SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 57
linguagem, códigos e suas tecnologias
ENEM 2010: Simulado Objetivo
              Manoel Neves
INSTRUÇÃO
                                 Simulado do Objetivo
Observe o pequeno glossário abaixo, que contém algumas das abreviações mais usadas na linguagem
da internet, conhecida como “internetês”.

                                   bjs: beijos.
                                   blz: beleza.
                                   fds: final de semana.
                                   flw: falou.
                                   fmz: firmeza.
                                   kd: cadê.
                                   ñ: não.
                                   net: internet.
                                   pq: porque.
                                   q: que.
                                   tb: também.
                                   tc: teclar.
                                   vc: você.
QUESTÃO 01
                                       Simulado do Objetivo
          Assinale a alternativa que apresenta argumento em defesa da utilização do internetês.
“O internetês – expressão grafolinguística criada na internet pelos adolescentes na última década – foi durante
algum tempo um bicho de sete cabeças para gramáticos e estudiosos da língua. Eles temiam que as abreviações
fonéticas (onde ‘casa’ vira ksa; e ‘aqui’ vira aki) comprometessem o uso da norma culta do português para além
das fronteiras cibernéticas.” (Fabiano Rampazzo)
“Alguns jovens falam com três ou mais amigos simultaneamente em um programa de mensagens instantâneas
enquanto escrevem um e-mail, baixam um vídeo, ouvem música e ainda escrevem no Word (...). São impacientes.
Não são pessoas acostumadas a ler extensos romances do começo ao fim. Estão acostumados com a linguagem
da internet, concisa e objetiva.” (Adalton Ozaki)

“Muitas pessoas veem no internetês – essa espécie de ‘língua’ oficial dos jovens conectados – um mal iminente, à
espreita para corromper a forma padrão do idioma e tornar o patrimônio da língua uma grande sala de bate-papo,
repleta de flw[‘falou’], blz[‘beleza’] e demais abreviações que, em geral, os adolescentes usam para comunicar-se.”
(Edgard Murano)
“Apenas para se ter uma ideia da quantidade de informações veiculada por esses milhões de usuários, a Microsoft
estima que sejam trocadas 8,2 bilhões de mensagens por dia em todo o mundo por meio do MSN, popular
programa de troca de mensagens criado pela empresa de Bill Gates.” (Edgard Murano)
“Ferramentas como esta [MSN], entre outras, baseadas na escrita, que a internet oferece, têm acelerado o
processo de comunicação entre as pessoas, influenciando a relação delas com a palavra e resgatando o valor do
texto escrito como há muito não se via.” (Edgard Murano)
QUESTÃO 01
                                       Simulado do Objetivo
                                 ANALISANDO A QUESTÃO
Na alternativa “a”, fala-se das preocupações dos gramáticos com o internetês, tais como o temor de que as
abreviações comprometam o uso da língua fora dos limites virtuais.
Na alternativa “b”, ao abordar o internetês, o locutor utiliza as palavras concisa e objetiva para caracterizá-lo. Os
conceitos referidos pelas palavras em destaque são subjetivos [modalizadores] e indicam que o locutor faz uma
avaliação positiva do linguajar usado pelos jovens na internet.
Na alternativa “c”, a linguagem utilizada pelos jovens na internet aparece associada ao advérbio de modo mal e ao
verbo corromper. Trata-se de modalizadores que caracterizam negativamente o internetês.
Na alternativa “d”, o assunto abordado não é o internetês, e sim o fluxo de informações trocadas via msn.
Na alternativa “e”, fala-se que o msn acelera a comunicação e resgata o valor do texto escrito. Atente-se para o fato de
que as expressões destacadas revelam que o locutor faz uma avaliação positiva do uso do msn e não da linguagem
que se utiliza na internet. Por isso, deve-se assinalar a alternativa “b”.
INSTRUÇÃO
                           Simulado do Objetivo
Texto para a questão 02.
                           Minha terra tem palmeiras
                           Onde sopra o vento forte
                           Da fome, do medo e muito
                            Principalmente da morte.
QUESTÃO 02
                                        Simulado do Objetivo
O texto anterior, extraído de “Marginália 2” (1968), composição musical de Gilberto Gil e Torquato
Neto, é paródia do “Canção do Exílio” (1843), de Gonçalves Dias, porque
imita o poema romântico, alterando seu tom e seu teor.
utiliza o mesmo esquema de rimas do referido poema do século XIX.

apresenta a mesma temática idealizadora comum entre os românticos.

imita a métrica do consagrado poema romântico.
com sua linguagem popular ridiculariza a linguagem culta de Gonçalves Dias .

                                ANALISANDO A QUESTÃO
A paródia é uma modalidade intertextual em que o diálogo com o texto primeiro se dá por intermédio de uma
ruptura ideológica. O texto “Marginália 2”, de Gilberto Gil e de Torquato Neto, associa o elemento natural
[palmeira] do texto de Gonçalves Dias à fome, ao medo e à morte. Se o discurso dos dois textos é nacionalista
[falam do Brasil] e nativista [alude-se à natureza], no texto tropicalista entrevê-se uma leitura crítica da realidade
política e social, o que caracteriza a ruptura com o modelo ufanista da literatura romântica.
QUESTÃO 03
                                      Simulado do Objetivo
       O termo destacado que está empregado em seu sentido próprio, denotativo, ocorre em:
O baque do corpo no chão chamou a atenção do vizinho, moço do interior de São Paulo, inquilino recente do
apartamento do andar de baixo. [Dráuzio Varella]
O pirralho não se mexeu, e Fabiano desejou matá-lo. Tinha o coração grosso, queria responsabilizar alguém pela
                                                                    grosso
sua desgraça. [Graciliano Ramos]
A porta envidraçada estava aberta; e subimos pela escadaria de pedra, no imenso silêncio em que toda a Flor da
Malva repousava, até a antecâmara, de altos tetos apainelados, com longos bancos de pau, onde desmaiavam na
sua velha pintura as complicadas armas dos Cerqueiras. [Eça de Queirós]
José Dias fez um gesto de aborrecido, e apenas lhe respondeu com uma palavra seca, olhando para o padre que
                                                                             seca
lavava as mãos. [Machado de Assis]
Crimes da terra, como perdoá-los?
Tomei parte em muitos, outros escondi.
Alguns achei belos, foram publicados.
Crimes suaves, que ajudam a viver.
Ração diária de erro, distribuída em casa. [Drummond]
QUESTÃO 03
                                      Simulado do Objetivo
                                ANALISANDO A QUESTÃO
As palavras grosso, desmaiavam, seco e ração relacionam-se, respectivamente, com coração, armas, palavra e erro. Como
não estão empregadas no sentido próprio, real, do dicionário, aparecem usadas, pois, no sentido conotativo.
Assinale-se, pois, a alternativa “a”, porque um corpo pode, sim, cair, sofrer uma queda, um baque.
QUESTÃO 04
                                  Simulado do Objetivo
Texto para a questão 04.

        Todos os grandes artistas, ora consciente [...], ora inconscientemente [...], foram
        deformadores da natureza. Donde infiro que o belo artístico será tanto mais artístico,
        tanto mais subjetivo quanto mais se afastar do belo natural.
Qual das obras seguintes melhor representa a concepção de arte distante do “natural”, proposta pelo
modernista Mário de Andrade?
Condessa de Cinchón, Goya
Mulher sentada, Picasso
Dama com o arminho, Da Vinci
Dama na cidade, Renoir
Camille, Monet
QUESTÃO 04
                                     Simulado do Objetivo
                               ANALISANDO A QUESTÃO
A subjetividade referida por Mário de Andrade é mais facilmente percebida na reprodução do quadro de Pablo
Picasso. Atentando à imagem, é possível perceber o uso da técnica do recorte e colagem, que permite ver o rosto da
personagem tanto de frente, quanto de perfil. Ademais, pode-se perceber que a mão direita da mulher
representada parece estar, simultaneamente, com os dedos apoiados na cadeira e com a palma voltada para o
corpo.
Além da técnica de recorte e colagem, pode-se perceber, na imagem, a técnica cubista da decomposição do
objeto em múltiplos planos.

Nas demais imagens, percebe-se um grau de verossimilhança maior que na tela de Picasso. Enquanto esta rompe
abertamente com a noção de fidelidade na representação do Real, aquelas se aproximam tanto da realidade que
poderiam passar por retratos.
QUESTÃO 05
                                           Simulado do Objetivo
Na linguagem falada informal, usa-se o verbo ter como impessoal, com as mesmas características do
verbo haver no sentido de “existir”.
Assinale a alternativa em que ocorre esse emprego.
Ele não tem chance de vencer o concurso.

Li um anúncio que tem umas propostas bem tentadoras.
No Brasil, tem 32 milhões de pessoas que passam fome.

Sabe que você tem razão, Ana?
João Cabral tem um estilo seco e duro.

                                  ANALISANDO A QUESTÃO
O verbo ter, segundo a norma culta, significa possuir. A substituição do referido vocábulo por seu sinônimo só
não é possível na alternativa “c”. Na língua culta, a frase No Brasil, tem 32 milhões de pessoas que passam fome admite
duas reescritas, a saber: O Brasil tem 32 milhões de pessoas que passam fome e No Brasil, há 32 milhões de pessoas que passam
fome.
INSTRUÇÃO
                                    Simulado do Objetivo
Texto para a questão 06.
                                 CRÔNICA FAMILIAR, Eduardo Galeano

        Em Assunção do Paraguai, morreu a tia mais querida de Nicolás Escobar. Morreu serenamente,
        em casa, enquanto dormia. Quando soube que perdera a tia, Nicolás tinha seis anos de idade e
        milhares de horas de televisão. E perguntou:
       — Quem a matou?
QUESTÃO 06
                                          Simulado do Objetivo
O assunto de uma crônica pode ser uma experiência pessoal do cronista, uma informação obtida por
ele ou um caso imaginário. O modo de apresentar o assunto também varia: pode ser uma descrição, uma
exposição de argumentos ou uma narrativa. A finalidade pretendida pode ser promover uma reflexão,
definir um sentimento ou tão somente provocar o riso.
Em “Crônica familiar”, Eduardo Galeano vale-se dos seguintes elementos:
               assunto                            modo de apresentar                            finalidade

         experiência pessoal                           exposição                           promover reflexão
         experiência pessoal                            narrativa                             provocar riso

         informação colhida                            descrição                         definir um sentimento

         informação colhida                             narrativa                          promover reflexão

           caso imaginário                             descrição                              provocar riso

                                 ANALISANDO A QUESTÃO
A crônica é um gênero textual narrativo. Trata-se do único texto literário baseado em eventos reais. Caracteriza-
se, ainda, por apresentar linguagem trabalhada [figurada]. Pode ser jornalística, filosófica, lírica, política ou social.
Em tempo: o texto de Galeano visa a fazer uma reflexão sobre a influência da TV na vida moderna.
QUESTÃO 07
                                        Simulado do Objetivo
A gradação é uma figura de linguagem que consiste em apresentar as ideias em ordem crescente ou
decrescente. Observe a seguir um exemplo de gradação, extraído de Quincas Borba, de Machado de
Assis; depois, assinale dentre as alternativas aquela em que este tipo de recurso aparece.
Cotejava o passado com o presente. Que era, há um ano? Professor. Que é agora? Capitalista. Olha para si, para as
chinelas (umas chinelas de Túnis, que lhe deu recente amigo, Cristiano Palha), para a casa, para o jardim, para a
enseada, para os morros e para o céu; e tudo, desde as chinelas até o céu, tudo entra na mesma sensação de
propriedade.
De que importa, se aguarda sem defesa/ Penha a nau, ferro a planta, tarde a rosa? (Gregório de Matos)

Minha família anda longe,/ [..] / uns dançando pelos ares,/ outros perdidos no chão. (Cecília Meireles)

Um homem vai devagar./ Um cachorro vai devagar./ Um burro vai devagar.// Devagar... as janelas olham.
(Carlos Drummond de Andrade)
E o olhar estaria ansioso esperando/ e a cabeça ao sabor da mágoa balançando/ e o coração fugindo e o coração
voltando/ e os minutos passando e os minutos passando... (Vinícius de Moraes)
E foram virando peixes/ Virando conchas/ Virando seixos/ Virando areia. (Chico Buarque)
QUESTÃO 07
                                 Simulado do Objetivo
                            ANALISANDO A QUESTÃO
A gradação consiste em pôr idéias em ordem. No fragmento citado no comando da questão, comparece no
trecho para a casa, para o jardim, para a enseada, para os morros e para o céu.
Na alternativa “e”, as palavras peixe, concha, seixo e areia remetem ao campo semântico marinho e estão
organizadas em ordem descensorial, indo do maior [peixe] para o menor [areia].
INSTRUÇÃO
                                  Simulado do Objetivo
Texto para as questões 08 a 10.
TEXTO
           Simulado do Objetivo
Calvin e Harold em “Inimigo na escola”, Bill Watterson
TEXTO
           Simulado do Objetivo
Calvin e Harold em “Inimigo na escola”, Bill Watterson
TEXTO
           Simulado do Objetivo
Calvin e Harold em “Inimigo na escola”, Bill Watterson
TEXTO
           Simulado do Objetivo
Calvin e Harold em “Inimigo na escola”, Bill Watterson
QUESTÃO 08
                                        Simulado do Objetivo
Sobre a tirinha acima, examine as seguintes afirmações:
I. As personagens utilizam, em sua conversa, formas lexicais (isto é, de palavras) e sintáticas (de construção)
típicas da linguagem coloquial brasileira.
II. Para manter a uniformidade da linguagem utilizada na tirinha, Calvin, no primeiro quadrinho, deveria dizer “eu
preciso que você vá pra escola comigo”.
III. Para estar de acordo com o padrão culto da linguagem escrita, Calvin, no primeiro quadrinho, deveria dizer
“eu preciso que você vá para a escola comigo”.

Está(ão) correta(s):
               apenas I                             apenas III                           apenas I e II

                               apenas II e III                          I, II e III
QUESTÃO 08
                                     Simulado do Objetivo
                               ANALISANDO A QUESTÃO
A tirinha apresenta coloquialismos tanto no nível da palavra [lexicais: pro, ok] quanto no nível da frase [frasais:
matar ele, faça ele, levarem ele]. Portanto, o enunciado I é correto.
Considerando que a personagem Calvin usou a forma coloquial pro, no lugar de para o, ela deveria ter usado pra,
no lugar de para a, a fim de manter uma unidade lingüística em seu registro oral. Sendo assim, estão corretas,
também, as proposições II e III.
QUESTÃO 09
                                              Simulado do Objetivo
Ainda sobre a linguagem da tirinha, pode-se afirmar que, para corresponder à norma culta da língua
portuguesa, Calvin deveria usar as construções:
I. matá-lo em vez de matar ele.
II. Só lhe faça... em vez de Só faça ele...
III. ...quando o levarem... em vez de ...quando levarem ele...
IV. ...o pega em vez de pega ele.
Estão corretas:
            apenas I, II e III.                          apenas I, II e IV.                      apenas I, III e IV.

                                  apenas II, III e IV.                        I, II, III e IV.
QUESTÃO 09
                                      Simulado do Objetivo
                                ANALISANDO A QUESTÃO
As alterações propostas nos itens I, III e IV estão corretas, pois os pronomes retos, no padrão culto da Língua
Portuguesa, funcionam como complementos. No item II, a correção proposta não respeitou regência verbal, pois
o verbo fazer é transitivo direto e os pronomes que substituem os objetos diretos são o, a, os, as. Assinale-se, pois,
a alternativa “c”.
QUESTÃO 10
                                   Simulado do Objetivo
Os desejos de Calvin a respeito de seu inimigo na escola não incluem
           a) violência.                             b) morte.                         c) moléstia grave.

                       d) procedimento hospitalar.               e) ferimentos profundos.

                             ANALISANDO A QUESTÃO
A fala da personagem Calvin, no segundo quadrinho, afirma que não quer que seu inimigo na escola morra.
Assinale-se, pois, a alternativa “b”.
QUESTÃO 11
                                       Simulado do Objetivo
Assinale a alternativa em que o sentido da preposição destacada esteja corretamente definido.
a) A criança estava trêmula de frio. (meio)
b) Viemos de ônibus. (matéria)
c) Daqui a dois quilômetros há uma farmácia. (origem)

d) Saíram bem cedo para caminhar no parque. (finalidade)
e) O sacerdote falou da fraternidade. (causa)


                                 ANALISANDO A QUESTÃO
Na alternativa a, a preposição de indica o motivo [causa] de a criança estar tremendo.
Na alternativa b, ônibus é meio de transporte usado.
Na alternativa c, a preposição a indica o limite final ou a distância [lugar].
Na alternativa d, sai-se com o objetivo [finalidade] de caminhar.
Na alternativa e, a fraternidade é o assunto da fala do sacerdote.
INSTRUÇÃO
                           Simulado do Objetivo
Texto para a questão 12.
TEXTO
Simulado do Objetivo
QUESTÃO 12
                                           Simulado do Objetivo
As falas de Jon e Garfield correspondem
à linguagem coloquial informal e à linguagem de padrão culto, respectivamente.
à giria e à língua literária, respectivamente.
a duas formas da linguagem de padrão culto.

a duas formas da gíria brasileira.
à língua portuguesa do Brasil e à de Portugal, respectivamente.


                                  ANALISANDO A QUESTÃO
Na fala de Jon, existe um desvio gramatical em relação à norma culta, pois o verbo lembrar pode ser usado sem
pronome e sem preposição [Transitivo direto: Lembrei o assunto da prova.] ou com pronome e com preposição
[Transitivo indireto: Lembrei-me do assunto da prova.] sem alteração de sentido.
TEXTO
                                      Simulado do Objetivo
Texto para a questão 13.
        No século XIX, Charles Darwin descobriu que somos filhos de macacos. Sob o impacto de sua
        própria conclusão, o autor de A origem das espécies ocultou, durante certo tempo, a sua teoria da
        evolução. Ele vivia doente, queixando-se de intensas dores de cabeça, derramando-se em vômitos
        e contraindo-se em palpitações cardíacas. Sofria os efeitos de um conflito íntimo, como quem
        somatiza um drama de consciência.
        Darwin, que sonhara ser sacerdote, fora levado por caminhos que o tornaram autor de uma teoria
        que, como a astronomia de Copérnico e Galileu, faria a Igreja vociferar também no século XIX.
        Chegou a confidenciar a seu amigo Joseph Hooker que, ao admitir o parentesco entre o ser
        humano e os símios, ficou-lhe o sentimento de culpa de quem comete um crime, um verdadeiro
        parricídio — o assassinato de Adão.
QUESTÃO 13
                                        Simulado do Objetivo
Influenciados pelas ideias de Darwin, os representantes do Naturalismo, movimento literário do
século XIX, comparavam os seres humanos a animais. Os trechos abaixo foram extraídos da obra O
Cortiço, cujo autor, Aluísio Azevedo, foi o maior representante do Naturalismo no Brasil. Assinale a
alternativa em que essa característica, conhecida como zoomorfização, não esteja presente:
“A filha tinha quinze anos, a pele de um moreno quente, beiços sensuais, bonitos dentes, olhos luxuriosos de
macaca.”
“... uma negrinha virgem, chamada Leonor, muito ligeira e viva, lisa e seca como um moleque, conhecendo de
orelha, sem lhe faltar um termo, a vasta tecnologia da obscenidade...”
“Nenen dezessete. Espigada, franzina e forte, com uma proazinha de orgulho de sua virgindade, escapando como
enguia por entre os dedos dos rapazes que a queriam sem ser para casar.”
“A primeira que se pôs a lavar foi a Leandra, por alcunha a ‘Machona’, portuguesa feroz, berradora, pulsos
cabeludos e grossos, anca de animal do campo.”
“Era um pobre-diabo caminhando para os setenta anos, antipático, cabelo branco, curto e duro, como escova,
barba e bigode do mesmo teor; muito macilento, com uns óculos redondos que lhe aumentavam o tamanho da
pupila e davam-lhe à cara uma expressão de abutre...”

                               ANALISANDO A QUESTÃO
Nas alternativas “a”, “c”, “d” e “e”, as referências a macaca, enguia, animal do campo e abutre confirmam a presença
do zoomorfismo. Atente-se a referência desmetaforizada à sexualidade nas alternativas “a”, “b”, “c” e “d”.
TEXTO
                           Simulado do Objetivo
Texto para a questão 14.
QUESTÃO 14
                                           Simulado do Objetivo
O fenômeno linguístico que se observa no último quadro da tira – redundância ou pleonasmo –
ocorre também em:
“A moça que eu disse que conhecia quer que você a contrate.”
“O presidente resolveu encarar de frente o problema da fome no Brasil.”
“Você não precisa gastar rios de dinheiro para adquirir seu carro zero.”
“Uma jovem intérprete transformou a música ‘Eu e a Brisa’ num vendaval de Itu.”
“Eu reencontrei um rapaz que fez natação comigo na praia.”

                                  ANALISANDO A QUESTÃO
A expressão encarar de frente é pleonasmo vicioso, bem como duas metades iguais, outra alternativa, elo de ligação, entre
outras. Em tempo: na linguagem poética, o pleonasmo é uma figura de reforço ou paralelismo, como se pode ver
em: Teu corpo claro e perfeito/ Teu corpo de maravilha/ Quero possuí-lo no leito/ estreito da redondilha. Neste fragmento de
“Poemeto erótico”, do poeta modernista Manuel Bandeira, o locutor, ao se referir três vezes ao corpo da mulher
amada [teu corpo, teu corpo e possuí-lo], mostra seu encantamento, sua fixação com a beleza física da amada.
TEXTO
                           Simulado do Objetivo
Texto para a questão 15.
QUESTÃO 15
                                         Simulado do Objetivo
Por meio da charge de Angeli, pode-se inferir uma crítica
à crise no funcionalismo provocada pela falta de mão-de-obra especializada.
ao excesso de especialização profissional como causa do desemprego.
à prática de contratação de parentes (nepotismo) e funcionários-fantasma.
ao enxugamento da máquina estatal, concentrador de recursos humanos.
à falta de formalidade que permeia as relações profissionais brasileiras.


                                ANALISANDO A QUESTÃO
O nepotismo pode ser percebido, na charge, por intermédio do fato de os funcionários referidos terem o mesmo
sobrenome. Nota-se, ainda, referência à contratação de funcionários-fantasma (que assumem um cargo, recebem
por ele, sem sequer aparecerem para exercer de fato a função para a qual foram nomeados), o que se percebe
pelo título “Os fantasmas se divertem” e pela ausência dos referidos funcionários no local de trabalho.
TEXTO
                           Simulado do Objetivo
Texto para a questão 15.
QUESTÃO 15
                                       Simulado do Objetivo
Assinale abaixo a alternativa que você julgar incorreta sobre o poema.
As transformações a que é submetido o slogan do refrigerante (“beba coca-cola”) fazem do texto uma espécie de
propaganda irônica ou antipropaganda.
Os verbos do texto são antitéticos, opostos, e constituem anagramas, isto é, cada um resulta da transposição das
letras do outro.
O objetivo do texto – a ampliação do consumo – é adequado ao momento de desenvolvimento econômico que o
País conheceu na década de 1950.
O texto exemplifica algumas propostas do movimento concretista, tais como a utilização do espaço tipográfico e a
disposição geométrica dos vocábulos.
O texto extrai do slogan publicitário sentidos negativos em relação à bebida, culminando na sugestão de sujeira,
imundície.

                              ANALISANDO A QUESTÃO
O Concretismo foi um movimento poético da década de 1950 [1958-1961]. Já o período em que houve
desenvolvimento econômico associado ao consumismo foram os anos 1960-1970 [de 1968 – ano em que começa
o Milagre Econômico – até 1973 – início da Crise Internacional do Petróleo –]. Assinale-se, pois, a alternativa
“c”.
TEXTO
                             Simulado do Objetivo
Texto para a questão 16.
                           VÍCIO NA FALA, Oswald de Andrade

                           Para dizerem milho dizem mio
                           Para melhor dizem mió
                           Para pior pió
                           Para telha dizem teia
                           Para telhado dizem teiado
                           E vão fazendo telhados
QUESTÃO 16
                                         Simulado do Objetivo
Sobre o texto, é incorreto dizer que
demonstra, através dos exemplos milho – mio, melhor – mió, pior – pió, que a língua popular, aparentemente
caótica, obedece a um sistema.
registra um tipo de fala “caipira”, de acordo com uma das propostas da primeira fase do Modernismo – a busca
do que seria uma “língua brasileira”.
o título “Vício na fala” é irônico, pois pode ser entendido como uma alusão ao purismo linguístico defendido
pelos conservadores e “puristas”, preocupados com a “correção” gramatical.
a suposta inadequação da fala, considerada gramaticalmente errada, não impede a eficácia da ação, já que as
pessoas continuam “fazendo telhados”.
versa sobre a ineficiência dos primeiros colonos chegados ao Brasil, que eram despreparados, rudes e ignorantes a
ponto de serem incapazes até de comunicação.

                                ANALISANDO A QUESTÃO
“Vício na fala”, de Oswald de Andrade, atende, com maestria, ao princípio da contribuição milionária de todos os erros,
referida no “Manifesto Pau-Brasil”, em que se defende no uso de uma língua natural e neológica, bastante próxima
da falada pelo brasileiro comum no dia-a-dia – como falamos, como somos.
QUESTÃO 17
                                       Simulado do Objetivo
Nas alternativas a seguir, estão transcritos versos de Fernando Pessoa. Numa delas ocorre um
paradoxo ou oxímoro, figura que combina dois conceitos opostos em uma mesma expressão (sol
negro, fogo frio, apressar-se lentamente). Aponte-a.
                          O poeta é um fingidor.              Dizem que finjo ou minto
                         Finge tão completamente               Tudo que escrevo. Não.
                        Que chega a fingir que é dor           Eu simplesmente sinto
                         A dor que deveras sente.                Com a imaginação..
                                           Dorme, que a vida é nada!
                                            Dorme, que tudo é vão!
                                           Se alguém achou a estrada,
                                             Achou-a em confusão,
                                             Com a alma enganada.
                            Não é ainda a noite                Ó sino da minha aldeia,
                            Mas é já frio o céu.               Dolente na tarde calma,
                          Do vento o ocioso açoite                Cada tua badalada
                           Envolve o tédio meu.               Soa dentro de minha alma.

                                  ANALISANDO A QUESTÃO
Apenas na alternativa “a”, há presença de paradoxo, pois o sujeito poético afirma, num primeiro momento, que
finge sentir a dor [O poeta é um fingidor/ Finge tão completamente]; em seguida, entretanto, afirma que tal dor é
verdadeira [A dor que deveras sente.].
TEXTO
                                 Simulado do Objetivo
O texto para as questões de 18 a 20 foi extraído de um conto de Machado de Assis. Nele, um bonzo
(monge) explica os fundamentos de sua doutrina:
      — Haveis de entender, começou ele, que a virtude e o saber têm duas existências
      paralelas, uma no sujeito que as possui, outra no espírito dos que o ouvem ou
      contemplam. Se puserdes as mais sublimes virtudes e os mais profundos
      conhecimentos em um sujeito solitário, remoto de todo contato com outros homens, é
      como se eles não existissem. Os frutos de uma laranjeira, se ninguém os gostar, valem
      tanto como as urzes e plantas bravias, e, se ninguém os vir, não valem nada; ou, por
      outras palavras mais enérgicas, não há espetáculo sem espectador. Um dia, estando a
      cuidar nestas cousas, considerei que, para o fim de alumiar um pouco o entendimento,
      tinha consumido os meus longos anos, e, aliás, nada chegaria a valer sem a existência
      de outros homens que me vissem e honrassem; então cogitei se não haveria um modo
      de obter o mesmo efeito, poupando tais trabalhos, e esse dia posso agora dizer que foi
      o da regeneração dos homens, pois me deu a doutrina salvadora. [...] Considerei o caso,
      e entendi que, se uma cousa pode existir na opinião, sem existir na realidade, e existir
      na realidade, sem existir na opinião, a conclusão é que das duas existências paralelas a
      única necessária é a da opinião, não a da realidade, que é apenas conveniente.
QUESTÃO 18
                                         Simulado do Objetivo
A leitura do texto permite inferir que
o saber e a virtude não necessitam de reconhecimento.
um sujeito solitário jamais será capaz de adquirir sabedoria.
o contato com outros homens é fundamental para que o indivíduo desenvolva a virtude.
a realidade de um fato é mais importante que a opinião que se tem dele.
a verdadeira essência das coisas é a sua aparência.


                                ANALISANDO A QUESTÃO
Nesta narrativa alegórica, entrevê-se que a imagem da coisa, ou o modo como ela é percebida, é mais importante
do que a coisa em si. Assinale-se, pois, a alternativa “e”.
QUESTÃO 19
                                       Simulado do Objetivo
A alternativa cuja máxima contraria a moral expressa na doutrina do bonzo é:
A mentira é tanto mais saborosa quanto mais verdadeira se afigura.
Antes sê-lo que parecê-lo.
Quem não sabe fingir não sabe governar.
Onde não há virtude não há honra.
A sabedoria começa na dúvida.


                                    ANALISANDO A QUESTÃO
A narrativa machadiana fala do conflito entre essência e aparência. Tal oposição aparece representada no
provérbio transcrito na alternativa “b”.
QUESTÃO 20
                                        Simulado do Objetivo
O texto remete a uma situação bastante atual, que é
a consideração da fama e da admiração como ingredientes fundamentais à satisfação do indivíduo.
a necessidade de o indivíduo manter-se fiel às suas virtudes, independente do julgamento alheio.
a compreensão de que só através da dissimulação o homem obterá prestígio.
a inconveniência de manipular a verdade a fim de se beneficiar.
a satisfação através do desenvolvimento intelectual.


                               ANALISANDO A QUESTÃO
Apenas a alternativa “a” aborda a oposição entre essência e aparência desenvolvida em “O segredo do bonzo”.
QUESTÃO 21
                                         Simulado do Objetivo
Os trechos transcritos nas alternativas seguintes foram extraídos de O primo Basílio, de Eça de
Queirós. Em qual deles o verbo destacado indica um processo passado anterior a outro também
passado?
“Logo no dia seguinte pôs-se a dizer consigo que era bem longe o Paraíso!”
“Tinha fechado o envelope, quando Juliana lhe veio trazer ‘uma carta do hotel’.”
“Começou imediatamente a louvar a sua devoção. Não entrara porque não quisera...”
“Fechou a sombrinha, estendeu-lhe a mão.”
                     estendeu
“Sentiu então uma voz dizer abafadamente.”

                                    ANALISANDO A QUESTÃO
O tempo verbal que indica um fato anterior a outro é o pretérito mais que perfeito e aparece na alternativa “c”.
TEXTO
                                 Simulado do Objetivo
Texto para as questões de 22 a 24.
As mães dos outros dois rapazitos esperavam imóveis e lívidas pela volta dos filhos, e, mal estes
chegaram à estalagem, cada uma se apoderou logo do seu e caiu-lhe em cima, a sová-los ambos que
metia medo.
— Mira-te naquele espelho, tentação do diabo! exclamava uma delas, com o pequeno seguro entre as
pernas a encher-lhe a bunda de chineladas. Não era aquele que devia ir, eras tu, peste! aquele,
coitado! ao menos ajudava a mãe, ganhava dois mil-réis por mês regando as plantas do Comendador,
e tu, coisa-ruim, só serves para me dar consumições! Toma! Toma! Toma!
E o chinelo cantava entre o berreiro feroz dos dois rapazes.
João Romão chegou ao terraço de sua casa, ainda em mangas de camisa, e de lá mesmo tomou
conhecimento do que acontecera. Contra todos os seus hábitos impressionou-se com a morte de
Agostinho; lamentou-a no íntimo, tomado de estranhas condolências.
Pobre pequeno! Tão novo... tão esperto... e cuja vida não prejudicava a ninguém, morrer assim,
desastradamente!... [...]
João Romão deu-lhe a notícia da morte do Agostinho e declarou que estava com dor de cabeça. Não
sabia que diabo tinha ele aquela noite, que não houve meio de pegar direito no sono.
QUESTÃO 22
                                        Simulado do Objetivo
No trecho acima, narrado em 3.ª pessoa, o narrador registra o fluxo dos pensamentos de certa
personagem, através do chamado discurso indireto livre (ou seja: as palavras da personagem são
apresentadas entre as palavras do narrador, sem verbo declarativo, como disse, pensou ou outros). A
alternativa em que se verifica esse tipo de discurso é:
“Mira-te naquele espelho, tentação do diabo! exclamava uma delas [...]”.
“Não era aquele que devia ir, eras tu, peste! aquele, coitado! ao menos ajudava a mãe, ganhava dois mil-réis por
mês regando as plantas do Comendador, e tu, coisa-ruim, só serves para me dar consumições!”
“Toma! Toma! Toma!”
“Pobre pequeno! Tão novo... tão esperto... e cuja vida não prejudicava a ninguém, morrer assim,
desastradamente!...”
“João Romão [...] declarou que estava com dor de cabeça.”

                                   ANALISANDO A QUESTÃO
A fusão da perspectiva do narrador e da personagem aparece indicada, na alternativa “d” por intermédio do uso
do ponto de exclamação. Tal sinal de pontuação foi usado sem haver marcação de fala da personagem, tal como
travessão ou aspas duplas.
QUESTÃO 23
                                   Simulado do Objetivo
Em “...mal estes chegaram à estalagem...” e “...caiu-lhe em ci ma, a sová-los ambos que metia
medo.”, as palavras destacadas expressam, respectivamente,
                                          causa e consequência.
                                         proporção e concessão.
                                       finalidade e conformidade.
                                           tempo e condição.
                                         tempo e consequência.

                               ANALISANDO A QUESTÃO
A primeira oração é temporal e a segunda, consecutiva [o medo é oriundo da sova]. Assinale-se, pois, a
alternativa “e”.
QUESTÃO 24
                                      Simulado do Objetivo
Em “Mira-te naquele espelho, tentação do diabo!”, o trecho destacado desempenha a mesma
                                         diabo
função que o trecho destacado em:
“Nós, os meninos, queríamos encontrar os estragos da cheia.” (José Lins do Rego)
         meninos
“Nós já tínhamos imaginado, mamãe e eu, fazer uma grande peregrinação.” (Graça Aranha)
                                    eu
“Não faça entrar mais ninguém hoje, Abelardo.” (Oswald de Andrade)
                                    Abelardo
“Amanhã, às oito horas, atrás da igreja.” (Antônio de Alcântara Machado)
                 horas
“Misael, funcionário da Fazenda, com 63 anos de idade.” (Manuel Bandeira)
                        Fazenda

                                  ANALISANDO A QUESTÃO
O trecho destacado no enunciado desta questão é um vocativo. Na alternativa “c”,       o elemento    virgulado é,
também, vocativo. Em tempo, nas alternativas “a”, “b” e “e”, os elementos virgulados   são apostos   explicativos;
na alternativa “d”, tem-se um adjunto adverbial.
TEXTO
                                 Simulado do Objetivo
Texto para as questões de 24 a 25.
I. O primeiro ponto é que mais de 70% dos alunos de universidades públicas proveem de famílias
cujos membros estão entre os 20% mais ricos da população. Como as universidades públicas são
financiadas por impostos pagos por toda a população, inclusive pelos pobres, no Brasil os pobres
financiam a educação universitária dos ricos.
II. Francamente: o seu concorrente adora o jeito que sua equipe se fala.
III.A orientação cultural não pode prescindir das forças de mercado, que se estruturam com tanta
dificuldade e que tem um importante papel social. A cada milhão investido em cultura, 160 novos
empregos são gerados.
QUESTÃO 25
                                          Simulado do Objetivo
Os textos acima, extraídos de jornais e de texto publicitário, apresentam transgressões à norma culta.
As correções necessárias são, respectivamente,
I: famílias onde membros; II: o jeito com que sua equipe se fala; III: não pôde prescindir.
I: alunos de universidades públicas provêm; II: como sua equipe se fala; III: e que têm.
I: Já que as universidades públicas; II: o concorrente adora o seu jeito; III: as quais se estruturam.
I: alunos de universidades públicas provem; II: com que sua equipe se fala; III: e que têm.
I: alunos de universidades públicas provêm; II: adora o jeito de sua equipe; III: 160 novos empregos serão
gerados.

                                     ANALISANDO A QUESTÃO
Em I, o verbo provir foi conjugado inadequadamente, como se fosse derivado de ver [enxergar] e não de vir
[deslocar-se]
Em II, há um erro de regência nominal, na medida em que a palavra jeito, neste contexto frasal, requer o uso da
preposição com.

Em III, a palavra que [pronome relativo] é um elemento de retomada que se refere a forças de mercado Por isso
mesmo, o referido pronome [que substitui forças de mercado], por ser sujeito da forma verbal “tem”, deveria levar o
verbo para o plural, posto que os verbos ter e vir devem receber acento circunflexo, quando na terceira pessoa do
plural do presente do indicativo.
QUESTÃO 26
                                      Simulado do Objetivo
Releia o fragmento abaixo.
Como as universidades públicas são financiadas por impostos pagos por toda a população, inclusive
pelos pobres, no Brasil os pobres financiam a educação universitária dos ricos.
A relação semântica que se estabelece entre as orações do período acima é de
                                              causa e consequência.
                                                   comparação
                                                      adição
                                                  conformidade
                                                    finalidade

                                   ANALISANDO A QUESTÃO
Se considerarmos que, primeiro, a população paga os impostos, e que, depois, tais tributos são usados para
financiar a educação universitária dos ricos, poderemos afirmar que a relação existente entre as orações é de causa
e consequência.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Passos para uma boa redação
Passos para uma boa redaçãoPassos para uma boa redação
Passos para uma boa redaçãoSinara Lustosa
 
Texto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativoTexto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativoCicero Luciano
 
Literatura de cordel
Literatura de cordelLiteratura de cordel
Literatura de cordelGracita Fraga
 
Aula de Revisão para a redação do Enem
Aula de Revisão para a redação do EnemAula de Revisão para a redação do Enem
Aula de Revisão para a redação do EnemJoão Mendonça
 
Análise de redação nota 1000.pptx
Análise de redação nota 1000.pptxAnálise de redação nota 1000.pptx
Análise de redação nota 1000.pptxProfaGiomaraGomes
 
Habilidades bncc 6ano ao 9ano
Habilidades bncc  6ano ao 9anoHabilidades bncc  6ano ao 9ano
Habilidades bncc 6ano ao 9anoMauro Cesar Silva
 
A estrategia argumentativa
A estrategia argumentativaA estrategia argumentativa
A estrategia argumentativaLuciana Monteiro
 
Variação linguistica aulão
Variação linguistica   aulãoVariação linguistica   aulão
Variação linguistica aulãoeeepadrianonobre
 
Texto argumentativo exemplo
Texto argumentativo exemploTexto argumentativo exemplo
Texto argumentativo exemploFJDOliveira
 
Ortografia c ç s ss x
Ortografia c ç s ss xOrtografia c ç s ss x
Ortografia c ç s ss xEdson Alves
 
Descritores de Língua Portuguesa
Descritores de Língua PortuguesaDescritores de Língua Portuguesa
Descritores de Língua PortuguesaEdileusa Camargo
 
Ementa Ensino Médio
Ementa Ensino MédioEmenta Ensino Médio
Ementa Ensino MédioCamilaClivati
 
Contextualização redação Enem
Contextualização redação EnemContextualização redação Enem
Contextualização redação EnemRogriaAguiar1
 

Mais procurados (20)

Passos para uma boa redação
Passos para uma boa redaçãoPassos para uma boa redação
Passos para uma boa redação
 
Texto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativoTexto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativo
 
Literatura de cordel
Literatura de cordelLiteratura de cordel
Literatura de cordel
 
Gênero notícia
Gênero notíciaGênero notícia
Gênero notícia
 
Ponto 6 tipologia textual
Ponto 6   tipologia  textualPonto 6   tipologia  textual
Ponto 6 tipologia textual
 
Aula de Revisão para a redação do Enem
Aula de Revisão para a redação do EnemAula de Revisão para a redação do Enem
Aula de Revisão para a redação do Enem
 
Níveis de linguagem
Níveis de linguagemNíveis de linguagem
Níveis de linguagem
 
Análise de redação nota 1000.pptx
Análise de redação nota 1000.pptxAnálise de redação nota 1000.pptx
Análise de redação nota 1000.pptx
 
Habilidades bncc 6ano ao 9ano
Habilidades bncc  6ano ao 9anoHabilidades bncc  6ano ao 9ano
Habilidades bncc 6ano ao 9ano
 
Trabalho metáfora
Trabalho metáforaTrabalho metáfora
Trabalho metáfora
 
A estrategia argumentativa
A estrategia argumentativaA estrategia argumentativa
A estrategia argumentativa
 
Oficina variacoes
Oficina variacoesOficina variacoes
Oficina variacoes
 
morfologia
morfologiamorfologia
morfologia
 
Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
 
Variação linguistica aulão
Variação linguistica   aulãoVariação linguistica   aulão
Variação linguistica aulão
 
Texto argumentativo exemplo
Texto argumentativo exemploTexto argumentativo exemplo
Texto argumentativo exemplo
 
Ortografia c ç s ss x
Ortografia c ç s ss xOrtografia c ç s ss x
Ortografia c ç s ss x
 
Descritores de Língua Portuguesa
Descritores de Língua PortuguesaDescritores de Língua Portuguesa
Descritores de Língua Portuguesa
 
Ementa Ensino Médio
Ementa Ensino MédioEmenta Ensino Médio
Ementa Ensino Médio
 
Contextualização redação Enem
Contextualização redação EnemContextualização redação Enem
Contextualização redação Enem
 

Destaque

Portugues 1EM 1BIM
Portugues 1EM 1BIM Portugues 1EM 1BIM
Portugues 1EM 1BIM Alice MLK
 
Enem reaplicado 2010, Linguagens e Matemática, prova e gabarito - Conteúdo vi...
Enem reaplicado 2010, Linguagens e Matemática, prova e gabarito - Conteúdo vi...Enem reaplicado 2010, Linguagens e Matemática, prova e gabarito - Conteúdo vi...
Enem reaplicado 2010, Linguagens e Matemática, prova e gabarito - Conteúdo vi...Rodrigo Penna
 
Prova cancelada do ENEM-2009 resolvida e comentada: Compreensão Textual
Prova cancelada do ENEM-2009 resolvida e comentada: Compreensão TextualProva cancelada do ENEM-2009 resolvida e comentada: Compreensão Textual
Prova cancelada do ENEM-2009 resolvida e comentada: Compreensão Textualma.no.el.ne.ves
 
Resolução da prova cancelada do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...
Resolução da prova cancelada  do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...Resolução da prova cancelada  do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...
Resolução da prova cancelada do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...mariainesmachado
 
Vestibular 2015 da UPE (Provas do 1º dia)
Vestibular 2015 da UPE (Provas do 1º dia) Vestibular 2015 da UPE (Provas do 1º dia)
Vestibular 2015 da UPE (Provas do 1º dia) Isaquel Silva
 
O GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃO
O GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃOO GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃO
O GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃOFabiana Seferin
 
UNIFESP 2010 discursiva
UNIFESP 2010 discursivaUNIFESP 2010 discursiva
UNIFESP 2010 discursivacursohistoria
 
A primeira geração do modernismo brasileiro
A primeira geração do modernismo brasileiroA primeira geração do modernismo brasileiro
A primeira geração do modernismo brasileiroma.no.el.ne.ves
 
Poesia e identidade em oswald de andrade
Poesia e identidade em oswald de andradePoesia e identidade em oswald de andrade
Poesia e identidade em oswald de andradema.no.el.ne.ves
 
Exercicio oraão subordinada adverbial
Exercicio oraão subordinada adverbialExercicio oraão subordinada adverbial
Exercicio oraão subordinada adverbialEmanuelle Lisboa
 
Prova de Língua Portuguesa UFOP-2009/1
Prova de Língua Portuguesa UFOP-2009/1Prova de Língua Portuguesa UFOP-2009/1
Prova de Língua Portuguesa UFOP-2009/1ma.no.el.ne.ves
 
Prova de Língua Portuguesa da UFOP-2009/2 resolvida e comentada
Prova de Língua Portuguesa da UFOP-2009/2 resolvida e comentadaProva de Língua Portuguesa da UFOP-2009/2 resolvida e comentada
Prova de Língua Portuguesa da UFOP-2009/2 resolvida e comentadama.no.el.ne.ves
 
Figuras de palavras ou tropos
Figuras de palavras ou troposFiguras de palavras ou tropos
Figuras de palavras ou troposrosangelajoao
 
Exercicios portugues gramatica_periodo_simples
Exercicios portugues gramatica_periodo_simplesExercicios portugues gramatica_periodo_simples
Exercicios portugues gramatica_periodo_simplesCleberson Oliveira
 
Geografia 1EM 1BIM
Geografia  1EM 1BIM Geografia  1EM 1BIM
Geografia 1EM 1BIM Alice MLK
 

Destaque (20)

Portugues 1EM 1BIM
Portugues 1EM 1BIM Portugues 1EM 1BIM
Portugues 1EM 1BIM
 
Gramática textual com respostas
Gramática textual com respostasGramática textual com respostas
Gramática textual com respostas
 
Enem reaplicado 2010, Linguagens e Matemática, prova e gabarito - Conteúdo vi...
Enem reaplicado 2010, Linguagens e Matemática, prova e gabarito - Conteúdo vi...Enem reaplicado 2010, Linguagens e Matemática, prova e gabarito - Conteúdo vi...
Enem reaplicado 2010, Linguagens e Matemática, prova e gabarito - Conteúdo vi...
 
Prova cancelada do ENEM-2009 resolvida e comentada: Compreensão Textual
Prova cancelada do ENEM-2009 resolvida e comentada: Compreensão TextualProva cancelada do ENEM-2009 resolvida e comentada: Compreensão Textual
Prova cancelada do ENEM-2009 resolvida e comentada: Compreensão Textual
 
Resolução da prova cancelada do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...
Resolução da prova cancelada  do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...Resolução da prova cancelada  do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...
Resolução da prova cancelada do ENEM 2009, pela equipe dos professores do an...
 
Vestibular 2015 da UPE (Provas do 1º dia)
Vestibular 2015 da UPE (Provas do 1º dia) Vestibular 2015 da UPE (Provas do 1º dia)
Vestibular 2015 da UPE (Provas do 1º dia)
 
O GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃO
O GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃOO GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃO
O GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃO
 
UNIFESP 2010 discursiva
UNIFESP 2010 discursivaUNIFESP 2010 discursiva
UNIFESP 2010 discursiva
 
A primeira geração do modernismo brasileiro
A primeira geração do modernismo brasileiroA primeira geração do modernismo brasileiro
A primeira geração do modernismo brasileiro
 
Poesia e identidade em oswald de andrade
Poesia e identidade em oswald de andradePoesia e identidade em oswald de andrade
Poesia e identidade em oswald de andrade
 
Independência do Brasil
Independência do BrasilIndependência do Brasil
Independência do Brasil
 
Exercicio oraão subordinada adverbial
Exercicio oraão subordinada adverbialExercicio oraão subordinada adverbial
Exercicio oraão subordinada adverbial
 
G661 ufsm-2012
G661 ufsm-2012G661 ufsm-2012
G661 ufsm-2012
 
Prova de Língua Portuguesa UFOP-2009/1
Prova de Língua Portuguesa UFOP-2009/1Prova de Língua Portuguesa UFOP-2009/1
Prova de Língua Portuguesa UFOP-2009/1
 
Prova de Língua Portuguesa da UFOP-2009/2 resolvida e comentada
Prova de Língua Portuguesa da UFOP-2009/2 resolvida e comentadaProva de Língua Portuguesa da UFOP-2009/2 resolvida e comentada
Prova de Língua Portuguesa da UFOP-2009/2 resolvida e comentada
 
Figuras de palavras ou tropos
Figuras de palavras ou troposFiguras de palavras ou tropos
Figuras de palavras ou tropos
 
Exercicios portugues gramatica_periodo_simples
Exercicios portugues gramatica_periodo_simplesExercicios portugues gramatica_periodo_simples
Exercicios portugues gramatica_periodo_simples
 
1º 2º 3ºano- eureka
1º 2º 3ºano- eureka1º 2º 3ºano- eureka
1º 2º 3ºano- eureka
 
Geografia 1EM 1BIM
Geografia  1EM 1BIM Geografia  1EM 1BIM
Geografia 1EM 1BIM
 
Abordagem instrucionista x construcionionista
Abordagem instrucionista x construcionionistaAbordagem instrucionista x construcionionista
Abordagem instrucionista x construcionionista
 

Semelhante a ENEM-2010, Simulado do objetivo resolvido e comentado

APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.Antônio Fernandes
 
Enem2009 Linguagens Codigos
Enem2009 Linguagens CodigosEnem2009 Linguagens Codigos
Enem2009 Linguagens CodigosBIOLOGO TOTAL
 
2009 simulado linguagenscodigos
2009 simulado linguagenscodigos2009 simulado linguagenscodigos
2009 simulado linguagenscodigosnewsevoce
 
Simu enem inep 2009 códigos linguagens e suas tecnologias
Simu enem   inep 2009 códigos linguagens e suas tecnologiasSimu enem   inep 2009 códigos linguagens e suas tecnologias
Simu enem inep 2009 códigos linguagens e suas tecnologiastioivys
 
Enem 2013 Tecnologia
Enem 2013 TecnologiaEnem 2013 Tecnologia
Enem 2013 TecnologiaJaian Tales
 
Prova internet-pss-i-2010
Prova internet-pss-i-2010Prova internet-pss-i-2010
Prova internet-pss-i-2010Lucas Ferreira
 
CADERNO DE QUESTÕES - TERCEIRO ANO
CADERNO DE QUESTÕES - TERCEIRO ANOCADERNO DE QUESTÕES - TERCEIRO ANO
CADERNO DE QUESTÕES - TERCEIRO ANOPaulo Alexandre
 
SEMANA DO FERA 2014 - TERCEIRO ANO
SEMANA DO FERA 2014 - TERCEIRO ANOSEMANA DO FERA 2014 - TERCEIRO ANO
SEMANA DO FERA 2014 - TERCEIRO ANOPaulo Alexandre
 
Prova: funções da linguagem
Prova: funções da linguagemProva: funções da linguagem
Prova: funções da linguagemMarilza Fuentes
 
Prova: funçoes da linguagem
Prova: funçoes da linguagemProva: funçoes da linguagem
Prova: funçoes da linguagemMarilza Fuentes
 
Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003Lucas Ferreira
 
Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003Lucas Ferreira
 
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfFICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfNatália Moura
 
Simulado 3°ano -1dia
Simulado 3°ano -1diaSimulado 3°ano -1dia
Simulado 3°ano -1diaDanielly26
 

Semelhante a ENEM-2010, Simulado do objetivo resolvido e comentado (20)

APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
 
Enem2009 Linguagens Codigos
Enem2009 Linguagens CodigosEnem2009 Linguagens Codigos
Enem2009 Linguagens Codigos
 
2009 simulado linguagenscodigos
2009 simulado linguagenscodigos2009 simulado linguagenscodigos
2009 simulado linguagenscodigos
 
Simuladoenem2009 Linguagense Codigos
Simuladoenem2009 Linguagense CodigosSimuladoenem2009 Linguagense Codigos
Simuladoenem2009 Linguagense Codigos
 
Simu enem inep 2009 códigos linguagens e suas tecnologias
Simu enem   inep 2009 códigos linguagens e suas tecnologiasSimu enem   inep 2009 códigos linguagens e suas tecnologias
Simu enem inep 2009 códigos linguagens e suas tecnologias
 
Simuladoenem2009 Linguagense Codigos
Simuladoenem2009 Linguagense CodigosSimuladoenem2009 Linguagense Codigos
Simuladoenem2009 Linguagense Codigos
 
Enem 2013 Tecnologia
Enem 2013 TecnologiaEnem 2013 Tecnologia
Enem 2013 Tecnologia
 
Prova internet-pss-i-2010
Prova internet-pss-i-2010Prova internet-pss-i-2010
Prova internet-pss-i-2010
 
CADERNO DE QUESTÕES - TERCEIRO ANO
CADERNO DE QUESTÕES - TERCEIRO ANOCADERNO DE QUESTÕES - TERCEIRO ANO
CADERNO DE QUESTÕES - TERCEIRO ANO
 
SEMANA DO FERA 2014 - TERCEIRO ANO
SEMANA DO FERA 2014 - TERCEIRO ANOSEMANA DO FERA 2014 - TERCEIRO ANO
SEMANA DO FERA 2014 - TERCEIRO ANO
 
Prova: funções da linguagem
Prova: funções da linguagemProva: funções da linguagem
Prova: funções da linguagem
 
Prova: funçoes da linguagem
Prova: funçoes da linguagemProva: funçoes da linguagem
Prova: funçoes da linguagem
 
Simulado l. c.
Simulado l. c.Simulado l. c.
Simulado l. c.
 
atividades do Enem
atividades do Enematividades do Enem
atividades do Enem
 
Aval 7ºano 4ºbimestre
Aval 7ºano 4ºbimestreAval 7ºano 4ºbimestre
Aval 7ºano 4ºbimestre
 
Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003
 
Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003Prova internet-pssii-2003
Prova internet-pssii-2003
 
Português
PortuguêsPortuguês
Português
 
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfFICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
 
Simulado 3°ano -1dia
Simulado 3°ano -1diaSimulado 3°ano -1dia
Simulado 3°ano -1dia
 

Mais de ma.no.el.ne.ves

Segunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: LiteraturaSegunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: Literaturama.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologiasSegunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologiasma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileirasSegunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileirasma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação FísicaSegunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Físicama.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textualSegunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textualma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticaisSegunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticaisma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: ArtesSegunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artesma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e TecnologiasENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e Tecnologiasma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileirasENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileirasma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos GramaticaisENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos Gramaticaisma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação FísicaENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação Físicama.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão TextualENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão Textualma.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e InternetTerceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internetma.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: LiteraturaTerceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literaturama.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação FísicaTerceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Físicama.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão TextualTerceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textualma.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: ArtesTerceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artesma.no.el.ne.ves
 
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010ma.no.el.ne.ves
 

Mais de ma.no.el.ne.ves (20)

Segunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: LiteraturaSegunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologiasSegunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileirasSegunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação FísicaSegunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textualSegunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticaisSegunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: ArtesSegunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artes
 
ENEM-2019: Literatura
ENEM-2019: LiteraturaENEM-2019: Literatura
ENEM-2019: Literatura
 
ENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e TecnologiasENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e Tecnologias
 
ENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileirasENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileiras
 
ENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos GramaticaisENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos Gramaticais
 
ENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação FísicaENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação Física
 
ENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão TextualENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão Textual
 
ENEM-2019: Artes
ENEM-2019: ArtesENEM-2019: Artes
ENEM-2019: Artes
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e InternetTerceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: LiteraturaTerceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação FísicaTerceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão TextualTerceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: ArtesTerceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artes
 
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
 

Último

ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 

Último (20)

ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 

ENEM-2010, Simulado do objetivo resolvido e comentado

  • 1. linguagem, códigos e suas tecnologias ENEM 2010: Simulado Objetivo Manoel Neves
  • 2. INSTRUÇÃO Simulado do Objetivo Observe o pequeno glossário abaixo, que contém algumas das abreviações mais usadas na linguagem da internet, conhecida como “internetês”. bjs: beijos. blz: beleza. fds: final de semana. flw: falou. fmz: firmeza. kd: cadê. ñ: não. net: internet. pq: porque. q: que. tb: também. tc: teclar. vc: você.
  • 3. QUESTÃO 01 Simulado do Objetivo Assinale a alternativa que apresenta argumento em defesa da utilização do internetês. “O internetês – expressão grafolinguística criada na internet pelos adolescentes na última década – foi durante algum tempo um bicho de sete cabeças para gramáticos e estudiosos da língua. Eles temiam que as abreviações fonéticas (onde ‘casa’ vira ksa; e ‘aqui’ vira aki) comprometessem o uso da norma culta do português para além das fronteiras cibernéticas.” (Fabiano Rampazzo) “Alguns jovens falam com três ou mais amigos simultaneamente em um programa de mensagens instantâneas enquanto escrevem um e-mail, baixam um vídeo, ouvem música e ainda escrevem no Word (...). São impacientes. Não são pessoas acostumadas a ler extensos romances do começo ao fim. Estão acostumados com a linguagem da internet, concisa e objetiva.” (Adalton Ozaki) “Muitas pessoas veem no internetês – essa espécie de ‘língua’ oficial dos jovens conectados – um mal iminente, à espreita para corromper a forma padrão do idioma e tornar o patrimônio da língua uma grande sala de bate-papo, repleta de flw[‘falou’], blz[‘beleza’] e demais abreviações que, em geral, os adolescentes usam para comunicar-se.” (Edgard Murano) “Apenas para se ter uma ideia da quantidade de informações veiculada por esses milhões de usuários, a Microsoft estima que sejam trocadas 8,2 bilhões de mensagens por dia em todo o mundo por meio do MSN, popular programa de troca de mensagens criado pela empresa de Bill Gates.” (Edgard Murano) “Ferramentas como esta [MSN], entre outras, baseadas na escrita, que a internet oferece, têm acelerado o processo de comunicação entre as pessoas, influenciando a relação delas com a palavra e resgatando o valor do texto escrito como há muito não se via.” (Edgard Murano)
  • 4. QUESTÃO 01 Simulado do Objetivo ANALISANDO A QUESTÃO Na alternativa “a”, fala-se das preocupações dos gramáticos com o internetês, tais como o temor de que as abreviações comprometam o uso da língua fora dos limites virtuais. Na alternativa “b”, ao abordar o internetês, o locutor utiliza as palavras concisa e objetiva para caracterizá-lo. Os conceitos referidos pelas palavras em destaque são subjetivos [modalizadores] e indicam que o locutor faz uma avaliação positiva do linguajar usado pelos jovens na internet. Na alternativa “c”, a linguagem utilizada pelos jovens na internet aparece associada ao advérbio de modo mal e ao verbo corromper. Trata-se de modalizadores que caracterizam negativamente o internetês. Na alternativa “d”, o assunto abordado não é o internetês, e sim o fluxo de informações trocadas via msn. Na alternativa “e”, fala-se que o msn acelera a comunicação e resgata o valor do texto escrito. Atente-se para o fato de que as expressões destacadas revelam que o locutor faz uma avaliação positiva do uso do msn e não da linguagem que se utiliza na internet. Por isso, deve-se assinalar a alternativa “b”.
  • 5. INSTRUÇÃO Simulado do Objetivo Texto para a questão 02. Minha terra tem palmeiras Onde sopra o vento forte Da fome, do medo e muito Principalmente da morte.
  • 6. QUESTÃO 02 Simulado do Objetivo O texto anterior, extraído de “Marginália 2” (1968), composição musical de Gilberto Gil e Torquato Neto, é paródia do “Canção do Exílio” (1843), de Gonçalves Dias, porque imita o poema romântico, alterando seu tom e seu teor. utiliza o mesmo esquema de rimas do referido poema do século XIX. apresenta a mesma temática idealizadora comum entre os românticos. imita a métrica do consagrado poema romântico. com sua linguagem popular ridiculariza a linguagem culta de Gonçalves Dias . ANALISANDO A QUESTÃO A paródia é uma modalidade intertextual em que o diálogo com o texto primeiro se dá por intermédio de uma ruptura ideológica. O texto “Marginália 2”, de Gilberto Gil e de Torquato Neto, associa o elemento natural [palmeira] do texto de Gonçalves Dias à fome, ao medo e à morte. Se o discurso dos dois textos é nacionalista [falam do Brasil] e nativista [alude-se à natureza], no texto tropicalista entrevê-se uma leitura crítica da realidade política e social, o que caracteriza a ruptura com o modelo ufanista da literatura romântica.
  • 7. QUESTÃO 03 Simulado do Objetivo O termo destacado que está empregado em seu sentido próprio, denotativo, ocorre em: O baque do corpo no chão chamou a atenção do vizinho, moço do interior de São Paulo, inquilino recente do apartamento do andar de baixo. [Dráuzio Varella] O pirralho não se mexeu, e Fabiano desejou matá-lo. Tinha o coração grosso, queria responsabilizar alguém pela grosso sua desgraça. [Graciliano Ramos] A porta envidraçada estava aberta; e subimos pela escadaria de pedra, no imenso silêncio em que toda a Flor da Malva repousava, até a antecâmara, de altos tetos apainelados, com longos bancos de pau, onde desmaiavam na sua velha pintura as complicadas armas dos Cerqueiras. [Eça de Queirós] José Dias fez um gesto de aborrecido, e apenas lhe respondeu com uma palavra seca, olhando para o padre que seca lavava as mãos. [Machado de Assis] Crimes da terra, como perdoá-los? Tomei parte em muitos, outros escondi. Alguns achei belos, foram publicados. Crimes suaves, que ajudam a viver. Ração diária de erro, distribuída em casa. [Drummond]
  • 8. QUESTÃO 03 Simulado do Objetivo ANALISANDO A QUESTÃO As palavras grosso, desmaiavam, seco e ração relacionam-se, respectivamente, com coração, armas, palavra e erro. Como não estão empregadas no sentido próprio, real, do dicionário, aparecem usadas, pois, no sentido conotativo. Assinale-se, pois, a alternativa “a”, porque um corpo pode, sim, cair, sofrer uma queda, um baque.
  • 9. QUESTÃO 04 Simulado do Objetivo Texto para a questão 04. Todos os grandes artistas, ora consciente [...], ora inconscientemente [...], foram deformadores da natureza. Donde infiro que o belo artístico será tanto mais artístico, tanto mais subjetivo quanto mais se afastar do belo natural. Qual das obras seguintes melhor representa a concepção de arte distante do “natural”, proposta pelo modernista Mário de Andrade?
  • 12. Dama com o arminho, Da Vinci
  • 13. Dama na cidade, Renoir
  • 15. QUESTÃO 04 Simulado do Objetivo ANALISANDO A QUESTÃO A subjetividade referida por Mário de Andrade é mais facilmente percebida na reprodução do quadro de Pablo Picasso. Atentando à imagem, é possível perceber o uso da técnica do recorte e colagem, que permite ver o rosto da personagem tanto de frente, quanto de perfil. Ademais, pode-se perceber que a mão direita da mulher representada parece estar, simultaneamente, com os dedos apoiados na cadeira e com a palma voltada para o corpo. Além da técnica de recorte e colagem, pode-se perceber, na imagem, a técnica cubista da decomposição do objeto em múltiplos planos. Nas demais imagens, percebe-se um grau de verossimilhança maior que na tela de Picasso. Enquanto esta rompe abertamente com a noção de fidelidade na representação do Real, aquelas se aproximam tanto da realidade que poderiam passar por retratos.
  • 16. QUESTÃO 05 Simulado do Objetivo Na linguagem falada informal, usa-se o verbo ter como impessoal, com as mesmas características do verbo haver no sentido de “existir”. Assinale a alternativa em que ocorre esse emprego. Ele não tem chance de vencer o concurso. Li um anúncio que tem umas propostas bem tentadoras. No Brasil, tem 32 milhões de pessoas que passam fome. Sabe que você tem razão, Ana? João Cabral tem um estilo seco e duro. ANALISANDO A QUESTÃO O verbo ter, segundo a norma culta, significa possuir. A substituição do referido vocábulo por seu sinônimo só não é possível na alternativa “c”. Na língua culta, a frase No Brasil, tem 32 milhões de pessoas que passam fome admite duas reescritas, a saber: O Brasil tem 32 milhões de pessoas que passam fome e No Brasil, há 32 milhões de pessoas que passam fome.
  • 17. INSTRUÇÃO Simulado do Objetivo Texto para a questão 06. CRÔNICA FAMILIAR, Eduardo Galeano Em Assunção do Paraguai, morreu a tia mais querida de Nicolás Escobar. Morreu serenamente, em casa, enquanto dormia. Quando soube que perdera a tia, Nicolás tinha seis anos de idade e milhares de horas de televisão. E perguntou: — Quem a matou?
  • 18. QUESTÃO 06 Simulado do Objetivo O assunto de uma crônica pode ser uma experiência pessoal do cronista, uma informação obtida por ele ou um caso imaginário. O modo de apresentar o assunto também varia: pode ser uma descrição, uma exposição de argumentos ou uma narrativa. A finalidade pretendida pode ser promover uma reflexão, definir um sentimento ou tão somente provocar o riso. Em “Crônica familiar”, Eduardo Galeano vale-se dos seguintes elementos: assunto modo de apresentar finalidade experiência pessoal exposição promover reflexão experiência pessoal narrativa provocar riso informação colhida descrição definir um sentimento informação colhida narrativa promover reflexão caso imaginário descrição provocar riso ANALISANDO A QUESTÃO A crônica é um gênero textual narrativo. Trata-se do único texto literário baseado em eventos reais. Caracteriza- se, ainda, por apresentar linguagem trabalhada [figurada]. Pode ser jornalística, filosófica, lírica, política ou social. Em tempo: o texto de Galeano visa a fazer uma reflexão sobre a influência da TV na vida moderna.
  • 19. QUESTÃO 07 Simulado do Objetivo A gradação é uma figura de linguagem que consiste em apresentar as ideias em ordem crescente ou decrescente. Observe a seguir um exemplo de gradação, extraído de Quincas Borba, de Machado de Assis; depois, assinale dentre as alternativas aquela em que este tipo de recurso aparece. Cotejava o passado com o presente. Que era, há um ano? Professor. Que é agora? Capitalista. Olha para si, para as chinelas (umas chinelas de Túnis, que lhe deu recente amigo, Cristiano Palha), para a casa, para o jardim, para a enseada, para os morros e para o céu; e tudo, desde as chinelas até o céu, tudo entra na mesma sensação de propriedade. De que importa, se aguarda sem defesa/ Penha a nau, ferro a planta, tarde a rosa? (Gregório de Matos) Minha família anda longe,/ [..] / uns dançando pelos ares,/ outros perdidos no chão. (Cecília Meireles) Um homem vai devagar./ Um cachorro vai devagar./ Um burro vai devagar.// Devagar... as janelas olham. (Carlos Drummond de Andrade) E o olhar estaria ansioso esperando/ e a cabeça ao sabor da mágoa balançando/ e o coração fugindo e o coração voltando/ e os minutos passando e os minutos passando... (Vinícius de Moraes) E foram virando peixes/ Virando conchas/ Virando seixos/ Virando areia. (Chico Buarque)
  • 20. QUESTÃO 07 Simulado do Objetivo ANALISANDO A QUESTÃO A gradação consiste em pôr idéias em ordem. No fragmento citado no comando da questão, comparece no trecho para a casa, para o jardim, para a enseada, para os morros e para o céu. Na alternativa “e”, as palavras peixe, concha, seixo e areia remetem ao campo semântico marinho e estão organizadas em ordem descensorial, indo do maior [peixe] para o menor [areia].
  • 21. INSTRUÇÃO Simulado do Objetivo Texto para as questões 08 a 10.
  • 22. TEXTO Simulado do Objetivo Calvin e Harold em “Inimigo na escola”, Bill Watterson
  • 23. TEXTO Simulado do Objetivo Calvin e Harold em “Inimigo na escola”, Bill Watterson
  • 24. TEXTO Simulado do Objetivo Calvin e Harold em “Inimigo na escola”, Bill Watterson
  • 25. TEXTO Simulado do Objetivo Calvin e Harold em “Inimigo na escola”, Bill Watterson
  • 26. QUESTÃO 08 Simulado do Objetivo Sobre a tirinha acima, examine as seguintes afirmações: I. As personagens utilizam, em sua conversa, formas lexicais (isto é, de palavras) e sintáticas (de construção) típicas da linguagem coloquial brasileira. II. Para manter a uniformidade da linguagem utilizada na tirinha, Calvin, no primeiro quadrinho, deveria dizer “eu preciso que você vá pra escola comigo”. III. Para estar de acordo com o padrão culto da linguagem escrita, Calvin, no primeiro quadrinho, deveria dizer “eu preciso que você vá para a escola comigo”. Está(ão) correta(s): apenas I apenas III apenas I e II apenas II e III I, II e III
  • 27. QUESTÃO 08 Simulado do Objetivo ANALISANDO A QUESTÃO A tirinha apresenta coloquialismos tanto no nível da palavra [lexicais: pro, ok] quanto no nível da frase [frasais: matar ele, faça ele, levarem ele]. Portanto, o enunciado I é correto. Considerando que a personagem Calvin usou a forma coloquial pro, no lugar de para o, ela deveria ter usado pra, no lugar de para a, a fim de manter uma unidade lingüística em seu registro oral. Sendo assim, estão corretas, também, as proposições II e III.
  • 28. QUESTÃO 09 Simulado do Objetivo Ainda sobre a linguagem da tirinha, pode-se afirmar que, para corresponder à norma culta da língua portuguesa, Calvin deveria usar as construções: I. matá-lo em vez de matar ele. II. Só lhe faça... em vez de Só faça ele... III. ...quando o levarem... em vez de ...quando levarem ele... IV. ...o pega em vez de pega ele. Estão corretas: apenas I, II e III. apenas I, II e IV. apenas I, III e IV. apenas II, III e IV. I, II, III e IV.
  • 29. QUESTÃO 09 Simulado do Objetivo ANALISANDO A QUESTÃO As alterações propostas nos itens I, III e IV estão corretas, pois os pronomes retos, no padrão culto da Língua Portuguesa, funcionam como complementos. No item II, a correção proposta não respeitou regência verbal, pois o verbo fazer é transitivo direto e os pronomes que substituem os objetos diretos são o, a, os, as. Assinale-se, pois, a alternativa “c”.
  • 30. QUESTÃO 10 Simulado do Objetivo Os desejos de Calvin a respeito de seu inimigo na escola não incluem a) violência. b) morte. c) moléstia grave. d) procedimento hospitalar. e) ferimentos profundos. ANALISANDO A QUESTÃO A fala da personagem Calvin, no segundo quadrinho, afirma que não quer que seu inimigo na escola morra. Assinale-se, pois, a alternativa “b”.
  • 31. QUESTÃO 11 Simulado do Objetivo Assinale a alternativa em que o sentido da preposição destacada esteja corretamente definido. a) A criança estava trêmula de frio. (meio) b) Viemos de ônibus. (matéria) c) Daqui a dois quilômetros há uma farmácia. (origem) d) Saíram bem cedo para caminhar no parque. (finalidade) e) O sacerdote falou da fraternidade. (causa) ANALISANDO A QUESTÃO Na alternativa a, a preposição de indica o motivo [causa] de a criança estar tremendo. Na alternativa b, ônibus é meio de transporte usado. Na alternativa c, a preposição a indica o limite final ou a distância [lugar]. Na alternativa d, sai-se com o objetivo [finalidade] de caminhar. Na alternativa e, a fraternidade é o assunto da fala do sacerdote.
  • 32. INSTRUÇÃO Simulado do Objetivo Texto para a questão 12.
  • 34. QUESTÃO 12 Simulado do Objetivo As falas de Jon e Garfield correspondem à linguagem coloquial informal e à linguagem de padrão culto, respectivamente. à giria e à língua literária, respectivamente. a duas formas da linguagem de padrão culto. a duas formas da gíria brasileira. à língua portuguesa do Brasil e à de Portugal, respectivamente. ANALISANDO A QUESTÃO Na fala de Jon, existe um desvio gramatical em relação à norma culta, pois o verbo lembrar pode ser usado sem pronome e sem preposição [Transitivo direto: Lembrei o assunto da prova.] ou com pronome e com preposição [Transitivo indireto: Lembrei-me do assunto da prova.] sem alteração de sentido.
  • 35. TEXTO Simulado do Objetivo Texto para a questão 13. No século XIX, Charles Darwin descobriu que somos filhos de macacos. Sob o impacto de sua própria conclusão, o autor de A origem das espécies ocultou, durante certo tempo, a sua teoria da evolução. Ele vivia doente, queixando-se de intensas dores de cabeça, derramando-se em vômitos e contraindo-se em palpitações cardíacas. Sofria os efeitos de um conflito íntimo, como quem somatiza um drama de consciência. Darwin, que sonhara ser sacerdote, fora levado por caminhos que o tornaram autor de uma teoria que, como a astronomia de Copérnico e Galileu, faria a Igreja vociferar também no século XIX. Chegou a confidenciar a seu amigo Joseph Hooker que, ao admitir o parentesco entre o ser humano e os símios, ficou-lhe o sentimento de culpa de quem comete um crime, um verdadeiro parricídio — o assassinato de Adão.
  • 36. QUESTÃO 13 Simulado do Objetivo Influenciados pelas ideias de Darwin, os representantes do Naturalismo, movimento literário do século XIX, comparavam os seres humanos a animais. Os trechos abaixo foram extraídos da obra O Cortiço, cujo autor, Aluísio Azevedo, foi o maior representante do Naturalismo no Brasil. Assinale a alternativa em que essa característica, conhecida como zoomorfização, não esteja presente: “A filha tinha quinze anos, a pele de um moreno quente, beiços sensuais, bonitos dentes, olhos luxuriosos de macaca.” “... uma negrinha virgem, chamada Leonor, muito ligeira e viva, lisa e seca como um moleque, conhecendo de orelha, sem lhe faltar um termo, a vasta tecnologia da obscenidade...” “Nenen dezessete. Espigada, franzina e forte, com uma proazinha de orgulho de sua virgindade, escapando como enguia por entre os dedos dos rapazes que a queriam sem ser para casar.” “A primeira que se pôs a lavar foi a Leandra, por alcunha a ‘Machona’, portuguesa feroz, berradora, pulsos cabeludos e grossos, anca de animal do campo.” “Era um pobre-diabo caminhando para os setenta anos, antipático, cabelo branco, curto e duro, como escova, barba e bigode do mesmo teor; muito macilento, com uns óculos redondos que lhe aumentavam o tamanho da pupila e davam-lhe à cara uma expressão de abutre...” ANALISANDO A QUESTÃO Nas alternativas “a”, “c”, “d” e “e”, as referências a macaca, enguia, animal do campo e abutre confirmam a presença do zoomorfismo. Atente-se a referência desmetaforizada à sexualidade nas alternativas “a”, “b”, “c” e “d”.
  • 37. TEXTO Simulado do Objetivo Texto para a questão 14.
  • 38. QUESTÃO 14 Simulado do Objetivo O fenômeno linguístico que se observa no último quadro da tira – redundância ou pleonasmo – ocorre também em: “A moça que eu disse que conhecia quer que você a contrate.” “O presidente resolveu encarar de frente o problema da fome no Brasil.” “Você não precisa gastar rios de dinheiro para adquirir seu carro zero.” “Uma jovem intérprete transformou a música ‘Eu e a Brisa’ num vendaval de Itu.” “Eu reencontrei um rapaz que fez natação comigo na praia.” ANALISANDO A QUESTÃO A expressão encarar de frente é pleonasmo vicioso, bem como duas metades iguais, outra alternativa, elo de ligação, entre outras. Em tempo: na linguagem poética, o pleonasmo é uma figura de reforço ou paralelismo, como se pode ver em: Teu corpo claro e perfeito/ Teu corpo de maravilha/ Quero possuí-lo no leito/ estreito da redondilha. Neste fragmento de “Poemeto erótico”, do poeta modernista Manuel Bandeira, o locutor, ao se referir três vezes ao corpo da mulher amada [teu corpo, teu corpo e possuí-lo], mostra seu encantamento, sua fixação com a beleza física da amada.
  • 39. TEXTO Simulado do Objetivo Texto para a questão 15.
  • 40. QUESTÃO 15 Simulado do Objetivo Por meio da charge de Angeli, pode-se inferir uma crítica à crise no funcionalismo provocada pela falta de mão-de-obra especializada. ao excesso de especialização profissional como causa do desemprego. à prática de contratação de parentes (nepotismo) e funcionários-fantasma. ao enxugamento da máquina estatal, concentrador de recursos humanos. à falta de formalidade que permeia as relações profissionais brasileiras. ANALISANDO A QUESTÃO O nepotismo pode ser percebido, na charge, por intermédio do fato de os funcionários referidos terem o mesmo sobrenome. Nota-se, ainda, referência à contratação de funcionários-fantasma (que assumem um cargo, recebem por ele, sem sequer aparecerem para exercer de fato a função para a qual foram nomeados), o que se percebe pelo título “Os fantasmas se divertem” e pela ausência dos referidos funcionários no local de trabalho.
  • 41. TEXTO Simulado do Objetivo Texto para a questão 15.
  • 42. QUESTÃO 15 Simulado do Objetivo Assinale abaixo a alternativa que você julgar incorreta sobre o poema. As transformações a que é submetido o slogan do refrigerante (“beba coca-cola”) fazem do texto uma espécie de propaganda irônica ou antipropaganda. Os verbos do texto são antitéticos, opostos, e constituem anagramas, isto é, cada um resulta da transposição das letras do outro. O objetivo do texto – a ampliação do consumo – é adequado ao momento de desenvolvimento econômico que o País conheceu na década de 1950. O texto exemplifica algumas propostas do movimento concretista, tais como a utilização do espaço tipográfico e a disposição geométrica dos vocábulos. O texto extrai do slogan publicitário sentidos negativos em relação à bebida, culminando na sugestão de sujeira, imundície. ANALISANDO A QUESTÃO O Concretismo foi um movimento poético da década de 1950 [1958-1961]. Já o período em que houve desenvolvimento econômico associado ao consumismo foram os anos 1960-1970 [de 1968 – ano em que começa o Milagre Econômico – até 1973 – início da Crise Internacional do Petróleo –]. Assinale-se, pois, a alternativa “c”.
  • 43. TEXTO Simulado do Objetivo Texto para a questão 16. VÍCIO NA FALA, Oswald de Andrade Para dizerem milho dizem mio Para melhor dizem mió Para pior pió Para telha dizem teia Para telhado dizem teiado E vão fazendo telhados
  • 44. QUESTÃO 16 Simulado do Objetivo Sobre o texto, é incorreto dizer que demonstra, através dos exemplos milho – mio, melhor – mió, pior – pió, que a língua popular, aparentemente caótica, obedece a um sistema. registra um tipo de fala “caipira”, de acordo com uma das propostas da primeira fase do Modernismo – a busca do que seria uma “língua brasileira”. o título “Vício na fala” é irônico, pois pode ser entendido como uma alusão ao purismo linguístico defendido pelos conservadores e “puristas”, preocupados com a “correção” gramatical. a suposta inadequação da fala, considerada gramaticalmente errada, não impede a eficácia da ação, já que as pessoas continuam “fazendo telhados”. versa sobre a ineficiência dos primeiros colonos chegados ao Brasil, que eram despreparados, rudes e ignorantes a ponto de serem incapazes até de comunicação. ANALISANDO A QUESTÃO “Vício na fala”, de Oswald de Andrade, atende, com maestria, ao princípio da contribuição milionária de todos os erros, referida no “Manifesto Pau-Brasil”, em que se defende no uso de uma língua natural e neológica, bastante próxima da falada pelo brasileiro comum no dia-a-dia – como falamos, como somos.
  • 45. QUESTÃO 17 Simulado do Objetivo Nas alternativas a seguir, estão transcritos versos de Fernando Pessoa. Numa delas ocorre um paradoxo ou oxímoro, figura que combina dois conceitos opostos em uma mesma expressão (sol negro, fogo frio, apressar-se lentamente). Aponte-a. O poeta é um fingidor. Dizem que finjo ou minto Finge tão completamente Tudo que escrevo. Não. Que chega a fingir que é dor Eu simplesmente sinto A dor que deveras sente. Com a imaginação.. Dorme, que a vida é nada! Dorme, que tudo é vão! Se alguém achou a estrada, Achou-a em confusão, Com a alma enganada. Não é ainda a noite Ó sino da minha aldeia, Mas é já frio o céu. Dolente na tarde calma, Do vento o ocioso açoite Cada tua badalada Envolve o tédio meu. Soa dentro de minha alma. ANALISANDO A QUESTÃO Apenas na alternativa “a”, há presença de paradoxo, pois o sujeito poético afirma, num primeiro momento, que finge sentir a dor [O poeta é um fingidor/ Finge tão completamente]; em seguida, entretanto, afirma que tal dor é verdadeira [A dor que deveras sente.].
  • 46. TEXTO Simulado do Objetivo O texto para as questões de 18 a 20 foi extraído de um conto de Machado de Assis. Nele, um bonzo (monge) explica os fundamentos de sua doutrina: — Haveis de entender, começou ele, que a virtude e o saber têm duas existências paralelas, uma no sujeito que as possui, outra no espírito dos que o ouvem ou contemplam. Se puserdes as mais sublimes virtudes e os mais profundos conhecimentos em um sujeito solitário, remoto de todo contato com outros homens, é como se eles não existissem. Os frutos de uma laranjeira, se ninguém os gostar, valem tanto como as urzes e plantas bravias, e, se ninguém os vir, não valem nada; ou, por outras palavras mais enérgicas, não há espetáculo sem espectador. Um dia, estando a cuidar nestas cousas, considerei que, para o fim de alumiar um pouco o entendimento, tinha consumido os meus longos anos, e, aliás, nada chegaria a valer sem a existência de outros homens que me vissem e honrassem; então cogitei se não haveria um modo de obter o mesmo efeito, poupando tais trabalhos, e esse dia posso agora dizer que foi o da regeneração dos homens, pois me deu a doutrina salvadora. [...] Considerei o caso, e entendi que, se uma cousa pode existir na opinião, sem existir na realidade, e existir na realidade, sem existir na opinião, a conclusão é que das duas existências paralelas a única necessária é a da opinião, não a da realidade, que é apenas conveniente.
  • 47. QUESTÃO 18 Simulado do Objetivo A leitura do texto permite inferir que o saber e a virtude não necessitam de reconhecimento. um sujeito solitário jamais será capaz de adquirir sabedoria. o contato com outros homens é fundamental para que o indivíduo desenvolva a virtude. a realidade de um fato é mais importante que a opinião que se tem dele. a verdadeira essência das coisas é a sua aparência. ANALISANDO A QUESTÃO Nesta narrativa alegórica, entrevê-se que a imagem da coisa, ou o modo como ela é percebida, é mais importante do que a coisa em si. Assinale-se, pois, a alternativa “e”.
  • 48. QUESTÃO 19 Simulado do Objetivo A alternativa cuja máxima contraria a moral expressa na doutrina do bonzo é: A mentira é tanto mais saborosa quanto mais verdadeira se afigura. Antes sê-lo que parecê-lo. Quem não sabe fingir não sabe governar. Onde não há virtude não há honra. A sabedoria começa na dúvida. ANALISANDO A QUESTÃO A narrativa machadiana fala do conflito entre essência e aparência. Tal oposição aparece representada no provérbio transcrito na alternativa “b”.
  • 49. QUESTÃO 20 Simulado do Objetivo O texto remete a uma situação bastante atual, que é a consideração da fama e da admiração como ingredientes fundamentais à satisfação do indivíduo. a necessidade de o indivíduo manter-se fiel às suas virtudes, independente do julgamento alheio. a compreensão de que só através da dissimulação o homem obterá prestígio. a inconveniência de manipular a verdade a fim de se beneficiar. a satisfação através do desenvolvimento intelectual. ANALISANDO A QUESTÃO Apenas a alternativa “a” aborda a oposição entre essência e aparência desenvolvida em “O segredo do bonzo”.
  • 50. QUESTÃO 21 Simulado do Objetivo Os trechos transcritos nas alternativas seguintes foram extraídos de O primo Basílio, de Eça de Queirós. Em qual deles o verbo destacado indica um processo passado anterior a outro também passado? “Logo no dia seguinte pôs-se a dizer consigo que era bem longe o Paraíso!” “Tinha fechado o envelope, quando Juliana lhe veio trazer ‘uma carta do hotel’.” “Começou imediatamente a louvar a sua devoção. Não entrara porque não quisera...” “Fechou a sombrinha, estendeu-lhe a mão.” estendeu “Sentiu então uma voz dizer abafadamente.” ANALISANDO A QUESTÃO O tempo verbal que indica um fato anterior a outro é o pretérito mais que perfeito e aparece na alternativa “c”.
  • 51. TEXTO Simulado do Objetivo Texto para as questões de 22 a 24. As mães dos outros dois rapazitos esperavam imóveis e lívidas pela volta dos filhos, e, mal estes chegaram à estalagem, cada uma se apoderou logo do seu e caiu-lhe em cima, a sová-los ambos que metia medo. — Mira-te naquele espelho, tentação do diabo! exclamava uma delas, com o pequeno seguro entre as pernas a encher-lhe a bunda de chineladas. Não era aquele que devia ir, eras tu, peste! aquele, coitado! ao menos ajudava a mãe, ganhava dois mil-réis por mês regando as plantas do Comendador, e tu, coisa-ruim, só serves para me dar consumições! Toma! Toma! Toma! E o chinelo cantava entre o berreiro feroz dos dois rapazes. João Romão chegou ao terraço de sua casa, ainda em mangas de camisa, e de lá mesmo tomou conhecimento do que acontecera. Contra todos os seus hábitos impressionou-se com a morte de Agostinho; lamentou-a no íntimo, tomado de estranhas condolências. Pobre pequeno! Tão novo... tão esperto... e cuja vida não prejudicava a ninguém, morrer assim, desastradamente!... [...] João Romão deu-lhe a notícia da morte do Agostinho e declarou que estava com dor de cabeça. Não sabia que diabo tinha ele aquela noite, que não houve meio de pegar direito no sono.
  • 52. QUESTÃO 22 Simulado do Objetivo No trecho acima, narrado em 3.ª pessoa, o narrador registra o fluxo dos pensamentos de certa personagem, através do chamado discurso indireto livre (ou seja: as palavras da personagem são apresentadas entre as palavras do narrador, sem verbo declarativo, como disse, pensou ou outros). A alternativa em que se verifica esse tipo de discurso é: “Mira-te naquele espelho, tentação do diabo! exclamava uma delas [...]”. “Não era aquele que devia ir, eras tu, peste! aquele, coitado! ao menos ajudava a mãe, ganhava dois mil-réis por mês regando as plantas do Comendador, e tu, coisa-ruim, só serves para me dar consumições!” “Toma! Toma! Toma!” “Pobre pequeno! Tão novo... tão esperto... e cuja vida não prejudicava a ninguém, morrer assim, desastradamente!...” “João Romão [...] declarou que estava com dor de cabeça.” ANALISANDO A QUESTÃO A fusão da perspectiva do narrador e da personagem aparece indicada, na alternativa “d” por intermédio do uso do ponto de exclamação. Tal sinal de pontuação foi usado sem haver marcação de fala da personagem, tal como travessão ou aspas duplas.
  • 53. QUESTÃO 23 Simulado do Objetivo Em “...mal estes chegaram à estalagem...” e “...caiu-lhe em ci ma, a sová-los ambos que metia medo.”, as palavras destacadas expressam, respectivamente, causa e consequência. proporção e concessão. finalidade e conformidade. tempo e condição. tempo e consequência. ANALISANDO A QUESTÃO A primeira oração é temporal e a segunda, consecutiva [o medo é oriundo da sova]. Assinale-se, pois, a alternativa “e”.
  • 54. QUESTÃO 24 Simulado do Objetivo Em “Mira-te naquele espelho, tentação do diabo!”, o trecho destacado desempenha a mesma diabo função que o trecho destacado em: “Nós, os meninos, queríamos encontrar os estragos da cheia.” (José Lins do Rego) meninos “Nós já tínhamos imaginado, mamãe e eu, fazer uma grande peregrinação.” (Graça Aranha) eu “Não faça entrar mais ninguém hoje, Abelardo.” (Oswald de Andrade) Abelardo “Amanhã, às oito horas, atrás da igreja.” (Antônio de Alcântara Machado) horas “Misael, funcionário da Fazenda, com 63 anos de idade.” (Manuel Bandeira) Fazenda ANALISANDO A QUESTÃO O trecho destacado no enunciado desta questão é um vocativo. Na alternativa “c”, o elemento virgulado é, também, vocativo. Em tempo, nas alternativas “a”, “b” e “e”, os elementos virgulados são apostos explicativos; na alternativa “d”, tem-se um adjunto adverbial.
  • 55. TEXTO Simulado do Objetivo Texto para as questões de 24 a 25. I. O primeiro ponto é que mais de 70% dos alunos de universidades públicas proveem de famílias cujos membros estão entre os 20% mais ricos da população. Como as universidades públicas são financiadas por impostos pagos por toda a população, inclusive pelos pobres, no Brasil os pobres financiam a educação universitária dos ricos. II. Francamente: o seu concorrente adora o jeito que sua equipe se fala. III.A orientação cultural não pode prescindir das forças de mercado, que se estruturam com tanta dificuldade e que tem um importante papel social. A cada milhão investido em cultura, 160 novos empregos são gerados.
  • 56. QUESTÃO 25 Simulado do Objetivo Os textos acima, extraídos de jornais e de texto publicitário, apresentam transgressões à norma culta. As correções necessárias são, respectivamente, I: famílias onde membros; II: o jeito com que sua equipe se fala; III: não pôde prescindir. I: alunos de universidades públicas provêm; II: como sua equipe se fala; III: e que têm. I: Já que as universidades públicas; II: o concorrente adora o seu jeito; III: as quais se estruturam. I: alunos de universidades públicas provem; II: com que sua equipe se fala; III: e que têm. I: alunos de universidades públicas provêm; II: adora o jeito de sua equipe; III: 160 novos empregos serão gerados. ANALISANDO A QUESTÃO Em I, o verbo provir foi conjugado inadequadamente, como se fosse derivado de ver [enxergar] e não de vir [deslocar-se] Em II, há um erro de regência nominal, na medida em que a palavra jeito, neste contexto frasal, requer o uso da preposição com. Em III, a palavra que [pronome relativo] é um elemento de retomada que se refere a forças de mercado Por isso mesmo, o referido pronome [que substitui forças de mercado], por ser sujeito da forma verbal “tem”, deveria levar o verbo para o plural, posto que os verbos ter e vir devem receber acento circunflexo, quando na terceira pessoa do plural do presente do indicativo.
  • 57. QUESTÃO 26 Simulado do Objetivo Releia o fragmento abaixo. Como as universidades públicas são financiadas por impostos pagos por toda a população, inclusive pelos pobres, no Brasil os pobres financiam a educação universitária dos ricos. A relação semântica que se estabelece entre as orações do período acima é de causa e consequência. comparação adição conformidade finalidade ANALISANDO A QUESTÃO Se considerarmos que, primeiro, a população paga os impostos, e que, depois, tais tributos são usados para financiar a educação universitária dos ricos, poderemos afirmar que a relação existente entre as orações é de causa e consequência.