Relatório da ação

263 visualizações

Publicada em

Refleção da ação de formação "A Biblioteca Escolar e a Web 2.0"

Publicada em: Educação, Tecnologia, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
263
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatório da ação

  1. 1. Relatório da AçãoInscrevi-me nesta Ação de Formação, com o intuito de aprender e aplicar ferramentasda Web 2.0 na Biblioteca Escolar onde desenvolvo a minha actividade, com afinalidade de a tornar mais interativa, colaborativa e incentiva na Comunidade Escolar.Procurei realizar as tarefas que me foram propostas. Algumas, concretizei-as commenos eficácia, uma vez que senti necessidade de aprofundar outras áreas. Tive apreocupação de me informar sobre a utilidade de todos os recursos disponibilizadosnesta formação, permitindo assim explorá-los posteriormente e poder aplicá-los naminha biblioteca. Refiro-me à Agregação de conteúdos, ao desenvolvimento de redessociais, aos direitos de autor contra o plágio, os “RSS feed”, à produção de ficheirosáudio, Picasa, etc.O número de horas utilizadas nesta formação ultrapassou em muito as 30 horaspropostas, pois foi o meu primeiro contacto com a utilização de ferramentas da Web2.0 na Biblioteca Escolar.O balanço desta acção é muito positivo, pois, permite-me criar novas formas detrabalho na biblioteca, a fim de a tornar mais produtiva junto da Comunidade Escolar.Aprendi a necessidade de estar em formação contínua, para melhorar as minhascompetências profissionais. No futuro, gostaria de ter a oportunidade de obter maisformação com o intuito de melhorar a minha vida profissional.Iniciei a minha ação de formação com a criação de um blogue intitulado “voz ativa”.Aprendi a criar várias páginas para melhor destacar as diferentes temáticas. Coloquei omotor de pesquisa para visualizar os assuntos pretendidos.A página inicial do blogue contém várias “postagens” e desloca as mais recentes para otopo. As outras páginas criadas com as designações de Leituras, Blogue BibliotecaESVF, RBE, Formação e Música, funcionam de uma maneira diferente, autónomas emrelação à página inicial por ser somente possível uma postagem em cada uma delas.Num blogue, postar e comentar são duas atitudes fundamentais no desenvolvimentodo espírito crítico, aumentando o nível de interação social online. Com os comentários,é possível criar outras publicações e melhorar as existentes.O seminário “Boas Práticas: Tecnológicas Digitais na Biblioteca Escolar” despertou-mepara a importância dos recursos digitais disponíveis numa biblioteca, nomeadamente,para a divulgação de leituras, com a possibilidade de colocar online “ebooks”, para aconsulta dos alunos e restante comunidade. Neste sentido, aproveitei os pontos fracosda minha biblioteca e elaborei um plano de ação, a concretizar a curto prazo, paraaplicar já no próximo ano letivo 2013-2014.Na elaboração dos pontos fracos e fortes da minha biblioteca escolar, utilizei o“Slideshare”, o qual permitiu usar fotos para o enquadramento dos respetivos pontos.Após o comentário da minha formadora, tive oportunidade de enriquecer o blogue,com a publicação da última revista “Opsis”, publicada no “site” da Escola SecundáriaVergílio Ferreira, onde desenvolvo a minha atividade, recorrendo à ferramenta digital
  2. 2. “Issuu”, a qual permite uma visualização direta da respetiva revista em formatoaproximado de revista.No futuro, poder-se-á utilizar o “Issuu”, para reformular a publicação de todas asrevistas “Opsis” já publicadas, tornando mais atrativa a leitura das mesmas.Sobre a influência da Web 2.0 nas Bibliotecas Escolares, fiz várias pesquisas, tendoselecionado o vídeo “Bibliotecas Escolares 2.0 mpg”, que destaca o efeito dastecnologias 2.0 na aquisição de novas competências e novas formas de aprendizagemda Biblioteca Escolar.Efetivamente, este vídeo evidencia o novo papel do professor bibliotecário, que temde conhecer, estar imbuído e envolvido nas tecnologias, de acordo com o novoconceito de Biblioteca Escolar 2.0. Assim, ilustra três conceitos básicos que umabiblioteca deve assumir: informativo, transformativo e formativo.No âmbito das ferramentas, o blogue é colocado ao serviço da Biblioteca Escolar,visando difundir a sua missão, incluir os serviços que presta e disponibilizar “ebooks”para consultas. Mostra igualmente as vantagens do blogue, que além de ser gratuito, émuito prático e versátil na sua utilização, disponibilizando espaço para textos, fotos,vídeos, etc.Uma outra razão que se prende com a seleção do vídeo em questão, tem a ver com autilidade que disponibiliza aos servidores da Web: compartilhar e armazenar arquivos(áudio, vídeo, imagens, etc), os quais podem ser consultados de forma aberta. Além domais, exemplifica o “Flick”, como sendo um sítio da Web que permite armazenar,ordenar, procurar e compartilhar fotografias e vídeos online e, sendo uma ferramentade marketing, é útil na Biblioteca Escolar.O vídeo mostra ainda outras potencialidades digitais, tais como, o “Youtube”, comosendo um sítio da Web, ao qual os utilizadores podem aceder facilmente ecompartilhar vídeos. Numa Biblioteca Escolar poderia ser utilizado para entrevistas aalunos, para o arquivo digital da escola, registar ou filmar dados do Bairro/Freguesia(Memória) e ainda, produzir vídeos com atividades que se realizam na Biblioteca.Apresenta a ferramenta digital “Slideshare”, como sendo um serviço gratuito, dondeos utilizadores podem enviar apresentações, às quais podem complementar (“tags”)com informação do seu conteúdo. Também mostra como aplicar esta ferramentanuma Biblioteca Escolar, permitindo a divulgação dos serviços, a organização dacoleção, condições de empréstimo, articulação de recursos online, atividadesplanificadas para o período letivo, a possibilidade dos alunos poderem colocarlegendas nas suas apresentações e ainda publicar o catálogo da biblioteca.O vídeo descreve a utilidade do “Scrib”, outra ferramenta que permite aos utilizadores,publicar textos de vários formatos e integrá-los numa página da Web.Este vídeo apresenta a rede social “Facebook”, com a qual é possível conetar muitosutilizadores entre si, mostrando para tal, a necessidade de criar uma conta de e-mail.Evidencia as vantagens desta rede, concretamente numa Biblioteca Escolar, propicia
  3. 3. um novo canal de comunicação, entre alunos e professores. Também permite divulgaros serviços e instalações da Biblioteca Escolar e outras aplicações.No vídeo em análise, podemos ainda observar outros recursos digitais como o “Twitter”,“Wiki” e os marcadores sociais. O “Twitter” é-nos apresentado como um serviço“microblogging”, o qual permite aos utilizadores enviar e ler micro-entradas de texto, de umalongitude máxima de 140 caracteres, denominados “Tweets”. O “Wiki” dá-nos a indicação deum sítio da Web, cujas páginas podem ser editadas por múltiplos voluntários, através donavegador Web, permitindo aos utilizadores criar e modificar o texto que compartilham.Quanto aos marcadores sociais, o vídeo revela a possibilidade dos utilizadores poderemcompilar os seus favoritos, de forma colaborativa, classificada, organizada e acessível a partirde qualquer computador ou Smarthone.Uma das tarefas propostas na Ação consistiu na publicação de um filme. Assim, produzi pelaprimeira vez, “videocast”, recorrendo ao Windows “MovieMaker”, com base em fotografiasrecolhidas na receção aos alunos dos 7º e 10º anos, no início do ano lectivo 2012-2013 naEscola Secundária de Vergílio Ferreira. Este projeto possibilitou-me a publicação deste filme, ea possibilidade de partilhá-lo com outras pessoas.Nesta formação aprendi a aplicar “Soundcloud” no blogue. Esta plataforma de distribuição deaúdio online possibilita a colaboração, promoção e distribuição de gravações de aúdio pelosutilizadores.Na formação participei pela primeira vez, numa sessão síncrona, “Teamviewer”, entreformadores e formandos, onde foi possível, uma conexão direta de aúdio e vídeo.As potencialidades de uma videoconferência online permitem criar soluções de aprendizagemcolaborativa, entre vários utilizadores, transferir arquivos para outro computador,compartilhar à distância uma área de trabalho de forma simples e rápida.Nas tarefas e recursos propostos conheci algumas ferramentas digitais, tais como:“Wikispace”, “Google Docs”, “Drop Box”, Scoop-it”, “Curadoria” e “Diigo”, descobrindo novaspotencialidades a utilizar na biblioteca.A plataforma disponibilizou vários textos para leitura, dando-me a oportunidade de explorar avertente 2.0 da Biblioteca Escolar. Destaco: “Manual de Ferramentas Web 2.0 paraprofessores”, “A Web 2.0 e a Biblioteca 2.0” e “Gestão e organização da coleção digital/RBE(2013)”.A formação possibilitou-me ainda a elaboração de um plano de ação a aplicar na minhabiblioteca com o título “Ler mais com outras ferramentas” no âmbito da promoção da leitura.Este plano consiste em disponibilizar “ebooks” online para apoiar os alunos e ainda no apoio a“links” referentes a Bibliotecas digitais.ConclusãoA ação de formação foi muito enriquecedora, pois, permitiu-me a aprendizagem das novastecnologias 2.0 a aplicar na Biblioteca Escolar onde desenvolvo a minha atividade. Abriu-menovos horizontes a explorar no futuro para melhorar as minhas competências profissionais.Tomei consciência do papel fundamental da importância de uma biblioteca bem apetrechada,com inúmeras e eficazes ferramentas digitais, as quais poderão contribuir, em grande escala,para o sucesso dos alunos, preparando-os para o futuro, concretamente, no campoprofissional.

×