SlideShare uma empresa Scribd logo

A bruxa e o caldeirao

A bruxa descobre que seu caldeirão está furado e não consegue encontrar uma solução em seu livro de feitiços. Ela vai à feira e o mercador sugere usar o caldeirão furado como vaso, mas ela acaba comprando um novo caldeirão. Anos depois, o novo caldeirão também fura e a bruxa amaldiçoa o neto do mercador.

1 de 10
Baixar para ler offline
José Leon Machado
                       Ilustrações de
        Alexandre Bandeira Rodrigues



A bruxa e o
 caldeirão
Quando preparava uma sopa com uns olhinhos de couve para
o jantar, a bruxa constatou que o caldeirão estava furado. Não era
muito, não senhor. Um furo pequeníssimo, quase invisível. Mas
era o suficiente para, pinga que pinga, ir vertendo os líquidos e ir
apagando o fogo. Nunca tal lhe tinha sucedido.

                                 2
Foi consultar o livro de feitiços, adquirido no tempo em que
andara a tirar o curso superior de bruxaria por correspondência,
folheou-o de ponta a ponta, confirmou no índice e nada encontrou
sobre a forma de resolver o caso. Que haveria de fazer? Uma
bruxa sem caldeirão era como padeiro sem forno. De que forma
poderia ela agora preparar as horríveis poções?
                               3
Para as coisas mais corriqueiras tinha a reserva dos frascos.
Mas se lhe aparecia um daqueles casos em que era necessário
preparar na hora uma mistela? Como o da filha de um aldeão que
engolira uma nuvem e foi preciso fazer um vomitório especial
com trovisco, rosmaninho, três dentes de alho, uma semente de abóbora
seca, uma asa de morcego e cinco aparas de unhas de gato.
    Se a moça vomitou a nuvem? Pois não haveria de vomitar?
Com a potência do remédio, além da nuvem, vomitou uma grande
chuvada de granizo que furou os telhados das casas em redor.

                                 4
Era muito aborrecido aquele furo no caldeirão. Nem a sopa
do dia-a-dia podia cozinhar. Mantinha-se a pão e água, que
remédio, enquanto não encontrasse uma forma de resolver o caso.
    Matutou dias seguidos no assunto e começou a desconfiar se
o mercador que lhe vendera o caldeirão na feira há muitos anos
atrás a não teria enganado com material de segunda categoria. A
ela, bruxa inexperiente e a dar os primeiros passos nas artes
mágicas, podia facilmente ter-lhe dado um caldeirão com defeito.


                               5
Decidiu então ir à próxima feira e levar o caldeirão ao
mercador. Procurando na secção das vendas de apetrechos de
cozinha, a bruxa verificou que o mercador já não era o mesmo.
Era neto do outro e, claro, não se lembrava – nem podia – das
tropelias comerciais do seu falecido avô. Ficou desapontada.
Perguntou-lhe, todavia, o que podia fazer com o caldeirão furado. O
mercador mirou-o, remirou-o, sopesou-o com ambas as mãos e disse:
                                6
– Este está bom é para você pôr ao pé da porta a fazer de
vaso. Com uns pés de sardinheiras ficava bem bonito.
    A bruxa irritou-se com a sugestão e, não fosse a gente toda
ali na feira a comprar e a vender, transformava-o em onagro.
Acabou por dizer:
    – A solução parece boa, sim senhor. Mas diga-me cá: Se ponho
o caldeirão a fazer de vaso, onde cozinho eu depois?
    – Neste novo que aqui tenho e com um preço muito em conta...
    A bruxa olhou para o caldeirão que o mercador lhe apontava,
sobressaindo num monte de muitos outros, de um brilhante
avermelhado, mesmo a pedir que o levassem. A bruxa, que tinha
os seus brios de mulher, ficou encantada.
                               7
O mercador aproveitou a ocasião para tecer os maiores elogios
ao artigo, gabando a dureza e a grossura do cobre, os rendilhados
da barriga, o feitio da asa em meia lua, a capacidade e o peso, tão
leve como um bom caldeirão podia ser, fácil de carregar para
qualquer lado.
    – Pois bem, levo-o.
    O mercador esfregou as mãos de contente.
    – Mas aviso-o – acrescentou a bruxa. – Se lhe acontecer o mesmo
que ao outro, pode ter a certeza de que o transformarei em sapo.
    O mercador riu-se do disparate enquanto embrulhava o artigo.
                                8
Os anos foram passando e a bruxa continuou no seu labor.
Até que um dia deu por um furo no novo e agora velho caldeirão.
Rogou uma praga tamanha que o neto do segundo mercador que
lho vendera, a essa hora, em vez de estar a comer o caldo na mesa
com a família, estava num charco a apanhar moscas.




                               9
Ficha Técnica

Título: A Bruxa e o Caldeirão

© Copyright José Leon Machado

Ilustrações de Alexandre Bandeira Rodrigues

Todos os direitos reservados


Edições Vercial, Outubro de 2003
URL: www.ipn.pt/literatura
E-mail: pvercial@iol.pt

Recomendados

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sequencia didatica-saci-perere-pnaic-doc-140705233955-phpapp02
Sequencia didatica-saci-perere-pnaic-doc-140705233955-phpapp02Sequencia didatica-saci-perere-pnaic-doc-140705233955-phpapp02
Sequencia didatica-saci-perere-pnaic-doc-140705233955-phpapp02Vanderlita Gomes B Marquetti
 
Historia a que sabe a lua
Historia a que sabe a luaHistoria a que sabe a lua
Historia a que sabe a luaCláudia Silva
 
Sequencia didática. GALINHA VERMELHA
Sequencia didática. GALINHA VERMELHASequencia didática. GALINHA VERMELHA
Sequencia didática. GALINHA VERMELHARita Moreira
 
Fichas de leitura primos e bruxa cartuxa (1)
Fichas de leitura  primos e bruxa cartuxa (1)Fichas de leitura  primos e bruxa cartuxa (1)
Fichas de leitura primos e bruxa cartuxa (1)Carina Carpinteiro
 
Sequência didática soldado de chumbo
Sequência didática soldado de chumboSequência didática soldado de chumbo
Sequência didática soldado de chumboJosianne Lacerda
 
CONTO AFRICANO - INTERPRETAÇÃO.pdf
CONTO AFRICANO - INTERPRETAÇÃO.pdfCONTO AFRICANO - INTERPRETAÇÃO.pdf
CONTO AFRICANO - INTERPRETAÇÃO.pdfElianaGoncalvesDosSa
 
Guião ovos misteriosos
Guião ovos misteriososGuião ovos misteriosos
Guião ovos misteriososMaria Almeida
 
BORBOLETA
BORBOLETABORBOLETA
BORBOLETABE_EB8
 
O aniversário do senhor alfabeto
O aniversário do senhor alfabetoO aniversário do senhor alfabeto
O aniversário do senhor alfabetoHildener Martins
 
Caldo de pedra fichas
Caldo de pedra   fichasCaldo de pedra   fichas
Caldo de pedra fichasIsa Crowe
 
Conjuntos pnl 2º ano
Conjuntos pnl 2º anoConjuntos pnl 2º ano
Conjuntos pnl 2º anof859
 
Historia joao e maria para a aula de quinta[1]
Historia joao e maria para a aula de quinta[1]Historia joao e maria para a aula de quinta[1]
Historia joao e maria para a aula de quinta[1]contosdefadas2012
 
Atividades de leitura 1º e 2º anos
Atividades  de leitura  1º e 2º anosAtividades  de leitura  1º e 2º anos
Atividades de leitura 1º e 2º anosaldreatrindade
 
378717531-o-cuquedo-fichas-pdf.pdf
378717531-o-cuquedo-fichas-pdf.pdf378717531-o-cuquedo-fichas-pdf.pdf
378717531-o-cuquedo-fichas-pdf.pdfMarisa Gomes
 
A menina que detestava livros
A menina que detestava livrosA menina que detestava livros
A menina que detestava livrosConstantino Alves
 
Reconto escrito da obra joão e o pé de feijão
Reconto escrito da obra    joão e o pé de feijãoReconto escrito da obra    joão e o pé de feijão
Reconto escrito da obra joão e o pé de feijãoHugo Ferreira
 
A galinha ruiva completa
A galinha ruiva completaA galinha ruiva completa
A galinha ruiva completaDário Reis
 

Mais procurados (20)

Sequencia didatica-saci-perere-pnaic-doc-140705233955-phpapp02
Sequencia didatica-saci-perere-pnaic-doc-140705233955-phpapp02Sequencia didatica-saci-perere-pnaic-doc-140705233955-phpapp02
Sequencia didatica-saci-perere-pnaic-doc-140705233955-phpapp02
 
Historia a que sabe a lua
Historia a que sabe a luaHistoria a que sabe a lua
Historia a que sabe a lua
 
Sequencia didática. GALINHA VERMELHA
Sequencia didática. GALINHA VERMELHASequencia didática. GALINHA VERMELHA
Sequencia didática. GALINHA VERMELHA
 
Conto david machado
Conto david machadoConto david machado
Conto david machado
 
Fichas de leitura primos e bruxa cartuxa (1)
Fichas de leitura  primos e bruxa cartuxa (1)Fichas de leitura  primos e bruxa cartuxa (1)
Fichas de leitura primos e bruxa cartuxa (1)
 
Sequência didática soldado de chumbo
Sequência didática soldado de chumboSequência didática soldado de chumbo
Sequência didática soldado de chumbo
 
CONTO AFRICANO - INTERPRETAÇÃO.pdf
CONTO AFRICANO - INTERPRETAÇÃO.pdfCONTO AFRICANO - INTERPRETAÇÃO.pdf
CONTO AFRICANO - INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Guião ovos misteriosos
Guião ovos misteriososGuião ovos misteriosos
Guião ovos misteriosos
 
BORBOLETA
BORBOLETABORBOLETA
BORBOLETA
 
O aniversário do senhor alfabeto
O aniversário do senhor alfabetoO aniversário do senhor alfabeto
O aniversário do senhor alfabeto
 
Texto completo - O Grufalão
Texto completo - O GrufalãoTexto completo - O Grufalão
Texto completo - O Grufalão
 
Caldo de pedra fichas
Caldo de pedra   fichasCaldo de pedra   fichas
Caldo de pedra fichas
 
Conjuntos pnl 2º ano
Conjuntos pnl 2º anoConjuntos pnl 2º ano
Conjuntos pnl 2º ano
 
Historia joao e maria para a aula de quinta[1]
Historia joao e maria para a aula de quinta[1]Historia joao e maria para a aula de quinta[1]
Historia joao e maria para a aula de quinta[1]
 
Atividades de leitura 1º e 2º anos
Atividades  de leitura  1º e 2º anosAtividades  de leitura  1º e 2º anos
Atividades de leitura 1º e 2º anos
 
378717531-o-cuquedo-fichas-pdf.pdf
378717531-o-cuquedo-fichas-pdf.pdf378717531-o-cuquedo-fichas-pdf.pdf
378717531-o-cuquedo-fichas-pdf.pdf
 
A menina que detestava livros
A menina que detestava livrosA menina que detestava livros
A menina que detestava livros
 
Reconto escrito da obra joão e o pé de feijão
Reconto escrito da obra    joão e o pé de feijãoReconto escrito da obra    joão e o pé de feijão
Reconto escrito da obra joão e o pé de feijão
 
Abelhinhas
Abelhinhas Abelhinhas
Abelhinhas
 
A galinha ruiva completa
A galinha ruiva completaA galinha ruiva completa
A galinha ruiva completa
 

Destaque

Historia muda para produçao de textos
Historia muda para produçao de textosHistoria muda para produçao de textos
Historia muda para produçao de textosec115norte
 
A abelhinha faz zum zum crianças
A abelhinha faz zum zum   criançasA abelhinha faz zum zum   crianças
A abelhinha faz zum zum criançasSamuel Oliveira
 
Contando histórias através de imagens
Contando histórias através de imagensContando histórias através de imagens
Contando histórias através de imagensKaren Sica
 
Roteiro para Elaboração do PEG (Planejamento Estratégico de Gestão)
Roteiro para Elaboração do PEG (Planejamento Estratégico de Gestão)Roteiro para Elaboração do PEG (Planejamento Estratégico de Gestão)
Roteiro para Elaboração do PEG (Planejamento Estratégico de Gestão)Rogério Souza
 
Ecoturismo e os parques nacionais
Ecoturismo e os parques nacionaisEcoturismo e os parques nacionais
Ecoturismo e os parques nacionaisDenis Fernandes
 
Jogos para o ensino da matemática na Educação Infantil
Jogos para o ensino da matemática na Educação InfantilJogos para o ensino da matemática na Educação Infantil
Jogos para o ensino da matemática na Educação InfantilLiamara dos Santos
 
A abelha que_queria_ser_rainha
A abelha que_queria_ser_rainhaA abelha que_queria_ser_rainha
A abelha que_queria_ser_rainhaJairtes Lima
 
As abelhas atividades
As abelhas   atividadesAs abelhas   atividades
As abelhas atividadesTonia Souza
 
Bruxa mimi
Bruxa mimiBruxa mimi
Bruxa mimiAna Alho
 
Planejamento páscoa simone helen drumond
Planejamento páscoa simone helen drumondPlanejamento páscoa simone helen drumond
Planejamento páscoa simone helen drumondSimoneHelenDrumond
 
O frio pode ser quente
O frio pode ser quenteO frio pode ser quente
O frio pode ser quenteNaysa Taboada
 

Destaque (20)

Historia muda
Historia mudaHistoria muda
Historia muda
 
Historia muda para produçao de textos
Historia muda para produçao de textosHistoria muda para produçao de textos
Historia muda para produçao de textos
 
História muda
História mudaHistória muda
História muda
 
Projeto Conta que eu Conto
Projeto Conta que eu ContoProjeto Conta que eu Conto
Projeto Conta que eu Conto
 
A abelhinha faz zum zum crianças
A abelhinha faz zum zum   criançasA abelhinha faz zum zum   crianças
A abelhinha faz zum zum crianças
 
Contando histórias através de imagens
Contando histórias através de imagensContando histórias através de imagens
Contando histórias através de imagens
 
As abelhas e as formigas
As abelhas e as formigasAs abelhas e as formigas
As abelhas e as formigas
 
A abelha chocolateira
A abelha chocolateira A abelha chocolateira
A abelha chocolateira
 
O lobo e o cordeiro
O lobo e o cordeiroO lobo e o cordeiro
O lobo e o cordeiro
 
O galo tiao e a vaca malhada
O galo tiao e a vaca malhadaO galo tiao e a vaca malhada
O galo tiao e a vaca malhada
 
Roteiro para Elaboração do PEG (Planejamento Estratégico de Gestão)
Roteiro para Elaboração do PEG (Planejamento Estratégico de Gestão)Roteiro para Elaboração do PEG (Planejamento Estratégico de Gestão)
Roteiro para Elaboração do PEG (Planejamento Estratégico de Gestão)
 
O misterio do anel de perola
O misterio do anel de perolaO misterio do anel de perola
O misterio do anel de perola
 
Ecoturismo e os parques nacionais
Ecoturismo e os parques nacionaisEcoturismo e os parques nacionais
Ecoturismo e os parques nacionais
 
Slide nordeste
Slide nordesteSlide nordeste
Slide nordeste
 
Jogos para o ensino da matemática na Educação Infantil
Jogos para o ensino da matemática na Educação InfantilJogos para o ensino da matemática na Educação Infantil
Jogos para o ensino da matemática na Educação Infantil
 
A abelha que_queria_ser_rainha
A abelha que_queria_ser_rainhaA abelha que_queria_ser_rainha
A abelha que_queria_ser_rainha
 
As abelhas atividades
As abelhas   atividadesAs abelhas   atividades
As abelhas atividades
 
Bruxa mimi
Bruxa mimiBruxa mimi
Bruxa mimi
 
Planejamento páscoa simone helen drumond
Planejamento páscoa simone helen drumondPlanejamento páscoa simone helen drumond
Planejamento páscoa simone helen drumond
 
O frio pode ser quente
O frio pode ser quenteO frio pode ser quente
O frio pode ser quente
 

Semelhante a A bruxa e o caldeirao (20)

Abruxaeocaldeirao
AbruxaeocaldeiraoAbruxaeocaldeirao
Abruxaeocaldeirao
 
A bruxa e o caldeirão josé leon machado
A bruxa e o caldeirão josé leon machadoA bruxa e o caldeirão josé leon machado
A bruxa e o caldeirão josé leon machado
 
A bruxa e o caldeirão
A bruxa e o caldeirãoA bruxa e o caldeirão
A bruxa e o caldeirão
 
A bruxa e o caldeirao
A bruxa e o caldeiraoA bruxa e o caldeirao
A bruxa e o caldeirao
 
Abruxaeocaldeirao
AbruxaeocaldeiraoAbruxaeocaldeirao
Abruxaeocaldeirao
 
A bruxa e_o_caldeirao
A bruxa e_o_caldeiraoA bruxa e_o_caldeirao
A bruxa e_o_caldeirao
 
Abruxaeocaldeirao
AbruxaeocaldeiraoAbruxaeocaldeirao
Abruxaeocaldeirao
 
A bruxa e o caldeirão
A bruxa e o caldeirãoA bruxa e o caldeirão
A bruxa e o caldeirão
 
111
111111
111
 
abruxaeocaldeirao-946801142
 abruxaeocaldeirao-946801142 abruxaeocaldeirao-946801142
abruxaeocaldeirao-946801142
 
A bruxa e o caldeirão
A bruxa e o caldeirãoA bruxa e o caldeirão
A bruxa e o caldeirão
 
111
111111
111
 
A bruxa e o caldeirão
A  bruxa e o caldeirãoA  bruxa e o caldeirão
A bruxa e o caldeirão
 
111
111111
111
 
111
111111
111
 
111
111111
111
 
A bruxa e o caldeirão
A bruxa e o caldeirãoA bruxa e o caldeirão
A bruxa e o caldeirão
 
A bruxa e o caldeirão josé leon machado
A bruxa e o caldeirão josé leon machadoA bruxa e o caldeirão josé leon machado
A bruxa e o caldeirão josé leon machado
 
A bruxa e_o_caldeirao
A bruxa e_o_caldeiraoA bruxa e_o_caldeirao
A bruxa e_o_caldeirao
 
O sapo-envergonhado sample
O sapo-envergonhado sampleO sapo-envergonhado sample
O sapo-envergonhado sample
 

Mais de lyzandra de camargo (20)

Trabalho dengue (1)
Trabalho dengue (1)Trabalho dengue (1)
Trabalho dengue (1)
 
Vizinhos adição
Vizinhos   adiçãoVizinhos   adição
Vizinhos adição
 
Tabuada colorida
Tabuada coloridaTabuada colorida
Tabuada colorida
 
Tabela de números de 1 a 100
Tabela de números de 1 a 100Tabela de números de 1 a 100
Tabela de números de 1 a 100
 
Sistema de numeração decimal pintar
Sistema de numeração decimal   pintarSistema de numeração decimal   pintar
Sistema de numeração decimal pintar
 
Sequencia do quarenta ao 50 e adições (para caderno)
Sequencia do quarenta ao 50 e adições (para caderno)Sequencia do quarenta ao 50 e adições (para caderno)
Sequencia do quarenta ao 50 e adições (para caderno)
 
Sequencia até o 40
Sequencia até o 40Sequencia até o 40
Sequencia até o 40
 
Quadro numérico
Quadro numéricoQuadro numérico
Quadro numérico
 
Quadro dos números para colar no caderno
Quadro dos números para colar no cadernoQuadro dos números para colar no caderno
Quadro dos números para colar no caderno
 
Parlenda a galinha do vizinho
Parlenda a galinha do vizinhoParlenda a galinha do vizinho
Parlenda a galinha do vizinho
 
Numerais e subtração
Numerais e subtraçãoNumerais e subtração
Numerais e subtração
 
Material dourado1
Material dourado1Material dourado1
Material dourado1
 
Material dourado para recortar
Material dourado para recortarMaterial dourado para recortar
Material dourado para recortar
 
Formando grupos de 10
Formando grupos de 10Formando grupos de 10
Formando grupos de 10
 
Diagnóstica1
Diagnóstica1Diagnóstica1
Diagnóstica1
 
Diagnostica matema
Diagnostica matemaDiagnostica matema
Diagnostica matema
 
Diagnostica de matemática
Diagnostica de matemáticaDiagnostica de matemática
Diagnostica de matemática
 
Dezena e unidades 2
Dezena e unidades 2Dezena e unidades 2
Dezena e unidades 2
 
Dezena e unidade material dourado
Dezena e unidade material douradoDezena e unidade material dourado
Dezena e unidade material dourado
 
Dezena e unidade desenhar e decompor (2)
Dezena e unidade desenhar e decompor (2)Dezena e unidade desenhar e decompor (2)
Dezena e unidade desenhar e decompor (2)
 

Último

ATIVIDADE 1 - ADSIS - MATEMÁTICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - MATEMÁTICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - MATEMÁTICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - MATEMÁTICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docxATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docxATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docxATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docxATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docxjosecarlos413721
 
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docxMAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docxjosecarlos413721
 
ATIVIDADE 1- INFORMÁTICA INDUSTRIAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1- INFORMÁTICA INDUSTRIAL - 512024.docxATIVIDADE 1- INFORMÁTICA INDUSTRIAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1- INFORMÁTICA INDUSTRIAL - 512024.docx2m Assessoria
 
Curso de Verão - Aula 03 - Introdução ao CI-CD e Infraestrutura como Código
Curso de Verão - Aula 03 - Introdução ao CI-CD e Infraestrutura como CódigoCurso de Verão - Aula 03 - Introdução ao CI-CD e Infraestrutura como Código
Curso de Verão - Aula 03 - Introdução ao CI-CD e Infraestrutura como CódigoGuilhermeJorgeAragod
 
ATIVIDADE 1 - MODELAGEM DE SOFTWARE – 512024.docx
ATIVIDADE 1 - MODELAGEM DE SOFTWARE – 512024.docxATIVIDADE 1 - MODELAGEM DE SOFTWARE – 512024.docx
ATIVIDADE 1 - MODELAGEM DE SOFTWARE – 512024.docxjosecarlos413721
 
ATIVIDADE 1- MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES - 512024.docx
ATIVIDADE 1- MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES - 512024.docxATIVIDADE 1- MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES - 512024.docx
ATIVIDADE 1- MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docxATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docxATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - ENGENHARIA DO PRODUTO - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ENGENHARIA DO PRODUTO - 512024.docxATIVIDADE 1 - ENGENHARIA DO PRODUTO - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ENGENHARIA DO PRODUTO - 512024.docx2m Assessoria
 
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docxMAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - CONTABILIDADE EMPRESARIAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CONTABILIDADE EMPRESARIAL - 512024.docxATIVIDADE 1 - CONTABILIDADE EMPRESARIAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CONTABILIDADE EMPRESARIAL - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docxATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx2m Assessoria
 
Power BI: A ferramenta da Microsoft que vem ganhando o mercado.
Power BI: A ferramenta da Microsoft que vem ganhando o mercado.Power BI: A ferramenta da Microsoft que vem ganhando o mercado.
Power BI: A ferramenta da Microsoft que vem ganhando o mercado.Daniel Mendes
 
ATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docxATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docxjosecarlos413721
 
ATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docxATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docxjosecarlos413721
 

Último (20)

ATIVIDADE 1 - ADSIS - MATEMÁTICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - MATEMÁTICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - MATEMÁTICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - MATEMÁTICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docxATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docxATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docxATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docxATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
 
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docxMAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
 
ATIVIDADE 1- INFORMÁTICA INDUSTRIAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1- INFORMÁTICA INDUSTRIAL - 512024.docxATIVIDADE 1- INFORMÁTICA INDUSTRIAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1- INFORMÁTICA INDUSTRIAL - 512024.docx
 
Curso de Verão - Aula 03 - Introdução ao CI-CD e Infraestrutura como Código
Curso de Verão - Aula 03 - Introdução ao CI-CD e Infraestrutura como CódigoCurso de Verão - Aula 03 - Introdução ao CI-CD e Infraestrutura como Código
Curso de Verão - Aula 03 - Introdução ao CI-CD e Infraestrutura como Código
 
ATIVIDADE 1 - MODELAGEM DE SOFTWARE – 512024.docx
ATIVIDADE 1 - MODELAGEM DE SOFTWARE – 512024.docxATIVIDADE 1 - MODELAGEM DE SOFTWARE – 512024.docx
ATIVIDADE 1 - MODELAGEM DE SOFTWARE – 512024.docx
 
ATIVIDADE 1- MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES - 512024.docx
ATIVIDADE 1- MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES - 512024.docxATIVIDADE 1- MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES - 512024.docx
ATIVIDADE 1- MICROPROCESSADORES E MICROCONTROLADORES - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docxATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docxATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - ENGENHARIA DO PRODUTO - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ENGENHARIA DO PRODUTO - 512024.docxATIVIDADE 1 - ENGENHARIA DO PRODUTO - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ENGENHARIA DO PRODUTO - 512024.docx
 
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docxMAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - CONTABILIDADE EMPRESARIAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CONTABILIDADE EMPRESARIAL - 512024.docxATIVIDADE 1 - CONTABILIDADE EMPRESARIAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CONTABILIDADE EMPRESARIAL - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docxATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
 
Power BI: A ferramenta da Microsoft que vem ganhando o mercado.
Power BI: A ferramenta da Microsoft que vem ganhando o mercado.Power BI: A ferramenta da Microsoft que vem ganhando o mercado.
Power BI: A ferramenta da Microsoft que vem ganhando o mercado.
 
ATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docxATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docxATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TI - BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA EM TI - 512024.docx
 

A bruxa e o caldeirao

  • 1. José Leon Machado Ilustrações de Alexandre Bandeira Rodrigues A bruxa e o caldeirão
  • 2. Quando preparava uma sopa com uns olhinhos de couve para o jantar, a bruxa constatou que o caldeirão estava furado. Não era muito, não senhor. Um furo pequeníssimo, quase invisível. Mas era o suficiente para, pinga que pinga, ir vertendo os líquidos e ir apagando o fogo. Nunca tal lhe tinha sucedido. 2
  • 3. Foi consultar o livro de feitiços, adquirido no tempo em que andara a tirar o curso superior de bruxaria por correspondência, folheou-o de ponta a ponta, confirmou no índice e nada encontrou sobre a forma de resolver o caso. Que haveria de fazer? Uma bruxa sem caldeirão era como padeiro sem forno. De que forma poderia ela agora preparar as horríveis poções? 3
  • 4. Para as coisas mais corriqueiras tinha a reserva dos frascos. Mas se lhe aparecia um daqueles casos em que era necessário preparar na hora uma mistela? Como o da filha de um aldeão que engolira uma nuvem e foi preciso fazer um vomitório especial com trovisco, rosmaninho, três dentes de alho, uma semente de abóbora seca, uma asa de morcego e cinco aparas de unhas de gato. Se a moça vomitou a nuvem? Pois não haveria de vomitar? Com a potência do remédio, além da nuvem, vomitou uma grande chuvada de granizo que furou os telhados das casas em redor. 4
  • 5. Era muito aborrecido aquele furo no caldeirão. Nem a sopa do dia-a-dia podia cozinhar. Mantinha-se a pão e água, que remédio, enquanto não encontrasse uma forma de resolver o caso. Matutou dias seguidos no assunto e começou a desconfiar se o mercador que lhe vendera o caldeirão na feira há muitos anos atrás a não teria enganado com material de segunda categoria. A ela, bruxa inexperiente e a dar os primeiros passos nas artes mágicas, podia facilmente ter-lhe dado um caldeirão com defeito. 5
  • 6. Decidiu então ir à próxima feira e levar o caldeirão ao mercador. Procurando na secção das vendas de apetrechos de cozinha, a bruxa verificou que o mercador já não era o mesmo. Era neto do outro e, claro, não se lembrava – nem podia – das tropelias comerciais do seu falecido avô. Ficou desapontada. Perguntou-lhe, todavia, o que podia fazer com o caldeirão furado. O mercador mirou-o, remirou-o, sopesou-o com ambas as mãos e disse: 6
  • 7. – Este está bom é para você pôr ao pé da porta a fazer de vaso. Com uns pés de sardinheiras ficava bem bonito. A bruxa irritou-se com a sugestão e, não fosse a gente toda ali na feira a comprar e a vender, transformava-o em onagro. Acabou por dizer: – A solução parece boa, sim senhor. Mas diga-me cá: Se ponho o caldeirão a fazer de vaso, onde cozinho eu depois? – Neste novo que aqui tenho e com um preço muito em conta... A bruxa olhou para o caldeirão que o mercador lhe apontava, sobressaindo num monte de muitos outros, de um brilhante avermelhado, mesmo a pedir que o levassem. A bruxa, que tinha os seus brios de mulher, ficou encantada. 7
  • 8. O mercador aproveitou a ocasião para tecer os maiores elogios ao artigo, gabando a dureza e a grossura do cobre, os rendilhados da barriga, o feitio da asa em meia lua, a capacidade e o peso, tão leve como um bom caldeirão podia ser, fácil de carregar para qualquer lado. – Pois bem, levo-o. O mercador esfregou as mãos de contente. – Mas aviso-o – acrescentou a bruxa. – Se lhe acontecer o mesmo que ao outro, pode ter a certeza de que o transformarei em sapo. O mercador riu-se do disparate enquanto embrulhava o artigo. 8
  • 9. Os anos foram passando e a bruxa continuou no seu labor. Até que um dia deu por um furo no novo e agora velho caldeirão. Rogou uma praga tamanha que o neto do segundo mercador que lho vendera, a essa hora, em vez de estar a comer o caldo na mesa com a família, estava num charco a apanhar moscas. 9
  • 10. Ficha Técnica Título: A Bruxa e o Caldeirão © Copyright José Leon Machado Ilustrações de Alexandre Bandeira Rodrigues Todos os direitos reservados Edições Vercial, Outubro de 2003 URL: www.ipn.pt/literatura E-mail: pvercial@iol.pt