literário 2008-2009 - escol...
Toma lá poesia   folhetos de promoção do concurso literário 2008-2009 - escol...Toma lá poesia   folhetos de promoção do concurso literário 2008-2009 - escol...
Toma lá poesia folhetos de promoção do concurso literário 2008-2009 - escol...São Ludovino
 
Poesias mostra cultural
Poesias mostra culturalPoesias mostra cultural
Poesias mostra culturalBarbara Coelho
 
Distraídos Venceremos - Paulo Leminsni
Distraídos Venceremos - Paulo LeminsniDistraídos Venceremos - Paulo Leminsni
Distraídos Venceremos - Paulo LeminsniMarcia Nunes
 
Almanaque Paraná numero 2 janeiro maio 2011
Almanaque Paraná numero 2 janeiro maio 2011Almanaque Paraná numero 2 janeiro maio 2011
Almanaque Paraná numero 2 janeiro maio 2011Confraria Paranaense
 
Pp intertextualidade1
Pp intertextualidade1Pp intertextualidade1
Pp intertextualidade1telasnorte1
 
C:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No Brasil
C:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No BrasilC:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No Brasil
C:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No BrasilEneida da Rosa
 
C:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No Brasil
C:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No BrasilC:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No Brasil
C:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No BrasilEneida da Rosa
 
Folhetim Literário Desiderata n 1 - Sonhos
Folhetim Literário Desiderata n 1 - SonhosFolhetim Literário Desiderata n 1 - Sonhos
Folhetim Literário Desiderata n 1 - SonhosJosé Feldman
 
Toma Lá Poesia Folhetos De PromoçãO Do Concurso LiteráRio Prof.ª ConceiçãO ...
Toma Lá Poesia Folhetos De PromoçãO Do Concurso LiteráRio   Prof.ª ConceiçãO ...Toma Lá Poesia Folhetos De PromoçãO Do Concurso LiteráRio   Prof.ª ConceiçãO ...
Toma Lá Poesia Folhetos De PromoçãO Do Concurso LiteráRio Prof.ª ConceiçãO ...librarian
 
Reflexões e interferências
Reflexões e interferênciasReflexões e interferências
Reflexões e interferênciasRegina Gouveia
 

Semelhante a Treinamento de questões abertas de literatura, 01 (20)

INTERTEXTUALIDADE
INTERTEXTUALIDADEINTERTEXTUALIDADE
INTERTEXTUALIDADE
 
Poemas de Amor
Poemas de AmorPoemas de Amor
Poemas de Amor
 
Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre)
Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre) Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre)
Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre)
 
Toma lá poesia folhetos de promoção do concurso literário 2008-2009 - escol...
Toma lá poesia   folhetos de promoção do concurso literário 2008-2009 - escol...Toma lá poesia   folhetos de promoção do concurso literário 2008-2009 - escol...
Toma lá poesia folhetos de promoção do concurso literário 2008-2009 - escol...
 
Poesias mostra cultural
Poesias mostra culturalPoesias mostra cultural
Poesias mostra cultural
 
Antologia livro
Antologia   livroAntologia   livro
Antologia livro
 
Livre Criação
Livre CriaçãoLivre Criação
Livre Criação
 
Distraídos Venceremos - Paulo Leminsni
Distraídos Venceremos - Paulo LeminsniDistraídos Venceremos - Paulo Leminsni
Distraídos Venceremos - Paulo Leminsni
 
Almanaque Paraná numero 2 janeiro maio 2011
Almanaque Paraná numero 2 janeiro maio 2011Almanaque Paraná numero 2 janeiro maio 2011
Almanaque Paraná numero 2 janeiro maio 2011
 
Livro de poesia plnm 2
Livro de poesia  plnm 2Livro de poesia  plnm 2
Livro de poesia plnm 2
 
Poema de mil faces
Poema de mil facesPoema de mil faces
Poema de mil faces
 
Pp intertextualidade1
Pp intertextualidade1Pp intertextualidade1
Pp intertextualidade1
 
C:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No Brasil
C:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No BrasilC:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No Brasil
C:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No Brasil
 
C:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No Brasil
C:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No BrasilC:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No Brasil
C:\Fakepath\O Barroco Em Portugal E No Brasil
 
Folhetim Literário Desiderata n 1 - Sonhos
Folhetim Literário Desiderata n 1 - SonhosFolhetim Literário Desiderata n 1 - Sonhos
Folhetim Literário Desiderata n 1 - Sonhos
 
Toma Lá Poesia Folhetos De PromoçãO Do Concurso LiteráRio Prof.ª ConceiçãO ...
Toma Lá Poesia Folhetos De PromoçãO Do Concurso LiteráRio   Prof.ª ConceiçãO ...Toma Lá Poesia Folhetos De PromoçãO Do Concurso LiteráRio   Prof.ª ConceiçãO ...
Toma Lá Poesia Folhetos De PromoçãO Do Concurso LiteráRio Prof.ª ConceiçãO ...
 
Romantismo no brasil
Romantismo no brasilRomantismo no brasil
Romantismo no brasil
 
Filipa Duarte
Filipa Duarte Filipa Duarte
Filipa Duarte
 
Reflexões e interferências
Reflexões e interferênciasReflexões e interferências
Reflexões e interferências
 
D 11.pptx
D 11.pptxD 11.pptx
D 11.pptx
 

Mais de ma.no.el.ne.ves

Segunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: LiteraturaSegunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: Literaturama.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologiasSegunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologiasma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileirasSegunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileirasma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação FísicaSegunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Físicama.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textualSegunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textualma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticaisSegunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticaisma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: ArtesSegunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artesma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e TecnologiasENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e Tecnologiasma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileirasENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileirasma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos GramaticaisENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos Gramaticaisma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação FísicaENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação Físicama.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão TextualENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão Textualma.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e InternetTerceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internetma.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: LiteraturaTerceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literaturama.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação FísicaTerceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Físicama.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão TextualTerceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textualma.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: ArtesTerceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artesma.no.el.ne.ves
 
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010ma.no.el.ne.ves
 

Mais de ma.no.el.ne.ves (20)

Segunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: LiteraturaSegunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologiasSegunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileirasSegunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação FísicaSegunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textualSegunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticaisSegunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: ArtesSegunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artes
 
ENEM-2019: Literatura
ENEM-2019: LiteraturaENEM-2019: Literatura
ENEM-2019: Literatura
 
ENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e TecnologiasENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e Tecnologias
 
ENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileirasENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileiras
 
ENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos GramaticaisENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos Gramaticais
 
ENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação FísicaENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação Física
 
ENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão TextualENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão Textual
 
ENEM-2019: Artes
ENEM-2019: ArtesENEM-2019: Artes
ENEM-2019: Artes
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e InternetTerceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: LiteraturaTerceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação FísicaTerceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão TextualTerceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: ArtesTerceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artes
 
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
 

Treinamento de questões abertas de literatura, 01

  • 1. treinamento de questões abertas Literatura 01 Manoel Neves
  • 2. INSTRUÇÃO treinamento de questões abertas 01 Leia  os  textos  a  seguir.  
  • 3. TEXTO 01 treinamento de questões abertas CANÇÃO  DO  EXÍLIO,  Gonçalves  Dias   Minha  terra  tem  palmeiras,   Minha  terra  tem  primores,   Onde  canta  o  Sabiá;   Que  tais  não  encontro  eu  cá;   As  aves,  que  aqui  gorjeiam,   Em  cismar  –  sozinho,  à  noite  –   Não  gorjeiam  como  lá.   Mais  prazer  encontro  eu  lá;   Minha  terra  tem  palmeiras,   Nosso  céu  tem  mais  estrelas,   Onde  canta  o  Sabiá.   Nossas  várzeas  têm  mais  flores,   Nossos  bosques  têm  mais  vida,   Não  permita  Deus  que  eu  morra,     Nossa  vida  mais  amores.   Sem  que  eu  volte  para  lá;     Em  cismar,  sozinho,  à  noite,   Sem  que  desfrute  os  primores     Mais  prazer  encontro  eu  lá;   Que  não  encontro  por  cá;     Minha  terra  tem  palmeiras,   Sem  qu’inda  aviste  as  palmeiras,     Onde  canta  o  Sabiá.   Onde  canta  o  Sabiá.   DIAS,  Gonçalves.    Canção  do  exílio.  In.  Primeiros  cantos.  Porto  Alegre:  L&PM,  2003.  
  • 4. TEXTO 02 treinamento de questões abertas VOU-­‐ME  EMBORA  PRA  PASÁRGADA,  Manuel  Bandeira   Vou-­‐me  embora  pra  Pasárgada   Lá  sou  amigo  do  rei   Lá  tenho  a  mulher  que  eu  quero   Na  cama  que  escolherei   Vou-­‐me  embora  pra  Pasárgada   Vou-­‐me  embora  pra  Pasárgada   Aqui  eu  não  sou  feliz   Lá  a  existência  é  uma  aventura   De  tal  modo  inconseqüente   Que  Joana  a  Louca  de  Espanha   Rainha  e  falsa  demente   Vem  a  ser  contraparente   Da  nora  que  nunca  ^ve  
  • 5. TEXTO 02 treinamento de questões abertas VOU-­‐ME  EMBORA  PRA  PASÁRGADA,  Manuel  Bandeira   E  como  farei  ginás^ca   Andarei  de  bicicleta   Montarei  em  burro  brabo   Subirei  no  pau-­‐de-­‐sebo   Tomarei  banhos  de  mar!   E  quando  es^ver  cansado   Deito  na  beira  do  rio   Mando  chamar  a  mãe-­‐d’água   Pra  me  contar  histórias   Que  no  tempo  de  eu  menino   Rosa  vinha  me  contar   Vou-­‐me  embora  pra  Pasárgada    
  • 6. TEXTO 02 treinamento de questões abertas VOU-­‐ME  EMBORA  PRA  PASÁRGADA,  Manuel  Bandeira   Em  Pasárgada  tem  tudo   É  outra  civilização   Tem  um  processo  seguro   De  impedir  a  concepção   Tem  telefone  à  vontade   Tem  alcalóide  à  vontade   Tem  pros^tutas  bonitas   Para  a  gente  namorar   E  quando  eu  es^ver  mais  triste   Mas  triste  de  não  ter  jeito   Quando  de  noite  me  der   Vontade  de  me  matar   –  Lá  sou  amigo  do  rei  –   Terei  a  mulher  que  eu  quero   Na  cama  que  escolherei   Vou-­‐me  embora  pra  Pasárgada.     BANDEIRA,  Manuel.  Meus  poemas  preferidos.  Rio  de  Janeiro:  Nova  Fronteira,  2007.  
  • 7. QUESTÃO 01 treinamento de questões abertas 01 Redija  um  breve  texto,  explicando  como  os  dois  poemas  trabalham  a  ideia  de  utopia.  
  • 8. ANALISANDO O COMANDO treinamento de questões abertas 01 explicar:  aprofundar-­‐se  no  estudo  de  um  objeto;   utopia:  projeto  de  natureza  irrealizável;  ideia  generosa,  porém  impra^cável;  quimera,  fantasia  
  • 9. PLANEJANDO A RESPOSTA treinamento de questões abertas 01 GONÇALVES  DIAS   MANUEL  BANDEIRA   utopia:  Brasil   utopia:  Pasárgada   lugar  perfeito,  idealizado,  grandioso   lugar  no  qual  o  locutor  pode  realizar  desejos   parâmetro:  natureza  [exuberante,  melhor  do  mundo]  parâmetro:  amor,  a^vidade  gsica,  contato  com  o  Outro   exemplo:  céu,  bosques,  várzeas   com  o  poder,  aspectos  da  infância  e  da  cultura  popular;   tempo:  passado   tempo:  futuro   exemplo:  Não  permita  Deus  q  eu  morra  s;  q  eu  volte...   exemplo:  verbos  no  futuro  do  presente  na  3ª.estrofe   longe  de  sua  pátria,  o  locutor  manifesta  o  desejo   no  presente,  o  locutor  não  pode  viver  de  forma  livre   de  voltar  para  o  lugar  onde  nascera.   por  isso,  o  locutor  constrói  um  lugar  utópico    
  • 10. TEXTO treinamento de questões abertas EGO  DE  MONA  KATEUDO,  Mário  Faus^no   Dor,  dor  de  minha  alma,  é  madrugada   E  aportam-­‐me  lembranças  de  quem  amo.   E  dobram  sonhos  na  mal-­‐estrelada   Memória  arfante  donde  alguém  que  chamo   Para  outros  braços  cardiais  me  nega   Restos  de  rosa  entre  lençóis  de  olvido.   Ao  longe  ladra  um  coração  na  cega   Noite  ambulante.  E  escuto-­‐te  o  mugido,   Oh  vento  que  meu  cérebro  aleitaste,   Tempo  que  meu  des^no  ruminaste.   Amor,  amor,  enquanto  luzes,  puro,   Dormido  e  claro,  eu  velo  em  vasto  escuro,   Ouvindo  as  asas  roucas  de  outro  dia   Cantar  sem  despertar  minha  alegria   FAUSTINO,  Mário.  O  homem  e  sua  hora  e  outros  poemas.  São  Paulo:  Companhia  das  Letras,  2010.  p.  89.  
  • 11. QUESTÃO 02 treinamento de questões abertas 01 (UFMG-­‐2011)  Iden^fique  três  aspectos  que  caracterizam  esse  poema  como  um  soneto.  
  • 12. ANÁLISE E RESOLUÇÃO treinamento de questões abertas 01 14  versos;   métrica  [versos  decassílabos];   rimas  alternadas;   vocabulário  elaborado;   tratamento  elevado  do  tema.  
  • 13. INSTRUÇÃO treinamento de questões abertas 01 Leia  o  poema  a  seguir.  
  • 14. TEXTO treinamento de questões abertas REFLEXO  CONDICIONADO,  Cacaso   pense  rápido:   produto  interno  bruto   ou     brutal  produto  interno?   CACASO.  Reflexo  condicionado.  In.:  HOLANDA,  Heloísa  Buarque  de.  26  poetas  hoje.  Rio  de  Janeiro:  Aeroplano,  2001.  
  • 15. QUESTÃO 03 treinamento de questões abertas 01 Redija  um  breve  texto,  indicando  quais  as  funções  da  linguagem  aparecem  no  texto  de  Cacaso  e   analisando  os  efeitos  ob^dos  pelo  uso  das  funções  no  poema.  
  • 16. ANÁLISE E RESOLUÇÃO treinamento de questões abertas 01 indicando as funções conaKva  ou  apelaKva:  pense  rápido  [o  uso  do  impera^vo  configura  um  convite  ao  leitor];   referencial  ou  denotaKva:  produto  interno  bruto  [apresenta  um  conceito,  uma  informação];   poéKca  ou  estéKca:  brutal  produto  interno  [transforma  o  conceito  exposto  anteriormente];   indicando as funções cri^cam-­‐se  os  custos  que  foram  responsáveis  pela  elevação  do  PIB  durante  o  Milagre  Econômico   cri^cam-­‐se  a  violência  e  a  arbitrariedade  do  regime  polí^co  implementado  em  1964.  
  • 17. INSTRUÇÃO treinamento de questões abertas 01 Leia  o  texto  a  seguir.  
  • 18. TEXTO treinamento de questões abertas FESTA  DA  PENHA,  Waldo  Mowa   Em  meio  aos  romeiros,  que  nem  santas,   lá  vai  o  Bicharéu  rumo  ao  Convento.   Tanto  fervor  e  sacrigcio  compensa,   no  caminho  a  pegação  é  óóó-­‐^-­‐ma!   MOTTA,  Waldo.  Transpaixão.  Vitória:  EDUFES,  2008.  
  • 19. QUESTÃO 04 treinamento de questões abertas 01 Num  breve  texto,  analise  os  elementos  responsáveis  pela  produção  de  sen^do  no  poema  “Festa   da  Penha”,  de  Waldo  Mowa.  
  • 20. ANÁLISE treinamento de questões abertas 01 o  poema  de  Waldo  Mowa  opera  com  dois  recursos  linguís^cos  expressivos   exploração  dos  sen^dos  literal  e  figurado  das  palavras   uso  de  1  mesma  palavra  em  dois  campos  de  sen^do  
  • 21. RESOLUÇÃO treinamento de questões abertas 01 exploração da ambiguidade inúmeras  palavras  aparecem  usadas  nos  sen^dos  denota^vo  e  conota^vo   penha:  nome  de  santa  católica  [denotação];  referência  indireta  ao  pênis  [fonemas  +  forma]   santa:  mulher  d  moral  elevada  [denotação];  nome  dado  a  homossexuais  masculinos  [conotação]   bicharéu:  grupo  de  bichos,  por  analogia  com  povaréu  [denotação];  bichas  culpadas  [conotação]   a exploração de campos semânticos o  locutor  do  poema  faz  uma  seleção  de  palavras  que  remetem,  paradoxalmente,  aos  campos   semân^cos  rela^vos  à  religião  e  à  [homos]sexualidade:   penha,  santas,  fervor  e  sacrigcio,  pegação.  
  • 22. INSTRUÇÃO treinamento de questões abertas 01 Leia  com  atenção  os  versos  que  se  seguem,  dos  poemas  "Soneto"  e  "É  ela!  É  ela!  É  ela!  É  ela!",   da  obra  Lira  dos  vinte  anos,  de  Álvares  de  Azevedo.  
  • 23. TEXTO 01 treinamento de questões abertas 01 SONETO   Pálida,  à  luz  da  lâmpada  sombria,   Sobre  o  leito  de  flores  reclinada,   Como  a  lua  por  noite  embalsamada,   Entre  as  nuvens  do  amor  ela  dormia!   Era  a  virgem  do  mar!  Na  escuma  fria   Pela  maré  das  águas  embalada!   Era  um  anjo  entre  nuvens  d’alvorada   Que  em  sonhos  se  banhava  e  se  esquecia!   AZEVEDO,  Álvares  de.  Lira  dos  vinte  anos.  Belo  Horizonte:  Ita^aia,  1999.  
  • 24. TEXTO 02 treinamento de questões abertas 01 É  ELA!  É  ELA!  É  ELA!  É  ELA!   É  ela!  é  ela!  murmurei  tremendo,     E  o  eco  ao  longe  murmurou  -­‐  é  ela!     Eu  a  vi...  minha  fada  aérea  e  pura  -­‐     A  minha  lavadeira  na  janela!   Afastei  a  janela,  entrei  medroso...     Palpitava-­‐lhe  o  seio  adormecido...     Fui  beijá-­‐la...  roubei  do  seio  dela     Um  bilhete  que  estava  ali  me^do...   AZEVEDO,  Álvares  de.  Lira  dos  vinte  anos.  Belo  Horizonte:  Ita^aia,  1999.  
  • 25. QUESTÃO 05 treinamento de questões abertas 01 (UFMG-­‐1997)   REDIJA   um   texto,   mostrando   as   diferentes   percepções   da   mulher   manifestadas   nos  versos  dos  dois  poemas.  
  • 26. ANÁLISE treinamento de questões abertas 01 a  obra  de  Álvares  de  Azevedo  se  constrói  a  par^r  de  um  binômio:   a  idealização  român^ca  [face  de  Ariel]   a  desidealização  român^ca  [face  de  Caliban]  
  • 27. RESOLUÇÃO treinamento de questões abertas 01 a idealização romântica no  “Soneto”,  notam-­‐se  aspectos  da  idealização  român^ca  [face  de  Ariel]   cor  branca,  idealizada,  indisponível  [medo  de  amar:  medo  de  envolver  afe^vamente/sofrer]   citações  [pálida  à  luz  da  lâmpada  sombria;  leito  de  flores  embalsamada,  dormia]   [virgem  do  mar,  em  sonhos  se  banhava  e  se  esquecia]   a desidealização romântica em  “É  ela,  é  ela,  é  ela”,  notam-­‐se  aspectos  da  desidealização  român^ca  [face  de  Caliban]   a  desidealização  se  manifesta  principalmente  por  intermédio  da  ironia  românFca  que  apresenta   a  mulher  desidealizada  [dormia  com  um  ferro  de  passar  roupas  na  mão  e  roncando]  e  disponível   para  ao  sexo  [o  sujeito  poé^co  não  se  compraz  em  olhá-­‐la,  mas  beija-­‐a  em  sua  incursão]  
  • 28. INSTRUÇÃO treinamento de questões abertas 01 Leia  os  dois  poemas  de  Gregório  de  Matos.  
  • 29. TEXTO 01 treinamento de questões abertas 01 SONETO   Nasce  o  Sol,  e  não  dura  mais  que  um  dia,   Depois  da  Luz  se  segue  a  noite  escura,   Em  tristes  sombras  morre  a  formosura,   Em  con€nuas  tristezas  a  alegria.     Porém,  se  acaba  o  Sol,  por  que  nascia?   Se  é  tão  formosa  a  Luz,  por  que  não  dura?   Como  a  beleza  assim  se  transfigura?   Como  o  gosto  da  pena  assim  se  fia?   Mas  no  Sol,  e  na  Luz  falte  a  firmeza,   Na  formosura  não  se  dê  constância,   E  na  alegria  sinta-­‐se  tristeza.   Começa  o  mundo  enfim  pela  ignorância,   E  tem  qualquer  dos  bens  por  natureza   A  firmeza  somente  na  inconstância.   MATOS,  Gregório  de.  Antologia  poéFca.  Porto  Alegre:  L&PM,  2005.  
  • 30. TEXTO 02 treinamento de questões abertas 01 SONETO   Discreta,  e  formosíssima  Maria,   Enquanto  estamos  vendo  a  qualquer  hora   Em  tuas  faces  a  rosada  Aurora,   Em  teus  olhos,  e  boca  o  Sol,  e  o  dia:   Enquanto  com  gen^l  descortesia   O  ar,  que  fresco  Adônis  te  namora,   te  espalha  a  rica  trança  voadora,   Quando  vem  passear-­‐te  pela  fria:   Goza,  goza  da  flor  da  mocidade,   Que  o  tempo  trota  a  toda  ligeireza,   E  imprime  em  toda  a  flor  sua  pisada.   Oh  não  aguardes  que  a  madura  idade   te  converta  em  flor,  essa  beleza   Em  terra,  em  cinza,  em  pó,  em  sombra,  em  nada.     MATOS,  Gregório  de.  Antologia  poéFca.  Porto  Alegre:  L&PM,  2005.  
  • 31. QUESTÃO 06 treinamento de questões abertas 01 (UFMG-­‐1999)   REDIJA   um   texto,   explicando   como   ideias   comuns   aos   dois   poemas   jus^ficam   o   conselho  dado  pelo  poeta  no  segundo  poema.  
  • 32. ANÁLISE treinamento de questões abertas 01 a  temá^ca  em  comum  aos  dois  poemas  é  a  constatação  da  fugacidade  da  vida   poema 01 a  constatação  aparece  basicamente  na  primeira,  na  terceira  e  na  quarta  estrofes  [citar]:   a  fugacidade  da  vida  deixa  o  locutor  angus^ado,  tenso  [grande  volume  de  interrogações,  citar]   poema 02 a  constatação  de  que  a  vida  é  passageira  aparece  na  quarta  estrofe  [citar]   o  convite  para  aproveitar  a  vida  é  feito  na  terceira  estrofe  [citar]   o comando nos  dois  poemas,  há  a  constatação  de  que  a  vida  e  a  beleza  feminina  são  passageiras   ante  tal  realidade,  o  locutor  convida  a  mulher  para  aproveitar  a  vida  [terceira  estrofe]   a  tensão  barroca,  no  segundo  poema,  advém  do  fato  de  que,  segundo  o  locutor  do  poema,   a  beleza  da  mulher  não  só  vai  acabar,  mas  ela  também  irá  fanar,  morrer.  
  • 33. INSTRUÇÃO treinamento de questões abertas 01 Leia  a  passagem  a  seguir,  extraída  de  Nove  noites,  de  Bernardo  Carvalho,  e  o  poema  “Erro  de   português”,  de  Oswald  de  Andrade.  
  • 34. TEXTO 01 treinamento de questões abertas 01 No   final   da   tarde   em   que   chegamos,   logo   depois   de   me   instalar,   saí   à   procura   do   antropólogo   e   do  seu  filho,  que  ficaram  em  outra  casa.  Encontrei-­‐os  de  short  e  sandália  havaiana  (em  Roma   como   os   romanos),   com   os   corpos   pintados   de   urucum,   sentados   em   frente   à   casa   do   pajé,   Afonso   Cupõ,   um   sujeito   enorme,   sempre   sorrindo,   com   cara   de   bonachão,   e   que   em   geral   não   dizia   nada   mas   que,   no   dia   seguinte,   bêbado,   acabou   me   encurralando   num   canto   e   me   fez   prometer  que  lhe  daria  cinquenta  reais  antes  de  ir  embora.   CARVALHO,  Bernardo.  Nove  noites.  São  Paulo:  Companhia  das  Letras,  2001.  
  • 35. TEXTO 02 treinamento de questões abertas 01 ERRO  DE  PORTUGUÊS,  Oswald  de  Andrade   Quando  o  português  chegou   Debaixo  de  uma  bruta  chuva   Ves^u  o  índio.   Que  pena   Fosse  uma  manhã  de  sol   O  índio  ^nha  despido   O  português.   ANDRADE,  Oswald  de.  Pau-­‐Brasil.  São  Paulo:  Globo,  1999.  
  • 36. QUESTÃO 07 treinamento de questões abertas 01 Redija  um  texto,  confrontando  o  poema  de  Oswald  de  Andrade  e  o  fragmento  do  romance  de   Bernardo  Carvalho,  levando-­‐se  em  consideração  os  aspectos  temá^cos  e  formais.  
  • 37. ANÁLISE treinamento de questões abertas 01 os  dois  textos  abordam  como  a  colonização  a^nge  e  modifica  a  cultura  indígena  
  • 38. ANÁLISE treinamento de questões abertas 01 texto 01 texto  narra^vo  em  prosa,  com  predomínio  da  denotação,  em  que  se  expõe  ironicamente  o   modo  como  os  índios  se  vestem  e  revela  os  males  trazidos  pela  civilização  [dinheiro,  álcool]   texto 02 texto  narra^vo  em  versos,  com  predomínio  da  conotação   a  chuva  é  associada  ao  colonizador  [frio  e  tristeza];  o  sol  é  associado  ao  elemento  americano   denotando  alegria  e  vivacidade;  o  locutor  do  poema  posiciona-­‐se  explicitamente  contra  a   colonização  [que  pena];  o  €tulo  deve  ser  lido  conota^vamente:  o  erro  do  português  é  a   colonização  em  si;  a  chegada  do  branco  resulta  em  perda  da  iden^dade  do  silvícola.