JULIA DURANGO
E
ELISA KLEVEN
O dia desponta,
uma nova aurora vem.
O sol acorda,
e eu também.
O sol diz-me: “Vai brincar!”
Eu corro lá para fora.
O céu azul a brilhar,
e as sombras vão-se embora.
O céu diz-me: “Não fiques parado!”
E eu corro atrás do vento,
o vento que sopra intenso,
até aos confins do prado.
O vento diz-me: “Flutua!”
Eu lanço-me num voo alado!
Um passarinho aqui perto,
ganha altura a meu lado.
O passarinho diz-me: “Canta!”
Eu trauteio uma canção.
As nuvens flutuantes,
são como um grande balão.
A nuvem diz-me: “Deixa-te ir!”
E desço suavemente.
Uma árvore lá em baixo,
aproxima-se, imponente.
A árvore diz-me: “Toma!”
E vou colher o seu fruto.
O grilo canta feliz,
no seu cantar resoluto.
O grilo diz-me: “Salta!”
Eu lanço-me e toco o chão.
A erva ondula serena,
mesmo junto à minha mão.
A erva diz-me: “Descansa!”
Enrosco-me, comodamente.
Todo o crepúsculo me abraça,
muito carinhosamente.
O crepúsculo avisa:
“São horas de ir dormir…”
Deixo os meus olhos fechar,
no céu, a lua a surgir.
A lua diz: “Vai sonhar!”
E eu respondo que sim.
Os anjos à luz do luar,
vão tomar conta de mim.
Os anjos cuidam de mim
Os anjos cuidam de mim
Os anjos cuidam de mim
Os anjos cuidam de mim
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Os anjos cuidam de mim

101.583 visualizações

Publicada em

Toda a noite e todo o dia, desde que ao mundo vim,os anjos cuidam de mim:
um modo afetuoso e delicado de tranquilizar uma criança inquieta...

Publicada em: Educação

Os anjos cuidam de mim

  1. 1. JULIA DURANGO E ELISA KLEVEN
  2. 2. O dia desponta, uma nova aurora vem. O sol acorda, e eu também.
  3. 3. O sol diz-me: “Vai brincar!” Eu corro lá para fora. O céu azul a brilhar, e as sombras vão-se embora.
  4. 4. O céu diz-me: “Não fiques parado!” E eu corro atrás do vento, o vento que sopra intenso, até aos confins do prado.
  5. 5. O vento diz-me: “Flutua!” Eu lanço-me num voo alado! Um passarinho aqui perto, ganha altura a meu lado.
  6. 6. O passarinho diz-me: “Canta!” Eu trauteio uma canção. As nuvens flutuantes, são como um grande balão.
  7. 7. A nuvem diz-me: “Deixa-te ir!” E desço suavemente. Uma árvore lá em baixo, aproxima-se, imponente.
  8. 8. A árvore diz-me: “Toma!” E vou colher o seu fruto. O grilo canta feliz, no seu cantar resoluto.
  9. 9. O grilo diz-me: “Salta!” Eu lanço-me e toco o chão. A erva ondula serena, mesmo junto à minha mão.
  10. 10. A erva diz-me: “Descansa!” Enrosco-me, comodamente. Todo o crepúsculo me abraça, muito carinhosamente.
  11. 11. O crepúsculo avisa: “São horas de ir dormir…” Deixo os meus olhos fechar, no céu, a lua a surgir.
  12. 12. A lua diz: “Vai sonhar!” E eu respondo que sim. Os anjos à luz do luar, vão tomar conta de mim.

×