Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas GeraisCentro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais
Dadaísmo – Pa...
De onde vem o “dada” de Dadaísmo?
“Dada não significa nada: Sabe-se pelos jornais que os negros Krou
denominam a cauda da ...
Contexto Histórico:
● Partilha da África e Ásia.
● Primeira Guerra Mundial.
● Inovações Tecnológicas.
● Desigualdades soci...
Características:
● Novo olhar sobre objetos do cotidiano;
● Irreverência artística;
● Combate às formas de arte institucio...
Manifesto Dada
“Eu redijo um manifesto e não quero nada, eu digo portanto certas
coisas e sou por princípios contra manife...
Cabaré Voltaire
● Fundado por Hugo Ball, um dos expoentes do movimento;
● Encontro de artistas refugiados;
● Reflexo das e...
Eu estou só
“Eu falo de quem fala de quem fala que estou só
Eu sou apenas um pequeno ruído eu tenho vários em mim
Um ruído...
Hugo Ball
“[…] Como conquistar a eterna bem aventurança? Dizendo Dadá. Como ser célebre?
Dizendo Dadá. Com nobre gesto e m...
Hans (Jean) Arp
“[..] a donzela cerimoniosamente bombeia nuvens
em sacolas de pedra e couro
gigandastes silenciosos espira...
Obras Artísticas
Para Fazer Um Poema Dadaísta - Tristan Tzara
"Pegue um jornal.
Pegue a tesoura.
Escolha no jornal um artigo que você desej...
Referências Bibliográficas
1. Nadia Ghanem 'Cabaret Voltaire', traduzido do texto em francês, publicado no catálogo
Dada (...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Dadaísmo

304 visualizações

Publicada em

Slide sobre Dadaísmo, um dos períodos literários das Vanguardas Europeias.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
304
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dadaísmo

  1. 1. Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas GeraisCentro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais Dadaísmo – Parte 1Dadaísmo – Parte 1 Grupo:Grupo: Agariel MartinsAgariel Martins Luiz Afrânio S.Luiz Afrânio S. Sara AndradeSara Andrade Professora:Professora: MaísaMaísa Turma:Turma: Química 3Química 3 Timóteo - 2015Timóteo - 2015
  2. 2. De onde vem o “dada” de Dadaísmo? “Dada não significa nada: Sabe-se pelos jornais que os negros Krou denominam a cauda da vaca santa: Dada. O cubo é a mãe em certa região da Itália: Dada. Um cavalo de madeira, a ama de leite, dupla afirmação em russo e em romeno: Dada. Sábios jornalistas viram nela uma arte para os bebês, outros Jesus chamando criancinhas do dia, o retorno ao primitivismo seco e barulhento, barulhento e monótono. Não se constrói a sensibilidade sobre uma palavra; toda a construção converge para a perfeição que aborrece, a ideia estagnante de um pântano dourado, relativo ao produto humano.” —Tristan Tzara.
  3. 3. Contexto Histórico: ● Partilha da África e Ásia. ● Primeira Guerra Mundial. ● Inovações Tecnológicas. ● Desigualdades sociais.
  4. 4. Características: ● Novo olhar sobre objetos do cotidiano; ● Irreverência artística; ● Combate às formas de arte institucionalizadas; ● Crítica ao capitalismo e ao consumismo; ● Ênfase no absurdo e nos temas e conteúdos sem lógica; ● Uso de vários formatos de expressão (objetos do cotidiano, sons, fotografias, poesias, músicas, jornais, etc) na composição das obras de artes plásticas; ● Forte caráter pessimista e irônico, principalmente com relação aos acontecimentos políticos do mundo; ● Curta duração, tendo influenciado movimento posteriores, como o surrealismo.
  5. 5. Manifesto Dada “Eu redijo um manifesto e não quero nada, eu digo portanto certas coisas e sou por princípios contra manifestos (…). Eu redijo este manifesto para mostrar que é possível fazer as ações opostas simultaneamente, numa única fresca respiração; sou contra a ação pela contínua contradição, pela afirmação também, eu não sou nem pró nem contra e não explico por que odeio o bom-senso. A obra de arte não deve ser a beleza em si mesma, porque a beleza está morta.”
  6. 6. Cabaré Voltaire ● Fundado por Hugo Ball, um dos expoentes do movimento; ● Encontro de artistas refugiados; ● Reflexo das emoções causados pela guerra; ● Forte conteúdo anárquico; ● Liberdade artística.
  7. 7. Eu estou só “Eu falo de quem fala de quem fala que estou só Eu sou apenas um pequeno ruído eu tenho vários em mim Um ruído amassado gelado na intersecção das ruas despejado no pavimento úmido aos pés dos homens precipitados correndo com as suas mortes À volta da morte que estende os seus braços Sobre o relógio sozinho respirando ao sol.” Tristan Tzara
  8. 8. Hugo Ball “[…] Como conquistar a eterna bem aventurança? Dizendo Dadá. Como ser célebre? Dizendo Dadá. Com nobre gesto e maneiras finas. Até à loucura, até perder a consciência. Como desfazer-nos de tudo o que é enguia e dia-a-dia, de tudo o que é simpático e linfático, de tudo o que é moralizado, animalizado, enfeitado? Dizendo Dadá. Dadá é a alma-do-mundo, Dadá é o Coiso, Dadá é o melhor sabão-de-leite de lírio do mundo. Dadá Senhor Rubiner, Dadá Senhor Korrodi, Dadá Senhor Anastasius Lilienstein. […]”
  9. 9. Hans (Jean) Arp “[..] a donzela cerimoniosamente bombeia nuvens em sacolas de pedra e couro gigandastes silenciosos espiralam pardais estridentes no azul as torres de areia entopem-se de bonecas de pano as eclusas represam hipocampos esferas e moinhos as barcas chama-se João e Maria e flutuam adiante sem noção o dragão carrega a insígnia cuca gula e é guiado manso pela coleira às cidades amputa-se os pés aos campanários dá-se pista de dança apenas em porões por isso escapamos da obrigação de limpar as garras cometas birutas […]"
  10. 10. Obras Artísticas
  11. 11. Para Fazer Um Poema Dadaísta - Tristan Tzara "Pegue um jornal. Pegue a tesoura. Escolha no jornal um artigo que você deseja dar ao seu poema. Recorte o artigo. Recorte em seguida com atenção algumas palavras que formam esse artigo e meta-as num saco. Agite suavemente. Tire em seguida cada pedaço um após o outro. Copie conscienciosamente na ordem em que elas são tiradas do saco. O poema se parecerá com você. E ei-lo um escritor infinitamente original de uma sensibilidade graciosa, e ainda que incompreendido do público."
  12. 12. Referências Bibliográficas 1. Nadia Ghanem 'Cabaret Voltaire', traduzido do texto em francês, publicado no catálogo Dada (Editions du Centre Pompidou : Paris 2005) 202-207. Publicado por MNAM Centre Pompidou 2005, p. 56-58. 2. Ruth Hemus 'Sex and the Cabaret : Dada's Dancers', in Nordlit nr. 21 (2007) [online] disponível em: <http://septentrio.uit.no/index.php/nordlit/article/view/1677 > Acesso em 11/04/2015. 3. DESCONHECIDO,Autor.Dadaísmo.2010.Disponível em :<http://enciclopedia.itaucultural.org.br/termo3651/dadaismo > 4. MARTINS,Simone.DADAÍSMO.2011.Disponível em: <http://www.historiadaarte.com.br/linha/dadaismo.html > 5. VALIRINHO,Sabrina.Dadaísmo.2002. Disponível em:<http://www.mundoeducacao.com/literatura/dadaismo.htm >

×