SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
Baixar para ler offline
DST´s
(doençassexualmente
transmissíveis)
• São doenças causadaspor
agentes diversos (vírus,
bactérias,protozoários, etc),
transmitidode pessoa para
pessoa por meio de
atividades sexuais.
Doença causada pelo vírus
HPV (papiloma vírus humano),
caracteriza-se pelo surgimento
de pequenas verrugas
isoladas ou agrupadas na
região anal ou genital, é uma
doença especialmente
perigosa quando afeta a
gestante, pois o crescimento
das verrugas pode obstruir o
canal vaginal levando a
necessidade de cesariana.
Também
conhecida como
crista de galo,
verruga genital,
couve-flor...
Sua característica é o
surgimento de várias lesões,
essas são dolorosas, de
fundo irregular, coberta de
secreção amarela com odor
fétido, e com facilidade para o
sangramento.
Nos homens é fácil aparecer
lesões nas coxas decorrentes
do contato do próprio pênis
infectado.
Também chamada de Cancro Venéreo
Simples ou “Cavalo”, causada por
bactérias.
Causada pela bactéria
Treponema Pallidum,
pode atingir qualquer
tecido ou órgão e tende a
evoluir cronicamente. É
de fácil tratamento,
porém de extrema
preocupação pelo fato do
conhecimento das
conseqüências
decorrentes da evolução
da doença.
Ela pode também ser transmitida da
mãe para o feto durante a gestação.
O vírus do herpes
causa pequenas
bolhas dolorosas
agrupadas, que se
abrem nos órgãos
genitais, coxas,
nádegas e virilhas de
ambos os sexos,
provocando coceiras
e sensibilidade.
Uma vez infectado, o vírus
permanecerá no corpo pelo
resto de sua vida.
É causada por um
protozoário chamado
Trichomonas vaginalis,
atinge o órgão genital após a
relação sexual. É frequente
em mulheres. O doente
apresenta corrimento
amarelado, espesso de odor
fétido (tipo peixe podre), dor
nas relações sexuais,
ardência e coceira na região
genital.
Causada pelo fungo
Cândida Albicans, que
habita a vagina, sem
causar sintomas. Se
manifesta mediante
condições de
desequilíbrio da flora
vaginal como: gravidez,
diabetes, AIDS,
imunidade baixa, período
menstrual e más
condições de higiene.
Causada pela bactéria
Neisseria gonorrhoeae,
manifesta nos homens
ardor ao urinar e
produção de secreção
uretral amarelada
poucos dias após a
infecção. Nas mulheres,
porém, os sintomas são
pouco evidentes.
AIDS
PERIGO REAL
FORMAS DE TRANSMISSÃO
SEXO VAGINAL
SEXO ANAL
AGULHAS
COMPARTILHADAS
SEXO ORAL
DA MÃE
PARA O BEBÊ
VOCÊ SABIA?
A AIDS pode atingir tanto o sexo feminino
quanto o masculino e não depende da
preferência sexual das pessoas.
Ela é causada por um vírus, o HIV, que
provoca uma destruição das defesas
naturais do corpo, de forma que o
organismo vai se enfraquecendo aos
poucos, ficando sujeito a uma série de
outras doenças.
A AIDS, QUANDO JÁ ESTÁ DECLARADA, APRESENTA UMA
SÉRIE DE SINTOMAS QUE SÃO COMUNS A OUTRAS DOENÇAS
CANSAÇO PERMANENTE
NÃO RELACIONADO A
ESFORÇO FÍSICO
GRANDE PERDA DE PESO
SEM EXPLICAÇÃO
FEBRE
SUOR NOTURNO E
DIARRÉIA FREQUENTE
SEM CAUSA DEFINIDA
ÍNGUAS POR TODO
O CORPO
INFECÇÃO FÚNGICA
NA BOCA
TOSSE SECA
PERSISTENTE
MANCHAS ROCHAS
OU ROSADAS NA
PELE
FIQUE SABENDO...
HAVENDO MUITOS PARCEIROS SEXUAIS O RISCO É MAIOR
O USO DA CAMISINHA É INDISPENSÁVEL
CORTES OU FERIDAS NÃO DEVEM FICAR EXPOSTOS AO CONTATO
COM SANGUE DE OUTRA PESSOA
AGULHAS DESCARTÁVEIS JAMAIS DEVEM SER REUTILIZADAS
O ESPERMA NUNCA DEVE ENTRAR EM CONTATO COM
PARTES INTERNAS DO SEU CORPO
ESSA ATITUDE É SUA!!!!!
A TRANSMISSÃO DO VÍRUS DA AIDS OCORRE
FEITO UMA CORRENTE.
Transou com
VÍRUS
DA
AIDS
Ana
João
Tereza
Chico
Marcelo
CarlaAbel
Maria
Lúcia
Tony
Selma
CONTATO COM SALIVA, LÁGRIMA, SUOR, TOSSE, ESPIRRO
NÃO TRANSMITEM AIDS.
O USO DE TRANSPORTE PÚBLICO, CANETAS, PISCINAS,
MAÇANETAS, CAMAS, SABONETES, COPOS NÃO TRASMITEM AIDS
CARINHO E AMOR, RELAÇÃO SEXUAL SEM PENETRAÇÃO E SEM CONTATO
COM LÍQUIDOS INTERNOS DO CORPO DE CADA UM NÃO TRANSMITE AIDS
DOAR SANGUE, DESDE QUE SE UTILIZEM MATERIAIS DESCARTÁVEIS
NÃO TRANSMITE AIDS
PICADAS DE MOSQUITOS NÃO TRANSMITEM AIDS
C
A
M
I
S
I
N
H
A
DSTs: principais doenças sexualmente transmissíveis
DSTs: principais doenças sexualmente transmissíveis
DSTs: principais doenças sexualmente transmissíveis
DSTs: principais doenças sexualmente transmissíveis

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
 
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTsDOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
 
Aula 01 dst
Aula 01  dstAula 01  dst
Aula 01 dst
 
DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis)
DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis)DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis)
DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis)
 
Cartilha de DST
Cartilha de  DST Cartilha de  DST
Cartilha de DST
 
MéTodos Contraceptivos
MéTodos  ContraceptivosMéTodos  Contraceptivos
MéTodos Contraceptivos
 
DST
DSTDST
DST
 
Dst aids para adolescentes
Dst   aids para adolescentesDst   aids para adolescentes
Dst aids para adolescentes
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
 
DSTs
DSTsDSTs
DSTs
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
DSTs
DSTsDSTs
DSTs
 
Dst na adolescência
Dst na adolescênciaDst na adolescência
Dst na adolescência
 
DST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
DST / IST - Infecções Sexualmente TransmissívesDST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
DST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
 
Dst
DstDst
Dst
 
Dst/aids SIPAT (oficial)
Dst/aids SIPAT (oficial)Dst/aids SIPAT (oficial)
Dst/aids SIPAT (oficial)
 
Dst
DstDst
Dst
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis - Dst
Doenças Sexualmente Transmissíveis - DstDoenças Sexualmente Transmissíveis - Dst
Doenças Sexualmente Transmissíveis - Dst
 
Clamídia apresentação
Clamídia apresentaçãoClamídia apresentação
Clamídia apresentação
 
Apresentação dst
Apresentação dstApresentação dst
Apresentação dst
 

Destaque

Interacoes medicamentosas tratamento HIV Aids 2016
Interacoes medicamentosas tratamento HIV Aids 2016Interacoes medicamentosas tratamento HIV Aids 2016
Interacoes medicamentosas tratamento HIV Aids 2016Alexandre Naime Barbosa
 
O Risco das Arboviroses e das DSTs: Comportamento, Atitudes, Conhecimento e ...
O Risco das Arboviroses e das DSTs:  Comportamento, Atitudes, Conhecimento e ...O Risco das Arboviroses e das DSTs:  Comportamento, Atitudes, Conhecimento e ...
O Risco das Arboviroses e das DSTs: Comportamento, Atitudes, Conhecimento e ...Alexandre Naime Barbosa
 
Pesquisa Ministério da Saúde sobre Arboviroses
Pesquisa Ministério da Saúde sobre ArbovirosesPesquisa Ministério da Saúde sobre Arboviroses
Pesquisa Ministério da Saúde sobre ArbovirosesPortal NE10
 
Febre amarela apresentação comdema
Febre amarela   apresentação comdemaFebre amarela   apresentação comdema
Febre amarela apresentação comdemaResgate Cambuí
 
Diagnostico Manejo Falha Tratamento HIV Aids - 2016
Diagnostico Manejo Falha Tratamento HIV Aids - 2016Diagnostico Manejo Falha Tratamento HIV Aids - 2016
Diagnostico Manejo Falha Tratamento HIV Aids - 2016Alexandre Naime Barbosa
 
Arboviroses e Influenza Desmistificando e Esclarecendo
Arboviroses e Influenza  Desmistificando e EsclarecendoArboviroses e Influenza  Desmistificando e Esclarecendo
Arboviroses e Influenza Desmistificando e EsclarecendoAlexandre Naime Barbosa
 
Hepatite b atualizacao terapeutica residencia infectologia unesp 2017
Hepatite b   atualizacao terapeutica residencia infectologia unesp 2017Hepatite b   atualizacao terapeutica residencia infectologia unesp 2017
Hepatite b atualizacao terapeutica residencia infectologia unesp 2017Alexandre Naime Barbosa
 
ENFRENTAMENTO DO HIV E Aids EM IDOSOS
ENFRENTAMENTO DO HIV E Aids EM IDOSOSENFRENTAMENTO DO HIV E Aids EM IDOSOS
ENFRENTAMENTO DO HIV E Aids EM IDOSOSValdirene1977
 
Cadeia epidemiológica das arboviroses
Cadeia epidemiológica das arbovirosesCadeia epidemiológica das arboviroses
Cadeia epidemiológica das arbovirosesSamuel Cevidanes
 
Febre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota InformativaFebre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota Informativablogped1
 
Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1
Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1
Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1Cintia Do Nascimento Batista
 
HIV/Aids em 2016 Manejo e Prevenção nos dias de hoje
HIV/Aids em 2016  Manejo e Prevenção nos dias de hojeHIV/Aids em 2016  Manejo e Prevenção nos dias de hoje
HIV/Aids em 2016 Manejo e Prevenção nos dias de hojeAlexandre Naime Barbosa
 
Arbovírus e arboviruses prof. Clovis Gurski - Biólogo
Arbovírus e arboviruses   prof. Clovis Gurski - BiólogoArbovírus e arboviruses   prof. Clovis Gurski - Biólogo
Arbovírus e arboviruses prof. Clovis Gurski - BiólogoClovis Gurski
 

Destaque (20)

Interacoes medicamentosas tratamento HIV Aids 2016
Interacoes medicamentosas tratamento HIV Aids 2016Interacoes medicamentosas tratamento HIV Aids 2016
Interacoes medicamentosas tratamento HIV Aids 2016
 
O Risco das Arboviroses e das DSTs: Comportamento, Atitudes, Conhecimento e ...
O Risco das Arboviroses e das DSTs:  Comportamento, Atitudes, Conhecimento e ...O Risco das Arboviroses e das DSTs:  Comportamento, Atitudes, Conhecimento e ...
O Risco das Arboviroses e das DSTs: Comportamento, Atitudes, Conhecimento e ...
 
Lia Giraldo da Silva Augusto: Controle vetorial das arboviroses
Lia Giraldo da Silva Augusto: Controle vetorial das arbovirosesLia Giraldo da Silva Augusto: Controle vetorial das arboviroses
Lia Giraldo da Silva Augusto: Controle vetorial das arboviroses
 
Pesquisa Ministério da Saúde sobre Arboviroses
Pesquisa Ministério da Saúde sobre ArbovirosesPesquisa Ministério da Saúde sobre Arboviroses
Pesquisa Ministério da Saúde sobre Arboviroses
 
Febre amarela apresentação comdema
Febre amarela   apresentação comdemaFebre amarela   apresentação comdema
Febre amarela apresentação comdema
 
Diagnostico Manejo Falha Tratamento HIV Aids - 2016
Diagnostico Manejo Falha Tratamento HIV Aids - 2016Diagnostico Manejo Falha Tratamento HIV Aids - 2016
Diagnostico Manejo Falha Tratamento HIV Aids - 2016
 
Arboviroses e Influenza Desmistificando e Esclarecendo
Arboviroses e Influenza  Desmistificando e EsclarecendoArboviroses e Influenza  Desmistificando e Esclarecendo
Arboviroses e Influenza Desmistificando e Esclarecendo
 
HIV/Aids: Moderna Epidemiologia
HIV/Aids: Moderna EpidemiologiaHIV/Aids: Moderna Epidemiologia
HIV/Aids: Moderna Epidemiologia
 
Hepatite b atualizacao terapeutica residencia infectologia unesp 2017
Hepatite b   atualizacao terapeutica residencia infectologia unesp 2017Hepatite b   atualizacao terapeutica residencia infectologia unesp 2017
Hepatite b atualizacao terapeutica residencia infectologia unesp 2017
 
ENFRENTAMENTO DO HIV E Aids EM IDOSOS
ENFRENTAMENTO DO HIV E Aids EM IDOSOSENFRENTAMENTO DO HIV E Aids EM IDOSOS
ENFRENTAMENTO DO HIV E Aids EM IDOSOS
 
CT Epidemiologia - 21.03.16 - COMPLICAÇÕES NEUROLÓGICAS ASSOCIADAS AS ARBOVIR...
CT Epidemiologia - 21.03.16 - COMPLICAÇÕES NEUROLÓGICAS ASSOCIADAS AS ARBOVIR...CT Epidemiologia - 21.03.16 - COMPLICAÇÕES NEUROLÓGICAS ASSOCIADAS AS ARBOVIR...
CT Epidemiologia - 21.03.16 - COMPLICAÇÕES NEUROLÓGICAS ASSOCIADAS AS ARBOVIR...
 
CT Epidemiologia - 21.03.16 - Manifestações neurológicas associadas às arbovi...
CT Epidemiologia - 21.03.16 - Manifestações neurológicas associadas às arbovi...CT Epidemiologia - 21.03.16 - Manifestações neurológicas associadas às arbovi...
CT Epidemiologia - 21.03.16 - Manifestações neurológicas associadas às arbovi...
 
Cadeia epidemiológica das arboviroses
Cadeia epidemiológica das arbovirosesCadeia epidemiológica das arboviroses
Cadeia epidemiológica das arboviroses
 
Febre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota InformativaFebre amarela: Nota Informativa
Febre amarela: Nota Informativa
 
Medicalização e sociedade
Medicalização e sociedadeMedicalização e sociedade
Medicalização e sociedade
 
Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1
Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1
Aula+2+estratégias+para+prevenção+da+transmissão+de+infecções 1
 
HIV/Aids em 2016 Manejo e Prevenção nos dias de hoje
HIV/Aids em 2016  Manejo e Prevenção nos dias de hojeHIV/Aids em 2016  Manejo e Prevenção nos dias de hoje
HIV/Aids em 2016 Manejo e Prevenção nos dias de hoje
 
Arboviroses
ArbovirosesArboviroses
Arboviroses
 
ATRIBUIÇÕES DAS SES (VIGILÂNCIA EM SAÚDE) NO CONTROLE DAS ARBOVIROSES
ATRIBUIÇÕES DAS SES  (VIGILÂNCIA EM SAÚDE)  NO CONTROLE DAS ARBOVIROSESATRIBUIÇÕES DAS SES  (VIGILÂNCIA EM SAÚDE)  NO CONTROLE DAS ARBOVIROSES
ATRIBUIÇÕES DAS SES (VIGILÂNCIA EM SAÚDE) NO CONTROLE DAS ARBOVIROSES
 
Arbovírus e arboviruses prof. Clovis Gurski - Biólogo
Arbovírus e arboviruses   prof. Clovis Gurski - BiólogoArbovírus e arboviruses   prof. Clovis Gurski - Biólogo
Arbovírus e arboviruses prof. Clovis Gurski - Biólogo
 

Semelhante a DSTs: principais doenças sexualmente transmissíveis

Dst – doenças sexualmente transmissíveis
Dst – doenças sexualmente transmissíveisDst – doenças sexualmente transmissíveis
Dst – doenças sexualmente transmissíveisAllan Ribeiro
 
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)Luis Augusto
 
----------sexualidade_e_ISTS_AULA EM PPT
----------sexualidade_e_ISTS_AULA EM PPT----------sexualidade_e_ISTS_AULA EM PPT
----------sexualidade_e_ISTS_AULA EM PPTRebecaBelensFerreira
 
doenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptx
doenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptxdoenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptx
doenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptxLarissaNunes853369
 
As doenças sexualmente transmíssíveis
As doenças sexualmente transmíssíveisAs doenças sexualmente transmíssíveis
As doenças sexualmente transmíssíveispedrobrandao39
 
Dst telma, mafalda, teresa e mariana
Dst  telma, mafalda, teresa e marianaDst  telma, mafalda, teresa e mariana
Dst telma, mafalda, teresa e marianaBESL
 
As Doenças Sexualmente transmitidas
As Doenças Sexualmente transmitidasAs Doenças Sexualmente transmitidas
As Doenças Sexualmente transmitidasRicardo Brasil
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisLoune93
 
Trabalho Sobre DST's
Trabalho Sobre DST'sTrabalho Sobre DST's
Trabalho Sobre DST'sguest2e51e6
 
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdf
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdfINFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdf
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdfMARCELACARNEIROGOMES
 
AULA+5+Mod.+II-+ISTS+e+HIV-AIDS_compressed.pdf
AULA+5+Mod.+II-+ISTS+e+HIV-AIDS_compressed.pdfAULA+5+Mod.+II-+ISTS+e+HIV-AIDS_compressed.pdf
AULA+5+Mod.+II-+ISTS+e+HIV-AIDS_compressed.pdfYuriMoraes9
 
AIDS trabalho com DSTs na EJA
AIDS trabalho com DSTs na EJAAIDS trabalho com DSTs na EJA
AIDS trabalho com DSTs na EJARayaneValentim1
 

Semelhante a DSTs: principais doenças sexualmente transmissíveis (20)

Dst – doenças sexualmente transmissíveis
Dst – doenças sexualmente transmissíveisDst – doenças sexualmente transmissíveis
Dst – doenças sexualmente transmissíveis
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
 
Cristiana
CristianaCristiana
Cristiana
 
DST
DSTDST
DST
 
Sexualidade e DST.pdf
Sexualidade e DST.pdfSexualidade e DST.pdf
Sexualidade e DST.pdf
 
----------sexualidade_e_ISTS_AULA EM PPT
----------sexualidade_e_ISTS_AULA EM PPT----------sexualidade_e_ISTS_AULA EM PPT
----------sexualidade_e_ISTS_AULA EM PPT
 
doenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptx
doenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptxdoenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptx
doenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptx
 
As doenças sexualmente transmíssíveis
As doenças sexualmente transmíssíveisAs doenças sexualmente transmíssíveis
As doenças sexualmente transmíssíveis
 
Dst telma, mafalda, teresa e mariana
Dst  telma, mafalda, teresa e marianaDst  telma, mafalda, teresa e mariana
Dst telma, mafalda, teresa e mariana
 
SLIDE DST..pptx
SLIDE DST..pptxSLIDE DST..pptx
SLIDE DST..pptx
 
Dst
DstDst
Dst
 
As Doenças Sexualmente transmitidas
As Doenças Sexualmente transmitidasAs Doenças Sexualmente transmitidas
As Doenças Sexualmente transmitidas
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
Trabalho Sobre DST's
Trabalho Sobre DST'sTrabalho Sobre DST's
Trabalho Sobre DST's
 
Dst
DstDst
Dst
 
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdf
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdfINFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdf
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdf
 
AULA+5+Mod.+II-+ISTS+e+HIV-AIDS_compressed.pdf
AULA+5+Mod.+II-+ISTS+e+HIV-AIDS_compressed.pdfAULA+5+Mod.+II-+ISTS+e+HIV-AIDS_compressed.pdf
AULA+5+Mod.+II-+ISTS+e+HIV-AIDS_compressed.pdf
 
AIDS trabalho com DSTs na EJA
AIDS trabalho com DSTs na EJAAIDS trabalho com DSTs na EJA
AIDS trabalho com DSTs na EJA
 
AIDS
AIDSAIDS
AIDS
 

DSTs: principais doenças sexualmente transmissíveis

  • 1.
  • 2. DST´s (doençassexualmente transmissíveis) • São doenças causadaspor agentes diversos (vírus, bactérias,protozoários, etc), transmitidode pessoa para pessoa por meio de atividades sexuais.
  • 3.
  • 4. Doença causada pelo vírus HPV (papiloma vírus humano), caracteriza-se pelo surgimento de pequenas verrugas isoladas ou agrupadas na região anal ou genital, é uma doença especialmente perigosa quando afeta a gestante, pois o crescimento das verrugas pode obstruir o canal vaginal levando a necessidade de cesariana.
  • 5. Também conhecida como crista de galo, verruga genital, couve-flor...
  • 6.
  • 7. Sua característica é o surgimento de várias lesões, essas são dolorosas, de fundo irregular, coberta de secreção amarela com odor fétido, e com facilidade para o sangramento. Nos homens é fácil aparecer lesões nas coxas decorrentes do contato do próprio pênis infectado.
  • 8. Também chamada de Cancro Venéreo Simples ou “Cavalo”, causada por bactérias.
  • 9. Causada pela bactéria Treponema Pallidum, pode atingir qualquer tecido ou órgão e tende a evoluir cronicamente. É de fácil tratamento, porém de extrema preocupação pelo fato do conhecimento das conseqüências decorrentes da evolução da doença.
  • 10.
  • 11. Ela pode também ser transmitida da mãe para o feto durante a gestação.
  • 12. O vírus do herpes causa pequenas bolhas dolorosas agrupadas, que se abrem nos órgãos genitais, coxas, nádegas e virilhas de ambos os sexos, provocando coceiras e sensibilidade.
  • 13. Uma vez infectado, o vírus permanecerá no corpo pelo resto de sua vida.
  • 14.
  • 15.
  • 16. É causada por um protozoário chamado Trichomonas vaginalis, atinge o órgão genital após a relação sexual. É frequente em mulheres. O doente apresenta corrimento amarelado, espesso de odor fétido (tipo peixe podre), dor nas relações sexuais, ardência e coceira na região genital.
  • 17. Causada pelo fungo Cândida Albicans, que habita a vagina, sem causar sintomas. Se manifesta mediante condições de desequilíbrio da flora vaginal como: gravidez, diabetes, AIDS, imunidade baixa, período menstrual e más condições de higiene.
  • 18. Causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, manifesta nos homens ardor ao urinar e produção de secreção uretral amarelada poucos dias após a infecção. Nas mulheres, porém, os sintomas são pouco evidentes.
  • 19.
  • 21. FORMAS DE TRANSMISSÃO SEXO VAGINAL SEXO ANAL AGULHAS COMPARTILHADAS SEXO ORAL DA MÃE PARA O BEBÊ
  • 22. VOCÊ SABIA? A AIDS pode atingir tanto o sexo feminino quanto o masculino e não depende da preferência sexual das pessoas. Ela é causada por um vírus, o HIV, que provoca uma destruição das defesas naturais do corpo, de forma que o organismo vai se enfraquecendo aos poucos, ficando sujeito a uma série de outras doenças.
  • 23. A AIDS, QUANDO JÁ ESTÁ DECLARADA, APRESENTA UMA SÉRIE DE SINTOMAS QUE SÃO COMUNS A OUTRAS DOENÇAS
  • 24. CANSAÇO PERMANENTE NÃO RELACIONADO A ESFORÇO FÍSICO GRANDE PERDA DE PESO SEM EXPLICAÇÃO FEBRE SUOR NOTURNO E DIARRÉIA FREQUENTE SEM CAUSA DEFINIDA ÍNGUAS POR TODO O CORPO INFECÇÃO FÚNGICA NA BOCA TOSSE SECA PERSISTENTE MANCHAS ROCHAS OU ROSADAS NA PELE
  • 25.
  • 27. HAVENDO MUITOS PARCEIROS SEXUAIS O RISCO É MAIOR O USO DA CAMISINHA É INDISPENSÁVEL CORTES OU FERIDAS NÃO DEVEM FICAR EXPOSTOS AO CONTATO COM SANGUE DE OUTRA PESSOA AGULHAS DESCARTÁVEIS JAMAIS DEVEM SER REUTILIZADAS O ESPERMA NUNCA DEVE ENTRAR EM CONTATO COM PARTES INTERNAS DO SEU CORPO ESSA ATITUDE É SUA!!!!!
  • 28. A TRANSMISSÃO DO VÍRUS DA AIDS OCORRE FEITO UMA CORRENTE. Transou com VÍRUS DA AIDS Ana João Tereza Chico Marcelo CarlaAbel Maria Lúcia Tony Selma
  • 29. CONTATO COM SALIVA, LÁGRIMA, SUOR, TOSSE, ESPIRRO NÃO TRANSMITEM AIDS. O USO DE TRANSPORTE PÚBLICO, CANETAS, PISCINAS, MAÇANETAS, CAMAS, SABONETES, COPOS NÃO TRASMITEM AIDS CARINHO E AMOR, RELAÇÃO SEXUAL SEM PENETRAÇÃO E SEM CONTATO COM LÍQUIDOS INTERNOS DO CORPO DE CADA UM NÃO TRANSMITE AIDS DOAR SANGUE, DESDE QUE SE UTILIZEM MATERIAIS DESCARTÁVEIS NÃO TRANSMITE AIDS PICADAS DE MOSQUITOS NÃO TRANSMITEM AIDS