Q . u 

RÔLÃRIIEBITÔS

 

ROLAMENTOS MAR DO BRASIL
ÊCILÂRIIERITCDS

AMiGo APLICADOR

Constantemente buscando agregar valor e qualidade aos nossos produtos e
serviços,  desen...
e
a¡
R(')l IIIIFIIT()Ê

ÍNDICE
a Amigo Aplicador .  . .  . .  . .  . .  . .  . .  . .  . .  . .  . .  . .  . .  . .  . .  ...
v'v
ÉÓI ÁIVÍEBITÉÉ

MERCEDES-BENZ
CUBOS DIANTEIROS
VL1/9 C-2,3 / VL2/ 13 C-2,9 /  VL2/ 15 DC-3,2

Ônibus:  LO 812/814/912/...
.Í ÉÍ_
I .  _' i_
 . I. ~ .  1

ROLAIVIEINITDS

m¡ -

u t.  . n

EIXOS 'TRASEIROS
HL/  H04 /  Hl4 /  H15

Ônibus:  OF/ OH ...
o. ”
ÊCÍLÁÁRIÍEBITÕS

VOLKSWAGEN/ FORD
EIXOS TRASEIROS ROCKWÉLLJTviERiTOR

'E _J VW - Caminhões e Ônibus: 
* l3-2l0/l4-l40...
.Í ÉÍ_
I .  _' i_
 . I. ~ .  1

ROLAIVIEINITDS

CLCBOS 'LIMSEIROS DE 'IlL-ÇiÍO

AD 90

Ônibus:  L/ F/K i11/112/113/11óBR
C...
CLIÀRIIEÀITCS

_l . - . q .  _-

- v
: kim . no 1

DlFERENCl¡lS
Manutenção

Os rolamentos MAR são proietados e fabricados ...
ÉÔBÀRÂEÀITCS

 

u a¡ . a n _

a
aki¡ . eu . l . -

A Tabela abaixo indica as recomendações para cada tipo de veículo Merc...
_É É' _É_
ligou .  i .  A'

'lO_". G'. '-*.  li~'TÉRi~'. '- DOS l'. Ol. .«'-ii. °iE¡~'TOS

ENTENDAA IMPORTÂNCIA DA NECESSI...
K

J MA
GRAXA MAR FX SUPER-EP 180 "°' ^“"E“"“

Periodo de revisao aconselhado para cubos de rodas em virtude do temperatur...
R3 -llIVlEhlTÔS

   

""<'T*'í“"ti: c;›: e . secam. - 
*r Í (A '
 l l ,  .A
: i

"iniciaram cm “IAÍI m aliam-l:  at;  üost...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Manual Basico MAR Rolamentos

421 visualizações

Publicada em

Mais de 30 anos produzindo qualidade no Brasil
Fundada em 1943 na cidade de Rosário, na Argentina, a Rolamentos MAR percorreu um longo caminho sustentado pelo conhecimento e tecnologia, até tornar-se um dos melhores fabricantes de rolamentos do mundo. Após contínuos processos de desenvolvimento, a empresa inaugurou no ano de 1980 sua fábrica no Brasil, na cidade de São Leopoldo, Rio Grande do Sul.

Publicada em: Indústria automotiva
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
421
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manual Basico MAR Rolamentos

  1. 1. Q . u RÔLÃRIIEBITÔS ROLAMENTOS MAR DO BRASIL
  2. 2. ÊCILÂRIIERITCDS AMiGo APLICADOR Constantemente buscando agregar valor e qualidade aos nossos produtos e serviços, desenvolvemos o novo Manual Basico para você conhecer um pouco mais sobre nossa linha de rolamentos e graxos. Aqui você encontra informações necessarias para a correta aplicação de nossa linha de rolamentos e graxos em conformidade com criterios internacionais de qualidade, -* . atendendo assim ãs necessidades técnicas exigidas no mercado nacional e â s . < internacional. Cf/ «x O eficiente suporte técnico de atendimento direto ao consumidor esta em constante . ~ . . . , . . . . . evolução, buscando prestar-lhes informaçoes e assistencia, agregando sempre mais t, ' . valorequalidade aos seus serviços. Lembrando sempre que a máxima durabilidade dos rolamentos, bem como a de outros componentes do coniunto, é obtida seguindo sempre as recomendações de manutenção e aiustes descritas pelo fabricante do veiculo e na utilização deste, dentro das características a que foi proietado. p, _t_ ' r anais/ nus? " 'as M' . . x m. “Wi ¡oL-cIV-7* ' °Í5U. ¡¡; ¡ca 1 FD¡ ! IIL Lill Y "l A ' "A Política da Qualidade da Empresa é melhorar continuamente para a satisfação do mercado de autopeças, através de normas e procedimentos envolvendo toda a organização. " r. -', .. J GARANTIA A P É* . 'x53 I Sl : L garante todos os seus Produtos, desde que aplicados corretamente, t0mando›se os cuidados imprescindíveis na montagem e manutenção, conforme mencionado neste Manual Basico. Os rolamentos Mar são produzidos para terem uma vida útil normal e são garantidos por eventuais defeitos de matéria prima e/ ou de fabricação. Os rolamentos em geral apresentam diminuição de sua vida útil ou problemas, devido a falhas na montagem ou a falta de inspeção das peças durante o manutenção. . e fin* 'lrii i' ' ex' VIHÍJiJ':1l'i'iii'1i"~ílRiVIYJ-l ~. as iniovmaçóes contidas neste manual são resultado das experiências praticas col-iidas junta aos aplicadores.
  3. 3. e a¡ R(')l IIIIFIIT()Ê ÍNDICE a Amigo Aplicador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 n Certificações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 u Garantia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 Mercedes-Benz do Brasil e Cubos Dianteiros VL - l /9 C-2,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4 n Cubos Dianteiros VL - 3 / 4,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4 u Eixos Traseiros HO4.. . / Hi4 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 Volkswagen / Ford / Agrale a Eixos Dianteiros 5301 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 Volkswagen / Ford n Eixos Traseiro Rockwell Meritor RS145 / R240 . . . . . . . . . . . . . . . . . ó Scania (Brasil) e Cubos Dianteiros AM55 / AMó0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ó e Cubos Traseiros de Tração AD90 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7 Volvo u Cubos Dianteiros (Sistema a Óleo) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7 Mercedes-Benz do Brasil e Diferenciais - Manutenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8 a Formas / Construção / Vedação . . . . . . . . , . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9 u Folga interna dos Rolamentos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . i0 e Cuidados na Montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . lO e Graxas Automotivas MAR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10
  4. 4. v'v ÉÓI ÁIVÍEBITÉÉ MERCEDES-BENZ CUBOS DIANTEIROS VL1/9 C-2,3 / VL2/ 13 C-2,9 / VL2/ 15 DC-3,2 Ônibus: LO 812/814/912/914/915 Caminhões: L 7l0/9l4/9l5C Linha Accelo n Em veiculos blindados U e ônibus urbanos. I n Usar graxa MAR ULTRA-EP 250 l - Faça o oiuste com o eixo dianteiro @Em bem apoiado, sem o coniunto de pneus/ rodas. 2 - Em veículos blindados e ônibus urbano/ metropolitano, use a graxa para alta temperatura MAR ULTRA EP 250, e reduza os intervalos para desmontagem/ inspeção e troca da graxa dos cubos de rodas. Utilize rolamento MAR - interno 32306 , l - externa 33l ll MERCEDES-BENZ CUBOS DIANTEIROS VL3/4,5 / VL3/6 D-4-1 / VL3/7 D-5 Ônibus: OF/ OH 1318/1417/1418 Caminhões: L/ LK 1214/1216/1318 Linha Atego l -Nocubol50g às] 2 - Na calota 50 g Utilize rolamento MAR - interno 332l 3 _i ! - externo 33208 xx"
  5. 5. .Í ÉÍ_ I . _' i_ . I. ~ . 1 ROLAIVIEINITDS m¡ - u t. . n EIXOS 'TRASEIROS HL/ H04 / Hl4 / H15 Ônibus: OF/ OH 1318/1417/1418 Caminhões: L/ LK/ l2l4/l2ló/ l3l8 Linha Atego mai; Cubo e rolamentos 300 g : :Fã Para HL4,i"0ó0 D-l0 - l0 litros i Para HLMóO D- i o . 5,3 litros Óleo Classificação API-GL 5 Viscosidade SAE 90 ou SAE 85W90 Intervalo de troca entre 45x60 mil km l Utilize rolamento MAR , I - inferno 330l9 . externo 33215 ›$ / / EIXOS DlANllIiLlROS 5301 vw Ônibus: 8-140 co / 9.1 2o co / 9.150 co Caminhões: 8-140 / 9.120 / 9.150 rom) Cargo - 8l4 / 9l5 AGRALE Micro ônibus: A6 / A8 / WlO / Wl 2 Caminhões l - No cubo 300 g 2 - Na calota 50 g l ~ Faça o aiuste com o eixo dianteiro bem apoiado, sem o conjunto de pneusfrodas. 2 ~ Em veiculos blindados (de banco] e ônibus urbano/ metropolitano, use a graxa para alta temperatura MAR ULTRA EP 250, e reduza os intervalos para desmontagem/ inspeção e troca da graxa dos cubos de rodas. | Utilize rolamento MAR ~' _ › interno 25590/2552? *u* - externo l5l0ó, i"l 5250 MX
  6. 6. o. ” ÊCÍLÁÁRIÍEBITÕS VOLKSWAGEN/ FORD EIXOS TRASEIROS ROCKWÉLLJTviERiTOR 'E _J VW - Caminhões e Ônibus: * l3-2l0/l4-l40/ló›l70/22-140 FORD - Linha Cargo: l3l3/l5l4/lól5/l722/2216/2319/ 2422/2630/3224/3530/4030 Cubo e rolamentos 300 g Utilize rolamento lViAR | - interno 594,›"4592A ç. _ - externo 5803572 'V ScANiA CUBOS DIANTEIROS AM55 / AM60 Ônibus: L/ F/K i i i/ i i2/i i3/i ióBR Caminhões: L/ LK/ H/T/ R/T i i i/ i i2/i 13/142 l - No cubo 350 a 400 g ; têm 2 - Na calota 50 g Utilize rolamento MAR AM55 - interno 323l l U -externo 32308 *f - A AMóO - interno 323l2 S', - externo 32309
  7. 7. .Í ÉÍ_ I . _' i_ . I. ~ . 1 ROLAIVIEINITDS CLCBOS 'LIMSEIROS DE 'IlL-ÇiÍO AD 90 Ônibus: L/ F/K i11/112/113/11óBR Caminhões: L/ LK/ H/T/ R/T 110/lll/ /112/113/142 mig, l- No cubo 600 g 2- Na cúpula l50 g Utilize rolamento MAR interno e externo l i2¡ HM 218248,. «'HM21821o ÍI ~ interno e externo (2) 32218 CLÍBOS Dli. "l'ElROS (Sistema à Óleo) Ônibus: B7B/ BiOB/ B10M/ B12B Caminhões: NLl 0/NL12/FH10/FN10/FH12 g _l Viscosidade SAE 30 ' Utilize rolamento MAR interno T2ED 070.v"VBOó1 " - externo 39580il39520 llóbkgim)
  8. 8. CLIÀRIIEÀITCS _l . - . q . _- - v : kim . no 1 DlFERENCl¡lS Manutenção Os rolamentos MAR são proietados e fabricados para atingirem alta durabilidade_ Alguns cuidados tornam-se críticos no montagem e manutenção de conjuntos diferenciais, sem os quais todo trabalho pode ser perdido. É As principais recomendações são: Limpeza. ' Inspeção da carcaça e demais componentes, Analise dos peças antes de sua reutilização. Cuidado na montagem dos rolamentos do corpo do pinhão. t Limpeza A limpeza é fundamental na manutenção ou revisão de um coniunto diferencial. Com freqüência encontramos fragmentos de peças, residuos de borro de óleo com limalhos e outros partículas estranhos que irão comprometer definitivamente a vida útil dos rolamentos e demais peças do coniunto. Prepare um recipiente com querosene limpa e um pincel e proceda da seguinte forma: l) Remova o barra de tração. Retire o rodeiro bem como os defletores de óleo. Marque o posição correto de montagem para facilitar a reinstalação. 2) Usando querosene limpa, lave o interior do carcaça. Com oiuda do pincel retire as incrustações. 3) lnspecione as galerias, furos de lubrificação e canaletas, removendo toda a limalha incrustada e resíduos de óleo e borro. 4) Com auxílio de um pano seco e costurado (é importante que o pano não solte fiapos), seque todo o interior da carcaça e os dutos da barra de tração. 5) Use ar comprimido para desobstruir os furos de lubrificação, canais e galerias. Love o plug magnético. Inspeção da carcaça e demais componentes: Os rolamentos para aplicação em diferenciais são produzidos para montarem com interferência, portanto todo o cuidado na inspeção dos colos de assentamento são de vital importância. Verifique: ': Corpo do pinhão. Laterais da caixa satélite. " Ponta do pinhão. Obs ' Colos gastos estão foro de tolerância comprometendo uma montagem segura e perfera. Confira para que não ho¡a desvio EXCESSWO entre a alo omento do corpo do pinhão e o centro da ccrccco. Examine com cuidado os colos e assentamentos dos rolamentos da 'atera da caixa satélite. Re-*ire os rebarbas e verifique a rosca da porca castelo. ' Analise das peças antes de SUD reutilização Após retiraro rolamento proceda da seguinte maneira: -Lave o rolamento para que fique perfeitamente limpo. - Verifique se não ocorreu desgaste excessivo das dimensões externos_ - lnspecione as superfícies das pistas da capa, do cone e dos roletes. Havendo descascamentos, omassamentos, riscos ou oxidações descarte as peças! - Verifique o cabeça dos roletes e a respectiva órea de contato nos cones. Havendo desgaste acentuado, descarte as peças! - Constatado que os rolamentos não apresentam anormalidades, lave-os novamente e execute a montagem. : Montagem dos rolamentos do corpo do pinhão Mercedes-Benz Com as peças inspecionadas, inicie a montagem: - Os rolamentos novos não necessitam serem lavados - Em virtude dos característicos de aiuste, recomendamos o prévio aquecimento dos rolamentos à temperatura maximo de 80”C. lsto permitirã uma montagem sem esforços e danificações. 'x3 Os rolamentos podem ser aquecidos em: pequenos fornos elétricos com termostatos aiustãveis, ou banhos de óleo fino e limpo ou ainda aquecedores indutivos especificos para este uso. MONTAGEM E AJUSTES DOS ROLAMENTOS DO CORPO DO PINHÀO EIXOS TRASEIROS: HO r' HL4 t' 12 D10 - HL4 x' 14 - HL4 /26 a ~ Aqueça e monte o rolamento. b - Instale o espaçodor (3) (largura padrão 15,50mm). c - Aqueça e monte o rolamento (5). d - Instale as peças (ó), (7) e (8). e - lnstole, aperte e torqueie (360 Nm) o porco sextavada (9). f- Faça o ajuste da pré-carga, através do calço bipartido (4), com o coniunto já frio.
  9. 9. ÉÔBÀRÂEÀITCS u a¡ . a n _ a aki¡ . eu . l . - A Tabela abaixo indica as recomendações para cada tipo de veículo Mercedes-Benz: Rol l2i Sl 1482-20 s Rol IS', Sl 1482-20 Rcl [QI 562830-20 o Rol 15| Sl 1452-20 Rol i2) 54066920 e Rol 15| 575725-20 HO HL--i HO HLv-l Isistema relorçcidol HL4_«"0' HOAÍIÚ' HOAUÚl Dl Anel espaçodor l3[ espessura padrão Anel espaçadav [KI espessura padrão Anel espaçodor 134 espessura padrão l5,50mm l5,5Cmm l3,5C*m'n Momento de lcrça Foroue] em Nrr' Niomerro de torço [torque] em Nm ll/ iomervo de lorça Ijlorqoel em Nm Ç7l anel ros: ado~l . ÚSONW I_7]a'1el 'oscadcrl OSÚNm L7:: anel roscado-l 200Nm Ç9I porco sextavada do pmhãa-BÓO lm I'_9Ii acrca sextavada do pmhão-BÓO *lm lí9§ acrca sextavada do pinlião›360 *im Calços de aiuste de pré-carga dlSDOnH/ EIS Calças ae aiure de are-carga drspomveis Calças de a¡us'e de are-carga d spaniveis de lO. lC a lO,50mm + de 6,66 a 708mm de 6,60 a 140mm _i Pora caminhões e ÕTllbLS. Para caminhões e ônibus serv ços . ÀDllíGlWfüS SeF-'IÇOS eves, de emrega e peso pesados, estrodehos com 3" ElXC, Caminhões rvãxrmo de balança tais como L«'LK. -'LSl6l 8.~'l620.~"ló28 ureeiras, brra, mineração, Canavieiras l_720,= 'l 72l efou lrasegando com excesso de peso On bus OF- l ól Br' l 62051 72 l / l 722W 722m OH~l 62'_«"l 62551 630 03703037 l E0400 RS«"RSD_F'Ji"LP› O 500 UNÉvl-"R Lembretes Importantes: : i As faixas de aiuste de pré-carga e as medidas de espessura dos calças bipartidos são vãlidos utilizando-se o anel espaçodor (3) nas dimensões padrões de l5,50mm para eixos HÔ-4 e HL-4 e l3,50 mm para eixos HÔll/ Ol , HL4/0l e HO4/0l DL. 1 O anel espaçodor deverá estar bem esquadrado e sem danilicaçóes nas laces. Use um micrômetro de O a 25mm pois os paquímetros não são apropriados para esta tolerância. 1 Prelira sempre um aiuste da pré-carga levemente mais "lorçado", visto que é necessário distribuir bem os esforços de trabalho entre os dois rolamentos do colo. I Reaiuste a pre-carga e troque o óleo do diferencial entre lO e l5 mil km. As trocas subsequentes deverão ser feitas entre 40 e óO mil km. Foran-¡Lxs/ r §Ol~'S'i'RU ¡ÍÃO/ DA* yíío ROLz'l°lEN'l'OS FIXOS DE ESFERAS ROLAMENTOS BLINDADOS Z E ZZ ~ ROLAMENTOS COM PLACAS DE VEDAÇAO RS E 2RS RS e 2RS Rolamento com placas de vedação em borracha nitrílica de baixo atrito. : Indicação para operação: _ 30°C l l 10°C '” Com limite de rotação de l/3 da rotação maxima. ZeZZ Rolamentos blindados [Z e ZZ]com placas de aço estampado. Indicação para operação: _ 30”C l l lO°C ' Em elevados rotações / baixo custo f livre de manutenção.
  10. 10. _É É' _É_ ligou . i . A' 'lO_". G'. '-*. li~'TÉRi~'. '- DOS l'. Ol. .«'-ii. °iE¡~'TOS ENTENDAA IMPORTÂNCIA DA NECESSIDADE DAS FOLGAS RADIAIS C3 E C4 i i , Folqc lnternn Rnmn Fill” l' C "U V ' A_ Roda u ga interna Fezicil l l 'x . I) I ("l xxll) I›I~ 1)( › l ( ) IJI- 'it Diferentes graus de dilatação em razão das montagens com m¡ v R( IL. Íll . l( ) (, t ›l l t)l, (i ! ill lRl , l I t Por caracteristicas de montagem e da dilatação termica. l1l'lil. (vt N( tl'. l›l ' Consulte o Manual do fabricante para identificar a folga indicada ÍlÇ l . DI-XD CS NA . " C It 'ff-XG : Em " Evite batidos diretamente no rolamento, Nunca use chamo direto_ Os rolamentos Z ZZ e RS 2RS não devem ser aquecidos em banho de óleo. _ i : é : ..-. X.-. S Í-“ÍU'I'Oi': iO'I'lV!5.S As graxos automotivos usados em veículos pesados apresentam normalmente o seguinte constituição: 85% 7', Aproximadamente 85% óleo mineral basica, 5% 10% Aproxmicidamente 10% sabão espessante, que pode ser Calcio, Sódio, Lítio ou Complexo de Lítio, Aproximadamente 5% de aditivos (ontiferrugirtoso, antioxidante, agentes de extrema pressão - E. P. - coloração e outrosl, A Rolamentos Mar, atraves de sua experiencia em coniunto com os melhores fabricantes de graxas, disponibilizo ao mercado dois tipos de plodulos: Características de graxos com espessantes diferentes -i-: .'. i,q: :<. IJ: Ill(- ? SC-"Í. Boa Lul_i-ift; :,iii'i, - ~'_t(_1'; ': . i_i: _i-i"i'_ci'i›i_- dr: Lulg-: g di) r: ;›: _l: ,i: ~ . . . . . . l' '*-"-i”" l* wi^"'l~“ll_ i' 'i ' "l" ' ' " ' ' * Cu: tovwxr_~1r_i› Cosmo WGIO' l Graxa Mar Ultra-EP 250
  11. 11. K J MA GRAXA MAR FX SUPER-EP 180 "°' ^“"E“"“ Periodo de revisao aconselhado para cubos de rodas em virtude do temperatura de trabalho, operando com graxa a base de sabóo de lítio - EP. 'A/ ir-'WPU' U' 50 rsmeuruu CMVM" DE TEMPÍRMURA OPERMÍKNIM . PONIO D( GOYA YES! ? DE ! ESSÊNCIA E? rm¡ somam-Jo OlEO H0' co¡ I FAIXA OPERACIONAL SEVERA 90° I FAIXA OPERACIONAL ÓTIMA 60° c. INTERVALO rAnA REVISÃO o j 2o E sulsnruiçiio DA GRAXA no cuso _ _ _ Embalagens disponiveis: Principais Aplicações. . pote; V¡ kg¡ 1 kg a Cubos de rodas de caminhões e ônibus em geral. . Rome¡ 1o kg, 20 kg I Semi-reboques/ carretas rodoviárias. : Máquinas e implementos agrícolas e industriais como graxa de múltiplo uso. IVeiculos de passeio e camionetes. 9 Considerar a temperatura de trabalho e periodos de revisão conforme indicado. GRAXA MAR ULTRA-EP 250 Peneda de revisao aconselhado para cubos de rodas em virtude da temperatura de trabalho, operando com graxa à base de complexo de lítio 4 EP, CONSISIÉNCIA YEWLIAIMAGIIACKJNM ? ONID N GUIA TESTE n¡ msIsrh-ICIA Er reste sewAciio 011o coa | | PICOS a FAIXA OPERACIONAL SEVERA I FAIXA OPERACIONM ÓTIMA PARA REVISÃO ° 5 É E SUBSTITUIÇÃO nA auxA no cuno Embdogom disponiveis: Principais Aplicações: IPote: l kg IComo graxa de qualidade “premium” a tim de aumentar a vida útil dos rolamentos l Balde: 20 kg automotivos e equipamentos industriais. ¡Caubos dianteiros e traseiros em ônibus urbanos/ metropolitanas de uso severo. ¡Onibus rodoviários em circuitos de serras. ISemi-reboques e carretas rodoviárias, mineradoras/ madeireiras. ! Motores elétricos, industriais e de tração. § Considerar a temperatura de trabalho e períodos de revisao conforme indicado.
  12. 12. R3 -llIVlEhlTÔS ""<'T*'í“"ti: c;›: e . secam. - *r Í (A ' l l , .A : i "iniciaram cm “IAÍI m aliam-l: at; üostüílo. Wqiailñiio, o Rotloiiiiaiilin: Iuril- prai-musa¡ Im touigp qoliiíliliic dIHtmllIi-t- pinto qouliiu-niiiaiiir- . V (uam-itaim: oiii ioimoim; Iln uteis iiiuliioiiw iolloinqciiti-. Lwutuntt-Iiiiucltosmitouiiiiiii-to. 'wpiíw oioiiliiiiiio _aim-Ismar d'- clawziiivowliiiiuitt- a : cuspir-Mo ltlolugullcilllu-OlllI-ok "Hi5um¡ÍÍloiíT-(oiiiio-ltiosfl, ;amu-ililqunignr; Iio otiotoiol'. el'. .Tiro nzxoipiolloto, É o Clamor. oh ñil_ 'Ione uniu Inst): ot; man- . iíiciilr- di: »spiuífãiiono iio toliin-i-içiíi- or. ltllitlliullhk OL' ; miami-xr Iuri! ? mui . im Ollltllliloltl# iu-t-iiiiiu-n-“Ioi ii- ãiiioiçio. !Hiei 'Wlllíln0i0k, ¡queimar- *lidam "ni-'UUlii-to 'e olHiílL-¡Innclc gld-M-k oiIIi-iiiiotñuob: L Ioit-Iiiiuilick ol'- nim: .reina-u, ¡Ílllllllnütlk -. ai: :mini-k _oi-iu . ..mmmsr : iii dlliltk at; (Ollltk. «turu-k ai; uiíinlcno. «ÍHÍHIIION diii-_ii-. iii-noll; «ilttmlilk el: ontudíin 'emu c~ hum piamente¡ oigmq-Ho .7 mu; o Ítollomiuilrni: IUIWÍ- O]là]ILJÀLIJLL: [IIÍCÍIÍEÍUIOIINIILÍÍIÍIÚlLNOlÇJALJÍLÍ _otlciolllrnn ROIAMENTOS MAR DO BRAS". Sao Leopoldo - RS - BRASIL SÀC: 05007070230 comercio| @ro| mar. ind_br BRAZH_ vendasêrolmarindbr axportacao@rolmar. ind, br iwwwmawalamentoscombr à MAU] t! !

×