Instrutor de trânsito cbo - descrição sumária

18.834 visualizações

Publicada em

1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.834
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
101
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Instrutor de trânsito cbo - descrição sumária

  1. 1. Registro Sindical n° 35.744.000.121· 1 9 CNPJn° 02.523.685/0001·86 Avenida Otávio Rocha. n° 22 - conj. 402 - Centro - POA/RS - 90020-150 - www.sinsrs.org.br-sinsrs@sinsrs.org.br CBO - Código Família Título 3331-05 - Instrutor de Trânsito - Auto-Escola Descrição Sumária Os profissionais dessa família ocupacional devem ser capazes de criar e planejar cursos livres, elaborar programas para empresas e clientes, definir materiais didáticos, ministrar aulas, avaliar alunos e sugerir mudanças estruturais em cursos. ATRIBUICÕES E REOUISITOS PROFISSIONAIS 1. - INSTRUTORES TEÓRICOS e PRÁTICOS I - instruir os alunos acerca dos conhecimentos teóricos e das habilidades necessanas à obtenção, alteração, renovação da permissão para dirigir e da autorização para conduzir ciclomotores; 11 - ministrar cursos de especialização e similares definidos em Resoluções do Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN; 111 - respeitar os horários preestabelecidos para as aulas e exames; IV - frequentar os cursos de aperfeiçoamento ou de reciclagem promovidos pelos órgãos executivos de trânsito dos Estados ou do Distrito Federal; V - orientar o aluno com segurança na aprendizagem de direção veicular. VI - Preparar e instrumentalizar os candidatos/condutores com conhecimentos teórico-técnicos e práticos, de acordo com as normas legais, para a condução segura e solidária de veículos. VII - Tratar os alunos com cordialidade e respeito. VIII - Respeitar os horários pré-estabelecidos no quadro de trabalho organizado pela Direção do CFC. IX - Freqüentar os cursos de aperfeiçoamento e/ou atualização determinados pelo DETRAN/RS. X - Acatar as determinações de ordem pedagógica ou administrativa baixadas pela Direção de Ensino ou pela Direção-Geral do CFC. XI - Registrar, na forma estabelecida pelo DETRAN/RS,as aulas ministradas, o aproveitamento e o desempenho obtido pelos alunos nos cursos teórico e prático. XII - Lançar no sistema informatizado as aulas teóricas e práticas ministradas, no prazo estipulado em normativas do DETRAN/RS,mantendo a consonância entre o registro físico e o registro do sistema informatizado. XIII - Manter postura ética, agindo com equilíbrio, discrição e profissionalismo durante o desenvolvimento de suas atividades. XIV - Atender às convocações do DETRAN/RSespecíficas de sua área. XV - Responsabilizar-se pelos seus atos em procedimentos decorrentes do uso da senha e do sistema informatizado do DETRAN/RS. XVI - ter, no mínimo, 21 (vinte e um) anos de idade; XVII - ter, pelo menos, 2 (dois) anos de efetiva habilitação legal para a condução de veículo e, no mínimo, 1 (um) ano na categoria D; XVIII - não ter cometido nenhuma infração de trânsito de natureza gravíssima nos últimos 60 (sessenta) dias; XIV - ter concluído o ensino médio; XX - possuir certificado de curso específico realizado pelo órgão executivo de trânsito; XXI - não ter sofrido penalidade de cassação da Carteira Nacional de Habilitação - CNH; XXII - ter participado de curso de direção defensiva e primeiros socorros.
  2. 2. 2. - EXAMINADORES TEÓRICOS e PRÁTICOS I- Aplicar os exames teóricos e práticos necessários a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação - CNH. 11 - Tratar os candidatos com cordialidade e respeito. lU - Respeitar os horários pré-estabelecidos, atendendo com presteza as demandas existentes. IV - Freqüentar os cursos de aperfeiçoamento ou de atualização determinados pelo DETRAN/RS. V - Registrar, na forma estabelecida pelo DETRAN/RS, os resultados dos exames efetuados. VI - Zelar para que a avaliação do candidato se dê de forma justa e imparcial, balizada por critérios técnicos e legais. VII - Informar ao candidato, ao final da prova prática, o resultado obtido, esclarecendo eventuais falhas cometidas. VIII - Manter postura ética, agindo com equilíbrio, discrição e profissionalismo durante o desenvolvimento de suas atividades. IX - Portar credencial e crachá de identificação. X - Atender as convocações do DETRAN/RS específicas de sua área. XI - Primar pela boa apresentação, usando trajes discretos e adequados a sua função. 3. - DIRETOR DE ENSINO I - Orientar, assessorar e supervisionar os instrutores no emprego de métodos, técnicas e procedimentos didáticos e pedagógicos. 11 - Manter atualizados e organizados os registros de aproveitamento e de freqüência dos alunos nas aulas teóricas e práticas, bem como outros dados pertinentes. 111 - Manter atualizados e organizados os registros dos instrutores e dos resultados apresentados no desempenho das suas atividades. IV - Elaborar, anualmente, planejamento do setor de ensino e desenvolver as atividades nele previstas. V - Manter postura ética, agindo com equilíbrio, discrição e profissionalismo durante o desenvolvimento de suas atividades. VI - Atender às convocações do DETRAN/RS específicas de sua área. VII - Responsabilizar-se pelos seus atos em procedimentos decorrentes do uso da senha e do sistema informatizado do DETRAN/RS. VIII - Organizar o quadro de trabalho a ser cumprido pelos instrutores. IX - Fazer cumprir pelos instrutores e alunos a legislação de trânsito relacionada com a organização e funcionamento do CFC e a aprendizagem dos alunos. X - Fiscalizar as atividades dos instrutores a fim de ser assegurada a eficiência do ensino. XI - Substituir o Diretor-Geral nas situações previstas e autorizadas pelo DETRAN/RS. 4. - DIRETOR-GERAL I- Estabelecer relações oficiais com os órgãos do Sistema de Trânsito. 11 - Responder e acompanhar recursos interpostos pelos alunos contra qualquer ato julgado prejudicial praticado no decurso das atividades de formação do candidato/condutor. 111 - Promover atividades que contribuam para a conscientização do condutor no complexo do trânsito. IV - Praticar outros atos administrativos necessários a realização das atividades que lhe são próprias e que possam contribuir para a melhoria do ensino e do funcionamento do CFC. V - Manter postura ética, agindo com equilíbrio, discrição e profissionalismo durante o desenvolvimento de suas atividades. VI - Zelar pelo uso do crachá e da credencial por todos os profissionais do CFC. VII - Zelar pelo cumprimento de horário de sua equipe de profissionais e pela presença de um dos Diretores durante todo o horário de funcionamento do CFC. VIII - Selecionar seus profissionais de forma criteriosa, mantendo-os devidamente atualizados em relação aos conhecimentos e às habilidades necessárias ao exercício de sua função. IX - Responsabilizar-se pela manutenção e conservação das instalações físicas do CFC, bem como dos recursos materiais, incluindo os veículos de aprendizagem. X - Atender às convocações do DETRAN/RS específicas de sua área e possibilitar que outros profissionais compareçam quando também convocados. XI - Responsabilizar-se pelos seus atos e pelos atos praticados por seus profissionais em procedimentos decorrentes do uso do sistema informatizado do DETRAN/RS. XII - Manter os profissionais do CFC cientes sobre o uso correto da senha de acesso ao sistema informatizado do DETRAN/RS: que é pessoal, sigilosa e intransferível. XIII - Manter devidamente arquivada a documentação referente aos processos de candidatos/condutores por S(cinco) anos. XIV - Disponibilizar os recursos necessários ao desenvolvimento e a dinamização do trabalho da equipe do CFC. XV - Primar pela boa apresentação, tanto sua quanto dos profissionais do CFC, com a utilização de trajes discretos e adequados ao ambiente de trabalho.
  3. 3. Além das atribuições acima mencionadas todos os profissionais credenciados têm por dever cumprir o que dispõe o Código de Trânsito Brasileiro - Lei 9503/97, as Resoluções do Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN, as normas e orientações estabelecidas pelo Departamento Nacional de Trânsito - DENATRAN,Conselho Estadual de Trânsito - CETRAN/RSe Departamento Estadual de Trânsito - DETRAN/RS. Fundamento legal: Portaria nO 397/2002 do MTE, que aprova a Classificação Brasileira de Ocupações - CBO, Lei nO 12.302/2010 que Regulamenta a Profissão de Instrutor de Trânsito, Lei nO 9.503/1997 - CTB, Resoluções CONTRAN, Portarias DENATRAN, Portarias DETRAN/RS, Lei nO 8.666/1993 que trata de Contratos e Licitações com a Administração Pública e Decreto-Lei nO 5.452/1943 que aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT. Formacão e experiência O exercício dessas ocupações é livre, requer-se, contudo, escolaridade e qualificação profissional específica determinada em legislação, dependendo da área de atuação. Os cursos livres não estão sujeitos à regulamentação do mec. As ocupações elencadas nesta família ocupacional demandam formação técnica profissional especializada, conforme as normas federais vigentes que trata da formação, habilitação e aperfeiçoamento de condutores de veículos automotores e elétricos. Condicões gerais de exercício Os profissionais exercem suas funções em instituições de ensino, basicamente em escolas que oferecem cursos livres. Atuam de forma individual e também em equipe; trabalham com supervisão ocasional e, dependendo da característica do curso, podem atuar em ambiente fechado, a céu aberto e em veículos automotores, atuando nos períodos diurnos e noturnos. Atividades Profissionais A - CRIAR CURSOS LIVRES 1 - Detectar demanda de mercado 2 - Compilar informações coletadas da pesquisa 3 - Levantar necessidades do público alvo 4 - Definir objetivos gerais dos cursos 5 - Elencar necessidades técnicas e físicas para realização do curso 6 - Determinar pré-requisitos do público alvo 7 - Determinar carga horária do curso 8 - Desenvolver metodologia a ser aplicada ao curso 9 - Sugerir valor de cursos 10 - Formatar projetos de cursos B- PLANEJAR CURSOS 1- Estabelecer objetivos específicos dos cursos 2 - Adequar metodologia aos objetivos do curso 3 - Consultar bibliografia 4 - Definir recursos didáticos e materiais para os cursos 5 - Definir conteúdo programático dos cursos 6 - Elaborar cronograma dos cursos 7 - Adequar periodicidade dos cursos, ao público alvo 8 - Preparar planos de aula C - ELABORAR CURSOS PARA EMPRESAS E CLIENTES 1 - Visitar empresas e clientes 2 - Pesquisar segmento de mercado 3 - Diagnosticar necessidades das empresas 4 - Desenvolver módulos do curso 5 - Adequar a dinâmica do curso a empresas e clientes D - DEFINIR MATERIAIS DIDÁTICOS 1 - Analisar material didático existente 2 - Atualizar material didático existente 3 - Elaborar materiais didáticos 4 - Realizar pesquisas bibliográficas 5 - Elaborar atividades teóricas e práticas 6 - Adaptar material didático ao público alvo e aos objetivos do curso
  4. 4. E - MINISTRAR AULAS 1 - Apresentar programa do curso 2 - Acompanhar realização dos exercícios 3 - Apresentar, teoricamente, o assunto a ser abordado 4 - Promover atividades práticas 5 - Acompanhar elaboração de projetos 6 - Manusear materiais e equipamentos técnicos 7 - Adaptar técnicas didático-pedagógicas ao público específico 8 - Adequar estratégias e ou conteúdo do curso 9 - Elucidar dúvidas dos alunos 10 - Utilizar recursos audiovisuais 11 - Promover aulas vivenciais 12 - Estimular criatividade 13 - Retratar realidade do mercado 14 - Apresentar vantagens e desvantagens das técnicas 15 - Controlar presença dos alunos 16 - Tutoriar alunos à distância 17 - Elaborar relatórios 18 - Utilizar experiências e conhecimentos prévios dos alunos F - AVALIAR ALUNOS 1 - Elaborar instrumentos de avaliação 2 - Aplicar procedimentos de avaliação contínua 3 - Diagnosticar nível de conhecimento do aluno 4 - Discutir conteúdo programático e objetivos com os alunos 5 - Identificar dificuldades dos alunos 6 - Monitorar desempenho dos alunos 7 - Informar aluno acerca de seu aproveitamento G - SUGERIR MUDANCAS ESTRUTURAIS NO CURSO 1 - Propor elaboração de módulos avançados 2 - Auxiliar coordenação dos cursos 3 - Expor mudanças de mercado 4 - Participar da elaboração do plano de desenvolvimento educacional 5 - Acompanhar mudanças e tendências de mercado 6 - Adequar cursos às mudanças do mercado 7 - Avaliar resultados das mudanças efetuadas nos cursos Z - DEMONSTRAR COMPETÊNCIAS PESSOAIS 1 - Demonstrar flexibilidade 2 - Dominar conteúdo ministrado 3 - Compatibilizar diferenças entre alunos 4 - Desenvolver criatividade 5 - Aprimorar-se continuamente 6 - Despertar outros interesses nos alunos 7 - Mediar relação ensino-aprendizagem Recursos Pedagógicos de Trabalho Flip-chart Lousa (quadro p/ exposição escrita) Material didático ilustrativo Recursos audiovisuais Manuais e apostilas Carro (veículos automotores e elétricos de duas e/ou mais rodas) Equipamentos e instrumentos necessários aos cursos Porto Alegre, 20 de agosto de 2010 VALDIR SALABERRV JUNIOR SECRETÁRIO GERAL

×