Tratamento de efluentes papel e celulose

1.964 visualizações

Publicada em

Tratamentos de efluentes papel e celulose.

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.964
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
63
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tratamento de efluentes papel e celulose

  1. 1. As indústrias de papel e celulose representam hoje uma extrema importância econômica e ambiental, devido à grande disponibilidade de recursos florestais. Com a crescente produção, faz-se necessária a utilização de volumes consideráveis de água para a lavagem das fibras gerando, consequentemente, quantidades significativas de efluentes líquidos .
  2. 2. A celulose é um composto natural existente nos vegetais, de onde é extraída, podendo ser encontrada nas raízes, tronco, folhas, frutos e sementes. É um dos principais componentes das células vegetais que, por terem forma alongada e pequeno diâmetro (finas), são frequentemente chamadas “fibras”.
  3. 3. Figura 1- Componente da madeira Diversos processos de fabricação Existem muitos métodos diferentes para a preparação de pasta celulósica, desde os puramente mecânicos até os químicos, nos quais a madeira é tratada com produtos químicos sob pressão e pela ação de calor (temperaturas maiores que 150° C), para dissolver a lignina, havendo inúmeras variações entre os dois extremos. Processo mecânico MP, Processo Termomecânico TMP, Processo Semi químico, Processo Químico – Kraft, Processo Químico – Sulfito, Processo Químico – Sulfato.
  4. 4. A produção de celulose pelo método Kraft (forte, em alemão) é o dominante no Brasil e no mundo em geral pelo fato de gerar poucos resíduos além de que o licor negro, principal subproduto do processo, pode ser totalmente reaproveitado, o que torna este processo ecologicamente correto.
  5. 5.  A INDÚNTRIA DE PAPEL E CELULOSE É A SEXTA MAIOR POLUIDORA ATRÁS APENAS DAS INDÚSTRIAS DE ÓLEO, CIMENTO, COURO, TÊXTIL E SIDERURGICA, PRODUZ UMA VARIADA CARGA DE POLUENTES LÍQUIDOS E GASOSOS.  A FABRICAÇÃO DO PAPEL ENVOLVE CINCO PASSOS BÁSICOS E CADA PASSO PODE VARIAR DE ACORDO COM A INDÚSTRIA E TIPO DE PROCESSO ADOTADO, ENTÃO O EFLUENTE FINAL GERADO É UMA COMBINAÇÃO DE EFLUENTES DAS CINCOS ETAPAS ENVOLVIDOS EM SEUS PROCESSOS DE PRODUÇÃO.  1° Picagem: Convertem as árvores em pequenas peças chamados de cavacos e remoção da casca.  2° Polpação: Transforma os cavacos em polpa de celulose.  3° Branqueamento: É o processo para retirar a cor amarelada da polpa, são utilizados vários reagentes químicos como o cloro, dióxido de cloro, peróxido de hidrogênio, ozônio, oxigênio, etc.  4° Lavagem: Remove os agentes de branqueamento da polpa.  5° Produção final: É a fase final da produção, onde é feita várias misturas químicas com a polpa para melhorar a qualidade e resistência do papel.
  6. 6.  A maioria dos tratamentos encontrados nas indústrias de papel e celulose são compostos de tratamento primário, secundário e terciário.  Tratamento primário: Consiste na remoção se sólidos suspensos e uma pequena remoção do material orgânica.  Tratamento secundário: Compreende os métodos de tratamento biológico, a matéria orgânica contida nestes efluentes é degradada através de microorganismos que se alimentam da mesma para gerar energia para suas funções vitais. Podem ser por processos anaeróbicos ou aeróbicos.  Tratamento terciário: É necessário quando os demais métodos não forem capazes de eliminar todos os contaminantes presentes, de acordo com a legislação ambiental, é feito uma ultra filtração para remoção dos metais pesados e a cor. CONCLUSÃO Os resultados obtidos demonstram os processos de tratamento dos efluentes da indústrias de papel e celulose, por conter altos índices de componentes químicos sendo assim inviável o despejo desses efluentes em corpos hídricos sem um prévio tratamento.

×