Governo do Estado do Rio de Janeiro   Secretaria Estadual de EducaçãoColégio Estadual Leopoldina da Silveira      Colégio ...
Aula I – 3ª Série – Ensino MédioOCASO DO IMPÉRIO BRASILEIRO
Precedentes da ProclamaçãoGuerra do Paraguai                     Abolição da Escravidão
Guerra do Paraguai                 (1864-1870)Conflito entre o Paraguai e a Tríplice Aliança,formada por Brasil, Argentina...
Guerra do Paraguai
Consequências no BrasilApesar de o país ter saído vitorioso da guerra,tendo inclusive anexado parte do territórioparaguaio...
Abolição da EscravidãoLei Eusébio de Queiroz 1850 A proibição do tráfico de escravos a partir de 1850, e o consequente aum...
Abolição da EscravidãoLei do Ventre Livre 1871 A falta de apoio do governo imperial aos fazendeiros do Oeste Paulista quan...
Abolição da EscravidãoLei dos Sexagenários 1885 O movimento abolicionista ganhou cada vez mais força, aumentando as fugas ...
Abolição da EscravidãoLei Áurea 1888 Quatro anos após a abolição da escravidão no Ceará e no Amazonas, a Câmara e o Senado...
KIZOMBA G.R.E.S. Unidos de Vila Isabel - 1988Durante mais de 300 anos os negros foram vistos no Brasilcomo meros objetos, ...
Abolição e ProclamaçãoSe por um lado os grupos abolicionistascriticavam o tardio fim da escravidão e o fatode a lei que ex...
Império em Crise                    Questão MilitarQuestão Religiosa
Questão MilitarCom suas funções diminuídas desde a criaçãoda Guarda Nacional, em 1831, os militaresinflaram-se de orgulho ...
Questão MilitarEnquanto isto, jovens estudantes da Escola Militar eoficiais de baixa patente tornavam-se cada vez maisradi...
Questão Religiosa   Constituição Política do Império do Brazil                           25 de março de 1824• Do Imperio d...
Questão ReligiosaO governo imperial herdou dos tempos coloniaiso regime do padroado, pelo qual cabia aomonarca a indicação...
Questão ReligiosaA proibição, pelo Concílio Vaticano I, daparticipação de católicos em lojas maçônicas deuinício aos atrit...
Questão ReligiosaOs bispos de Olinda e do Pará, empenhados emcombater a maçonaria e alegando obediência apenasao papa, emp...
O Baile da Ilha Fiscal            9 de novembro de 1889Sem o apoio da Igreja, dos militares e doscafeicultores, tanto do O...
É Muita História       República de PijamasHoje sabemos que a História oficial nem sempre é amais verdadeira, uma vez que ...
Bibliografia• VAINFAS, Ronaldo; FARIA, Sheila  de Castro; FERREIRA, Jorge;  SANTOS, Georgina. História: o  longo século XI...
Ocaso do Império Brasileiro
Ocaso do Império Brasileiro
Ocaso do Império Brasileiro
Ocaso do Império Brasileiro
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ocaso do Império Brasileiro

2.007 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.007
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
359
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ocaso do Império Brasileiro

  1. 1. Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria Estadual de EducaçãoColégio Estadual Leopoldina da Silveira Colégio Estadual Nicarágua HISTÓRIA Professor Luiz Valentim
  2. 2. Aula I – 3ª Série – Ensino MédioOCASO DO IMPÉRIO BRASILEIRO
  3. 3. Precedentes da ProclamaçãoGuerra do Paraguai Abolição da Escravidão
  4. 4. Guerra do Paraguai (1864-1870)Conflito entre o Paraguai e a Tríplice Aliança,formada por Brasil, Argentina e Uruguai, pelocontrole da região platina, resultado doprocesso de consolidação dos EstadosNacionais e de um movimento de equilíbriode forças no Rio da Prata.
  5. 5. Guerra do Paraguai
  6. 6. Consequências no BrasilApesar de o país ter saído vitorioso da guerra,tendo inclusive anexado parte do territórioparaguaio, o confronto deu início a uma criseentre o Império e os militares. Os prêmiosprometidos àqueles que fossem para o campode batalha jamais foram pagos e os oficiaismilitares do Exército sentiram como se aMonarquia não lhes desse apoio. Além do que,ficou exposto o atraso provocado pelaexistência do regime escravista quando muitosnegros voltaram libertos do campo de batalha.
  7. 7. Abolição da EscravidãoLei Eusébio de Queiroz 1850 A proibição do tráfico de escravos a partir de 1850, e o consequente aumento do preço da mão de obra cativa, desvinculou a maioria da população livre do sistema escravagista, que perdeu sua legitimidade e passou a ser combatido cada vez mais.
  8. 8. Abolição da EscravidãoLei do Ventre Livre 1871 A falta de apoio do governo imperial aos fazendeiros do Oeste Paulista quanto ao financiamento de projetos imigrantistas quando tornou-se necessário, fez com que os custos para aquisição de mão-de-obra para os cafezais fossem assumidos pelo governo da província de São Paulo. Em 1873 foi fundado o Partido Republicano Paulista (PRP).
  9. 9. Abolição da EscravidãoLei dos Sexagenários 1885 O movimento abolicionista ganhou cada vez mais força, aumentando as fugas em massa, assim como também era cada vez maior o número de senhores que alforriavam seus escravos coletivamente, com a condição de continuarem trabalhando em suas terras. Em 1887 o número de escravos no Brasil equivalia a menos de 5% da população do país.
  10. 10. Abolição da EscravidãoLei Áurea 1888 Quatro anos após a abolição da escravidão no Ceará e no Amazonas, a Câmara e o Senado aprovaram a abolição em todo o território nacional. Regente de seu pai, que se encontrava fora do Brasil, a princesa Isabel foi a responsável pela assinatura da lei em 13 de maio, tornando o Brasil o último país do ocidente a libertar seus escravos.
  11. 11. KIZOMBA G.R.E.S. Unidos de Vila Isabel - 1988Durante mais de 300 anos os negros foram vistos no Brasilcomo meros objetos, propriedade, mão de obra barata.Hoje, a maior festa brasileira, vitrine e marca do Brasil noexterior é fruto da miscigenação dos povos que povoaram oterritório nacional, com destaque evidente para as herançasafricanas.Como explicar a assimilação da cultura negra pela populaçãobranca, tanto no campo musical quanto no religioso?Podemos então entender esta valorização da cultura negracomo uma valorização do negro, como indivíduo, na sociedadebrasileira? Justifique.
  12. 12. Abolição e ProclamaçãoSe por um lado os grupos abolicionistascriticavam o tardio fim da escravidão e o fatode a lei que extinguiu o trabalho escravo nãoapresentar soluções sociais para os libertos,por outro os fazendeiros prejudicados pelaabolição retiraram seu apoio ao Império, umavez que a lei não previa nenhumacompensação àqueles que eram obrigados alibertar seus escravos.
  13. 13. Império em Crise Questão MilitarQuestão Religiosa
  14. 14. Questão MilitarCom suas funções diminuídas desde a criaçãoda Guarda Nacional, em 1831, os militaresinflaram-se de orgulho após a vitória brasileirana guerra do Paraguai e passaram areivindicar, cada vez mais, direitos de reuniãoe livre manifestação política. Ainda assim, em1884, o governo proibiu os militares de semanifestarem pela imprensa, a menos quetivessem autorização do ministro da Guerra.
  15. 15. Questão MilitarEnquanto isto, jovens estudantes da Escola Militar eoficiais de baixa patente tornavam-se cada vez maisradicais, defendendo os ideais republicanos,atribuindo os males do país à Monarquia, erecusando-se a capturar escravos fugidos. Em 1887funda-se o Clube Militar, onde pela primeira vez osmilitares se organizavam politicamente. Conseguiramdo imperador a permissão para se manifestarpublicamente e a queda do ministro da Guerra. Atosque não foram suficientes para reaproximar oExército e a Monarquia.
  16. 16. Questão Religiosa Constituição Política do Império do Brazil 25 de março de 1824• Do Imperio do Brazil, seu Territorio, Governo, Dynastia, e Religião. – Art. 5. A Religião Catholica Apostolica Romana continuará a ser a Religião do Império. Todas as outras Religiões serão permitidas com seu culto domestico, ou particular em casas para isso destinadas, sem forma alguma exterior de Templo.• Art. 102. O Imperador é o Chefe do Poder Executivo, e o exercita pelos seus Ministros de Estado. São suas principaes attribuições: – II. Nomear Bispos, e prover os Beneficios Ecclesiasticos.
  17. 17. Questão ReligiosaO governo imperial herdou dos tempos coloniaiso regime do padroado, pelo qual cabia aomonarca a indicação de arcebispos e bispos doimpério, além de prover o sustento do cleroregular, o que permitia ao Brasil uma relativaindependência em relação à Sé romana. Todavia,uma nova geração de eclesiásticos passa aquestionar tal prática, considerando quedeveriam prestar obediência somente ao papa, oque levou o clero católico a entrar em conflitocom a Monarquia.
  18. 18. Questão ReligiosaA proibição, pelo Concílio Vaticano I, daparticipação de católicos em lojas maçônicas deuinício aos atritos entre o Império e o Vaticano,uma vez que muitos padres e governantespertenciam à maçonaria no Brasil, e provocouforte reação maçônica. Todavia, conforme oregime do padroado, qualquer bula papal só teriavalidade em solo brasileiro após aprovação doimperador e toda ordem vinda de Roma quefosse cumprida sem autorização imperial seriatratada como de aplicação ilegal.
  19. 19. Questão ReligiosaOs bispos de Olinda e do Pará, empenhados emcombater a maçonaria e alegando obediência apenasao papa, empenharam-se em perseguir maçons eexpulsá-los das paróquias.Em resposta, o governo imperial condenou-os a quatroanos de trabalhos forçados, aos quais foram anistiadosum ano depois, graças a pressões de Roma.As relações entre o Império e a Igreja estavamdefinitivamente comprometidas, conforme afirmouDom Antonio de Macedo Costa, bispo do Pará, ao sairda prisão, quando disse que a Questão Religiosaabalara o trono, mas deixara o altar de pé.
  20. 20. O Baile da Ilha Fiscal 9 de novembro de 1889Sem o apoio da Igreja, dos militares e doscafeicultores, tanto do Oeste paulista quantodo Vale do Paraíba, restava à monarquiamanter as aparências enquanto aguardava seufim.
  21. 21. É Muita História República de PijamasHoje sabemos que a História oficial nem sempre é amais verdadeira, uma vez que ela se baseia navalorização do governo que a escreve e na construçãode mitos.Como exemplos temos a figura de Tiradentes, tãoexaltada nos primeiros momentos da república, e aprópria nomenclatura dada à primeira república,chamada comumente de República Velha.Com base no que foi discutido em aula e no vídeoassistido, redija um texto sobre a importância, paraum determinado regime, de se construir mitos econtrolar a História?
  22. 22. Bibliografia• VAINFAS, Ronaldo; FARIA, Sheila de Castro; FERREIRA, Jorge; SANTOS, Georgina. História: o longo século XIX. Vol. 2. São Paulo: Saraiva, 2010.

×