SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Baixar para ler offline
Escola Estadual Dr. Raimundo Alves Torres,Viçosa-MG.
PIBID BIOLOGIA
Bolsista:Luiz Carlos da Costa
1º ano Ensino Médio
Evolução biológica
Entre os seres vivos e o meio em que
vivem há um ajuste, uma harmonia
fundamental para a sobrevivência.
 A adaptação dos seres vivos ao meio
é um fato incontestável. A origem da
adaptação, porém, sempre foi
discutida.

Adaptação a diferentes
condições...


Na Antigüidade, a idéia de que as
espécies seriam fixas e imutáveis foi
defendida pelos filósofos gregos. Os
chamados, fixistas propunham que as
espécies vivas já existiam desde a
origem do planeta e a extinção de
muitas delas deveu-se a eventos
especiais como, por exemplo,
catástrofes, que teriam exterminado
grupos inteiros de seres vivos.


O filósofo grego Aristóteles, grande
estudioso da natureza, não admitia a
ocorrência de transformação das
espécies
Evolucionismo


Lentamente, a partir do século XIX, uma
série de pensadores passou a admitir a
idéia da substituição gradual das
espécies por outras, por meio de
adaptações a ambientes em contínuo
processo de mudança.
Essa corrente de pensamento,
transformista, explicava a adaptação
como um processo dinâmico, ao
contrário do que propunham os
fixistas.
 Para o transformismo, a adaptação é
conseguida por meio de mudanças: à
medida que muda o meio, muda a
espécie. Os adaptados ao ambiente em
mudança sobrevivem.

Nem sempre a adaptação implica
aperfeiçoamento. Muitas vezes, leva a
uma simplificação.
 É o caso, por exemplo, das tênias,
vermes achatados parasitas: não tendo
tubo digestório, estão perfeitamente
adaptadas ao parasitismo no tubo
digestório do homem e de outros
vertebrados.

Idéia do Evolucionismo
As evidências da evolução
os fósseis;
 a semelhança embriológica e anatômica
existente entre os componentes de
alguns grupos animais (notadamente os
vertebrados),
 a existência de estruturas vestigiais e
 as evidências bioquímicas relacionadas
a determinadas moléculas comuns a
muitos seres vivos.

Anatomia Comparada
A asa de uma ave, a nadadeira anterior de um golfinho e o braço de um
homem, ainda que muito diferentes, possuem estrutura óssea e muscular
bastante parecidas. A semelhança pode ser explicada admitindo-se que esses
seres tiveram ancestrais em comum, dos quais herdaram um plano básico de
estrutura corporal.
Semelhanças embrionárias


As semelhanças entre os embriões de
determinados grupos de animais são ainda
maiores do que as semelhanças encontradas
nas formas adultas. por exemplo, é difícil
distinguir embriões jovens de peixes, sapos,
tartarugas, pássaros e seres humanos, todos
pertencentes ao grupo dos vertebrados. Essa
semelhança pode ser explicada se levarmos
em conta que durante o processo embrionário
é esboçado o plano estrutural básico do
corpo, que todos eles herdaram de um
ancestral comum.
Órgãos ou estruturas
homólogos


Certos órgãos ou estruturas se
desenvolvem de modo muito
semelhante nos embriões de todos os
vertebrados. São os órgãos homólogos.
Apesar de terem a mesma origem
embrionária, os órgãos homólogos
podem ter funções diferentes, como é o
caso do braço humano e da asa de uma
ave, por exemplo.
Órgãos ou estruturas
análogos


estruturas desempenham a mesma
função, mas têm origem embrionária
diferente
Será que os Homens
descendem dos macacos?
Evidências moleculares da
evolução
A comparação entre moléculas de DNA
de diferentes espécies tem revelado o
grau de semelhança de seus genes, o
que mostra o parentesco evolutivo.
 citocromo c

As idéias de Lamarck


Em sua teoria, Lamarck sustentou
que a progressão dos organismos
era guiada pelo meio ambiente: se o
ambiente sofre modificações, os
organismos procuram adaptar-se a
ele


Lei do uso ou desuso: no processo de
adaptação ao meio, o uso de
determinadas partes do corpo do
organismo faz com que elas se
desenvolvam, e o desuso faz com que
se atrofiem;


Lei da transmissão dos caracteres
adquiridos: alterações no corpo do
organismo provocadas pelo uso ou
desuso são transmitidas aos
descendentes.
Lamarck X Darwin
Um pouco da História do
Darwinismo


Nas ilhas Galápagos, um conjunto de
A viagem de Darwin ao redor do
ilhas pequenas e áridas, situadas no
mundo
Oceano Pacífico a cerca de 800 Km
da costa do Equador, Darwin
encontrou uma fauna e uma flora
Durante a viagem do Beagle,
altamente peculiares, que variavam
Darwin de ilha para ilha.
ligeiramente fez escavações na
Patagônia, onde encontrou
fósseis de mamíferos já
extintos. Darwin descobriu o
fóssil de um animal gigantesco,
com a organização esquelética
muito semelhante à dos tatus
que hoje habitam o continente
sul-americano.


Darwin foi influenciado pelos trabalhos
de cientistas famosos, como o
astrônomo John Herschel (1792–1871)
,o naturalista e viajante Alexandr
Humboldt (1767–1835); o
geólogo Charles Lyell (1797 – 1875;
Seleção Natural
A ação da seleção natural consiste em
selecionar indivíduos mais adaptados a
determinada condição ecológica,
eliminando aqueles desvantajosos para
essa mesma condição.
 A expressão mais adaptado referese à maior probabilidade de
determinado indivíduo sobreviver e
deixar descendentes em determinado
ambiente.

Como a Seleção Natural atua..
Exemplos de seleção natural


A resistência de bactérias a
antibióticos e de insetos a
inseticidas têm aumentado muito nos
últimos anos, havendo sempre a
necessidade de se desenvolverem
novos antibióticos e novos inseticidas.
Coloração de advertência

E a falsa coral????
Mimetismo
Adaptação!
A teoria sintética da evolução
conciliação das idéias sobre seleção
natural com os fatos da Genética
 fatores que tendem a aumentar a
variabilidade genética da
população : mutação e permutação;
 fatores que atuam sobre a
variabilidade genética já
estabelecida : migração, deriva
genética e seleção natural.

“Nada se faz em biologia a não ser à luz
da evolução”.
 duvidas????
 Aula disponivel para
visualização/download:
esedratbio.blogspot.com


Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

O que é biologia?
O que é biologia?O que é biologia?
O que é biologia?
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
Origem da vida (1)
Origem da vida (1)Origem da vida (1)
Origem da vida (1)
 
Aula origem da vida
Aula origem da vidaAula origem da vida
Aula origem da vida
 
A origem da vida 1º ano
A origem da vida   1º anoA origem da vida   1º ano
A origem da vida 1º ano
 
Cap 9 a origem da vida
Cap 9 a origem da vidaCap 9 a origem da vida
Cap 9 a origem da vida
 
Aula origem da vida
Aula   origem da vidaAula   origem da vida
Aula origem da vida
 
Exercícios sobre a origem da vida
Exercícios sobre a origem da vidaExercícios sobre a origem da vida
Exercícios sobre a origem da vida
 
Origem do primeiro ser vivo na terra
Origem do primeiro ser vivo na terraOrigem do primeiro ser vivo na terra
Origem do primeiro ser vivo na terra
 
A Evolucao Da Vida
A Evolucao Da VidaA Evolucao Da Vida
A Evolucao Da Vida
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
Aula origem da_vida
Aula origem da_vidaAula origem da_vida
Aula origem da_vida
 
Aula sobre origem da vida
Aula sobre origem da vidaAula sobre origem da vida
Aula sobre origem da vida
 
I. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vidaI. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vida
 
Origens da vida documentário IFCE campus Jaguaribe Zoologia
Origens da vida documentário IFCE campus Jaguaribe ZoologiaOrigens da vida documentário IFCE campus Jaguaribe Zoologia
Origens da vida documentário IFCE campus Jaguaribe Zoologia
 
Origem da vida evolução histórica
Origem da vida   evolução históricaOrigem da vida   evolução histórica
Origem da vida evolução histórica
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
Origem-da-vida
 Origem-da-vida Origem-da-vida
Origem-da-vida
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
Origem vida 2
Origem vida 2Origem vida 2
Origem vida 2
 

Destaque

Aula bimestral(novembro) 1º ano e.m-pibid biologia
Aula bimestral(novembro)  1º ano e.m-pibid biologiaAula bimestral(novembro)  1º ano e.m-pibid biologia
Aula bimestral(novembro) 1º ano e.m-pibid biologiaLuiz Carlos
 
Ensino Medio presencial com mediação tecnológica
Ensino Medio presencial com mediação tecnológicaEnsino Medio presencial com mediação tecnológica
Ensino Medio presencial com mediação tecnológicaHevanna Lima
 
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costaEras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costaLuiz Carlos
 
Origem da vida 9 ano ppt
Origem da vida 9 ano pptOrigem da vida 9 ano ppt
Origem da vida 9 ano pptKatia Nunes
 
Bg2 teoria celular
Bg2   teoria celularBg2   teoria celular
Bg2 teoria celularNuno Correia
 
Caracteristicas Imagem Microscopio Tc0809
Caracteristicas Imagem Microscopio Tc0809Caracteristicas Imagem Microscopio Tc0809
Caracteristicas Imagem Microscopio Tc0809Teresa Monteiro
 
Actividade experimental célula
Actividade experimental célulaActividade experimental célula
Actividade experimental célulaCarlos Moutinho
 
05 Microscopio ConstituiçAo Tc 0809
05 Microscopio ConstituiçAo Tc 080905 Microscopio ConstituiçAo Tc 0809
05 Microscopio ConstituiçAo Tc 0809Teresa Monteiro
 
Biologia 11 (origem e evolução endossimbiose)
Biologia 11 (origem e evolução   endossimbiose)Biologia 11 (origem e evolução   endossimbiose)
Biologia 11 (origem e evolução endossimbiose)Nuno Correia
 
Actividade Experimental nº2
Actividade Experimental nº2Actividade Experimental nº2
Actividade Experimental nº2Gabriela Bruno
 
Observacao celulas humanas_web
Observacao celulas humanas_webObservacao celulas humanas_web
Observacao celulas humanas_webFatima Comiotto
 
03 ObservaçãO Da CéLula Da Cebola Ao Microscopio Tc0809
03 ObservaçãO Da CéLula Da Cebola Ao Microscopio Tc080903 ObservaçãO Da CéLula Da Cebola Ao Microscopio Tc0809
03 ObservaçãO Da CéLula Da Cebola Ao Microscopio Tc0809Teresa Monteiro
 
Relatório biologia 10ºano - membrana celular
Relatório biologia 10ºano - membrana celularRelatório biologia 10ºano - membrana celular
Relatório biologia 10ºano - membrana celularAMLDRP
 
Bg2 à descoberta da célula
Bg2   à descoberta da célulaBg2   à descoberta da célula
Bg2 à descoberta da célulaNuno Correia
 
Relatório actividade experimental - batata & cebola
Relatório   actividade experimental - batata & cebolaRelatório   actividade experimental - batata & cebola
Relatório actividade experimental - batata & cebolaInês Fernandes
 

Destaque (20)

Aula bimestral(novembro) 1º ano e.m-pibid biologia
Aula bimestral(novembro)  1º ano e.m-pibid biologiaAula bimestral(novembro)  1º ano e.m-pibid biologia
Aula bimestral(novembro) 1º ano e.m-pibid biologia
 
Ensino Medio presencial com mediação tecnológica
Ensino Medio presencial com mediação tecnológicaEnsino Medio presencial com mediação tecnológica
Ensino Medio presencial com mediação tecnológica
 
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costaEras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
B2 a célula
B2   a célulaB2   a célula
B2 a célula
 
Moc relatorio
Moc relatorioMoc relatorio
Moc relatorio
 
Origem da vida 9 ano ppt
Origem da vida 9 ano pptOrigem da vida 9 ano ppt
Origem da vida 9 ano ppt
 
A célula pp[1]
A célula pp[1]A célula pp[1]
A célula pp[1]
 
Bg2 teoria celular
Bg2   teoria celularBg2   teoria celular
Bg2 teoria celular
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
Caracteristicas Imagem Microscopio Tc0809
Caracteristicas Imagem Microscopio Tc0809Caracteristicas Imagem Microscopio Tc0809
Caracteristicas Imagem Microscopio Tc0809
 
Actividade experimental célula
Actividade experimental célulaActividade experimental célula
Actividade experimental célula
 
05 Microscopio ConstituiçAo Tc 0809
05 Microscopio ConstituiçAo Tc 080905 Microscopio ConstituiçAo Tc 0809
05 Microscopio ConstituiçAo Tc 0809
 
Biologia 11 (origem e evolução endossimbiose)
Biologia 11 (origem e evolução   endossimbiose)Biologia 11 (origem e evolução   endossimbiose)
Biologia 11 (origem e evolução endossimbiose)
 
Actividade Experimental nº2
Actividade Experimental nº2Actividade Experimental nº2
Actividade Experimental nº2
 
Observacao celulas humanas_web
Observacao celulas humanas_webObservacao celulas humanas_web
Observacao celulas humanas_web
 
03 ObservaçãO Da CéLula Da Cebola Ao Microscopio Tc0809
03 ObservaçãO Da CéLula Da Cebola Ao Microscopio Tc080903 ObservaçãO Da CéLula Da Cebola Ao Microscopio Tc0809
03 ObservaçãO Da CéLula Da Cebola Ao Microscopio Tc0809
 
Relatório biologia 10ºano - membrana celular
Relatório biologia 10ºano - membrana celularRelatório biologia 10ºano - membrana celular
Relatório biologia 10ºano - membrana celular
 
Bg2 à descoberta da célula
Bg2   à descoberta da célulaBg2   à descoberta da célula
Bg2 à descoberta da célula
 
Relatório actividade experimental - batata & cebola
Relatório   actividade experimental - batata & cebolaRelatório   actividade experimental - batata & cebola
Relatório actividade experimental - batata & cebola
 

Semelhante a Evoluçao biologica pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa

Semelhante a Evoluçao biologica pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa (20)

Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Evolução humana 3 C
Evolução humana 3 CEvolução humana 3 C
Evolução humana 3 C
 
9°anoResumo sobre evolução.docx
9°anoResumo sobre evolução.docx9°anoResumo sobre evolução.docx
9°anoResumo sobre evolução.docx
 
Evolução biológica apostila
Evolução biológica apostilaEvolução biológica apostila
Evolução biológica apostila
 
Telecurso 2000 aula 50 a evolução das espécies
Telecurso 2000 aula 50   a evolução das espéciesTelecurso 2000 aula 50   a evolução das espécies
Telecurso 2000 aula 50 a evolução das espécies
 
Evolucao ceped
Evolucao cepedEvolucao ceped
Evolucao ceped
 
A complexidade dialética do processo evolutivo
A complexidade dialética do processo evolutivoA complexidade dialética do processo evolutivo
A complexidade dialética do processo evolutivo
 
Evolução das espécies.
Evolução das espécies.Evolução das espécies.
Evolução das espécies.
 
Unidade 2 evolução
Unidade 2 evoluçãoUnidade 2 evolução
Unidade 2 evolução
 
Evoluçao
EvoluçaoEvoluçao
Evoluçao
 
Aula de evolução semi ronnie
Aula de evolução semi ronnieAula de evolução semi ronnie
Aula de evolução semi ronnie
 
A origem das espécies charles darwin
A origem das espécies charles darwinA origem das espécies charles darwin
A origem das espécies charles darwin
 
Evolução Humana
Evolução HumanaEvolução Humana
Evolução Humana
 
teoria evolucionista Darwin e Lamarck
teoria evolucionista Darwin e Lamarckteoria evolucionista Darwin e Lamarck
teoria evolucionista Darwin e Lamarck
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Evolução e especiação - professora Silvana Sanches
Evolução e especiação - professora Silvana SanchesEvolução e especiação - professora Silvana Sanches
Evolução e especiação - professora Silvana Sanches
 
Evolução - Especiação
Evolução - EspeciaçãoEvolução - Especiação
Evolução - Especiação
 
Evolucao
EvolucaoEvolucao
Evolucao
 
Teorias evolucionistas
Teorias evolucionistasTeorias evolucionistas
Teorias evolucionistas
 

Mais de Luiz Carlos

Plano de intervenção pedagógica 8º abd
Plano de intervenção pedagógica  8º abdPlano de intervenção pedagógica  8º abd
Plano de intervenção pedagógica 8º abdLuiz Carlos
 
Caça palavras solos e água 6ºab
Caça palavras solos e água 6ºabCaça palavras solos e água 6ºab
Caça palavras solos e água 6ºabLuiz Carlos
 
Caça palavras reinos, virus e bacterias-7ºa
Caça palavras reinos, virus e bacterias-7ºaCaça palavras reinos, virus e bacterias-7ºa
Caça palavras reinos, virus e bacterias-7ºaLuiz Carlos
 
Atividade sistemas reprodutor 8º ano
Atividade sistemas reprodutor 8º anoAtividade sistemas reprodutor 8º ano
Atividade sistemas reprodutor 8º anoLuiz Carlos
 
Sistema reprodutor atividade 8º ano
Sistema reprodutor atividade 8º anoSistema reprodutor atividade 8º ano
Sistema reprodutor atividade 8º anoLuiz Carlos
 
Cruzadinha sistema reprodutor
Cruzadinha sistema reprodutorCruzadinha sistema reprodutor
Cruzadinha sistema reprodutorLuiz Carlos
 
Dica cruzadinha sistema reprodutor masculino e feminino
Dica cruzadinha sistema reprodutor masculino e femininoDica cruzadinha sistema reprodutor masculino e feminino
Dica cruzadinha sistema reprodutor masculino e femininoLuiz Carlos
 
Cruzadinha e caça palavras atomosfera
Cruzadinha e caça palavras atomosferaCruzadinha e caça palavras atomosfera
Cruzadinha e caça palavras atomosferaLuiz Carlos
 
Paleontologia e historia natural da terra- UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA
Paleontologia e historia natural da terra- UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSAPaleontologia e historia natural da terra- UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA
Paleontologia e historia natural da terra- UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSALuiz Carlos
 
HERANÇA RELACIONADA AO SEXO-GENÉTICA BÁSICA
HERANÇA RELACIONADA AO SEXO-GENÉTICA BÁSICAHERANÇA RELACIONADA AO SEXO-GENÉTICA BÁSICA
HERANÇA RELACIONADA AO SEXO-GENÉTICA BÁSICALuiz Carlos
 
Modelos em gesso embriologia basica
Modelos em gesso embriologia basicaModelos em gesso embriologia basica
Modelos em gesso embriologia basicaLuiz Carlos
 
Evoluçao biologica pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Evoluçao biologica pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costaEvoluçao biologica pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Evoluçao biologica pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costaLuiz Carlos
 
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costaEras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costaLuiz Carlos
 
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlosOrigem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlosLuiz Carlos
 
Pibid biologia aula cnidarios 2013
Pibid biologia aula cnidarios 2013Pibid biologia aula cnidarios 2013
Pibid biologia aula cnidarios 2013Luiz Carlos
 
Aula espécies ameaçadas pibid biologia
Aula espécies ameaçadas pibid biologiaAula espécies ameaçadas pibid biologia
Aula espécies ameaçadas pibid biologiaLuiz Carlos
 
Aula espécies invasoras pibid biologia
Aula espécies invasoras pibid biologiaAula espécies invasoras pibid biologia
Aula espécies invasoras pibid biologiaLuiz Carlos
 
Aula espécies ameaçadas pibid biologia
Aula espécies ameaçadas pibid biologiaAula espécies ameaçadas pibid biologia
Aula espécies ameaçadas pibid biologiaLuiz Carlos
 
Aula espécies ameaçadas pibid biologia
Aula espécies ameaçadas pibid biologiaAula espécies ameaçadas pibid biologia
Aula espécies ameaçadas pibid biologiaLuiz Carlos
 

Mais de Luiz Carlos (19)

Plano de intervenção pedagógica 8º abd
Plano de intervenção pedagógica  8º abdPlano de intervenção pedagógica  8º abd
Plano de intervenção pedagógica 8º abd
 
Caça palavras solos e água 6ºab
Caça palavras solos e água 6ºabCaça palavras solos e água 6ºab
Caça palavras solos e água 6ºab
 
Caça palavras reinos, virus e bacterias-7ºa
Caça palavras reinos, virus e bacterias-7ºaCaça palavras reinos, virus e bacterias-7ºa
Caça palavras reinos, virus e bacterias-7ºa
 
Atividade sistemas reprodutor 8º ano
Atividade sistemas reprodutor 8º anoAtividade sistemas reprodutor 8º ano
Atividade sistemas reprodutor 8º ano
 
Sistema reprodutor atividade 8º ano
Sistema reprodutor atividade 8º anoSistema reprodutor atividade 8º ano
Sistema reprodutor atividade 8º ano
 
Cruzadinha sistema reprodutor
Cruzadinha sistema reprodutorCruzadinha sistema reprodutor
Cruzadinha sistema reprodutor
 
Dica cruzadinha sistema reprodutor masculino e feminino
Dica cruzadinha sistema reprodutor masculino e femininoDica cruzadinha sistema reprodutor masculino e feminino
Dica cruzadinha sistema reprodutor masculino e feminino
 
Cruzadinha e caça palavras atomosfera
Cruzadinha e caça palavras atomosferaCruzadinha e caça palavras atomosfera
Cruzadinha e caça palavras atomosfera
 
Paleontologia e historia natural da terra- UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA
Paleontologia e historia natural da terra- UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSAPaleontologia e historia natural da terra- UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA
Paleontologia e historia natural da terra- UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA
 
HERANÇA RELACIONADA AO SEXO-GENÉTICA BÁSICA
HERANÇA RELACIONADA AO SEXO-GENÉTICA BÁSICAHERANÇA RELACIONADA AO SEXO-GENÉTICA BÁSICA
HERANÇA RELACIONADA AO SEXO-GENÉTICA BÁSICA
 
Modelos em gesso embriologia basica
Modelos em gesso embriologia basicaModelos em gesso embriologia basica
Modelos em gesso embriologia basica
 
Evoluçao biologica pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Evoluçao biologica pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costaEvoluçao biologica pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Evoluçao biologica pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
 
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costaEras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
Eras geologicas aula pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa
 
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlosOrigem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
 
Pibid biologia aula cnidarios 2013
Pibid biologia aula cnidarios 2013Pibid biologia aula cnidarios 2013
Pibid biologia aula cnidarios 2013
 
Aula espécies ameaçadas pibid biologia
Aula espécies ameaçadas pibid biologiaAula espécies ameaçadas pibid biologia
Aula espécies ameaçadas pibid biologia
 
Aula espécies invasoras pibid biologia
Aula espécies invasoras pibid biologiaAula espécies invasoras pibid biologia
Aula espécies invasoras pibid biologia
 
Aula espécies ameaçadas pibid biologia
Aula espécies ameaçadas pibid biologiaAula espécies ameaçadas pibid biologia
Aula espécies ameaçadas pibid biologia
 
Aula espécies ameaçadas pibid biologia
Aula espécies ameaçadas pibid biologiaAula espécies ameaçadas pibid biologia
Aula espécies ameaçadas pibid biologia
 

Último

Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonRosiniaGonalves
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxLuisCarlosAlves10
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfaulasgege
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 

Último (20)

Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 

Evoluçao biologica pibid biologia-1º ano-luiz carlos da costa

  • 1. Escola Estadual Dr. Raimundo Alves Torres,Viçosa-MG. PIBID BIOLOGIA Bolsista:Luiz Carlos da Costa 1º ano Ensino Médio
  • 2. Evolução biológica Entre os seres vivos e o meio em que vivem há um ajuste, uma harmonia fundamental para a sobrevivência.  A adaptação dos seres vivos ao meio é um fato incontestável. A origem da adaptação, porém, sempre foi discutida. 
  • 4.  Na Antigüidade, a idéia de que as espécies seriam fixas e imutáveis foi defendida pelos filósofos gregos. Os chamados, fixistas propunham que as espécies vivas já existiam desde a origem do planeta e a extinção de muitas delas deveu-se a eventos especiais como, por exemplo, catástrofes, que teriam exterminado grupos inteiros de seres vivos.
  • 5.  O filósofo grego Aristóteles, grande estudioso da natureza, não admitia a ocorrência de transformação das espécies
  • 6. Evolucionismo  Lentamente, a partir do século XIX, uma série de pensadores passou a admitir a idéia da substituição gradual das espécies por outras, por meio de adaptações a ambientes em contínuo processo de mudança.
  • 7. Essa corrente de pensamento, transformista, explicava a adaptação como um processo dinâmico, ao contrário do que propunham os fixistas.  Para o transformismo, a adaptação é conseguida por meio de mudanças: à medida que muda o meio, muda a espécie. Os adaptados ao ambiente em mudança sobrevivem. 
  • 8. Nem sempre a adaptação implica aperfeiçoamento. Muitas vezes, leva a uma simplificação.  É o caso, por exemplo, das tênias, vermes achatados parasitas: não tendo tubo digestório, estão perfeitamente adaptadas ao parasitismo no tubo digestório do homem e de outros vertebrados. 
  • 10. As evidências da evolução os fósseis;  a semelhança embriológica e anatômica existente entre os componentes de alguns grupos animais (notadamente os vertebrados),  a existência de estruturas vestigiais e  as evidências bioquímicas relacionadas a determinadas moléculas comuns a muitos seres vivos. 
  • 11.
  • 12. Anatomia Comparada A asa de uma ave, a nadadeira anterior de um golfinho e o braço de um homem, ainda que muito diferentes, possuem estrutura óssea e muscular bastante parecidas. A semelhança pode ser explicada admitindo-se que esses seres tiveram ancestrais em comum, dos quais herdaram um plano básico de estrutura corporal.
  • 13. Semelhanças embrionárias  As semelhanças entre os embriões de determinados grupos de animais são ainda maiores do que as semelhanças encontradas nas formas adultas. por exemplo, é difícil distinguir embriões jovens de peixes, sapos, tartarugas, pássaros e seres humanos, todos pertencentes ao grupo dos vertebrados. Essa semelhança pode ser explicada se levarmos em conta que durante o processo embrionário é esboçado o plano estrutural básico do corpo, que todos eles herdaram de um ancestral comum.
  • 14. Órgãos ou estruturas homólogos  Certos órgãos ou estruturas se desenvolvem de modo muito semelhante nos embriões de todos os vertebrados. São os órgãos homólogos. Apesar de terem a mesma origem embrionária, os órgãos homólogos podem ter funções diferentes, como é o caso do braço humano e da asa de uma ave, por exemplo.
  • 15.
  • 16. Órgãos ou estruturas análogos  estruturas desempenham a mesma função, mas têm origem embrionária diferente
  • 17. Será que os Homens descendem dos macacos?
  • 18. Evidências moleculares da evolução A comparação entre moléculas de DNA de diferentes espécies tem revelado o grau de semelhança de seus genes, o que mostra o parentesco evolutivo.  citocromo c 
  • 19.
  • 20. As idéias de Lamarck  Em sua teoria, Lamarck sustentou que a progressão dos organismos era guiada pelo meio ambiente: se o ambiente sofre modificações, os organismos procuram adaptar-se a ele
  • 21.  Lei do uso ou desuso: no processo de adaptação ao meio, o uso de determinadas partes do corpo do organismo faz com que elas se desenvolvam, e o desuso faz com que se atrofiem;
  • 22.  Lei da transmissão dos caracteres adquiridos: alterações no corpo do organismo provocadas pelo uso ou desuso são transmitidas aos descendentes.
  • 24. Um pouco da História do Darwinismo  Nas ilhas Galápagos, um conjunto de A viagem de Darwin ao redor do ilhas pequenas e áridas, situadas no mundo Oceano Pacífico a cerca de 800 Km da costa do Equador, Darwin encontrou uma fauna e uma flora Durante a viagem do Beagle, altamente peculiares, que variavam Darwin de ilha para ilha. ligeiramente fez escavações na Patagônia, onde encontrou fósseis de mamíferos já extintos. Darwin descobriu o fóssil de um animal gigantesco, com a organização esquelética muito semelhante à dos tatus que hoje habitam o continente sul-americano.
  • 25.  Darwin foi influenciado pelos trabalhos de cientistas famosos, como o astrônomo John Herschel (1792–1871) ,o naturalista e viajante Alexandr Humboldt (1767–1835); o geólogo Charles Lyell (1797 – 1875;
  • 26. Seleção Natural A ação da seleção natural consiste em selecionar indivíduos mais adaptados a determinada condição ecológica, eliminando aqueles desvantajosos para essa mesma condição.  A expressão mais adaptado referese à maior probabilidade de determinado indivíduo sobreviver e deixar descendentes em determinado ambiente. 
  • 27. Como a Seleção Natural atua..
  • 28. Exemplos de seleção natural  A resistência de bactérias a antibióticos e de insetos a inseticidas têm aumentado muito nos últimos anos, havendo sempre a necessidade de se desenvolverem novos antibióticos e novos inseticidas.
  • 29. Coloração de advertência E a falsa coral???? Mimetismo Adaptação!
  • 30. A teoria sintética da evolução conciliação das idéias sobre seleção natural com os fatos da Genética  fatores que tendem a aumentar a variabilidade genética da população : mutação e permutação;  fatores que atuam sobre a variabilidade genética já estabelecida : migração, deriva genética e seleção natural. 
  • 31. “Nada se faz em biologia a não ser à luz da evolução”.  duvidas????  Aula disponivel para visualização/download: esedratbio.blogspot.com 