SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
20. Esquerda, Direita e Centro
Luiz Salvador de Miranda-Sá Jr.
Em sua origem, os termos políticos esquerda e direita estão relacionados com a
Revolução Francesa como instrumento de mudança social e diz respeiro aos
conflitos entre o capital e o trabalho. Os termos esquerda e direita apareceram
na Assembléia Nacional francesa logo após a revolução burguesa, pois os
deputados populares revolucionários tinham assento no plenário no lado
esquerdo do lugar do rei, e os deputados monarquistas que defendiam os
interesses dos proprietários (conservadores e reacionários) se sentavam no lado
oposto, à direita do rei. Daí a origem destes epítetos. Por consequência, no centro
do plenário se sentavam aqueles que tinham posição intermediária entre as duas
anteriores. O centro.
A tradição política francesa desde o início do século XIX emprega os termos
esquerda e direita para indicar, respectivamente, os adeptos da revolução social
à esquerda e os partidários da contra-revolução à direita do presidium. Por
muito tempo, os termos esquerda e direita estiveram vinculados à noção de
transformação política revolucionária e insurrecional. Mais tarde, no início deste
século, com o advento da revolução bolchevique de 1917, na Rússia, se afirmou
mais e mais esta identificação com o processo político chamado revolucionário. O
termo centro implica em designar duas posições políticas como suas duas
variantes principais, centro esquerda e centro-direita, indicam um compromisso
com mudanças democráticas, transformações sociais pacíficas, sujeitas aos
procedimentos eleitorais formais. Como regra geral, mesmo propondo mudanças
políticas radicais, optavam por um processo político reformista, gradual e obtido
atraves de um processo politico educativo para obter seus resultados. Dão
preferIencia à disputa política sobre a insurreução armada para obter suas
propósitos.
Mais tarde, sobretudo depois da experiência concreta dos governos comunistas
na União Soviética e em outros países que assumiram a caracterização de
esquuerda, colocou-se a necessidade de uma esquerda democrática não
ditatorial e não totalitária) que poderia chegar a ser bastante radical em seus
propósitos sem comprometer a idéia de democracia e dos direitos humanos. Foi
somente aí que a nocão de esquerda e direita deixaram de significar uma posição
insurrecional e contra-insurrecional, localizando-se em um processo político
reformista ou revolucionário sem insurreição.
Os partidos de direita se comprometem com a liberdade (desde que não
comprometam sua pretensões), a ordem, o direito ilimitado à propriedade e à
herança, o apego superlativo às tradições e religiões. É comum que pretendam
manter uma posição recista. Direita Nacional (racista e nacionalista, no sentido
clássico da expressão), Direita Liberal (caracterizada pela defesa da livreempresa ilimitada e das limitações ao poder do Estado), Direita Jacobina (Estado
hipertrofiado a serviço dos interesses políticos das camadas médias e da
plutocracia), Direita Colonialista, Direita Monarquista.
O pensamento de direita está assentado sobre três pilares fundamentais: a
necessidades das pessoas comuns serem controladas pelas autoridades; na
imutabilidade das instituições; e a supremacia do indiviadual sobre o social.
Os partidos de esquerda estão comprometidos com a idéia de progresso social
necessário, da prevalência dos interesses coletivos sobre os individuais e as
propostas de transformação da sociedade, com as idéias de igualdade e justiça
social, com o humanismo e com a sociedade civil.
Em geral, os esquerdistas prestigiam os mais pobres, mais fracos e mais
explorados de preferência ao mais ricos, mais fortes e que se beneficiem de uma
posição exploradora.
Como acontece com a direita, é possível haver uma infinidade de posições
políticas de esquerda.
Avaliando-se a prática política concreta, pode-se duzer que existe uma esquerda
científica, uma esquerda sentimental, uma esquerda socialista, uma esquerda
comunista, uma esquerda democrática (que se confunde com a centro-esquerda
e a social democracia) e muitas outras categorias definidas por sua adjetivação.
Contudo, todas estas posições têm algo em comum; o pensamento de esquerda
está fundado basicamente na convicção em três princípios cardeiais: a
educabilidade dos seres humanos e a plasticidade da sociedade; na influência
que o meio social, sobretudo as instituições, exercem nos indivíduos; e a
prevalência das necessidades sociais sobre as individuais.
Atualmente, frente à derrocada dos Estados de orientação comunista no leste
europeu, apareceu uma doutrina ideológica do fim da esquerda, do fim da
história, do desaparecimento dos interesses de classe e seus conflitos. Tudo isto
não passa de recurso político para beneficiar os interesses liberais e
neoliberalistas a srviço do grande capital especulativo. Não é para ser levado a
sério. Enquanto existirem trabalho e capital, enquanto existirem contradições
entre eles, existirá esquerda e direita.

Características da Direita Política
Além das características mencionadas acima, deve-se acrescentar: desconfiança
e resistência frente às mudanças na sociedade, nos costumes e nas estruturas
familiares, políticas e instituicionais; crença dogmática em uma religião ou
doutrina política fechada e dogmatizada para exercer o controle social; exagero
do dever estatal de manter a lei e a ordem; defesa da intervençao do Estado na
vida econômica; desconfiança nos indivíduos livres e nas associações; aceitação
das desigualdades humanas como algo natural e eterno; desconfiaça frete aos
organismos governamentais e às instituições estatais. Os direitas tende a
assumir posição a favor do capital e dos mais fortes.
Denominam-se conservadores quando se propõem a impeir ou retardar o
progresso e reacionários, quando objetivam fazer rereoceder estados de avanço
já consagrados na sociedade ou na cultura.
Características da Esquerda Política
Mais além das característica apontadas acima, os adeptos da esquerda política se
caracterizam por: desejo de mudar o que parece funcionar mal e mudar
rapidamente; crença na inevitabilidade (ou na necessidade) da violência para
promover as transformações sociais; convicção no dever do Estado na provisão
do bem-estar social e seguridade; defesa da propriedade coletiva dos meios de
produção como única maneira de garantir a justiça social; preocupação maior
com o conteúdo que com a forma das instituições democráticas. Os esquerdistas
tendem a ficar ao lado dos trabalhadores, dos mais fracos.

Esquerda, Direita e Democracia
Denominam-se esquerda e direita extremas quando tendem a excluir seus
opostos. As sociedades democráticas tendem a manter uma releção dinâmica
desta díade, inclusive, parece ótimoo quando se alternam no poder.
As posições polícas e sociais de extrema direita e extrema esquerda tendem a
resistir aos procedimentos democráticos, mesmo formais. Preferem os estados
autocráticos, sejam ditatoriais (exagero do poder governamental) ou totalitários
(quando o poder estatal invadade os direitos individuais).
Quando se avaliam as quesões de esquerda e direita considerando a forma e o
conteúdo de suas estruturas de poder, pode-se verificar que ambas podem
coexistir com as mais diferentes manifestações de poder político. Nenhuma delas
tem o monopólio da democracia ou da autocracia, da tolerância ou da
intelerância, da liberdade ou da ditadura, da dominação necessária ou do
totalitarismo (dominação absoluta).

O Panorama Brasileiro Atual
Ao fim da ditadura da UDN aparecereceram nos país dois dirigentes políticos
vinculados subrepticiamente ao grande capital internacional promotor do
consenso neoliberalista: Fernando Henrique Cardoso, antigo patrocinado da
Ford Foundation, e Luiz Inácio Lula da Silva, patrocinado pelo movimento
sindical norte americano. FHC elege-se primeiro e comprou sua reeleição, assim
inventou e Lula reeleito que acompanhou as diretrizes de sua política econômica
entreguista e neoliberalista. Ambos direitistas e neoliberalistas que criram um
falso dualismo confitivo politicamente o PSDB contra o PT. Sem que houvesse, de
fato, qualquer contradição entre os dois em termos políticos, econômicos ou
éticos. Ainda que os petistas tivessem menos educação formal, falassem e se
vestissem pior que os peessedebistas. No essencial, iguaizinhos. Só a questão
eleitoral os separava e separa.
De esquerdista, FHC tem os livros que teria escrito e que pediu a todos que
esquecessem. Enquanto Lula, de esquerdista tem apenas as gravatas vermelhas.
Ambos são crias do conenso de Seatle.
10.  esquerda . direita e centro

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exercícios esquerda e direita ii
Exercícios esquerda e direita iiExercícios esquerda e direita ii
Exercícios esquerda e direita iiGustavo Cuin
 
1 sistemas políticos e econômicos iii
1 sistemas políticos e econômicos iii1 sistemas políticos e econômicos iii
1 sistemas políticos e econômicos iiiLaguat
 
Os Clássicos da Política: Stuart Mill
Os Clássicos da Política: Stuart MillOs Clássicos da Política: Stuart Mill
Os Clássicos da Política: Stuart MillUNIFACIG
 
Esquerda e direita na sociologia
Esquerda e direita na sociologiaEsquerda e direita na sociologia
Esquerda e direita na sociologiaLaguat
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do Tomazipascoalnaib
 
Alexis de Tocqueville
Alexis de TocquevilleAlexis de Tocqueville
Alexis de TocquevilleMarcos Mamute
 
Trabalho tocqueville e mill
Trabalho tocqueville e millTrabalho tocqueville e mill
Trabalho tocqueville e millVictorFormisano
 
Origens do termo esquerda e direita
Origens do termo esquerda e direitaOrigens do termo esquerda e direita
Origens do termo esquerda e direitaMarcelo Melo
 
Sociologia e filosofia
Sociologia e filosofiaSociologia e filosofia
Sociologia e filosofiaSilvana
 
As Origens Do Estado Do Bem Estar Social
As Origens Do Estado Do Bem Estar SocialAs Origens Do Estado Do Bem Estar Social
As Origens Do Estado Do Bem Estar SocialMarilia Coutinho
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 17 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 17 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 17 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 17 do Tomazipascoalnaib
 
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociaisMosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociaisroberto mosca junior
 
Libelo contra a esquerda no brasil na era contemporânea
Libelo contra a esquerda no brasil na era contemporâneaLibelo contra a esquerda no brasil na era contemporânea
Libelo contra a esquerda no brasil na era contemporâneaFernando Alcoforado
 

Mais procurados (20)

Exercícios esquerda e direita ii
Exercícios esquerda e direita iiExercícios esquerda e direita ii
Exercícios esquerda e direita ii
 
1 sistemas políticos e econômicos iii
1 sistemas políticos e econômicos iii1 sistemas políticos e econômicos iii
1 sistemas políticos e econômicos iii
 
Os Clássicos da Política: Stuart Mill
Os Clássicos da Política: Stuart MillOs Clássicos da Política: Stuart Mill
Os Clássicos da Política: Stuart Mill
 
Esquerda e direita na sociologia
Esquerda e direita na sociologiaEsquerda e direita na sociologia
Esquerda e direita na sociologia
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 13 do Tomazi
 
Ciência política [1o gq] Marx
Ciência política [1o gq] MarxCiência política [1o gq] Marx
Ciência política [1o gq] Marx
 
Etica
EticaEtica
Etica
 
Imprimir
ImprimirImprimir
Imprimir
 
Alexis de Tocqueville
Alexis de TocquevilleAlexis de Tocqueville
Alexis de Tocqueville
 
Trabalho tocqueville e mill
Trabalho tocqueville e millTrabalho tocqueville e mill
Trabalho tocqueville e mill
 
Formas de gov. brasil regime militar
Formas de gov. brasil  regime militarFormas de gov. brasil  regime militar
Formas de gov. brasil regime militar
 
Origens do termo esquerda e direita
Origens do termo esquerda e direitaOrigens do termo esquerda e direita
Origens do termo esquerda e direita
 
O terceiro setor
O terceiro setorO terceiro setor
O terceiro setor
 
Sociologia e filosofia
Sociologia e filosofiaSociologia e filosofia
Sociologia e filosofia
 
As Origens Do Estado Do Bem Estar Social
As Origens Do Estado Do Bem Estar SocialAs Origens Do Estado Do Bem Estar Social
As Origens Do Estado Do Bem Estar Social
 
Aula 25 09_14
Aula 25 09_14Aula 25 09_14
Aula 25 09_14
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 17 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 17 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 17 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 17 do Tomazi
 
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociaisMosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
Mosca viu correção de atividade - texto de apoio movimentos sociais
 
Capítulo 14 - A Política no Brasil
Capítulo 14 - A Política no BrasilCapítulo 14 - A Política no Brasil
Capítulo 14 - A Política no Brasil
 
Libelo contra a esquerda no brasil na era contemporânea
Libelo contra a esquerda no brasil na era contemporâneaLibelo contra a esquerda no brasil na era contemporânea
Libelo contra a esquerda no brasil na era contemporânea
 

Semelhante a 10. esquerda . direita e centro

Liberalismo clássico e contemporâneo
Liberalismo clássico e contemporâneoLiberalismo clássico e contemporâneo
Liberalismo clássico e contemporâneoRafael Pinto
 
Cidadania moderna
Cidadania modernaCidadania moderna
Cidadania modernaMaira Conde
 
O totalitarismo ao longo da história da humanidade
O totalitarismo ao longo da história da humanidadeO totalitarismo ao longo da história da humanidade
O totalitarismo ao longo da história da humanidadeFernando Alcoforado
 
Estratégia das Tesouras - 1989
Estratégia das Tesouras - 1989Estratégia das Tesouras - 1989
Estratégia das Tesouras - 1989Professor Belinaso
 
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdfSlides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdfLeandroBrando21
 
Como o poder do estado é conquistado
Como o poder do estado é conquistadoComo o poder do estado é conquistado
Como o poder do estado é conquistadoFernando Alcoforado
 
Autoritarismo.pptx
Autoritarismo.pptxAutoritarismo.pptx
Autoritarismo.pptxocg50
 
SLIDES TEORIA DA EDUCAÇÃO A POLITTICA DEVE SER DESTRONADA.pptx
SLIDES TEORIA DA EDUCAÇÃO A POLITTICA DEVE SER DESTRONADA.pptxSLIDES TEORIA DA EDUCAÇÃO A POLITTICA DEVE SER DESTRONADA.pptx
SLIDES TEORIA DA EDUCAÇÃO A POLITTICA DEVE SER DESTRONADA.pptxWanda Sousa Borges
 
Aula 2 com e cidadania-versao final
Aula 2   com e cidadania-versao finalAula 2   com e cidadania-versao final
Aula 2 com e cidadania-versao finalUFSM
 

Semelhante a 10. esquerda . direita e centro (20)

Política
Política  Política
Política
 
Estado 02
Estado 02Estado 02
Estado 02
 
Liberalismo clássico e contemporâneo
Liberalismo clássico e contemporâneoLiberalismo clássico e contemporâneo
Liberalismo clássico e contemporâneo
 
Cidadania moderna
Cidadania modernaCidadania moderna
Cidadania moderna
 
5.. formas do poder político
5.. formas do poder político5.. formas do poder político
5.. formas do poder político
 
Aula 18 - Evolução e revolução
Aula 18 - Evolução e revoluçãoAula 18 - Evolução e revolução
Aula 18 - Evolução e revolução
 
O totalitarismo ao longo da história da humanidade
O totalitarismo ao longo da história da humanidadeO totalitarismo ao longo da história da humanidade
O totalitarismo ao longo da história da humanidade
 
Estratégia das Tesouras - 1989
Estratégia das Tesouras - 1989Estratégia das Tesouras - 1989
Estratégia das Tesouras - 1989
 
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdfSlides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
Slides_Estado_Democracia_Giane_2021.pdf
 
Pilulas democraticas 6 Lado
Pilulas democraticas 6  LadoPilulas democraticas 6  Lado
Pilulas democraticas 6 Lado
 
Aula 15 - Estado e Governo
Aula 15 - Estado e GovernoAula 15 - Estado e Governo
Aula 15 - Estado e Governo
 
Como o poder do estado é conquistado
Como o poder do estado é conquistadoComo o poder do estado é conquistado
Como o poder do estado é conquistado
 
31
3131
31
 
31
3131
31
 
Aula 13 - Povos e nações
Aula 13 - Povos e naçõesAula 13 - Povos e nações
Aula 13 - Povos e nações
 
3. valores sóciopolíticos essenciais
3.  valores sóciopolíticos essenciais3.  valores sóciopolíticos essenciais
3. valores sóciopolíticos essenciais
 
Autoritarismo.pptx
Autoritarismo.pptxAutoritarismo.pptx
Autoritarismo.pptx
 
SISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULA
SISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULASISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULA
SISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULA
 
SLIDES TEORIA DA EDUCAÇÃO A POLITTICA DEVE SER DESTRONADA.pptx
SLIDES TEORIA DA EDUCAÇÃO A POLITTICA DEVE SER DESTRONADA.pptxSLIDES TEORIA DA EDUCAÇÃO A POLITTICA DEVE SER DESTRONADA.pptx
SLIDES TEORIA DA EDUCAÇÃO A POLITTICA DEVE SER DESTRONADA.pptx
 
Aula 2 com e cidadania-versao final
Aula 2   com e cidadania-versao finalAula 2   com e cidadania-versao final
Aula 2 com e cidadania-versao final
 

Mais de Luiz-Salvador Miranda-Sa

Diagnóstico Nosológico e Classificação das Doenças em Psiquiatria
Diagnóstico Nosológico e Classificação das Doenças em PsiquiatriaDiagnóstico Nosológico e Classificação das Doenças em Psiquiatria
Diagnóstico Nosológico e Classificação das Doenças em PsiquiatriaLuiz-Salvador Miranda-Sa
 
Diagnóstico nosológico e classificação em psiquiatria
Diagnóstico nosológico e classificação em psiquiatriaDiagnóstico nosológico e classificação em psiquiatria
Diagnóstico nosológico e classificação em psiquiatriaLuiz-Salvador Miranda-Sa
 
Doença e diagnóstico nosológico em psiquiatria
Doença e diagnóstico nosológico em psiquiatriaDoença e diagnóstico nosológico em psiquiatria
Doença e diagnóstico nosológico em psiquiatriaLuiz-Salvador Miranda-Sa
 
Cópia de h o diag psiq ontem, hoje e amanhã ago 17
Cópia de h o diag psiq ontem, hoje e amanhã ago 17Cópia de h o diag psiq ontem, hoje e amanhã ago 17
Cópia de h o diag psiq ontem, hoje e amanhã ago 17Luiz-Salvador Miranda-Sa
 
Taxonomia e classificações (psiquiatria)
Taxonomia e classificações (psiquiatria)Taxonomia e classificações (psiquiatria)
Taxonomia e classificações (psiquiatria)Luiz-Salvador Miranda-Sa
 
O diagnóstico psiquiátrico ontem, hoje e amanhã.
O diagnóstico psiquiátrico ontem, hoje e amanhã.O diagnóstico psiquiátrico ontem, hoje e amanhã.
O diagnóstico psiquiátrico ontem, hoje e amanhã.Luiz-Salvador Miranda-Sa
 

Mais de Luiz-Salvador Miranda-Sa (20)

Diagnóstico Nosológico e Classificação das Doenças em Psiquiatria
Diagnóstico Nosológico e Classificação das Doenças em PsiquiatriaDiagnóstico Nosológico e Classificação das Doenças em Psiquiatria
Diagnóstico Nosológico e Classificação das Doenças em Psiquiatria
 
Diagnóstico nosológico e classificação em psiquiatria
Diagnóstico nosológico e classificação em psiquiatriaDiagnóstico nosológico e classificação em psiquiatria
Diagnóstico nosológico e classificação em psiquiatria
 
Doença e diagnóstico nosológico em psiquiatria
Doença e diagnóstico nosológico em psiquiatriaDoença e diagnóstico nosológico em psiquiatria
Doença e diagnóstico nosológico em psiquiatria
 
Cópia de cbp 17 taxonomias
Cópia de cbp 17  taxonomiasCópia de cbp 17  taxonomias
Cópia de cbp 17 taxonomias
 
Diagnósti do josé otávio
   Diagnósti do josé otávio   Diagnósti do josé otávio
Diagnósti do josé otávio
 
Lei 12842
Lei 12842Lei 12842
Lei 12842
 
Cópia de h o diag psiq ontem, hoje e amanhã ago 17
Cópia de h o diag psiq ontem, hoje e amanhã ago 17Cópia de h o diag psiq ontem, hoje e amanhã ago 17
Cópia de h o diag psiq ontem, hoje e amanhã ago 17
 
Taxonomia e classificações (psiquiatria)
Taxonomia e classificações (psiquiatria)Taxonomia e classificações (psiquiatria)
Taxonomia e classificações (psiquiatria)
 
O diagnóstico psiquiátrico ontem, hoje e amanhã.
O diagnóstico psiquiátrico ontem, hoje e amanhã.O diagnóstico psiquiátrico ontem, hoje e amanhã.
O diagnóstico psiquiátrico ontem, hoje e amanhã.
 
Filosofia, filosofias
Filosofia, filosofias Filosofia, filosofias
Filosofia, filosofias
 
9.3. a ciens sistemsistedde
9.3. a ciens sistemsistedde9.3. a ciens sistemsistedde
9.3. a ciens sistemsistedde
 
9.2. a cienc comprob
9.2. a cienc comprob9.2. a cienc comprob
9.2. a cienc comprob
 
9.1. especificidade e ontologia.res
9.1.  especificidade e ontologia.res9.1.  especificidade e ontologia.res
9.1. especificidade e ontologia.res
 
5.5. definição
5.5. definição5.5. definição
5.5. definição
 
5.4. explicação
5.4. explicação5.4. explicação
5.4. explicação
 
5.3. nomin e conceit
5.3. nomin e conceit5.3. nomin e conceit
5.3. nomin e conceit
 
5.2. descr
5.2. descr5.2. descr
5.2. descr
 
5.1. indiciação
5.1. indiciação5.1. indiciação
5.1. indiciação
 
5. etapas do proc conhec
5. etapas do proc conhec5. etapas do proc conhec
5. etapas do proc conhec
 
3.0 ciência e medicina
3.0 ciência e medicina3.0 ciência e medicina
3.0 ciência e medicina
 

10. esquerda . direita e centro

  • 1. 20. Esquerda, Direita e Centro Luiz Salvador de Miranda-Sá Jr. Em sua origem, os termos políticos esquerda e direita estão relacionados com a Revolução Francesa como instrumento de mudança social e diz respeiro aos conflitos entre o capital e o trabalho. Os termos esquerda e direita apareceram na Assembléia Nacional francesa logo após a revolução burguesa, pois os deputados populares revolucionários tinham assento no plenário no lado esquerdo do lugar do rei, e os deputados monarquistas que defendiam os interesses dos proprietários (conservadores e reacionários) se sentavam no lado oposto, à direita do rei. Daí a origem destes epítetos. Por consequência, no centro do plenário se sentavam aqueles que tinham posição intermediária entre as duas anteriores. O centro. A tradição política francesa desde o início do século XIX emprega os termos esquerda e direita para indicar, respectivamente, os adeptos da revolução social à esquerda e os partidários da contra-revolução à direita do presidium. Por muito tempo, os termos esquerda e direita estiveram vinculados à noção de transformação política revolucionária e insurrecional. Mais tarde, no início deste século, com o advento da revolução bolchevique de 1917, na Rússia, se afirmou mais e mais esta identificação com o processo político chamado revolucionário. O termo centro implica em designar duas posições políticas como suas duas variantes principais, centro esquerda e centro-direita, indicam um compromisso com mudanças democráticas, transformações sociais pacíficas, sujeitas aos procedimentos eleitorais formais. Como regra geral, mesmo propondo mudanças políticas radicais, optavam por um processo político reformista, gradual e obtido atraves de um processo politico educativo para obter seus resultados. Dão preferIencia à disputa política sobre a insurreução armada para obter suas propósitos. Mais tarde, sobretudo depois da experiência concreta dos governos comunistas na União Soviética e em outros países que assumiram a caracterização de esquuerda, colocou-se a necessidade de uma esquerda democrática não ditatorial e não totalitária) que poderia chegar a ser bastante radical em seus propósitos sem comprometer a idéia de democracia e dos direitos humanos. Foi somente aí que a nocão de esquerda e direita deixaram de significar uma posição insurrecional e contra-insurrecional, localizando-se em um processo político reformista ou revolucionário sem insurreição. Os partidos de direita se comprometem com a liberdade (desde que não comprometam sua pretensões), a ordem, o direito ilimitado à propriedade e à herança, o apego superlativo às tradições e religiões. É comum que pretendam manter uma posição recista. Direita Nacional (racista e nacionalista, no sentido clássico da expressão), Direita Liberal (caracterizada pela defesa da livreempresa ilimitada e das limitações ao poder do Estado), Direita Jacobina (Estado hipertrofiado a serviço dos interesses políticos das camadas médias e da plutocracia), Direita Colonialista, Direita Monarquista.
  • 2. O pensamento de direita está assentado sobre três pilares fundamentais: a necessidades das pessoas comuns serem controladas pelas autoridades; na imutabilidade das instituições; e a supremacia do indiviadual sobre o social. Os partidos de esquerda estão comprometidos com a idéia de progresso social necessário, da prevalência dos interesses coletivos sobre os individuais e as propostas de transformação da sociedade, com as idéias de igualdade e justiça social, com o humanismo e com a sociedade civil. Em geral, os esquerdistas prestigiam os mais pobres, mais fracos e mais explorados de preferência ao mais ricos, mais fortes e que se beneficiem de uma posição exploradora. Como acontece com a direita, é possível haver uma infinidade de posições políticas de esquerda. Avaliando-se a prática política concreta, pode-se duzer que existe uma esquerda científica, uma esquerda sentimental, uma esquerda socialista, uma esquerda comunista, uma esquerda democrática (que se confunde com a centro-esquerda e a social democracia) e muitas outras categorias definidas por sua adjetivação. Contudo, todas estas posições têm algo em comum; o pensamento de esquerda está fundado basicamente na convicção em três princípios cardeiais: a educabilidade dos seres humanos e a plasticidade da sociedade; na influência que o meio social, sobretudo as instituições, exercem nos indivíduos; e a prevalência das necessidades sociais sobre as individuais. Atualmente, frente à derrocada dos Estados de orientação comunista no leste europeu, apareceu uma doutrina ideológica do fim da esquerda, do fim da história, do desaparecimento dos interesses de classe e seus conflitos. Tudo isto não passa de recurso político para beneficiar os interesses liberais e neoliberalistas a srviço do grande capital especulativo. Não é para ser levado a sério. Enquanto existirem trabalho e capital, enquanto existirem contradições entre eles, existirá esquerda e direita. Características da Direita Política Além das características mencionadas acima, deve-se acrescentar: desconfiança e resistência frente às mudanças na sociedade, nos costumes e nas estruturas familiares, políticas e instituicionais; crença dogmática em uma religião ou doutrina política fechada e dogmatizada para exercer o controle social; exagero do dever estatal de manter a lei e a ordem; defesa da intervençao do Estado na vida econômica; desconfiança nos indivíduos livres e nas associações; aceitação das desigualdades humanas como algo natural e eterno; desconfiaça frete aos organismos governamentais e às instituições estatais. Os direitas tende a assumir posição a favor do capital e dos mais fortes. Denominam-se conservadores quando se propõem a impeir ou retardar o progresso e reacionários, quando objetivam fazer rereoceder estados de avanço já consagrados na sociedade ou na cultura.
  • 3. Características da Esquerda Política Mais além das característica apontadas acima, os adeptos da esquerda política se caracterizam por: desejo de mudar o que parece funcionar mal e mudar rapidamente; crença na inevitabilidade (ou na necessidade) da violência para promover as transformações sociais; convicção no dever do Estado na provisão do bem-estar social e seguridade; defesa da propriedade coletiva dos meios de produção como única maneira de garantir a justiça social; preocupação maior com o conteúdo que com a forma das instituições democráticas. Os esquerdistas tendem a ficar ao lado dos trabalhadores, dos mais fracos. Esquerda, Direita e Democracia Denominam-se esquerda e direita extremas quando tendem a excluir seus opostos. As sociedades democráticas tendem a manter uma releção dinâmica desta díade, inclusive, parece ótimoo quando se alternam no poder. As posições polícas e sociais de extrema direita e extrema esquerda tendem a resistir aos procedimentos democráticos, mesmo formais. Preferem os estados autocráticos, sejam ditatoriais (exagero do poder governamental) ou totalitários (quando o poder estatal invadade os direitos individuais). Quando se avaliam as quesões de esquerda e direita considerando a forma e o conteúdo de suas estruturas de poder, pode-se verificar que ambas podem coexistir com as mais diferentes manifestações de poder político. Nenhuma delas tem o monopólio da democracia ou da autocracia, da tolerância ou da intelerância, da liberdade ou da ditadura, da dominação necessária ou do totalitarismo (dominação absoluta). O Panorama Brasileiro Atual Ao fim da ditadura da UDN aparecereceram nos país dois dirigentes políticos vinculados subrepticiamente ao grande capital internacional promotor do consenso neoliberalista: Fernando Henrique Cardoso, antigo patrocinado da Ford Foundation, e Luiz Inácio Lula da Silva, patrocinado pelo movimento sindical norte americano. FHC elege-se primeiro e comprou sua reeleição, assim inventou e Lula reeleito que acompanhou as diretrizes de sua política econômica entreguista e neoliberalista. Ambos direitistas e neoliberalistas que criram um falso dualismo confitivo politicamente o PSDB contra o PT. Sem que houvesse, de fato, qualquer contradição entre os dois em termos políticos, econômicos ou éticos. Ainda que os petistas tivessem menos educação formal, falassem e se vestissem pior que os peessedebistas. No essencial, iguaizinhos. Só a questão eleitoral os separava e separa. De esquerdista, FHC tem os livros que teria escrito e que pediu a todos que esquecessem. Enquanto Lula, de esquerdista tem apenas as gravatas vermelhas. Ambos são crias do conenso de Seatle.